Você está na página 1de 26

Assistência de

Enfermagem em
Hemoterapia
Disciplina:Prática s de Enfermagem IV
Profª. Shirley Moura
Introdução sobre o sistema
hematológico
🠶 Envolve todo o corpo humano;
🠶 Consiste no sangue e locais onde há produção;
🠶 Sangue – órgão em estado líquido – 7 a 10% do peso
corporal, 5 a 6L;
🠶 Plasma – porção líquida do sangue;
🠶 Eritrócitos (hemácias) – transporta hemoglobina;
🠶 Leucócitos – combate à infecção;
🠶 Trombócitos (plaquetas) – provê a base para que a
coagulação aconteça;
Introdução sobre o sistema
hematológico
🠶 As células sanguíneas possuem espectro de vida curto;
🠶 Hematopoiese – medula óssea, fígado e baço;
🠶 Médula aumenta a produção de acordo com a necessidade;
🠶 Transporte de substâncias;
🠶 Hemostasia – formação do coágulo x dissolução do coágulo;
🠶 Medula óssea – atividade está na pelve, costelas, vértebras e
esterno;
🠶 Células-tronco – mielóides (eritrócitos, leucócitos e plaquetas)
e linfoides (linfócitos).
Hemoterapia
🠶 Terapia médic a que utiliza o sangue humano como tratamento de
pacientes com doenças hematológicas e não hematológicas.

🠶 Indicações: transplantes, quimioterapias, cirurgias de grande porte,


traumatismos, doenças hematológicas.

🠶 É coberta por legislações que orientam a realização.

🠶 Transfusão sanguínea – transferência de um hemocomponente do


sangue de um doador para um receptor.

🠶 1980 – Programa Nacional de Sangue e Hemocomponentes.


Ciclo do Sangue

🠶 Hemovigilância.
Classificação dos doadores
🠶 Doador autólogo – do próprio paciente para seu uso exclusivo;

🠶 Doador de reposição – atender a necessidade de um paciente;

🠶 Doação espontânea – doação feita para manter o estoque;

🠶 Doador apto – conformidade com os critérios de doação;

🠶 Doador associado com TRALI (Lesão pulmonar aguda associada à


transfusão - transfusion-related acute lung injury) - doador que teve os
componentes transfundidos durante as 6h precedentes à primeira
manifestação de TRALI;

🠶 Doador de 1ªvez – doa pela 1ªvez naquele serviço;


Classificação dos doadores
🠶 Dador de repetição – duas ou mais doações no período de 12 meses;

🠶 Doador esporádic o – repete a doação após intervalo superior a 12


meses;

🠶 Doador inapto definitivo – nunca poderá doar sangue (autólogo em


alguns casos);

🠶 Doador inapto por tempo indeterminado – impedido de doar sangue


por um período indefinido (apto para doação autóloga);

🠶 Doador inapto temporário - impedido de doar sangue por um


determinado período de tempo (autólogo em alguns casos).
Inaptidão para doação
🠶 Ocupações que não possam ser interrompidas por 12 h (piloto de
aeronave, condutores de veículos de grande porte, operação de
maquinário de alto risco, trabalho em andaimes, prática de paraquedismo
ou mergulho);

🠶 Doenças (Hanseníase, Esquistossomose, Hepatite Viral, Infecção por HIV,


Leishmaniose, Malária, Antecedentes de AVE, Câncer, Doença
Cardiovascular grave, Diabetes...);

🠶 Vacinas – tempo de inaptidão de 48h à 4 semanas;

🠶 Medicamentos (Antibióticos, Corticosteroides, Anticoagulantes,


Anticonvulsivantes...).
Observações

🠶 4 doações anuais (homem), intervalo de 2 meses;

🠶 3 doações anuais (mulher), intervalo de 3 meses;

🠶 Menstruação não é contraindica ção;

