Você está na página 1de 3

“A BE representa hoje um espaço educativo de transcendental importância

para o processo de ensino aprendizagem. Concebida como um grande centro


de recursos, coloca à disposição de professores e alunos um conjunto muito
variado de recursos necessários aos objectivos da educação do século XXI e
indispensáveis numa escola que deseje oferecer produtos e serviços de
qualidade.” (Rede Bibliotecas Escolares).

Que tipo de conteúdos a BE deve disponibilizar aos seus utilizadores?

Hoje em dia, a biblioteca escolar, em oposição a um espaço de depósito e


arrumação de livros, surge como um centro de aprendizagem, dinâmico e
interactivo, em que as novas tecnologias passam a ter um papel determinante
na gestão e organização de toda informação. Ao mesmo tempo, a Internet
possibilita a criação e publicação de recursos e páginas com os mais variados
conteúdos, fomentando a comunicação e construção do saber de uma forma
digital.
Tendo consciência da proliferação de recursos educativos digitais e da
necessidade de avaliação dos mesmos, penso que os conteúdos com mais
interesse para os utilizadores devem ser reunidos em dois grandes grupos: os
conteúdos já disponibilizados e que vão ao encontro das necessidades da
comunidade educativa, dando respostas ao nível das áreas curriculares e das
literacias da informação, tecnológica e digital e os conteúdos que são
produzidos pelos alunos e professores, de qualidade e interesses relevantes,
passíveis de serem divulgados e partilhados.
Por um melhor conhecimento e selecção dos conteúdos disponibilizados, a BE
deve ter a preocupação e a responsabilidade de os organizar e etiquetar,
segundo alguns itens estabelecidos, que podem passar por uma pequena
descrição do material, os objectivos e interesse da sua utilização, as áreas em
que podem ser aplicados, entre outros.
Em relação à disponibilização dos conteúdos elaborados pelos alunos e
professores, estes devem ser seleccionados e avaliados em colaboração com
a BE e posteriormente arrumados segundo os critérios previamente definidos.

Como institucionalizar uma prática de avaliação de recursos na BE?


Na minha opinião esta questão encontra-se directamente relacionada com a
anterior, na medida em que para seleccionar conteúdos é necessário recorrer a
uma prática continuada da sua avaliação. Para a institucionalização desta
prática de avaliação de RED deve o professor bibliotecário trabalhar
colaborativamente com os docentes. Os mais sensíveis a estas questões,
devem ser capazes de fazer a selecção dos recursos mais adequados dentro
da sua área e de desenvolver esta competência entre os alunos. A avaliação
de RED deve ser compreendida, reflectida e entendidos os seus pressupostos
em contexto de formação de utilizadores.

Como podemos envolver os utilizadores na produção/avaliação de


conteúdos?

Podemos envolver os utilizadores na produção/avaliação de conteúdos


recorrendo à formação de utilizadores, em contexto prático, através de
pequenos trabalhos de projecto, proporcionando guiões de construção,
utilização e avaliação de diferentes recursos.

Que desafios se colocam às BE na gestão das contribuições dos


utilizadores?

Penso que o principal desafio prende-se, essencialmente, com a necessidade


de avaliar e seleccionar as contribuições dos utilizadores, segundo critérios
bem definidos, para que estas possam posteriormente ser disponibilizadas para
todos.

De que forma a BE pode promover o trabalho colaborativo baseado em


recursos?

A utilização das redes sociais em contexto educativo, nomeadamente na BE é


um bom exemplo de como o trabalho colaborativo pode ser promovido. As
redes sociais proporcionam o contacto de pessoas com os mesmos interesses,
partilhando-os e desenvolvendo conhecimentos através das mesmas. As wikis
e, mais recentemente, o Google Docs por exemplo, são recursos que permitem
a edição colaborativa de documentos. Qualquer pessoa pode acrescentar,
editar ou mesmo apagar conteúdos, ainda que estes tenham sido criados por
outros utilizadores.