Você está na página 1de 46

Secretaria Municipal de Educação de Sertânia

Guia Pedagógico
2021

Sumário
INTRODUÇÃO...........................................................................................................................4
1. ACOLHIDA AOS ESTUDANTES......................................................................................5
1.1. Sistema de escalonamento: grupos A e B.....................................................................7
1.2. Sobre a priorização do currículo.................................................................................10
1.3. Sobre os registros de aulas e os recursos pedagógicos................................................10
1.4. Dos estudantes que não retornarão às aulas presenciais..............................................11
3. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: ESCALONAMENTO...........................................12
3.1. Horário de funcionamento das escolas – Ensino Híbrido...........................................12
4. AÇÕES PARA A GARANTIA DE APRENDIZAGEM....................................................14
5. BUSCA ATIVA.................................................................................................................15
6. EXEMPLO DE SEQUÊNCIA DE UMA AULA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL I
16
Considerações finais...................................................................................................................28
APÊNDICES..............................................................................................................................30
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

INTRODUÇÃO

A Secretaria Municipal de Educação de Sertânia, por meio deste guia, dispõe de


orientações pedagógicas e de sugestões de ações sanitárias para as escolas da rede municipal
de ensino, a fim de nortear docentes e estudantes no processo de retorno às aulas presenciais,
considerando, por sua vez, o Modelo Híbrido 1 (ora presencial, ora remoto) como um recurso
metodológico que possibilita uma vivência segura e adequada das atividades escolares em
tempos pandêmicos.
No que diz respeito ao retorno seguro das atividades pedagógicas, é uma das nossas
prioridades a organização sistemática da volta às aulas presenciais, uma vez que a pandemia
potencializou um sentimento de caos e de incertezas na perspectiva da educação. Com efeito,
o novo coronavírus propiciou a maior paralização de escolas da história mundial. Conforme
os dados da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a
Cultura –, mais de 1,5 bilhão de alunos ficaram fora da sala de aula em virtude do isolamento
social, estratégia a qual foi estabelecida pela OMS – Organização Mundial de Saúde – para
conter os avanços da covid-19.
Devido a SARS-Cov-2, o isolamento social ainda é uma estratégia que perdura no
Brasil e no mundo, visto que a proliferação do novo coronavírus se configura através das
infecções respiratórias, semelhantes às síndromes gripais. Dessa forma, a sua transmissão
ocorre por meio da entrada de gotículas de secreção no trato respiratório, como, por exemplo,
a contaminação pelo ar a partir do espirro ou da tosse. Outra forma de disseminação do vírus
decorre mediante ao contato direto com as superfícies contaminadas, o que contribui para que
as partículas virais tenham acesso ao nariz, aos olhos ou à boca por meio das mãos.
Por isso, a Secretaria Municipal de Educação de Sertânia lançou mão do Plano de
Retorno às Aulas Presenciais2, documento este que foi lido e aprovado pela Secretaria da
Saúde, a fim de mobilizar escolas, docentes, alunos e comunidade escolar acerca das
normativas para o retorno seguro das atividades escolares, como, por exemplo, o uso
obrigatório de máscaras, o respeito ao distanciamento social, o uso de álcool em gel, entre
outros regulamentos dos quais auxiliam a volta dos estudantes no ambiente escolar.

1
Quando necessário.
2
O Plano de Retorno às Aulas Presenciais é um documento que delimita normas para garantir a segurança
sanitária dos alunos, docentes e gestores no processo de retorno às aulas presenciais, com base nas
determinações da Secretaria de Saúde do município de Sertânia.

4
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

A partir desse viés, o guia pedagógico tem como proposta apresentar o modelo híbrido
de retorno das atividades escolares, como também explicitar o cronograma de retorno, as
sugestões pedagógicas de atividades escolares para a Creche, Educação Infantil e Ensino
Fundamental I, II e EJA. Dessa forma, a padronização dos recursos pedagógicos, a
estruturação dos horários de retorno e as orientações relacionadas ao fazer metodológico do
professor procuram garantir a aprendizagem dos estudantes, o reforço escolar de conteúdos,
as habilidades que foram impactadas pelo isolamento social e o cuidado socioemocional de
alunos e profissionais da educação. Nas seções a seguir, discutimos as estratégias que o
município adotou para a volta às aulas.

1. ACOLHIDA AOS ESTUDANTES

A pandemia do novo coronavírus propiciou diversos desafios para os educadores, visto


que tiveram que se adequar a realidade imposta pela Covid-19 através das aulas remotas e das
atividades impressas. Para isto, as ferramentas do Google Education, como, por exemplo,
Meet, Classroom e Google Forms, e as rede sociais, tais como, Whatsapp e Instragram,
tornaram-se meios pedagógicos para as aulas a distância. Mesmo com a consolidação do
ensino remoto, o fechamento das escolas proporcionaram vivências e experiências
completamente diferentes e inesperadas, o que favoreceu a desvinculação da rotina escolar, a
relação professor-aluno afetada e a mudanças de hábitos.
Com efeito, o retorno às aulas presenciais simboliza o resgate de vínculos sociais que
foram afetados pelo isolamento, como também o acolhimento socioemocional de crianças e
adolescentes que sofreram perdas familiares irreparáveis devido à Covid-19. Dessa maneira,
um dos nossos objetivos é, além de garantir a aprendizagem, resgatar as relações interpessoais
e atender os diversos sentimentos do nosso alunado, como, por exemplo, tristeza, ansiedade,
insegurança e medo, a partir de um acompanhamento pedagógico apropriado.
No que se concerne à assistência emocional-afetiva, a BNCC – Base Nacional Comum
Curricular – apresenta dez competências gerais que detalham as dimensões essenciais para o
trabalho pedagógico; entre elas o socioemocional. Desse modo, a referida dimensão é
considerada fundamental para o retorno às aulas presenciais, uma vez que procura articular os
conhecimentos e as vivências sociais do estudante com o desenvolvimento de competências
significativas para a vida, tais como, aquisição de valores e princípios, responsabilidade,

5
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

solidariedade, respeito, direitos e deveres, democracia, cidadania, criticidade, sensibilidade e


criatividade.
Sendo assim, o retorno é um dos momentos mais aguardados por estudantes,
familiares e educadores. Por isso, é importante ressaltarmos que o êxito do retorno das
atividades presenciais demandará dedicação e organização coletiva dos diversos atores
educacionais. Desse modo, a volta às aulas será sistematizada e gradual no ambiente escolar,
ou seja, organizada por etapas conforme podemos observar na figura abaixo:

Figura 1: cronograma de retorno às aulas presenciais

Fonte: autores, 2021

A imagem acima favorece a visualização detalhada do cronograma de retorno às aulas


presenciais, organizando, por sua vez, o reingresso dos estudantes no espaço escolar através
do grau de escolaridade do aluno. No quadro abaixo, descrevemos as estratégias iniciais que
todas as escolas da rede municipal de Sertânia deverão fazer para recepcionar as nossas
crianças e adolescentes nas primeiras semanas de retorno das atividades escolares:

6
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Figura 2: cronograma de atividades pedagógicas

Fonte: autores, 2021

De acordo com o cronograma acima, cada modalidade escolar vivenciará um momento


específico de atividades pedagógicas e socioemocionais. No que diz respeito às atividades
pedagógicas, os projetos internos e externos do município, como, por exemplo, Tenda
Literária, Almanaque, Gestão dos Anos Iniciais, Programa Criança Alfabetizada, Prosinha e
o Brasil na Escola, assim como o ensino dos conteúdos escolares, têm como finalidade
garantir a aprendizagem dos nossos alunos. Quanto à revisão dos conteúdos, percebemos que
a referida estratégia permite recuperar assuntos e temas de componentes curriculares já
trabalhados no ano de 2021. Ressalvamos, portanto, que estes conteúdos que serão
trabalhados e revisados em sala de aula estarão relacionados na avaliação diagnóstica, que
ocorrerá nos dias 08/11 e 09/11 para todas as modalidades de ensino: Fundamental I, II e
EJA3.

1.1. Sistema de escalonamento: grupos A e B

No que se refere à consolidação dos grupos A e B, o quantitativo de alunos será a base


de sua construção. Por isso, é importante que as gestoras das escolas municipais elaborem o
levantamento do número de estudantes que retornarão as atividades escolares de maneira
presencial. Se hipoteticamente todos os estudantes de uma turma retornar à escola de maneira
presencial, os discentes serão divididos em grupos A e B, o que equivale a dizer que 50% dos
alunos comparecerão a sala de aula enquanto os outros 50% estarão de maneira remota. A
figura abaixo explicita o modelo de escalonamento:

3
A avaliação diagnóstica terá um formato de provão com todos os componentes curriculares.
7
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Figura 3: modelo de rodízio

Fonte: autores, 2021

Desse modo, o modelo de escalonamento deve levar em consideração as orientações e


sugestões presentes no Protocolo Municipal de Retorno às Aulas Presenciais, que foi
inspirando nas normas de segurança sanitária para garantir um retorno escolar seguro.
Salvaguardamos que os protocolos estão disponíveis de personalização para adequar-se a
realidade escolar de cada instituição. Apesar da possível consolidação dos grupos A e B nas
escolas, devemos considerar também a Portaria SEE nº 3777 de 15.07.2021, que estabelece o
atual distanciamento de um metro entre os estudantes e trabalhadores em educação.

