Você está na página 1de 22

HISTÓRIA I – MÓDULO 01

Renascimento Cultural e Científico

1) O início do Renascimento
Cultural:
 Nas cidades, a mentalidade da
população começou a mudar
 O Teocentrismo cede lugar para o
antropocentrismo (o ser humano
como centro)
 O Humanismo ganha destaque: “o
ser humano é criatura e criador do
mundo em que vive”
 O movimento renascentista
desenvolveu-se nas principais
cidades da Península Itálica: Veneza,
Roma e Florença
 O nome Renascimento vem da idéia
dos artistas e intelectuais da época
de resgatar a essência da cultura
Greco-romana antiga
 Desenvolvimento da imprensa e a
ação dos Mecenas (burgueses que
financiavam as artes como sinal de
prestígio)

a)As técnicas de pintura:


 1. Perspectiva: representação
tridimensional valorizando a
realidade da imagem projetada na
tela
 2. Pintura a óleo: Elaboração de uma
maior diversidade de cores e estilos
de pintura

 b) A divulgação da Literatura:
 Por toda a Europa a produção
literária passa a valorizar o
racionalismo dialético,
proporcionando grandes rupturas
com a produção intelectual da Idade
Média (católica)
3) Renascimento Científico:
 O monopólio cientifico e intelectual
que na idade média estava nas mãos
da Igreja Católica, a partir dos
Séculos XV e XVI começa a perder
espaço. Podemos perceber no
renascimento a valorização
experimental, o que pode-se dizer
foi um primeiro passo para a
evolução cientifica moderna (ex:
dissecação de corpos)

 Teoria Heliocêntrica
 A terra e os demais planetas giram
em torno do sol. Contrariando a
igreja que dizia que o sol que se
movimentava ao redor da terra
(centro do universo)

Questões atualizadas:

1- (Unilago 2014) - No decorrer do processo histórico da época do


renascimento, uma nova interpretação do mundo entra em conflito com
a visão que era dominante naquele momento.
Essa interpretação, que foi progressivamente superada pelas noções
do renascimento, era denominada de

a) empiricista.
b) epistemologista.
c) escolástica.
d) heliocêntrica.
e) racionalista.

2- (Unilago 2015) - O renascimento artístico, científico e cultural produziu


expressivas mudanças na sociedade europeia do século XIV ao XVII, e os
seus autores foram apoiados financeiramente pelos burgueses
enriquecidos. Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, como
esse amparo financeiro ficou conhecido.
a) Decanato.
b) Donatário.
c) Mecenato.
d) Patronato.
e) Abono

3- (Unilago 2016) - No decorrer do renascimento artístico cultural ocorrido


na Europa ocidental, artistas e literatos produziram obras de extrema
importância para a época por enfrentar o pensamento religioso
dominante nesse momento histórico.
Relacione esses literatos e artistas, na coluna da esquerda, com suas
obras, na coluna da direita.

(I) Giovani Boccaccio (A) Cancioneiro


(II) Francesco Petrarca (B) De Humani Corporis Fabrica
(III) Michelango Buonarroti (C) A Primavera
(IV) André Vesálio (D) Decameron
(V) Sandro Botticelli (E) La Pietá

Assinale a alternativa que contém a associação correta.

a) I-A, II-C, III-E, IV-D, V-B.


b) I-D, II-A, III-E, IV-B, V-C.
c) I-D, II-C, III-B, IV-A, V-E.
d) I-E, II-A, III-C, IV-B, V-D.
e) I-E, II-D, III-B, IV-A, V-C.

4- (Fuvest 2016) O grande mérito do sábio toscano estava exatamente na apresentação de


suas conclusões na forma de “leis” matemáticas do mundo natural. Ele não apenas
defendia que o mundo era governado por essas “leis”, como também apresentava as que
havia “descoberto” em suas investigações.
Carlos Z. Camenietzki, Galileu em sua órbita. 01/02/2014.
www.revistadehistoria.com.br.

Considerando que o texto se refere a Galileu Galilei (1564-1642),

a) identifique uma das “leis” do mundo natural proposta por ele;


b) indique dois dos principais motivos pelos quais ele foi julgado pelo Tribunal da Inquisição.

5- (Pucrj 2017) Os humanistas e artistas do Renascimento italiano apregoavam a “volta aos


Antigos” como fundamento de suas ações no presente.

Assinale a alternativa que expressa o que era entendido por “volta aos Antigos”.
a) Dar continuidade ao pensamento medieval, em particular aos preceitos da Escolástica que
apregoava a conciliação da fé cristã com a razão fundada na tradição grega de Platão e
Aristóteles.
b) Tomar como fundamento exclusivamente as Escrituras Sagradas – o Antigo e o Novo
Testamento – na medida em que as formas culturais deveriam estar a serviço da religião.
c) Inspirar-se na arte e na cultura da civilização greco-romana que teria sido desvalorizada pelo
pensamento medieval, o qual limitava a liberdade do indivíduo.
d) Imitar fielmente as atitudes dos homens da antiguidade, em seu modo de escrever, falar,
esculpir, pintar, construir, se vestir, entre outras. Assim, sentiam-se alcançando as glórias do
passado.
e) Reagir ao movimento que defendia a autoridade do presente em relação ao Antigo e exigia
uma ruptura total com o passado.
Gabarito:

RESP 1: C

RESP 2: C

RESP 3: B

Resposta da questão 4:
[Resposta do ponto de vista da disciplina de Física]
a) Galileu é um dos proponentes do heliocentrismo, teoria que previa a movimentação dos
planetas ao redor do Sol. Galileu, por meio da observação, foi capaz de reforçar o discurso
de outros sábios, que estavam se tornando cientistas, no final da Idade Média e início da
Idade Moderna.
b) Galileu foi julgado pela inquisição por alguns motivos, entre eles a proposta do
heliocentrismo, o que contrariava a visão de mundo da Igreja Católica – defensora do
geocentrismo. Outro motivo que podemos apontar é a forma de produção do conhecimento
proposta por ele e seus pares. A noção de se produzir conhecimento a partir da observação,
(como o tempo de queda livre independer da massa) e usando instrumentos, tais como a
luneta, e com um método próprio (o método científico), preocupava a Igreja Católica que
naquele momento ainda era a maior detentora de conhecimentos capazes de explicar o
funcionamento do universo.