🠶 Volume coletado será de no max. 9ml/kg (homens) e 8ml/kg


(mulher), geralmente o volume coletado é de 450ml;
Triagem para doação
Requisitos básicos
•» Estar em boas condições de saúde.
•» Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60
anos (menores de 18 anos, clique para ver documentos necessários e formulário
de autorização).
•» Pesar no mínimo 50kg.
•» Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
•» Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a
doação).
•» Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do
candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade
de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social, Carteira Nacional
de Habilitação e RNE-Registro Nacional de Estrangeiro*).
Principais impedimentos definitivos
•» Hepatite após os 11 anos de idade.
•» Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças infecciosas
transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças
associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.
•» Uso de drogas ilícitas injetáveis.
•» Mal de Parkinson.
•Malária
•Hepatite após o 11º aniversário: Recusa Definitiva. Hepatite B ou C após
ou antes dos 10 anos: Recusa definitiva. Hepatite por Medicamento: apto
após a cura e avaliado clinicamente; Hepatite viral (A): após os 11 anos
de idade, se trouxer o exame do diagnóstico da doença, será avaliado pelo
médico da triagem.
Principais impedimentos temporários
» Resfriado: aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas.
•» Gravidez.
•» 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana.
•» Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses).
•» Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.
•» Tatuagem / maquiagem definitiva nos últimos 12 meses.
•» Situações nas quais há maior risco de adquirir doenças sexualmente transmissíveis: aguardar 12 meses.
•» Qualquer procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia etc.): aguardar
6 meses.
•» Extração dentária (verificar uso de medicação) ou tratamento de canal (verificar medicação): por 7 dias.
» Cirurgia odontológica com anestesia geral: por 4 semanas.
» Acupuntura: se realizada com material descartável: 24 horas; se realizada com laser ou sementes: apto;
se realizada com material sem condições de avaliação: aguardar 12 meses.
»Vacina contra gripe: por 48 horas.
»Herpes labial ou genital: apto após desaparecimento total das lesões.
» Herpes Zoster: apto após 6 meses da cura (vírus Varicella Zoster).
Quem doa para quem?
Coleta
🠶 Condições assépticas;
🠶 Supervisão de médico ou enfermeiro;
🠶 Única punção venosa, coletada em bolsa plástica identificada, com
sistema fechado;
🠶 Ambiente confortável, agradável, limpo, iluminado;
🠶 Inspecionar e palpar a fossa antecubital do braço para a escolha da
veia (preferência pela veia cubital mediana);
🠶 Antissepsia dupla;
🠶 Profissionais treinados e capacitados;
🠶 Todo material deverá ser descartável e estéril;
Coleta
🠶 Tempo de coleta será de no máx 15min;
🠶 Tubo coletor da bolsa deve estar fechado por pinça, logo abaixo da
agulha;
🠶 Após transfixação da agulha na pelo do paciente a pinça de ser aberta
ou retirada;
🠶 Ao término o tubo será lacrado com dois nós apertados, até o
processamento da bolsa;
🠶 Após a coleta deve ser oferecido um lanche e hidratação oral ao
doador, este só deve ser liberado 15min após o término da coleta;
🠶 Orientar a não fumar na primeira hora após a coleta, não realizar
esforço físico antes de 12h pós coleta;
🠶 Em casos de sinais e sintomas de processos infecciosos, diagnóstico de
doença infectocontagiosa até 7 dias após doação o serviço deve ser
informado.
Aférese
🠶 Procedimento caracterizado pela retirada do sangue do doador, seguida
da separação de seus componentes por um equipamento próprio,
retenção da porção do sangue que se deseja retirar na máquina e
devolução dos outros componentes ao doador;

🠶 Intervalo mínimo de 48h, podendo um mesmo doador realizar 4


doações/2 meses;

🠶 Médico hemoterapeuta será o responsável pelo procedimento;

🠶 O volume sanguíneo extracorpóreo não deve superar 15% da volemia do


doador;