Figura 4: ilustração

Fonte: freepik.com

8
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Ainda no que se concerne à proposta da elaboração de grupos A e B, na qual se


configura em um modelo de escalonamento, a participação presencial dos estudantes se dará
por meio de um ciclo semanal, que se fecha – e se reinicia – a cada semana, correspondendo,
por conseguinte, a uma semana de aula presencial para um dos grupos e uma semana de aula
remota para o outro grupo.

Figura 5: diretrizes

Fonte: autores, 2021

De acordo com as observações destacadas, a organização dos horários dos grupos A e


B consistirá em duas semanas, que corresponde a dez (10) dias letivos. Dessa forma:

 Grupo A (metade da turma): cinco (05) dias letivos presenciais e cinco (05) dias de
aula remota.
 Grupo B (metade da turma): vivenciará o percurso inverso do grupo A, com cinco
(05) dias letivos presenciais e cinco (05) dias de aula remota.

O quadro a seguir apresenta um modelo de organização das aulas presenciais dos


grupos A e B:

9
GRUPO A – PRESENCIAL (GAP)

 Acolhimento aos alunos


Guia Pedagógico (trabalhando
de retorno as presenciais
às aulas questões socioemocionais) através
da dinâmica DESENHANDO SENTIMENTOS.
 Retomada do protocolo sanitário através de roda de conversa ou abordagem
do painel de combinados construído anteriormente.
Figura 6: organização dos grupos A e B
 Socialização e/ou correção das atividades realizadas em casa.
 Revisão de conteúdos (Descritor com o maior quantitativo de erros na
avaliação diagnóstica).
- LÍNGUA PORTUGUESA
Descritor D16 – reconhecer o assunto de um texto lido.
Habilidade - (EF35LP03PE) Identificar a ideia central do texto,
demonstrando compreensão global, em textos lidos ouvidos e sinalizados.
Conteúdo – Ideia central do texto.
Descritor D6 – Identificar o número de sílabas de uma palavra.
Habilidade - (EF03LP05PE) Identificar o número de sílabas de palavras,
separando-as e classificando-as em monossílabas, dissílabas, trissílabas e
polissílabas, observando a organização das palavras no alinhamento da
pauta, consolidando a consciência fonológica, refletindo sobre as regras e a
formação das palavras nos gêneros estudados.
Conteúdo – Separação e classificação de sílabas.
Fonte: autores, 2021
- MATEMÁTICA
Descritor D1 – Identificar a localização/movimentação de objetos em
mapas, croquis e outras representações gráficas.
1.2. SobreHabilidade - EF03MA12PE)
a priorização do currículo Descrever e representar, por meio de esboços
de trajetos ou utilizando croquis e maquetes, a movimentação de pessoas ou
de objetos no espaço, incluindo mudanças de direção e sentido com base em
Para o desenvolvimento das atividades didático-pedagógicas durante o período do
diferentes pontos de referência (por exemplo: siga em frente, vá à direita, a
ensino híbrido, é importante priorizarà os
próxima quadra conteúdos
esquerda, empertinentes
cima, em ao Currículo
baixo, atrás, de
emPernambuco
frente, entrea a
quadra
partir de uma seleção esportiva
adequada e o portão daDiante
das habilidades. escola,desse
etc) contexto, é fundamental manter
Conteúdo – Orientação espacial: descrição e representação de localização
o foco pedagógico para as avaliações
de pessoas externas.
e objetos a partir de um referencial; - Observação do espaço
levando em consideração diferentes pontos de referência; - Representação de
pessoas e/ou objetos segundo sua localização espacial através de croquis,
maquetes e registros. IMPORTANTE
As avaliações do SAEB e SAEPE para o 5º e 9º anos serão realizadas com data a
 Entrega de atividades para casa, direcionadas pelo professor e relacionadas
confirmar.
aos conteúdos trabalhados na semana.
- Leitura e compreensão de texto, para identificar a ideia central do texto
entre outros questionamentos.
- Pesquisar no texto lido, palavras quanto ao número de sílabas, em seguida
separando as sílabas das palavras encontradas.
- Atividades impressas sobre a localização e movimentação de objetos em
mapas, croquis e outras representações gráficas.
1.3. Sobre os registros de aulas e os recursos pedagógicos
GRUPO B – REMOTO (GBR) - Estarão com as atividades que serão
realizadas em casa abordando os conteúdos revisados na semana anterior.

Os registros de aula no Diário de Classe deverão ser feitos, considerando,


simultaneamente, a aula presencial e a aula remota realizada no dia letivo.

10
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Para as atividades remotas poderão ser utilizados materiais como:


livros didáticos e de literatura, fichas, atividades no caderno,
pesquisas, Tenda da Literária, etc.

1.4. Dos estudantes que não retornarão às aulas presenciais

Para que o retorno das atividades escolares seja consolidado no município, é


fundamental que os pais e/ou responsáveis estejam cientes de todo o processo da volta às
aulas presenciais, a fim de que se conscientizem dos protocolos de segurança adotados pelo
município. Após a ciência desses informes, a família tem a autonomia de decidir se seus filhos
voltarão ou não às atividades presenciais na unidade escolar. Desse modo, o protocolo de
retorno às aulas presenciais do município de Sertânia leva em consideração a liberdade dos
pais, ou responsáveis do estudante, para decidirem pelo retorno ou não dos discentes,
enquanto permanecer esse período pandêmico.
Para isto, os pais, ou responsáveis, têm como incumbência preencher o termo de
responsabilidade e esses estudantes devem ser mapeados para o conhecimento de todos. Os
discentes, cuja família optou pela manutenção das aulas não presenciais, farão parte do grupo
C e serão assistidos com atividades impressas elaboradas pelo professor.
As orientações de atividades e conteúdos a esses estudantes deverão ser realizadas de
forma remota. Sugere-se, portanto, que os professores dediquem uma parte do horário escolar
para a elaboração de atividades impressas a serem enviadas aos alunos.

2. AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA: ALGUMAS ORIENTAÇÕES

Para que a avaliação diagnóstica seja uma experiência exitosa, a escola e o educador
têm como compromisso preparar o aluno tanto no sentido pedagógico, quanto
socioemocional. Por isso, dispomos de um cronograma e de sugestões de atividades, das quais
são encontradas no apêndice deste guia, que favorecem um acolhimento significativo ao
alunado, preparando-o para a avaliação diagnóstica através de uma revisão.
Dessa maneira, o quadro abaixo apresenta informações correspondentes às unidades
didáticas (1º e 2º bimestre) que estarão inseridas na avaliação diagnóstica, como também o

11
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

período que estas provas ocorrerão. Pedimos, portanto, a ATENÇÃO para as datas e
atividades.

Novembro  Dias 08 e 09, serão aplicadas as Avaliações Diagnósticas;


 Dia 10/11 – Início dos conteúdos do 4º bimestre.

 Período de revisão dos conteúdos do 1º e 2º bimestre em preparação


Observações para a Avaliação diagnóstica 20/09/2021 a 05/11/2021.

3. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: ESCALONAMENTO

3.1. Horário de funcionamento das escolas – Ensino Híbrido

As aulas terão horário reduzido em todas as fases de ensino, buscando atender


aqueles alunos a quem as famílias optaram por não retornar as aulas presenciais, visto que os
estudantes em aulas presenciais estarão seguindo escalonamento semanal, se assim for
necessário mediante o quantitativo de alunos que as salas de aula comportam, seguindo a
orientação do Protocolo Sanitário do município em relação ao distanciamento social de um
metro de uma carteira para outra.
Nesse contexto os professores da Educação Infantil, Fundamental I e EJA terão três
horas de aula presencial Grupo A e B (07:30 às 10:30) com lanche incluso e no horário de
(10:30 às 11:30) planejarão as atividades dos alunos do Grupo C (os que não retornaram as
aulas presenciais).
O horário do 6º ao 9º ano terá suas aulas reduzidas em 10 minutos, com lanche
incluso e, no horário restante, será dedicado para planejamento e/ou orientações ao Grupo C
(alunos que não retornaram as aulas presenciais, que retiram as atividades impressas na
escola).
Abaixo modelo de horário explicado em tabela.

12
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Horário de Funcionamento para as Aulas Híbridas – 2021

1. Educação Infantil e Anos Iniciais (1º ao 5º Ano)


Ensino Presencial (Horário reduzido)
07:30 às 11:00
Aulas
(10 minutos para a MERENDA) Horário a critério da Escola.

Ensino Remoto Das 11:00 às 11:30


Alunos que optaram por ficar Planejamento e produção de atividades
em casa
(Atividades impressas) (Para o aluno apenas 3 dias - Quarta à sexta)

2. Anos Finais (6º ao 9º Ano)


Ensino Presencial Aulas de 40 minutos Aulas de 35 minutos
(Horário reduzido - (Horário reduzido –
Sede) Zona Rural)
1ª Aula 13:00 às 13:40 13:00 às 13:35
2ª Aula 13:40 às 14:20 13:35 às 14:10
3ª Aula 14:20 às 15:00 14:10 às 14:45
4ª Aula 15:00 às 15:40 14:45 às 15:20
5ª Aula 15:40 às 16:20 15:20 às 15:55
(10 minutos para a MERENDA) Horário a critério da Escola.

