Você está na página 1de 51

www.romulopassos.com.

br
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

www.romulopassos.com.br 2
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

Suporte Básico e Avançado de Vida


1. (Residência Multiprofissional/UFG/2020) No atendimento de emergência, a American Heart
Association (2015) orienta que pacientes com dependência conhecida ou suspeita de uso de opioides,
que não respondem, apresentam respiração anormal mas têm pulso, é adequado que os socorristas
leigos, devidamente treinados, e os profissionais de saúde capacitados administrem, além da prestação
dos cuidados básicos,
a) adrenalina por via endovenosa ou intranasal.
b) naloxana por via intramuscular ou intranasal.
c) naloxana por via intramuscular ou subcutânea.
d) adrenalina por via endovenosa ou subcutânea.

2. (Residência Multiprofissional/UFPB/2019) Considerando os destaques das diretrizes da American


Heart Association (AHA) de 2015, é incorreto afirmar que:
a) Em vítimas adultas de PCR, o correto é que os socorristas apliquem compressões torácicas a uma
frequência de 100 a 120/min.
b) A profundidade das compressões torácicas devem ser até uma profundidade de, pelo menos, 5 cm
para um adulto médio.
c) Em pacientes com dependência de opioides, sem resposta, respiração anormal e com pulso, não é
adequado o uso de naloxona por via intramuscular ou intranasal por socorristas/profissionais
habilitados.
d) Socorristas leigam sem treinamento devem fornecer RCP somente com as mãos por meio de
compressões torácicas para adultos vítimas de PCR até a chegada de um DEA ou de socorristas com
treinamento adicional.
e) Os socorristas devem evitar apoiar-se sobre o tórax entre as compressões para permitir o retorno
total da parede do tórax em adultos com PCR. Além disso, deve-se tentar evitar as interrupções das
compressões torácicas.

3. (AL-GO/IADES/2019) Em uma situação de parada cardiorrespiratória, qual mnêumonico deve ser


utilizado para descrever os passos simplificados do atendimento de suporte básico de vida?
a) A-B-C. b) C-B-A. c) B-A-C. d) C-A-B. e) B-C-A.

4. (IJF/IMPARH/2018) A avaliação primária do indivíduo em situação de urgência/emergência deve ser


rápida e eficiente, com sequência lógica e organizada. É precedida pela verificação da responsividade
associada às iniciais A, B, C. Assim sendo, é correto afirmar que:
a) o mnemônico ABC nada mais é que um lembrete para que o profissional siga uma sequência na
verificação de pressão arterial, frequência cardíaca e respiratória, respectivamente.
b) a sequência ABC corresponde à avaliação de alergias, boa condição de saúde e condição cardíaca.
c) a manobra de inclinação da cabeça e elevação do mento é realizada durante a verificação da
circulação.
d) a letra A corresponde ao termo em inglês “airway”, ou vias respiratórias; a letra B corresponde ao
termo “breathing” ou respiração, e a letra C corresponde a “circulation” ou circulação.

www.romulopassos.com.br 3
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

5. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) Sobre a atuação dos profissionais de saúde no suporte


básico de vida e considerando a cadeia de sobrevivência utilizada para Parada Cardiorrespiratória Intra-
hospitalar (PCRIH), analise as assertivas e identifique com V as verdadeiras e com F as falsas.
( ) A segunda atitude na PCRIH é reconhecer e acionar o serviço médico de emergência.
( ) Uma reanimação imediata de alta qualidade é uma das atribuições do enfermeiro assistente.
( ) A ação rápida de desfibrilação é uma das medidas de cuidado no pós-parada cardiorrespiratória.
( ) A vigilância e a prevenção são categorias fundamentais da equipe de ressuscitação e de
hemodinâmica, respectivamente.
A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é
a) V, V, V, F. b) V, F, V, V. c) V, V, F, F. d) F, F, V, V. e) F, V, F, F.

6. (Residência Multiprofissional/UPF/2019) Segundo os Protocolos de Suporte Básico de Vida do


Ministério da Saúde, ao realizar a ressuscitação cardiopulmonar (RCP) em paciente adulto em parada
cardiorrespiratória (PCR), o socorrista deve manter os seguintes cuidados, exceto:
a) Fazer o entrelaçamento das mãos.
b) Deprimir o tórax em pelo menos 5 cm (sem exceder 6 cm) e permitir o completo retorno entre as
compressões.
c) Manter frequência de compressões entre 100 e 120 compressões/minuto.
d) Minimizar as interrupções das compressões.
e) Realizar soco precordial depois de iniciar as compressões.

7. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2020) Paciente internado na clínica médica para tratamento


de doença cardíaca relatou dor precordial e em seguida apresentou perda da consciência com ausência
de pulso central. Ao monitor, apresentava taquicardia ventricular sem pulso. Segundo as diretrizes mais
atuais da American Heart Association, quais seriam as condutas recomendadas para reanimação
cardiopulmonar nessa situação?
a) Aplicar desfibrilação imediatamente e continuar a reanimação manual com compressões e
ventilações numa relação de 30:2, administrar vasopressina e monitorar resposta.
b) Iniciar imediatamente as manobras de reanimação com compressões torácicas e ventilações, não
perder tempo com desfibrilação (ritmo não chocável), administrar epinefrina.
c) Iniciar imediatamente as manobras de reanimação com compressões torácicas numa frequência de
30 compressões e 2 ventilações, aplicar desfibrilação precoce, administrar epinefrina e considerar via
aérea avançada.
d) Iniciar as manobras de reanimação com compressões torácicas numa frequência de 30 compressões e
uma ventilação a cada 6 segundos, aplicar desfibrilação e administrar adrenalina.
8. (EXÉRCITO/2018) Segundo a American Heart Association (2017), na administração de Ressuscitação
Cardiopulmonar (RCP) por uma equipe de serviço médico de emergência (SME) é aceitável que, antes da
colocação de uma via aérea avançada (supraglótica ou tubo traqueal), a equipe aplique Ressuscitação
Cardiopulmonar com ciclos de:
a) 10 compressões e 1 ventilação. b) 30 compressões apenas. c) 15 compressões e 2 ventilações.
d) 30 compressões e 2 ventilações. e) 2 ventilações apenas.

www.romulopassos.com.br 4
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

9. (Residência Multiprofissional/HUB-UNB/2016) A avaliação de Suporte Básico de Vida (SBV) é uma


abordagem sistemática que todo profissional de saúde treinado deve saber realizar. Em 2015,
comemorou-se a 49ª publicação da American Heart Association, desde as primeiras diretrizes de
ressuscitação cardiopulmonar (RCP). Com relação a esse assunto, julgue os itens subsequentes.
Para a realização de uma RCP de qualidade em um adulto, devem ser feitas compressões torácicas a
uma taxa de frequência adequada, maior que 140 por minuto.
( ) Certo ( ) Errado

10. (Residência Multiprofissional/HUB-UNB/2016) A avaliação de Suporte Básico de Vida (SBV) é uma


abordagem sistemática que todo profissional de saúde treinado deve saber realizar. Em 2015,
comemorou-se a 49ª publicação da American Heart Association, desde as primeiras diretrizes de
ressuscitação cardiopulmonar (RCP). Com relação a esse assunto, julgue os itens subsequentes.
Durante a RCP realizada em um adulto médio, deve-se fazer compressões torácicas de profundidade
acima de 6 cm.
( ) Certo ( ) Errado

11. (Residência Multiprofissional/HUB-UNB/2016) A avaliação de Suporte Básico de Vida (SBV) é uma


abordagem sistemática que todo profissional de saúde treinado deve saber realizar. Em 2015,
comemorou-se a 49ª publicação da American Heart Association, desde as primeiras diretrizes de
ressuscitação cardiopulmonar (RCP). Com relação a esse assunto, julgue os itens subsequentes.
Na ausência de pulso em um adulto, é correto administrar, com um desfibrilador externo automático
(DEA), dois choques seguidos, independente do ritmo detectado no paciente e, depois, voltar a realizar
compressões, verificando-se a pulsação do paciente a cada quatro minutos.
( ) Certo ( ) Errado

12. (MARINHA/2019) O técnico de enfermagem, durante a reanimação cardiopulmonar, em situações


de parada cardiorrespiratória no adulto:
a) não deve colocar coxins no dorso do paciente e deve auxiliar o enfermeiro e o médico nos
procedimentos.
b) deve posicionar o paciente em decúbito dorsal elevado e aproximar do paciente o desfibrilador e o
aspirador.
c) deve auxiliar o enfermeiro e o médico nos procedimentos e aproximar do paciente o carro de
emergência contendo os medicamentos usados em parada cardiorrespiratória.
d) deve colocar coxins no dorso do paciente e posicionar o paciente em decúbito dorsal elevado.
e) deve aproximar do paciente o carro de emergência contendo os medicamentos usados em parada
cardiorrespiratória e posicionar o paciente em decúbito dorsal elevado.

13. (Prefeitura de Valinhos - SP/VUNESP/2019) No suporte básico de vida ao paciente com agravo
clínico, a avaliação:
a) primária da ventilação inclui observar o padrão ventilatório, a circunferência torácica e a autonomia
respiratória.
b) secundária do estado circulatório consiste em pesquisar hemorragias externas de natureza não
traumática e verificar, nos pulsos periféricos, frequência, ritmo e simetria.

www.romulopassos.com.br 5
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

c) complementar da ventilação requer observar, em especial, se há uso de musculatura acessória e


tiragem intercostal, além de movimentos assimétricos dos membros superiores.
d) secundária é importante, porém não obrigatória, principalmente nos pacientes críticos, ou se sua
realização implicar em atraso de transporte.
e) secundária tem como objetivo único localizar assimetrias morfológicas e instabilidades
hemodinâmicas.

14. (IJF/IMPARH/2018) “Para restauração das funções cardíacas e respiratórias, é realizada a


reanimação cardiopulmonar (RCP), definida como um conjunto de ações aplicadas ao indivíduo em
parada cardiorrespiratória (PCR) para manter artificialmente a circulação de sangue no encéfalo e em
outros órgãos vitais, até o retorno da circulação espontânea (RCE)” (TOBASE; TOMAZINI, 2017). Assim, é
correto afirmar que:
a) essas manobras são baseadas na cadeia de sobrevivência da American Heart Association (AHA),
apesar de não sistematizarem o atendimento.
b) durante a RCP, a fase de compressão torácica externa (CTE) corresponde à diástole cardíaca, e o
intervalo entre as compressões corresponde à sístole cardíaca.
c) o início precoce e eficiente da RCP é imprescindível para manter as pressões de perfusão coronariana
e cerebral adequadas.
d) as interrupções na RCP para a verificação do ritmo, pulso, a obtenção de acesso venoso, a ventilação
e outros procedimentos não ocasionam prejuízo circulatório nem influenciam na sobrevivência da
vítima.

15. (EXÉRCITO/2018) Analise as afirmativas sobre as alterações nas atualizações das diretrizes de 2017
da American Heart Association (AHA) para suporte básico de vida (SBV) e para ressuscitação
cardiopulmonar e atendimento cardiovascular de emergência (ACE), colocando entre parênteses a letra
“V”, quando se tratar de afirmativa verdadeira, e a letra “F” quando se tratar de afirmativa falsa. A
seguir, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.
( ) Socorristas treinados em Ressuscitação Cardiopulmonar (RCP) devem aplicar a relação compressão-
ventilação de 30:2 em adultos em parada cardiorrespiratória (PCR).
( ) Socorristas leigos treinados em RCP somente com compressão torácica devem aplicar ventilação e
compressões torácicas para o adulto em PCR.
( ) Quando a vitima estiver em uso de via área avançada durante a RCP, os profissionais podem
administrar uma ventilação a cada 6 segundos à medida que são aplicadas compressões torácicas
continuas.
a) V, V, V. b) V, F, V. c) F, V, V. d) F, F, V. e) F, F, F.
16. (Residência Multiprofissional/UNIFAP/2020) O Suporte Avançado de Vida em Pediatria, baseado
nas Diretrizes da American Heart de 2015, são ações que visam a sobrevivência de crianças em risco de
morte, tanto no ambiente extra-hospitalar como intra-hospitalar. Em um atendimento a lactente que
tenha sofrido uma parada cardiorrespiratória, extra-hospitalar deve-se checar seu pulso por meio da
artéria:
a) Temporal. b) Carotídea. c) Braquial. d) Radial. e) Poplítea.

www.romulopassos.com.br 6
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

17. (Prefeitura de Suzano-SP/VUNESP/2019) Ao ministrar curso de atualização em procedimentos de


ressuscitação cardiopulmonar (RCP) e atendimento cardiopulmonar de emergência (ACE) para técnicos
de enfermagem, o enfermeiro deve enfatizar que, frente a uma criança com sete anos de idade, em
parada cardíaca, a frequência (F) e a profundidade (P) das compressões torácicas devem ser de
a) F = 100 a 120 compressões por minuto; P = pelo menos 1/3 do diâmetro anteroposterior do tórax.
b) F = 100 a 120 compressões por minuto; P = pelo menos 50% do diâmetro anteroposterior do tórax.
c) F = 80 a 120 compressões por minuto; P = pelo menos 1/3 do diâmetro anteroposterior do tórax.
d) F = 80 a 100 compressões por minuto; P = pelo menos 50% do diâmetro anteroposterior do tórax.
e) F = 90 a 140 compressões por minuto; P = pelo menos 1/3 do diâmetro anteroposterior do tórax.

18. (Prefeitura de Itapevi/VUNESP/2019) Durante treinamento de primeiros socorros para professores


do ensino fundamental, o enfermeiro deve orientá-los que frente a caso de parada cardíaca em crianças
com idade de seis anos até a puberdade, a profundidade (P) e frequência (F) das compressões torácicas
devem ser de:
a) P = cerca de 5 centímetros; F = 100 a 120 compressões por minuto.
b) P = 5 a 6 centímetros; F = 80 a 100 compressões por minuto.
c) P = cerca de 4 centímetros; F = 60 a 80 compressões por minuto.
d) P = 4 a 5 centímetros; F = cerca de 90 compressões por minuto.
e) P = cerca de 5 centímetros; F = 80 a 120 compressões por minuto.

19. (Residência Multiprofissional/UNIFAP/2020) A Obstrução de vias aéreas superiores por corpo


estranho - OVACE é considerado uma emergência e em casos graves, pode levar a pessoa à morte por
asfixia ou deixá-la inconsciente por um tempo. Sendo assim, agir rapidamente evita complicações.
Assinale a alternativa correta acerca do engasgo em crianças.
a) Ao desconfiar da presença de um corpo estranho, é indicado tentar retirá-lo com a mão em pinça,
mesmo que o objeto não seja visualizado.
b) A manobra de Heimlich só é indicada para crianças maiores de 5 anos. Antes dessa idade, proceder a
técnica de percussão nas costas.
c) Os sinais de alerta para o engasgo são dificuldade súbita para respirar, presença ou não de tosse,
ruído na inspiração, chiado, abafamento da voz, lábios cianóticos.
d) A manobra de Heimlich consiste em compressões abaixo das costelas, com sentido para baixo,
abraçando a criança por trás.
e) Em crianças menores de um ano deve-se proceder o desengasgo realizando 3 percussões nas costas
da criança, com a cabeça virada para cima, seguidas de 3 compressões na frente.
20. (Residência Multiprofissional/UFTM/2019) Em relação às condutas frente a suspeita ou
confirmação de parada cardiorrespiratória, assinale a alternativa incorreta:
a) Vítimas que apresentam respiração agônica, tipo gasping devem ser submetidas à ventilação por
pressão positiva.
b) Se um indivíduo apresenta parada cardiorrespiratória devido à obstrução de via aérea por corpo
estranho (OVACE), deve-se manter a realização das manobras de desobstrução de vias aéreas em

www.romulopassos.com.br 7
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

detrimento da realização da compressão torácica, visto que se não for solucionada a causa da parada
não será possível revertê-la.
c) Ausência de pulso central palpável indica que a vítima encontra-se em parada cardíaca, mesmo que
haja presença de atividade elétrica no monitor cardíaco.
d) Frente a uma vítima adulta, em parada cardiorrespiratória, deve-se utilizar o desfibrilador externo
automático (DEA) assim que o mesmo estiver disponível.
e) Nos casos de afogamento, a parada cardiorrespiratória é causada por asfixia. Após o resgate aquático,
que só deve ser realizado por profissionais treinados, a vítima deve ser colocada em local que ofereça
segurança aos socorristas e submetida às manobras de reanimação cardiopulmonar sem a necessidade
de preocupação adicional com a presença de “água” nos pulmões.

21. (MPU/CESPE/2013) Julgue o item seguinte, referente ao atendimento em situações de urgência e


emergência.
Uma das grandes causas de dispneia, sobretudo em crianças, é a obstrução por corpo estranho. Nessa
situação, a manobra de Heimlich pode ser aplicada para desobstruir a via aérea do paciente.
( ) Certo ( ) Errado

22. (MARINHA/2019) A obstrução da via aérea por corpo estranho pode ser total ou parcial. Assinale a
opção que apresenta o nome da manobra que deve ser aplicada nesse caso.
a) Valsalva. b) Leopold. c) Barlow. d) Heimlich. e) Chvostek.

