Você está na página 1de 9

Universidade Estácio de Sá

Curso de Farmácia

Disciplina: FIS. QUIM. EXPERIMENTAL

Professora: Denise Cunha

Alunos: Bianca Barbosa

Silvia Faria

Josiane Freire

Rafael Câmara

CINÉTICA QUÍMICA

Rio de Janeiro – RJ

2009
2

Introdução

A Cinética Química é uma ciência que estuda a velocidade das reações químicas e os fatores
que a influenciam. A velocidade da reação recebe geralmente o nome de taxa de reação. A
taxa de reação está relacionada com as concentrações dos reagentes, o estado particular dos
reagentes (estado físico, estado nascente dos gases, estado cristalino ou amorfo dos sólidos,
do fato dos reagentes estarem ou não em solução e neste caso a natureza do solvente irá influir
na velocidade da reação), a temperatura, a eletricidade, a luz, a pressão, a presença de
catalisadores e dos produtos de reacção.
Sua importância é muito ampla, já que se relaciona com temas como, por exemplo, a rapidez
com que um medicamento atua no organismo ou com problemas industriais, tais como a
descoberta de catalisadores para acelerar a síntese de algum produto novo.

Fatores que influenciam na velocidade da reação:


• Temperatura
Temperatura: Grau de agitação das partículas que aumenta a probabilidade de colisões.
Com o aumento da temperatura, também aumenta o número de moléculas com energia igual
ou superior a energia de ativação. Havendo mais moléculas com energia maior ou igual a de
ativação, aumenta a velocidade da reação. Com o aumento da temperatura, as moléculas se
agitam mais, fazendo com que a probabilidade de colisões efetivas aumente. Assim, a
velocidade da reação aumenta. Alimentos na geladeira por exemplo : leite ovos, carnes e
etc,demoram muito mais para estragar do que no ambiente. Isso porque as reações químicas
feitas pelos microorganismos decompositores são retardadas pela temperatura baixa.
Há uma regra que foi formulada no século XIX pelo holandês Jacobus Henricus van't Hoff
que diz que um aumento de 10 graus célsius na temperatura do sistema que irá reagir
duplica a velocidade da reação. Hoje sabe-se que essa regra apresenta várias exceções, mas
ela é muitas vezes útil para se fazerem previsões aproximadas do comportamento da
velocidade de certas reações. Ela é conhecida como Regra de Van't Hoff.
• Superfície de contato
Se numa reação atuam reagentes em distintas fases, o aumento da superfície de contato entre
eles aumenta a velocidade das reações. Considerando, por exemplo, uma reação entre uma
substância sólida e uma líquida, quanto mais reduzida a pó estiver a substância sólida, maior é
a superfície de contacto entre as partículas de ambas as substâncias e portanto, maior é a
possibilidade de essas partículas colidirem umas com as outras.
• Presença de um catalisador
Os catalisadores aumentam a velocidade de uma reação química, mas não participam da
formação dos produtos, sendo completamente regenerados no final. Atuam ao promover rotas
de reação com menor energia de ativação. O catalisador acelera a reação, pois diminui a
energia de ativação das moléculas, mas não participa da reação, ou seja, não ocorre nenhuma
mudança nos elementos químicos da reação, e o catalisador continua intacto.

• Concentração dos reagentes


2

O aumento da concentração dos reagentes promove o aumento do número de colisões entre as


moléculas. Isso faz com que a probabilidade de colisões efetivas acontecerem para a formação
do complexo ativado seja maior.
• Pressão
Com o aumento da pressão, aumenta a probabilidade de ocorrerem colisões efetivas. E,
conseqüentemente, aumenta a velocidade da reação.
Notar que a pressão só influencia quando tiver pelo menos uma substância gasosa como
reagente, um aumento de pressão num sistema em reação implica um contato maior entre os
reagente, pois o volume do sistema diminui, desse modo, haverá um numero maior de
partículas reagentes por unidade de volume ( a concentração aumenta), o que possibilita um
maior número de colisões entre as partículas. Consequentemente a velocidade da reação se
torna maior. O efeito da pressão é considerável apenas quando substâncias na fase de
agregação gasosa participam da reação.

