Você está na página 1de 4

ANEXO AO CONS.PRE.

02/11
Organização Sri Sathya Sai do Brasil
www.sathyasai.org.br

Palestra de Narendranath Reddy, 21/11/2010

Sarva roopa dharam shantam


Sarva nama dharam shivam.
Sath, chith, anandam advaitam
Sathyam, shivam, sundaram.

Com amor, reverência e gratidão, eu me ofereço aos divinos pés de lótus de nosso queridíssimo, o mais
terno, amoroso e mais belo Senhor, Bhagavan Sri Sathya Sai Baba.

Distintos convidados, respeitáveis anciãos, caras irmãs, caros irmãos e delegados, saudações de amorosos
Sai Rams a todos vocês nesta auspiciosa ocasião das celebrações do 85º aniversário de Bhagavan Sri Sathya Sai
Baba.

Antes de mais nada, desejo expressar gratidão a Bhagavan por me dar esta oportunidade de compartilhar
com vocês a Sua universal e eterna mensagem e Seu puro, abnegado, incondicional e divino amor. Sou grato a
Bhagavan por nos guiar em cada etapa desta Conferência Mundial. Ele escolheu as datas. Ele providenciou para nós
este bonito local, o auditório Poornachandra, que é vizinho ao Yajur Mandir, a divina Residência, na sagrada terra de
Prasanthi Nilayam. Nós somos imensamente abençoados e afortunados por ter Suas divinas bênçãos e orientações.

As escrituras declararam Yatho vatcho nivartante aprapya manasasaha. Deus está além da compreensão da
mente e da expressão por palavras. A compaixão e o amor de Swami são insondáveis e infinitos. Deus toma conta
até mesmo dos mínimos detalhes. Por exemplo, outro dia eu solicitei que Swami por favor abençoasse os livros,
bolsas e crachás de todos os delegados. Eu mostrei 5 crachás a Swami e Ele perguntou: “Somente 5 pessoas virão
para a conferência?” Chakravarthi Garu veio em meu socorro e disse: “Não, Swami, estas são apenas as amostras.”

Na Gita, Bhagawan Sri Krishna diz que sempre que houver um declínio na prática do dharma, o Senhor
encarna de tempos em tempos. O Senhor, que é onisciente, onipresente e onipotente, aquele sem quaisquer
atributos – sem nome nem forma, que não tem nascimento, nem morte, que é eterno e imutável – toma uma bonita
forma e um nome com os maravilhosos atributos de amor e compaixão pela redenção da humanidade.

Quando os lugares de adoração se tornaram lugares de negócios, o Senhor Jesus mostrou o caminho do
amor, do sacrifício e do perdão. Quando o povo de Bharat (Índia) esqueceu o significado interno das escrituras e
foram arrebatados pelos rituais Védicos e pela realização de sacrifícios de animais, o Senhor Buda guiou a
humanidade em direção ao caminho do amor, da compaixão e da não-violência.

Agora, neste atual mundo materialista, todos nós estamos presos na grande rede mundial, “world wide web”
or “www” — em busca de riqueza, riqueza, riqueza. 1 O misericordioso Senhor Sathya Sai veio para nos emancipar
desta rede que enfeitiça. Swami diz que do mesmo jeito como a Terra gira em torno do Sol, o homem vai atrás do
dinheiro desde o amanhecer até o anoitecer. Como Swami nos mostrou, quando a mesma sigla “www” é remodulada
como “work, worship, and wisdom” (Nota da Tradução: remodulação válida somente em inglês, significando
“trabalho, adoração e sabedoria”), nós estamos livres desta rede. Assim, de sofrimento, tristeza e escravidão
progredimos para alegria, paz e libertação.

Nós somos imensamente abençoados e afortunados por sermos contemporâneos do amoroso Senhor Sai.
Está dito nas escrituras que existem três coisas impossíveis de serem obtidas pelo esforço humano. Somente pela
benevolência divina uma pessoa pode obter estas três coisas: manushyatvam (nascimento humano), mumukshatvam
(desejo de libertação) e mahapurusha samshrayam (contato com um grande mestre).

Manushyatvam — Nascimento humano: Há 8.4 milhões de espécies de seres nesta Terra e o ápice da
criação é o nascimento humano. Este é o primeiro sinal da divina Graça. Somente através do nascimento humano
pode-se alcançar o supremo objetivo da libertação. Mesmo os anjos e seres celestiais anseiam por nascer como
humanos. Assim, nós somos afortunados por ter nascimento humano.

