Você está na página 1de 4

INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS

CAMPUS PALMEIRA DOS ÍNDIOS


ENGENHARIA CIVIL

GABRIEL SILVA DE AQUINO

PRÉ-RELATÓRIO: ESTUDO CINÉTICO DA REAÇÃO DA ACETONA COM IODO

PALMEIRA DOS ÍNDIOS


2021
Resumo

Titulação de solução de hidróxido de sódio (NaOH) com biftalato de potássio (KHP)


para a sua padronização e titulação de vinagre com a solução de hidróxido de sódio padronizada
para a determinação da sua acidez.
A cinética de uma reação química depende de alguns fatores, como a natureza dos
reagentes, de sua concentração, temperatura e se há presença de catalisadores. Algumas reações
ocorrem tão rapidamente ou tão lentamente que se torna difícil determinar suas velocidades de
reações de forma precisa. No âmbito da estrutura molecular da matéria uma reação química
pode ocorrer somente quando os átomos, íons, ou moléculas dos reagentes estão em contato.
Assim, a velocidade de uma dada reação depende da frequência com que as partículas reagentes
colidem. Nem todas as colisões levam a uma reação química, pois muitas vezes elas não
satisfazem os requisitos energéticos para que a reação ocorra. Em alguns casos, as moléculas
colidem com energia suficiente, mas em orientações inapropriadas para que a reação se
complete. Fatores como temperatura, concentração de reagentes e área e superfície de contato
entre reagentes influenciam na cinética de reação química.
Nesta prática estudaremos a reação da acetona com iodo a fim de determinar seus
parâmetros cinéticos. A reação a ser estudada é:
H3CCOCH3(aq) + I2(aq) → H3CCOCH2I(aq) + H + (aq) + I –
(acetona) (iodo) (iodoacetona)
A expressão da velocidade de reação para esta reação é:
V= k[acetona]^a[H+ ]^b[I2]^c eq 1
O mecanismo desta reação envolve três etapas:
H3C-CO-CH3(aq) + H + (aq)  H3C-C(OH)=CH2(aq) (etapa lenta)
H3C-C(OH)=CH2(aq) + I2(aq) → H3C-C + (OH)-CH2I(aq) + I - (aq)
H3C-C + (OH)-CH2I(aq) + I - (aq) → H3C-CO-CH2I(aq) + H + (aq) + I - (aq)

Como a concentração de I2 é pequena e a acetona e o íon hidrogênio estão em excesso,


a mudança da concentração de acetona e do íon hidrogênio podem ser negligenciadas. Isto nos
permite escrever a eq.1 da seguinte forma:
V= -D[I2]/Dt= [I2]o/t eq 2
Os parâmetros cinéticos podem ser determinados fazendo-se vários ensaios, à mesma
temperatura, variando-se apenas a concentração de um dos reagentes.
A dependência da constante de velocidade com a temperatura pode ser investigada
realizando-se vários ensaios nas mesmas condições de concentração, variando-se apenas a
temperatura. A expressão matemática que relaciona a constante de velocidade com a
temperatura é chamada equação de Arrhenius:
k= Ae-Ea/RT
Esta equação pode ser reescrita da seguinte forma:
lnk= Ea/R(1/T) + lnA
Portanto, traçando-se um gráfico ln k x 1/T(em Kelvin) determina-se a energia de
ativação.

Procedimento Experimental

Nesta prática serão feitos vários ensaios, a diferentes concentrações de acetona,


íons hidrogênio e iodo, como também variaremos a temperatura, seguindo a instrução descrita
na tabela abaixo. As soluções aquosas de acetona 4 M, ácido clorídrico 1 M e iodo 0,005 M
serão fornecidas pelo instrututor. Separe dois tubos de ensaios e marque-os com as letras A e
B. Seguindo os volumes para cada ensaio especificados na tabela, adicione ao tubo A, as
soluções aquosas de acetona 4,0 M, ácido clorídrico 1,0 M e, se for o caso, água destilada. Ao
tubo B, adicione a solução aquosa de iodo 0,005 M. Deixe os tubos de ensaio imersos em um
béquer com água à temperatura ambiente a fim de evitar variação na temperatura. Pegue um
terceiro tubo, encha-o com água destilada e use-o como referência para detectar o momento que
a cor amarela do iodo desaparece. Adicione o conteúdo de um dos tubos no outro acionando
simultaneamente o cronômetro. Homogenize a solução usando um bastão de vidro. Observe o
tubo por cima e meça o tempo necessário para que desapareça a cor amarela do iodo. Repita
este mesmo procedimento para os dez ensaios indicados na tabela. Anote a temperatura em que
os ensaios foram realizados. O ensaio a ser feito com temperatura abaixo da ambiente deve ser
usado um banho de gelo e o conteúdo dos tubos A e B só devem ser misturados quando o
equilíbrio térmico estiver estabelecido. Os ensaios com temperatura maior que a ambiente serão
realizados em banho-maria sendo fundamental também o estabelecimento do equilíbrio
térmico.

Tratamento de dados
Inicialmente calcule a concentração de acetona, ácido clorídrico e iodo presentes nos
diversos ensaios no momento em que as soluções dos tubos A e B são misturadas (note que
neste momento ocorre uma diluição onde o volume final em todos os ensaios é 10 mL). Usando
a eq.2 determine as velocidades de reação nos diversos ensaios. Empregando a eq. 3 calcule as
ordens de reação a (a partir dos ensaios 1,2,3), b (a partir dos ensaios 1,4,5) e c (a partir dos
ensaios 1,6,7). Observe que quando a concentração de um componente em um dos ensaios é
três vezes a do outro o denominador da eq. 4 passa a ser ln3. Uma vez que se conhece [acetona],
[H+ ], [iodo], a, b, c, e as velocidades de cada ensaio, podemos, a partir da eq.1, determinar o
valor da constante k à temperatura ambiente. Faça este cálculo escolhendo arbitrariamente três
dos sete ensaios feitos à temperatura ambiente e assuma a média como o valor mais provável
para a constante k. Calcule o valor de k nas outras temperaturas, trace um gráfico lnk x
1/T(Kelvin) e determine a energia de ativação para esta reação.
Questões
1) O que é velocidade de reação?

R: Taxa na qual os reagentes se tornam produtos de uma reação.


2) O que é ordem de uma reação?
R: A ordem de uma reação química é a relação matemática que existe entre a taxa de
desenvolvimento ou velocidade da reação e a concentração em quantidade de matéria
dos reagentes.
3) O que é constante de reação?
R: Valor que relaciona as concentrações das espécies reagentes e do produto.
4) Considere a seguinte reação: 2A + B → 2C Sabe-se que quando dobra a
concentração dos reagentes a velocidade aumenta oito vezes e quando dobra a
concentração apenas de B a velocidade duplica. Qual é ordem com relação a cada
reagente e total?
R: Ordem 3 em relação a A, ordem 2 em relação a B e a ordem total da reação é 5.

Você também pode gostar