Objetivo

Determinar a lei da velocidade da reação, bem como o valor da reação K (constante da


velocidade da reação). Para esta determinação, será mantida constante a concentração de
ácido clorídrico, variando-se gradativamente a concentração do íon tio sulfato, e medindo-se,
o tempo necessário para a reação ocorrer. Serão feitas 5 determinações (Na2S2O3/HCl)
seguindo-se a metodologia teórica e posterior tratamento dos dados e construção do gráfico.

Materiais e Reagentes

Materiais utilizados:

- 10 erlenmeyers 125 mL
- 2 Pipetas de 5 mL
- 2 Provetas de 100 mL

Reagentes:

- Tio sulfato de sódio 0,15 mol/L


- Ácido clorídrico 3,0 mol/L

Procedimento experimental

Foram arrumados 10 erlenmeyers de 125 mL sobre a bancada onde os mesmos foram


identificados com uma numeração de 1 a 5 (tio sulfato/ ácido clorídrico). Colocou-se uma
folha de papel branco com um “x” desenhado embaixo de cada erlenmeyer e adicionou-se
neles os volumes de água e de tio sulfato/ácido clorídrico, determinados pela tabela 1 e 3
abaixo. Ao primeiro erlenmeyer, adicionou-se, com agitação, 5 ml da solução de ácido
2

clorídrico/ tio sulfato e imediatamente acionou-se o cronômetro que foi parado quando a
turvação se tornou intensa a ponto de não visualizar mais o “x”, registrando-se o tempo.

Preencheu-se a tabela com esse valor e repetiu-se o mesmo procedimento com os outros 9
erlenmeyers, anotando-se o tempo em cada um deles. Anotou-se os valores de todas as
experiências para posterior cálculo dos dados e construção do gráfico.

Resultados e discussão

Reação: Na2S2O3 + HCl Produtos

Mantendo-se fixa a concentração de acido clorídrico.


Podemos escrever a lei da velocidade para esta reação de uma maneira genérica como:

d [Na2S2O3] = k [Na2S2O3]n [HCl]m


dt

Como a concentração do acido clorídrico permaneceu constante, podemos escrever a


expressão acima como:
d [Na2S2O3] = k’ [Na2S2O3]n
dt

Chamando a taxa de desaparecimento do Na2S2O3 de VNa2S2O3 , a expressão acima se torna:


V Na2S2O3 = k’ [Na2S2O3]n

Aplicando o logaritmo neperiano a esta expressão teremos:


ln V Na2S2O3 = ln k’ + n ln [Na2S2O3]

A taxa de desaparecimento foi calculada dividindo-se a concentração do tio sulfato/ ácido


clorídrico pelo tempo determinado em cada medida. Da mesma forma a concentração do tio
sulfato/ácido clorídrico foi rapidamente calculada. A partir desses cálculos fizemos um
gráfico relacionando o logaritmo neperiano da concentração do tio sulfato/ácido clorídrico. A
partir desses cálculos fazemos um gráfico relacionando o logaritmo neperiano da taxa com o
2

logaritmo neperiano da concentração do tio sulfato/ ácido clorídrico. O coeficiente angular


dessa reta nos dará a ordem da reação.

Cálculos 1:
As concentrações de tio sulfato de sódio foram calculadas através da fórmula:

V1 x C1 = V2 x C2

Erlenmeyer 1
V1 x C1 = V2x C2 V1= 0,125 mol L-1 /26 s
25 x 0,15 = 30 x C2 V1 = 4,81 x 10 –3 mol L-1 s-1
C2 = 0,125 mol/L

Erlenmeyer 2
V1 x C1 = V2x C2 V2= 0,100 mol L-1 / 31 s
20 x 0,15 = 30 x C2 V2 = 3,22 x 10 –3 mol L-1 s-1
C2= 0,100 mol/L

Erlenmeyer 3
V1 x C1 = V2x C2 V3= 0,075 mol L-1 / 44 s
15 x 0,15 = 30 x C2 V3 =1,70 x 10 –3 mol L-1 s-1
C2 = 0,075 mol/L

Erlenmeyer 4
V1 x C1 = V2x C2 V4= 0,050 mol L-1 / 70 s
10 x 0,15 = 30 x C2 V4 = 7,14 x 10-4 mol L-1 s-1
C2 = 0,050 mol/L

Erlenmeyer 5
V1 x C1 = V2x C2 V5= 0,025 mol L-1 / 160 s
5 x 0,15 = 30 x C2 V5 =1,56 x 10 –4 mol L-1 s-1
C2= 0,025 mol/L

