Você está na página 1de 20

ESTUDO DE CÉLULAS

Introdução:
O tema da igreja esse ano é, ENVOLVA-SE e o texto base é : Mt 6:33.
Mais do que nunca precisamos no envolver com o reino de Deus e não permite que os
problemas e desafios do dia-dia nos tirem do foco que é colocar o Reino de Deus e m primeiro
lugar.
Mas o que é envolver-se ?
Como podemos nos envolver no Reino de Deus?
DESCUBRA AGORA!

1- (Se Envolva na Oração Individual e em Grupo) A ORAÇÃO COMO ESTILO DE VIDA


I Ts 5:17
2- (Se Envolva na Leitura Sistemática da Bíblia) ESTUDO COMPROMETIDO DA
PALAVRA
Cl 3:16 A
3- (Se envolva e se Apaixone por Jesus) ADORAÇÃO CONTAGIANTE
Cl 3:16
4- (Ajude aos Necessitados) SOCORRO AOS NECESSITADOS
Sl 41:1
5- FAÇA DISCÍPULOS
Mt 28:19,20
6- Todos temos talentos por isso devemos manifestar em nossa igreja
I Co 14:26

Conclusão:
É muito importante que venhamos desenvolver tudo aquilo para o qual fomos chamados,
crescer nessas áreas fará você crescer espiritualmente e na igreja, ENVOLVA-SE!
Avisos:
13-16 de Fevereiro teremos a CONFERENCIA ENVOLVA-SE, estará conosco um equipe de
São Luis.
PARA O LÍDER
 Semana que vem iremos falar sobre vida de oração e compromisso com a palavra, ajude
seus discípulos a terem um plano de leitura bíblica e de oração.
ESTUDO DE CÉLULAS

ENVOLVA-SE COM A ORAÇÃO E COM A LEITURA DA PALAVRA

Textos Mt 4:4;Cl 3:16; 2 Tm 3:16,17; Col 4:2; 1 Te 5:17; Jd 20

Orientações para se Envolver

1-Vida de Oração
 Separe um tempo diário para orar (mínimo 15 minutos)
 Desenvolva o culto doméstico na sua casa com sua família, nosso aplicativo
temos 4 modelos de culto doméstico para você fazer, cada um tem vários dias de
culto, tudo bem organizado com sugestão de leitura, louvor e brincadeiras de
houver crianças.
 Toda terça-feira temos culto de Oração no Prédio da Igreja.
 Durante o ano teremos vigílias nas sextas-feiras quando for marcado.
 A começar pela primeira segunda-feira de cada mês teremos a partir de Fevereiro
a nossa semana de oração. A primeira desse ano começa no dia 01 de fevereiro.

2-Compromisso com a Palavra


 Leia pelo menos 3 capítulos da bíblia diariamente
 Se é novo convertido comece lendo 1º João, depois Evangelho de João, logo
após leia todo o novo testamento a começar do evangelho de Mateus.
 Você pode também pegar o plano de leitura bíblica anua que temos disponível
na secretaria da igreja e ler toda a bíblia ainda esse ano.
Avisos:
13-16 de Fevereiro teremos a CONFERENCIA ENVOLVA-SE, estará conosco um equipe de
São Luis.
Já temos camisas do tema da igreja esse ano pra vender, as vendas são feitas por encomenda.

PARA O LÍDER
 Ajude seus discípulos a terem um plano de leitura bíblica e de oração.
 Faça uma campanha de oração e leitura bíblica com sua célula
essa semana, depois compartilhem em nossas redes sociais a
experiência.
ESTUDO DE CÉLULAS

ENVOLVA-SE COM UMA ADORAÇÃO CONTAGIANTE.


Somos desafiados a termos uma adoração contagiante. Mas o que venha ser essa
adoração?
Para nos envolvermos precisamos entender a diferença de adoração e expressão de
adoração. Adoração é o que eu sou por dentro e adoração é minha expressão por fora, por
exemplo, cantar, dançar, bater palmas, ajoelhar, são expressões de adoração, porém não
significa que quem faz isso estar adorando. QUEM ADORA EXPRESSA, MAIS NEM TODOS
QUE EXPRESSAM ADORAM. A adoração está ligada ao meu estilo de vida, meu amor a
Deus, a maneira como vivo diante dele e do mundo, ao meu compromisso com sua palavra.
Adorar é amar a Deus sobre todas as coisas, é colocar o reino de Deus em primeiro lugar, é
viver uma vida consagrada a Deus. Ai sim expressamos nosso compromisso com Deus através
das músicas, danças e mais variadas expressões de louvor.

Para conversar na célula

1-Leiam Mateus 15:1-9, encontre nessa passagem o que é adoração.

2- Nem todos que se expressam adoram, você concorda? Explique.

3-Leiam Col 3:16, dar pra praticarmos isso? Como?

Avisos:
 13-16 de Fevereiro teremos a CONFERENCIA ENVOLVA-SE, estará conosco um
equipe de São Luis.
 Estamos na semana de oração, participe. Sexta (dia 05) temos vigília às 21hs
Já temos camisas do tema da igreja esse ano pra vender, as vendas são feitas por encomenda.