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]


a) Podemos citar algumas leis criadas por Galileu, como (1) a teoria de que todos os planetas
orbitam em torno do Sol – o heliocentrismo e (2) a teoria de que, sem a resistência do ar,
todos os corpos em queda livre atingem a mesma velocidade independente de suas massas.
b) Como todos os pensadores renascentistas, Galileu primava pelo uso da razão em suas
análises. Assim, muitas vezes, suas teorias iam de encontro ao que a Igreja Católica
preconizava. Em especial, ele foi perseguido pela teoria do heliocentrismo, uma vez que a
Igreja defendia o geocentrismo.

Resposta da questão 5:
[C]

Ao pregar o renascimento da antiguidade, os pensadores humanistas faziam referência à


cultura greco-romana que, segundo eles, valorizava o homem e suas capacidades e foi
sufocada pelo teocentrismo medieval.
1. (Enem PPL 2012) Assentado, portanto, que a Escritura, em muitas passagens, não apenas
admite, mas necessita de exposições diferentes do significado aparente das palavras, parece-
me que, nas discussões naturais, deveria ser deixada em último lugar.

GALILEI, G. Carta a Benedetto Castelli. In: Ciência e fé: cartas de Galileu sobre o acordo do
sistema copernicano com a Bíblia. São Paulo: Unesp, 2009. (adaptado)

O texto, extraído da carta escrita por Galileu (1564-1642) cerca de trinta anos antes de sua
condenação pelo Tribunal do Santo Oficio, discute a relação entre ciência e fé, problemática
cara no século XVII. A declaração de Galileu defende que
a) a bíblia, por registrar literalmente a palavra divina, apresenta a verdade dos fatos naturais,
tornando-se guia para a ciência.
b) o significado aparente daquilo que é lido acerca da natureza na bíblia constitui uma
referência primeira.
c) as diferentes exposições quanto ao significado das palavras bíblicas devem evitar confrontos
com os dogmas da Igreja.
d) a bíblia deve receber uma interpretação literal porque, desse modo, não será desviada a
verdade natural.
e) os intérpretes precisam propor, para as passagens bíblicas, sentidos que ultrapassem o
significado imediato das palavras.

2. (Ufpr 2013) Considere os dois extratos de documentos abaixo:

1. Ilustrações publicadas na obra “De humani corporis fabrica”, do médico belga André Vessálio
(1543).

2. “Aconselho-te, meu filho, a que empregues a tua juventude em tirar bom proveito dos
estudos e das virtudes (...). Do direito civil quero que saibas de cor os belos textos e que
mos compare com filosofia. Enquanto ao conhecimento das coisas da natureza, quero que a
isso te entregues curiosamente (...) depois (...) revisita os livros dos médicos gregos, árabes
e latinos, sem desprezar os talmudistas e cabalistas, e por frequentes anatomias adquire
perfeito conhecimento do outro mundo [o microcosmos] que é o homem.”
(RABELAIS, François. Pantagruel [1532]. In: FREITAS, Gustavo de. 900 textos e documentos
de História. Lisboa: Plátano, 1976, v. 11)

Considerando os documentos acima, além dos conhecimentos sobre o período, disserte sobre
as principais características do Renascimento, relacionando-as com as transformações sociais
em curso na Europa.

3. (Unesp 2013) Podemos afirmar que as obras A divina comédia, escrita por Dante Alighieri
no início do século XIV, e Dom Quixote, escrita por Miguel de Cervantes no início do século
XVII,
a) parodiaram as novelas de cavalaria e defenderam a hegemonia da Igreja Católica e da
aristocracia, respectivamente.
b) derivaram de registros orais e foram apenas organizadas e sistematizadas na escrita de
seus autores.
c) contribuíram para a unificação e o estabelecimento da forma moderna dos idiomas italiano e
espanhol.
d) assumiram forte conotação anticlerical e intensificaram as críticas renascentistas à conduta e
ao poder da Igreja Católica.
e) retrataram o imaginário da burguesia comercial ascendente na Itália e na Espanha do final
da Idade Média.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

4. (Uel 2013) A figura acima se insere em um momento histórico marcado por inúmeras
transformações científicas, tecnológicas e culturais.
Com base nessas transformações e nos conhecimentos sobre cultura e ciência na Idade
Moderna, considere as afirmativas a seguir.
I. A imprensa de tipos ou caracteres móveis restringiu a disseminação das informações
científicas e culturais por meio da censura realizada pelo aparato estatal.
II. Por meio do ensino do latim e da autorização da interpretação dos dogmas pelos fiéis, a
Igreja Católica disseminou os conhecimentos bíblicos para a população.
III. O método científico baseado na experiência, na observação e na verificação buscou as
regularidades, estabelecendo certezas científicas sobre a natureza.
IV. Os Bizantinos e os Islâmicos preservaram os valores clássicos da cultura greco-romana, e o
antropocentrismo constituiu-se em um modelo de proporções exatas.

Assinale a alternativa correta.


a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

5. (Unesp 2012) Os centros artísticos, na verdade, poderiam ser definidos como lugares
caracterizados pela presença de um número razoável de artistas e de grupos significativos de
consumidores, que por motivações variadas — glorificação familiar ou individual, desejo de
hegemonia ou ânsia de salvação eterna — estão dispostos a investir em obras de arte uma
parte das suas riquezas. Este último ponto implica, evidentemente, que o centro seja um lugar
ao qual afluem quantidades consideráveis de recursos eventualmente destinados à produção
artística. Além disso, poderá ser dotado de instituições de tutela, formação e promoção de
artistas, bem como de distribuição das obras. Por fim, terá um público muito mais vasto que o
dos consumidores propriamente ditos: um público não homogêneo, certamente (...).

(Carlo Ginzburg. A micro-história e outros ensaios, 1991.)

Os “centros artísticos” descritos no texto podem ser identificados


a) nos mosteiros medievais, onde se valorizava especialmente a arte sacra.
b) nas cidades modernas, onde floresceu o Renascimento cultural.
c) nos centros urbanos romanos, onde predominava a escultura gótica.
d) nas cidades-estados gregas, onde o estilo dórico era hegemônico.
e) nos castelos senhoriais, onde prevalecia a arquitetura românica.

6. (Unicamp 2012) De uma forma inteiramente inédita, os humanistas, entre os séculos XV e


XVI, criaram uma nova forma de entender a realidade. Magia e ciência, poesia e filosofia
misturavam-se e auxiliavam-se, numa sociedade atravessada por inquietações religiosas e por
exigências práticas de todo gênero.

(Adaptado de Eugenio Garin, Ciência e vida civil no Renascimento italiano. São Paulo: Ed.
Unesp, 1994, p. 11.)