Ensino Remoto Das 16:20 às 17:10 – Das 15:55 às 16:45


Alunos que optaram por ficar Planejamento e produção de atividades
em casa
(Atividades impressas) (Para o aluno apenas 3 dias - Quarta à sexta)

3. EJA (Fase 1 E 2)
Ensino Presencial (Horário reduzido)
Aulas 18:40 às 20:40
(10 minutos para a MERENDA) Horário a critério da Escola.

Ensino Remoto Das 20:40 às 22:00

13
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Alunos que optaram por ficar Planejamento de e produção de atividades


em casa
(Atividades impressas) (Para o aluno apenas 3 dias - Quarta à sexta)

4. AÇÕES PARA A GARANTIA DE APRENDIZAGEM

Umas das estratégias de recuperação da aprendizagem é a realização da avaliação


diagnóstica. A partir desse ínterim, o Parecer nº 5/2020, do Conselho Nacional de Educação
(CNE), homologado em 01 de junho de 2020 pelo Ministério da Educação, aponta que, no
retorno às aulas presenciais no contexto pandêmico, as instituições de ensino deverão realizar:

[...] uma avaliação diagnóstica de cada criança por meio da observação do


desenvolvimento em relação aos objetivos de aprendizagem e habilidades
que se procurou desenvolver com as atividades pedagógicas não presenciais
e construir um programa de recuperação, caso necessário, para que todas as
crianças possam desenvolver, de forma plena, o que é esperado de cada uma
ao fim de seu respectivo ano letivo. Os critérios e mecanismos de avaliação
diagnóstica deverão ser definidos pelos sistemas de ensino, redes de escolas
públicas e particulares, considerando as especificidades do currículo
proposto pelas respectivas redes ou escolas. (BRASIL, 2020, p.22)

Desse modo, a referida avaliação será realizada em dois momentos: 1º) momento –
inicialmente como uma ferramenta de sondagem, uma vez que se trata de um processo de
mapeamento da aprendizagem dos estudantes; 2º) momento – a culminância da prova.
Sendo assim, com a avaliação diagnóstica concluída, docentes, educadores de apoio e
escola poderão realizar um levantamento significativo das necessidades de cada criança e
adolescente para consolidar um perfil das turmas e as estratégias de resgate da aprendizagem.
Outras estratégias que podemos nos apropriar para a garantia da aprendizagem:

 Elaborar um Plano de Recuperação e Reforço para os estudantes que apresentarem


déficit de aprendizagem em relação aos conteúdos ministrados em 2021;
 Para o Ensino Fundamental I e II, reajustar o planejamento do ano de 2021 e
readequar as atividades previstas, conforme as necessidades dos alunos e de acordo
com a BNCC e o Currículo de Pernambuco;
 Estreitar a relação entre escola e família, com a finalidade de que os pais se
comprometam com a educação dos filhos, sobretudo quando esta for oferecida
remotamente;

14
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

5. BUSCA ATIVA

Nesse processo de volta às aulas presenciais, há possibilidades de alguns alunos não


retornarem às atividades escolares na escola por diversos motivos. A partir desse viés, faz-se
necessário constituir um planejamento estratégico para garantir a todos os discentes o direito
essencial à educação.
Dessa forma, é relevante continuar com as ações de busca ativa, tais como:

 Identificar os estudantes com comorbidades e do grupo de risco, visando planejar o


seu atendimento;
 Realizar busca ativa dos estudantes infrequentes ou que abandonaram a escola
diretamente a partir dos registros em Ficha de acompanhamento das atividades
remotas a frequência de acesso dos alunos às atividades.
 Convocar os responsáveis legais do estudante infrequente via whatsapp, telefonema,
recado, ou outro meio que a escola entenda ser o mais adequado e eficaz;
 Encaminhar à Secretaria de Educação a lista dos estudantes infrequentes e evadidos.

15
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

6. EXEMPLO DE SEQUÊNCIA DE UMA AULA PARA O ENSINO


FUNDAMENTAL I

3º ANO – LÍNGUA PORTUGUESA/MATEMÁTICA

GRUPO A – PRESENCIAL

1. Acolhimento aos alunos (trabalhando as questões socioemocionais)


através da dinâmica MÍMICA DAS EMOÇÕES.
2. Apresentação do protocolo sanitário através de vídeo.
https://youtu.be/1XUvZv2Tw5g
3. Construção de painel de combinados abordando o protocolo sanitário para
ficar exposto em sala de aula e sempre ser revisitado.
4. Revisão dos conteúdos (Descritor com o maior quantitativo de erros na
avaliação diagnóstica).
- LÍNGUA PORTUGUESA
Descritor D15 – Inferir informações em textos.
Habilidade - EF35LP04PE (I ao IV bimestre) - Inferir informações
implícitas em textos lidos, ouvidos e/ou sinalizados.
Conteúdo – Informações implícitas.
1º SEMANA - MATEMÁTICA
Descritor D13 – Reconhecer e utilizar características do sistema de
27/09 A 01/10 numeração decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e
princípio do valor posicional.
Habilidade - (EF03MA02PE) Identificar características do sistema de
numeração decimal, utilizando a composição e a decomposição de número
natural de até quatro ordens.
Conteúdo – Identificação das características do sistema de numeração
decimal; - Composição e decomposição de um número natural de até
quatro ordens; - Identificação do valor posicional dos algarismos; -
Estabelecimento da relação entre unidade, dezena, centena e unidade de
milhar.

5. Entrega de atividades para casa, elaboradas pelo professor e relacionadas


aos conteúdos trabalhados na semana.
- Atividades impressas sobre sistema de numeração decimal e outros
conteúdos apresentados;
- Pesquisa sobre os cuidados que precisamos ter diante do enfrentamento
da pandemia;
- Leitura e compreensão de texto.
16

GRUPO B – REMOTO

 Sem atividades apenas na primeira semana.


Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

GRUPO B – PRESENCIAL (REPETIR AS ATIVIDADES DO GRUPO


A)

1. Acolhimento aos alunos (trabalhando as questões socioemocionais)


através da dinâmica MÍMICA DAS EMOÇÕES.
2. Apresentação do protocolo sanitário através de vídeo.
https://youtu.be/1XUvZv2Tw5g
3. Construção de painel de combinados abordando o protocolo sanitário para
ficar exposto em sala de aula e sempre ser revisitado.
4. Revisão de conteúdos (Descritor com o maior quantitativo de erros na
avaliação diagnóstica).
- LÍNGUA PORTUGUESA
Descritor D15 – Inferir informações em textos.
Habilidade - EF35LP04PE (I ao IV bimestre) - Inferir informações
implícitas em textos lidos, ouvidos e/ou sinalizados.
2º SEMANA Conteúdo – Informações implícitas.
- MATEMÁTICA
04 A 08/10 Descritor D13 – Reconhecer e utilizar características do sistema de
numeração decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e
princípio do valor posicional.
Habilidade - (EF03MA02PE) Identificar características do sistema de
numeração decimal, utilizando a composição e a decomposição de número
natural de até quatro ordens.
Conteúdo – Identificação das características do sistema de numeração
decimal; - Composição e decomposição de um número natural de até
quatro ordens; - Identificação do valor posicional dos algarismos; -
Estabelecimento da relação entre unidade, dezena, centena e unidade de
milhar.

5. Entrega de atividades para casa, elaboradas pelo professor e relacionadas


aos conteúdos trabalhados na semana.
- Atividades impressas sobre sistema de numeração decimal e outros
conteúdos apresentados;
- Pesquisa sobre os cuidados que precisamos ter diante do enfrentamento
da pandemia;
- Leitura e compreensão de texto.
GRUPO A – REMOTO –

 Estarão com as atividades que serão realizadas em casa, abordando


17
os conteúdos revisados na semana anterior.
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

GRUPO C – ALUNOS QUE NÃO RETORNARAM À ESCOLA

1. Trabalho com as questões socioemocionais através da dinâmica


ESCANEAMENTO CORPORAL (que será realizada remotamente e
também com a participação dos pais). Abordagem sobre os cuidados e
prevenção quanto à Covid-19.
2. Revisão dos conteúdos (Descritor com o maior quantitativo de erros na
avaliação diagnóstica).
- LÍNGUA PORTUGUESA

Descritor D15 – Inferir informações em textos.

Habilidade - EF35LP04PE (I ao IV bimestre) - Inferir informações


implícitas em textos lidos, ouvidos e/ou sinalizados.

1ª E 2ª Conteúdo – Informações implícitas.


SEMANA
- MATEMÁTICA
27/09 A 01/10 Descritor D13 – Reconhecer e utilizar características do sistema de
numeração decimal, tais como, agrupamentos e trocas na base 10 e princípio
E
do valor posicional.
04 A 08/10 Habilidade - (EF03MA02PE) Identificar características do sistema de
numeração decimal, utilizando a composição e a decomposição de número
natural de até quatro ordens.

Conteúdo – Identificação das características do sistema de numeração


decimal; - Composição e decomposição de um número natural de até quatro
ordens; - Identificação do valor posicional dos algarismos; - Estabelecimento
da relação entre unidade, dezena, centena e unidade de milhar.

3. SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA CASA


 Entrega de atividades para casa, elaboradas pelo professor e
relacionadas aos conteúdos.
 Atividades impressas sobre sistema de numeração decimal e outros
conteúdos apresentados.
 Pesquisa sobre os cuidados que precisamos ter diante do
enfrentamento da pandemia;
18
 Leitura e compreensão de texto.
Entre outras atividades propostas pelo professor, abordando os conteúdos
trabalhados.
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

GRUPO A – PRESENCIAL

Acolhimento aos alunos (trabalhando as questões socioemocionais) através da


dinâmica DESENHANDO SENTIMENTOS.

4. Retomada do protocolo sanitário através de roda de conversa ou abordagem


do painel de combinados construído anteriormente.
5. Socialização e/ou correção das atividades realizadas em casa.
6. Revisão de conteúdos (Descritor com o maior quantitativo de erros na
avaliação diagnóstica).
- LÍNGUA PORTUGUESA
Descritor D16 – reconhecer o assunto de um texto lido.
Habilidade - (EF35LP03PE) Identificar a ideia central do texto,
demonstrando compreensão global, em textos lidos ouvidos e sinalizados.
Conteúdo – Ideia central do texto.
Descritor D6 – Identificar o número de sílabas de uma palavra.
Habilidade - (EF03LP05PE) Identificar o número de sílabas de palavras,
separando-as e classificando-as em monossílabas, dissílabas, trissílabas e
3º SEMANA polissílabas, observando a organização das palavras no alinhamento da
pauta, consolidando a consciência fonológica, refletindo sobre as regras e a
11 A 14/10
formação das palavras nos gêneros estudados.
Conteúdo – Separação e classificação de sílabas.
- MATEMÁTICA
Descritor D1 – Identificar a localização/movimentação de objetos em
mapas, croquis e outras representações gráficas.
Habilidade - EF03MA12PE) Descrever e representar, por meio de esboços
de trajetos ou utilizando croquis e maquetes, a movimentação de pessoas ou
de objetos no espaço, incluindo mudanças de direção e sentido com base em
diferentes pontos de referência (por exemplo: siga em frente, vá à direita, a
próxima quadra à esquerda, em cima, em baixo, atrás, em frente, entre a
quadra esportiva e o portão da escola, etc.).
Conteúdo – Orientação espacial: descrição e representação de localização
de pessoas e objetos a partir de um referencial; - Observação do espaço
levando em consideração diferentes pontos de referência; - Representação de
pessoas e/ou objetos segundo sua localização espacial através de croquis,
maquetes e registros.

7. Entrega de atividades para casa, direcionadas pelo professor e relacionadas


aos conteúdos trabalhados na semana.
- Leitura e compreensão de texto, para identificar a ideia central do texto
entre outros questionamentos.
- Pesquisar no texto lido, palavras quanto ao número de sílabas, em seguida
19
separando as sílabas das palavras encontradas.
- Atividades impressas sobre a localização e movimentação de objetos em
mapas, croquis e outras representações gráficas.
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

GRUPO B – PRESENCIAL

1. Acolhimento aos alunos (trabalhando as questões socioemocionais) através da


dinâmica DESENHANDO SENTIMENTOS.
2. Retomada do protocolo sanitário através de roda de conversa ou abordagem
do painel de combinados construído anteriormente.
3. Socialização e/ou correção das atividades realizadas em casa.
4. Revisão de conteúdos (Descritor com o maior quantitativo de erros na
avaliação diagnóstica).
- LÍNGUA PORTUGUESA
Descritor D16 – reconhecer o assunto de um texto lido.
Habilidade - (EF35LP03PE) Identificar a ideia central do texto, demonstrando
compreensão global, em textos lidos ouvidos e sinalizados.
Conteúdo – Ideia central do texto.
Descritor D6 – Identificar o número de sílabas de uma palavra.
Habilidade - (EF03LP05PE) Identificar o número de sílabas de palavras,
separando-as e classificando-as em monossílabas, dissílabas, trissílabas e
4º SEMANA polissílabas, observando a organização das palavras no alinhamento da pauta,
consolidando a consciência fonológica, refletindo sobre as regras e a formação
18 A 22/10 das palavras nos gêneros estudados.
Conteúdo – Separação e classificação de sílabas.
- MATEMÁTICA
Descritor D1 – Identificar a localização/movimentação de objetos em mapas,
croquis e outras representações gráficas.
Habilidade - EF03MA12PE) Descrever e representar, por meio de esboços de
trajetos ou utilizando croquis e maquetes, a movimentação de pessoas ou de
objetos no espaço, incluindo mudanças de direção e sentido com base em
diferentes pontos de referência (por exemplo: siga em frente, vá à direita, a
próxima quadra à esquerda, em cima, em baixo, atrás, em frente, entre a
quadra esportiva e o portão da escola, etc.).
Conteúdo – Orientação espacial: descrição e representação de localização de
pessoas e objetos a partir de um referencial; - Observação do espaço levando
em consideração diferentes pontos de referência; - Representação de pessoas
e/ou objetos segundo sua localização espacial através de croquis, maquetes e
registros.

5. Entrega de atividades para casa, direcionadas pelo professor e relacionadas aos


conteúdos trabalhados na semana.
- Leitura e compreensão de texto, para identificar a ideia central do texto entre
outros questionamentos.
- Pesquisar no texto lido, palavras quanto ao número de sílabas, em seguida
separando as sílabas das palavras encontradas. 20
- Atividades impressas sobre a localização e movimentação de objetos em
mapas, croquis e outras representações gráficas.
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

GRUPO C – ALUNOS QUE NÃO RETORNARAM À ESCOLA

1. Trabalho com as questões socioemocionais através da dinâmica


DESENHANDO SENTIMENTOS (que será realizada remotamente).
Abordagem sobre os cuidados e prevenção quanto à Covid-19.
2. Revisão de conteúdos (Descritor com o maior quantitativo de erros na
avaliação diagnóstica).
- LÍNGUA PORTUGUESA
Descritor D16 – reconhecer o assunto de um texto lido.
Habilidade - (EF35LP03PE) Identificar a ideia central do texto, demonstrando
compreensão global, em textos lidos ouvidos e sinalizados.
Conteúdo – Ideia central do texto.
Descritor D6 – Identificar o número de sílabas de uma palavra.
Habilidade - (EF03LP05PE) Identificar o número de sílabas de palavras,
separando-as e classificando-as em monossílabas, dissílabas, trissílabas e
polissílabas, observando a organização das palavras no alinhamento da pauta,
consolidando a consciência fonológica, refletindo sobre as regras e a formação
3ª e 4ª SEMANA
das palavras nos gêneros estudados.
Conteúdo – Separação e classificação de sílabas.
11 A 14/10
- MATEMÁTICA
18 A 22/10 Descritor D1 – Identificar a localização/movimentação de objetos em mapas,
croquis e outras representações gráficas.
Habilidade - EF03MA12PE) Descrever e representar, por meio de esboços de
trajetos ou utilizando croquis e maquetes, a movimentação de pessoas ou de
objetos no espaço, incluindo mudanças de direção e sentido com base em
diferentes pontos de referência (por exemplo: siga em frente, vá à direita, a
próxima quadra à esquerda, em cima, em baixo, atrás, em frente, entre a quadra
esportiva e o portão da escola, etc)
Conteúdo – Orientação espacial: descrição e representação de localização de
pessoas e objetos a partir de um referencial; - Observação do espaço levando em
consideração diferentes pontos de referência; - Representação de pessoas e/ou
objetos segundo sua localização espacial através de croquis, maquetes e
registros.

3. Entrega de atividades para casa, direcionadas pelo professor e relacionadas


aos conteúdos trabalhados na semana.
- Leitura e compreensão de texto, para identificar a ideia central do texto entre
outros questionamentos.
- Pesquisar no texto lido, palavras quanto ao número de sílabas, em seguida
separando as sílabas das palavras encontradas.
- Atividades impressas sobre a localização e movimentação de objetos em
mapas, croquis e outras representações gráficas.

21
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Exemplo de registros de aula de Matemática, em uma turma de 6º ano (Grupo A e


Grupo B) pelo período de 4 semanas

• GRUPO A PRESENCIAL

1. Acolhida Socioemocional: Texto reflexivo "A bagagem de cada


um" (apêndice).

2. Apresentação do Protocolo Sanitário e Dinâmica "Os


cumprimentos" (apêndice).

1ª 3. Revisão de conteúdos para Avaliação Diagnóstica:


(D23 - Resolver problema com números racionais expressos na
Semana forma de fração ou decimal, envolvendo diferentes significados),
20 à este descritor tem associação com a habilidade EF06MA07PE (3º
Bimestre).
24/09
4. Conteúdos: Significado de fração; comparação de frações;
relação de ordem entre frações utilizando os sinais < (menor
que) e > (maior que); frações equivalentes e simplificação de
frações.

Grupo A: Remoto na 2ª semana (27 à 01/10) - Atividade extra,


Pesquisa sobre a História das Frações e construção de um cartaz
para apresentação na semana presencial (04 à 08/10).

2ª • GRUPO B PRESENCIAL

Semana 1. Acolhida Socioemocional: Texto reflexivo "A bagagem de cada


27/09 à um" (apêndice).

01/10 2. Apresentação do Protocolo Sanitário e Dinâmica "Os


cumprimentos" (apêndice).

3. Revisão de conteúdos para Avaliação Diagnóstica:


(D23 - Resolver problema com números racionais expressos na
forma de fração ou decimal, envolvendo diferentes significados),
este descritor tem associação com a habilidade EF06MA07PE (3º
Bimestre).