ESTUDO DE CÉLULA
ENVOLVA-SE NO SOCORRO AOS NECESSITADOS
Lc 10: 25-37

Estas duas semanas iremos focar em outro ponto do Envolva-se que é o socorro
aos necessitados. Baseado na parábola do bom Samaritano vamos refletir sobre quem é o nosso
próximo.
Para discutir em grupo:
1- O que representa o sacerdote da parábola?
2- O que representa o levita?
3- Quem é nosso próximo?
Líder: Dê uma explicação sobre a parábola e como devemos aplicar na célula.

Dicas para o líder:


Na próxima reunião iremos praticar uma AÇÃO SOCIAL ATRAVÉS DA CÉLULA.
Como sugestão pode ser:
-Distribuição de roupas a famílias carentes
- Sopão em uma comunidade
-Um jantar ou almoço só para pessoas carentes que não são da sua célula
-Corte de cabelo, manicure, pedicure
-Distribuição de brinquedos
- Arrumar uma casa necessitada;
ou outra ideias que vocês tiverem.

ESTUDO DE CÉLULAS
Vamos fazer discípulos? (parte 1)
OBJETIVO: Conhecendo o propósito do discipulado cristão.

QUEBRA-GELO: Quem levou você a conhecer a Jesus Cristo? Quando isto aconteceu? 
Louvor e adoração  Falando do tema  Perguntas para aprofundar  Oração e ministração
TEXTO BÍBLICO: Romanos 8.29; I Coríntios 11.1
FALANDO DO TEMA:
Como responder a esta pergunta: Qual é o alvo do discipulado? Parece óbvio, mas não é. Falar
do alvo logo no início parece fora de lugar. Mas não é. Sem um alvo claro e definido podemos
fazer muito esforço para nada. Se você não tem um alvo para sua vida é provável que você
vagueie sem direção. Mas, porque isto é importante?
Só para testarmos, quantos aqui sabem qual é o propósito do discipulado?
O alvo não é fazer um membro melhor, um crente mais capacitado, um líder maduro. Embora
todas estas coisas façam parte do processo, este não é o alvo. Muitos vivem anos na igreja sem
conhecer o verdadeiro propósito de Deus.
Nosso alvo na vida é SER SEMELHANTE A JESUS. Ser parecidos com Ele, ser iguais a Ele,
ter o Seu caráter gerado em nós. Então o discipulado tem como alvo ajudar os discípulos a
serem semelhantes a Jesus.
I. O PROPÓSITO DE DEUS
Quando compreendemos e abraçamos o propósito de Deus, este propósito se constitui em nosso
chamado, nossa vocação (Rm 8.28-30; II Tm 1.8-9). Este chamado, esta vocação é para sermos
participantes do seu propósito em dois sentidos:
a) Sendo filhos, à semelhança de Jesus
b) Tornando-nos cooperadores de Deus no cumprimento de Seu propósito, levando outros a
entrarem neste mesmo propósito.
Qual o alvo do Discipulado?
O alvo do discipulado é levar as pessoas a serem semelhantes a Jesus
Isto tem dois:
1. Ser semelhante a Ele no Caráter. Ser obediente, submisso, fiel, perdoador, manso, cheio de
misericórdia.
2. Ser semelhante a Ele no Poder. Expulsar demônios, curar enfermos, ter discernimento de
espíritos, sinais e prodígios.
COMPARTILHANDO:
1. Que passagem bíblica você se recorda de Jesus discipulando seus apóstolos? Quem foi e
como foi? 2. Na célula, de certa forma você é discipulado. Cite um momento em que o Espírito
Santo mudou um comportamento ou atitude sua, depois de receber o estudo bíblico?

ESTUDO DE CÉLULAS
Vamos fazer discípulos? ( parte 2)

OBJETIVO: Conhecendo o propósito do discipulado cristão.


QUEBRA-GELO: Qual foi a primeira pessoa com quem você andou, após receber a
Cristo como Salvador?  Louvor e adoração  Falando do tema  Perguntas para
aprofundar  Oração e ministração
TEXTO BÍBLICO: Mateus 28.18-20
FALANDO DO TEMA: O discipulado não é um programa. O discipulado não é um
evento. O discipulado não é uma reunião. O discipulado é a estratégia que Jesus deixou
para cumprirmos a ordem de fazer discípulos. Então pensando nisso vamos usar a
seguinte definição:
1. “O Discipulado é uma Relação ...” Discipulado não é um programa, nem uma
estrutura, nem um curso, reunião, culto ou apostila. Em Mc 3.14-15; Jesus escolhe os
seus discípulos “Então designou doze para ESTAREM COM ELE...”. A primeira
atividade a que Jesus chamou os seus discípulos foi RELAÇÃO. O discipulador pode
criar uma estratégia para atingir um alvo com seu discípulo, utilizando do seu próprio
exemplo de vida e até materiais.
2. “O discipulado é uma relação comprometida e pessoal ...”. Isto requer tempo
junto. Requer também um relacionamento de família. Esta relação vai gerar intimidade
e informalidade. A mesma relação de Jesus com os discípulos. De um pai para com um
filho.
3. “... onde um discípulo mais maduro...” O que é Maturidade? A maturidade não é
uma posição à qual chegar, e sim um processo. Maturidade é estar num processo
contínuo de crescimento. Fp 3.12-17 mostra isso com clareza.
4. “... ajuda a outros discípulos de Jesus Cristo ...”Essa ajuda tomará diferentes
formas, dependendo da etapa na qual o discípulo se encontra. O alvo desejado deste
relacionamento é a Interdependência.
5. “... a serem semelhantes a Ele ...”. Deus não se alegra apenas com números. Ele
não deseja ter uma família de qualquer jeito. Quer seus filhos com uma qualidade de
vida semelhante à vida de Seu Filho Jesus: Humildes e mansos como Ele (Mt 11.29);
que sirvam como Ele (Jo 13.14-17); que amem como Jesus amou (Jo 13.34); que
preguem ao mundo como Ele o fez (Jo 17.18); que perdoem como Ele perdoou (Cl
3.13); que sejam santos como Jesus (I Pe 1.15); e que andem como Ele andou (I Jo 2.6).
6. “... e assim reproduzirem”. II Tm 2.2 – Processo de multiplicação. Quantas
gerações têm aqui? Paulo, Timóteo, Homens fiéis, Para Instruir a outros.
COMPARTILHANDO
1. O que vocês pesquisaram sobre ser um discípulo de Jesus, um membro de igreja e um
religioso?
2. Com o que aprendemos hoje, em qual posição você se situa?