Tabela 1:
2

Volume de Volume Volume


[Na2S2O3] Tempo
Erlenmayer Na2S2O3 de água de HCl
(mol/L) (s)
(mL) (mL) (mL)
1 25 0 5 0,125 26
2 20 5 5 0,100 31
3 15 10 5 0,075 44
4 10 15 5 0,050 70
5 5 20 5 0,025 160

Tabela 2:
Velocidade da reação (mol L-1 s-1 ) ln V (* -1) ln [Na2S2O3 ] (* -1)
–3 -1 -1
4,81 x 10 mol L s 5,34 2,07
3,22 x 10 –3 mol L-1 s-1 5,74 2,30
1,70 x 10 –3 mol L-1 s-1 6,38 2,59
7,14 x 10-4 mol L-1 s-1 7,24 2,99
1,56 x 10–4 mol L-1 s-1 8,76 3,68

Baseado no logarítimo das concentrações e do logaritmo dos volumes, construiremos o


gráfico, onde o coeficiente angular da reta nos dará a ordem da reação.

Cálculos 2:
As concentrações de ácido clorídrico de sódio foram calculadas através da fórmula:
1

V1 x C1 = V2 x C2

Erlenmeyer 1
V1 x C1 = V2x C2 V1= 2,5 mol L-1 /139,8 s
25 x 3 = 30 x C2 V1 = 1,79 x 10-2 mol L-1 s-1
C2 = 2,5 mol/L

Erlenmeyer 2
V1 x C1 = V2x C2 V2= 2 mol L-1 / 141,6 s
20 x 3= 30 x C2 V2 = 1,41 x 10-2 mol L-1 s-1
C2= 2,0 mol/L

Erlenmeyer 3
V1 x C1 = V2x C2 V3= 1,5 mol L-1 / 150,6 s
15 x 3 = 30 x C2 V3 =9,96 x 10-3 mol L-1 s-1
C2 = 1,5 mol/L

Erlenmeyer 4
V1 x C1 = V2x C2 V4= 1 mol L-1 / 155,4 s
10 x 3 = 30 x C2 V4 = 6,44 x 10-3 mol L-1 s-1
C2 = 1,0 mol/L

Erlenmeyer 5
V1 x C1 = V2x C2 V5= 0,5 mol L-1 / 213 s
5 x 3 = 30 x C2 V5 =2,35 x 10 –3 mol L-1 s-1
C2= 0,5 mol/L

Tabela 3:
1

Volume
Volume de Volume
de [HCl] Tempo
Erlenmayer HCl de água
Na2S2O3 (mol/L) (s)
(mL) (mL)
(mL)
1 25 0 5 2,5 139,8
2 20 5 5 2,0 141,6
3 15 10 5 1,5 150,6
4 10 15 5 1,0 155,4
5 5 20 5 0,5 213,0

Tabela 4:
Velocidade da reação (mol L-1 s-1 ) ln V (* -1) ln [HCl ] (* -1)
–2 -1 -1
1,79 x 10 mol L s 4,02 0,91
1,41 x 10 –2 mol L-1 s-1 4,47 0,69
9,96 x 10 –3 mol L-1 s-1 4,61 0,41
6,44 x 10-3 mol L-1 s-1 5,04 0,0
2,35 x 10–3 mol L-1 s-1 6,05 0,69

Baseado no logarítimo das concentrações e do logaritmo dos volumes, construiremos o


gráfico, onde o coeficiente angular da reta nos dará a ordem da reação.

Através da reta descrita no gráfico podemos determinar o valor de m (ordem de reação


em relação ao reagente A). Como o coeficiente angular do gráfico do tio sulfato é 2,1442 e
este valor é próximo de 2, logo a reação é de 2ª ordem. Já o coeficiente angular do gráfico do
ácido clorídrico é - 0,521, logo este valor é próximo de 0, então pode-se dizer que a reação é
de ordem 0.

Conclusão

Após o estudo do gráfico e análise da equação da reta, podemos concluir que a ordem da
reação é referente à uma reação de 2a ordem e ordem 0.
3

Referências Bibliográficas

Atkins, P.W. (2003) Físico-Química. 6. ed. vol. I, Rio de Janeiro: Editora LTC.
WIKIPÉDIA. Desenvolvido pela Wikimedia Foundation. Apresenta conteúdo
enciclopédico. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/cinetica_quimica.