 Conteúdos: Significado de fração; comparação de frações;


22
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

relação de ordem entre frações utilizando os sinais < (menor


que) e > (maior que); frações equivalentes e simplificação de
frações.

 Grupo B Remoto na 3ª semana (04 à 08/10) - Atividade extra,


Pesquisa sobre a História das Frações e construção de um cartaz
para apresentação na semana presencial (11 à 15/10).

 GRUPO C – alunos que não retornaram às aulas

 Atividade extra, sendo realizada em casa.

 GRUPO A PRESENCIAL

1. Acolhida Socioemocional: Dinâmica “O Repolho e a Rosa”


(apêndice).

2. Apresentação do Protocolo Sanitário.

3. Socialização/correção da atividade extra realizada em casa.

4. Revisão de conteúdos para Avaliação Diagnóstica:


3ª (D21 – Identificar a localização de números racionais representados
Semana na forma decimal na reta numérica), este descritor tem associação
com a habilidade EF06MA08PE (3º Bimestre).
04/10 à
08/10  Conteúdos: Reconhecimento das diferentes representações de um
número; Comparação e relação de ordem entre números racionais
nas formas decimal e fracionária e suas representações na reta
numérica.

• Grupo A Remoto na 4ª semana (11 à 15/10) - Atividade extra,


Exercícios complementares sobre o conteúdo trabalhado para
correção e discussão na semana presencial (18 à 22/10).

• Grupo B Remoto - Atividade extra, sendo realizada em casa.

4ª  GRUPO B PRESENCIAL

Semana 1. Acolhida Socioemocional: Dinâmica “O Repolho e a Rosa”


11/10 à (apêndice).

15/10
2. Apresentação do Protocolo Sanitário.

23
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

3. Socialização/correção da atividade extra realizada em casa.

4. Revisão de conteúdos para Avaliação Diagnóstica:


(D21 – Identificar a localização de números racionais representados
na forma decimal na reta numérica), este descritor tem associação
com a habilidade EF06MA08PE (3º Bimestre).

 Conteúdos: Reconhecimento das diferentes representações de um


número; Comparação e relação de ordem entre números racionais
nas formas decimal e fracionária e suas representações na reta
numérica.

• Grupo B Remoto na 5ª semana (18 à 22/10) - Atividade extra,


Exercícios complementares sobre o conteúdo trabalhado para
correção e discussão na semana presencial (25 à 29/10).

• Grupo B Remoto - Atividade extra, sendo realizada em casa.

Grupo C – Alunos que não retornarão às aulas presenciais

Revisão dos
descritores críticos
Atividades
Período na avaliação Habilidade/Conteúdos
Socioemocionais
diagnóstica do
Munícipio

20 à 24/09 Acolhida: Texto  D23 – Resolver  EF06MA07PE:


reflexivo “A problema com Compreender,
bagagem de cada números comparar e ordenar
um” com racionais frações associadas
questionário para expressos na às ideias de partes
devolução. forma de fração de inteiros
ou decimal, (parte/todo) e
envolvendo resultado de divisão
diferentes e suas
significados. aplicabilidades no

24
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

cotidiano por meio


da utilização de
materiais
manipuláveis ou
não, identificando
também frações
equivalentes. (3º
Bimestre).

 Conteúdos:
- Significados de Fração;
- Comparação de
frações.

27/09 à 01/10 Acolhida: Entrevista  D23 – Resolver  EF06MA07PE:


de monitoramento problema com Compreender,
socioemocional para números comparar e ordenar
ser respondida e racionais frações associadas
devolvida. expressos na às ideias de partes
forma de fração de inteiros
ou decimal, (parte/todo) e
envolvendo resultado de divisão
diferentes e suas
significados. aplicabilidades no
cotidiano por meio
da utilização de
materiais
manipuláveis ou
não, identificando
também frações
equivalentes. (3º

25
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Bimestre).

 Conteúdos:
- Equivalência de
frações;
- Relação de ordem
entre frações utilizando
os sinais < (menor que)
e > (maior que).

04 à 08/10 Acolhida: Dinâmica:  D21 – Identificar  EF06MA08PE:


“Cuidado em a localização de Reconhecer,
várias dimensões” números comparar e ordenar
Essa atividade racionais os números
envolve a representados na racionais positivos
construção de um forma decimal na que podem ser
painel sobre as reta numérica. expressos nas
formas de cuidado formas fracionária,
que o estudante decimal e
pratica no dia a dia percentual,
em relação a estabelecer relações
pandemia de entre essas
COVID-19, além de representações,
como estão lidando passando de uma
com o convívio representação para
presencial ou outra, e relacioná-
virtual com outras los a pontos na reta
pessoas. numérica. (3º
O foco da Bimestre).
atividade é entender Conteúdos:
as várias dimensões - Reconhecimento das
do cuidado, seja ele diferentes
consigo mesmo ou representações de um
26
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

com os outros. número.


Deve ser devolvido
à escola.

11 à 15/10 Acolhida: Dinâmica:  D21 – Identificar  EF06MA08PE:


“O Repolho e a a localização de Reconhecer,
rosa” números comparar e ordenar
- MATERIAL: racionais os números
Duas folhas de papel representados na racionais positivos
A4 para cada forma decimal na que podem ser
estudante e o texto reta numérica. expressos nas
“O Repolho e a formas fracionária,
Rosa” decimal e
- COMO FAZER: percentual,
1. Na primeira folha, estabelecer relações
os estudantes devem entre essas
desenhar como nasce representações,
um repolho. A leitura passando de uma
do texto leva eles a representação para
entenderem que um outra, e relacioná-
repolho nasce com as los a pontos na reta
folhas todas abertas numérica. (3º
e, com o tempo, elas Bimestre).
vão se fechando uma Conteúdos:
sobre a outra. - Comparação e relação
Em seguida, os de ordem entre
estudantes precisam números racionais nas
escrever sobre formas decimal e
situações que fracionária e suas
aconteceram em sua representações na reta
vida que fizeram numérica.
com que eles fossem
se fechando
27
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

(situações em que
foram excluídos,
perderam alguém,
sofreram uma
decepção etc.).
2. Na outra folha de
sulfite, os estudantes
desenharão como
nasce uma rosa, de
acordo com o texto o
botão de rosa vai se
abrindo até que
forma uma flor
harmoniosa.
Depois de
desenharem,
escrevem sobre
situações da vida em
que se sentiram
felizes e motivados a
se abrirem.

- Devolução na
escola.

Considerações finais

O retorno das atividades escolares apresentará inúmeros desafios, visto que irá exigir
dedicação e comprometimento para todos os profissionais da educação; no entanto, as
propostas elencadas neste guia pedagógico estão sistematizadas e alinhadas conforme as
normas exigidas da Secretaria da Saúde, como também, no campo pedagógico, com a BNCC
e o Currículo de Pernambuco.

28
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Por isso, ressalvamos que a equipe escolar fique atenta aos estudantes que não estejam
comparecendo às aulas presenciais e remotas, a fim de constituirmos, em conjunto, um
mecanismo de acolhimento, de motivação e de busca ativa, para que não se efetive a evasão.
Sendo assim, o guia pedagógico lança mão de estratégias pedagógicas e
socioemocionais para fortalecer o vínculo entre alunos e escola, bem como garantir a
aprendizagem por meio de um trabalho colaborativo, já que “a educação é um ato de amor,
por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate, a análise da realidade. Não pode fugir
à discussão criadora, sob a pena de ser uma farsa” (FREIRE, 2011, p.127).

29
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

APÊNDICES

30
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

PROPOSTA DE ATIVIDADES SOCIOEMOCIONAIS PARA ESTUDANTES ENSINO


FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS.

I - MÍMICA DAS EMOÇÕES (Fonte: Instituto Ayrton Senna)

A Mímica das Emoções é uma atividade a ser realizada em dupla ou em grupo: uma
pessoa irá expressar uma emoção através de movimentos do corpo e/ou da face e os demais
terão que identificar aquela emoção.
A atividade Mímica das Emoções tem como objetivo ajudar as crianças a
reconhecerem e expressarem emoções. Reconhecer e expressar emoções são aspectos centrais
para as relações interpessoais. Além disso, o reconhecimento das emoções no outro é
fundamental para aumentar o vocabulário emocional da criança, ajudá-la a nomear as
emoções, além de desenvolver a empatia e o respeito. A empatia é uma competência
fundamental para entender as necessidades das pessoas e cultivar os relacionamentos.
O respeito é importante para nos ajudar a conviver com os outros. Ao criar mímicas para as
emoções, as crianças terão a oportunidade de explorar e aprender a fazer coisas de maneiras
novas, exercendo assim a imaginação.

DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE
OBJETIVO

1. Crianças irão representar algumas emoções através de expressões corporais e faciais;


2. Crianças irão observar expressões corporais e faciais de outros participantes para
reconhecer e nomear algumas emoções.

DURAÇÃO

Cerca de 20 minutos – a depender da quantidade de participantes e de rodadas.

31
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

MATERIAIS

a) Sugestão de lista de situações:


Como você se sente quando…
> Ganha um presente?
> Vê uma barata?
> O seu amigo não te chama para brincar?
> O seu brinquedo favorito quebra?
> Escuta a sua música favorita?
> Come uma comida que não gosta?
> Fica doente?
> Falta luz e fica tudo escuro?
> Não pode abraçar uma pessoa que você gosta?
> Preciso ficar em casa?
> Não pode brincar com meus amigos na escola?