23. (Residência Multiprofissional/UFSM/2020 – Adaptada) O ambiente hospitalar é cenário constante


de luta pela manutenção da vida. Situações de urgência e emergência requerem equipes com
capacidade para agir com rapidez e eficácia, impactando diretamente no desfecho do caso. Tendo como
base o documento Atualizações das
Diretrizes de Reanimação Cardiorrespiratória (RCP) e Atendimento Cardiovascular de Emergência
(ACE) do ano de 2015. Assinale V (verdadeiro) ou F (falso) em cada afirmativa a seguir.
( ) Um único socorrista deve iniciar a RCP com 30 compressões seguidas por 2 ventilações.
( ) A frequência mínima e máxima de compressões são 100/min e 130/min respectivamente, mantendo
uma profundidade de 2 polegadas, mas não superior a 2.6 polegadas.
( ) A ventilação deve ser realizada a cada 8 segundos e pode ser simultânea às compressões em caso de
via aérea avançada.
( ) A sequência recomendada para um socorrista é C - A - B : compressões (C) - abertura de vias aéreas
(A) - ventilação (B).
a) V - F - F - V. b) V - F - V - F. c) V - V - F - F. d) F - F - V - V. e) F - V - F - V.
24. (Residência Multiprofissional/UFC/2019) Um enfermeiro, fora do seu ambiente de trabalho,
presencia em um centro comercial um indivíduo adulto em parada cardiorrespiratória (PCR) e procede
com o suporte básico de vida (SBV). A respeito do manejo da PCR no SBV, segundo a American Heart
Association (2015), é correto afirmar:
a) As compressões torácicas devem ser realizadas com frequência de 100 a 150 por minuto, permitindo
o retorno total do tórax após cada compressão.

www.romulopassos.com.br 8
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

b) Na presença imediata de desfibrilador externo automático (DEA), deve-se iniciar o ciclo de


ressuscitação cardiopulmonar, utilizando em seguida o DEA.
c) Após realizada a desfibrilação com desfibrilador externo automático (DEA), deve-se prosseguir com a
ressuscitação cardiopulmonar (RCP).
d) Na ausência de via aérea avançada, a relação de compressão – ventilação em adultos deve ser de 30:2
na presença de 1 socorrista e 15:2 na presença de 2 socorristas.

25. (Residência Multiprofissional/UFRN/2020) Paciente estava andando pelo Alecrim quando se sentiu
mal e caiu. Sua filha, enfermeira, identificou que se tratava de uma parada cardiorrespiratória (PCR) e
chamou o SAMU, iniciando as compressões cardíacas. Ao chegar, O SAMU deu continuidade à
assistência ao paciente até que o seu ritmo cardíaco revertesse ao normal. Após o susto, a enfermeira
perguntou a possível causa da parada. Considerando as Recomendações da American Heart Association,
2018, a causa da parada cardíaca pode ter sido:
a) hipóxia, hipomagnesia, hiperglicemia, hipertermia e/ ou hipervolemia.
b) tamponamento, toxinas, trombose pulmonar, trombose coronariana e/ou tensão abdominal.
c) hipovolemia, hipóxia, hidrogênio, hiper ou hipocalemia e/ou hipotermia.
d) trombose de aorta, tamponamento, turgência jugular, toxinas e/ou trombose coronariana.

26. (Residência em Enfermagem/UFTM/2018) Analise as afirmativas sobre suporte avançado de vida


cardiovascular e assinale a alternativa incorreta:
a) Recomenda-se a administração de epinefrina o mais precocemente possível em caso de parada
cardiorrespiratória devido a um ritmo cardíaco inicial não chocável.
b) Pressão arterial sistólica inferior a 90mmHg e pressão arterial média inferior a 65 mmHg, pós
reanimação cardiopulmonar, estão associadas ao aumento da mortalidade.
c) O controle direcionado da temperatura (CDT) tem como alvo a manutenção da temperatura corporal
das vítimas de parada cardiorrespiratória entre 32ºC e 36ºC por pelos 24 horas após a reanimação
cardiopulmonar.
d) A angiografia coronária deve ser realizada em caráter de emergência em vítimas de parada
cardiorrespiratória extra-hospitalar com suspeita de causa cardíaca e supradesnivelamento do
segmento ST no eletrocardiograma.
e) Recomenda-se a administração de 40 unidades de vasopressiva em substituição à primeira ou
segunda dose de epinefrina do tratemento da parada cardiorrespiratória.

27. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) De acordo com o algoritmo atualizado do Suporte


Avançado de Vida Cardiovascular (SAVC) recomendado pela American Heart Association, em casos de
Parada Cardiorrespiratória, um dos medicamentos utilizados é a:
a) atropina, administrada EV, na dose de 0,25mg a cada 3 a 5 minutos.
b) epinefrina, administrada EV, na dose de 1mg a cada 3 a 5 minutos.
c) epinefrina, administrada EV, na dose de 2mg a cada 3 a 5 minutos.
d) adenosian, administrada EV, na dose de 10 mg a cada 3 a 5 minutos.

www.romulopassos.com.br 9
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

www.romulopassos.com.br 10
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

Classificação de Risco
1. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) Em relação à Classificação de Risco de pacientes, aponte
a alternativa incorreta:
a) A finalidade da Classificação de Risco é a definição da ordem do atendimento em função do potencial
de gravidade ou de agravamento da queixa apresentada e grau de sofrimento.
b) Um protocolo de Classificação de Risco é uma ferramenta de inclusão, ou seja, não tem como
objetivo reencaminhar ninguém sem atendimento, mas sim organizar e garantir o atendimento de
todos.
c) A Classificação de Risco de pacientes é realizado somente nas unidades de urgência.
d) Recomenda-se que o protocolo tenha no mínimo quatro níveis de classificação de risco.

2. (Residência Multiprofissional/UFRN/2020) O protocolo de Classificação de Risco do Ministério da


Saúde "é uma ferramenta de apoio à decisão clínica e uma forma de linguagem universal para as
urgências obstétricas. Tem como propósito a pronta identificação da paciente crítica ou mais grave,
permitindo um atendimento rápido e seguro de acordo com o potencial de risco, com base nas
evidencias cientificas existentes" (BRASIL, 2017).
De acordo com esse protocolo do Ministério da Saúde, é possível identificar situações que ameaçam a
vida da parturiente a partir das chaves avaliativas de decisão.
No que se refere à avaliação sumária do nível de consciência, pacientes com rebaixamento do nível de
consciência ou alteração do estado mental são classificadas como:
a) vermelho/laranja. b) amarelo/roxo. c) verde. d) azul.

3. (Residência Multiprofissional /SESAB/2019) Com base na classificação de risco em emergências


adotada pelo Ministério da Saúde, classifique as emergências neurológicas, numerando a segunda
coluna de acordo com a primeira.
(1) Classificação Verde (2) Classificação Amarela (3) Classificação Vermelha
( ) Crises convulsivas (inclusive pós-crise).
( ) Crise de cefaleia com diagnóstico de enxaqueca.
( ) Trauma cranioencefálico leve (Glasgow entre 13 e 15).
( ) Cefaleia intensa de início súbito ou rapidamente progressiva.
a) 1 2 1 3 b) 2 3 1 1 c) 2 1 3 2 d) 3 2 2 1 e) 3 1 2 2
4. (MPU/CESPE/2013) Julgue o item, a seguir, quanto à assistência de enfermagem em emergência.
No pronto-socorro, a primeira etapa de atendimento do paciente é a triagem, cujo objetivo é o de
determinar o melhor encaminhamento para cada caso.
( ) Certo ( ) Errado

5. (CESPE/SERPRO/2013) Acerca de triagem e classificação de risco nos departamentos de emergência,


julgue os itens a seguir.
A principal finalidade da triagem é diminuir os riscos de morte evitáveis. Por meio da triagem, evita-se
que o paciente entre em contato com os porteiros ou com funcionários não qualificados, e também é
possível estabelecer a ordem de chegada como critério clínico para o atendimento do paciente.
( ) Certo ( ) Errado

www.romulopassos.com.br 11
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

6. (EBSERH/CESPE/2018) Mariana, com 76 anos de idade, apresenta, em atendimento hospitalar de


emergência, forte dor precordial, em aperto, contínua, com irradiação para o pescoço, e leve tontura —
segundo a paciente, há cerca de 30 minutos. Ela tem história de hipertensão arterial crônica e vem
sendo acompanhada regularmente por seu cardiologista. No exame, Mariana encontra-se dispneica,
agitada, com PA de 190 mmHg × 130 mmHg e oximetria de pulso em 92%. Acerca desse caso clínico,
julgue o item a seguir.
Segundo o Protocolo de Manchester, Mariana deverá ser classificada na triagem inicial como paciente
em risco — cor laranja —, devendo ser reavaliada pela enfermagem a cada 10 minutos até que receba
atendimento médico.
( ) Certo ( ) Errado

7. (Prefeitura de Suzano-SP/VUNESP/2019) Em consonância com a Política Nacional de Humanização, a


maternidade local implantou o acolhimento com classificação de risco na unidade de pronto-socorro. Ao
realizar o atendimento de uma gestante ansiosa, com queixa de disúria e polaciúria, apresentando
temperatura axilar = 38,6 °C, pressão arterial = 130 X 82 mmHg, o enfermeiro deve classificá-la com a
cor:
a) laranja, para atendimento diretamente na sala de admissão do centro obstétrico, em até 15 minutos.
b) amarela, para atendimento no consultório médico ou da enfermeira obstetra, em até 30 minutos,
atentando para a prioridade do atendimento.
c) verde, para atendimento por médico ou enfermeiro obstetra, de acordo com a ordem de chegada, em
até 120 minutos.
d) azul, para atendimento médico, por ordem de chegada em, no máximo, 120 minutos.
e) vermelha, para atendimento médico, preferencialmente em sala de emergência, em até 15 minutos.

8. (EXÉRCITO/2018) Em relação aos níveis de complexidades adotados nas Salas de Emergência com
Central de Acolhimento e Classificação de Risco, associe a segunda coluna de acordo com a primeira e, a
seguir, assinale a alternativa com a sequência correta.
Área de Atendimento
1. Área Vermelha 2. Área Laranja 3. Área Amarela 4. Área Azul 5. Área Verde
Características
( ) Destinada a pacientes que estão aguardando vaga para internamento ou regulação para outros
hospitais.
( ) Destinada a pacientes semicríticos e críticos com assistência para estabilização iniciada.
( ) Área destinada aos pacientes apresentando urgências e emergências traumáticas e clinicas.
a) 1, 4, 5. b) 4, 3, 5. c) 3, 1, 2. d) 5, 3, 1. e) 3, 5 ,2.

9. (EXÉRCITO/2018) Considere um idoso, Sr. A.B.C, 70 anos, morador de zona agrícola, deu entrada na
emergência de um hospital apresentando dor local e hemorragia intensa. Segundo a sua acompanhante,
o idoso foi picado por uma cobra. No intuito de prestar atendimento adequado, a equipe
multidisciplinar do hospital, entrou em contato com o Centro de Informação Antiveneno (CIAVE) e
verificou que, pelas características da cobra informada pela acompanhante do Sr. A.B.C, se tratava da
cobra “Jararaca da mata” do gênero Bothrops. A(o) enfermeira(o) que classificou o risco do paciente

www.romulopassos.com.br 12
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

identificou que o mesmo apresentava hipotensão e anúria. Considerado o caso exposto, a classificação
clinica dos sinais apresentados pelo paciente.
Assinale a alternativa que representa o nível de gravidade correto:
a) Leve.
b) Grave.
c) Moderado.
d) Entre moderado e grave.
e) Entre leve e moderado, por conta do tipo da cobra.

10. (IJF/IMPARH/2018) Sobre a assistência de enfermagem em acidentes que há múltiplas vítimas,


assinale a assertiva correta.
a) Nos eventos que envolvem múltiplas vítimas, há a necessidade de ações que organizem e agilizem o
atendimento, tais como a avaliação da cena, a delimitação das zonas quente, morna e fria, o
conhecimento prévio dos critérios para a classificação das vítimas, a organização do posto médico
avançado (PMA) e o transporte para os hospitais.
b) Durante a triagem, que consiste na classificação das pessoas vitimadas pelo evento, baseando-se na
gravidade do estado de saúde, é possível usar o método START, conhecido e utilizado
internacionalmente apenas por profissionais de saúde, que se baseia no estado neurológico e saturação
de oxigênio.
c) Uma vítima classificada na triagem inicialmente com uma cor não pode ser reclassificada em um curto
intervalo de tempo, mesmo que seu estado tenha se agravado.
d) Os princípios básicos no atendimento em eventos que envolvem múltiplas vítimas são triagem e
tratamento.

Método START
1. (EBSERH/CESPE/2018) De acordo com o método START (Simple Triage and Rapid Treatment), usado
para classificar e identificar múltiplas vítimas, julgue os itens a seguir.
Conforme a classificação proposta pelo método em apreço, o adulto que, embora vitimado, consiga
andar deverá ser classificado e identificado com a cor verde.
( ) Certo ( ) Errado

2. (EBSERH/CESPE/2018) De acordo com o método START (Simple Triage and Rapid Treatment), usado
para classificar e identificar múltiplas vítimas, julgue os itens a seguir.
Na avaliação da respiração, a vítima com frequência respiratória superior a 30 mvm deverá ser
classificada e identificada com a cor amarela.
( ) Certo ( ) Errado

3. (EBSERH/CESPE/2018) De acordo com o método START (Simple Triage and Rapid Treatment), usado
para classificar e identificar múltiplas vítimas, julgue os itens a seguir.
Na avaliação da capacidade de cumprir ordens, vítimas que obedeçam a comandos simples deverão ser
classificadas e identificadas com a cor amarela.
( ) Certo ( ) Errado

www.romulopassos.com.br 13
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

4. (EBSERH/CESPE/2018) De acordo com o método START (Simple Triage and Rapid Treatment), usado
para classificar e identificar múltiplas vítimas, julgue os itens a seguir.
Na triagem de múltiplas vítimas que envolvam crianças, a criança que estiver alerta ou responder a
chamado verbal ou a estímulo doloroso com localização do estímulo deverá ser classificada e
identificada com a cor amarela.
( ) Certo ( ) Errado

5. (EBSERH/CESPE/2018) De acordo com o método START (Simple Triage and Rapid Treatment), usado
para classificar e identificar múltiplas vítimas, julgue os itens a seguir.
Na avaliação dos sinais vitais, se a criança apresentar ausência de pulso, deverá ser imediatamente
classificada e identificada com a cor amarela.
( ) Certo ( ) Errado

Tipos de Choque
1. (Residência em Enfermagem/UNIRIO/2020) Entre os efeitos respiratórios e cardiovasculares que se
manifestam no estágio progressivo do choque, identificam-se, respectivamente,
a) taquipneia e estreitamento da pressão diferencial.
b) alcalose respiratória compensatória e frequência cardíaca acima de 100 bpm.
c) acidose respiratória e aumento da contratilidade cardíaca.
d) lesão pulmonar aguda e aumento no nível de enzimas cardíacas.
e) taquipneia e manutenção da pressão diferencial normal.

2. (Prefeitura de Areal-RJ/GUALIMP/2020) “É provocado pela perda de grandes volumes de líquidos do


corpo. Exemplos: hemorragias, desidratação por diarreia, vômitos intensos ou calor excessivo, perda de
plasma causada por queimaduras. Nesta situação, há uma queda importante da pressão arterial
causando uma falha no sistema circulatório incapaz de manter a pessoa viva.”
A definição acima refere a qual tipo de choque?
a) Hipovolêmico. b) Cardiogênico. c) Distributivo. d) Obstrutivo.

3. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) Sobre os estados de choque, é correto afirmar:


a) O choque cardiogênico é caracterizado pela perda do tônus simpático ocasionando um estado de
vasoplegia.
b) O choque séptico é um exemplo de choque distributivo.
c) O choque distributivo é caracterizado por perda acentuada da função de ejeção cardíaca devido à
lesão direta imposta ao coração.
d) No choque hipovolêmico as extremidades do paciente apresentam-se quentes e ruborizadas.

4. (AL-GO/IADES/2019) É atribuição do Enfermeiro conhecer as características do choque hipovolêmico


associado à perda sanguínea e saber classificá-las. Qual é a porcentagem de perda de volume circulante
que ainda mantém os sintomas clínicos óbvios em pacientes saudáveis?
a) Mais de 40% b) 16 a 30% c) 28% d) 35% e) 15%

www.romulopassos.com.br 14
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

5. (Residência em Enfermagem/UERJ/2019) O choque é uma síndrome em que observa-se desequilíbrio


entre a oferta e o consumo do oxigênio tecidual e celular, podendo ser classificado de acordo com seu
padrão hemodinâmico. Partindo dessa premissa, a correlação entre classificação e causa que está
correta é:
a) distributivo – hipotireoidismo.
b) distributivo – lesões valvares.
c) cardiogênico – hipertireoidismo.
d) cardiogênico – pneumotórax hipertensivo.

6. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2020) Assinale a alternativa que contem os parâmetros


hemodinâmicos que devem ser monitorados em todos os pacientes em choque
a) PVC, PAM, Débito urinário e FC.
b) PAM, PoAP e DC.
c) Débito urinário, FC e DC.
d) PVC, Débito urinário, DC e lactato sérico.

7. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) O choque cardiogênico é um subtipo do choque


hemodinâmico, com desequilíbrio entre a oferta e o consumo de oxigênio a nível tecidual. São
características do choque cardiogênico:
a) hiperóxia por aumento do fluxo sanguíneo.
b) aumento da complacência ventricular com consequente aumento da pressão diastólica final.
c) diminuição das pressões de enchimento das câmaras cardíacas pela disfunção do mecanismo de
Frank-Starling.
d) aumento desproporcional das pressões de enchimento das câmaras cardíacas pela disfunção do
mecanismo de Frank-Starling.
e) aumento da pós-carga do ventrículo esquerdo, com aumento do trabalho miocárdico e redução do
consumo de oxigênio miocárdico.

8. (Rede SARAH/2007) Em relação à fisiopatologia do choque, associe a segunda coluna de acordo com
a primeira e, a seguir, assinale a alternativa correta.
1. Choque cardiogênico.
2. Choque séptico - primeira fase.
3. Choque séptico - segunda fase.
4. Choque hipovolêmico.
5. Choque anafilático.
( ) A diminuição do volume intravascular resulta em diminuição do retorno venoso para o coração e
subsequente enchimento ventricular diminuído. Consequentemente, o volume sistólico e o débito
cardíaco estão diminuídos. Há queda da pressão arterial. A pele fica fria e úmida.
( ) O débito cardíaco está comprometido. O volume sistólico e a frequência cardíaca diminuem, há
queda na pressão arterial e a perfusão tecidual fica comprometida. O músculo cardíaco não recebe

www.romulopassos.com.br 15
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

sangue suficiente. O ventrículo não ejeta todo volume sanguíneo na sístole. O paciente pode ter dor
anginosa e desenvolver arritmias.
( ) O débito cardíaco está elevado, com vasodilatação. Ocorre frequência respiratória elevada,
taquicardia e diminuição da pressão arterial.
( ) O débito cardíaco está baixo, com vasoconstrição, para compensar a hipovolemia intravascular.
Ocorre queda da pressão arterial e frequência cardíaca e respiratória elevadas. A pele fica fria e pálida.
( ) Ocorre vasodilatação devido liberação de substâncias vasoativas pelos mastócitos, além de
permeabilidade disseminada.
a) 1 - 4 - 3 - 2 - 5. b) 4 - 1 - 5 - 2 - 3. c) 1 - 4 - 5 - 2 - 3. d) 4 - 1 - 2 - 3 - 5.

Traumas
1. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) A avaliação “*...+ do paciente com trauma maior deverá
ocorrer conforme o protocolo de atendimento inicial ao politraumatizado” (VIEIRA; MAFRA; ANDRADE,
p. 19), recomendado pelo Advanced Trauma Life Support (ATLS) e regulamentado pela unidade
hospitalar. Em paralelo, a “reanimação frente a parada cardiocirculatória é realizada imediatamente
após o diagnóstico. A avaliação primária e reanimação ocorrem, simultaneamente, em uma sequência
lógica de condições de risco à vida, conhecida como ABCDE *...+” (CHIARA, 2009 apud VIEIRA, MAFRA;
ANDRADE, 2011, p. 19).
Sobre a relação entre as condutas de enfermagem em pessoas vítimas de politraumas e os momentos
da avaliação ABCDE para trauma, numere a segunda coluna de acordo com a primeira.
(1) Momento A ( ) Puncionar dois acessos calibrosos.
(2) Momento B ( ) Realiza-se aspiração, se necessário.
(3) Momento C ( ) Aplicar Escala de Coma de Glasgow (ECG).
(4) Momento D ( ) Auxiliar na toracocentese, se indicação médica.
(5) Momento E ( ) Realizar movimentação em bloco, no trauma medular.
A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é
a) 1 3 5 2 4 b) 1 5 2 4 3 c) 3 1 4 2 5 d) 3 1 5 4 2 e) 5 2 1 3 4

2. (Prefeitura de Suzano-SP/VUNESP/2019) Na área externa de uma unidade básica de saúde - UBS,


enquanto aguardava consulta, P.C., 64 anos, hipertenso, “desmaiou” e enquanto alguém solicitava
ajuda, as pessoas que estavam ao seu lado o transportaram para dentro da unidade. Chegando ao local,
o enfermeiro realizou a avaliação primária da vítima, desenvolvendo as seguintes avaliações:
I. permeabilidade de via aérea (VA);
II. ventilação;
III. responsividade e expansão torácica;
IV. estado neurológico;
V. estado circulatório.
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta com que essas ações devem ser realizadas.
a) I, II, III, IV, V b) III, II, I, IV, V. c) II, V, III, I, IV. d) V, IV, III, II, I. e) III, I, II, V, IV.

www.romulopassos.com.br 16
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

3. (IJF/IMPARH/2018) Nacional e internacionalmente, o trauma corresponde à terceira causa de morte,


precedido apenas por doenças cardiovasculares e neoplasias. Sabe-se que é correto considerar que:
a) a avaliação das lesões decorrentes dos vários tipos de trauma, seja do tipo aberto, seja do tipo
fechado, envolve o conhecimento e a interpretação das forças relacionadas à cinemática e biomecânica
do trauma.
b) a avaliação das condições de segurança do local, do profissional, dos pacientes e dos demais
envolvidos é posterior ao início do atendimento.
c) a avaliação primária do trauma deve priorizar o exame físico-cefalopodal e a realização da entrevista.
d) na avaliação secundária do trauma, ocorre a estabilização manual da cabeça do paciente, mantida
alinhada com a posição neutra.

4. (SEASTER-PA/IADES/2019) A avaliação primária do paciente com trauma maior deverá ocorrer


conforme o protocolo de atendimento inicial do politraumatizado, recomendado pelo Advanced Trauma
Life Support (ATLS). O último passo do protocolo de atendimento ao trauma consiste em
a) avaliação das vias aéreas.
b) avaliação da respiração.
c) avaliação das disfunções neurológicas.
d) exposição da vítima.
e) avaliação da circulação.

5. (Prefeitura de Quadra-SP/CONSULPAM/2019) O tratamento de um doente vítima de trauma grave


exige avaliação rápida das lesões e adoção de medidas terapêuticas de suporte de vida. Deseja-se,
portanto abordagem sistematizada. Para isto, o Suporte Pré-Hospitalar de Vida no Trauma (PHTLS),
propõe, atualmente, a seguinte sequência de cuidados ao doente traumatizado:
a) A: Vias Aéreas; B: Respiração; C: Circulação.
b) C: Compressões; A: Vias Aéreas; B: Ventilações.
c) A: Vias Aéreas; B: Respiração; C: circulação, D: Disfunção, estado neurológico.
d) X: Hemorragias Externas Graves; A: Vias Aéreas; B: Respiração; C: circulação, D: Disfunção, estado
neurológico; E: Exposição/controle do ambiente.

6. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) Para o atendimento à vítima de trauma, as Intervenções


de Enfermagem devem seguir a prioridade estabelecida pelas diretrizes da Advanced Trauma Life
Support (ATLS). Numa situação hipotética: Paciente vítima de trauma, em estado consciente, dá entrada
na emergência pelo Serviço Móvel de Urgência -SAMU.
A seguir, assinale a ordem correta de priorização as intervenções para a manutenção da vida no trauma:
1) Ausculta cardíaca, verificação da pressão arterial, frequência cardíaca, temperatura corporal.
Condições da perfusão periférica. Buscar por sangramentos em cavidades: abdome e pelve. Checar
permeabilidade dos acessos venoso.
2) Ausculta pulmonar, verificação da frequência respiratória, saturação, padrão respiratório e ausculta
pulmonar. Instalar oxigenioterapia se necessário.

www.romulopassos.com.br 17
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

3) Abertura de VA, capacidade de proteção de VA, proceder com aspiração oral se necessário, retirada
de prótese dentária e corpo estranho da cavidade oral. Estabilização da cervical com colar tamanho
apropriado.
4) Expôr o paciente e seguir o exame físico secundário e de dorso. Iniciar medidas de aquecimento, se
necessário, para prevenção da hipotermia.
5) Avaliar o nível de consciência, grau de cognição e colaboração, verificação de déficit neurológico.
a) 3, 2, 1, 4, 5. b) 2, 3, 1, 5, 4. c) 5, 4, 3, 2 ,1. d) 3, 2, 1, 5, 4.

7. (Residência Multiprofissional-UNIRIO/COREMU/2019) A Escala de Coma de Glasgow é um


instrumento para determinar o nível de consciência do paciente, bastante utilizada nas unidades de
terapia intensiva, baseada em três critérios: de resposta da abertura dos olhos, melhor resposta verbal e
melhor resposta motora. Para os achados clínicos são atribuídos valores quantitativos dando um escore
entre:
a) 0 – 10. b) 0 – 13. c) 3 – 13. d) 3 – 15. e) 8 – 12.

8. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) A escala de Glasgow, que vai de 3 a 15, mede o nível de


consciência após lesão cerebral. Sobre a escala de Glasgow, é correto afirmar que
a) existe uma adaptação dessa escala para atendimento do público infantil.
b) o traumatismo cranioencefálico pode ser classificado como leve se alcançar de 3 a 8 pontos na escala
Glasgow.
c) o escore 15 é compatível com morte cerebral, no entanto, para a confirmação há a necessidade de
avaliar outros parâmetros.
d) a escala de Glasgow avalia cinco parâmetros: abertura ocular, reação motora, resposta verbal, reação
ao estímulo acústico e tamanho pupilar.
e) a escala de Glasgow é aceita mundialmente por sua padronização, contudo a sua forma de avaliação
exige instrumentos específicos para a sua medição, nem sempre disponíveis.

9. (Residência Multiprofissional/UFPR/2020) Ao aplicar a Escala de Glasgow, o enfermeiro obtém as


seguintes respostas: olhos abertos com resposta espontânea, resposta verbal confusa e resposta
motora ineficaz. Assinale a alternativa que corresponde à soma dos pontos nas três categorias avaliadas:
a) 2. b) 5. c) 7. d) 9. e) 12.

10. (Residência Multiprofissional/UFS/2020) Acerca da Escala de Coma de Gasglow (ECG) assinale a


única alternativa CORRETA. Nota: Considere como nova versão a atualização realizada no ano 2018.
a) Na antiga versão da ECG, a pontuação variava de 3 a 15 pontos. Agora, na nova versão, a pontuação
varia de -3 a +15 pontos.
b) O escore final mínimo e máximo possível em cada parâmetro é: Abertura ocular [1 a 3]; Resposta
verbal [1 a 4]; Resposta motora [1 a 5]; Reatividade Pupilar [2 a 0].
c) No parâmetro Resposta Verbal temos as seguintes respostas e pontuações: Orientado [4]; Confuso
[3]; Palavras [2]; Nenhuma [1]; Não Testável [NT].
d) Na nova versão da ECG, as pontuações dos parâmetros abertura ocular, resposta verbal e motora são
somados e, ao final, o score da reatividade pupilar deverá ser subtraído. (E) No parâmetro Abertura
Ocular temos as seguintes respostas e pontuações: Espontânea [3]; Ao estímulo verbal [2]; Nenhuma
[1]; Não Testável [NT].

www.romulopassos.com.br 18
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

11. (Prefeitura de Candeias-BA/IBFC/2019) Idoso, 65 anos, sexo M, é admitido no pronto-socorro após


acidente automobilístico (moto versus carro). O mesmo era o condutor da motocicleta e foi socorrido
pela equipe de atendimento pré-hospitalar móvel a serviço da concessionária responsável pela rodovia
estadual. O motociclista é admito e aplica-se a Escala de Coma de Glasgow, reformulada em 2018.
Ausência de movimentos oculares, verbais ou motores espontâneos, nem em resposta às solicitações
verbais do enfermeiro de plantão. Quando estimulados, os olhos dele não abrem e ele emite apenas
sons incompreensíveis, e os braços dele estão em flexão anormal. Este paciente pode ser classificado
como Abertura Ocular (1), Resposta verbal (2), Melhor resposta motora (3) pela escala de coma de
Glasgow, dando uma pontuação total de 6. Ao realizar-se a avaliação da reatividade pupilar, nenhuma
das pupilas reage à luz, gerando uma pontuação de reatividade pupilar igual a 2. O uso associado da
avaliação pupilar é indicativo, principalmente, no exame de indivíduos acometidos por traumatismo
cranioencefálico. Com base no caso descrito, a escala de coma de Glasgow com reação pupilar terá
_____________ .
Assinale a alternativa que preencha corretamente a lacuna.
a) 3 pontos. b) 4 pontos. c) 8 pontos. d) 12 pontos.

12. (IJF/IMPARH/2018) A escala de coma de Glasgow faz parte do exame neurológico e tem como base
três parâmetros. Sobre esses parâmetros, analise as frases a seguir, assinalando o item correto.
a) Os parâmetros avaliados são resposta motora, abertura ocular e saturação de oxigênio.
b) A pontuação desta escala varia de 0 a 15 pontos.
c) É considerada alteração neurológica grave uma ECG de 3 a 8 pontos.
d) Na avaliação da abertura ocular, as opções de resposta são espontâneas ao estímulo verbal e ao
estímulo físico (levantamento manual da pálpebra).

13. (Residência Multiprofissional/UFG/2020) M.S.T., de cinquenta e cinco anos, vítima de queda do


telhado, sofreu traumatismo crânioencefálico (TCE) e foi internado na UTI. Encontra-se comatoso e
apresenta alteração na resposta motora, denominada decorticação, que é uma postura na qual se
observa uma adução e
a) hiperpronação e flexão dos punhos e dos dedos do membro superior e hiperextensão, muitas vezes
associada a opistótono e fechamento da mandíbula.
b) hiperpronação e extensão do membro superior e hiperextensão, flexão plantar do membro inferior
muitas vezes associada a opistótono e fechamento da mandíbula.
c) flexão do cotovelo, extensão e hiperpronação dos punhos e dos dedos do membro superior e
hiperextensão, flexão plantar e rotação interna do membro inferior.
d) flexão do cotovelo, dos punhos e dos dedos do membro superior e hiperextensão, flexão plantar e
rotação interna do membro inferior.

14. (Residência Uni e Multiprofssional-USP/FUVEST/2020) Paciente de 25 anos está sendo atendido no


pronto‐socorro, pois sofreu traumatismo craniano após acidente de moto e necessitará de intervenção
cirúrgica. Segundo as categorias de cirurgia baseadas na urgência, esse paciente necessitará de uma
cirurgia:
a) opcional. b) eletiva. c) requerida. d) de urgência. e) de emergência.

www.romulopassos.com.br 19
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

15. (Instituto Hospitalar de Base – IHB-DF/CESPE/2018) Considerando-se as orientações nacionais de


suporte básico de vida, julgue o próximo item.
Quando o paciente com trauma cranioencefálico apresenta 8 pontos ou menos na escala de Glasgow,
considera-se o trauma grave.
( ) Certo ( ) Errado

16. (SEASTER-PA/IADES/2019) Durante a avaliação de um paciente com trauma torácico, há


possibilidade de identificação de pneumotórax aberto. O pneumotórax aberto exige um cuidado rápido
de enfermagem para estabilização do paciente. Esse cuidado consiste na realização de
a) curativo de três pontos.
b) ventilações de resgate – 10 por minuto.
c) radiografia de tórax de emergência.
d) descompressão pleural.
e) compressões torácicas de emergência.

17. (EXÉRCITO/2020) Indivíduo com diversos ferimentos por arma de fogo na região superior e inferior
torácica posterior é encontrado na rua e socorrido pela equipe de emergência local. Ele respira
rapidamente, sendo possível observar o ar se movendo para dentro e para fora dos ferimentos
torácicos. Seu pulso é fraco e muito rápido. Percebe-se que há grande quantidade de sangue no asfalto.
Acerca desse caso, assinale a alternativa correta.
a) Nesse caso, um diagnóstico imediato, manobras de reanimação e tratamento definitivo de choque
são essenciais para determinação do prognóstico.
b) No ambiente pré-hospitalar, essa situação tende a ser resolvida sem muitas demandas da rede de
apoio de um centro de trauma mais próximo.
c) Pode-se diagnosticá-lo com traumatismo cranioencefálico, importante causa de morbimortalidade da
pessoa com trauma.
d) Dentre os planos de tratamento, destaca-se o encaminhamento para um centro de apoio ao trauma o
mais rapidamente possível, independentemente de suas condições de deslocamento.
e) No trauma torácico apresentado, o controle e a reversão do choque neurogênico deve ser prioridade,
tendo em vista que a tolerância orgânica à isquemia nos pulmões é de 15 a 20 minutos.

