Você está na página 1de 17

TRAME 3.

0 - Análise de Treliças Planas


REVISÃO - 15/11/2005

Figura 1 – Visão geral do programa

AUTORIA

Paulo Cavalcante Ormonde


Engenheiro Civil e Mestrando em Construções Rurais e Ambiência (FEAGRI-UNICAMP).
Diretor da ORMOND ENGENHARIA E PROJETOS
VISÃO GERAL

O TRAME é um software proprietário para análise do comportamento estrutural de treliças


planas com base no Método dos Deslocamentos. Este software foi especialmente
desenvolvido para a Ormond Engenharia e Projetos, com o objetivo de servir de base
para futuras aplicações ligadas ao dimensionamento automático de estruturas, ainda em
desenvolvimento. Este software foi criado fundamentalmente para importar a geometria da
estrutura através de arquivos DXF. Os usuários desta versão de testes do programa estão
livres de qualquer compromisso para usá-lo. Nem o autor ou qualquer instituição a ele
ligada é responsável pelo uso ou mau uso do programa e de seus resultados, não tendo
dever legal ou responsabilidade para com qualquer pessoa ou companhia pelos danos
causados direta ou indiretamente do uso deste programa ou informação nele
disponibilizada. O usuário é responsável por toda e qualquer conclusão feita com o uso
deste programa. Não existe nenhum compromisso de bom funcionamento, garantias ou
suporte.

Sua opinião é muito importante para o aperfeiçoamento deste trabalho. Ajude-nos com suas
sugestões, relatos de erros ou mau funcionamento do programa.

HISTÓRICO

O TRAME nasceu no mês de novembro de 2004 a partir de um programa escrito em


Scilab, o TRAME.SCE, com lançamento de dados manual e resultados apenas numéricos.
A linguagem de programação utilizada para o desenvolvimento do TRAME é o Object
Pascal do DELPHI 4.0.

RECURSOS DA VERSÃO 3.0

• Importação da geometria a partir de arquivos DXF;

• Geração de nova treliça a partir do lançamento manual de dados ou modificação de

projetos existentes, incluindo visualização prévia da estrutura;

• Numeração automática de nós e barras;

• Geração de arquivo de projeto;


• Configuração das propriedades das barras com recurso de múltipla seleção;

• Visualização e seleção gráfica dos nós e barras da estrutura;

• Visualização gráfica de esforços normais nas barras, reações de apoio, cargas

concentradas, cargas distribuídas e restrições de apoio;

• Opção de cálculo e distribuição automática do peso próprio da estrutura com

coeficiente de ponderação configurável;

• Exportação da geometria com notação dos esforços nas barras para DXF;

• Recursos de visualização para ampliar e deslocar a figura;

• Geração de arquivo de imagem Bitmap da área gráfica do programa.

• Visualização e impressão do relatório completo da análise;

• Visualização gráfica da deformada da estrutura com ajuste de escala;

• Aplicação e análise de cargas distribuídas nas barras no sistema local ou global;

• Manual do usuário com um exemplo de análise.


GUIA DE COMANDOS

ARQUIVOS

Figura 2 – Menu Arquivo


No menu Arquivo pode-se encontrar as seguintes opções:
• Nova treliça: abre a caixa de diálogo para geração de uma nova treliça;