Estudos de Células
QUAL O PERFIL DE UM DISCIPULO DE CRISTO?
OBJETIVO: Conhecendo o perfil de um discípulo de Cristo.
QUEBRA-GELO: Se você soubesse que deveria entrar no serviço militar, você
entraria na Marinha, Exército ou Aeronáutica? Por quê?
TEXTO BÍBLICO: Lucas 14.25-33
FALANDO DO TEMA
Muitos cristãos sinceros não sabem com clareza e método, desenvolver-se na vida
cristã. Muitos, por conhecerem pouco a Bíblia, tornam-se indefesos, mais vulneráveis
aos ataques de satanás. Quando demonstram vontade de estudar a Palavra de Deus,
estão no melhor momento de suas vidas para mudarem seu modo de acordo com a s
escrituras (Efésios 4.20- 24). Quando feito através de um discipulado pessoal ou em
pequeno grupo, o crescimento espiritual é mais rápido e aprimorado.
I. O QUE É UM DISCÍPULO? Segundo a definição do Pr. David Kornfield: “Um
discípulo é uma pessoa cujo compromisso principal na vida é SEGUIR a seu mestre,
desenvolver-se para ser como seu mestre, e fazer a vontade do seu mestre”.
COMPARTILHANDO: 1. Fale com suas próprias palavras o que compreendeu desta
definição? Podemos simplificar nossa definição de um discípulo da seguinte forma: Um
discípulo é um SIM (Seguidor Integral do Mestre).
II. QUALIDADES CHAVES DE UM DISCÍPULO
1. Ele é nascido de novo. Ele tem uma genuína experiência com Deus. Ele se arrepende
dos pecados, ele entrega o governo da sua vida a Jesus, Ele renuncia à rebelião e à
obstinação. (Jo 3.1-7)
2. Ele tem profundo desejo de ser igual a Jesus. Tem fome do Reino de Deus. Deseja
conhecer intimamente a Deus; procura o reino de Deus acima de todas as outras coisas.
(Mt 6.33)
3. Ele é Ensinável. Está motivado para aprender, ouve e acata aquilo que a Bíblia diz.
(Mt 5.6; Mt 13.10-13; Hb 5.11-14).
4. Ele está disponível. Ele prioriza o discipulado. Seu coração é entregue ao Reino de
Deus e por isso ele se faz disponível. Precisa ser alguém que esteja disposto a investir
tempo no relacionamento e no aprendizado. (Lc 9.57-62).
5. Ele é submisso à Palavra e responde à sua voz. Ele procura ouvir sua orientação. Pessoa
obediente, mesmo que com renúncia pessoal. Está disposto a ser corrigido. (Jo 10.3-5)
6. Ele é fiel. Ele cumpre com sua palavra. Quando diz algo, dá para confiar nele. (II Tm 2.2; Sl
15)
7. Ele é um multiplicador. Ele procura fazer discípulos, quer reproduzir em outros. (Mt 4.18-20)
COMPARTILHANDO:
1. Das qualidades de um discípulo mencionadas, cite dois que se destacaram para você. 2. E
qual delas você precisa evidenciar em sua vida?

ESTUDO DE CÉLULAS
O CULTO EM FAMÍLIA ( 1ªparte)