Mumukshatvam — Desejo de libertação: O Segundo sinal da divina graça é ter anseio por Deus. Dentre os
bilhões de pessoas neste planeta Terra somente uns poucos estão interessados em conhecer o supremo propósito
da vida humana. Sri Ramakrishna Paramahamsa disse que as pessoas choram copiosamente por causa de esposa,
filhos, riqueza, nome, fama e poder. Quem chora por Deus? Se nós temos um verdadeiro anseio por Deus, Ele

1
Aqui é feito um jogo de palavras que só tem sentido em inglês: www = a palavra riqueza, em inglês é: wealth. Então, www: wealth wealth wealth
= riqueza, riqueza, riqueza
ANEXO AO CONS.PRE.02/11
Organização Sri Sathya Sai do Brasil
www.sathyasai.org.br

certamente se dará a conhecer para nós. Assim, estamos aqui hoje, como buscadores espirituais à procura do
objetivo da vida humana. Sejamos firmes e focados no caminho para a libertação.

Mahapurusha Samshrayam — Contato com o grande mestre: O terceiro sinal da divina Graça é estar em
contato com grandes mestres. Neste mundo, há dois tipos de professores: bodha gurus e badha gurus. Bodha gurus
são gurus (mestres) genuínos que ensinam a sabedoria verdadeira. Grandes mestres como Sri Ramkrishna
Paramahamsa, Bhagawan Ramana Maharshi e Paramahamsa Yogananda são exemplos de bodha gurus. Badha
gurus não servem para nada. Eles na verdade causam sofrimento. Eles cantam um mantra no ouvido e
imediatamente recolhem dinheiro. É como o cego guiando outro cego. Devido à nossa boa fortuna, temos a sorte de
ter Purushothama, o Próprio Senhor supremo, Bhagawan Sri Sathya Sai Baba, como nosso guru. Ele é o professor
universal, o divino professor, o maior professor dentre todos os professores.

Swami, em Sua infinita compaixão e amor, no dia 17 de maio de 1968, durante a primeira Conferência
Mundial, nos deu vislumbres de Sua Divindade.Ele disse que nós somos mais abençoados e afortunados do que os
sábios, monges e anacoretas de antigamente. Swami disse que nesta forma atual, os nomes e formas de todas as
entidades divinas atribuídas a Deus pelos homens estão manifestas. Nunca sejam enganados pelo aspecto humano
de Bhagavan. Ele é um em todos, todos em um, todos em todos e além de todos.

Quem é Swami? Swami é a encarnação do amor divino. Ele é amor andando sobre duas pernas. Sua vida é
Sua mensagem e Sua mensagem é amor. Swami diz: “Comece o dia com amor, encha o dia com amor e termine o
dia com amor. Este é o caminho para Deus.” Swami também diz: “Deus é Amor, Amor é Deus, viva em Amor.” A vida
de Swami, Sua mensagem, Seus ideais e Seus trabalhos humanitários, tudo pode ser guardado num relicário em
uma única palavra: Amor. Swami diz que a fonte é o amor, o caminho é o amor e o objetivo é o amor. Na verdade,
Seus milagres são as manifestações de Seu amor. Assim como Jesus fez o aleijado andar e o cego enxergar e
ressuscitou os mortos, também Swami realizou inúmeros milagres, e cada um de nós foi testemunha de Seus
milagres.

Deixem-me compartilhar com vocês um milagre que ocorreu esta semana. Um de nossos devotos mais
velhos, que está agora sentado entre nós, passou por uma situação de emergência, necessitando de cirurgia de
emergência no abdômen. Sua condição grave foi confirmada por testes de laboratório, tomografia computadorizada e
ultra-sonografia de abdômen. Eu rezei a Swami e disse: “Swami, seu estado é muito crítico e necessita de cirurgia
imediata.” Swami disse: “Médicos, o que vocês sabem?” Swami é o divino médico. Ele é o Supremo Médico dentre os
médicos. Ele transcende todas as leis da natureza e do tempo.

Vou dizer-lhes, meus amigos, o que aconteceu depois disso. Oh vejam só! No dia seguinte, quando nós
visitamos esse devoto, milagrosamente ele tinha se recuperado pela Graça de Swami. Ele tinha sido curado pelo
nosso bem-amado Bhagavan, o supremo cirurgião dentre os cirurgiões, sem passar por nenhuma cirurgia. Como
somos afortunados, pois Ele está aqui para nos guiar e nos guardar em cada passo.

