Você está na página 1de 8

Pesquisas no internet

Caracterização da própolis vermelha:


sua origem botânica, composição
química e atividade biológica
Pesquisador
responsável: Pedro Luiz Rosalen
Beneficiário: Pedro Luiz Rosalen
Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade
Instituição:
Estadual de Campinas (UNICAMP)
Área do Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e
conhecimento: Preventiva
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Regular
Processo: 06/55276-7
Vigência: 01 de outubro de 2006 - 30 de setembro de 2008
Produtos naturais

Própolis
Assunto(s):
Sazonalidade

Projetos Regulares
Resumo
Entre os produtos naturais, muito utilizados mundialmente para a descoberta de novas
drogas para uso como agentes inovadores na terapêutica de doenças de alta prevalência
e morbidade, a própolis se destaca pois tem demonstrado ser uma fonte de recurso
natural para a descoberta de novos compostos bioativos, como o CAPE (éter fenílico do
ácido cafeico), compostos poliprenilados, o Artepelim C, a Apigenina e o tt-farnesol.
Entre as própolis brasileiras, uma nova própolis ainda não classificada e denominada de
própolis vermelha originária do estado de Alagoas (Nordeste do Brasil), tem mostrado
resultados interessantes em estudos preliminares feitos em nossos laboratórios. Entre
estes resultados, podemos destacar a composição química desta própolis que é diferente
de qualquer outro grupo de própolis brasileira, com uma alta proporção de compostos
polares, os quais podem ser dissolvidos facilmente em veículos aquosostcomo
normalmente é feita nas preparações farmacêuticas, além disso, revelou alta atividade
antioxidante e antimicrobiana contra vários microrganismos patogênicos em ensaios
iniciais in vitro, e atividade anticancer em cultura de tecidos (7 linhagens de células
tumorais humanas), além de estar despertando um grande interesse pelo mercado
internacional, que fez com que esta própolis tenha atingido um alto valor comercial de
exportação, recentemente. Assim, o objetivo principal deste trabalho é identificar o
marcador botânico da própolis vermelha, a composição química e atividade biológica do
extrato etanólico da própolis e do extrato etanólico da planta verificando as variações
sazonais ocorridas no bioma. Esse objetivo será atingido através das seguintes
metodologias: 1- observação do comportamento de visita das abelhas à vegetação
próxima a colméia; 2- comparação do perfil químico (obtido por cromatografia líquida
de alta eficiência em fase reversa e análises complementares) dos vegetais visitados
pelas abelhas coletoras de resina com o perfil químico da própolis vermelha,
estabelecendo assim, as características entre ambos os materiais, visando à identificação
do marcador biológico botânico; 3- avaliação da influência do efeito sazonal anual sobre
a própolis vermelha e sua vegetação fonte por meio da atividade antimicrobiana e perfil
químico, com coletas bimensais das amostras durante o período de 1 ano. (AU)

Análise de uma nova própolis em relação


a sua origem botânica, composição
química e atividade biológica
Beneficiário: Bruno Bueno Silva
Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade
Instituição:
Estadual de Campinas (UNICAMP)
Pesquisador
responsável: Pedro Luiz Rosalen
Área do
Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
conhecimento:
Linha de
Bolsas no Brasil - Mestrado
fomento:
Processo: 05/58199-0
Vigência: 01 de março de 2006 - 29 de fevereiro de 2008
04/08635-6 - Isolamento e identificação de compostos bioativos de
Vinculado ao
uma nova variedade de própolis brasileira produzida por abelhas da
auxílio:
espécie Apis mellifera, AP.JP
Própolis

