Você está na página 1de 2

A cultura digital e o mundo mobile

Felipe Dall’Orto

As novas tecnologias têm causado transformações nas relações pessoais


e profissionais, influenciando diversas dimensões sociais. Entender esse avanço
tecnológico é importante porque, é a partir desta evolução, que se consegue
compreender determinados grupos e como eles se estabelecem e se
relacionam.
A sociedade passou por grandes evoluções tecnológicas ao longo dos
anos, como a invenção da prensa e da eletricidade, mas nenhuma em um ritmo
tão acelerado como a revolução digital.
A sociedade atual é marcada pelas inovações na tecnologia de
informação e da comunicação, influenciando diretamente a diversidade cultural.
Esse desenvolvimento tecnológico possibilita uma comunicação mais acelerada,
cada vez mais multicultural, contribuindo para a construção de uma sociedade
que se apropria dos meios de produção dos mass media, para dialogar
diretamente a partir das mídias digitais.
Dados do IBGE mostram que 64,7% da população brasileira está
conectada à internet, e 94,6% dessa parcela conectada utiliza o celular como
principal ferramenta de conexão.
Dessa forma, é preciso observar como a revolução digital tem impactado
nas relações sociais criando novas formas de comunicação e interação,
influenciando comportamentos e modelos de negócios.
Segundo a pesquisadora José van Dijck, há um novo cenário de mídia
que apresenta modelos em transição, novas formas e formatos de trabalho,
influenciados pela sociedade da plataforma que impacta diretamente no feed de
notícias do público e na seleção automatizada de conteúdo que serão
acessados.
Essas mudanças também atingiram o mercado brasileiro que tem
buscado uma nova forma de diálogo com o público, pois os avanços tecnológicos
e a popularização dos smartphones, levaram às empresas a pensar no
consumidor ‘multitelas’, que mantêm televisão, computador e celular ligados
simultaneamente. Com a diversificação das plataformas, o público tem mais
possibilidades de consumo, levando às empresas a diversificar seus conteúdos
para serem mais assertivos, repensando a forma de se conectar com o
consumidor mobile.
O consumo ‘multitela’ não é um fenômeno recente, pois o público já
consumia ao mesmo tempo, rádio e televisão, mas o avanço das novas
tecnologias colocou os dispositivos digitais no cotidiano das pessoas, dessa
forma, as empresas passaram a produzir novos conteúdos, priorizando a
integração com o público e os diferentes suportes.
Para Martha Gabriel, não há mais separação entre o online e o offline, e
que ser conectado integralmente já é uma realidade possível. Não há mais a
necessidade de se deslocar para um lugar físico para ‘entrar no mundo virtual’,
hoje a conexão móvel faz parte do cotidiano, modificando definitivamente as
relações de consumo.
As tecnologias móveis e as facilidades de conexão transformam os
cidadãos em participantes ativos e interativos, por isso, é preciso pensar que há
uma mudança no papel do consumidor ainda em definição, que utiliza as redes
para se expressar e influenciar opiniões e comportamentos.
Não se pode separar os recursos tecnológicos das pessoas que
interagem umas com as outras, ao mesmo tempo que não se pode ignorar as
mudanças provocadas pelas tecnologias. Mais do que permitir a comunicação,
a tecnologia ampliou as capacidades de conexão.

Você também pode gostar