18. (IJF/IMPARH/2018) Um enfermeiro do serviço de atendimento extra-hospitalar está diante de um


paciente com importante hemorragia externa decorrente de perfuração por arma branca (PAF). Um
cuidado considerado prioritário neste caso é:
a) administração de analgésicos.
b) administração de volume com solução fisiológica.
c) administração de antieméticos.
d) administração de psicotrópicos.

www.romulopassos.com.br 20
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

19. (IJF/IMPARH/2018) De acordo com Tobase et al (2017), “O trauma cranioencefálico (TCE) é uma
agressão que ocorre em curto espaço de tempo, às vezes segundos, mas que provoca consequências
que podem estender-se por longos períodos ou mesmo por toda a vida, na pessoa acometida, em
função do déficit – transitório ou permanente – das atividades físicas, cognitivas, emocionais, sociais ou
profissionais e cujos efeitos reverberam também nos familiares e na sociedade”. Assim sendo, cabe ao
enfermeiro considerar que:
a) na avaliação neurológica com base na escala de coma de Glasgow, o escore obtido entre 5 e 8
caracteriza quadro leve.
b) a presença de sangue na cavidade oral, nasal, auricular ou abdominal remete à suspeita de fratura da
base do crânio.
c) a cinemática e a biomecânica do trauma não influenciam na gravidade do TCE, portanto não
necessitam ser consideradas.
d) em crianças, a cabeça e o pescoço são as áreas mais atingidas por trauma, pois as quedas são
frequentes nos primeiros anos de vida, em que há desproporção da cabeça com o corpo.

20. (IJF/IMPARH/2018) O trauma vertebromedular (TVM), também conhecido como trauma


raquimedular (TRM), acontece quando a coluna vertebral é lesionada por um agente externo,
geralmente ocasionando fratura ou luxação e acometendo as estruturas óssea, ligamentar, medular,
discal, vascular ou radicular. Assim sendo, classifique as assertivas de verdadeiras ou falsas.
( ) A estabilidade ou a instabilidade da lesão dependem dos mecanismos de rotação, compressão,
flexão e possíveis combinações entre eles, elementos da cinemática e biomecânica do trauma.
( ) A lesão medular pode ser classificada utilizando a escala ASIA, que identifica alterações sensitivas e
motoras e o tipo de lesão, com alterações que variam desde a ausência de resposta até a condição de
normalidade, a partir da aplicação de estímulos nos diferentes dermátomos e miótomos.
( ) A correta imobilização da coluna é indispensável e deve ser rigorosamente respeitada, desde a
estabilização manual da cabeça até o alinhamento com o tronco, mas, no caso de manifestação de dor
ou resistência, deve-se respeitar a posição em que a cabeça foi encontrada.
( ) A lesão medular decorrente de um TVM acomete a capacidade de locomoção, sensibilidade, a
contenção esfincteriana nas eliminações e influencia, de modo permanente, a independência da pessoa
para as atividades da vida diária.
A sequência correspondente, de cima para baixo, é:
a) V, F, F, V. b) F, V, F, F. c) V, V, V, V. d) V, V, V, F.

21. (IJF/IMPARH/2018) No trauma abdominal, há consequências que levam a diagnósticos de


enfermagem relacionados ao prejuízo do funcionamento cardíaco, à dor intensa e ao risco de infecção
provocado pelo rompimento de órgãos internos. Assinale o item que contém diagnósticos de
enfermagem diretamente relacionados à função cardiocirculatória.
a) Dor aguda e integridade de pele prejudicada.
b) Débito cardíaco diminuído e perfusão tissular periférica ineficaz.
c) Risco de infecção e padrão respiratório ineficaz.
d) Ansiedade e risco de quedas.

www.romulopassos.com.br 21
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

22. (SEASTER-PA/IADES/2019) O trauma consiste em lesão de extensão, intensidade e gravidade


variáveis, que pode ser produzida por agentes diversos (físicos, químicos ou elétricos), de forma
acidental ou intencional, capaz de produzir perturbações locais ou sistêmicas. Assinale a alternativa que
indica exemplo de trauma menor.
a) Ejeção do veículo.
b) Trauma torácico com dor leve sem dispneia.
c) Queda de motocicleta em velocidade superior a 40 km/h.
d) Combinação de traumas ou queimaduras de segundo ou terceiro graus.
e) Velocidade do veículo superior a 60 km/h.

23. (Residência Multiprofissional/UFG/2020) O aumento da pressão intracraniana (PIC) afeta muitos


pacientes com distúrbios neurológicos agudos. À medida que a PIC se eleva, mecanismos
compensatórios no cérebro funcionam para manter o fluxo sanguíneo e evitar danos teciduais, mas, em
certo ponto, a capacidade de autorregulação do cérebro torna-se ineficaz e a descompensação tem
início. Quando isso ocorre, o paciente exibe alterações significativas, uma delas sendo a tríade de
Cushing, um sinal grave que tem como características, além da irregularidade respiratória:
a) a hipotensão e a agitação.
b) a hipotensão e a taquicardia.
c) a hipertensão e a bradicardia.
d) a hipertensão e a agitação.

24. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) A assistência de enfermagem em emergências


neurológicas à pacientes neurocríticos é de fundamental importância. Sobre o cuidado de enfermagem
em pacientes com hipertensão intracraniana (HIC), é correto afirmar que
a) a hipotermia deve ser evitada e a hipertermia induzida para reduzir o metabolismo cerebral.
b) os alarmes dos monitores multimodais devem ser desligados com objetivo de reduzir o estresse na
unidade.
c) o paciente deve ser mantido com cabeceira a zero graus para uma melhor perfusão cerebral.
d) a cabeça do paciente deve ser colocada em posição neutra com objetivo de facilitar a drenagem
venosa do cérebro.
e) o gráfico da pressão intracraniana (PIC) sofre poucas interferências durante procedimentos especiais
como aspiração de traqueostomia ou higiene corporal, não necessitando o registro desses
procedimentos.

www.romulopassos.com.br 22
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

Queimaduras
1. (Prefeitura de Valinhos-SP/VUNESP/2019) Uma dona de casa chega ao serviço de saúde com
queimadura no antebraço e na mão direita causada por gordura quente. No local, verifica-se a formação
de bolhas róseas úmidas e dolorosas. Essas características permitem classificar a queimadura como de:
a) primeiro grau, porque atingiu menos de 10% da superfície corporal.
b) primeiro grau, porque atingiu a pele superficialmente e sem gravidade.
c) segundo grau, porque atingiu a epiderme e parte da derme, causando dor.
d) segundo grau, porque atingiu membro superior incluindo a mão.
e) terceiro grau, porque atingiu músculos e vasos, o que dá cor rósea às lesões.

2. (MARINHA/2018) Um paciente adulto que possui queimaduras em tórax anterior, braço e perna
direita tem comprometido que percentual estimado de área de superfície corporal, segundo a regra dos
nove?
a) 36%. b) 37%. c) 45%. d) 54%. e) 55%.

3. (Rede SARAH/2010/Adaptada) Em relação ao atendimento de emergência de queimaduras químicas,


analise as afirmativas abaixo, indicando V (verdadeiro) ou F (falso) e, em seguida, assinale a alternativa
correspondente.
I. ( ) Lavar com água a área de contato somente após retirar as roupas.
II. ( ) Imediatamente após o acidente, a área de contato deve ser lavada com água em abundância.
III. ( ) As tentativas de neutralização química de substância na área de contato podem gerar reações
como produção de calor e piora de lesão.
IV. ( ) As lesões das queimaduras por agentes químicos não aparecem imediatamente após o acidente e
são progressivas.
a) V, V, F, V. b) V, V, F, F. c) V, V, V, V. d) F, F, V, V.

4. (IJF/IMPARH/2018) Acerca da epidemiologia das queimaduras, pode-se afirmar verdadeiramente:


I. As causas mais comuns de queimadura são de origem térmica, elétrica, química e por radiação.
II. Em crianças, as causas das queimaduras variam de acordo com a faixa etária; lactentes e infantes são
mais propensos à queimadura por frio. Já crianças maiores são mais propensas a queimaduras com
líquidos quentes.
III. O ambiente em que os acidentes com queimadura ocorrem com maior frequência é o trabalho.
IV. Em idosos, a condição de pele adelgaçada, a diminuição da camada subcutânea e da resistência
imunológica e a cicatrização lenta provocam o agravamento e a demora na recuperação do quadro do
paciente.
São verdadeiros os itens:
a) I e IV. b) II e III. c) I e II. d) II e IV.

www.romulopassos.com.br 23
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

5. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2020) A enfermeira de uma unidade de pronto-atendimento


recebe em seu plantão um paciente jovem, vítima de queimadura térmica extensa em região posterior
do tronco, apresentando-se consciente e com sinais vitais estáveis. Que cuidados iniciais com as lesões
são apropriados?
a) Massagear o local com solução mentolada analgésica.
b) Realizar a limpeza da lesão com solução antisséptica iodada.
c) Proceder com irrigação da lesão com solução fisiológica a 0,9% ou água gelada.
d) Retirar roupas, cortando-as com tesoura, tendo cautela com as regiões de tecido aderido à pele.

6. (Rede SARAH/2007) Um homem de 33 anos foi trazido à emergência vítima de queimadura que
ocorreu devido a incêndio iniciado em sua cama e que se alastrou por toda a casa. Observam-se
queimaduras na face, peito, parte superior do braço esquerdo, todo o braço direito e pescoço. As
queimaduras estão com flictenas de cor avermelhada e úmidas. Ele está gritando de dor. Qual das
seguintes alternativas corresponde à prioridade no atendimento primário a este paciente?
a) Verificar permeabilidade de vias aéreas e aliviar a dor.
b) Realizar curativos e monitorizar a pressão arterial.
c) Monitorizar diurese e observar sinais de hipovolemia.
d) Verificar sinais de infecção e realizar monitorização cardíaca.

Emergência Hipertensiva
1. (Residência Saúde da Família e Comunidade/SMS-RJ/2020) No manejo de uma emergência ou
urgência hipertensiva em uma unidade de atenção primária, de acordo com o protocolo de
enfermagem, é correto afirmar que no caso de:
a) urgência hipertensiva, deve-se agendar consulta médica em até 72h.
b) emergência hipertensiva, deve-se orientar o usuário ao automonitoramento.
c) urgência hipertensiva, o enfermeiro deverá iniciar tratamento medicamentoso imediatamente.
d) não haver um médico disponível imediatamente, o enfermeiro pode utilizar o captopril 25mg, via
oral.

2. (Residência Multiprofissional-UFRN/COMPERV/2020) Os pacientes que chegam à UPA em situação


de emergência hipertensiva são atendidos com a perspectiva de reduzir rapidamente a pressão arterial
(PA), a fim de evitar a progressão de lesão de órgão-alvo provocada pelo aumento da PA. Nesses casos,
a enfermagem da UPA deve seguir as recomendações gerais de redução de pressão arterial de forma
correta, o que compreende:
a) diminuição da PA menor igual a 25% na primeira hora; diminuição da PA entre 160/110 mmHg no
intervalo de 2 a 6 horas; e pressão arterial entre 135/85 mmHg no período de 12 a 48 horas.
b) diminuição da PA menor igual a 50 % na primeira hora; diminuição da PA entre 150/100 mmHg no
intervalo de 2 a 6 horas; e pressão arterial entre 135/85 mmHg no período de 24 a 48 horas.
c) diminuição da PA menor igual a 25% na primeira hora; diminuição da PA entre 160/110 mmHg no
intervalo de 2 a 6 horas; e pressão arterial entre 135/85 mmHg no período de 24 a 48 horas.
d) diminuição da PA menor igual a 50% na primeira hora; diminuição da PA entre 150/100 mmHg no
intervalo de 2 a 6 horas; e pressão arterial entre 135/85 mmHg no período de 12 a 48 horas.

www.romulopassos.com.br 24
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

3. (EBSERH/CESPE/2018) Mariana, com 76 anos de idade, apresenta, em atendimento hospitalar de


emergência, forte dor precordial, em aperto, contínua, com irradiação para o pescoço, e leve tontura —
segundo a paciente, há cerca de 30 minutos. Ela tem história de hipertensão arterial crônica e vem
sendo acompanhada regularmente por seu cardiologista. No exame, Mariana encontra-se dispneica,
agitada, com PA de 190 mmHg × 130 mmHg e oximetria de pulso em 92%. Acerca desse caso clínico,
julgue os itens a seguir. O quadro apresentado por Mariana pode ser corretamente classificado como
uma urgência hipertensiva.
( ) Certo ( ) Errado

4. (DEPEN/CESPE/2013) Os quadros de hipertensão arterial leve, ou seja, pressão arterial diastólica


acima de 130 mmHg, associados a alterações na retina, insuficiência renal, alterações neurológicas,
anemia e insuficiência ventricular não são considerados crises hipertensivas.
Os quadros de hipertensão arterial leve, ou seja, pressão arterial diastólica acima de 130 mmHg,
associados a alterações na retina, insuficiência renal, alterações neurológicas, anemia e insuficiência
ventricular não são considerados crises hipertensivas.
( ) Certo ( ) Errado

Hemorragias Digestivas
1. (SERPRO/CESPE/2013) A respeito dos procedimentos a serem realizados em atendimento pré-
hospitalar de um trabalhador acidentado e das situações que podem ser identificadas nesse
atendimento, julgue o item que se segue. A hemoptise, decorrente de hemorragia do esôfago,
estômago ou duodeno, caracteriza-se por apresentar sangue em grande volume e com aspecto
espumoso.
( ) Certo ( ) Errado

Urgências e Emergências Hipo/Hiperglicêmicas


1. (Prefeitura de Valinhos-SP/VUNESP/2019) A hipoglicemia, cuja medida capilar é expressa por valores
menores que 60 mg/dL, pode resultar em sinais e sintomas como:
a) tremores, sudorese e epistaxis.
b) palidez, taquicardia e encoprese.
c) tonturas, cefaleia e exantema.
d) fraqueza, parestesias e artralgias.
e) distúrbios visuais e rebaixamento da consciência.

2. (Residência Multiprofissional/UFTM/2019) Dentre as emergências relacionadas ao diabetes mellitus


destacam-se a cetoacidose diabética (CAD) e o estado hiperosmolar hiperglicêmico (EHH). Assinale a
alternativa incorreta:
a) O principal fator precipitante da cetoacidose diabética é a infecção.
b) A diurese osmótica traz como uma das consequências a desidratação.
c) O glucagon é um hormônio contrarregulatório do metabolismo da glicose.
d) A dificuldade na captação celular de glicose tem como consequência o aumento da glicogenólise e da
gliconeogênese.
e) A cetoacidose é definida como a presença de corpos cetônicos no sangue.

www.romulopassos.com.br 25
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

3. (Residência Multiprofissional/SES-DF/IADES/2020) Um paciente de 78 anos de idade, divorciado e


aposentado, chega à emergência apresentando síndrome hiperosmolar hiperglicêmica não cetótica que,
após estabilização, evoluiu posteriormente para quadro de hipoglicemia.
A respeito desse caso clínico e considerando os conhecimentos correlatos, julgue os itens a seguir:
A síndrome hiperosmolar não cetotica é um estado de hiperglicemia grave (superior a 600 mg/dl a 800
mg/dl) acompanhada de desidratação e alteração do estado mental, na ausência de cetose.
( ) Certo ( ) Errado

4. (Residência Multiprofissional/SES-DF/IADES/2020) Em pacientes com hiperglicemia, é comum existir


uma maior predisposição para o desenvolvimento de infecções. Isso se deve à alteração na função dos
neutrófilos, inibição da fagocitose mediada por complemento, alteração nas imunoglobulinas pela
respectiva glicosilação não enzimática, maior aderência dos microrganismos por alteração na
composição dos carboidratos dos receptores de membrana e maior desenvolvimento bacteriano
associado à presença de edema.
( ) Certo ( ) Errado

5. (Residência Multiprofissional/SES-DF/IADES/2020) A hiperglicemia está associada a um pior


prognóstico em eventos isquêmicos, como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral.
( ) Certo ( ) Errado

6. (Residência Multiprofissional/SES-DF/IADES/2020) A concentração ideal de glicemia deve ser de 140


mg/dl – 180 mg/dl. Está indicado iniciar com infusão de insulina quando a glicemia se apresentar maior
que 180 mg/dl.
( ) Certo ( ) Errado

Intoxicação e Envenenamento
1. (BRB/CESPE/2009)) Julgue o item acerca de intoxicações ou superdosagens de substâncias que
podem provocar alterações físicas e mentais nos indivíduos.
O indivíduo vítima de intoxicação deve ser avaliado quanto às suas condições gerais de estado das vias
aéreas, respiração e circulação. Em algumas situações, pode ser necessária a ventilação mecânica.
( ) Certo ( ) Errado
2. (MPU/CESPE/2013) Considerando que um homem de 23 anos de idade tenha sido atendido no
pronto-socorro, após intoxicação por monóxido de carbono, com queixa de tontura e cefaleia, julgue os
itens a seguir.
É recomendada, primordialmente, a monitoração da saturação de oxigênio, por meio da oximetria de
pulso e da coloração da pele, uma vez que o indivíduo pode progredir rapidamente para o coma.
( ) Certo ( ) Errado
(IJF/IMPARH/2018) O texto a seguir corresponde às questões 3 e 4.
Segundo a Rede Nacional de Centros de Informação e Assistência Toxicológica (Renaciat) e o Sistema
Nacional de Informações Tóxicofarmacológicas (Sinitox), “epidemiológica-mente, as causas de
intoxicação e envenenamento mais prevalentes são os medicamentos, domissanitários, escorpiões,
produtos químicos industriais, outros animais peçonhentos/venenosos, agrotóxicos de uso agrícola,
substâncias de uso abusivo, serpentes, animais não peçonhentos, aranhas, raticidas, agrotóxicos de uso
doméstico, produtos veterinários, plantas, cosméticos, alimentos, metais e outros”.

www.romulopassos.com.br 26
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

3. (IJF/IMPARH/2018) Acerca das síndromes decorrentes de intoxicação e envenenamento, assinale o


item correto.
a) Nas síndromes colinérgicas, cujas causas envolvem uso excessivo de atropina, escopolamina,
amitriptilina, cogumelos e outros, verificam-se como manifestações clínicas a agitação, o rubor facial, a
midríase, a confusão mental, arritmias e outros.
b) Nas síndromes extrapiramidais, verificam-se como sintomas movimentos involuntários tremores,
sialorreia, e as causas incluem o uso abusivo de clorpromazina, bromoprida ou metoclopramida via IV,
por exemplo.
c) Nas síndromes adrenérgicas causadas pelo carbamato ou “chumbinho”, as manifestações clínicas são
sialorreia, vômitos, convulsão, entre outras.
d) O tratamento das síndromes narcóticas (morfina, meperidina, codeína ou heroína) é a administração
de benzodiazepínico.