Assunto(s): Programa Jovens Pesquisadores

Bolsas no Brasil - Mestrado


Resumo
Entre os produtos naturais, a própolis se destaca pois tem demonstrado ser uma fonte de
recurso natural para a descoberta de novos compostos bioativos. Entre as própolis
brasileiras, uma nova própolis ainda não classificada e denominada de própolis
vermelha originária do estado de Alagoas (Nordeste do Brasil), tem mostrado resultados
interessantes em estudos preliminares feitos em nossos laboratórios. Entre estes
resultados, podemos destacar a composição química desta própolis que é diferente de
qualquer outro grupo de própolis brasileira, com uma alta proporção de compostos
polares, alta atividade antioxidante e antimicrobiana contra vários microrganismos
patogênicos, atividade anticâncer em cultura de tecidos, além de ter despertado um
grande interesse pelo mercado japonês. Assim, o objetivo principal deste trabalho é
identificar o marcador botânico da própolis vermelha, a composição química e atividade
biológica de ambas as substâncias verificando as variações sazonais ocorridas no bioma.
Esse objetivo será atingido através de: 1- observação do comportamento de visita das
abelhas à vegetação próxima a colméia; 2- comparação do perfil químico (obtido por
CLAE) dos vegetais visitados pelas abelhas coletoras de resina com o perfil químico da
própolis vermelha, visando à identificação do marcador biológico botânico; 3- avaliação
da influência do efeito sazonal anual sobre as amostras por meio da atividade
antimicrobiana e perfil químico, com coletas bimensais durante o período de 1 ano.
(AU)

Avaliação da atividade antimicrobiana de


frações, sub-frações e compostos isolados
de uma nova variedade de própolis
brasileira produzida por abelhas da
espécie Apis mellifera
Beneficiário: Ingridy Simone Ribeiro Cabral
Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ).
Instituição:
Universidade de São Paulo (USP)
Pesquisador
responsável: Severino Matias de Alencar
Área do
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
conhecimento:
Linha de
Bolsas no Brasil - Mestrado
fomento:
Processo: 06/54619-8
Vigência: 01 de setembro de 2006 - 31 de agosto de 2008
04/08635-6 - Isolamento e identificação de compostos bioativos de
Vinculado ao
uma nova variedade de própolis brasileira produzida por abelhas da
auxílio:
espécie Apis mellifera, AP.JP
Programa Jovens Pesquisadores
Assunto(s):
Bolsas no Brasil - Mestrado
Resumo
A própolis é uma substância resinosa coletada pelas abelhas Apis mellifera de diversas
partes das plantas como brotos, botões florais e exudados resinosos e que apresenta na
sua composição química diferentes compostos como aldeídos fenólicos, ácidos
orgânicos e componentes polifenólicos. A própolis vem se destacando principalmente
pelas suas várias atividades farmacológicas apresentadas, tais como atividade
antimicrobiana, antiinflamatória, antioxidante, anticâncer e anti-HIV. Todavia, trabalhos
de investigação sobre propriedades farmacológicas das própolis brasileiras sempre
foram voltados para as própolis do sudeste, sendo deixado de lado o entendimento da
composição química e ação biológica das própolis de outras regiões do Brasil. Um novo
tipo de própolis nunca antes relatado no Brasil e denominada de própolis vermelha,
encontrada na região de mangue do litoral do estado de Alagoas, demonstrou alta
atividade antimicrobiana contra vários microrganímos patogênicos, além de ter
despertado um grande interesse pelo mercado japonês, surgindo desta forma a
necessidade de um estudo sobre as suas propriedades biológicas e composição química.
Portanto, o objetivo deste trabalho será fracionar o EEP e isolar o(s) composto (s) de
aKa atividade antimicrobiana. A identificação de novos compostos com atividades
biológicas poderá propiciar o conhecimento de novos princípios ativos para uso na
indústria alimentícia e farmacêutica, geração de patentes brasileiras, bem como o
aumento do valor comercial deste produto. (AU)
Publicações científicas :
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do Google Scholar, por
meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo
correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CABRAL‚ I.S.R.; OLDONI‚ T.L.C.; PRADO‚ A.; BEZERRA‚ R.M.N.;
ALENCAR‚ S.M.; IKEGAKI‚ M.; ROSALEN‚ P.L. Composição fenólica‚
atividade antibacteriana e antioxidante da própolis vermelha brasileira.
Química Nova, v. 32, p. 1523-1527, 2009.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para:


cdi@fapesp.br.