CULTUAR JUNTOS NAS CELEBRAÇÕES PÚBLICAS


Devemos desenvolver o hábito de cultuar a Deus em família, o que envolve –
primariamente – o ir juntos à Casa do Senhor, como vemos acontecendo desde os dias
do Velho Testamento:
“Todo o Judá estava em pé diante do Senhor, como também as suas crianças, as suas
mulheres e os seus filhos.”  (2 Crônicas 20.13)“No mesmo dia, ofereceram grandes
sacrifícios e se alegraram; pois Deus os alegrara com grande alegria; também as
mulheres e os meninos se alegraram, de modo que o júbilo de Jerusalém se ouviu até
de longe.”  (Neemias 12.43)
Elcana subia com toda a sua família para adorar ao Senhor (1 Sm 1.1-5). Acreditamos
que pais cristãos devem levar seus filhos ao prédio da igreja. Mesmo que ela não seja
perfeita (e não é, porque não existe igreja perfeita!), é melhor que eles cresçam num
ambiente que exalta ao Senhor e Sua Palavra do que num ambiente mundano que exalta
o pecado e os prazeres da carne.
Lemos no Evangelho de Lucas que os pais de Jesus o levaram ao templo para
consagrarem-no ao Senhor (Lc 2.22-24), depois há registros de que o fizeram por
ocasião da Festa da Páscoa quando ele estava com 12 anos (Lc 2.41-43), mas a maior
evidência de que Jesus cresceu exposto ao ensino da Lei na Sinagoga era o
conhecimento que Ele trazia (como homem) das Escrituras.
CULTUAR JUNTOS NAS CASAS E GRUPOS MENORES
Cultuar ao Senhor em família não envolve somente as celebrações públicas da igreja,
mas também deve abranger as reuniões nas casas (nós, particularmente, denominamos
estas reuniões nas casa de “células”). A Igreja do Senhor Jesus, desde o início, também
se reunia nas casas:
“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa,
comiam com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus, e caindo na graça de
todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.”  (Atos
2.46,47)
Além dos encontros públicos (como o que se dava no pátio do templo), era nas casas
que a Igreja de Cristo não só partia o pão (seja a ceia do Senhor ou os ágapes – as festas
de amor) como também louvava a Deus e ganhava outras pessoas para Jesus. Era nas
casas também que a palavra do Senhor era pregada:
“E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar, e de
anunciar a Jesus, o Cristo.”  (Atos 5.42)
“…não me esquivei de vos anunciar coisa alguma que útil seja, ensinando-vos
publicamente e de casa em casa.”  (Atos 20.20)
Avisos:
Recolha cesta básica
ESTUDO DE CÉLULAS
O CULTO EM FAMÍLIA ( 2ªparte)
CULTUAR JUNTOS EM NOSSA PRÓPRIA CASA
Além das reuniões públicas e nas casas, podemos ter reuniões ainda menores. Jesus, por
exemplo, falou de dois ou três reunindo-se em seu nome para orar. Creio que devemos cultivar
o hábito de ter um culto familiar em nossa própria casa. Foi exatamente isto que aconteceu na
casa de Cornélio (At 10.33). A reunião familiar também não precisa acontecer apenas dentro de
casa, podemos nos reunir em algum outro lugar (e até mesmo com outras famílias) para buscar
ao Senhor:
“Passados aqueles dias, tendo-nos retirado, prosseguimos viagem, acompanhados por
todos, cada um com sua mulher e filhos, até fora da cidade; ajoelhados na praia, oramos.”
(Atos 21.5)
Lucas revela-nos, no livro de Atos dos Apóstolos, detalhes de um ambiente de busca ao Senhor
nas casas daqueles que os hospedavam:
“E no dia seguinte, partindo dali Paulo, e nós que com ele estávamos, chegamos a
Cesaréia; e, entrando em casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com
ele. E tinha este quatro filhas virgens, que profetizavam. ”  (Atos 21.8,9)
O enfoque das filhas profetizando (como foi predito pelo profeta Joel – Jl 2.28) revela um
ambiente de oração e fluir dos dons dentro da casa de Filipe, o evangelista.
ORANDO JUNTOS
Penso que além de cobrir a vida dos familiares com oração, o cabeça do lar deve proporcionar
um ambiente de oração onde os seus não só recebam oração em seu favor, mas também
aprendam a orar uns pelos outros. Além disso, sempre que possível, a família também deve
procurar orar junta, assim como pratica o costume de comer junta. O salmista fala dos filhos à
volta da mesa:
“A tua mulher será como a videira frutífera, no interior da tua casa; os teus filhos como
plantas de oliveira, ao redor da tua mesa” (Salmo 128.3)
Muitas famílias deixaram de se reunir à volta da mesa para comer cada um no seu canto, na sua
hora, ou até mesmo em frente à televisão. Isto é errado! A mesa é um lugar de comunhão!
Porque deixamos de praticar muitas tarefas em conjunto, como família, é que hoje nos parece
algo tão estranho e desconfortável tentar reunir a família para orar e adorar a Deus.
Uma família cristã deve aprender a prática da oração conjunta. Não quero dizer orar junto o
tempo todo, pois a vida de oração e devoção a Deus ainda tem caráter individual, mas isto
também deve acontecer no ambiente familiar. Quando uma família ora junto, goza de princípios
operando em seu favor que, seus membros, orando sozinhos, não chegariam a experimentar.
“Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que
pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Pois onde se acham dois ou
três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.
”  (Mateus 18.19,20)
A Bíblia mostra que deve haver sintonia natural e espiritual entre a família (o que o apóstolo
Pedro aplica ao casal serve também para toda família). Desentendimentos vão roubar o poder de
unidade nas orações, que por sua vez serão impedidas:
“Igualmente vós, maridos, vivei com elas com entendimento, dando honra à mulher, como
vaso mais frágil, e como sendo elas herdeiras convosco da graça da vida, para que não
sejam impedidas as vossas orações.”  (1 Pedro 3.7)
Muitos de nós normalmente não paramos para pensar na responsabilidade que temos como pais.
Se deixarmos nossos filhos entregues à influência do mundo que os cercam de todos os lados
(na escola, na mídia – que envolve televisão, rádio e principalmente a internet – na vizinhança,
etc.) e não os levarmos à presença do Senhor para que aprendam a amá-Lo e temê-Lo,
poderemos perdê-los espiritualmente (e eternamente).
ESTUDO DE CÉLULA (3ª PARTE)