Sobre o tema, é correto afirmar que:


a) O pensamento humanista implicava a total recusa da existência de Deus nas artes e na
ciência, o que libertava o homem para conhecer a natureza e a sociedade.
b) A mistura de conhecimentos das mais diferentes origens - como a magia e a ciência - levou
a uma instabilidade imprevisível, que lançou a Europa numa onda de obscurantismo que
apenas o Iluminismo pôde reverter.
c) As transformações artísticas e políticas do Renascimento incluíram a inspiração nos ideais
da Antiguidade Clássica na pintura, na arquitetura e na escultura.
d) As inquietações religiosas vividas principalmente ao longo do século XVI culminaram nas
Reformas Calvinista, Luterana, Anglicana e finalmente no movimento da Contrarreforma, que
defendeu a fé protestante contra seus inimigos.

7. (Uel 2012)
Com base nos conhecimentos sobre a pintura no período do Renascimento e na obra de
Sandro Botticelli considere as afirmativas a seguir.

I. Há, nessa obra renascentista, a preocupação com o naturalismo, a proporção e o efeito de


profundidade, sendo o pintor florentino Sandro Botticelli um dos principais representantes do
Quattrocento.
II. Essa obra marca o início da Arte Moderna na Itália ao retratar o conflito entre o homem e a
natureza, expresso na ação do vento que afeta os principais elementos da composição.
III. Essa obra tem como temática um episódio mitológico que aborda o nascimento de uma
deusa, apresentando a movimentação do ar como um importante elemento para expressar
leveza.
IV. O Renascimento é um período histórico caracterizado pelo teocentrismo e a obra O
Nascimento de Vênus é emblemática por apresentar o sopro divino como temática da
composição.

Assinale a alternativa correta.


a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.

8. (Fuvest 2011) Observe a imagem e leia o texto a seguir.


Michelangelo começou cedo na arte de dissecar cadáveres. Tinha apenas 13 anos
quando participou das primeiras sessões. A ligação do artista com a medicina foi reflexo da
efervescência cultural e científica do Renascimento. A prática da dissecação, que se
encontrava dormente havia 1.400 anos, foi retomada e exerceu influência decisiva sobre a arte
que então se produzia.

Clayton Levy, “Pesquisadores dissecam lição de anatomia de Michelangelo”. Jornal da


Unicamp, nº 256, junho de 2004,
http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/junho2004/ju256pag1.html. Acessado em
11/06/2010.

a) Explique a relação, mencionada no texto, entre artes plásticas e dissecação de cadáveres,


no contexto do Renascimento.
b) Identifique, na imagem acima, duas características da arte renascentista.

9. (Pucrj 2011) “Meu falecido pai, de memória abençoada, fez todo esforço para que eu
pudesse alcançar excelência mental e técnica. O fruto dos meus estudos e trabalhos alcançou
o seu desejo mais querido. Mas você pode perceber que, para a educação, as condições não
eram favoráveis como são hoje. Nem eu tive professores tão capazes como você. Nós ainda
estávamos na idade das trevas. (...) Agora, pela graça de Deus, a luz e a dignidade foram
restituídas às letras e eu vivi para vê-lo. Hoje as antigas ciências estão restauradas (...). As
línguas restituídas: o grego (...); o hebraico e o latim (...).
Hoje o mundo está repleto de homens sábios (...). Mas lembre-se disso, a sabedoria de nada
lhe servirá se você não amar e temer a deus (...).
Seu pai, Gargantua.”

François Rabelais, Carta de Gargantua a Pantagruel, 1532

São características do humanismo renascentista indicadas nesse texto, exceto:


a) a crítica à Idade Média, percebida como período de trevas.
b) a valorização de uma educação laica e a abertura das bibliotecas monásticas.
c) o desejo de renovar a fé cristã mediante a tradução e circulação dos textos sagrados.
d) a retomada do patrimônio cultural e literário da Antiguidade Clássica.
e) o otimismo em relação aos avanços humanos no campo da educação.

10. (Enem 2011) Acompanhando a intenção da burguesia renascentista de ampliar seu


domínio sobre a natureza e sobre o espaço geográfico, através da pesquisa científica e da
invenção tecnológica, os cientistas também iriam se atirar nessa aventura, tentando conquistar
a forma, o movimento, o espaço, a luz, a cor e mesmo a expressão e o sentimento.

SEVCENKO, N. O Renascimento. Campinas: Unicamp, 1984.

O texto apresenta um espírito de época que afetou também a produção artística, marcada pela
constante relação entre
a) fé e misticismo.
b) ciência e arte.
c) cultura e comércio.
d) política e economia.
e) astronomia e religião.
11. (Fuvest 2011) Desde a Antiguidade até a época helênica, e durante a Idade Média (em
algumas culturas, até hoje) se conferiu aos terremotos, como a todos os fenômenos cuja causa
se desconhecia, uma explicação mística. Os filósofos da antiga Grécia foram os primeiros a
aventar causas naturais dos terremotos; no entanto, durante o período medieval, explicações
desse tipo foram formalmente proibidas por serem consideradas heréticas, e a única causa
aceita na Europa era a da cólera divina. Somente em princípios do século XVII é que se voltou
a especular acerca das causas naturais de tais fenômenos.

Alejandro Nava, Terremotos. 4ª ed. México: FCE, 2003, p.24-25. Traduzido e adaptado.

O texto menciona mudanças, da Antiguidade até o início do século XVII, na explicação dos
fenômenos naturais. Hoje em dia, também é preciso considerar que as consequências dos
terremotos não dependem só de sua magnitude, mas também do grau de desenvolvimento
social do local onde ocorrem, como foi possível notar nos terremotos de 2010 no Haiti.

a) Identifique e explique as mudanças que, no contexto intelectual do século XVII, contribuíram


para que os terremotos e outros fenômenos naturais deixassem de ser vistos apenas como
fenômenos místicos.
b) No caso do Haiti, a pobreza do país ampliou o efeito devastador do fenômeno natural.
Explique, historicamente, essa pobreza e seu impacto no agravamento das consequências
dos terremotos.

12. (Unicamp 2010) A partir do século IX, aumentou a circulação da ciência e da filosofia
vindas de Bagdá, o centro da cultura islâmica, em direção ao reino muçulmano instalado no Sul
da Espanha. No século XII, apesar das divisões políticas e das guerras entre cristãos e mouros
que marcavam a península ibérica, essa corrente de conhecimento virou um rio caudaloso,
criando uma base que, mais tarde, constituiria as fundações do Renascimento no mundo
cristão. Foi dessa maneira que o Ocidente adquiriu o conhecimento dos antigos. No quadro
pintado pelo italiano Rafael, A escola de Atenas (1509), o pintor daria a Averróis, sábio
muçulmano da Andaluzia, um lugar de honra, logo atrás do grego Aristóteles, cuja obra
Averróis havia comentado e divulgado.

