Você está na página 1de 132

A I G R E J A D E J E S U S C R I S TO D O S S A N TO S D O S Ú LT I M O S D I A S ■ JANEIRO DE 2001

A LIAHONA
Sessão da Conferência Geral, de Joy Gough
O novo Centro de Conferências cumpre seu propósito durante a 170ª Conferência Geral Semestral ao acomodar os 21.000 membros reunidos
para ouvir os conselhos inspirados das Autoridades Gerais. Havia ainda mais pessoas que desejavam ouvi-los. Essas ocuparam os 900 lugares do Anfiteatro do
Centro de Conferências, o Tabernáculo, o Assembly Hall na Praça do Templo e salas do Edifício Memorial Joseph Smith, que fica nas proximidades.
Millennial Beehive House, de Grant Romney Clawson
Construída em 1854 na esquina da rua South Temple com a State Street em Salt Lake City, a Beehive House foi, à princípio, a casa do
Presidente Brigham Young. Os dois quartos à esquerda foram utilizados como escritórios da presidência da Igreja até 1918. A casa hoje recebe a visita
de pessoas que querem aprender mais a respeito de seu notável construtor e da época em que ele viveu.
E
“ então aconteceu que depois de haver ( . . . ) explicado
todas as escrituras que eles haviam recebido, Jesus
disse-lhes: Eis que eu desejaria que escrevêsseis
outras escrituras que não tendes. E aconteceu que ele
disse a Néfi: Trazei o registro que vós escrevestes. E ( . . . ) Néfi
( . . . ) levou os registros, tendo-os posto na sua frente ( . . . ).”
(3 Néfi 23:6–8).

RELATÓRIO DA 170ª CONFERÊNCIA GERAL SEMESTRAL


7–8 DE OUTUBRO 2000

PORTUGUESE
Relatório da 170ª Conferência Geral
Semestral de A Igreja de Jesus Cristo
dos Santos dos Últimos
Sermões e trâmites dos dias 7 e 8 de outubro de 2000
no Centro de Conferências em Salt Lake City, Utah

D
“ u rante a dedicação do
Centro de Conferências no
domingo, dia 8 de outubro,
o Presidente Gordon B. Hinckley
disse: “Ao contemplar esta estrutura
Presidência dos Setenta: três mem-
bros do Primeiro Quórum dos
Setenta receberam o título de mem-
bros eméritos; quatro membros
do Segundo Quórum dos Setenta
maravilhosa ao lado do templo, foram desobrigados; 20 Setentas-
vem-me à mente uma grande profe- Autoridades de Área foram desobri-
cia de Isaías: ‘E acontecerá nos últi- gados, 2 novos Setentas- Autoridades
mos dias que se firmará o monte da de Área foram chamados, e a presi-
casa do Senhor no cume dos mon- dência geral da Escola Dominical foi
tes, e se elevará por cima dos outei- reorganizada.
ros; e concorrerão a ele todas as Essa conferência foi a primeira a
nações. ser transmitida por meio de um sinal
E irão muitos povos, e dirão: de televisão de alta definição
Vinde, subamos ao monte do (HDTV), utilizando os recursos de
Senhor, à casa do Deus de Jacó, para Participantes entram no átrio transmissão altamente sofisticados
que nos ensine os seus caminhos, e (no lado sudeste) do Centro do novo Centro de Conferências.
andemos nas suas veredas; porque de Conferências. Uma televisão de alta definição
de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a transmite uma imagem mais nítida e
palavra do Senhor’”. (Isaías 2:2–3) Igreja”, acrescentou ele. “Nosso po- colorida aos espectadores em casa e
“Creio que essa profecia se apli- vo está profundamente grato!” imagens de alta qualidade para o ar-
que ao histórico e maravilhoso As sessões da conferência geral quivo de transmissões. As sessões da
Templo de Salt Lake. Mas acredito foram dirigidas pelos membros da conferência foram transmitidas ao
também que se relacione a este edi- Primeira Presidência: o Presidente vivo via satélite aos membros reuni-
fício magnífico. Pois é deste púlpito Hinckley, na manhã de sábado, na dos nos Estados Unidos, Canadá,
que a lei de Deus sairá, juntamente tarde de sábado (a reunião do sacer- Europa, Caribe e América Latina.
com a palavra e o testemunho do dócio) e na manhã de domingo; o Mais de 1.500 estações de rádio e
Senhor”, disse ele. Presidente Thomas S. Monson, televisão e sistemas a cabo transmi-
“Este ano milenar de 2000 foi Primeiro Conselheiro, na tarde de tiram todas as sessões de conferên-
um ano extraordinário para a sábado, e o Presidente James E. cia ou parte delas. Todas as sessões
Igreja. Avançamos em todos os Faust, Segundo Conselheiro, na tar- foram colocadas à disposição, nos
aspectos em todo o mundo. de de domingo. formatos vídeo e áudio, em todas as
Ultrapassamos a marca dos 11 mi- As medidas administrativas toma- línguas, na Internet pelo site:
lhões de membros”, anunciou o das durante a sessão da conferência (www.lds.org). As fitas de vídeo da
Presidente Hinckley. da tarde de sábado diziam respeito conferência estão à disposição nos
“Domingo passado, dedicamos aos Quóruns dos Setenta e à presi- centros de distribuição das áreas da
em Boston, Massachusetts, o centé- dência geral da Escola Dominical. Igreja para as quais não houve
simo templo em funcionamento da Foi realizada uma mudança na transmissão. — Os Editores