Por que Ele faz esses milagres? Os milagres são Seus cartões de visita. Swami diz que os milagres são
como mosquitos em cima de um elefante. Milagres, embora despertando admiração e sendo inexplicáveis, são em si
mesmos insignificantes. O propósito destes milagres é direcionado para a nossa transformação espiritual. Swami nos
conta uma bela história para ilustrar a importância da transformação. Swami utiliza estas histórias e parábolas para
explicar as mais elevadas verdades metafísicas das escrituras de um modo simples e prático.

Swami contou que havia um grande Rei que era muito generoso e era conhecido por sua filantropia e
atividades de caridade. Uma vez, um grande escultor veio com 3 estátuas idênticas e queria ser recompensado de
acordo com o valor de cada uma delas.

Um sábio ministro do Rei pegou as estátuas e disse ao Rei que ele iria avaliar o valor de cada estátua. Ele
enfiou um fino arame através da orelha de uma estátua e ele saiu pela outra orelha. Ele disse que esta era a de valor
mais baixo, provavelmente valia $1000.00. Então, ele pegou a próxima estátua e quando colocou o arame através da
orelha, ele saiu pela boca. Ele disse ser esta melhor; ela podia valer $10000.00. Então, ele pegou a última estátua e
colocou o arame através da orelha. O arame ficou dentro e não saiu. Ele disse que esta era a mais valiosa das
estátuas.

Do mesmo modo, Swami diz que existem três tipos de buscadores espirituais. Para alguns, os ensinamentos
entram por um ouvido e saem pelo outro. Eles dizem: “Oh! Que discurso maravilhoso e poderoso Swami fez.” Porém,
quando você lhes pergunta qual foi a importante mensagem de Swami, eles mostram um rosto sem expressão. Eles
são do tipo mais inferior. A segunda categoria consiste de buscadores que escutam atentamente os discursos de
Swami, lembram deles e os repetem em suas falas.
ANEXO AO CONS.PRE.02/11
Organização Sri Sathya Sai do Brasil
www.sathyasai.org.br

Eles dão palestras marcantes e Swami diz que eles são heróis de plataforma e zeros na prática. Mas, o mais
elevado tipo de buscador é como a última estátua. A informação vai do ouvido para as profundezas do interior e
permanece dentro. Tais buscadores espirituais digerem e vivem os ensinamentos. Como diz Swami, a vida deles é a
Sua mensagem. Swami quer que nós ouçamos Seus ensinamentos, ponderemos sobre eles, meditemos sobre eles e
façamos deles uma parte de nossas vidas. Isto é transformação verdadeira. Swami diz que a transformação é mais
importante do que a informação.

Durante a primeira Conferência Mundial realizada em Bombaim em 1968, Swami disse que a melhor maneira
de obter Sua Graça é seguir Seu Preceito divino implicitamente, imediatamente e completamente. Swami tem nos
mostrado o caminho para nossa redenção. Ele diz que seguir Seu Preceito irá beneficiar-nos mais do que todos os
japa, dhyana e austeridades combinados. Assim, precisamos implicitamente seguir Seu Preceito Divino.

Qual é o Seu preceito? Ele se dirige a nós como Divyatma Swaroopalara e Prema Swaroopalara. Isto
significa que devemos compreender a nossa verdadeira identidade como personificações do divino Atma e do amor
divino. Para entender nossa verdadeira natureza, a transformação espiritual é essencial. Existem dois principais
obstáculos para os buscadores espirituais no processo de transformação espiritual, ou seja, ahamkara (ego) e
mamakara (apego) — a atividade de fazedor (ser o autor) e a atividade de apreciar as ações (ser o receptor).

Uma vez, os devotos dos EUA apresentaram uma boa peça, no auditório Poornachandra diante da Presença
divina. A peça foi boa e foi muito bem apreciada. Swami perguntou ao líder do grupo quem era o diretor do drama. O
devoto humildemente disse: "Swami, o Senhor é o diretor do drama". Então Swami perguntou: "E você?" Ele
respondeu: "Eu sou apenas um assistente." Swami disse: "Eu não preciso de um assistente!"

Nunca devemos esquecer que Swami é tudo: Ele é o produtor, Ele é o diretor e Ele é o ator. Por isso não
devemos achar que somos os fazedores.