4. (IJF/IMPARH/2018) A conduta no atendimento pré-hospitalar, em casos de intoxicação,


envenenamento ou acidentes com animais, deve ser considerado correto:
a) a apreensão e a morte do animal peçonhento envolvido no acidente.
b) a observação do animal doméstico por 5 dias e a confirmação da vacinação antirrábica.
c) a lavagem do local atingido por uma água-viva, utilizando água do mar ou solução com vinagre.
d) o estímulo ao vômito diante da ingestão de produtos tóxicos.

5. (IJF/IMPARH/2018) Uma criança de sete anos estava brincando no quintal de casa à noite quando, ao
mexer em algumas telhas, foi picada por uma aranha-marrom, ou Loxosceles. A mãe rapidamente ligou
para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Com relação à conduta diante de um acidente com
animais peçonhentos, assinale a alternativa correta.
a) A recomendação geral é lavar o local da picada com água e sabão, não colocar outras substâncias e
garrotear o local.
b) Captura-se o animal prioritariamente e, só então, procura-se atendimento.
c) Sintomas como dor intensa, edema, hematoma, paresia, náuseas e vômitos descartam a suspeita de
que se trate de animal peçonhento.
d) Um soro específico poderá ser aplicado, considerando a gravidade de cada caso, pois, no Brasil, não
existe soro polivalente ou universal.
Crise Convulsiva
1. (Residência Multiprofissional/CEFET-BA/2019) Sobre a conduta não farmacológica mais apropriada
diante de um paciente em vigência de uma crise epiléptica tônico-clônica generalizada (convulsão), é
correto afirmar que
a) o movimento corporal da pessoa deve ser restringido.
b) a melhor conduta é se afastar da pessoa em crise convulsiva devido risco pessoal envolvido.
c) o apoio da cabeça do paciente deve ser evitado devido ao risco de lesão cervical traumática.
d) um pano deve ser colocado na boca com o objetivo de evitar asfixia ou mordedura de língua.
e) a pessoa em crise convulsiva deve ser protegida, deitando-a de lado, com a cabeça virada para um
dos lados, para ajudar a respiração e prevenir a aspiração de secreções e vômito.

www.romulopassos.com.br 27
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

2. (Instituto Hospitalar de Base – IHB-DF/CESPE/2018) No que se refere à atuação do técnico de


enfermagem na assistência a pacientes em urgência e emergência, julgue o item subsequente.
Durante uma crise convulsiva, deve-se proteger o paciente, mantê-lo em decúbito lateral, observar a
duração e a característica dos movimentos, a alteração da pupila, a incontinência fecal ou vesical, o seu
comportamento e se há sonolência.
( ) Certo ( ) Errado

3. (TRE - BA/CESPE/2017) Entre outros medicamentos, podem ser usados, durante as crises convulsivas
e para prevenir essas crises, respectivamente,
a) lidocaína e estreptoquinase.
b) tramadol e manitol.
c) diazepam e fenitoína.
d) diltiazem e midazolam.
e) alteplase e amiodarona.

4. (TRE - BA/CESPE/2017) Quadros convulsivos são indicativos de alterações neurológicas. Sobre eles, é
correto afirmar que:
a) crises convulsivas ou epilépticas podem ser manifestação de um processo patológico sistêmico
reversível ou de uma disfunção inerente ao Sistema Nervoso Central.
b) o estado de mal epiléptico é a ocorrência de crises epiléticas prolongadas (acima de 10 minutos) ou
repetitivas, persistindo por 50 minutos ou mais, que não permitem a recuperação da consciência entre
os eventos.
c) a crise generalizada tônico-clônica (CGTC) raramente ultrapassa 15 minutos de duração e é a mais
comum das manifestações.
d) as crises mioclônicas podem ser seguidas de arreflexia, rigidez, bradicardia acentuada e hipotensão,
bradipneia ou apneia, podendo ocorrer edema pulmonar e arritmias ventriculares.
e) medidas para evitar a mordedura da língua e lesões dentárias durante as crises objetivam prevenir a
ocorrência de lesão macroglóssica e broncoespasmo.

5. (Prefeitura de Fortaleza-CE/IJF/IMPARH/2018) Segundo o Ministério da Saúde (2002), a crise


epiléptica é o evento mais frequente entre os distúrbios neurológicos, com cerca de 0,5 a 1% da
população mundial. Alguns fatores podem desencadear uma crise epiléptica: febre, TCE, meningite,
encefalite, alteração do SNC no pré-natal, perinatal ou pós-parto, hipóxia neonatal, alteração
metabólica ou hidroeletrolítica, medicamentos, álcool, drogas ilícitas, fatores genéticos e idiopáticos,
além da epilepsia. O profissional em atendimento pré-hospitalar da crise epiléptica deve levar em
consideração que:
a) Em gestantes, exige-se muita atenção em razão do risco de queda, lesões e traumas, além de
eclampsia nas emergências hipertensivas, com diminuição de oxigenação, inclusive para o feto, e alto
risco para ambos.
b) A manutenção das vias respiratórias pérvias é uma preocupação secundária, pois não influencia nas
lesões subsequentes.
c) Após a cessação da crise, devem-se oferecer alimentos e líquidos ao paciente, visto que a fadiga leva à
necessidade de reposição de nutrientes.
d) Durante a crise, deve-se deixar o paciente em decúbito dorsal, com a cabeça alinhada ao tronco.
d) as crises mioclônicas podem ser seguidas de arreflexia, rigidez, bradicardia acentuada e hipotensão,
bradipneia ou apneia, podendo ocorrer edema pulmonar e arritmias ventriculares.

www.romulopassos.com.br 28
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

Urgências e Emergências Psiquiátricas


1. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) Sobre o atendimento ao paciente com alterações
comportamentais e crises/surto, assinale a alternativa incorreta:
a) Responder o paciente de forma clara, não levantar a voz e deixar suas mãos à mostra são
Intervenções de Enfermagem na abordagem ao surto ou crises cognitivas.
b) Risco de Violência Direcionada a Outros é um Diagnóstico de Enfermagem que pode está presente
nos pacientes com alteração de comportamento.
c) Identificar os estressores que aumentam a agitação e remover objetos do quarto que possam ser
utilizados para lesionar a si ou outros são Intervenções de Enfermagem usadas na abordagem das
crises/surto.
d) Contrariar as ideias e mostrar-se ostensivo durante atendimento às crises/surto ajuda a intimar o
comportamento do paciente, melhorando e auxiliando nas condutas de enfermagem.
2. (Residência em Enfermagem/UNIRIO/2020) Um conceito fundamental em relação aos transtornos
relacionados ao uso de substâncias é o seguinte:
a) Abstinência consiste em tratamento inadequado ou conduta que possa resultar em lesões.
b) Uso abusivo consiste em usar indevidamente ou de um modo prejudicial.
c) Dependência consiste em um estado físico e mental de euforia e frenesi emocional ou de letargia e
estupor.
d) Intoxicação envolve uma exigência compulsiva e crônica que causa sofrimento (físico ou psicológico)
se não
atendida.
e) Binge use consiste em uma síndrome específica pela cessação do uso intenso.
3. (Residência em Enfermagem/UNIRIO/2020) Na avaliação das pessoas com transtornos mentais, é
importante diferenciar as neuroses das psicoses. Sobre estas é CORRETO afirmar que
a) as neuroses são transtornos psiquiátricos caracterizados por ansiedade excessiva expressa por
mecanismos de defesa.
b) nas psicoses, as pessoas não perdem contato com a realidade e sentem-se incapazes de mudar de
situação.
c) nas neuroses, pode haver evidência de alucinações e de pensamentos delirantes. Pode ocorrer com
ou sem a presença de insuficiência orgânica.
d) nenhum distúrbio talvez seja mais incapacitante do que os provocados por quadros neuróticos.
e) o aspecto característico nas psicoses são sintomas físicos para os quais não existe patologia orgânica
demonstrável.
4. (Residência em Enfermagem/UNIRIO/2020) Maria Eduarda, 30 anos, sexo feminino, foi admitida no
CAPS com diagnóstico médico de transtorno obsessivo compulsivo. Apresenta múltiplas lesões nas mãos
em razão de lavar as mãos múltiplas vezes durante o dia e a noite.
A prescrição de enfermagem mais adequada para a situação relatada é a seguinte:
a) Proibir que Maria Eduarda realize o comportamento ritualístico de lavagem das mãos.
b) Identificar junto à Maria Eduarda situações que aumentem a ansiedade e ocasionam
comportamentos ritualísticos.
c) Sempre que Maria Eduarda der início ao comportamento ritualístico, coibir seu comportamento.
c) nas neuroses, pode haver evidência de alucinações e de pensamentos delirantes. Pode ocorrer com
ou sem a presença de insuficiência orgânica.

www.romulopassos.com.br 29
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

d) Fechar os banheiros a que Maria Eduarda tem acesso, para que ela não consiga realizar o ritual de
lavagem das mãos.
e) Deixar que Maria Eduarda realize seu comportamento ritualístico e aguardar os medicamentos
fazerem efeito.

5. (Residência em Enfermagem/UNIRIO/2020) A avaliação do estado mental é uma etapa importante


da entrevista psiquiátrica. Em relação às funções psíquicas no exame do estado mental é CORRETO
afirmar que
a) o termo consciência refere-se ao estado de estar desperto ou vigil. Pacientes desorientados e com
delírios, portanto, podem estar lúcidos.
b) a obsessão são atos marcados por rituais realizados na tentativa de neutralizar o desconforto
subjetivo provocado pela compulsão.
c) a fuga de ideias é uma alteração do curso do pensamento, caracterizada por uma ideia ou fala
acelerada.
d) a desorientação auto-psíquica refere-se à capacidade de se orientar em relação ao mundo.
e) as alterações da sensopercepção mais importantes na psicopatologia são as ilusões, as alucinações, a
alucinose e a pseudo-alucinação.

6. (Residência Multiprofissional-UPE/IAUPE/2020) Os pacientes que apresentam transtornos mentais


no âmbito do SUS recebem atendimento na Rede de Atenção Psicossocial ( A RAPS passa a ser formada
por pontos de atenção (serviços). Quais dos descritos abaixo fazem parte da RAPS:
a) Centro de Atenção Psicossocial, SAMU 192, Ambulatório Geral e Hospital Psiquiátrico.
b) Hospital Dia, Tratamento Fora de Domicílio , Comunidades Terapêuticas e Ambulatório
Multiprofissional de Saúde Mental.
c) Serviço Residencial Terapêutico, Unidade de Acolhimento, Instituição de Longa Permanência para
Idosos e Hospital Dia.
d) Comunidades Terapêuticas, Atenção Básica, Instituição de Longa Permanência, Centro de Atenção
Psicossocial e Hospital Psiquiátrico.
e) Pronto Socorro, Centro de Atenção Psicossocial, Atenção Básica e Enfermarias Especializadas em
Hospital Geral.
7. (Residência em Enfermagem/UNIRIO/2020) Ana, de 37 anos, admitida em uma Unidade de Pronto
Atendimento (UPA) foi diagnosticada pela enfermeira do plantão com risco de suicídio relacionado ao
sentimento de desamparo e de desespero. Ela diz à enfermeira: “Meu marido está me traindo, são 20
anos de casado, estou desesperada. Não sei o que fazer”. A resposta a ser dada pela enfermeira na
situação descrita é
a) “Fica tranquila com o tempo você esquece ele”.
b) “Eu sei como é perder alguém! Eu já passei por perdas também”.
c) “Me conta um pouquinho sobre isso. Você pretende se machucar de alguma maneira?”.
d) “Entendi. Que tal mudarmos de assunto para você esquecer tudo isso”.
e) “Você vai superar isso. Amanhã você vai estar melhor”.
e) Pronto Socorro, Centro de Atenção Psicossocial, Atenção Básica e Enfermarias Especializadas em
Hospital Geral.

www.romulopassos.com.br 30
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

8. (IJF/IMPARH/2018) Acerca das emergências psiquiátricas, avalie as assertivas.


( ) O termo “emergências psiquiátricas” aplica-se a condições nas quais o transtorno mental agudo ou
subagudo causa alteração no comportamento do indivíduo e cuja gravidade coloca em risco a
integridade física e moral da pessoa ou de terceiros, necessitando de intervenção imediata.
( ) No atendimento pré-hospitalar, a primeira conduta a ser realizada é a comunicação terapêutica, com
abordagem de contato físico, demonstrando apoio e segurança.
( ) No atendimento às emergências psiquiátricas ou no enfrentamento da crise, o enfermeiro necessita
perceber o indivíduo em sua singularidade e estabelecer processo terapêutico que favoreça o diálogo,
em detrimento de ações restritivas, medicamentosas e manicomiais.
( ) Algumas condições de emergências psiquiátricas incluem quadro confusional, quadro depressivo com
tentativa e ideação suicida, quadro de transtornos psicóticos e crises epilépticas.
O item que preenche corretamente as assertivas, na sequência de cima para baixo, é:
a) V, F, V, V. b) F, V, F, V. c) F, F, F, F. d) V, F, V, F.

Afogamento
1. (Residência Multiprofissional/UFTM/2018) O afogamento é uma causa importante de morte em
todos os grupos etários. Analise as assertivas sobre o tema e assinale a alternativa incorreta:
a) Não existe consistente entre capacidade de nadar e afogamento.
b) O mecanismo básico de lesão no afogamento é a hipóxia causada pelo laringoespasmo.
c) Considera-se afogamento a ocorrência de óbito nas primeiras 24 horas após a ocorrência de
submersão.
d) A prioridade inicial para qualquer vítima de submersão é prevenir lesões tanto para o paciente
quanto para as pessoas que estão prestando socorro.
e) Recomenda-se o início da realização de reanimação cardiopulmonar ainda dentro da água pois
quanto antes o atendimento for iniciado melhor a taxa de sobrevida.

Política Nacional de Atenção às Urgências


1. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) No Brasil, qual a portaria que reformula a Política
Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de
Saúde?.0
a) portaria nº 2.600, de 7 de julho de 2011. b) portaria nº 1.212, de 7 de julho de 2011.
c) portaria nº 1.621, de 7 de julho de 2011. d) portaria nº 1.600, de 7 de julho de 2011.

2. (Residência Multiprofissional/UFTM/2019) Considerando as diretrizes da Rede de Atenção às


Urgências, assinale a alternativa incorreta:
a) Todos os pontos da rede de atenção à saúde devem acolher os casos agudos.
b) O acolhimento com classificação do risco, a qualidade e a resolutividade na atenção são exclusivos do
processo e dos fluxos assistenciais das unidades hospitalares de atenção às urgências.
c) O modelo de atenção às urgências deve ser centrado no usuário e baseado nas suas necessidades de
saúde.
d) O atendimento às urgências deve ser regionalizado, regulado e articulado com as diversas redes de
atenção e acesso.
e) A organização da Rede de Atenção às Urgências tem a finalidade de articular e integrar todos os
equipamentos de saúde.

www.romulopassos.com.br 31
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

3. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) Segundo a Política Nacional de Atenção às Urgências e


Emergências, é correto afirmar, exceto:
a) Humanização da atenção garantindo efetivação de um modelo centrado no usuário e baseado nas
suas necessidades de saúde.
b) Garantia de implantação de modelo Biomédico, de caráter uniprofissional, instituído por meio de
práticas clinicas cuidadoras e baseado na gestão de linhas de cuidado.
c) participação e controle social dos usuários sobre os serviços.
d) qualificação da assistência por meio da educação permanente das equipes de saúde do SUS na
Atenção às Urgências, em acordo com os princípios da integralidade e humanização.

4. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) Segundo dados publicados pelo Ministério da Saúde, no


eixo das Urgências e Emergências das Redes de Atenção à Saúde, a principal causa de óbito no Brasil
são:
a) Causas Externas.
b) Doenças respiratórias.
c) Neoplasias.
d) Doenças do Aparelho Circulatório (DAC).