J A N E I R O D E 2 0 0 1
1
ÍNDICE POR ASSUNTO Serviço 14, 104

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Janeiro de 2001, Vol. 25, Nº 1
A LIAHONA, 21981 059
Publicação oficial em português de A Igreja de Adversidade 6, 40, 75 Sociedade de Socorro 104, 107, 110
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
Amizade 61, 113 Templos e obra vicária 10, 15, 23, 61,
A Primeira Presidência: Gordon B. Hinckley,
Thomas S. Monson, James E. Faust Amor 77, 104 80
Quórum dos Doze: Boyd K. Packer, L. Tom Perry,
David B. Haight, Neal A. Maxwell, Russell M. Nelson, Apóstolos 49 Tentação 52
Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard, Joseph B. Wirthlin,
Arrependimento 31, 85, 91, 99 Testemunho 4, 14, 15, 27, 69
Richard G. Scott, Robert D. Hales, Jeffrey R. Holland,
Henry B. Eyring Autocontrole 54, 72 Tradições 34
Editor: Dennis B. Neuenschwander
Consultores: L. Lionel Kendrick, Yoshihiko Kikuchi, Batismo 6 Valor individual 36
John M. Madsen
Batismo pelos mortos 10 Verdade 27
Administradores do Departamento de Currículo:
Diretor Gerente: Ronald L. Knighton Brado de Hosana 80
Diretor de Planejamento e Editorial: Richard M. Romney
Diretor Gráfico: Allan R. Loyborg Caridade 40 Lista de Oradores em Ordem
Equipe Editorial: Castidade 31, 46, 52, 61, 85, 113 Alfabética
Editor Gerente: Marvin K. Gardner
Editor Gerente Assistente: R. Val Johnson Centro de Conferências 4, 80 Ballard, M. Russell 88
Editor Adjunto: Roger Terry
Editor Assistente: Jenifer Greenwood Coisas do mundo 43 Busche, F. Enzio 97
Editor Associado: Susan Barrett
Conselhos 88 Callister, Douglas L. 38
Assistente de Publicações: Collette Nebeker Aune
Equipe de Diagramação: Conversão 40, 88, 104 Christofferson, D. Todd 10
Gerente Gráfico da Revista: M. M. Kawasaki
Convênios 97 Crockett, Keith 91
Diretor de Arte: Scott Van Kampen
Diagramador Sênior: Sharri Cook Crescimento da Igreja 80 Dew, Sheri L. 110
Diagramadores: Thomas S. Child, Randall J. Pixton
Gerente de Produção: Jane Ann Peters Dedicação 80 Dunn, Loren C. 15
Produção: Reginald J. Christensen, Kari A. Couch,
Determinação 91 Edgley, Richard C. 52
Denise Kirby, Kelli Pratt, Claudia E. Warner
Pré-Impressão Digital: Jeff Martin Dia do Senhor 93 Eyring, Henry B. 99
Equipe de Impressão e Distribuição:
Discípulos 43, 72 Faust, James E. 26, 54, 69
Printing Diretor: Kay W. Briggs
Gerente de Distribuição (Assinaturas): Divórcio 61 Gillespie, H. Aldridge 93
Kris T. Christensen
Duplas de missionários 95 Haight, David B. 23
A Liahona:
Diretor Responsável e Produção Gráfica: Educação 61, 77, 113 Hales, Robert D. 6
Dario Mingorance
Editor: Luiz Alberto A. Silva (Reg. 17.605) Ensino 99 Hallstrom, Donald L. 34
Tradução e Notícias Locais: Reynaldo J. Pagura
Assinaturas: Cezare Malaspina Jr. Espírito Santo 6, 27, 38 Hinckley, Gordon B. 4, 61, 80, 102,
REGISTRO: Está assentado no cadastro da DIVISÃO DE Espiritualidade 38 113
CENSURA DE DIVERSÕES PÚBLICAS, do D.P.F., sob nº
1151-P209/73 de acordo com as normas em vigor. Estudo das Escrituras 19 Holland, Jeffrey R. 46
ASSINATURAS: Toda correspondência sobre assinaturas
Exemplo 107 Jensen, Virginia U. 75, 107
deverá ser endereçada a: Departamento de Assinaturas
de A Liahona Caixa Postal 26023, CEP 05599-970 – Expiação 10, 14, 31 Maxwell, Neal A. 43
São Paulo, SP. Preço da assinatura anual para o Brasil:
R$ 18,00. Preço do exemplar em nossa agência: Fé 57, 69 Monson, Thomas S. 57, 77
R$ 1,80. Para Portugal – Centro de Distribuição