(Adaptado de David Levering Lewis, God’s Crucible: Islam and the Making of Europe, 570-
1215. New York: W. W. Norton, 2008, p. 368-69, 376-77.)

a) Identifique no texto dois aspectos da relação entre cristãos e muçulmanos na Europa


medieval.
b) Relacione as características do Renascimento cultural europeu à redescoberta dos valores
da Antiguidade clássica.
13. (Mackenzie 2009) "A natureza, ao dar-vos um filho, vos presenteia com uma criatura rude,
sem forma, a qual deveis moldar para que se converta em um homem de verdade. Se esse ser
moldado se descuidar, continuareis tendo um animal; se, ao contrário, ele se realizar com
sabedoria, eu poderia quase dizer que resultaria em um ser semelhante a Deus."
Erasmo de Roterdã

No trecho anterior, datado de 1529, do filólogo e pensador da cidade holandesa de Roterdã,


encontra-se manifesta a presença do pensamento
a) teocentrista, priorizando a ideia do sobrenatural e da ligação do Homem com o divino.
b) experimentalista, em que todo e qualquer conhecimento humano se daria por meio da
investigação científica.
c) escolasticista, doutrina que admitia a fé como a única fonte verdadeira de conhecimento.
d) antropocentrista, valorizando o Homem e suas obras como base para uma visão mais
racional do mundo.
e) epicurista, apontando para uma postura ideológica que configurou a transição para a Idade
Moderna.

14. (Unifesp 2009) O Renascimento Cultural se iniciou na Itália, no século XIV, e se expandiu
para outras partes da Europa nos séculos seguintes. Uma de suas características é a:
a) Adoção de temas religiosos, com o objetivo de auxiliar o trabalho de catequese.
b) Pesquisa técnica e tecnológica, na busca de novas formas de representação.
c) Recusa dos valores da nobreza e a defesa da cultura popular urbana e rural.
d) Manutenção de padrões culturais medievais, na busca da imitação da natureza.
e) Rejeição da tradição clássica e de seu princípio antropocêntrico.

15. (Ufrgs 2008) O Renascimento e, posteriormente, o Iluminismo caracterizaram-se por


estabelecer novos horizontes em diversas áreas do saber.
Sobre suas semelhanças e diferenças, considere as afirmações a seguir.

I - Os dois movimentos preconizavam a razão como um meio para a compreensão dos dogmas
católicos, no intuito de recolocar a Igreja no centro da sociedade secular.
II - Enquanto o Renascimento se destacou principalmente nos planos das letras, das artes e
das ciências, o Iluminismo mostrou forte vocação filosófico-política, repercutindo nas principais
revoluções da época.
III - Ambos se destacaram por recolocar o foco do pensamento filosófico e crítico no ser
humano e na razão, sem, no entanto, deixar de abordar as questões metafísicas.

Quais estão corretas?


a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas I e III.
d) Apenas II e III.
e) I, II e III.

16. (Pucrj 2008) Sobre o conjunto de ideias que marcou o Renascimento é correto afirmar que:
a) a Renascença contribuiu para o reforço de valores humanistas em toda a Europa. A
valorização do Homem como "medida para todas as coisas" se tornou uma ideia importante
para os pensadores renascentistas.
b) as ideias dos pensadores renascentistas tornaram-se populares, influenciando movimentos
revolucionários. Esses ideais seriam retomados no século XIX pelos socialistas.
c) os pensadores do Renascimento recuperaram ideias da Antiguidade clássica, estando de
acordo com as orientações religiosas da Igreja Romana.
d) a Igreja Católica, como principal compradora de obras de arte, se tornou uma defensora das
ideias renascentistas.
e) como movimento intelectual, o Renascimento provocou uma ruptura na Igreja, dividida a
partir de então em Igreja Ortodoxa e Igreja Romana.
17. (Fuvest 2008) Nos séculos XIV e XV, a Itália foi a região mais rica e influente da Europa.
Isso ocorreu devido à
a) iniciativa pioneira na busca do caminho marítimo para as Índias.
b) centralização precoce do poder monárquico nessa região.
c) ausência completa de relações feudais em todo o seu território.
d) neutralidade da península itálica frente à guerra generalizada na Europa.
e) combinação de desenvolvimento comercial com pujança artística.

18. (Uel 2008) "A imprensa torna-se o mecanismo de divulgação das ideias e, por meio da
publicação de livros, constrói um clima de liberdade para o debate. As publicações envolvem
tanto as obras novas como as antigas e abrem espaço para o aumento das traduções que vão
requerer um conhecimento não só do latim, mas também do grego e do hebraico. As
publicações nas línguas locais se ampliam facilitando o acesso à informação. A ciência se
seculariza.
(RODRIGUES, A.E.; FALCON, F. "A formação do mundo moderno". Rio de Janeiro:
Elsevier, 2006.)

Com base no texto, é correto afirmar:


a) Uma vez registrada e pública, a cultura escrita dominou toda a Europa medieval.
b) O latim era a linguagem da cultura cristã, o grego da clássica e o hebraico da bíblica.
c) A imprensa foi fundamental para o domínio cristão empreendido além-mar.
d) A informação excessiva cindiu a cultura moderna em vários sistemas de pensamento.
e) A divulgação dos saberes foi incrementada e acelerada mediante a publicação de livros.

19. (Unesp 2008) "Galileu, talvez mais que qualquer outra pessoa, foi o responsável pelo
surgimento da ciência moderna. O famoso conflito com a Igreja católica se demonstrou
fundamental para sua filosofia; é dele a argumentação pioneira de que o homem pode ter
expectativas de compreensão do funcionamento do universo e que pode atingi-la através da
observação do mundo real."
(Stephen Hawking, "Uma breve história do tempo")

O "famoso conflito com a Igreja católica" a que se refere o autor corresponde


a) à decisão de Galileu de seguir as ideias da Reforma Protestante, favoráveis ao
desenvolvimento das ciências modernas.
b) ao julgamento de Galileu pela Inquisição, obrigando-o a renunciar publicamente às ideias de
Copérnico.
c) à opção de Galileu de combater a autoridade política do Papa e a venda de indulgências
pela Igreja.
d) à crítica de Galileu à livre interpretação da Bíblia, ao racionalismo moderno e à observação
da natureza.
e) à defesa da superioridade da cultura grega da antiguidade, feita por Galileu, sobre os
princípios das ciências naturais.