5. (Prefeitura de Fortaleza-CE/IJF/IMPARH/2018) De acordo com o Manual Instrutivo da Rede de


Atenção às Urgências e Emergências no Sistema Único de Saúde e com a Portaria nº 1.600, de 7 de julho
de 2011, que reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Urgências no
Sistema Único de Saúde, assinale a afirmativa correta.
a) O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e suas centrais de regulação médica das
urgências não são componentes constituintes das Redes de Atenção às Urgências.
b) O componente SAMU e suas centrais de regulação médica das urgências têm como objetivo chegar
precocemente à vítima após ter ocorrido um agravo à sua saúde (de natureza clínica, cirúrgica,
traumática, obstétrica, pediátricas, psiquiátricas, entre outras) que possa levar a sofrimento, sequelas
ou mesmo à morte, sendo necessário garantir atendimento e/ou transporte adequado para o serviço de
saúde mais próximo, independente de hierarquia ou integração ao SUS.
c) A Central de Regulação das Urgências é uma estrutura física constituída por profissionais (médicos,
telefonistas auxiliares de regulação médica e rádio-operadores) capacitados em regulação dos
chamados telefônicos que demandam orientação e/ou atendimento de urgência, por meio de uma
classificação e priorização das necessidades de assistência em urgência, além de ordenar o fluxo efetivo
das referências e contrarreferências dentro de uma rede de atenção.
d) As centrais de regulação do SAMU 192 não necessitam ser regionalizadas, a fim de ampliar o acesso
às populações dos municípios em todo o território nacional.

Rede de Atenção às Urgências


1. (Residência Multiprofissional/UNIFAP/2020) Em todas as visitas domiciliares, é fundamental que o
profissional de saúde saiba identificar sinais de perigo à saúde da criança. As crianças menores de 2
meses podem adoecer e morrer em um curto espaço de tempo por infecções bacterianas graves.
Analise as questões abaixo e marque a alternativa correta que apresenta os sinais que indicam a
necessidade de encaminhamento da criança ao serviço de referência com urgência (AMARAL, 2004):
a) Hipotermia (mais do que 35,5ºC).
b) Frequência cardíaca acima de 100bpm.

www.romulopassos.com.br 32
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

c) Temperatura (37,0ºC ou menos).


d) Umbigo hiperemiado (hiperemia estendida à pele da parede abdominal). e/ou com secreção
purulenta (indicando onfalite).
e) Respiração rápida (abaixo de 50mrm).

2. (Residência Multiprofissional Saúde da Família/UEFS/2020) Ao realizar a visita domiciliar, a


enfermeira do Programa de Saúde da Família avaliou um paciente com sequelas importantes de AVE
(Acidente Vascular Encefálico). Dentre diversos problemas verificados, observou um grande risco de
formação de úlcera de pressão. Sobre o plano de ação que a enfermeira deve prescrever para
prevenção e acompanhamento das úlceras por pressão a este paciente, analise as afirmativas abaixo e
coloque V nas Verdadeiras e F nas Falsas.
( ) Inspecionar pele, tecido e mucosas rotineiramente, com o objetivo de realizar intervenção precoce,
no caso de aparecimento de lesão na pele em estágio II.
( ) Avaliar o estado nutricional e iniciar medidas corretivas, sugerindo uma dieta balanceada com a
introdução de proteínas, vitaminas e minerais adequados, assim como o estado nutricional melhorado
podem ajudar a prevenir solução de continuidade na pele. Essa ação deve vir acompanhada do
encaminhamento ao nutricionista.
( ) Manter higiene da pele diariamente, secando delicadamente e manter a lubrificação com solução
emoliente, além de manter as roupas de cama limpas, secas e livres de rugas.
( ) Usar um agendamento rotatório ao mudar o paciente de decúbito. Utilizar os lençóis como apoio
para essa ação, estabelecendo a ação mecânica da fricção com os lençóis, como melhor forma para
manter a integridade da pele.
( ) Utilizar protetores (coxins) para as proeminências ósseas tipicamente atingidas, como: calcâneos,
sacros, tuberosidades isquiáticas, trocanteres, cotovelos, ombros, entre outras, que devem ser
acompanhadas a cada visita e conforme a condição clínica do paciente.
Assinale a alternativa que contém a sequência correta.
a) F – V – F – V – F. b) F – F – F – V – F. c) F – V – V – V – F. d) F – V – V – F – V. e) V – V – V – F – V.

3. (Residência Multiprofissional/UFTM/2019) O Componente da Rede de Atenção às Urgências que


objetiva aglutinar esforços para garantir a integralidade na assistência em situações de risco ou
emergenciais para populações com vulnerabilidades específicas e/ou em regiões de difícil acesso,
pautando-se pela equidade na atenção, considerando-se seus riscos é denominado:
a) Sala de Estabilização.
b) Atenção Básica em Saúde.
c) Força Nacional de Saúde do SUS.
d) Promoção, Prevenção e Vigilância à Saúde.
e) Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

4. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2019) São principais diretrizes que norteiam a implementação


da Rede de Urgência e Emergência (RUE), exceto:
a) Centralização hospitalocêntrica.
b) Classificação de risco
c) Articulação interfederativa
d) Qualificação da assistência por meio da educação permanente em saúde para gestores e
trabalhadores.

www.romulopassos.com.br 33
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

5. (Residência Multiprofissional-UFTM/COREMU/2018) Assinale a alternativa que apresenta o


componente da Rede de Atenção às Urgências caracterizado por um conjunto de ações de saúde, no
âmbito individual e coletivo, que abrange a promoção e a proteção da saúde, a prevenção de agravos, o
diagnóstico, o tratamento, a reabilitação, a redução de danos e a manutenção da saúde:
a) Atenção Básica.
b) Sala de Estabilização.
c) Unidade de Pronto Atendimento.
d) Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

Outros Temas
1. (Residência em Enfermagem/UFTM/2018) Assinale a alternativa que apresenta a definição correta
de ambulância do Tipo C:
a) Veículo destinado ao transporte em decúbito horizontal de pacientes que não apresentam risco de
morte, para remoções simples e de caráter eletivo.
b) Veículo destinado ao atendimento e transporte de pacientes de alto risco em emergências pré-
hospitalares e/ou de transporte inter-hospitalar que necessitam de cuidados médicos intensivos.
c) Aeronave de asa fixa ou rotativa utilizada para transporte inter-hospitalar de pacientes e para ações
de resgate, dotada de equipamentos médicos homologados pelo Departamento de Aviação Civil – DAC.
d) Veículo de atendimento de urgências pré-hospitalares de pacientes vítimas de acidentes ou pacientes
em locais de difícil acesso, com equipamentos de salvamento.
e) Veículo destinado ao transporte inter-hospitalar e ao atendimento pré-hospitalar de pacientes com
risco de morte desconhecido, não classificado, com potencial de necessitar de intervenção médica no
local e/ou durante transporte até o serviço de destino.

2. (Residência em Enfermagem/UFTM/2018) Considerando os componentes da rede loco-regional de


atenção integral às urgências, assinale a alternativa incorreta:
a) Samu – Serviço de Atendimento Móvel de Urgências faz parte do componente pré-hospitalar móvel.
b) As unidades básicas de saúde, unidades de saúde da família e serviços de atenção domiciliar fazem
parte do componente pré-hospitalar fixo.
c) As portas hospitalares de atenção às urgências das unidades hospitalares gerais do tipo I e II fazem
parte do componente hospitalar.
d) Serviços associados de salvamento e resgate, sob regulação médica de urgências e com número único
nacional para urgências médicas – 192 ajudam a compor o componente pré-hospitalar móvel.
e) Leitos gerais e especializados de retaguarda, de longa permanência e os de terapia semi-intensiva e
intensiva, mesmo que esses leitos estejam situados em unidades hospitalares que atuem sem porta
aberta às urgências compõem as portas hospitalares de atenção às urgências.

3. (Residência em Enfermagem/UFTM/2018) Sobre o transporte inter-hospitalar e as atribuições do


médico solicitante assinale a alternativa incorreta:
a) Obter a autorização escrita do paciente ou seu responsável para a transferência.
b) O médico responsável pelo paciente seja ele plantonista, diarista ou o médico assistente, deve
realizar as solicitações de transferências à Central de Regulação e realizar contato prévio com o serviço
potencialmente receptor.
c) O transporte inter-hospitalar refere-se à transferência do paciente dentro da própria unidade de
internação para realização de procedimentos cirúrgicos e diagnósticos.

www.romulopassos.com.br 34
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

d) Paciente em risco iminente de morte, sem prévia e obrigatória avaliação e atendimento respiratório,
hemodinâmico e outras medidas urgentes específicas para cada caso, devem ser estabilizados e
preparados para o transporte.
e) A decisão de transferir um paciente grave é estritamente médica e deve considerar os princípios
básicos do transporte, quais sejam: não agravar o estado do paciente, garantir sua estabilidade e
garantir transporte com rapidez e segurança.

4. (EBSERH/CESPE/2018) Acerca da ambulância, veículo de atendimento pré-hospitalar móvel, julgue os


itens subsequentes.
As ambulâncias do tipo B são destinadas ao transporte simples, ou seja, ao transporte de pacientes sem
maiores riscos e de caráter eletivo.
( ) Certo ( ) Errado

5. (EBSERH/CESPE/2018) Acerca da ambulância, veículo de atendimento pré-hospitalar móvel, julgue os


itens subsequentes.
As ambulâncias do tipo A deverão estar equipadas com itens como sinalizador óptico e acústico,
equipamento de radiocomunicação, maca com rodas, suporte para soro e oxigênio medicinal.
( ) Certo ( ) Errado

www.romulopassos.com.br 35
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

www.romulopassos.com.br 36
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

Acidente Vascular Encefálico


1. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2020) O Acidente Vascular Cerebral (AVC) pode ser isquêmico
ou hemorrágico. Segundo o Manual de Rotinas para atenção ao AVC (MS, 2013), analise as afirmativas
abaixo:
I - O Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), o mais comum, é causado pela falta de sangue em
determinada área do cérebro, decorrente da obstrução de uma artéria.
II - Nos dois tipos de AVC, uma vez que o sangue, que contém nutrientes e oxigênio, não chega a
determinadas áreas do cérebro, ocorre a perda das funções dos neurônios, causando os sinais e
sintomas os quais dependerão da região do cérebro envolvida.
III - A Escala de Coma de Glasgow é um parâmetro de avaliação dos pacientes que apresentam acidentes
vasculares; nessa escala, a pontuação para abertura ocular espontânea é 2.
IV - Na avaliação da resposta verbal, através da Escala de Coma de Glasgow, a pontuação 3 corresponde
ao paciente confuso.
Estão corretas, apenas:
a) I, II, III b) III e IV c) II e IV d) I e II

2. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) O Acidente Vascular Cerebral (AVC) caracteriza-se por um


distúrbio neurológico que acomete a rede vascular, com múltiplos fatores causais que possibilitam a
distinção entre os seus subtipos. Considerando a etiologia e o quadro clínico dos subtipos isquêmico e
hemorrágico, numere a segunda coluna de acordo com a primeira.
(1) AVC Isquêmico ( ) Cardioembolismo.
(2) AVC Hemorrágico ( ) Trombo carotídeo.
( ) Aneurisma cerebral.
( ) Hipertensão arterial sistêmica.
( ) Déficit neurológico focal súbito.
( ) Evidência de hematoma em exame de imagem.
A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é
a) 1, 1, 2, 2, 1, 2. b) 1, 2, 2, 2, 1, 1. c) 1, 1, 1, 1, 2, 2. d) 2, 1, 1, 1, 2, 2. e) 2, 2, 2, 2, 1, 1.
3. (Rede SARAH/2007) Um paciente acaba de sofrer uma crise isquêmica transitória (CIT). Para formular
o plano de cuidados, o(a) enfermeiro(a) deve considerar que:
a) Os sintomas da CIT duram de 24 a 48 horas.
b) A maioria dos pacientes permanece com algum efeito neurológico residual após uma CIT.
c) O sintoma mais comum de uma CIT é a incapacidade de falar no período de até 36 horas.
d) Um acidente vascular cerebral pode ocorrer após uma CIT.

www.romulopassos.com.br 37
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

4. (IF Farroupilha-RS/FUNDATEC/2019) O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é ocasionado pela


interrupção do suprimento sanguíneo no tecido cerebral em decorrência de uma obstrução arterial.
Trata-se de uma das alterações vasculares mais comuns e temidas por acarretar diversas sequelas,
cognitivas e físicas. Sobre essa doença, é correto afirmar que:
a) O principal exame para obter o diagnóstico é a realização de um eletroencefalograma.
b) Para realizar a avaliação neurológica, é utilizada uma escala chamada de Braden.
c) São alguns dos fatores de risco para o desenvolvimento do AVE: hipertensão arterial sistêmica com
tratamento irregular, sedentarismo e tabagismo.
d) Existe somente um tipo de AVE.
e) O sintoma mais comum é a confusão mental precedida de crise convulsiva.

5. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2020) Analise as questões a seguir sobre o atendimento ao


Acidente Vascular Encefálico (AVE), e a seguir escolha a incorreta.
a) A escala de Cincinnatti é utilizada como um recurso rápido de avaliação, tendo como alguns dos
critérios o desvio da comissura labial e avaliação pupilar.
b) Cirurgia de grande porte ou procedimento invasivo nos últimos 14 dias e pressão arterial sistólica ≥
185mmHg ou diastólica ≥ 110mmHg contra-indicam a terapia trombolítica.
c) Piora do déficit neurológico ou do nível de consciência, cefaléia súbita, náuseas ou vômitos durante a
trombólise indicam realização de nova tomografia de crânio.
d) São cuidados de Enfermagem: verificar escore de AVC do National Institute of Health Stroke Scale
(NIH) a cada 15 minutos durante a infusão do trombolítico, a cada 30 minutos nas próximas 6 horas e,
após, a cada hora até completar 24 horas.

6. (Residência Multiprofissional/UFPB/2019) O acidente vascular cerebral (AVC) é uma incapacidade


súbita da circulação cerebral, sua incidência aumenta com a idade, geralmente as pessoas acometidas
pelo AVC, apresentam algum tipo de incapacidade, seja ela leve, moderada ou grave. No tocante a
assistência de Enfermagem, o plano de cuidado deve ser individualizado para cada paciente, devido ao
déficit neurológico que apresenta e da gravidade do déficit, como:
I - O repouso no leito é mantido até que os sinais vitais se estabilizem e o paciente esteja totalmente
desperto e alerta.
II – Falar com o paciente devagar e de forma clara.
III – Observar as mamas, em busca de alguma anormalidade.
IV – Registrar a ingestão e eliminação de líquidos.
De acordo com as afirmativas acima assinale a alternativa correta:
a) Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
b) Apenas as afirmativas I, II e III, estão corretas.
c) Apenas a afirmativa IV está correta.
d) Apenas as afirmativas I, II e IV, estão corretas.
e) Todas as afirmativas estão corretas.

www.romulopassos.com.br 38
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

7. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2019) O cuidado de enfermagem ao paciente com Acidente


Vascular Cerebral (AVC) isquêmico inclui a avaliação das manifestações clínicas, que podem se
apresentar frequentemente pelos seguintes sinais e sintomas:
a) cervicalgia, hemiparesia e disfagia.
b) hipertensão, paraplegia e disfasia.
c) cefaleia, hemiparesia e nistagmo.
d) hemianopsia, hemiplegia e afasia.

8. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) Visto como uma emergência clínica, o Acidente Vascular


Cerebral (AVC) deve ser o mais rapidamente identificado por meio do reconhecimento da sua
sintomatologia, para que as comorbidades atreladas ao evento vascular sejam minimizadas através de
terapêuticas prontamente realizadas. Considerando os déficits motores decorrentes do AVC, analise as
opções a seguir e identifique com V as verdadeiras e com F as falsas.
( ) Hipoestesia da face, afasia e perda visual.
( ) Vertigem, heminegligência à esquerda e disartria.
( ) Hemiparesia de predomínio crural, paraparesia e ataxia.
( ) Hemiplegia, Hemiparesia de predomínio braquial e desvio de comissura labial.
A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é
a) V, F, F, V. b) V, F, V, F. c) V, V, F, F. d) F, F, V, V. e) F, V, V, F.

9. (Prefeitura de Fortaleza-CE/IJF/IMPARH/2018) O reconhecimento precoce dos sinais e sintomas do


acidente vascular cerebral (AVC) maximiza a recuperação do doente e minimiza sequelas e mortalidade.
Com o intuito de agilizar o diagnóstico, algumas escalas podem ser utilizadas: National Institute of
Health Stroke Scale (NIHSS) e Cincinnati, por exemplo. Costuma-se usar a escala de Cincinnati, por sua
baixa complexidade, a qual avalia os seguintes aspectos:
a) coloração facial, contração dos braços e disfagia.
b) rigidez facial, debilidade dos braços e fala anormal.
c) contração facial, fraqueza de membros e dislalia.
d) queda facial, debilidade dos braços e fala anormal.
10. (Prefeitura de Suzano-SP/VUNESP/2019) Utilizada como instrumento de avaliação pré-hospitalar
em casos suspeitos de acidente vascular cerebral (AVC), a Escala de Cincinnati é aplicada por meio da
avaliação dos seguintes parâmetros:
a) melhor resposta verbal; presença de debilidade dos membros superiores e pressão arterial diastólica
maior que 100 mmHg.
b) presença de debilidade dos membros inferiores; pressão arterial sistólica maior que 160 mmHg; e
presença de alteração da fala.
c) presença de plegia, paresia ou assimetria facial súbita; presença de debilidade dos membros
superiores; e presença de alteração da fala.
d) presença de plegia, paresia ou assimetria facial súbita; presença de alteração de nível de consciência
e pressão arterial diastólica maior que 130 mmHg.

www.romulopassos.com.br 39
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

11. (Prefeitura de Fortaleza-CE/IJF/IMPARH/2018) O enfermeiro, diante do atendimento pré-hospitalar


de AVC, deve considerar como algumas ações iniciais:
a) avaliar a segurança do paciente, oferecer água e alimento, prevenir hipotermia.
b) investigar e anotar o horário de início do evento, aplicar a escala de Cincinnati e a de Glasgow.
c) avaliar responsividade, motricidade, sensibilidade, aplicar a escala NIHSS e o método START.
d) solicitar transporte ao serviço de saúde, controlar temperatura corporal.