ENSINANDO E CORRIGINDO OS FILHOS


Como pais, temos a responsabilidade de ministrar (e corrigir) nossos filhos no caminho do
Senhor:
“E vós, pais, não provoqueis à ira vossos filhos, mas criai-os na disciplina e admoestação
do Senhor.”  (Efésios 6.4)
Quais as consequências de se negligenciar o ensino da Palavra em casa? Juízo divino para o
cabeça do lar, além da evidente rebeldia e frieza espiritual que se manifestará vida dos filhos. A
primeira palavra profética que Samuel proferiu foi contra alguém que ele certamente amava: o
sacerdote Eli, que o criara no templo. E o que Deus disse envolvia a casa dele e sua negligência
no sacerdócio familiar:
“Naquele dia, suscitarei contra Eli tudo quanto tenho falado com respeito à sua casa;
começarei e o cumprirei. Porque já lhe disse que julgarei sua casa para sempre, pela
iniquidade que ele bem conhecia, porque seus filhos se fizeram execráveis, e ele não os
repreendeu.”  (1 Samuel 3.13)
O Senhor trouxe advertências anteriores, mas Eli não deu ouvidos. Deus está falando de
negligência, aqui. Diz que embora conhecesse bem o pecado dos filhos, Eli não os repreendeu.
Toda omissão na vida espiritual do lar sempre trará consequências sérias. Davi teve problemas
com vários de seus filhos, e se você estudar com calma a história dele, perceberá o quanto ele
era negligente em relação a seus filhos. Adonias, assim como Absalão, se exaltou, querendo
usurpar o trono. Mas por trás desta atitude de rebelião, a Bíblia mostra a negligência de Davi
como líder espiritual em sua casa:
“Jamais seu pai o contrariou, dizendo: Por que procedes assim?”  (1 Reis 1.6)
Se não queremos sérios problemas futuros com nossos filhos, muito menos a qualidade do
relacionamento deles com Deus comprometidos, então precisamos ser dedicados em ministrar,
ensinar e proteger espiritualmente as suas vidas.
Quando temos nosso culto familiar instruímos nossos filhos de forma prática sobre como viver
o Evangelho entre seus amigos de escola. Perguntamos e eles abrem o coração sobre suas
dificuldades e oramos juntos. Mas também permitimos que eles compartilhem o que estão
descobrindo acerca das verdades da Bíblia em seu tempo de leitura e estudo e como podemos
viver e aplicar isto em nosso cotidiano.É claro que não os ministramos só na hora do culto, mas
sempre que a ocasião se mostrar necessária. Porém, descobrimos que, em nosso culto em
família, temos um dos melhores ambientes para exercer nossa responsabilidade de, como pais,
ensinar a Palavra de Deus a nossos filhos:
“E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; e as ensinarás a teus filhos, e
delas falarás sentado em tua casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te.”
(Deuteronômio 6.6,7) “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando
envelhecer não se desviará dele.”  (Provérbios 22.6)
COMO DEVE SER O CULTO?
Nossos cultos familiares variam de quinze minutos a mais de uma hora. Depende do dia e do
tempo que temos. Mas procuramos manter uma estrutura básica. Eis o que fazemos: 1)
Adoramos a Deus com canções e declarações de amor e gratidão. Minha esposa e meus filhos
tocam instrumentos musicais (eu só toco sino – e não dá para dizer que faço muito bem!), logo é
difícil o dia em que não temos uma boa música. Porém, quando estamos em viagem, longe do
violão e do piano, apenas cantamos juntos. 2) Oramos de modo organizado distribuindo os
pedidos e alvos de oração e intercessão. 3) Temos um momento de compartilhar da Palavra de
Deus. Porém, não é necessariamente uma pregação; é mais um compartilhar que tentamos fazer
ser seguido de uma aplicação prática. Embora, por serem filhos de pregadores, nossas crianças
gostem de dar o que eles mesmos chamam de uma “pregadinha”. Isto é o que fazemos em nossa
casa.
Contudo, cada um deve decidir a forma como conduzirá o culto em sua própria casa. Procurei
seguir o modelo que aprendi na casa dos pastores Abe e Andrea Huber, porém, com a liberdade
de fazer as adaptações do que, como família, já fazíamos muito bem – como o nosso estilo de
cantar, orar e compartilhar a Palavra.
Que o Senhor ajude a cada um a, não somente começar este prática, como também a perseverar
nela. Isto será saúde e proteção espiritual para o seu lar!!!
ESTUDO DE CÉLULAS

POR QUE DEVEMOS EVANGELIZAR (parte 1)

1-Porque Jesus era um ganhador de almas


Esta afirmação é fiel e digna de toda aceitação: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar
os pecadores, dos quais eu sou o pior. 1 Timóteo 1:15

Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido".Lucas 19:10
 Jesus veio salvar as pessoas
 Jesus foi aonde as pessoas estavam
 Jesus disse para nós IRMOS E TRAZERMOS, os pecadores. 2 Co 5:18,19; Rm
10:13,14

2- Por que a colheita é grande


Então disse aos seus discípulos: "A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos.
Mateus 9:37

 Jesus enviou obreiros para os campos de colheita. Lc 10:1-3,19


 Devemos buscar as pessoas lá fora onde eles vivem, trabalham e se divertem,
Lc 14:22,23