PROCEDIMENTOS
b) Conexão

Inicie um debate sobre diferentes emoções por meio de perguntas, como: “Quando é
que vocês se sentem felizes?”. Solicite, então, que as crianças façam uma expressão facial
para demonstrar esta emoção: “Como fica o rosto de vocês quando estão felizes?”. Depois,
repita essa dinâmica com quatro outras emoções: tristeza, raiva, medo e nojo. Diga que elas
precisarão usar essas emoções em um jogo.

c) Explicação da atividade

Explique que vocês vão brincar com um jogo de adivinhação, em que você vai
combinar uma determinada situação com um dos participantes e ele irá fazer uma mímica
para mostrar a emoção que sentiria naquela situação para os demais participantes, por meio de
expressões corporais e/ou faciais. Quando alguém adivinhar a emoção, troquem os papéis –
quem fez a mímica se junta aos demais participantes para adivinhar e quem adivinhou fará
outra mímica. Fale que a situação que você vai contar é segredo, logo, só a pessoa que vai
32
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

fazer a mímica naquela rodada vai escutar a situação, e depois voltar para o grupo ou para as
suas respectivas duplas.

Se o jogo for realizado apenas com duas pessoas, você e uma criança, por exemplo,
peça que ela mesma imagine uma situação e qual emoção sentiria e você precisará adivinhar.
Após o acerto, troquem de papéis e a criança adivinha o que você fez de mímica.

d) Participação

Decidam, entre si, quem será o participante (pessoa A) que começará fazendo a
mímica. Comecem a brincadeira, chamando a pessoa A para longe dos demais e contando
uma situação em voz baixa para eles. Você pode optar por usar situações em que as crianças
já tenham passado ou tenham conhecimento para que seja possível fazer as mímicas ou que
estejam passando nesse momento de distanciamento social. Depois peça para a pessoa A fazer
uma mímica de como se sentiu naquela situação – e os demais participantes precisarão
nomear a emoção.

e) Encerramento

Após a brincadeira, inicie um debate, fazendo perguntas: “Como foi fazer mímica de
uma emoção?”; “Como foi descobrir o que a outra pessoa estava sentindo?” e “Como vocês
descobriram que o outro estava sentindo medo?” “Nessa situação você sentiria a mesma
coisa?” ou “Teve alguma situação que você se sentiria de outra forma?”; “O que vocês
acham?”.
Se houver disponibilidade, converse sobre cada situação e emoção. Conclua, dizendo
que muitas vezes precisamos perceber o corpo e o rosto do outro, para identificar o que ele
está sentindo e procurar ajudá-lo. Desafie as crianças: “Gostaria que todos ficassem atentos às
outras pessoas de agora em diante, para que fique mais fácil ajudá-los quando estiverem
tristes, com raiva ou medo. Combinado?”.

II - OLHO NAS CRIANÇAS

33
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Nesta atividade, tenha em mente que algumas crianças poderão ter dificuldade em
fazer a mímica e/ou identificar emoções nos participantes. Se este for o caso, discuta com elas
sobre as expressões faciais relacionadas a cada emoção. Por exemplo, para a mímica de
tristeza:
“Estou vendo vários rostos tristes, reparo que alguns de vocês estão mostrando a tristeza com
os olhos, ao olharem para baixo. Outros estão com o lábio inferior para frente. Outros ainda
estão limpando as lágrimas, porque muitas vezes quando ficamos tristes, choramos”.
Você também pode pedir ajuda às crianças, questionando os sinais de tristeza que elas
reparam nos rostos dos participantes. Ao explicitar estas pistas visuais, você estará facilitando
a atividade para as crianças com dificuldades em reconhecer e expressar emoções.

III - DESENHANDO SENTIMENTOS (Fonte: Instituto Ayrton Senna)

Nesta atividade, as crianças serão incentivadas a fechar os olhos, fazer silêncio por
alguns minutos e focar em suas emoções. Depois, eles farão um desenho para expressar seus
sentimentos através de formas, cores e representações.
Essa atividade pode ser feita rotineiramente e os adultos também podem participar.

Desenhando Sentimentos é uma prática de meditação, que tem como objetivo trazer a
atenção à experiência do presente. A meditação favorece o foco e a concentração que, ao
longo do tempo, vai se tornando cada vez mais presente na vida das crianças. O
fortalecimento da atenção traz muitos benefícios, entre eles a redução da ansiedade, da raiva e
da impulsividade (tolerância ao estresse e tolerância à frustração), bem como o aumento da
criatividade e da organização das ideias. Além disso, a prática regular de meditação é capaz
de melhorar a memória e contribuir para relacionamentos saudáveis. Muitas vezes, crianças
têm dificuldades para encontrar palavras certas que expressem aquilo que estão sentindo.
Portanto, esta atividade permite que o aluno represente suas emoções com a arte, fortalecendo
a imaginação criativa. A repetição desta prática possibilita o desenvolvimento de uma maior
consciência sobre as emoções, cultivando, assim, a inteligência emocional. Ao identificar o
que sente, a criança terá a oportunidade de praticar a autorregulação e será estimulada refletir
sobre os motivos por trás de suas emoções.
34
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE

OBJETIVO

Após uma curta meditação, as crianças expressarão os seus sentimentos através de um


desenho.

DURAÇÃO

Em média, 50 minutos.

MATERIAIS
> Folha de papel para desenho;
> Materiais para desenho, como: lápis de cor, canetas e lápis de cera;

PROCEDIMENTO

a) Conexão

Pergunte para as crianças como elas estão se sentindo. Diga que hoje vocês vão fazer
uma atividade para refletir sobre os seus sentimentos. Questione se eles já ouviram a palavra
meditação e pergunte se eles sabem o que ela significa. Explique que a meditação é um
exercício onde nos sentamos sozinhos, de olhos fechados e focamos em um pensamento ou
uma atividade específica, buscando nos conectar com nós mesmos. Na meditação, temos que
nos focar no momento presente.

b) Participação

Peça para as crianças se sentarem de forma confortável e fecharem os olhos. Solicite


que eles façam três respirações profundas: inspirando pelo nariz e soltando o ar pela boca.
Depois diga: “Agora eu quero que vocês prestem atenção no que estão sentindo”. Avise que
eles devem permanecer em silêncio e de olhos fechados até o seu aviso. Se necessário, guie a
meditação para direcionar aos sentimentos. Procure fazer uma pausa entre cada frase ou
pergunta, para que as crianças tenham tempo de sentir e refletir.
35
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

A. “Repare em como você está se sentindo”;


B. “Veja se você está calmo ou agitado”;
C. “Perceba se tem algum sentimento ou emoção dentro do seu corpo”;
D. “Repare o que você sente nas diferentes partes do seu corpo, na barriga, no peito, na
garganta...”;
E. “Perceba se o que você está sentindo é um sentimento gostoso e agradável ou é um
sentimento difícil”;
F. “Este sentimento tem uma cor?
G. “Seria uma cor clara ou uma cor escura?”

Depois de um a cinco minutos, encerre o exercício solicitando que elas abram os


olhos.
Uma outra forma de conduzir a meditação é questionar as crianças em como elas estão
se sentindo no presente momento, e na atual situação – como é ficar em casa, qual sentimento
sentem no corpo, como avaliam esse sentimento. Além disso, outros familiares também
podem participar dessa atividade, fazendo a meditação em conjunto e um adulto guiando e
marcando o tempo.

c) Explicação da atividade

Explique que as crianças farão um desenho para representar o que sentiram durante o
exercício. Comunique que as cores podem ajudá- los a representar os seus sentimentos. Caso,
os adultos participem da atividade, eles poderão fazer um desenho ou mesmo escrever sobre
os sentimentos e como foi realizar a meditação.
Peça que as crianças façam um desenho que represente as emoções que sentiram no
momento da meditação. Procure conversar com eles sobre como estão representando seus
sentimentos.

d) Encerramento:
Após terminarem o desenho, sentem-se em roda e contem como foi a experiência de
meditar e desenhar o que sentiram depois da atividade. É importante que todos que praticaram
a meditação compartilhem seus sentimentos.

36
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

IV - DE OLHO NAS CRIANÇAS

É possível que algumas crianças apresentem dificuldade no momento da meditação.


Sentar-se sozinho em silêncio ainda pode ser difícil para crianças desta faixa etária,
principalmente para aquelas que ainda não conseguem administrar o foco. Você pode ajudar
pedindo que ela se posicione em um local que favoreça a concentração, ou fazer a atividade
em um momento do dia mais tranquilo na rotina, ou explicar que serão apenas alguns minutos
do dia.

ESCANEAMENTO CORPORAL (Fonte: Instituto Ayrton Senna)

Nesta atividade, a(s) criança(s) será(ão) guiada(s) pelos pais, familiares ou cuidadores
a focar em suas sensações corporais.
Escaneamento Corporal é uma prática de mindfulness, que tem como objetivo trazer a
atenção das crianças à experiência que estão vivenciando no momento, o que auxilia na
redução do estresse e da ansiedade. As crianças precisarão prestar atenção em seu corpo, no
contato da pele com outras superfícies, na temperatura e nas sensações internas. A prática
regular desta atividade favorece o foco e a concentração, pois precisarão inibir pensamentos
que as impediriam de focar nas sensações corporais e sustentar a atenção nestas sensações
pelo tempo da atividade. O fortalecimento do foco traz muitos benefícios, entre eles a redução
da ansiedade, da raiva e da impulsividade (tolerância ao estresse e tolerância à frustração).
Esta atividade, dentro do possível, deve acontecer em um local silencioso, com espaço
para que todos os participantes se deitem no chão ou se encostem na parede.

