Você está na página 1de 47

GRUPO DE ESTUDO

DIREITO ADMINISTRATIVO

AULA 3
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO
 O QUE SÃO PRINCÍPIOS?

 São as ideias centrais de um sistema, estabelecendo suas


diretrizes e conferindo a ele um sentido lógico. Os princípios
determinam o alcance e o sentido das regras de determinado
ordenamento jurídico.

Não há hierarquia entre os princípios (sejam expressos ou os


implícitos).

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO
 Os princípios que estão no texto da constituição são
chamados princípios expressos (art. 37, CF/88). Os demais
são chamados princípios implícitos.

 Os princípios contidos no art. 37 da CF/88 devem ser


observados pela Administração Pública Direta e Indireta, de
qualquer dos Poderes (Executivo. Legislativo e Judiciário), de
todas as esferas (União, Estados, Distrito Federal e
Municípios).

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO
 Princípios expressos:

Legalidade
Impessoalidade
Moralidade
Publicidade
Eficiência
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO
 Princípios expressos:

CF/88: Art. 37. A administração pública direta e indireta de


qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e
eficiência e, também, ao seguinte:
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios implícitos: Supremacia do Interesse Público sobre


o Particular, Indisponibilidade do Interesse Público, Motivação,
Continuidade do Serviço Público, Probidade Administrativa,
Autotutela, Razoabilidade e Proporcionalidade e Segurança
Jurídica.

São os princípios que não estão expressos na Constituição Federal,


mas que podemos extrair por meio do conteúdo das normas de
Direito Administrativo (Obs: a lei de processo administrativo traz
alguns princípios).

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

a) Legalidade
Hely Lopes Meirelles, “Na Administração Pública não há liberdade
nem vontade pessoal. Enquanto na administração particular é lícito
fazer o que a lei não proíbe, na Administração Pública só é permitido
fazer o que a lei autoriza. A lei para o particular significa „pode fazer
assim‟: para o administrador significa „deve fazer assim‟”.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

a) Legalidade
A Administração Pública, além de não poder atuar contra a lei
(contra legem) ou além da lei (praeter legel), só poderá atuar
segundo a lei (secundum legem). Os atos que não respeitem
às disposições legais deverão ser invalidados pelo
Poder Judiciário ou pela própria Administração Pública.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

b) Impessoalidade

A impessoalidade da atuação administrativa impede que um ato


seja praticado visando a interesses do agente ou de terceiros.
Impede também perseguições, favorecimentos ou
discriminações.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

b) Impessoalidade

A Constituição Federal , em seu art. 37, § 1º, prevê:

§ 1º A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas


dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou
de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos
ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades
ou servidores públicos.
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

b) Impessoalidade

Esse princípio confunde-se com a finalidade da Administração


Pública. De acordo com este, há somente um fim a ser
perseguido pela Administração: o interesse público.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO
 Princípios Expressos

b) Impessoalidade

Vedação ao Nepotismo
Súmula Vinculante 13
A nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral
ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive, da autoridade nomeante ou
de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia
ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança
ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em
qualquer dos poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios,
Compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição
Federal.
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

c) Moralidade
A conduta do administrador deve ser toda pautada em bons
costumes, em uma conduta justa e ética. Mas tal princípio da
moralidade tem proporções jurídicas, ou seja, não basta que
a conduta do administrador seja legal, pois também
deverá ser honesta, acima de tudo.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

c) Moralidade

A moralidade administrativa constitui pressuposto de validade


de todo ato da Administração Pública (CF/88, art. 37).

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

d) Publicidade
Está relacionado com a transparência da Administração Pública.
A publicidade dos atos da administração pública é a regra,
devendo ser ampla. O sigilo é uma exceção para Administração.
Em princípio, todo ato administrativo deve ser publicado, só se
admitindo o sigilo nos casos de segurança nacional, investigação
policiais ou interesse superior da administração, em processo
previamente declarado sigiloso.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

d) Publicidade

O princípio da publicidade dos atos e dos contratos administrativos,


além de assegurar seus efeitos externos, visa a propiciar seu
conhecimento e controle pelos interessados diretos e pelo
povo em geral. Os atos e contratos administrativos que omitirem
ou desatenderem à publicidade necessária não só deixam de produzir
seus regulares efeitos como se expõem à invalidação por falta
desse requisito de eficácia e moralidade.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Expressos

d) Publicidade

ATENÇÃO: A publicação no Diário Oficial é dispensável em


alguns atos, porém, a publicidade não.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO
 Princípios Expressos

e) Eficiência

É aquele que impõe a todo agente público a obrigação de realizar suas


atribuições com presteza, perfeição e rendimento funcional.
Administrador eficiente é aquele que sempre procura praticar os seus atos
com economicidade, procurando sempre atingir o melhor custo-benefício
à Administração.

Ex: Avaliação Especial de Desempenho como condição par aquisição da


estabilidade.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

a) Supremacia do Interesse Público sobre o Particular

Apesar de não encontrar previsão expressa no Texto


Constitucional, tal princípio é decorrência do regime
democrático e do sistema representativo. Através dele,
presume-se que a atuação do Estado tenha por
finalidade o interesse público.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

a) Supremacia do Interesse Público sobre o Particular


Sempre que o Estado estiver presente na relação jurídica,
como representante da sociedade, seus interesses prevalecerão
sobre os interesses particulares, visto que o Estado defende o
bem-comum, o interesse público primário ou secundário.
Marca uma relação de verticalidade existente entre o estado e
os particulares.
(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo,Casa do Concurseiro)
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

b) Indisponibilidade do Interesse Público

Os bens e os interesses públicos são indisponíveis, ou sejam não


pertencem à Administração ou a seus agentes, cabendo
somente sua gestão em prol da coletividade. Veda ao administrador
quaisquer atos que impliquem renúncia de direitos da
Administração ou que, injustificadamente, onerem a sociedade.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

c) Motivação

Motivação é a exposição dos motivos que determinaram a


prática do ato; é a exteriorização dos motivos que originaram a
prática do ato. Formalmente, definimos motivação como sendo
a exposição da situação de fato ou de direito que autoriza
ou determina a prática do ato administrativo