Análise da composição de amostras de


própolis vermelha do Brasil por
espectrometria de massas com ionização
por eletrospray e cromatografia líquida
de ultra-eficiência (UPLC-ESI-MS) e
avaliação da atividade antioxidante e
antimicrobiana
Beneficiário: Begona Gimenez Cassina Lopez
Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas
Instituição:
(UNICAMP)
Pesquisador Alexandra Christine Helena Frankland
responsável: Sawaya
Área do
Ciências Exatas e da Terra - Química
conhecimento:
Linha de
Bolsas no Brasil - Mestrado
fomento:
Processo: 12/03091-4
Vigência: 01 de maio de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
10/51677-2 - Técnicas modernas em espectrometria de massas e
Vinculado ao desenvolvimento de novas aplicações em ciências: química,
auxílio: bioquímica, materiais, forense, medicina, alimentos, farmácia e
veterinária, AP.TEM
Espectrometria de massas

Composição química

Assunto(s): Própolis

Projetos Temáticos

Bolsas no Brasil - Mestrado


Resumo
A palavra propolis tem origem Grega: pro significa em defensa de, e polis significa
comunidade. A própolis é usada pelas abelhas para fortalecer as paredes da colméia e
para cobrir as paredes internas e por devido a sua atividade antimicrobiana. A
composição química da própolis é variável segundo a biodiversidade e a origem
geográfica. A própolis vermelha, encontrada no nordeste e norte do Brasil, apresenta
promissoras atividades biológicas: atividade antimicrobiana, antiparasitária,
antioxidante, citotóxica, antiinflamatória, analgésica, efeitos antiobesidade, contra
psoríase e hepatoprotetores. A composição química da própolis vermelha, relatada na
literatura, parece variar qualitativa e quantitativamente, inclusive entre amostras
coletadas na mesma região. Isto pode ser devido a variações sazonais, a flora
direitamente ao redor das colméias ou aos métodos de análise. A maioria das classes de
substâncias já identificadas pode ser analisada adequadamente por espectrometria de
massas com ionização por eletrospray e cromatografia líquida. Os constituintes de
média e alta polaridade (como fenólicos, flavonóides e benzofenonas) são responsáveis
por muitas das atividades biológicas reportadas à própolis vermelha. A cromatografia
líquida de ultra-eficiência acoplada à espectrometria de massas (UPLC-MS) é um
método moderno, rápido e sensível. Permite avaliar os perfis químicos das amostras e
determinar sua composição qualitativamente, comparando os espectros de massas
(MS/MS) dos componentes das amostras com informações na literatura. Portanto
UPLC-MS é a ferramenta mais adequada para a avaliação da composição de matrizes
complexas como a própolis. A comparação do perfil químico de diversas amostras de
própolis vermelha brasileira e a avaliação de sua atividade antimicrobiana e
antioxidante permitirá identificar substâncias que possam estar contribuindo para sua
bioatividade, e levar á identificação de marcadores químicos para o controle de
qualidade destas amostras, bem como possibilitará definir se há um ou vários tipos de
própolis vermelha. (AU)

Avaliação da atividade antioxidante e


composição química de frações e sub-
frações de uma nova variedade de
própolis brasileira produzida por abelhas
da espécie Apis mellifera
Beneficiário: Tatiane Luiza Cadorin Oldoni
Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ).
Instituição:
Universidade de São Paulo (USP)
Pesquisador
responsável: Severino Matias de Alencar
Área do Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de
conhecimento: Alimentos
Linha de
Bolsas no Brasil - Mestrado
fomento:
Processo: 05/52619-8
Vigência: 01 de agosto de 2005 - 31 de julho de 2007
04/08635-6 - Isolamento e identificação de compostos bioativos de
Vinculado ao
uma nova variedade de própolis brasileira produzida por abelhas da
auxílio:
espécie Apis mellifera, AP.JP
Composição química

Própolis
Assunto(s):
Programa Jovens Pesquisadores

Bolsas no Brasil - Mestrado


Resumo
O Brasil é um grande produtor e exportador de própolis de Apis mellifera. A própolis é
uma substância resinosa coletada pelas abelhas de diversas partes das plantas e que
apresenta na sua composição química diferentes compostos como aldeídos fenólicos,
ácidos orgânicos e componentes polifenólicos. A própolis vem se destacando no campo
da pesquisa pelas suas várias atividades farmacológicas apresentadas, tais como
atividade antimicrobiana, antiinflamatória, antioxidante, anticariogênica, anticâncer e
anti-HIV. Todavia, os trabalhos de investigação sobre as propriedades farmacológicas
das própolis brasileiras sempre foram voltados para as própolis do sudeste, sendo
deixado de lado o entendimento das própolis de outras regiões do Brasil. Um novo tipo
de própolis denominada de própolis vermelha, encontrada na região de mangue do
litoral do estado de Alagoas, demonstrou alta atividade antioxidante e antimicrobiana
em ensaios preliminares, além de despertado um grande interesse pelo mercado japonês,
o que surge uma necessidade de um estudo detalhado sobre as suas propriedades
biológicas e composição química. O objetivo deste trabalho será fracionar o extrato
bruto da própolis e analisar as suas frações e sub-frações quanto a atividade antioxidante
e composição química. A identificação de novos compostos poderá propiciar o
conhecimento de novos princípios ativos para uso na indústria alimentícia e
farmacêutica, geração de patentes com própolis e aumento do valor comercial deste
produto. (AU)

