Você está na página 1de 35

Cinematografia

Trabalho Realizado por Sofia Lacerda


Indíce de Conteúdos

• Cinematografia:
• Pré-Cinema e Definição de Cinematografia;

• Fotografia e Cinema.

• A Câmara e o Projector:
• Captação da Imagem: Arrastamento e Exposição;

• Números-F.

• Fotometria;
• Formatos de Imagem: 16, 35 e 70mm
• Emulsão:
• Constituentes da película;

• Processo de Revelação e Efeitos de Alteração da Imagem em Laboratório.


Cinematografia

• Pré-Cinema:
• Câmara Obscura
• Lanterna Mágica
• Irmãos Lumiére:
• Cinematógrafo: fotografia
(película) com dimensão
cinética.

• Sucessão de fotogramas
com diferenças pequenas
projectados a velocidade
suficiente para que haja
sensação de movimento.
Fotografia e Cinema

• Diminuição dos tempos de exposição

• Invenção da película (suporte flexível e transparente)

Condições para o desenvolvimento do Cinema


Persistência Retiniana

• Impressão visual permanece por alguns milésimos de segundo


depois do estímulo visual desaparecer:

• Nova imagem “impressa” na retina antes que a impressão da


imagem anterior estivesse desvanecido completamente

• Dissolvem-se uma na outra, criando a ilusão de movimento


contínuo.
Persistência da
Visão
• Persistência Retiniana

• Efeito-Phi

• Se dois estímulos são expostos aos


olhos em diferentes posições, um após o
http://www.deviantart.com
outro e com pequenos intervalos de
A experiência cinematográfica deve-se à persistência
da visão e ao relacionamento que o cérebro faz entre
duas imagens semelhantes quando as vê em sequência
rápida.
A Câmara e o Projector

• Parte Óptica: Objectiva

• Parte Mecânica: assegura o arrasto intermitente do filme a uma


velocidade de 24 imagens por segundo.
Arrastamento e Exposição

• Para conseguir 24 i/s é impossível fazer o arrasto manual de um


instantâneo para o seguinte.

• Para fazer a captação da imagem cinematográfica:

• Puxar o filme e imobilizá-lo;

• Captar a imagem e tapar novamente o filme (obturação);

• Descê-lo uma perfuração, substituindo assim o fotograma exposto pelo


seguinte.

Obturador e Mecanismos de Griffes


http://en.wikipedia.org/wiki/File:Moviecam_schematic_animation.gif
1.O pressor e a contra-griffe (que fixam o filme)
imobilizam a película. Quando o fotograma está parado
o obturador está aberto, permitindo a exposição da
imagem (imagem 1)

2.A luz é bloqueada - as griffes puxam o próximo


fotograma:

•inserem-se nas perfurações da película e


arrastam-na até o fotograma seguinte estar colocado
frente à janela de exposição.

Arrastamento e Exposição
Exposição

• Dependendo da luminosidade, a alteração do tempo de exposição de


um frame deve ser compensada com uma maior ou menor abertura
do diafragma.

• Velocidade de exposição padrão: 24 frames por segundo, e o


obturador 180º:

• Imagem exposta metade do tempo - 1/48

• Arredondado para 1/50 de segundo.


Exposição

• Tempo de exposição 1/50s a uma velocidade de arrastamento de 24


frames por segundo

• Duplicar a velocidade (48 frames por segundo): o tempo de exposição -


metade (1/100s)

um ponto no diafragma.
Números T

• Número-f: divisão da distância focal de uma lente pela abertura


efectiva (luz que passa através do diafragma);

• Absolutamente geométrico - sem prever a absorção de alguma


porção de luz que acontece quando esta passa através da lente;

• Cinema - Números-T (T-transmissão).


Números-T

• É igual ao número-f dividido


pela raiz quadrada da
transmissão (assumindo
que a abertura é circular);

http://www.cinematechnic.com/images/zeiss/1,2~50mm_Mk3_S16.jpg
Fotometria

= Sensibilidade
Diferentes
= Abertura condições de
iluminação
= Velocidade

http://www.teamworkphoto.com/images/
sekonic/758d.jpg
Fotometria

• Funciona como uma máquina de


calcular, mas traduzindo a luz em
índices de exposição.

• Selénio ou silicone;

• Usam sensores foto-voltaicos,


gerando energia de acordo com
de luz.

• Os impulsos eléctricos são


traduzidos numa escala,
geralmente em lux, convertida
em valores de tempo de exposição
e diafragma segundo a
sensibilidade do filme. O valor
dado pelo fotómetro é o ponto em
que a luz medida será traduzida
no filme como cinzento médio.
Tipos de Fotómetro

• Luz Incidente: luz que incide sobre o assunto.

• Luz Reflectida: luz reflectida pelo motivo; dois tipos:

• Spot Meter: pontos específicos de luz reflectida;

• Luz Geral: luz reflectida geral do assunto.


