Você está na página 1de 28

Profª Isabel Henriques 1

Os cientistas começaram a
formar, no século XIX, uma
tabela do tempo geológico
baseadas:
 unidades cronostratigráficas
da Europa e da América do
Norte;
 litostratigrafia;
 conteúdo fóssil das
diferentes rochas.

Profª Isabel Henriques 2


 Todasas datações efectuadas
eram relativas e baseavam-se nos
princípios estratigráficos já
estudados. Nas primeiras versões
da tabela cronostratigráfica, as
divisões foram estabelecidas com
base na existência de
descontinuidades no registo
geológico, resultantes de
interrupções na sedimentação,
evidenciando alterações profundas
nos paleoambientes.
Profª Isabel Henriques 3
 Asprimeiras
explicações previam
que a formação de
montanhas provocava
uma interrupção da
sedimentação,
formando lacunas no
registo estratigráfico.

Profª Isabel Henriques 4


 Com o desenvolvimento
dos métodos de datação
radiométrica e da
magnetostratigrafia, no
século XX, foi possível
datar com maior
precisão a formação de
muitas das rochas e
atribuir uma idade
absoluta às divisões da
tabela
cronostratigráfica.
Profª Isabel Henriques 5
 Parase caracterizar um conjunto de rochas
é necessário estudar a sua composição
mineralógica e estrutura, e descrever
detalhadamente o conteúdo fossilífero, caso
este exista.

Profª Isabel Henriques 6


 Recorrendo à datação relativa e absoluta
enquadram-se as rochas em estudo com as
referências presentes na coluna estratigráfica.

Profª Isabel Henriques 7


 Diversoscientistas começaram a correlacionar
amostras rochosas e fósseis presentes em
diferentes estratos, tendo iniciado a elaboração
de uma tabela cronostratigráfica global.

Profª Isabel Henriques 8


 Estatabela corresponde a
uma escala de referência,
aceite pela comunidade
científica a nível mundial,
e está em constante
actualização.

Profª Isabel Henriques 9


A tabela cronostratigráfica
permite condensar os
principais acontecimentos da
História da Terra, que assim
ganham um maior significado,
pois são colocados numa
perspectiva de tempo
geológico.
 A tabela cronostratigráfica
surgiu para simplificar a
informação contida nas
diferentes escalas numa tabela.
Profª Isabel Henriques 10
 As escalas foram construídas
devido à necessidade que o
Homem teve em determinar o
tempo em que ocorreram
certos acontecimentos, como
a origem da Terra ou da vida
ou até mesmo a quando da
formação de uma determinada
espécie.

Profª Isabel Henriques 11


 As tabelas crosnostratigráficas
são compostas pela sobreposição
de unidades cronostratigráficas
- correspondem aos volumes de
materiais rochosos
estratificados, processos ou
acontecimentos geológicos que
ocorreram durante um
determinado intervalo de
tempo.
 Inclui o Eonotema, o Eratema, o
Sistema, a Série e o Andar.
Profª Isabel Henriques 12
A organização
sistemática das rochas
em diferentes unidades
cronostratigráficas
permitiu elaborar a
tabela
cronostratigráfica, com
os correspondentes
intervalos do tempo
geológico (unidades
geocronológicas).

Profª Isabel Henriques 13


 Unidades geocronológicas -
Unidades do tempo
geológico durante a qual as
unidades cronostratigráficas
se formaram.
 Inclui o Éon, a Era, o
Período, a Época e a Idade.

Profª Isabel Henriques 14


Cronostratigrafia Geocronológicas

Eontema Eon

Eratema Era

Sistema Período.

Série Época.

Andar Idade

Profª Isabel Henriques 15


Profª Isabel Henriques 16
O Andar é considerado a
unidade básica da
cronostratigrafia e é a
hierarquia mais baixa que
pode ser reconhecida numa
escala cronostratigráfica.
 Esta divisão inclui todas as
rochas formadas numa
idade específica.

Profª Isabel Henriques 17


 Correspondem aos volumes de materiais
rochosos estratificados, processos ou
acontecimentos geológicos que ocorreram
durante um determinado intervalo de tempo.
Unidades Cronoestratigráficas: A unidade
Eontema - unidade cronoetratigráfica representativa
cronostratigráfica com
de um Eon. maior importante é o
Eratema - unidade cronoetratigráfica representativa
de uma Era.
Andar.
Sistema - unidade cronoetratigráfica representativa
de um Período.
Série - unidade cronoetratigráfica representativa de
uma Época.
Andar - unidade cronoetratigráfica representativa de
uma Idade.

Profª Isabel Henriques 18


 Asunidades cronostratigráficas baseam-se nas
escalas Biostratigráficas e
magnetostratigráficas.

Profª Isabel Henriques 19


 O paleomagnetismo foi um
importante apoio para a
teoria da tectónica de
placas.

 Devido ao seu estudo, surgiu


a escala
magnetostratigráfica
importante para datar
alguns acontecimentos que
ocorreram no passado, como
as inversões magnéticas.

Profª Isabel Henriques 20


Esta escala é usada Formando as unidades
como complemento da cronostratigráficas.
escala biostratigrafia.

Unidades concretas e
Completando a tabela
objectivas que podem
cronostratigráfica
ser materializadas.

Profª Isabel Henriques 21


Características:

 Abstractas e de âmbito global.

 Exprimem tempo.

 Caracterizam a totalidade do planeta, num


intervalo de tempo definido.

Profª Isabel Henriques 22


 Estas
unidades baseia-se principalmente na
escala litostratigráfica, dos
acontecimentos tectónicos e metamórficos
que ocorreram no passado.

Profª Isabel Henriques 23


Escala
Escala Biostratigráfica Escala Litostratigráfica
magnetostratigráfica

Profª Isabel Henriques 24


Profª Isabel Henriques 25
 Após a observação da tabela,
podemos concluir que as
unidades cronostratigráficas e
as geocronológicas apresentam
uma relação, ou seja, para cada
unidade cronostratigráfica
existe uma unidade
geocronológica correspondente.
Eonotema – Eon
Eratema – Era
Série – Época
Andar - Idade

Profª Isabel Henriques 26


 Nesta tabela cronostratigráfica,
encontra-se também representado
as glaciações que ocorreram na
terra.

A tabela podia apresentar mais


informação, como por exemplo,
em que períodos ocorreram as
inversões magnéticas.

Profª Isabel Henriques 27


Profª Isabel Henriques

Geologia 12º Ano

Profª Isabel Henriques 28

Você também pode gostar