DESENVOLVIMENTO DA ATIVIDADE

OBJETIVO

37
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

A(s) criança(s) irá(ão) seguir as direções indicadas pelos pais, familiares ou cuidadores e
focar em suas sensações corporais.

DURAÇÃO

De 10 a 15 minutos.

PROCEDIMENTO

a) Explicação da atividade

Diga às crianças que, nesta atividade, elas irão “escanear” o próprio corpo. Explique
que, como um scanner, que pode enxergar tudo que tem dentro do corpo ou da mala, elas
tentarão perceber todas as sensações do corpo.

b) Preparação

Peça que os participantes se deitem no chão ou se encostem na parede, fiquem de


olhos fechados e atentos aos seus comandos. Pontue a importância do foco, pois só assim será
possível observar as sensações corporais difíceis de perceber. Solicite que eles coloquem as
mãos na barriga e façam três respirações profundas.

c) Explicação do objetivo

“Hoje, vocês irão prestar atenção às sensações corporais a partir das minhas
instruções”.

d) Participação

Guie a respiração dos participantes, pedindo que eles inspirem e expirem lentamente,
percebendo o movimento do ar dentro do corpo: “Inspire, puxando o ar pelo nariz, e expire,
soltando o ar bem devagarzinho”. Peça que eles sintam como cada respiração se move dentro

38
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

do corpo, enchendo o peito e a barriga suavemente. Faça isso até sentir que eles estão atentos
e relaxados. Faça perguntas, para incentivar que as crianças prestem atenção em suas
sensações corporais. Procure direcionar a atenção delas, lentamente, para cada parte do corpo;
da cabeça aos pés. Algumas sugestões:
> “O ar que entra pelo nariz está quente ou frio? Conseguem perceber? E ao sair, o ar sai
quente ou frio? Percebam a temperatura desse ar”;
> “Vocês sentem o ar percorrendo todo o corpo? Ele passa pela sua garganta, desce pelo seu
peito e chega até sua barriga?”;
> “Percebam o ar saindo sozinho, sem que vocês façam esforço”;
> “Repare como o ar enche a sua barriga”;
> “Observe a barriga murchando”;
> “Com o movimento de sua respiração, perceba sua barriga encostando na roupa no
momento da inspiração. O que acontece com esse contato quando você solta o ar?”;
> “Agora, perceba como estão seus dedos dos pés, sinta-os. Tenta deixá-los soltinhos”;
> “Suba um pouquinho e perceba as pernas. Qual é a sensação de peso em suas pernas? Elas
estão leves ou pesadas?”; > “Subindo mais um pouco, como estão seus braços? Vocês estão
sentindo eles tocarem no chão/na parede? Seus braços estão frios ou quentes?”;
> “Agora, perceba seus ombros, pescoço e rosto. Eles estão relaxados ou duros?”;
> “Vamos levar a atenção, agora, ao coração. Perceba como ele está batendo. Está rápido ou
devagar? O que vocês estão sentindo ao prestar atenção no coração?
Ao terminar, diga que abram os olhos lentamente, mexam os pés e as mãos, estiquem
o corpo e se espreguicem.

e) Encerramento

Conversem sobre a experiência. Pergunte se perceberam alguma diferença no corpo


antes e depois do escaneamento corporal. Pergunte se eles se sentiram mais calmos e
relaxados ou se continuam do mesmo modo. Pergunte se alguém ficou agitado ou nervoso.
Estimule a participação de todos, perguntando “Quem teve uma experiência diferente e
gostaria de contar sobre ela?”.

V - DE OLHO NAS CRIANÇAS

39
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Esta atividade propicia o desenvolvimento do foco. Entretanto, algumas crianças


podem ter dificuldade com a atividade, especificamente em permanecerem deitadas e
manterem a atenção por um período longo de tempo. Se isso ocorrer, não há problema. É
possível que algumas crianças precisem de mais oportunidades para exercitar o foco do que
outras. Se perceber que a criança se distrai no processo, tente trazer sua atenção novamente
para a sua narrativa. Muitas vezes, as crianças que apresentam maiores dificuldades são os
que mais se beneficiarão da atividade.
Portanto, procure observar o foco apresentado pelas crianças durante a atividade.
Observe se e quando as crianças conseguiram seguir as direções e/ou tiveram dificuldade.
Procure perceber, também, se chegaram a ficar muito agitadas a ponto de não conseguirem se
beneficiar com o exercício. Ao final da atividade, considere os relatos das crianças sobre a
experiência: o ponto de vista delas de como se sentiram antes e depois te ajudará a perceber se
a atividade foi significativa para elas, levando-as a se concentrarem em suas sensações
corporais, ampliando a auto percepção dos seus corpos, proporcionando, assim, que as
crianças se voltem para a experiência de vivenciar o momento presente, o que pode auxiliá-las
na redução do estresse e da ansiedade.

VI - CRIANDO UMA ROTINA

Uma sugestão é integrar esta atividade à rotina das crianças e da família nesse período
de necessário distanciamento social, escolhendo um horário fixo para praticá-la. O ideal seria
praticá-la todos os dias, mesmo que por curtos períodos de tempo. Se isso não for possível,
procurem repeti-la pelo menos duas vezes na semana. Isso poderá ajudar a estabelecer novas
rotinas e dinâmicas com as crianças nesse período de suspensão das aulas e auxiliá-las na
redução do estresse e da ansiedade.
Para criar uma rotina, você pode também optar por unir esta prática à atividade de
Mímica das emoções. Primeiro pratiquem o escaneamento corporal e, na sequência, façam a
atividade Mímica das emoções para trabalharem juntos como estão se sentindo. Explique que
o escaneamento corporal serve para nos tornar mais conscientes de nossas sensações corporais
e emoções.

40
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS – HABILIDADES BNCC -


MATEMÁTICA

(EF06MA07PE) Compreender, comparar e ordenar frações associadas às ideias de


partes de inteiros e resultado de divisão, identificando frações equivalentes.

Nessa habilidade o professor pode ampliar o conceito da habilidade 01, no sentido


de manter o foco na equivalência e de trazer a fração como resultado do quociente de dois
números inteiros. Para essa ampliação, as frações impróprias e as aparentes fazem mais
sentido do que sua apresentação apenas no contexto da fração como parte de um todo
inteiro. Atividades adequadas para desenvolver esta habilidade são as que utilizam
múltiplas ideias associadas à fração. Entender a fração como parte de um todo (contínuo ou
discreto), como sendo o quociente (exato) entre dois números inteiros, está intrinsecamente
associado à compreensão de situações-problemas envolvendo a determinação de partes a
partir do todo ou vice-versa.

(EF06MA08) Reconhecer que os números racionais positivos podem ser expressos nas
formas fracionária e decimal, estabelecer relações entre essas representações, passando
de uma representação para outra, e relacioná-los a pontos na reta numérica.

Nesta habilidade é importante o professor desenvolver um trabalho pautado na


História da Matemática com a finalidade de mostrar a representação decimal de um número
racional (absoluto) como sendo uma evolução de sua representação fracionária. A elaboração
do conceito de fração decimal por François Viète relacionou a base decimal característica do
SND com a necessidade de representar partes não inteiras nas medições.
Nesta habilidade, é proposto que o estudante seja capaz de distinguir entre qual das
duas representações (fracionária ou decimal) é a mais conveniente para determinada situação.
Para isso, sugere-se que o estudante possa: Determine a fração decimal equivalente a
determinada fração dada (e vice-versa); Identifique entre quais números inteiros se encontra

41
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

determinado valor no Sistema Monetário Nacional; Represente uma fração (própria ou


imprópria) na reta numérica.
Podemos salientar a importância que essa habilidade pode promover ao estudante,
pois o mesmo pode compreende a criação de um conceito (no caso, o de número decimal)
como sendo uma resposta a uma necessidade da humanidade (representar as partes obtidas em
uma medição de maneira mais eficiente). Os estudantes podem encontrar sentido em estudar
quando compreendem a criação de um conceito como sendo uma resposta a uma necessidade
da humanidade ou quando a Matemática é vista como uma ciência viva.