3-Porque os obreiros são poucos


Então ouvi a voz do Senhor, conclamando: "Quem enviarei? Quem irá por nós? " E eu
respondi: "Eis-me aqui. Envia-me! "
Isaías 6:8
 Bilhões precisam ouvir
“Dados apontam que 42,3% da população mundial ainda não teve a
oportunidade de conhecer Jesus e nem os evangelhos. A informação
é da organização cristã Joshua Project, que procura definir os grupos
étnicos que mais precisam de missionários e missões. A porcentagem
corresponde à cerca 3,12 bilhões de pessoas. Ainda de acordo com a
organização, a situação mais crítica está na Ásia, onde cerca de 60%
da população ainda desconhece Cristo...
Fonte: http://www.cpadnews.com.br/universo-cristao/34772/mais-de-3-bilhoes-de-pessoas-nunca-ouviram-
falar-de-jesus-diz-organizacao-crista.html

Perguntas na reunião:

1- Se dependesse do seu esforço essa cidade seria evangelizada?


2- Para evangelizar é preciso algum dom especial ou todos podem?
3- Como podemos evangelizar nossa comunidade?

POR QUE DEVEMOS EVANGELIZAR (parte 2)

4. Por causa da grande Incumbência


E disse-lhes: "Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.
Marcos 16:15

 Todo crente tem três responsabilidades:


1- Ministrar ao Senhor em oração, louvor e adoração.
2- Ministrar uns aos outros com uma relação afetuosa e apoio financeiro e
espiritual.
3- Ministrar ao mundo curando os enfermos, expulsando demônios e pregando
o evangelho da reconciliação com Deus.
 É um grande privilegio. Cristo não nos deixou um privilégio maior do que o de
proclamar o evangelho para todas as criaturas. Isto foi o que fizeram dia e noite,
os primeiros discípulos.
 A todo crente foi dada essa incumbência
 Deus nos conduzirá. Mt 28:20; Mc18:20

5. Porque ainda dar tempo, Jesus ainda não voltou


E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo como testemunho a todas
as nações, e então virá o fim. Mateus 24:14

Enquanto é dia, precisamos realizar a obra daquele que me enviou. A noite se


aproxima, quando ninguém pode trabalhar.João 9:4

6-Por causa da experiência que tivemos


como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação,
primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram.
Deus também deu testemunho dela por meio de sinais, maravilhas, diversos
milagres e dons do Espírito Santo distribuídos de acordo com a sua vontade.
Hebreus 2:3,4

Fim de tema:
Querido líder é hora de refletir com sua célula se estão fazendo tudo o que é
possível para que vidas sejam alcançadas. É hora de se arrepender, ajustar o foco na
missão de evangelizar, ajuste sua célula, chame-os com muito amor e carinho para
terem um programa de evangelização como parte da célula. Orem todos por isso!
ESTUDO DE CÉLULAS
COMPROMISSO COM A IGREJA =A IGREJA E VOCÊ

OBJETIVO: Conhecendo o conceito bíblico de igreja e sua importância na vida do


cristão.

QUEBRA GELO:

Conte o que é a igreja para você?


 Louvor e adoração
 Falando do tema
 Perguntas para aprofundar
 Oração e ministração
TEXTOS BÍBLICOS: Efésios 4.13-14, Atos 2. 42-46, Hebreus 10.25

FALANDO DO TEMA: O maior desafio da igreja do século XXI é a formação de


cristãos realmente compromissados com o Evangelho de Jesus Cristo e com sua igreja.
É tarefa da igreja esta formação. Jesus ordenou que fôssemos e fizéssemos discípulos
em todas as nações. De que modo? Ensinando-os a guardar, a obedecer todas as coisas
que Jesus disse (Mt 28:19). É tarefa da igreja em empreender todo esforço neste
propósito. Conduzir o crente a ser semelhante a Cristo, no caráter e na vida é um
investimento constante, um treinamento árduo. Este esforço conduzirá o crente rumo à
maturidade espiritual.

COMPREENDENDO A IGREJA

O conceito que você tiver da igreja determinará o seu envolvimento e


participação nela. Então responda em poucas palavras: O que é a igreja para você? A
igreja existe para que?

Em pesquisas recentes do crescimento da igreja, apontam que de maneira geral


apenas 10% dos membros de uma igreja estão envolvidos em algum ministério. Os 90%
restantes são meros frequentadores, ou seja, os consumidores. Isto mostra, o quanto é
irrelevante para muitos membros a igreja.
I Coríntios 12.12-14 “Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros,
e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com
respeito a Cristo. Pois, em um só Espírito, todos nós fomos batizados em um corpo,
quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um
só Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos”.
A Bíblia afirma que a igreja não são as paredes, mas eu e você que recebemos a
Cristo como único Senhor e Salvador. A igreja é o corpo de Cristo e cada um dos
cristãos, membros deste corpo. Cada salvo em Cristo é introduzido neste corpo
espiritual pelo Espírito Santo, é o que quer dizer que “fomos batizados em um corpo”.
O corpo de Cristo tem muito membros, e o apóstolo Paulo, compara a igreja
com o nosso corpo físico, onde temos muito membros, e cada membro tem a sua
função. O apóstolo também ressalta que cada membro é muito importante no corpo.
Todos são necessários.
Efésios 5.23 “porque o marido é o cabeça da mulher, como também Cristo é o
cabeça da igreja, sendo este mesmo o salvador do corpo”

O apóstolo Paulo afirma que Jesus Cristo é o cabeça da igreja, e nós membros
deste corpo, no qual Ele é o Salvador.
O Espírito Santo atraiu você a Cristo e o inseriu em seu corpo. Portanto, a igreja
é formada pelo povo de Deus, que foi redimido pela obra da cruz e selado pelo Espírito
Santo. A igreja como corpo de Cristo é composta por todos os crentes de todos os
tempos, de todas as nações, de todas as línguas, raças, tribos e nações. E ainda os que já
morreram em Cristo e os que ainda serão salvos.