Avaliação do potencial anti-inflamatório


e analgésico da própolis de Melipolínea
(Melipona scutellaris)
Beneficiário: Marcelo Franchin
Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade
Instituição:
Estadual de Campinas (UNICAMP)
Pesquisador
responsável: Pedro Luiz Rosalen
Área do Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e
conhecimento: Preventiva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado
Processo: 09/12352-3
Vigência: 01 de março de 2010 - 29 de fevereiro de 2012
Própolis
Assunto(s):
Bolsas no Brasil - Mestrado
Resumo
A descoberta de novas drogas para o controle da dor com atividade anti-inflamatória
com poucos efeitos adversos é de grande interesse terapêutico, principalmente devido ao
alto consumo mundial deste grupo de medicamento. Este fato é facilmente
compreensível não só devido à frequência com que o fenômeno inflamatório comparece
como componente central de quadros patológicos, mas também o curso anômalo e
exagerado que tal fenômeno assume em numerosos casos, em função da atividade
reacional excessiva e inadequada dos tecidos. Os produtos naturais têm sido
pesquisados como fonte alternativa da descoberta de novas drogas. Entre os produtos
naturais, a própolis de abelhas Apis mellifera tem demonstrado vários tipos de
atividades biológicas, dentre elas anti-inflamatória e analgésica. No entanto, a própolis
do tipo melipolinea tem se realizado poucos estudos comprovando a sua ação. Este tipo
de própolis, mais conhecida como geoprópolis, apresenta uma composição química
característica, diferente das demais própolis de Apis mellifera, e atividade
antibacteriana, antioxidante e antiproliferativa. Assim, o objetivo deste estudo é avaliar
a atividade anti-inflamatória da própolis de melipolínea, bem como seu potencial anti-
hiperalgésico na dor de origem inflamatória e identificar sua(s) fração(ões) ativa(s). A
avaliação da atividade anti-inflamatória será feita através dos métodos de edema de pata
e recrutamento de leucócitos para a cavidade peritoneal e a avaliação anti-hiperalgésica,
através do teste da formalina e hiperalgesia induzida por carragenina. Após
identificação da(s) fração(ões) ativa(s) que apresente(m) atividade(s) anti-inflamatórias
e anti-hiperalgésica, será determinado potenciais vias de ação da própolis de
melipolíneas no processo da inflamação, através da determinação dos mediadores
químicos envolvidos e quantificação de citocinas (IL-1 e TNF-a). Na(s) fração(ões)
ativa(s), também será feita análise química, através dos métodos de cromatografia
líquida de alta eficiência em fase reversa (CLAE-FR) e cromatografia gasosa com
espectrometria de massa (CG-MS), para identificar grupos químicos que as
caracterizam a(s) fração(ões) ativa(s). As expectativas de resultados do presente
trabalho são: obter fração(s) bioativa(s) que apresentem atividade no processo
inflamatório, bem como na dor de origem inflamatória e que futuramente novos estudos
possam ser conduzidos, com o objetivo de isolamento e identificação de substância(s)
biologicamente ativa(s) a fim de que as mesmas sejam utilizadas no controle da dor e
inflamação. (AU)
Publicações científicas :
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do Google Scholar, por
meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo
correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FRANCHIN, MARCELO; DA CUNHA, MARCOS GUILHERME; DENNY,
CARINA; NAPIMOGA, MARCELO HENRIQUE; CUNHA, THIAGO
MATTAR; KOO, HYUN; DE ALENCAR, SEVERINO MATIAS;
IKEGAKI, MASAHARU; ROSALEN, PEDRO LUIZ. Geopropolis from
Melipona scutellaris decreases the mechanical inflammatory hypernociception
by inhibiting the production of IL-1 beta and TNF-alpha. Journal of
Ethnopharmacology, v. 143, n. 2, p. 709-715, SEP 28 2012.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para:


cdi@fapesp.br.

Você também pode gostar