SUGESTÃO DE ACOLHIDA – PRÁTICA SOCIOEMOCIONAL

Texto Reflexivo para socialização com os alunos

A BAGAGEM DE CADA UM

Uma lenda popular do Oriente conta que um jovem chegou à beira de um oásis junto
a um povoado e aproximando-se de um velho perguntou-lhe:
_Que tipo de pessoas vive neste lugar?
O ancião perguntou então:
_ E que tipo de pessoas vive no lugar de onde você vem?
_ Um grupo de egoístas e malvados – replicou o rapaz – estou satisfeito de ter saído
de lá.
_ A mesma coisa você haverá de encontrar por aqui. _ O velho replicou.
No mesmo dia, um outro jovem se acercou do oásis para beber água e vendo o ancião
perguntou-lhe:
_ Que tipo de pessoas vive por aqui?
O velho respondeu com a mesma pergunta:
_ Que tipo de pessoas vive no lugar de onde você vem?
O rapaz respondeu:
_ Um magnífico grupo de pessoas amigas, honestas, hospitaleiras. Fiquei muito
triste por ter de deixá-las.
_ O mesmo encontrará por aqui – respondeu o ancião.
Um homem que havia escutado as duas conversas perguntou ao velho:
_ Como é possível dar respostas tão diferentes à mesma pergunta?
Ao que o velho respondeu:
_Cada um carrega no seu coração o meio ambiente em que vive. Aquele que nada
encontrou de bom nos lugares por onde passou não poderá encontrar outra coisa. Aquele que
encontrou amigos ali também os encontrará aqui. Somos todos viajantes no tempo e o futuro
de cada um de nós está escrito no passado, ou seja, cada um encontra na vida exatamente

42
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

aquilo que traz dentro de si. O ambiente, o presente e o futuro, somos nós que criamos e isso
depende de nós mesmos.

Vamos conversar:

1. Qual é o tipo de bagagem que você carrega? Pare um pouco para refletir sobre como é sua
relação com as outras pessoas. Você costuma se relacionar bem?

2. Você se dá bem com todos ou se isola?

3. Existem pessoas com as quais você se dá mal? O que você pensa delas?

Vivendo e Aprendendo:

1. De acordo com texto, nós nos relacionamos com as pessoas conforme as nossas
expectativas e maneira de ser. Mas isso pode ser mudado. Vamos nos dividir em grupos. Cada
grupo deverá escrever em uma folha as principais dificuldades de relacionamento com os
colegas em geral. O que cada um acha? Eles são brigões, existem alguns egoístas, outros são
fofoqueiros?

2. Depois vamos refletir sobre as características negativas citadas. Será que todos concordam?
Quais são os pontos positivos daqueles que achamos fofoqueiros? E daqueles que achamos
briguentos? Do que essas pessoas gostam?

3. Por fim, vamos tentar estabelecer quais são as melhores maneiras de criar uma convivência
melhor na classe. Quais são as atitudes e posturas que todo o grupo poderia adotar a fim de
melhorar o relacionamento com os colegas?

4. Para terminar, cada grupo deverá confeccionar um cartaz que simbolize a amizade e as
atitudes positivas que conservam os bons relacionamentos.

Temas Transversais Trabalhados e Valores Resgatados:

O texto proposto nos permite desenvolver temas de Ética, como os valores que
possibilitam o bom convívio; a reciprocidade nas relações humanas; o preconceito que nos
impede de enxergar o outro como ele realmente é, entre outros. Podemos assim resgatar
valores como a amizade, a solidariedade, a compreensão, o respeito, a compaixão, entre
outros.

43
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

SUGESTÃO DE DINÂMICA – PROTOCOLO SANITÁRIO

Os Cumprimentos

Nesse momento vou lhe contar a história de uma viajem que fiz a vários países e a
oportunidade que tive de conhecer suas culturas, suas riquezas e suas belezas.

Passei pela Índia: onde todos se cumprimentavam com um belo SORRISO;


Passei pela Rússia: onde todos se cumprimentavam com um BEIJO NO ROSTO;
Passei pela Suécia: onde todos se cumprimentavam com o ENCONTRO DOS
COTOVELOS;
Passei pelo Japão: onde todos se cumprimentavam TOCANDO OS JOELHOS;
Passei pelo Polo Norte e Alasca: onde todos se cumprimentavam com a PONTA DO
NARIZ;
Passei pelo México: onde todos se cumprimentavam TOCANDO OS PÉS;
Passei pelo China: onde todos se cumprimentavam com o ENCONTRO DO
BUMBUM;
Passei pelo Canadá: onde todos se cumprimentavam BATENDO PALMAS;

Finalmente o melhor momento foi quando eu cheguei ao Brasil, o meu país, terra
maravilhosa, calorosa, onde todos nós brasileiros nos cumprimentamos com muito afeto. É o
país onde sentimos o calor humano através do cumprimento mais fervoroso que é o
ABRAÇO.

- Vamos conversar:

1. Essa dinâmica aborda as diferentes formas de cumprimento. No contexto da pandemia de


COVID-19 sua forma de cumprimentar mudou? O que você acha da nova forma de
cumprimentar as pessoas? Você segue o protocolo sanitário?

2. Dos cumprimentos abordados na história, qual não pode ser feito nesse tempo
pandêmico?

3. Você percebeu que existem diversas maneiras de cumprimentar, de acolher aquele que
chega. E na sua família, de que maneira você costuma cumprimentar seus pais, irmãos,
avós, padrinhos, etc.? É igual para todos? Se existem pessoas as quais você cumprimenta
de maneira especial, diga por que é diferente.

4. Será que existem pessoas das quais você gostaria de receber um carinho especial? Como
você gostaria de ser cumprimentado por elas? Por quê?

5. O respeito e autoridade de determinadas pessoas se manifestam inclusive pela forma que


nos referimos a elas. Você não chama seu pai ou professor de “cara”, ou “mano”, nem
sua avó de “mina”. Mas será que é certo desrespeitarmos alguém só porque é mais novo,
44
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

mais pobre ou diferente de nós? Como você se sentiria se fosse tratado sem nenhuma
consideração?

- Fazendo Arte:

1. A maneira de cumprimentar é uma espécie de símbolo social. Você pede a benção dos
mais velhos ou daqueles que podem lhe proteger, beija os mais íntimos, aperta a mão dos
mais cerimoniosos etc. Dizendo “oi”, “como vai”, “olá”, “tudo bem?”, faça um cartaz,
utilizando desenho e colagem, que expresse a sua maneira de dar boas-vindas para aqueles
que chegam até você nos dias de hoje com a pandemia do COVID-19

- Temas Transversais Trabalhados e Valores Resgatados:

A partir das atividades propostas podemos desenvolver diversos temas em


Pluralidade cultural, partindo das diferentes formas de se expressar carinho, afeto ou
reconhecimento, nas diferentes culturas. Podemos também trabalhar temas em ética,
questionando as hierarquias, e o respeito entre as pessoas dentro da sociedade. Ao mesmo
tempo, resgatando valores, como afetividade, respeito, reconhecimento e protocolo sanitário
em tempos de pandemia e etc.

Texto Reflexivo para dinâmica com os alunos – Grupo A, B e C

DINÂMICA DO REPOLHO E DA ROSA

Quantas vezes “estou” como um “repolho”. Minha condição perfeitamente humana


me faz nascer aberto para a vida, para me descobrir e descobrir os outros. Mas essa mesma
condição humana muitas vezes me faz não permitir errar, dizer o que sinto, o que penso, o que
me angustia, o que me deixa ansioso, o que me enraivece... e desse mesmo jeito, não
conseguir ajudar quem se angustia, quem sente raiva... E isso tudo faz me fechar como um
repolho, que embrulha as folhas cada vez mais em busca de defesa.
Quando me sinto repolho, me fecho, não permitindo que as pessoas se aproximem de
mim. Sinto-me repolho quando eu não estou aberta às mudanças, quando tenho medo do
novo, medo do outro, medo de mim mesmo e por isso, não estou aberto a ajudar os outros...
Então, engulo minhas raivas, minhas frustrações, meus medos, e fecho-me no meu EU-
repolho.

45
Guia Pedagógico de retorno às aulas presenciais

Porém, a vida nos ensina que podemos ser como uma rosa. Meu desabrochar é
vagaroso e terno quanto o desabrochar de suas pétalas porque vou me conhecendo a cada dia.
Sinto que posso me abrir e dizer às pessoas o que me deixa triste e alegre, o que me angustia,
o que me dá raiva, o que me deixa feliz!
Sinto-me rosa quando sou capaz de, com delicado perfume, colocar a minha raiva
para fora de mim, sem ferir os outros com espinhos, mas também não permitindo que os seus
espinhos me machuquem. Assim, como rosa, posso me “comover” com o outro que ainda não
conseguiu ser rosa, quando sou capaz de entendê-lo, e ajudá-lo a resolver seus problemas,
acolhendo, estando do seu lado.
Sinto-me rosa porque me abro para novas descobertas e mantenho o meu estado de disposição
para buscar o que é melhor para mim e para o outro e, assim, encontrar diferentes formas de
ser rosa... E você o que deseja ser? Repolho ou rosa?

Luciene Regina Paulino Tognetta

- MATERIAL: Duas folhas de papel A4 para cada estudante e o texto “O Repolho e a


Rosa”
- COMO FAZER:
1. Na primeira folha, os estudantes devem desenhar como nasce um repolho. A leitura do
texto leva eles a entenderem que um repolho nasce com as folhas todas abertas e, com o
tempo, elas vão se fechando uma sobre a outra.
Em seguida, os estudantes precisam escrever sobre situações que aconteceram em sua vida
que fizeram com que eles fossem se fechando (situações em que foram excluídos, perderam
alguém, sofreram uma decepção etc.).
2. Na outra folha de sulfite, os estudantes desenharão como nasce uma rosa, de acordo com o
texto o botão de rosa vai se abrindo até que forma uma flor harmoniosa.
Depois de desenharem, escrevem sobre situações da vida em que se sentiram felizes e
motivados a se abrirem.

46

Você também pode gostar