Fotometria
Formatos de Imagem
Formatos de Imagem

• Formato = área útil de impressão


num negativo:

• Divisão da altura sobre a largura


do rectângulo onde é impressa a
imagem.


http://www.mnemocine.com.br
Ainda em uso:

• Super-8;

• 16mm;

• 35mm;

• 70mm.
Formatos de
Imagem
• Um negativo pode conter
diversos formatos
• Depende da janela usada na
captação ou projecção da
imagem. (Sempre formatos
definidos pela indústria);
• As janelas têm “designações”
- proporções e não a medidas
específicas. E.g.: http://www.mnemocine.com.br

•16:9 é a razão entre a altura e a largura


de determinado fotograma.
16mm
• Criada como formato amador:
substituída pelo Super-8;
• Sobreviveu devido à
Televisão: registo do sinal
electróico (emissões que não
fossem feitas ao vivo).
• Mais barato que 16mm;
• Formato adequado ao da TV (4:3);
• Gravação de Som Magnético; http://www.mnemocine.com.br

• Indústria Publicitária;

• A área do lado direito da


película (não há imagem) é
destinada à inclusão do som.
35mm
• Em 35mm é possível a utilização
de quase todos os formatos
disponíveis no mercado,desde o
full-screen 4:3 (TV) até os
panorâmicos 1:2,35 do
Cinemascope.
• Full Screen 1:1,33 – Formato Mudo
(utilizado TV)
• 1:1,37 - Formato Académico
• 1:1,66
• 1:1,78 (próx. 16:9 – formato para TV
WideScreen)
• 1:1,85
http://www.mnemocine.com.br
• 1:2,2 (anamórfico)
• 1:2,35 ou 2,40 (anamórfico ou
Super35)
70mm
• Década de 20 - posto de lado;
Bandas Sonoras Magnéticas
• Década de 50 - TV comercial
ameaça o Cinema;

• 70mm - irreprodúzivel
(qualidade imagem e som)
• Dobro do tamanho 35mm;
• Entre 3 e 4 vezes área útil 35mm;
• Riqueza de detalhes e possibilidade de
ampliações;
• Som magnético quadrifónico;

“Ben Hur”, “2001 Odisseia no Espaço”


Formatos Especiais:

• Lente Anamórfica: lente adicional que capta um formato maior que


a proporçâo possível do negativo:

• Captação: Distorce a imagem alongando-a verticalmente


(formato 4:3)

• Projecção: Inverso - alongamento lateral.

2,20:1 - próximo 70mm

Surgiram depois o Techniscope e o


Panavision (lentes anamórficas) e
VistaVision (formato na horizontal)
http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b5/
Anamorphose_cinemascope_desert_sens_defilement.jpeg

CinemaScope (1953-67)
Super-formatos:
• Na captação o fotograma
cobre a área destinada à
banda sonora
• São reduzidas ou ampliadas
na cópia final poder haver
espaço para o som.

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/
commons/a/aa/16mm_and_super16.png
Emulsão
Emulsão

• Mesmo principio da fotografia:


• Halogenetos de prata fotosensíveis;

• Mesmas propriedades.

• Fabrico diferente.

• Cópia em transparência;
• Tamanho da ampliação (projecção) exige:
• Maior contraste;

• Menor grão.

• Até aos anos 80 - Sensibilidades menores que 200 ISO.


Emulsão
• Na emulsão fotográfica tradicional
• Uma camada por cor: sensibilidade do filme é determinada pelo
tamanho dos grãos;

• Emulsão cinematográfica - camada


subdividida:
• superior de grão maior - mais sensível;
• em baixo desta - grãos médios e menores - menos
sensível.

• Sensibilidade: distribuição das


quantidades de grão em cada camada.
http://www.mnemocine.com.br
• Mais sensíveis: camadas com mais grão (maior)
• Mais lento: menor grão, mais pequeno

Pouca granulação visível


Processamento
• Reveladas de maneira semelhante ao filme fotográfico colorido,
em função das suas características específicas (camadas,
contraste...)

http://www.mnemocine.com.br
Processamento

• Os banhos são assim designados:

1. Prebath – Camada anti-halo passível de ser removida.


2. Rem-Jet Removal – Camada anti-halo removida.
3. Developer – Revelador. Reduz a prata exposta nas camadas sensíveis
oxidando-a, processo que produz a imagem através do acoplamento da
prata com a camada cromógena - obtenção da imagem dos pigmentos de
grãos cromáticos.
4. Stop – Pára a revelação e lava o agente revelador;
5. Wash - Lavagem – Remove o excesso de ácido do Stop. O filme pode ser
exposto à luz.
6. Bleach - Braqueamento. Transforma a prata metálica reduzida em
haleto de prata que ser removido pelo fixador.
Processos de Alteração de Imagem em
Laboratório:

• Push Process: Sub-exposição, sobre-revelação.

• Acentuação do contraste e granulação mais acentuada.

• Pull Process: Sobre-exposição, sub-revelação.

• Maior quantidade de meios tons e contraste suavizado.

• Bleach Bypass (Bleach Skip ou Silver Retention): Não


branquear o filme. Mantém os grãos de prata acoplados ao
pigmento cromogéneo.

• Saturação das cores primárias e des-saturação dos meios-tons.


Bibliografia
• http://en.wikipedia.org/wiki/History_of_film

• http://en.wikipedia.org/wiki/Precursors_of_film

• http://www.precinemahistory.net/1895.html

• http://users.telenet.be/thomasweynants/
toy.magic.lantern.html

• http://thebrain.mcgill.ca/flash/a/a_02/a_02_s/a_02_s_vis/
a_02_s_vis.html

• http://en.wikipedia.org/wiki/Film_stock

• http://www.howstuffworks.com/camera.htm

• http://en.wikipedia.org/wiki/Cinematography#Lens

• http://www.zeiss.com/cine

• http://www.idigitalphoto.com/dictionary/T-number

• http://photonotes.org/cgi-bin/photo-entry.pl?id=Tstop

• http://vejaessesom.blogspot.com/2009/09/persistencia-
retiniana-e-efeito-phi_03.html