Figura 3 – Módulo de geração manual de treliças


Basta configurar o número de nós e barras para em seguida preencher os dados
geométricos da estrutura, coordenadas dos nós e incidência nas barras. Os dados
também podem ser importados de um projeto existente e modificados conforme sua
necessidade. No quadro de geração de treliças é possível visualizar o modelo antes
da confirmação.
• Abrir estrutura: abre um arquivo de projeto previamente salvo pelo TRAME;
• Salvar estrutura: salva um arquivo do projeto criado pelo TRAME. É importante
ressaltar que a cada modificação na estrutura deve-se salvar o arquivo de projeto,
pois o programa não irá lembrar o usuário desta necessidade;
• Salvar como: salva um arquivo do projeto criado pelo TRAME com outro nome;
• Importar DXF: importa a geometria da estrutura desenhada em programa CAD
com recursos de geração de arquivos com extensão DXF. Para que este
procedimento funcione corretamente, devemos criar um Layer (camada de
desenho) com o nome barra (com caracteres maiúsculos ou minúsculos). Todas as
barras devem ser desenhadas neste layer, sendo uma linha para cada barra. Se
representarmos várias barras com uma mesma linha o TRAME 3.0 não irá
reconhecê-las. Antes de gerar o arquivo DXF, é necessário posicionar a estrutura
dentro do primeiro quadrante, fazendo com que todos os nós da estrutura possuam
coordenadas X e Y positivas. Junto com o programa são fornecidos alguns
exemplos de arquivos DXF gerados no padrão AutoCad R12, AutoCad 2000 e
2004. A Figura abaixo exemplifica como deverão ser preparadas as estruturas antes
de gerar o arquivo DXF.
É muito importante que só existam elementos do tipo Line antes de se exportar o arquivo
DXF. Elementos como Point, por exemplo, podem gerar erro na hora de importar a
geometria no TRAME 3.0.
O arquivo DXF deve ser gerado no padrão do software AutoCAD nas versões R12, LT,
2000 ou 2004.
• Exportar DXF: gera um arquivo DXF da geometria da treliça analisada com a
notação dos esforços normais nas barras.;
• Sair: encerra o programa.

Nota: As teclas de atalho podem ser visualizadas ao lado dos comandos do menu.

VISUALIZAÇÃO

Figura 4 – Menu Visualizar

No menu Visualizar pode-se encontrar as seguintes opções:

• Nº dos Nós: visualiza o número dos nós que são definidos automaticamente pelo
TRAME após a importação da geometria em DXF;
• Nº da Barras: visualiza o número das barras ;
• Cargas: visualiza os carregamentos aplicados nos nós e nas barras;
• Esforços Normais: exibe graficamente os esforços normais nas barras após a
análise da estrutura;
• Reações de apoio: exibe graficamente as reações de apoio após a análise da
estrutura;
• Deformada: Exibe graficamente a deformada da estrutura após análise;
• Ampliar: amplia a escala do desenho visualizado na área gráfica, comando que
também pode ser acessado pela tecla de atalho “+”;
• Reduzir: reduz a escala do desenho visualizado na área gráfica, comando que
também pode ser acessado pela tecla de atalho “-”;
• Enquadrar: ajusta automaticamente a escala do desenho visualizado na área
gráfica para que a estrutura possa ser visualizada em sua totalidade;
• Salvar imagem: salva em um arquivo bitmap o desenho visualizado na área
gráfica.

Nota: As teclas de atalho podem ser visualizadas ao lado dos comandos do menu. As setas
do teclado numérico (Figura 5) podem ser utilizadas para deslocar o desenho visualizado na
área gráfica.

Figura 5 – Setas do teclado numérico para deslocamento do gráfico


CONFIGURANDO AS PROPRIEDADES DAS BARRAS

Figura 6 – Comando Barras

Através do menu Estrutura e do comando Barras pode-se acessar a caixa de diálogo para
configuração das propriedades das barras conforme a Figura 7.

Figura 7 – Caixa de diálogo BARRAS


Através da caixa de diálogo BARRAS podemos configurar as seguintes propriedades
fundamentais para a obtenção correta dos deslocamentos da estrutura e do seu peso próprio,
que são:

• E (MPa): módulo de elasticidade;


• S (cm²): área da seção transversal da barra;
• P (kgf/m³): peso específico do material.

Seleção de múltiplas barras


Para selecionar mais de uma barra, basta dar dois clique na barra inicial e dois clique na
barra final com o botão esquerdo do mouse. As barras compreendidas neste intervalo serão
selecionadas destacadas em vermelho no quadro de imagem.

Figura 8 – Caixa de diálogo BARRAS – Múltipla seleção de barras


Botões

Botões de acesso a valores pré-configurados de módulo de elasticidade e peso específico.

Botão que aplica somente a propriedade a ele associada a todas as barras da lista.

Botão que aplica as propriedades E, S e P somente para a barra selecionada na lista.

Botão que aplica as propriedades E, S e P para todas as barras da lista.

Botão que aplica as propriedades configuradas apenas nas barras de


seleção múltipla.

Botão que limpa a seleção múltipla.