20. (Unicamp 2007) Em Roma, no século XV, destruíram-se muitos e belos monumentos, sem
que as autoridades ou os mecenas se lembrassem de os restaurar. No melhor período desse
"regresso ao antigo", ocorrido durante o Renascimento italiano, não se restaura nenhuma
ruína, e toda a gente continua a explorar templos, teatros e anfiteatros, como se fossem
pedreiras.
(Adaptado de Jacques Heers. "Idade Média: uma impostura". Porto: Edições Asa.
1994, p. 111.)

a) Segundo o texto, quais foram as duas atitudes em relação à cidade de Roma no


Renascimento?
b) Explique a importância da cidade de Roma na Antiguidade.
c) Por que o Renascimento italiano valorizou as cidades?
21. (Ufrgs 2007) Em fins do século XVI e ao longo do século XVII, o Ocidente foi palco de uma
agitação intelectual que resultou no estabelecimento de novos paradigmas científicos.

Sobre essa nova visão do mundo, considere as seguintes afirmações.

I - Ao propor que existem princípios que regem o movimento e que estes podem ser
matematicamente demonstrados, Newton rompeu com a visão religiosa da natureza e
inaugurou a ciência tal qual a conhecemos.
II - A ideia de que a Terra não é o centro do Universo, mas gira em torno do Sol, foi inicialmente
classificada como herética pela Igreja; porém, diante das evidências, acabou sendo
incorporada pelo pensamento cristão da época.
III - Um dos pilares dessas novas concepções acerca da natureza foi o avanço das técnicas de
observação, que expandiu os limites da visão ao micro e ao macroscópico.

Quais estão corretas?


( ) Apenas I.
( ) Apenas I e II.
( ) Apenas I e III.
( ) Apenas II e III.
( ) I, II e III.

22. (Ufscar 2007) "Os machos chamavam-se clerigaus, monagaus, padregaus, abadegaus,
cardealgaus e papagau - este era o único da sua espécie... Perguntamos por que havia só um
papagau. Responderam-nos que... dos clerigaus nascem os padregaus... dos padregaus
nascem os bispogaus, destes os belos cardealgaus, e os cardealgaus, se antes não os leva a
morte, acabam em papagau, de que ordinariamente não há mais que um, como no mundo
existe apenas um Sol... Mas donde nascem os clerigaus?... - Vêm dum outro mundo, em parte
de uma região maravilhosamente grande, que se chama Dias-sem-pão, em parte doutra região
Gente-demasiada..."

Esse texto foi escrito por François Rabelais, no livro "Gargântua e Pantagruel", na primeira
metade do século XVI. Em relação ao texto, é correto afirmar que:
a) é exemplo da literatura iluminista preocupada em descrever a natureza.
b) expressa o pensamento do movimento realista europeu de denúncia à hierarquia social.
c) apresenta uma crítica de um autor renascentista à Igreja Católica.
d) reflete um dos temas de estudos biológicos desenvolvidos por Leonardo da Vinci.
e) constrói uma ordem natural para a estrutura católica.

23. (Ufsm 2007) Quando Deus deixava lentamente o lugar de onde tinha dirigido o
universo e sua ordem de valores, separado o bem do mal e dado um sentido a cada coisa,
Dom Quixote saiu de sua casa e não teve mais condições de reconhecer o mundo. Este, na
ausência do Juiz supremo, surgiu subitamente numa temível ambiguidade; a única Verdade
divina se decompôs em centenas de verdades relativas que os homens dividiram entre si.
Assim, o mundo dos Tempos Modernos nasceu e, com ele, o romance, sua imagem e modelo.
KUNDERA, M. "A arte do romance". Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988. p. 12.

A partir do texto, é possível afirmar:

I. Os Tempos Modernos estão relacionados à consolidação da Igreja Católica como eixo central
do pensamento e da organização sociopolítica da Europa.
II. O desenvolvimento do romance, com sua ênfase no indivíduo e na subjetividade, expressa
uma possibilidade de reorganização do homem moderno com a sua realidade.
III. Com os Tempos Modernos, as bases filosóficas da Civilização Ocidental entram numa crise
irremediável, sem que se ergam novos valores capazes de organizar o mundo.
IV. Dom Quixote é um símbolo das incertezas do homem moderno, e sua trajetória pelo mundo
é o esforço de construir uma nova ordem de valores.

Está(ão) correta(s)
a) apenas I.
b) apenas I e II.
c) apenas II e III.
d) apenas III e IV.
e) apenas II e IV.

24. (Ufpr 2007) "Já fiz planos de pontes muito leves... Sou capaz de desviar a água dos fossos
de um castelo cercado... Conheço meios de destruir seja que castelo for... Sei construir
bombardas fáceis de deslocar... galerias e passagens sinuosas que se podem escavar sem
ruído nenhum... carros cobertos, inatacáveis e seguros, armados com canhões... Estou, sem
dúvida, em condições de competir com qualquer outro arquiteto, tanto para construir edifícios
públicos ou privados como para conduzir água de um sítio para outro... E em trabalhos de
pintura ou na lavra do mármore, do metal ou da argila, farei obras que seguramente suportarão
o confronto com as de qualquer outro, seja ele quem for."
(DELUMEAU, Jean. "A civilização do renascimento". Lisboa: Editorial Estampa, 1984,
vol. I, p. 154.)

Esse texto é um fragmento da carta que Leonardo da Vinci escreveu solicitando trabalho na
corte de Ludovico, o Mouro, em 1482. Nele explicita-se a relação inequívoca entre trabalho
intelectual e poder político.
a) Apresente duas características específicas do conhecimento humano à época do
Renascimento.
b) Apresente um exemplo concreto e revelador da relação entre conhecimento científico e
poder na sociedade atual. Fundamente sua resposta.

25. (Uel 2007) O Humanismo renascentista que se destacou pelas suas inovações nas
expressões artísticas e literárias representou:
a) O movimento cultural que valorizou o homem ativo e criativo.
b) O desenvolvimento técnico voltado para o mecenato na cultura renascentista.
c) A defesa das virtudes do homem contra os vícios intrínsecos à mulher.
d) O homem contemplativo, centro do universo, sujeito às leis divinas.
e) O movimento social com vistas à conquista de direitos.

26. (Uff 2007)

O quadro de Leonardo da Vinci revela uma das facetas do grande artista do Renascimento que
durante a vida transformou sua experiência de mundo em arte, sempre pronto a inovar.

