Você está na página 1de 3

Memória & Estudo Eficaz

Publicado em Leitura Dinâmica & Memorização

Veja os Comentários

A memorização da matéria tem por


base o estudo eficaz o qual segue métodos.
Os métodos que apresentaremos a seguir ajudarão na aprendizagem.
Use os métodos que mais se adaptarem a você, isolados ou vários ao mesmo
tempo.
Boa parte dos métodos, por serem semelhantes ou estarem interligados,
permitem serem trabalhados um ajudando o outro (= sinergia). Entenda
“método” as técnicas, princípios, regras e leis que facilitam a aprendizagem.

1. Método da síntese. Faça resumos pessoais. Ao escrever à sua maneira,


você cria uma situação conhecida e fixa melhor as idéias. Adquira o hábito de
sintetizar o que estudou. Encontre a essência. Resuma o que lê e desenvolverá
também seu português e a forma de se comunicar. Será mais objetivo.
Ganhará tempo. Leia seu texto, sintetize, selecione as palavras-chave e crie
um esquema.

2. Método das palavras – chave. Use palavras-chave para construir uma


cadeia de idéias, de maneira que o tema fique coerente, claro, direto. As
palavras-chave evocam idéias importantes e ao mesmo tempo devem ligar um
bloco ao outro. Cada palavra-chave deve lembrar imediatamente a seguinte.
Elas formam uma espécie de mini texto dentro do texto completo. Forme um
conjunto lógico, facilmente memorizável. Prepare engenhosamente seu texto.
Uma idéia deve puxar a seguinte sem grande esforço. Palavras-chave servem
como carro-chefe para atrair outras mensagens. Você deve escolher as
melhores palavras: curtas, familiares, fáceis de serem entendidas e
pronunciadas.

3. Método da clareza. Escreva com clareza e simplicidade. Defina bem suas


idéias. Quando as palavras não estão bem colocadas ou não entendemos
devidamente o seu significado, a assimilação é deficiente. Pergunte-se sempre:
isto interfere na clareza? Em caso afirmativo, não vacile, elimine o que for
complicado, confuso, duvidoso. Entre duas palavras com o mesmo sentido
escolha a mais simples, porque é mais fácil de ser memorizada. Ex.: entre
procrastinar e adiar, implementar e realizar, fomentar e estimular, otimizar e
melhorar, prefira as palavra grifadas.

4. Método da objetividade ou da economia. Entre duas palavras com o


mesmo sentido escolha a mais curta. Ex.: entre empreender e fazer, escolha a
última. Facilite sua memória. Não complique com palavras longas. Elimine
historietas desnecessárias para não sobrecarregar a memória. Prefira palavras
econômicas em termos de tempo para pronunciá-las e energia para memorizá-
las.

5. Método da familiaridade. Compreenda o significado do que está


memorizando. É mais fácil você fixar uma lista de palavras que conheça o
significado, do que uma que não conheça. Substitua as palavras que não
conhece por aquelas que conhece. Use sinônimos.

6. Método da ordenação. A ordem facilita a memória. Apresente suas idéias


numa ordem lógica: tópico A torna compreensível ou lembra B, B torna
compreensível ou lembra C, e assim por diante. Anote as mensagens
essenciais. Memorize-as numa ordem. Por ordenação entenda seqüência
lógica, gradual, compreensível. Coloque os dados simples precedendo os
complicados, o concreto ao abstrato, o real ao ideal, o conhecido ao
desconhecido. Cada passo deve ser resultado do anterior e preparar o
seguinte. Existe sempre uma primeira coisa a fazer, uma segunda e assim por
diante; cumprindo-se a ordem, a idéias secundárias aparecerão
automaticamente na memória.

7. Método das fichas. Use pequenas fichas compradas em papelaria. Escreva


tópicos – títulos, um em cada ficha. Exemplo: se estiver falando sobre
locomotivas, coloque todas as referências a locomotivas à lenha numa ficha,
numa outra as sobre locomotivas à diesel. Coloque as fichas numa ordem de
importância, a fim de tornar o assunto mais compreensível. O método das
fichas é flexível pois permite acrescentar, eliminar ou alterar facilmente tópicos
e a ordem. Escreva de forma super resumida. Resumos, esquemas, fórmulas e
tudo o que for importante podem ser anotados nas fichas. Fichas de revisão:
habitue-se antes de dormir, nas vésperas de exames, a dar uma olhada nas
fichas.

8. Princípio das imagens / visualização: a informação quando apresentada


sob a forma de imagens (figuras, desenhos, ícones, fotografias) fixa-se melhor
na memória. Conceitos podem ser transformados em imagens. A imagem é a
melhor ferramenta para a memorização. Elas são superiores às palavras. A
memória prefere imagens a palavras. É mais fácil lembrar de um filme do que a
leitura de um livro com o mesmo tema. Crie uma história com cenas
movimentadas sobre o que estuda e fixará melhor a matéria.

9. Lei da nitidez. Duas coisas têm mais probabilidade de serem associadas,


quanto maior for a nitidez com que tenham ocorrido juntas. A memória só
recupera informações que recebe de modo claro.
10. Princípio da recentidade. Lembramos melhor uma coisa mais recente.
Duas coisas têm mais probabilidade de serem associadas, quanto mais
recentemente tenham ocorrido juntas.

11. Lei da freqüência. Duas coisas têm probabilidade de serem associadas,


quanto mais freqüentemente tenham ocorrido juntas. Quanto mais estudamos
mais aprendemos. No entanto mera repetição não garante retenção duradoura.
É indispensável haver aprendizagem ativa. Um número grande de repetições,
feitas mecânica e passivamente, dá menos resultado do que um número menor
e ativo delas