Você está na página 1de 2

Reflexão Individual sobre a Formação

Agora que concluí esta formação, intitulada “Quadros interactivos


multimédia no ensino/aprendizagem das Ciências Experimentais” e já
munido dum grande manancial de competências que ela me proporcionou,
coube-me fazer uma reflexão crítica acerca da mesma.

Espero que ao explicitar as várias etapas desta minha experiência, consiga


de alguma maneira descrever qual foi o meu percurso na formação,
identificar quais os seus aspectos que considero mais positivos e negativos,
explanar qual a forma como ela contribuiu para o meu desenvolvimento
pessoal, social e profissional, bem como também descrever muito
sumariamente qual a perspectiva que tenho actualmente sobre o processo
da avaliação de desempenho.

Penso que é razoavelmente consensual que a formação de docentes tem


um impacto muito profundo nas práticas pedagógicas. Por isso, confesso
que quando iniciei o meu percurso pela formação, fui “obrigado” a mudar
um pouco o meu modo de pensar acerca do assunto.

Ao iniciar a formação, foi-me dado a conhecer não só o programa


“ActivInspire”, como também me foram dadas a saber as diferentes
aplicações acerca do mesmo e foi-me permitido adquirir competências
necessárias para aplicar com eficácia e eficiência o software no contexto de
sala de aula.

E com a motivação, a evolução do plano da formação tornou-se mais


simples, com um percurso de tarefas que levaram ao reforço dos meus
conhecimentos e me conduziram à crença de que os quadros interactivos
poderão, se bem utilizados, ser uma via que permita aos docentes promover
uma pedagogia e uma prática de leccionação mais apelativa.

Enquanto formando, este projecto revelou-se um grande desafio, pois


obrigou-me não só a realizar algum trabalho de pesquisa, como também me
“obrigou” a conceber e melhorar materiais de trabalho, a delinear
procedimentos e a analisar criticamente as práticas lectivas.

Estou muito satisfeito por ter conseguido chegar até aqui e julgo que
mesmo as dificuldades foram bem-vindas, pois foi com elas que consegui
muitas vezes as melhores aprendizagens.

Não quero terminar, sem antes assinalar como elemento muito facilitador
no sucesso da formação, a relação pedagógica sempre proporcionada pela
formadora, que se pautou pela disponibilidade, pela simpatia, por um
elevado profissionalismo e por uma grande abertura. Não há dúvida que a
operacionalização bem-sucedida de um projecto de formação se encontra
muito facilitada pelo esforço feito por todos os seus intervenientes, pela
rentabilização da experiência dos formandos expressa nas suas
contribuições ao longo do curso e pela tentativa de integração dos
conteúdos através de um plano de trabalho muito bem estruturado.
Gostaria ainda de engrandecer a cooperação, o entusiasmo e amizade que
os meus colegas formandos sempre manifestaram, que também
contribuíram para que todos conseguíssemos ir superando, com sucesso, as
várias actividades propostas.

Rui Miguel Felizardo Serrabulho