Essa criatividade levou Leonardo da Vinci a ser conhecido como um homem que
a) transformou a arte da escultura ao expressar através dela a grandeza da vida espiritual.
b) abdicou de sua riqueza para se dedicar à pintura de personagens da Corte de Florença.
c) se envolveu com a natureza, com a sociedade e com todos os ramos de artes, de modo tão
intenso que passou a ser conhecido como um artista-cientista.
d) se dedicou às artes e às ciências através da teoria do direito divino, aplicada nos seus
exercícios de anatomia.
e) participou de várias sociedades secretas que tinham por objetivo reescrever os textos
bíblicos com o intuito de apresentar a verdadeira face de Jesus.

27. (Pucrj 2007) À EXCEÇÃO DE UMA, as alternativas a seguir apresentam de modo correto
características do Renascimento. Assinale-a.
a) O retorno aos valores do mundo clássico, na literatura, nas artes, nas ciências e na filosofia.
b) A valorização da experimentação como um dos caminhos para a investigação dos
fenômenos da natureza.
c) A possibilidade de uma estreita relação entre os diferentes campos do conhecimento.
d) O fato de ter ocorrido com exclusividade nas cidades italianas.
e) O uso da linguagem matemática e da experimentação nos estudos dos fenômenos da
natureza.

28. (Unesp 2007) Leonardo Bruni foi um importante humanista da cidade de Florença do
século XV. No seu túmulo, na Igreja de Santa Croce, está escrito: "A História está de luto".
Duas figuras aladas, copiadas de um arco-de-triunfo romano, seguram a placa em que foi
gravada aquela inscrição. Duas esculturas, representando águias imperiais, símbolos do antigo
Império Romano, sustentam o ataúde de Bruni. Completa a decoração a representação, num
medalhão, da Virgem Maria com a Criança no colo. A decoração do túmulo de Leonardo Bruni
expressa
a) a mentalidade renascentista da elite italiana, que enaltece os valores clássicos e a
religiosidade cristã.
b) a valorização das atividades guerreiras pela burguesia italiana, interessada na unificação
política do país.
c) a profunda religiosidade cristã dos italianos no final da Idade Média e a sua preocupação
com a vida extraterrena.
d) o desprezo dos cidadãos das cidades italianas pelo momento histórico em que viviam,
conscientes da decadência de sua época.
e) o pacifismo inerente ao período da história italiana caracterizado pelas relações de
cooperação entre as cidades-estados.

29. (Ufpr 2006) A vida era tão violenta e tão variada que consentia a mistura do cheiro de
sangue com o de rosas. Os homens dessa época oscilavam sempre entre o medo do Inferno e
do Céu e a mais ingênua satisfação, entre a crueldade e a ternura, entre o ascetismo áspero e
o insensato apego às delícias do mundo, entre o ódio e a bondade, indo sempre de um
extremo ao outro.
(HUIZINGA, Johan. "O declínio da Idade Média". Lisboa: Editora Ulisseia, s.d., p. 26.)

O texto remete ao período de transição do feudalismo para a Modernidade, tanto no que se


refere às mentalidades quanto às visões de mundo. Discorra sobre as características da
Modernidade decorrente dessa transição.

30. (Ufsm 2006)

"O 'Davi' de Michelangelo tem uma expressão desconhecida na escultura até então. (...) O
'Davi' de Michelangelo é heroico. Possui um tipo de consciência que surge com o
Renascimento (...): a capacidade de enfrentar os desafios da existência."
ARAÚJO, Olívio. In: GRAÇA PROENÇA. História da Arte. São Paulo: Ática, 2001. p. 91.

A consciência expressa pelo 'Davi' de Michelangelo relaciona-se com


a) a expansão europeia pela América, África e Ásia e a implantação do sistema de livre
comércio.
b) a crise da Igreja de Roma devido à imoralidade do clero e à afirmação da dimensão sagrada
do homem.
c) os novos valores referentes à afirmação da excelência humana, bem como com as
realizações materiais da nascente burguesia comercial.
d) a crise do Estado Absolutista e com o surgimento do Estado Liberal e a preocupação deste
com a felicidade humana.
e) as novas descobertas e invenções científicas e tecnológicas, assim como com o final de
disputas bélicas entre os Estados europeus.
Saiba mais:

A prensa de Gutenberg
O alemão aprimorou a impressão e revolucionou a história da informação
Fred Linardi | 01/02/2008 00h00

Em meados de 1455, o ourives alemão Johannes Gutenberg realizou seu grande sonho. Após
anos de pesquisas e trabalho duro, pegou nas mãos seu trunfo em forma de livro, impresso com
uma técnica inédita e infalível: a prensa de tipos móveis. A técnica de impressão com moldes
não era novidade – já tinha sido iniciada havia 14 séculos na China por meio da impressão de
gravuras. Mas, agora, com a criação de Gutenberg, que moldara os tipos em um material bem
mais resistente e durável que os usados pelos chineses, ela ficava muito mais eficaz e rápida. A
impressão em massa, possibilitada a partir daí, transformaria a cultura ocidental para sempre.
Antes dela, cada cópia de livro exigia um escriba – que escrevia tudo a mão, página por página.
Em 1424, por exemplo, a Universidade de Cambridge, no Reino Unido, possuía apenas 122
livros – e o preço de cada um era equivalente ao de uma fazenda ou vinícola. Gutenberg
conseguiu, com seu invento, suprir a crescente necessidade por conhecimento da Europa rumo
ao Renascimento. A partir do feito, a informação escrita deixou de ser exclusividade dos nobres
e do clero. Até 1489, já havia prensas como a dele na Itália, França, Espanha, Holanda,
Inglaterra e Dinamarca. Em 1500, cerca de 15 milhões de livros já haviam sido impressos.
 
Trabalho manual
A invenção do alemão mudou a história dos livros
1. Os Tipos
A impressão já existia na China. Mas os tipos eram talhados em madeira – e não possibilitavam
o uso de tanta pressão para marcar bem o papel. A prensa de Gutenberg tinha placas de metal
duro que serviam de molde para fundir quantos caracteres fossem necessários.
2. A composição
Nessa etapa, os caracteres eram juntados em páginas – uma forma com moldura de madeira,
onde já havia retas que garantiam o alinhamento. As condições de trabalho do compositor eram
cansativas – ele ficava o tempo todo sentado, com pouca mobilidade.
3. A tinta
A tinta que existia, à base de água, não oferecia boa aderência na hora da prensagem. Gutenberg
usou uma tinta à base de óleo de linhaça e negro-de-fumo – que marcava bem o papel e não
borrava. Ela era aplicada aos tipos móveis após ser impregnada em uma trouxa de pano.
4. A impressão
A forma ficava sobre uma pedra de mármore. O papel era colocado sobre os caracteres e
emoldurado por madeira. A prensa, abaixo, era movimentada com uma barra, que movia a
rosca. Na outra ponta, um prato de platina pressionava a folha nos caracteres.
5. O prelo
Como o prato de platina era pequeno, duas metades da mesma página eram impressas
separadamente. O prelo descia duas vezes para imprimir cada página. Uma folha de feltro era
colocada entre a página a ser impressa e a platina para melhorar o resultado.
6. O produto
O papel foi fundamental para a impressão dar certo. Antes dele, só o pergaminho e o velino
proporcionavam boa absorção da tinta. Eles, porém, eram caros. O papel já vinha da China
através da Arábia havia 200 anos, mas foi só no século 15 que seu uso se generalizou.
7. O criador
Ao contrário de sua invenção, o sucesso para Gutenberg durou pouco. Já em 1455, o inventor
teve de pagar dívidas a Johann Fust, que se tornara seu sócio-investidor. Como a quantia era
altíssima, Gutenberg pagou com a própria gráfica e metade da produção das Bíblias impressas.
 
