Você está na página 1de 15

230 kV

138 kV
69 kV
 Definição:
“Transformador para instrumentos cujo o enrolamento
primário é ligado em derivação em um circuito elétrico e
reproduz, no seu circuito secundário, uma tensão
proporcional à do seu circuito primário, com sua posição
fasorial substancialmente mantida.” (ABNT NBR 6546).

 Finalidade:
Fornecer as medições para os equipamentos de
controle, de proteção e para realizar a sincronização no
fechamento dos disjuntores .

 Localização:
Entrada da linha de transmissão, Transformadores e
barramentos.
As principais características dos TP’s são:

• Tensão Primária Nominal: Estabelecida de acordo com a tensão do


circuito no qual o TP será instalado.
• Tensão Secundária Nominal: É padronizada em 115 V ou 115/ 3 V.
• Classe de Exatidão: Valor máximo do erro (expresso em
percentagem) que poderá ser causado pelo transformador aos
instrumentos a ele conectados.
• Potência Térmica: Maior potência aparente que um TP pode fornecer
em regime permanente sob tensão e frequências nominais, sem
exceder os limites de temperatura permitidos pela sua classe de
isolamento.
• Nível de Isolamento: Define a especificação do TP quanto à sua
isolação em termos de tensão suportável.
Designação Normativa dos TP’s

A designação correta dos TP’s é feita indicando-se a classe de exatidão


separada por um hífen do valor da maior carga nominal com a qual esta
se verifica.
Exemplos:
0,6 – P400 (ABNT) ⇒ 0,6 – ZZ (ANSI)
1,2 – P25 (ABNT) ⇒ 1,2 – X (ANSI)

Grupos de Ligação
De acordo com a ABNT, os TP’s classificam-se em três grupos:
⇒ Grupo 1: TP projetado para ligação entre fases;
⇒ Grupo 2: TP projetado para ligação entre fase e neutro de sistemas
diretamente aterrados
⇒ Grupo 3: TP projetado para ligação entre fase e neutro de sistema
onde não se garanta a eficácia da aterramento.
1- Terminal primário
2- Domo proteção da membrana
3- Membrana metálica
4- Mola de compressão
5- Fio de conexão da tensão
6- Elementos capacitivos
7- Isolador de porcelana
8- Divisor capacitivo
9- Bucha de epóxi - travessa
10- Terminal de média tensão
para HF.
11- Circuito de amortecimento
contra efeitos de ferro-ressonância
12- Terminais secundários
13- Indicador de nível de óleo
14- Caixa secundária
15- Transformador intermediário
16- Placa de separação óleo/ar
17- Dispositivo retirada de óleo
18- Reator de compensação
19- Tampa de alumínio
O capacitor de acoplamento inclui
apenas os itens 1 a 8.
É montado sobre uma base em
alumínio. O terminal HF situa-se
dentro da caixa secundária.
Transforma os valores de alta tensão, em baixos valores para a supervisão
do sistema realizada por relés e sistemas de controle. Existem dois tipos de
TP:

- Indutivo TPI – Transformador de potencial indutivo: principio do


transformador de potencial utilizando bobina de indução de alta e baixa
tensão, tem uma maior precisão na medição, porém exige maiores
dimensões. Tem resposta de frequência limitada e são preferidos para
medição de potência consumida.

- Capacitivo TPC – Transformador de potencial capacitivo: funciona com


capacitor em derivação, onde os dois capacitores em derivação abaixam a
alta tensão (230KV, 138KV, 440KV, 500KV, ...) para uma media tensão
(15KV em geral), e essa média tensão passa para baixa tensão por meio
indutivo com um pequeno TPI interno. Tem responde a uma faixa de
frequências bem ampla. Devido a estes fatores normalmente é usado com
medidores eletrônicos.
Transformadores de Potencial
Capacitivo
Os transformadores deste tipos são construídos
basicamente com a utilização de dois conjuntos de capacitores
que servem para fornecer um divisor de tensão. São construídos
normalmente para tensões iguais ou superiores a 138 kV.
O transformador de potencial capacitivo é constituído de um
divisor capacitivo, cujas células que formam o condensador são
ligadas em série e o conjunto fica imerso no interior de um
invóculo de porcelana. O divisor capacitivo é ligado entre fase e
terra. Uma derivação intermediaria alimenta um grupo de medida
de média tensão.
TPC
Transformador de Potencial
Indutivo
Basicamente é utilizado o transformadores de
potencial Indutivo par tensão até 138 kV, por
apresentarem custo de produção inferior ao tipo
capacitivo. Os transformadores de potencial indutivos
são dotados de um enrolamento primário envolvendo um
núcleo de ferro-sílicio que é comum ao enrolamento
secundário.
Os transformadores de potencial funcionam com base
na conversão eletromagnética entre os enrolamentos
primário e secundário. Assim , para uma determinada
tensão aplicada nos enrolamentos primários, obtém-se
nos terminais secundários uma tensão reduzida dada
pelo valor da relação de transformação de tensão.
TPI
Dúvidas, Perguntas?

FIM

Você também pode gostar