O falecido Professor Kasturi me contou uma bela história sobre um devoto de Nova Delhi. O devoto pediu a
Swami: "Por favor, venha até minha casa em Nova Delhi." Swami perguntou: "Sua casa!" O devoto compreendeu seu
erro e rapidamente respondeu: "Não, Swami, a nossa casa." Swami disse: "Oh! parceria 50-50" O devoto respondeu:
"Não, Swami, sua casa." Swami, em seguida, fez um gracejo com um sorriso: "Por que você está me convidando
para minha casa?"

Para a superação de ahamkara e mamakara, Swami disse que o caminho mais fácil é o serviço voluntário.
Nós devemos servir com a atitude de que tudo o que fazemos e a quem quer que nós prestemos serviço, estamos
servindo ao Senhor. Então, todo o nosso trabalho e serviço se tornam adoração e uma oferta aos Seus divinos Pés
de Lótus. Quando fazemos o serviço com essa atitude: "Serviço ao homem é serviço a Deus", nossos corações se
tornam puros. Então, nós compreendemos e experienciamos a Divindade. É por isso que Jesus disse: "Bem-
aventurados os puros de coração, porque eles verão Deus".

Se o serviço não é feito com a atitude correta, nosso ego cresce e se torna um obstáculo para o nosso
progresso espiritual. Devemos orar a Bhagavan para abençoar-nos para que possamos fazer o serviço sem ego e
purificar os nossos corações a fim de alcançar nossa meta de auto-realização.

O maior serviço que podemos fazer, de acordo com Swami, é realizar nossa natureza divina. Então,
experienciamos que tudo — cada célula, cada átomo, cada momento — é permeado por Deus; vemos Deus com os
olhos fechados e com os olhos abertos. Swami diz: "Não tente buscar a Deus, mas ver Deus." Todo o Universo é
permeado por Deus. "Sarvam Khalvidam Brahma — tudo é Brahman." Devido à nossa ilusão, engano dos sentidos,
imaginação e ignorância, esquecemos nossa verdadeira identidade e confundimo-nos como sendo o complexo corpo,
mente e intelecto. Assim, tudo o que temos a fazer é remover essa ignorância. Swami diz: "A remoção da imoralidade
é o caminho para a Imortalidade. A remoção da ignorância é o caminho para a iluminação. E remoção de dualidade é
o caminho para a não-dualidade."

Swami conta uma atraente história para nos lembrar de nossa verdadeira natureza. Uma leoa estava
passando por uma floresta. Ela deu à luz a um filhote e morreu. Um pastor avistou o filhote de leão e levou-o sob
seus cuidados e criou-o junto com suas ovelhas. O leão bebê cresceu no meio das ovelhas e comia grama e balia
como as ovelhas. Após alguns anos, outro leão estava passando pelo caminho. Ele ficou surpreso ao ver um leão
entre ovelhas. Este leão arremeteu contra as ovelhas e todas as ovelhas fugiram assustadas. O jovem leão também
fugiu junto com as ovelhas. Finalmente, o leão agarrou o jovem leão, o levou para perto do lago e mostrou-lhe a sua
imagem na água. Ele disse: "Olha, você e eu somos um. Você não é uma ovelha, você é um leão. Não fique balindo
como uma ovelha, mas ruja como um leão.”
ANEXO AO CONS.PRE.02/11
Organização Sri Sathya Sai do Brasil
www.sathyasai.org.br

Quando Swami proclama: "Você e Eu somos um", Ele está nos lembrando de nossa natureza divina. Ele diz,
"Ruja como um leão e diga eu sou divino, eu sou o Atma, eu sou Brahman, Aham Brahmasmi." Swami diz que o título
que devemos obter é Shrunwantu putra amritasya vishway. Ouvi, ó filhos da imortalidade.

Swami nos exorta a afirmar-nos como filhos da imortalidade, Amruthasyaputra. Vamos prestar atenção para o
toque de clarim divino "Jagrata prapyavaran Uthishtata nibodhita —Levante-se, acorde e não pare até que a meta
seja alcançada."

Oro a Bhagavan para abençoar a todos nós com devoção, discernimento, desapego, dedicação e
determinação, para que por Sua graça, nós realizemos a meta, nesta vida mesmo.

Samastha Loka Sukhino Bhavanthu — Que todos os mundos sejam felizes.

Interesses relacionados