Santo livro
Quase 200 Bíblias foram os primeiros livros impressos
Logo na primeira remessa, acredita-se que tenham sido feitas cerca de 135 Bíblias de papel e 45
de velino (papel de couro de vitela). Impressas em latim e com letras góticas – imitando a
escrita –, suas páginas tinham 42 linhas divididas em duas colunas. Algumas contavam com
traços decorativos feitos a mão. Devido à grossura dos exemplares – até 1300 páginas –, cada
Bíblia tinha dois volumes. De todas elas, 48 sobrevivem até hoje em museus de diversos países.
Antes delas, Gutenberg imprimiu algumas páginas soltas para testar sua invenção.
Fonte: http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia

Gabarito:

Resposta da questão 1:
[E]

[Resposta do ponto de vista da disciplina de Filosofia]


Galileu era não só um sujeito capaz da mais convincente retórica, como também um sujeito
capaz das afirmações mais difíceis. Perante o forte discurso religioso – forte, porém
inapropriado para a ciência –, Galileu cumpriu a delicada tarefa de afirmar uma ciência nova
baseada puramente na matemática, distante da fé e de qualquer autoridade que não fosse a
experiência.

“E talvez tenha ocorrido em Siena o efetivo pronunciamento do famoso Eppur


si muove. Vejamos que história é essa. Segundo dois livros de meados do
século XVIII, logo depois de abjurar, Galileu teria dito “E, no entanto, se move”,
referindo-se ao movimento da Terra que acabara de renegar. Os estudiosos
sempre acharam esse rompante impossível, ou porque não haveria
testemunhas favoráveis para registrá-lo ou porque Galileu saberia das terríveis
consequências de tal gesto, se fosse percebido por um inquisidor. Porém, o
restauro em 1911 de um quadro espanhol de 1643, no qual aparece inscrita
aquela frase, mostra que a história quase certamente já era divulgada com
Galileu ainda vivo. E é bastante possível que ele tenha altiva e jocosamente
pronunciado tal afirmação numa das recepções de Picolomini”. (P. R.
Mariconda & J. Vasconcelos. Galileu – e a nova Física. In Coleção Imortais da
ciência. São Paulo: Odysseus Editora, 2006, p. 184)

[Resposta do ponto de vista da disciplina de História]


Galileu e suas ideias desafiaram a Igreja Católica e seus dogmas na época do Renascimento,
propondo uma observação do mundo baseada em caracteres matemáticos e astronômicos e
não mais religiosos. A passagem da questão ressalta que, para ele, a Bíblia pode ser
interpretada de diferentes maneiras e que, para a observação da natureza, ela não tem valor
nenhum.

Resposta da questão 2:
O Renascimento Cultural foi um amplo movimento caracterizado por uma mudança
significativa na forma de enxergar o mundo, principalmente nos centros urbanos, caracterizada
pelo antropocentrismo, individualismo e racionalismo. Tanto as imagens do corpo humano,
destacando o esqueleto e a musculatura de forma científica, quanto o texto reforçam a
necessidade do conhecimento racional sobre o ser humano e o universalismo desse
conhecimento, que deixa de ser monopólio da Igreja Católica e pode ser formado a partir de
diferentes culturas.

Resposta da questão 3:
[C]

Os dois autores são considerados como marcos do movimento renascentista, ao longo da


Idade Moderna. Nesse período, as características nacionalistas se desenvolveram ou se
aprofundaram. Apesar da região italiana não ter se unificado politicamente, o renascimento
resgatou a cultura antiga romana, dando maior unidade cultural à península. No caso espanhol,
a formação da nação ocorreu no final século XV, porém, a unificação política não eliminou as
divisões internas nem as influências de origem árabe. Nesse sentido, pode-se entender a
importância de um grande autor que seja considerado como “espanhol” e, ao ser difundido em
todo o país, gerar forte influência linguística para maior padronização.

Resposta da questão 4:
[C]

[I]. Incorreta. A disseminação das informações foi propiciada pela criação da imprensa de tipos
móveis e não houve um aparato estatal de cunho centralizador a estabelecer a censura. A
censura tinha cunho religioso.
[II]. Incorreta. A Igreja Católica não ensinou a população em geral a ler e interpretar os seus
dogmas; somente os membros do clero possuíam essas condições.
[III]. Correta. O método científico moderno consiste na experimentação, na observação e no
raciocínio lógico-matemático.
[IV]. Correta. A preservação da cultura greco-romana foi realizada pelos Bizantinos e Islâmicos.
O modelo antropocêntrico foi utilizado para o cálculo que objetiva proporções exatas.

Resposta da questão 5:
[B]

O texto se refere às cidades europeias da época moderna e a prática do mecenato,


principalmente nos séculos XV e XVI, quando do desenvolvimento do renascimento cultural. A
prática do mecenato, de origem romana, deu-se por diversas razões, materiais ou religiosas, e
significou principalmente o apoio financeiro aos artistas ou a centros de desenvolvimento
cultural, sendo um dos mais famosos a Academia de Florença, mantida pela Família Médici.

Resposta da questão 6:
[C]

Apesar de cristãos, os humanistas se preocuparam em compreender o ser humano a partir de


novas perspectivas, definidas pelo racionalismo, valorizando o individualismo. A ideia básica de
Renascimento Cultural está associada ao resgate da cultura clássica, Greco-romana. No
século XVI, o movimento de Reforma Religiosa, denominada de protestante, incorpora
elementos originados com o Renascimento, destacando-se a visão crítica de mundo e o próprio
individualismo, sendo que os reformadores foram combatidos pela Igreja Católica com maior
vigor a partir da contrarreforma.