CONFIGURANDO AS RESTRIÇÕES DE APOIO

Através do menu Estrutura e do sub-menu Adicionar Apoio pode-se encontrar todas as


opções do TRAME para definir os apoios da estrutura.
Figura 9 – Configurar Apoio

Sendo um programa de análise de treliças planas, todos os nós da estrutura são


considerados rotulados, podendo transmitir apenas esforços axiais e transversais. Para
definir uma das restrições do sub-menu Adicionar Apoio, basta selecionar um nó da
estrutura com o mouse e em seguida clicar na restrição desejada conforme as figuras. O nó
selecionado é marcado pelo programa com um ponto vermelho conforme a Figura 10.

Figura 10 – Nó selecionado através do mouse.

CONFIGURANDO OS CARREGAMENTOS

Nesta versão do TRAME são possíveis adicionar carregamentos verticais e horizontais


aplicados diretamente nos nós da estrutura e cargas uniformemente distribuídas ao longo
das barras. As cargas distribuídas poderão ser de direção global (verticais) ou local
(perpendiculares ao eixo da barra).
Figura 11 – Aplicar Carga

Para aplicar cargas concentradas basta selecionar um nó na estrutura e clicar sobre a opção
de carga concentra, o TRAME apresenta uma caixa de diálogo (Figura 12) para que se
informe o valor da carga em kgf. Com valor positivo, o sentido da carga será igual ao
indicado no canto inferior esquerdo da tela e com valor negativo no sentido contrário.

Figura 12 – Carga concentrada no nó.

Caso seja uma carga inclinada basta informar a força F aplicada, o Ângulo e clicar no
botão calcular para obter-se as componentes vertical e horizontal da força. A leitura do
ângulo é feita no sentido anti-horário a partir da direção e sentido Leste.
Figura 13 – Carga concentrada inclinada no nó.

Para aplicar cargas distribuídas basta selecionar uma barra na estrutura e clicar sobre a
opção de carga distribuída, o TRAME apresenta uma caixa de diálogo (Figura 14 e 15) para
que se informe o valor da carga em kgf/m. O sentido da carga poderá ser observado
graficamente na barra.

Figura 14 – Carga uniformemente distribuída na direção global


Figura 15 – Carga uniformemente distribuída na direção local

Nota Importante: As tensões de momento fletor não são consideradas na análise da


estrutura. Na presente versão a carga distribuída é simplesmente convertida, transformando-
se em carregamento concentrado equivalente aplicado diretamente nos nós.

RESULTADOS

No TRAME, são disponibilizados 3 comandos para análise estática linear da estrutura que
são:
• Análise com Relatório;
• Análise Rápida;
• Análise rápida com Peso Próprio.
Os resultados dos esforços aplicados na estrutura podem ser visualizados somente após a
análise estática realizada através dos comandos de análise do menu Estrutura conforme a
Figura 16.

Figura 16 – Comandos de Análise

Após acionar o comando Análise com Relatório, uma caixa de diálogo (Figura 17) é
apresentada oferecendo a opção de se considerar ou não, o peso próprio da estrutura,
configurar a precisão do cálculo dos deslocamentos e definir o coeficiente de ponderação
do peso próprio . Após clicar sobre o botão Analisar, a estrutura é analisada e um relatório
é apresentado na caixa de texto. O relatório pode ser impresso através do botão Imprimir.
O texto da caixa de relatório também pode ser salvo em um arquivo de texto através do
botão Salvar. O peso próprio da estrutura é calculado dividindo o peso de cada barra entre
seus respectivos nós de extremidade e multiplicado pelo coeficiente de ponderação.
Figura 17 – Análise da estrutura e relatório

Os demais comandos de análise fazem os mesmos cálculos apenas não exibindo o relatório,
tornado mais rápido o processo de análise durante a construção e testes do modelo.
Os esforços nas barras, reações de apoio e deformada da estrutura também podem ser
vistos graficamente conforme a Figura 18 acessando os comandos de visualização.

Figura 18 – Resultados visualizados graficamente


MENU DE BOTÕES DE ACESSO RÁPIDO

Figura 19 – Resultados visualizados graficamente


Passando o mouse sobre qualquer um dos botões de acesso rápido, pode-se ler no rodapé
esquerdo do programa (Figura 19) a descrição de sua função.