CARACTERÍSTICAS DA IGREJA
Quando falamos em igreja podemos destacar algumas características
importantes nela.
 Ela é universal – pois engloba todos os crentes de todas as nações e épocas.
 Ela é local – para permanecer mais junta e cooperando os membros uns com
os outros, ela também se reúne em grupos menores, como as células, e grupos maiores
em locais específicos.
 Ela é invisível – é a igreja de todos cristão que já partiram em Cristo e os
vivos em todas as nações, que são impossíveis encontra-los e ajuntá-los.
 Ela é visível – é a igreja na qual os seres humanos, que creem em Jesus,
fazem a sua profissão de fé e são conduzidos dentro dos ensinamentos bíblicos, conduta
cristã, no ministério da Palavra e dos sacramentos, e na organização externa e seu
governo.
 Ela é militante – significa que a igreja continua lutando contra os poderes das
trevas, e toda hoste maligna deste mundo em favor daqueles que ainda encontram-se
perdidos sem Cristo, que nada ouviram das boas palavras da salvação em Jesus.
 Ela é triunfante – significa a igreja que já não mais milita, mas alcançou a
vitória. É formada por aqueles que viveram em Cristo, na terra, mas já morreram.
Aguardam a ressurreição final de todos os santos.

COMPARTILHANDO
1. O apóstolo Paulo faz uma comparação da igreja a uma família e a um edifício.
Quais são as características mencionadas pelo apóstolo nesta comparação?
2. Você percebe a igreja como uma família?
3. Cite alguma contribuição que você tem dado para a que a igreja seja a família
de Deus?
DESAFIOS
1. De acordo com o estudo, reflita em que você precisa fazer mudanças em seu
modo de pensar igreja.
2. O que impede você de participar e se envolver mais na vida da igreja

Fonte: getsemani.

Avisos
1- Estamos na semana de oração 6hs e 18hs, sexta-feira haverá vigília
2- Domingo será santa ceia nos dois cultos
LIDER RECOLHA OS ITENS DA CESTA BÁSICA.

Estudo de Célula

COMPROMISSO COM A IGREJA – QUEM É VOCÊ NA IGREJA?

OBJETIVO: Conhecendo a identidade espiritual do crente.

QUEBRA GELO: Quais são seus medos quando o assunto é ministério na igreja?

 Louvor e adoração
 Falando do tema
 Compartilhando
 Oração e ministração

TEXTOS BÍBLICOS: I Pedro 2.4-9, Hebreus 10.19-22

FALANDO DO TEMA:

A IGREJA É COMPARADA A UMA FAMÍLIA E UM EDIFÍCIO

Em Efésios 2.19-22 “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas


concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos
apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o
edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós
juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito”.
De acordo com o texto bíblico todos os crentes pertencem à família de Deus. O
próprio Cristo afirma que nós não somos deste mundo, apesar de vivermos nele (Jo
15.19). Somos peregrinos, ou seja, andamos por esta terra cumprindo o nosso chamado
em levar as boas novas a todos os povos.
I Pedro 2.5, o apóstolo Pedro afirma que cada crente é uma pedra viva na
edificação da igreja, e que nos foi conferido o poder de sermos sacerdotes santos, que
ofereçam sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por meio de Jesus Cristo.

COMPARTILHANDO:

 Leia I Pedro 2.9. O que a Bíblia aborda a respeito de você como um sacerdote?
 Como você se sente a este respeito?
Durante muitos anos, houve uma distinção entre aqueles que ministravam na
igreja e o povo, fazendo uma separação entre ministros e leigos. Biblicamente, isto não
existe. Todos os crentes são iguais perante Deus. Podem ter funções diferentes,
responsabilidades para que haja ordem na casa de Deus. Mas somos todos, um reino de
sacerdotes. No Antigo Testamento, os sacerdotes eram os religiosos incumbidos de
guiar o povo de Deus a alcançar as promessas. Depois A Lei de Moises determinou a
Arão e sua descendência os responsáveis de oferecem os sacrifícios e mediadores entre
Deus e os homens. Já no Novo Testamento, Jesus confere a todos os crentes a
autoridade de ministrarem a Deus os sacrifícios a Deus, não mais imolando animais,
mas servindo a Deus, servindo uns aos outros.
Três são as funções principais do sacerdote: intercessão, ensinar a Palavra de
Deus e adoração.

“Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto
de lábios que confessam o seu nome”. Hebreus 13.15
COMPARTILHANDO:
 Você tem exercido a sua função de sacerdote santo?
 Quais empecilhos você encontra em ser um sacerdote santo? Como sacerdotes, não
tem mais que oferecer sacrifícios de animais, pois Jesus se tornou o “Cordeiro de Deus
que tira o pecado do mundo” (Jo 1.29).