Resposta da questão 7:
[B]

Essa obra de Botticelli retrata o nascimento da deusa Vênus como descrita na mitologia
romana, emergindo do mar como uma mulher adulta.

Sandro Botticelli era, de fato, um pintor do período Quattrocento, que valorizava características
como o naturalismo e a proporção em suas obras.

Resposta da questão 8:
a) Influenciado pelas concepções gregas de humanismo e naturalismo, os renascentistas
procuravam reproduzir e valorizar o homem. A dissecação de cadáveres – como
mencionada no texto – permitiu maior conhecimento do corpo humano, favorecendo a
riqueza de detalhes e fortalecendo o realismo.

b) A valorização do ser humano (antropocentrismo) e a adoção da perspectiva na pintura,


associada a novidades como a noção de profundidade e a projeção de luz e sombra.

Resposta da questão 9:
[B]

A alternativa [B] não se apresenta no texto e não corresponde à caracterização do humanismo


renascentista exigida no comando da questão, pois a valorização de uma educação laica surgiu
posteriormente, a partir do Iluminismo, além disso, a abertura das bibliotecas monásticas
também está descontextualizada. As demais características fizeram parte do movimento
humanista e estão, direta ou indiretamente, presentes no texto.

Resposta da questão 10:


[B]

A expressão renascentista nos remete à Idade Moderna, momento em que uma nova visão de
mundo se desenvolveu ao mesmo tempo em que a burguesia e o comércio estavam em
expansão. A cultura renascentista resgatava valores greco-romanos em contraposição a visão
medieval ainda predominante na sociedade e, dessa maneira, revalorizou a razão, estimulando
a reflexão e o senso crítico, com novas descobertas científicas, assim como uma nova arte,
que refletia não apenas a adoção de novas técnicas, mas a valorização do ser humano e de
sua vida cotidiana.

Resposta da questão 11:


a) O século XVII foi marcado pela consolidação e expansão de uma visão racionalista e
científica de mundo, fruto do movimento renascentista que se desenvolveu na Europa desde
o início da Idade Moderna e que procurou superar a visão teológica e dogmática ainda
predominante na sociedade europeia. Dessa forma, os fenômenos naturais passam a ser
percebidos por uma ótica científica e não mais mística.

b) A pobreza do Haiti é entendida inicialmente como um problema estrutural, ou seja, tem suas
raízes no processo de colonização desenvolvido pelos franceses, dentro do modelo
tradicional de exploração, baseada na plantation de cana-de-açúcar com a utilização do
braço escravo africano. Esse modelo, determinado pela lógica mercantilista, promoveu a
acumulação de riqueza na metrópole e uma rígida divisão social.
Após a independência, o país foi alvo de um grande boicote por parte da comunidade
internacional (incluindo aqueles que se diziam liberais como os Estados Unidos e a
Venezuela de Bolívar), pois a luta pela independência caracterizou-se por uma “Revolução
Negra”, com forte componente “racial”, eliminando a velha elite branca – francesa – do novo
país. Tal isolamento somente foi reduzido com o pagamento de uma pesada indenização
para a França, ao longo do século XIX.
Em 1915 o Haiti foi ocupado por tropas dos Estados Unidos, que permaneceram no
país até 1934, deixando-o nas mãos de um governo pró-americano e com uma legislação
favorável aos interesses dos investidores estrangeiros.

Resposta da questão 12:


a) De acordo com o texto, pode-se considerar como aspectos da relação entre cristãos e
muçulmanos na Idade Média, a transmissão conhecimentos da antiguidade clássica dos
muçulmanos ao ocidente cristão e presença islâmica na península ibérica deu origem à
guerra da Reconquista.

b) O Renascimento é assim chamado em virtude da redescoberta e revalorização das


referências culturais da antiguidade clássica durante a passagem da Idade Média para a Idade
Moderna, destacando-se o racionalismo, o antropocentrismo, o individualismo e o naturalismo.

Resposta da questão 13:


[D]

Resposta da questão 14:


[B]
Resposta da questão 15:
[D]

Resposta da questão 16:


[A]

Resposta da questão 17:


[E]

Resposta da questão 18:


[E]

Resposta da questão 19:


[B]

Resposta da questão 20:


a) A destruição de monumentos romanos ainda existentes e a não preocupação de restaurar
outros que já se encontravam deteriorados.

b) Foi a capital do mais importante império na Antiguidade, sendo um poderoso centro político
e administrativo e centro de difusão, irradiação e consolidação dos valores da civilização
clássica (greco-romana).

c) Por que as cidades italianas à época do Renascimento eram, além de importantes centro
econômicos, verdadeiros Estados dotados de soberania, onde os governantes ou a burguesia
em busca de projeção, estimulavam as artes. Também, os valores da Renascença
representavam uma contraposição aos valores do mundo feudal, essencialmente rural.

Resposta da questão 21:


[C]

Resposta da questão 22:


[C]

Resposta da questão 23:


[E]

Resposta da questão 24:


a) O racionalismo e o antropocentrismo.

b) Entre vários exemplos, pode-se mencionar o domínio da produção de energia nuclear e seu
uso como instrumento de guerra.
É sabido que o uso da bomba atômica pelos Estados Unidos nos ataques a Hiroshima e
Nagasaki ao final da Segunda Guerra Mundial, foi uma demonstração de sua capacidade bélica
à União Soviética, com o propósito de conter as pretensões de expansão do comunismo.
Em tempos recentes, a Coréia do Norte e o Irã se aprimoraram na produção de material
nuclear para finalidades bélicas e, sob o argumento de serem capazes de produzir armas
nucleares, vêm confrontando as determinações internacionais de proibição desse tipo de armas
e notadamente, a hegemonia dos Estados Unidos no cenário internacional.

Resposta da questão 25:


[A]

Resposta da questão 26:


[C]
Resposta da questão 27:
[D]

Resposta da questão 28:


[A]

Resposta da questão 29:


O contexto retratado, situa-se entre o final da Baixa Idade Média e o início da Idade Moderna,
marcado pela ascensão social e econômica da burguesia, a formação dos Estados Modernos,
a Expansão Marítima e Comercial Europeia, o Renascimento Cultural e as Reformas Religioas
do século XVI.
A produção cultural da Renascença sintetiza as mudanças nas concepções de mundo,
representando a afirmação dos valores burgueses sobre os da nobreza feudal e da Igreja
que influenciaram o pensamento medieval.
O Humanismo, pensamento que norteou a Renascença, fundamentado nos valores da tradição
greco-romana, postava-se como oposição ao teocentrismo medieval, apesar da representação
de temas bíblicos em boa parte da produção cultural.

Resposta da questão 30:


[C]

Você também pode gostar