🠶 Deve ser feita em situações especiais;

🠶 Observar perda de hemácias – se maior que 200mL esperar 8 semanas


para uma nova doação.
Hemocomponetes e Hemoderivados
🠶 Hemocomponentes – componentes sanguíneos obtidos através de
processo físicos;
🠶 Hemoderivados – derivados sanguíneos obtidos através da industrialização
do plasma.
Hemocomponetes e Hemoderivados

🠶 Processamento por meio de centrifugação refrigerada;


🠶 A separação do sangue total (ST) gera fatores eritrocitários, plasmáticos
e plaquetários;
Hemocomponetes e Hemoderivados
🠶 Concentrado de Hemácias – CH
🠶 Volume 220mL e 280mL;
🠶 Temp. 2ºC e 6ºC;
🠶 Validade 35 a 42 dias;
🠶 Perda volêmica superior a 25% da volemia total;
🠶 Anemia (avaliar).

🠶 Concentrado de Plaquetas – CP
🠶 5,5 x 1010 plaquetas em 50-60mL de plasma;
🠶 Plaquetopenias por falência medular.
Hemocomponetes e Hemoderivados
🠶 Plasma Fresco congelado – PFC
🠶 Constituido por água, proteínas, carboidratos e lipídios;
🠶 Temp. -18ºC a -25ºC;
🠶 Validade de 12 meses;
🠶 Se conservado em temp. menor que -25ºC vale por 24 meses;
🠶 Pct com distúrbios de coagulação.

🠶 Plasma fresco congelado de 24h – PFC24


🠶 Congelado completamente em no máx 1h;
🠶 Temp. -18ºC a -25ºC;
🠶 Validade de 12 meses;
🠶 Se conservado em temp. menor que -25ºC vale por 24 meses;
🠶 Volume apx 200 a 250mL.
Hemocomponetes e Hemoderivados

🠶 Crioprecipitado – CRIO
🠶 Concentrado de proteínas plasmáticas;
🠶 Descongelado de PFC;
🠶 Volume de 10 a 15mL;
🠶 Recongelado em até 1h;
🠶 Validade de 12 meses;
🠶 Tratamento de Hipofibrinogenemia.
Hemocomponetes e Hemoderivados

🠶 Abumina
🠶 Tratamento de grandes queimados, cirrose, entre outros.

🠶 Globulina
🠶 Tratamento da AIDS, déficits imunológicos, doenças infecciosas.

🠶 Fatores de C oagulação
🠶 Tratamento de pessoas com hemofilia.
Reações adversas

🠶 Permanecer no serviço até a completa recuperação;

🠶 Serviço de referência para atendimento de urgências e


emergências;

🠶 No receptor: TRALI - Lesão pulmonar aguda associada


à transfusão.
Transfusão Sanguínea
🠶 Solicitação médic a ;
🠶 Identificação do receptor;
🠶 Classificação – programada, de rotina, de urgência, de emergência;
🠶 Testes pré-transfusionais – provas de compatibilidade;
🠶 Identificação do receptor na bolsa;
🠶 Anexar ao prontuário;
🠶 Verificar SSVV do receptor no início e fim do procedimento;
🠶 Os primeiros 10 min. devem ser monitorados presencialmente e
periodicamente no tempo restante;
🠶 Em c aso de reações adversas c omunicar ao médico e interromper o
procedimento;
🠶 O tempo de transfusão deve ser de no máximo 4h.
Referências

🠶 ANVISA. Guia para a Hemovigilância no Brasil. Brasília: ANVISA, 2015.

🠶 Brasil. Guia para uso de hemocomponentes. 2. ed., 1. reimpr. – Brasília:


Ministério da Saúde, 2015.

🠶 BRUNNER; SUDDARTH. Tratado de Enfermagem Médico-cirúrgica . Rio de


Janeiro:Guanabara Koogan, 2009.

Você também pode gostar