12. (Residência Multiprofissional/SES-SC/2020) A portaria do MS de n° 664/2012 estabelece o


protocolo clínico e diretrizes terapêuticas sobre a trombólise no Acidente Vascular Cerebral (AVC)
isquêmico agudo. Dentre as informações descritas nesse documento, consta que:
a) O aparecimento súbito de déficits neurológicos nos AVC isquêmico e hemorrágico independe da
região cerebral envolvida.
b) O paciente com suspeita de AVC deve ser encaminhado ao centro habilitado para atendimento de
urgência em AVC.
c) A administração do trombolítico, por via intravenosa, deve ocorrer em até 12 horas do início dos
sinais e sintomas.
d) A sintomatologia mais comum nos infartos da artéria cerebral média é hemiparesia e hemiplegia
ipsilateral.

13. (Residência Multiprofissional/UFC/2020) Um enfermeiro atende em unidade de emergência uma


paciente vítima de acidente vascular cerebral (AVC) em janela terapêutica para trombólise, havendo,
porém, contraindicação para tal procedimento. Consiste em contraindicação para trombólise no
paciente com AVC:
a) Cirurgia de grande porte ou procedimento invasivo nos últimos 12 meses.
b) AVC isquêmico prévio ou traumatismo cranioencefálico grave nos últimos 3 meses.
c) Uso de varfarina com tempo de protrombina (TP) com razão normalizada internacional (RNI) < 1,5.
d) Pressão arterial (PA) sistólica ≥ 165mmHg ou PA diastólica ≥ 90mmHg (em 2 ocasiões, com 10 minutos
de intervalo) refratária ao tratamento anti-hipertensivo.
14. (Residência Multiprofissional/UFG/2020) O AVC é uma das maiores causas de morte e de
incapacidade adquirida em todo o mundo. Assim, a criação da linha de cuidados em AVC na rede de
atenção às urgências e emergências tem, como objetivo geral:
a) instituir adequada retaguarda ambulatorial para a assistência sequencial após a alta hospitalar, com
reabilitação, cuidados domiciliares e reintegração social e ao trabalho.
b) melhorar o conhecimento da população sobre o AVC, seus sinais e sintomas, seus fatores de risco e
sua necessidade de controle adequado.
c) disseminar o conhecimento de que o AVC é uma emergência médica que necessita de atendimento
em rede em todas as unidades de saúde.
d) reduzir a morbimortalidade pelo AVC no Brasil, por meio do atendimento integral ao paciente,
vislumbrando todas as suas demandas de atenção à saúde.

www.romulopassos.com.br 40
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

15. (Residência Multiprofissional/UPE/2020) Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma síndrome


neurológica frequente em adultos, sendo uma das maiores causas de morbimortalidade em todo o
mundo. Sendo assim, quais intervenções de enfermagem têm sido utilizadas no cenário hospitalar para
o cuidado de pacientes com essa disfunção?
I. Mobilizar precocemente no leito, prevenindo contraturas das articulações e atrofias; realizar
reabilitação funcional com o objetivo de integrar as atividades recém-aprendidas da vida diária e
habilidades técnicas para executar tais atividades, auxiliando os pacientes a encontrar novas formas de
realizá-las para garantir a segurança.
II. Promover a manutenção da função normal, prevenindo complicações e traumas, avaliando as
necessidades básicas do paciente e garantindo o melhor estado do paciente para beneficiar-se com a
reabilitação.
III. Avaliar elementos clínicos e neurológicos.
IV. Realizar cuidados relacionados às atividades de autocuidado.
Estão CORRETAS:
a) I, II e III, apenas. b) I, III e IV, apenas. c) I, II, III e IV. d) III e IV, apenas. e) II e IV, apenas.

16. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2020) Paciente de 68 anos com quadro clínico de cefaleia e
fraqueza muscular súbitas, além de dificuldade repentina para falar, foi admitido em unidade
neurológica e realizou tomografia de crânio, confirmando hipótese diagnóstica de acidente vascular
cerebral isquêmico (AVCi), sendo submetido ao tratamento trombolítico intravenoso com ativador do
plasminogênio tecidual (rTPA). Qual dos cuidados é recomendado após o tratamento trombolítico
intravenoso?
a) Realizar cateterização arterial ou punção venosa profunda somente após 24 horas da administração
do rTPA.
b) Administrar antiagregante plaquetário ou anticoagulante nas primeiras 24 horas após administração
do rTPA.
c) Introduzir sonda nasogástrica ou nasoenteral nas primeiras 24 horas após administração do rTPA.
d) Realizar cateterismo vesical de demora nos primeiros 30 minutos da terapia trombolítica.

17. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2019) Considerando as potenciais complicações do


tratamento trombolítico na fase aguda do Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico, qual cuidado
deve ser evitado no uso do ativador do plasminogênio tecidual (rt-PA)?
a) Introduzir sonda nasoenteral nas primeiras 24 horas após a infusão.
b) Realizar exame de neuroimagem (tomografia ou ressonância magnética).
c) Avaliações do estado neurológico a cada 15 minutos durante a infusão do trombolítico.
d) Manter pressão sistólica abaixo de 180 mmHg e pressão diastólica abaixo de 105 mmHg nas primeiras
24 horas.

www.romulopassos.com.br 41
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

18. (Residência Multiprofissional/UNIRIO/2019) Um acidente vascular cerebral isquêmico ou “ataque


cerebral” é uma perda súbita da função resultante da ruptura do suprimento sanguíneo para uma parte
do cérebro. O tratamento precoce com trombolíticos para acidente vascular cerebral isquêmico resulta
em menos sintomas desse distúrbio e em menor perda da função. A terapia trombolítica atualmente
aprovada tem uma janela terapêutica de, apenas, quantas horas após o início de um acidente vascular
cerebral?
a) 3h b) 4h c) 5h d) 6h e) 10h

19. (Residência Multiprofissional/UFTM/2018) Considerando a linha de cuidado do Acidente Vascular


Cerebral (AVC), a Unidade de AVC Agudo é destinada a pacientes com no máximo:
a) 12 horas de internação. b) 24 horas de internação. c) 48 horas de internação.
d) 60 horas de internação. e) 72 horas de internação.

20. (Residência Multiprofissional/SES-DF/IADES/2020) O prognóstico de um paciente com quadro de


acidente vascular cerebral, tanto isquêmico quanto hemorrágico, depende de três fatores básicos:
condições prévias, gravidade do AVC e adequação do tratamento empregado.
Quanto aos cuidados desse tipo de paciente na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), julgue os itens a
seguir.
A aplicação da escala de coma de Glasgow torna-se um instrumento importante, visto que as alterações
com aumento da pressão intracraniana ou aumento da hemorragia podem se apresentar por meio de
alterações do diâmetro das pupilas.
( ) Certo ( ) Errado

21. (Residência Multiprofissional/SES-DF/IADES/2020) O prognóstico de um paciente com quadro de


acidente vascular cerebral, tanto isquêmico quanto hemorrágico, depende de três fatores básicos:
condições prévias, gravidade do AVC e adequação do tratamento empregado.
Quanto aos cuidados desse tipo de paciente na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), julgue os itens a
seguir.
São indicados os enemas em casos de fecalomas no paciente com quadro de AVC, pois há a prerrogativa
da diminuição da pressão intracraniana quando acontece a descompressão intestinal.
( ) Certo ( ) Errado

22. (Residência Multiprofissional/SES-DF/IADES/2020) O prognóstico de um paciente com quadro de


acidente vascular cerebral, tanto isquêmico quanto hemorrágico, depende de três fatores básicos:
condições prévias, gravidade do AVC e adequação do tratamento empregado.
Quanto aos cuidados desse tipo de paciente na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), julgue os itens a
seguir.
Os pacientes agitados e (ou) confusos, que possuam distúrbios neurológicos, que estejam sob efeito de
medicações sedativas, são potenciais pacientes com risco de queda, e uma das medidas para prevenção
seria atender prontamente ao chamado para necessidade de eliminação fisiológica.
( ) Certo ( ) Errado

www.romulopassos.com.br 42
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

23. (Residência Multiprofissional/SESAB/2019) Os cuidados de enfermagem na unidade de


hemodinâmica devem ser suficientes para que os eventos sejam prevenidos, corrigidos em momento
oportuno, e para que todos os aspectos relativos à assistência de enfermagem sejam prontamente
diagnosticados, implementados e avaliados pelo enfermeiro dessa unidade. Sobre os cuidados de
enfermagem imediatos em casos de pessoas com diagnóstico médico de emergência hipertensiva e
acidente vascular encefálico isquêmico, é correto afirmar que
a) a pressão arterial (PA) não deve ser reduzida após 24 horas de uso do tratamento trombolítico.
b) o nível ideal da pressão arterial deve ser alcançado se a pressão arterial diastólica inicial for menor
que 110 mmHg.
c) aumentar a pressão arterial em 25%, para aqueles sem tratamento trombolítico, evita sangramento
cerebral.
d) pessoas com indicação de terapia trombolítica e PA inicial > 185/110 mmHg, devem reduzir a PA para
< 185/105 mmHg por, no mínimo, nas primeiras 24 horas após trombolítico.
e) as pessoas com pressão arterial inicial maior que 200/100 mmHg e sem indicação de terapia
trombolítica devem ter a pressão diastólica entre 100 e 110 mmHg nas primeiras 24 horas.

Síndromes Coronarianas Agudas/IAM

1. (Residência Multiprofissional/UPE/2020) Sobre as doenças cardiovasculares, leia as afirmativas


abaixo:
I. A angina estável representa a forma sintomática crônica da doença coronariana; sua causa é a
obstrução hemodinâmica significativa de uma ou mais coronárias por placa de ateroma.
II. Evidências recentes demonstram que quanto menos agressiva é a abordagem para o paciente parar
de fumar, maior é o sucesso obtido; as gorduras saturadas devem representar mais de 7% do total de
calorias, bem como a ingestão diária de colesterol não deve ultrapassar a 200 mg em pacientes
portadores de infarto agudo do miocárdio.
III. Todo paciente pós- IAM deve ser acompanhado no ambulatório e fazer uso indefinidamente das
seguintes drogas: AAS, betabloqueador, inibidor de ECA e estatinas.
IV. A função ventricular do paciente em pós- IAM só deve ser mensurada pelo ECO cardiograma, se
houver uma necessidade específica. A revascularização miocárdica aumenta a morbi mortalidade.
Está(ão) CORRETA(S)
a) I e II, apenas. b) III e IV, apenas. c) I e III, apenas. d) II e IV, apenas. e) I, II, III e IV.

2. (Residência Multiprofissional/UFC/2019) Em um atendimento de emergência, um paciente dá


entrada com dor torácica difusa, com irradiação para o pescoço e braço esquerdo. Após avaliação
clínica, foi diagnosticado com angina estável. Sobre as manifestações clínicas e fatores predisponentes
da angina estável, é correto afirmar:
a) A exposição ao calor pode causar vasodilatação e redução da pressão arterial, favorecendo o evento.
b) A ingestão de uma refeição pesada pode reduzir o suprimento sanguíneo para o músculo cardíaco,
precipitando o evento.

www.romulopassos.com.br 43
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

c) Corresponde a dor previsível e consistente que ocorre ao esforço, não sendo aliviada pelo repouso
e/ou pelo uso de nitroglicerina.
d) O paciente com diabetes pode ter a dor anginosa intensificada pela neuropatia diabética, que
aumenta a transmissão dos nociceptores e a percepção da dor.

3. (Residência Multiprofissional/UNIRIO/2019) A angina de peito é uma síndrome clínica habitualmente


caracterizada por episódios ou paroxismos de dor ou pressão na região do tórax. A etiologia consiste no
fluxo sanguíneo coronário insuficiente, resultando em suprimento diminuído de oxigênio quando existe
uma demanda aumentada de oxigênio do miocárdio em resposta ao esforço físico ou estresse
emocional. Existem alguns tipos de angina. É CORRETO afirmar acerca da angina variante o seguinte:
a) conhecida como angina pura, somente é interrompida após a utilização de soco procordial.
b) também conhecida como angina intratável, presença de dor torácica intensa e incapacitante.
c) também denominada angina pré-infarto, os sintomas aumentam de frequência e de gravidade.
Podem não ser aliviados com o repouso nem com o uso de nitroglicerina.
d) também denominada de angina Prinz-metal, produz dor em repouso, com elevação reversível do
segmento ST; acredita-se que seja causada por vasospasmo da artéria coronária.
e) presença de dor previsível e consistente que ocorre ao esforço, mas que é aliviada pelo repouso e/ou
pelo uso de nitroglicerina.

4. (Residência Multiprofissional/USP/2019) Durante a avaliação de dor torácica apresentada por um


paciente, pode‐se afirmar que a dor é provocada pela Angina de peito quando essa dor:
a) é subesternal ou retroesternal, alastrando‐se através do tórax, com duração entre 5 e 15 minutos.
b) é intensa e aguda ou localizada à esquerda do esterno, com duração intermitente.
c) é subesternal ou sobre o precórdio, podendo disseminar-se amplamente pelo tórax, com duração
superior a 15 minutos.
d) surge da porção superior do abdome e o paciente consegue localizá‐la, com duração superior a 30
minutos.
e) é subesternal, com duração entre 5 a 60 minutos.

5. (Residência Multiprofissional/UFPE/2019) Acerca das enfermidades cardiovasculares, é correto


afirmar:
a) no tratamento da angina estável, são usados os betabloqueadores: eles reduzem a contratilidade
miocárdica, aumentam a frequência cardíaca e a pressão arterial, diminuindo, assim, o consumo de
oxigênio pelo miocárdio.
b) A angina estável é caracterizada por precordialgia típica, que é provocada por estresse emocional ou
esforço físico. É aliviada com o uso de nitrato sublingual ou repouso, e dura geralmente de 2 a 5
minutos.
c) Nenhum paciente com angina estável confirmada deve fazer ecocardiograma para mensurar a função
do ventrículo esquerdo nem teste provocativo de isquemia.

www.romulopassos.com.br 44
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

d) o ECG de repouso não é indicado no início da investigação, contudo ele afasta o diagnóstico, já que se
encontra alterado em mais de 50%.
e) os testes não invasivos constituem os mais seguros e eficazes, são eles: coronariografia, angiografia
quantitativa e ultrassonografia intravascular.

6. (Residência Multiprofissional/UFC/2019) Em um atendimento de emergência, um paciente dá


entrada com dor torácica difusa, com irradiação para o pescoço e braço esquerdo. Após avaliação
clínica, foi diagnosticado com angina estável. Sobre as manifestações clínicas e fatores predisponentes
da angina estável, é correto afirmar:
a) A exposição ao calor pode causar vasodilatação e redução da pressão arterial, favorecendo o evento.
b) A ingestão de uma refeição pesada pode reduzir o suprimento sanguíneo para o músculo cardíaco,
precipitando o evento.
c) Corresponde a dor previsível e consistente que ocorre ao esforço, não sendo aliviada pelo repouso
e/ou pelo uso de nitroglicerina.
d) O paciente com diabetes pode ter a dor anginosa intensificada pela neuropatia diabética, que
aumenta a transmissão dos nociceptores e a percepção da dor.

7. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2020) Paciente é admitido em Unidade de Pronto


Atendimento com queixa de angina. Após a anamnese, exame físico e definição do diagnóstico de
Enfermagem foi estabelecido pela equipe de Enfermagem a necessidade de cuidados cardíacos em fase
aguda de acordo com o "Nursing Interventions Classification" (NIC). Assinale a opção que apresenta
corretamente atividades da Intervenção: Cuidados cardíacos em fase aguda:
a) Avaliar a dor no peito; Monitorar o ritmo e a frequência cardíacos; Encorajar expectativas realistas
para o paciente e a família.
b) Avaliar a dor no peito; Oferecer formas imediatas e contínuas de chamar o enfermeiro; Monitorar o
ritmo e a frequência cardíacos.
c) Monitorar a tolerância do paciente à atividade; Avaliar a dor no peito; Orientar o paciente e a família
sobre os cuidados de acompanhamento.
d) Orientar o paciente e a família sobre os cuidados de acompanhamento; Encorajar expectativas
realistas para o paciente e a família; Avaliar a dor no peito.