CONCLUSÃO:
Que Deus em sua graça possa ter despertado você para a verdade da Sua Palavra, e que
cada irmão e cada irmã assumam a sua posição para qual o Senhor Jesus Cristo os
colocou mediante o seu sacrifício na cruz do Calvário: a posição de Sacerdotes de Deus.

DESAFIOS
1. De acordo com o estudo, você aprendeu sobre a sua identidade cristã como
sacerdote de Deus. Comece a sua semana exercendo seu sacerdócio dentro de casa, no
trabalho e escola. Anote no caderno como Deus usou a sua vida nesta semana, e o traga
para compartilhar em nossa próxima reunião de célula.
2. Faça o propósito de somente ouvir e cantar canções de adoração a Deus, em
casa, no seu carro, no seu celular. Crie um clima de louvor e adoração em torno de você.

LIDER RECOLHA OS ITENS DA CESTA BÁSICA.

MENSAGEM BÍBLICA (getsemani.com.br)


SOMOS UMA IGREJA QUE ENSINA

COMPROMISSO COM A IGREJA – SOMOS UMA IGREJA QUE ENSINA

OBJETIVO: Uma igreja saudável é a que aprende, vive e ensina a Palavra de Deus.


QUEBRA GELO: Você já participou de algum treinamento na igreja? Conte como foi.

· Louvor e adoração

· Falando do tema

· Compartilhando

· Oração e ministração

 TEXTOS BÍBLICOS: Efésios 4.11-13, 2 Pedro 1.3-8

FALANDO DO TEMA:

A Igreja de Cristo também tem o propósito de ensina e treinar seus membros até que
cheguem à maturidade espiritual. A maturidade cristã requer uma reordenação radical
das prioridades, deixando de viver para se agradar e passando a viver para agradar e
obedecer a Deus.

 A chave para a maturidade é a consistência, ou seja, a perseverança em fazer as coisas


que sabemos nos aproximará de Deus. Essas práticas são conhecidas como disciplinas
espirituais e incluem coisas como leitura/estudo da Bíblia, oração, comunhão, serviço e
administração. No entanto, não importa o quanto trabalhemos nessas áreas, nada é
possível sem a habilitação do Espírito Santo dentro de nós. Gálatas 5.16 nos diz que
devemos "andar no Espírito". A palavra grega usada aqui para andar realmente significa
caminhar com um propósito em vista. Mais tarde, no mesmo capítulo, Paulo nos diz
novamente que devemos "andar no Espírito". Aqui, a palavra traduzida "andar" tem a
ideia de levar as coisas "passo a passo, um passo de cada vez". Trata-se de aprender a
caminhar sob a instrução de outro — o Espírito Santo. Estar cheio do Espírito significa
que caminhamos sob o Seu controle. Ao nos submetermos cada vez mais ao Seu
controle, também veremos a manifestação do fruto do Espírito em nosso viver diário.
(Gálatas 5.22-23). Isso é característico da maturidade espiritual.

 UMA IGREJA SAUDÁVEL TREINA OS SEUS MEMBROS

É tarefa da igreja capacitar os seus membros para o desempenho do serviço do Senhor.


Para isto, ele levantou alguns dons especiais para esta tarefa, como os pastores, profetas,
evangelistas, apóstolos e mestres, conforme Efésios 4.11. Cada membro precisa ser
despertado quanto a sua identidade: quem sou eu? E motivado a cumprir a sua vocação:
para quê foi chamado. Para esta vocação, o Espírito o capacita com dons espirituais, e
quando treinado, poderá servir a Deus produzindo muitos frutos.

 Jesus dedicou muito de seu ministério ao ensino, por isto era chamado de Mestre. Seja
nas sinagogas, no templo ou caminhando com seus discípulos e entre as multidões, ele
sempre trouxe o ensino das Escrituras (Mt 7.28-29; Lc 4.15; 24.27,32,44-45)

EXPLICANDO O TRILHO DE CRESCIMENTO DE NOSSA IGREJA

1-      Curso de consolidação (novo convertido)

2-      Membresia (para novos membros da igreja e batismo)

3-      Sete semanas de Libertação (para pessoas que se reconciliaram)

4-      Escola de Discípulos (principais fundamentos da fé cristã 9 meses)

COMPARTILHANDO

1. Você tem sido treinado pelos líderes da sua igreja?

 2. Você tem respondido ao chamado de sua liderança, ao treinamento?

 3. Fale com suas próprias palavras o versículo de 2 Timóteo 2.2.

 DESAFIOS

 Todo o crente é um discípulo que precisa continuar a aprender até seu último dia de
vida ou a volta de Cristo. A Bíblia é o conteúdo do ensino cristão e a igreja é o centro de
treinamento para sua vida inteira.

 1. Procure conhecer como funcionam os treinamentos em sua igreja e coloque-se a


disposição em ser treinado para servir a Deus da melhor maneira.

2. Em sua célula, tem algo que você pode fazer, ajudando sua liderança e os membros
da célula? Converse com seu líder (oração, visitação, telefonema, divulgação
evangelismo, etc). 

Avisos

1-       Semana de oração 5-9 de Julho

2-      05 de Julho (Comunhão de Casais- sitio Peniel)


3-      11 de Julho – Santa Ceia

Você também pode gostar