Você está na página 1de 5

O CONCEITO DE HUB (BUSINESS

DESIGNER)
“Escolha uma posição que você gosta e conheça a maior quantidade de pessoas desse
meio. Troque cartões com todas, tenha um bom conjunto de pessoas que você confia
e você poderá resolver todos os problemas do mundo que aparecerem desse meio.
Você só troca telefone e cliente por comissão. Simples”. – Ícaro de Carvalho

Hub é uma empresa enxuta (podendo ser até mesmo uma única pessoa) focada em
atender e fechar contratos que, a partir do momento em que ela fecha o contrato,
começa a adicionar parceiros.

Quando o projeto chega ao fim ela se desliga desses parceiros e volta a ter o tamanho
original.

Tem suas desvantagens, como por exemplo: um projeto, se fosse internalizado, poderia
custar metade do que o valor pelo que provavelmente sai quando executado nessa
estrutura.

É uma posição que exige mais responsabilidade, mais gerenciamento; normalmente,


mais trabalho e não quer dizer que você receberá a maior parte. Às vezes o executor irá
receber mais do que o Hub, porque o projeto será mais dependente da entrega dele.

E se você não quiser, ou não souber dominar os assuntos que se fazem necessários para
ser o Hub – gerenciamento de pessoas, boas noções de contrato, compreensão do
mercado, bom faro para negócios, etc -, você pode ser o vendedor.

O vendedor pode levar 20% dos projetos que direcionar a uma agência.

As pessoas pensam que precisam se tornar os melhores freelancers do mercado. Não é


isso, basta saber conectar e gerenciar pessoas.

O OCEANO AZUL DA INTERNET


Um business designer é um cara que liga pontes. Ele liga um cliente com demanda a um
prestador de serviço que atenda a essa demanda e fica com uma parte do lucro. Ele é um
vendedor.

A internet é um oceano de possibilidades para conseguir trabalho, logo, você tem


infinitas possibilidades de se perder, errar o caminho e ficar sem foco. Mas, há 4
(quatro) áreas que funcionam como o “serviço público” da internet:

1. Instagram – atualmente a maior rede social;


2. Google – a maior ferramenta de vendas;
3. Infraestrutura – site, e-mail, servidor, disparo, WhatsApp, calendários, etc.
4. Tráfego – propaganda e ads.

Dificilmente as empresas sobrevivem sem esses 4 (quatro) serviços.

Sempre haverá demanda para esses 4 elementos, pois, dificilmente uma empresa
sobreviverá sem eles. Você pode se especializar em um destes ou ocupar uma posição
mais estratégia, chamada de Hub.

São ferramentas de trabalho para milhões de empreendedores que todas empresas


necessitam. Você escolhe um desses temas, se especializa nele e presta serviços nessa
área.

HUB – O MEIO DE CAMPO

É o “meio de campo”, é quem liga clientes à prestadores de serviços, é quem faz a


venda. É isso que o business designer faz. As funções de um business designer são:

Você liga as pontes. Identifica os clientes e faz a ligação dos profissionais que prestam
essas 4 (quatro) claves com esses clientes.

O serviço do Hub é entender a demanda do cliente, entregar para o profissional e


gerenciar o projeto do começo ao fim. O dono do hub precisa:

1. Encontrar clientes;
2. Descobrir suas demandas;
3. Desenhar uma proposta atraente;
4. Fechar o contrato/receber o dinheiro;
5. Acompanhar o projeto do início à entrega;
6. Se responsabilizar por atrasos e troca de profissionais.

É, basicamente, alguém que goste e seja bom com vendas, que conhece bons
profissionais e monta um time para atender as necessidades de empresas e prospectos. É
o cara que cuida dos negócios, ele encontra um cliente, manda a proposta para a equipe,
eles fazem o trabalho e ficam com uma parte da verba. O dono do Hub fica apenas
como um intermediário fazendo as negociações.

Não é o que você sabe fazer, mas sim do que o cliente necessita. Imagine que você pode
prestar qualquer serviço, basta você buscar os profissionais que prestam esses serviços.

A sua oferta para esses profissionais é simples: oferecer algo que crie uma venda maior
ou uma espécie de recorrência.

COMEÇANDO SEU HUB

Abra uma MEI. Contrate um designer para fazer uma marca e uma pequena
apresentação com os tipos de serviços que você que você conecta no seu Hub e vá nas
portas dos grandes comércios.

A oferta é simples: ofereça algo que aumenta as vendas ou uma recorrência.

1. Abra um MEI e mantenha até atingir o limite do faturamento;


2. Contrate um designer para fazer uma marca, montar uma pequena apresentação com
os tipos de serviço que você faz;
3. Imprima isso e saia batendo na porta dos comércios da sua cidade;
4. Cobre um preço baixo por meio de boleto – R$400,00;
a. Consiga 10 empresas e contrate um universitário de propaganda e marketing
para prestar serviço para esses 10 clientes com um salário de até R$1.000,00
e fique com o restante.

Prospecção de clientes
Vá em grupos de negócios no facebook (ONM por exemplo) e se coloque a disposição
para oferecer serviços. O processo é inverso: não é o que você sabe fazer, mas sim o que
o cliente necessita.

Faça parcerias com emissores de tráfego, crie vouchers só para ele e jogue o tráfego
dele na promoção, e a promoção de prestação de serviço é sua.

Para prestar dezenas de serviços, você só precisa encontrar meia dúzia de bons
prestadores de serviços, que você possa acessar quando tiver um cliente precisando do
que ele sabe fazer.

SISTEMA MÍNIMO VIÁVEL PARA A RECEITA PASSIVA

Você precisa de tempo. Ser um Hub, independente de qual área que seja, é comprar
tempo. Você não pode vender seu tempo em troca de um salário, você precisa comprar
seu tempo.

A primeira coisa a ser feita é criar uma fonte alternativa de receita. Você consegue isso
com 1 hora por semana, você consegue fazer isso da mesma maneira que o mundo faz
isso com você e te paga tão pouco.

Você vai encontrar alguém que tenha o mínimo de talento e bom senso, e que seja muito
novo (pois, é mais barato) para comprar o tempo dessa pessoa.

“Você não ganha dinheiro vendendo seu tempo, mas sim comprando seu tempo”. –
Thiago Nigro.

Você precisa de dinheiro rodando

Com isso você ganha tempo para investir em você mesmo, pois um Hub tem um teto – é
provisório –, a não ser que você queira transformar isso em empresa. Mas, essa
estratégia tem um teto que te permite ter receita.

Você tem que vender uma pequena parte do seu tempo por 3 mil reais, pois o restante
você estará investindo no seu aprimoramento.
Pense nesse Hub como: um menino trabalhando; oito, nove, dez clientes atendendo;
você pago 1.000 para ele, entra 3 contos para mim, eu pago o menino, pago o imposto,
sobra dois contos.

Ou você pode virar para esse menino e falar: “Eu vou investir em você, você é meu
sócio. Agora contrata você mais um menino e vamos aumentar a base. Agora você é o
comercial, vai atrás”. Você desenvolve esse menino.

Ou você pode pegar esse dinheiro que você está ganhando dar entrada num carro e botar
um cara para fazer Uber para você.

Você também pode gostar