8. (Prefeitura de Suzano-SP/VUNESP/2019) M.R., sexo masculino, 78 anos de idade, tem tido crises
frequentes de angina pectoris, e, junto com familiares, é orientado sobre cuidados para a prevenção
destas. Entre os cuidados, ele deverá
a) alternar as atividades diárias com períodos de repouso.
b) fracionar as alimentações em maiores porções e menor frequência.
c) ingerir chá verde, preto ou mate nos intervalos das refeições.
d) manter-se sempre bem agasalhado mesmo em temperaturas amenas.
e) utilizar descongestionantes nasais de rotina para manter as vias aéreas pérvias.

www.romulopassos.com.br 45
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

9. (IF-PE/IF-PE/2019) O SAMU foi chamado para atender uma senhora de 45 anos com desconforto e
opressão precordial. Ao chegar, a equipe do SAMU observou que esse desconforto e opressão eram
causados por uma síndrome clínica seguida de dor pelo fornecimento inadequado de sangue para o
coração, que resulta em uma deficiência de nutrientes e de oxigenação para o miocárdio. O médico
prescreveu antiplaquetárias e nitratos após observar o ECG, que tinha indicação de:
a) endocardite. b) infarto do miocárdio. c) angina pectoris.
d) miocardite. e) gastroenterite.

10. (Residência Multiprofissional-UFRN/COMPERV/2019) doença arterial coronariana (DAC) representa


um grave problema de saúde pública no Brasil. As formas agudas de DAC apresentam alta morbidade e
mortalidade. Para minimizar os desfechos ruins para os pacientes, os enfermeiros deverão reconhecer
as manifestações clínicas da síndrome coronariana aguda, que compreendem:
a) sudorese, náusea, vômitos, dispneia e dor retroesternal que pode irradiar para os ombros, membros
superiores, pescoço e mandíbula.
b) fadiga, inapetência, distensão abdominal e dor torácica que piora com a inspiração e melhora com a
inclinação do tórax para frente.
c) tosse seca, redução do débito urinário, edema de pés e tornozelos e dor torácica, de início súbito, que
se desloca anteroposteriormente.
d) indigestão, epigastralgia, palpitação, desmaio e dor infratorácica que pode irradiar para as escápulas
e regiões cervical, lombar e abdominal.

11. (Prefeitura de Unaí-MG/COTEC/2019) O infarto do miocárdio, ou ataque cardíaco, acontece quando


um coágulo bloqueia, de forma súbita e intensa, o fluxo sanguíneo para o coração. Sem sangue, a artéria
perde oxigênio e morre. Em 2017, foram notificados 91,8 mil óbitos por infarto no Brasil. São sinais e
sintomas mais característicos de um infarto agudo do miocárdio (IAM):
a) Falta de ar, hipertensão arterial e náuseas.
b) Tontura, sudorese e hipotermia.
c) Azia, constipação e dor no peito.
d) Dor ou desconforto na região peitoral, podendo irradiar para as costas, rosto, braço esquerdo e,
raramente, o braço direito.
e) Torpor, sede e formigamento no braço esquerdo.

12. (UFPE-PE/COVEST-COPSET/2019) Sobre o Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), assinale a alternativa


correta.
a) O IAM apresenta dor torácica constrictiva, com ou sem irradiação para a mandíbula, de forte
intensidade e de início agudo.
b) O diagnóstico do IAM é feito apenas pelo eletrocardiograma.
c) Os principais fatores desencadeantes do IAM, são: embolia gordurosa, hipertensão, Diabetes Mellitus,
leucemia e prótese valvular.
d) O exame laboratorial para avaliação das enzimas só deve ser realizado após 24 horas do início do
evento.
e) Ao ser admitido em uma Unidade de Tratamento Intensivo, o tratamento do paciente é baseado
especificamente na realização do RX e da monitoração do eletrocardiograma - ECG.

www.romulopassos.com.br 46
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

13. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2020) Paciente é admitido em Unidade de Pronto


Atendimento com queixa de angina. Após a anamnese, exame físico e definição do diagnóstico de
Enfermagem foi estabelecido pela equipe de Enfermagem a necessidade de cuidados cardíacos em fase
aguda de acordo com o "Nursing Interventions Classification" (NIC). Assinale a opção que apresenta
corretamente atividades da Intervenção: Cuidados cardíacos em fase aguda:
a) Avaliar a dor no peito; Monitorar o ritmo e a frequência cardíacos; Encorajar expectativas realistas
para o paciente e a família.
b) Avaliar a dor no peito; Oferecer formas imediatas e contínuas de chamar o enfermeiro; Monitorar o
ritmo e a frequência cardíacos.
c) Monitorar a tolerância do paciente à atividade; Avaliar a dor no peito; Orientar o paciente e a família
sobre os cuidados de acompanhamento.
d) Orientar o paciente e a família sobre os cuidados de acompanhamento; Encorajar expectativas
realistas para o paciente e a família; Avaliar a dor no peito.

14. (Residência de Enfermagem/UFJF/2019) No atendimento às urgências é fato que, antes de alcançar


o suporte especializado, muito pode ser feito no sentido de minimizar o sofrimento ou aumentar as
possibilidades de sobrevivência e reduzir sequelas físico-emocionais no momento de crise. Contudo é
fundamental assegurar cuidados apropriados e necessários em todas e quaisquer circunstâncias. No
atendimento à vítima de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM), é INCORRETO afirmar:
a) A conduta no IAM é prosseguir com avaliação primária e secundária investigando no relato da vítima,
história pregressa de coronariopatia.
b) A dor é subesternal aguda e intensa, pode ser sentida no epigástrico e referida ao pescoço, braço e
costas, de duração intermitente e aumentada à inspiração, deglutição, tosse e rotação de ronco.
c) O tratamento clínico é a redução da lesão miocárdica, através do alívio da dor torácica, repouso físico,
minimização da ansiedade e prevenção de complicações.
d) Com a diminuição do fluxo sanguíneo coronariano, o tecido miocárdico é lesado em regiões do
coração que carecem de um suprimento sanguíneo suficiente. Há um desequilíbrio grave entre consumo
e demanda de oxigênio pelo miocárdio, podendo ocasionar aterosclerose, embolia ou trombose.
e) O paciente com diabetes Mellitus pode não sentir dor grave com o IAM, pois a neuropatia que
acompanha a doença interfere com os neurorreceptores, amenizando a sensibilidade à dor.
15. (Residência em Enfermagem/UERJ/2019) A pericardite é uma inflamação do pericárdio que pode
ocorrer no período entre 10 a 60 dias após um infarto agudo do miocárdio (IAM). Assim, ao realizar a
ausculta cardíaca de um paciente que desenvolveu IAM, o enfermeiro deve estar atento ao sinal mais
característico dessa patologia, a fim de identificar:
a) aparecimento de B4.
b) aparecimento de B3.
c) sopro.
d) atrito.

www.romulopassos.com.br 47
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

16. (IFPE/2016) Paciente de 63 anos, sexo masculino, apresenta dor torácica súbita, início agudo,
intensa, irradiando para a região cervical e membro superior esquerdo em toda a sua extensão,
associado a períodos eméticos e sudorese, esta por sua vez, discreta. Relata que seu pai tem
hipertensão e dislipidemia, sendo acometido de acidente vascular encefálico aos 60 anos. Sua mãe tem
colelitíase e diabetes, tratando esta com dieta e insulinoterapia. Ao exame mostrava-se consciente,
orientado, afebril, perfusão periférica lentificada. Dado vital: PA= 70x 35 mmHg. ECG solicitado
mostrava-se compatível com IAM, identificando uma FC de 123 bpm, QRS estreito, havendo uma
relação de onda P para cada complexo QRS em todas as derivações, infradesnivelamento em V1 e V2.
Trinta minutos depois de ter sido assistido, faz fibrilação ventricular e entra em parada
cardiorrespiratória.
A Síndrome Coronariana Aguda (SCA) pode ser dividida em dois grandes grupos: a SCA com
supradesnível de segmento ST (quase sempre um Infarto Agudo do Miocárdio com supradesnível de
segmento ST) e a SCA sem supradesnível de segmento ST (que pode também ser dividida em Angina
Instável e Infarto Agudo do Miocárdio sem supradesnível de segmento ST). Observe as afirmações.
I. O infarto agudo do miocárdio é definido como um evento clínico, causado por isquemia miocárdica, no
qual existe evidência de injúria ou necrose miocárdica.
II. A dor torácica, sendo uma condição obrigatória para o diagnóstico de IAM, apresenta como
característica dor opressiva ou tipo peso, intensa, com irradiação para membro superior esquerdo,
pescoço, dorso ou região do abdômen superior; pode vir associada ou não a sudorese, tonturas e
vômitos.
III. O eletrocardiograma (ECG) é uma ferramenta fundamental para o diagnóstico de uma SCA e deve ser
realizado de forma precoce, dentro dos primeiros 10 minutos de atendimento.
IV. A troponina é o marcador de necrose miocárdica de escolha para o diagnóstico de injúria miocárdica
devido à sua especificidade aumentada e melhor sensibilidade, quando comparada com a creatino-
fosfoquinase isoforma (CK-MB).
V. A angina instável é considerada, quando pacientes apresentam sintomas isquêmicos sugestivos de
uma SCA, sem elevação dos biomarcadores de necrose miocárdica, na presença ou não de alterações
eletrocardiográficas indicativas de isquemia.
Estão CORRETAS:
a) I, II e V. b) II, III e V. c) I, III, IV e V. d) I, II, IV e V.

17. (SES-PE/AOCP/2018) Paciente, 56 anos, sexo masculino, sedentário, obeso, tabagista, diabético e
hipertenso, dá entrada em emergência referindo dor torácica. Eletrocardiograma apresenta novas
ondas Q patológicas. Considerando apenas as informações contidas no caso clínico apresentado,
assinale a alternativa correta.
a) A presença de ondas Q patológicas no ECG caracteriza uma área eletricamente ativa no miocárdio.
b) A presença de ondas Q patológicas no ECG descaracteriza infarto do miocárdio.
c) Na ausência de alterações eletrocardiográficas, o paciente pode receber alta.
d) O RX de tórax deve ser solicitado nos 10 primeiros minutos de atendimento.
e) A presença de novas ondas Q patológicas no ECG caracteriza infarto do miocárdio prévio.

www.romulopassos.com.br 48
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

18. (SES-PE/AOCP/2018) Paciente, sexo feminino, 67 anos, foi encaminhada para o hospital com dor
torácica e recebeu diagnóstico de infarto agudo do miocárdio (IAM). Evoluiu com arritmia 3 horas após a
internação. A respeito da arritmia em casos de IAM, é correto afirmar que:
a) a taquicardia ventricular sustentada não pode evoluir para fibrilação ventricular.
b) a bradiarritmia sinusal é uma complicação comum do IAM de parede inferior e posterior.
c) os eventos não sustentados de taquicardia ventricular estão relacionados a um maior risco de óbito.
d) a taquicardia sinusal tipicamente está associada ao aumento da atividade parassimpática.
e) o flutter atrial é, em geral, sustentado e primário à estimulação parassimpática atrial aumentada.

19. (UFF/COSEAC/2019) Os nitratos ainda são a principal medida terapêutica no tratamento da angina
do peito. A nitroglicerina administrada por via sublingual alivia a dor anginosa em até três minutos,
devendo ser observada a seguinte orientação:
a) esse medicamento deve ser conservado em recipiente escuro e fechado, pois sua ação é alterada na
presença de luz.
b) por ser um medicamento classificado como inibidor de “bomba de prótons”, deve ser administrado
sempre em jejum.
c) ingerir o medicamento com grande quantidade de água para facilitar a absorção.
d) observar efeitos indesejáveis, tais como hipertensão, bradicardia, cefaleia e rubor.
e) para uma ação mais rápida e emergente, deve-se mastigar o comprimido e ingeri-lo com pouco
liquido.

20. (UFF/COSEAC/2019) A nitroglicerina é atualmente a droga de escolha para tratamento da angina de


peito. Quando administrada por via intravenosa, requer:
a) essencialmente, que se pesquise a presença de vitaminas lipossolúveis (A, D, E), pois a nitroglicerina
reduz a absorção dessas substâncias.
b) que se utilize somente kits de administração feitos especificamente para a nitroglicerina, já que os
demais equipos, por serem de plásticos, absorvem a droga.
c) que se observem sinais de cinchonismo e se relate ocorrência de exantema, febre, calafrios, zumbidos
e confusão mental progressiva.
d) administrá-la em bolus, com objetivo de aumentar rapidamente a sua concentração no sangue.
e) controle da infusão pela monitorização dos gases sanguíneos arteriais, já que o objetivo terapêutico
da droga é a conexão gradual da acidose ou a alcalinização sanguínea.
21. (Prefeitura de Boa Vista-RR/SELECON/2020) No infarto agudo do miocárdio (IAM), a intervenção
farmacológica inicial visa a diminuição do consumo de oxigênio (O2) pelo músculo cardíaco. Uma droga,
fortemente indicada no atendimento de emergência, que combate a dor e ajuda na redução no
consumo de O2 é a:
a) morfina.
b) Sinvastatina.
c) nitroglicerina.
e) betabloqueador.

www.romulopassos.com.br 49
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

22. (Prefeitura de Vitória-ES/AOCP/2019) O Infarto Agudo do Miocárdio (IAM) é definido como uma
lesão isquêmica no músculo cardíaco, ou miocárdio, decorrente da interrupção do fluxo sanguíneo em
determinada área do coração. A interrupção do suprimento sanguíneo leva à morte celular e à necrose
miocárdica, caso o fluxo não seja restabelecido em tempo. São medidas iniciais para o tratamento do
paciente com IAM:
a) analgesia, alívio da hipoxemia, ácido acetilsalicílico e clopidogrel.
b) cirurgia de revascularização do miocárdio, alívio da hipoxemia e analgesia.
c) analgesia, alívio da hipoxemia e adrenalina endovenosa a cada 2 minutos.
d) alívio da hipoxemia, hidratação com ringer lactato e adrenalina endovenosa a cada 3 minutos.

23. (Prefeitura de Chuí-RS/FUNDATEC/2018) Durante um atendimento pré-hospitalar, o paciente


apresenta sinais e sintomas típicos de infarto agudo do miocárdio. São recomendações de terapia
medicamentosa durante o manejo inicial, EXCETO:
a) Administração de oxigênio se o paciente apresentar saturação baixa, congestão pulmonar ou
desconforto respiratório.
b) Estatinas.
c) A analgesia deve ser feita de preferência com sulfato de morfina endovenosa.
d) Nitratos.
e) Ácido acetilsalicílico.

24. (Prefeitura de Três Palmeiras-RS/FUNDATEC/2019) A maioria das mortes por Infarto Agudo do
Miocárdio (IAM) ocorre nas primeiras horas de manifestação da doença, sendo 40 a 65% na primeira
hora e, aproximadamente, 80% nas primeiras 24 horas. Em relação ao tratamento de IAM com elevação
do segmento ST, é INCORRETO afirmar que:
a) É indicada administração rotineira de oxigenioterapia em pacientes com saturação de oxigênio <92%,
hipertensão pulmonar ou na presença de desconforto respiratório.
b) O tratamento da dor diminui o consumo de oxigênio pelo miocárdio isquêmico, provocado pela
ativação do sistema nervoso simpático. A analgesia deve ser feita de preferência com sulfato de morfina
endovenosa, exceto para pacientes alérgicos a esse fármaco.
c) Podem ser utilizados medicamentos na formulação sublingual (nitroglicerina, mononitrato de
isossorbida ou dinitrato de isossorbida), para reversão de eventual espasmo e/ou para alívio da dor
anginosa.
d) O clopidogrel, no uso combinado ao AAS e em pacientes que receberam terapia trombolítica inicial,
demonstrou benefício em reduzir eventos cardiovasculares maiores.
e) Recomenda-se iniciar o betabloqueador e titular sua dose para um alvo de 60 batimentos por
minutos.

www.romulopassos.com.br 50
SIMULADO DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA| LISTA DE QUESTÕES

25. (Residência Uni e Multiprofissional/UFC/2019) Um paciente foi submetido a um cateterismo


cardíaco para fins de avaliação das artérias coronárias, da função ventricular e das valvas mitral e
aórtica. Quanto aos cuidados de enfermagem após o cateterismo cardíaco, deve-se:
a) Orientar a manutenção do repouso no leito por pelo menos 72 horas após o procedimento.
b) Realizar o balanço hídrico e o monitoramento da função renal, em virtude do risco de nefropatia
induzida pelo contraste.
c) Monitorar o local de punção/dissecção quanto à presença de sangramento, hematomas e edema,
mantendo o membro fletido nas primeiras horas.
d) Monitorar os pulsos periféricos do membro afetado a cada 15 minutos na primeira hora após o
procedimento, estimulando a mobilização ativa do membro.

26. (Prefeitura de Arapongas-PR/FAFIPA/2020) Considere um paciente internado com diagnóstico de


angina, durante a avaliação de enfermagem ele relata estar com dor torácica, náusea, dormência de
membros superiores e dispneia. Neste momento, o enfermeiro deve:
a) Estimulá-lo a caminhar para aumentar a oxigenação e diminuir o sentimento.
b) Deitá-lo no leito em decúbito dorsal e posicionar a cama em Trendelemburg.
c) Sentá-lo com os pés na escadinha da cama, e orientá-lo a reclinar a cabeça entre as pernas para
melhorar a oxigenação.
d) Colocá-lo em decúbito ventral e deixar a cama em semi-Fowler ou Fowler.
e) Colocá-lo em semi-Fowler, a fim de reduzir as necessidades de oxigênio do miocárdio isquêmico.

www.romulopassos.com.br 51

Você também pode gostar