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

c) Motivação
Todos os atos administrativos válidos possuem um motivo,
porém, a motivação não será obrigatória quando a lei dispensar
ou se a natureza do ato for com ela compatível. Nesses casos, o
motivo não será expresso pela Administração, ou seja, embora
o motivo exista, não haverá motivação do ato.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

d) Continuidade do Serviço Público

Os serviços públicos, por serem prestados no interesse da


coletividade, devem ser adequados e seu fornecimento não deve
sofrer interrupções.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

d) Continuidade do Serviço Público

Porém, devem ressaltar que isso não se aplicará às interrupções


por situações de emergência ou após aviso prévio- nos casos de
segurança, ordem técnica ou inadimplência do usuário.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

e) Probidade Administrativa
A conduta do administrador público deve ser honesta, pautada
na boa conduta e na boa-fé. As consequências do ato de
improbidade:
CF/88- Art. 37 (..) § 4º Os atos de improbidade
administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos, a perda
da função pública, a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao
erário, na forma e gradação previstas em lei, sem prejuízo da ação
penal cabível.
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

e) Probidade Administrativa
CF/88 - art. 85: São crimes de responsabilidade os atos do
Presidente da República que atentem contra a Constituição
Federal e, especialmente, contra:

V - a probidade na administração;
5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

f)Autotutela
Decorre do princípio da legalidade. Por esse princípio, a
Administração pode controlar seus próprios atos, anulando os
ilegais (controle de legalidade) e revogando os inconvenientes
ou inoportunos (controle de mérito) É o princípio que autoriza
que a Administração revise os seus atos e conserte os seus erros.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

g) Razoabilidade e proporcionalidade

Encontram aplicação especialmente no que concerne à prática


de atos administrativos que impliquem restrição ou
condicionamento a direitos dos administrados ou imposição de
sanções administrativas.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

g) Razoabilidade e proporcionalidade

Visa sempre analisar se a conduta do agente público foi razoável e se os fins


atingidos foram proporcionais a determinado caso em concreto. A Lei nº 9.784/99
impõe à Administração Pública a adequação entre os meios e os fins
(razoabilidade), vedada a imposição de obrigações, restrições e sanções em medida
superior à aquelas estritamente necessárias ao atendimento do fim público
(proporcionalidade).

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

h) Segurança jurídica

A Administração deve interpretar a norma administrativa da


forma que melhor garanta o atendimento do fim público a que
se dirige, vedada a aplicação retroativa de nova
Interpretação

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


5. PRINCÍPIOS DO DIREITO
ADMINISTRATIVO

 Princípios Implícitos ou Reconhecidos

h) Segurança jurídica

O princípio da segurança jurídica não veda que a Administração


mude a interpretação dada anteriormente sobre determinada
norma administrativa, porém, veda que a Administração
aplique retroativamente essa nova interpretação.

(Referência: Luis Gustavo, Noções de Direito Administrativo, Casa do Concurseiro)


QUESTÕES
1- (Cespe – Anap/TC-DF/2014) Em razão do princípio da legalidade, a
administração pública está impedida de tomar decisões fundamentadas
nos costumes.

A) CERTO B) ERRADO
QUESTÕES

1- B
QUESTÕES
2- (Cespe – Proc/PGE BA/2014) O atendimento ao princípio da
eficiência administrativa autoriza a atuação de servidor público em
desconformidade com a regra legal, desde que haja a comprovação do
atingimento da eficácia na prestação do serviço público correspondente.

A) CERTO B) ERRADO
QUESTÕES

2- B
QUESTÕES
3- (Cespe – Analista Legislativo/Consultor/CD/2014) O
princípio da publicidade como valor republicano, assimilado de
forma crescente pela vida e pela cultura política, conforma o direito
brasileiro a imperativo constitucional de natureza absoluta,
contra o qual não há exceção.

A) CERTO B) ERRADO
QUESTÕES

3- B
QUESTÕES
4- (Cespe - AJ/Judiciária/Oficial de Justiça/TJDFT/2013) Haverá ofensa
ao princípio da moralidade administrativa sempre que o comportamento
da administração, embora em consonância com a lei, ofender a moral, os
bons costumes, as regras de boa administração, os princípios de justiça e
a ideia comum de honestidade.

A) CERTO B) ERRADO
QUESTÕES

4- A)
QUESTÕES
5- (Cespe – ATA/MIN/2013) Fere a moralidade administrativa a conduta
do agente que se vale da publicidade oficial para autopromover-se.

A) CERTO B) ERRADO
QUESTÕES

5- A)
QUESTÕES
6- (Cespe - AJ/Administrativa/Contabilidade/TRE ES/2011)
Enquanto na administração privada só é permitido fazer o que a lei
autoriza, na administração pública é lícito fazer tudo que a lei não proíbe.

A) CERTO B) ERRADO
QUESTÕES

6- B)
QUESTÕES
7- (Cespe – Analista/Direito/INPI/2013) A supremacia do interesse
público constitui um dos princípios que regem a atividade da administração
pública, expressamente previsto na Constituição Federal.

A) CERTO B) ERRADO
QUESTÕES

7- B)

Você também pode gostar