Portugal, Rua Ferreira de Castro, 10 – Miratejo, 2800 – Hipocrisia 54 Morrison, Alexander B. 14
Almada. Assinatura Anual: 1.300$00. Para o exterior:
Homossexualidade 85 Nadauld, Margaret D. 17
Exemplar avulso: US$ 3.00; Assinatura: US$ 30.00.
As mudanças de endereço devem ser comunicadas
Honestidade 57, 61, 113 Nelson, Russell M. 19
indicando-se o endereço antigo e o novo.
Envie manuscritos e perguntas para: Humildade 91, 102 Neuenschwander, Dennis B. 49
Liahona, Floor 24, 50 East North Temple, Salt Lake City,
UT 84150-3223, USA. Ou envie um e-mail para: Integração de membros 95, 110 Oaks, Dallin H. 40
CUR-Liahona-IMag@ldschurch.org
Jesus Cristo 14, 36, 69, 75 Oaks, Robert C. 95
A “Liahona” (um termo do Livro de Mórmon que
significa “bússola” ou “orientador”) é publicada em Jovens 61, 85, 113 Packer, Boyd K. 85
albanês, alemão, amárico, armênio, búlgaro, cebuano,
chinês, coreano, dinamarquês, esloveno, espanhol, Julgamento 40 Perry, L. Tom 72
estoniano, fijiano, finlandês, francês, haitiano,
Liberdade 97 Rasband, Ronald A. 36
hiligaynon, húngaro, holandês, ilokano, indonésio,
inglês, islandês, italiano, japonês, letão, lituano, Luz de Cristo 75 Scott, Richard G. 31
malgaxe, marshallês, mongol, norueguês, polonês,
português, quiribatiano, romeno, russo, samoano, Mulheres 17, 107, 110 Smoot, Mary Ellen 104
sueco, tagalo, tailandês, taitiano, tcheco, tonganês,
ucraniano e vietnamita. (A periodicidade varia de uma Obediência 6, 31 Wirthlin, Joseph B. 27
língua para outra.)
© 2001 por Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos
Obra missionária 88, 95
Mestres Familiares e Professoras Visitantes:
reservados. Impressa nos Estados Unidos da América. Oração 38, 57, 61, 77, 91, 99, 102, Não há mensagens designadas para o Ensino
For readers in the United States and Canada:
January 2001 Vol. 25 No. 1. A LIAHONA (USPS 113 Familiar ou como Mensagem das Professoras
311-480) Portuguese (ISSN 1044-3347) is published
monthly by The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints,
Orientação espiritual 19 Visitantes nas edições de conferência geral de A
50 East North Temple, Salt Lake City, UT 84150. USA Palavra de Sabedoria 54, 61, 113 Liahona. Depois de considerar, em espírito de
subscription price is $10.00 per year; Canada, $15.50 oração, as necessidades dos membros que
plus applicable taxes. Periodicals Postage Paid at Salt Lake Paternidade e maternidade 17, 61, 113 visitam, os mestres familiares e as professoras
City, Utah and at additional mailing offices. Sixty days’ notice
required for change of address. Include address label from Perspectiva eterna 43 visitantes devem escolher um dos discursos da
a recent issue; old and new address must be included.
Send USA and Canadian subscriptions and queries to Salt Pornografia 54 conferência geral como mensagem.
Lake Distribution Center at address below. Subscription
help line: 1-800-537-5971. Credit card orders (Visa,
Profetas 49 Capa: “Trazei o Registro”, de Gary L. Kapp.
MasterCard, American Express) may be taken by phone. Recato 17 As fotografias da conferência foram tiradas por
(Canada Poste Information: Publication Agreement
#1604821) Relações familiares 23, 72, 77, 107 Craig Dimond, Welden C. Andersen, John Luke,
POSTMASTER: Send address changes to Salt Lake Respeito próprio 61, 113 Matt Reier, Tamra Ratieta, Lana Leishman, Kelly
Distribution Center, Church Magazines, PO Box 26368, Larsen, Nathan Campbell, Kelli Pratt, Diana
Salt Lake City, UT 84126-0368. Ressurreição 10 Miles e Richard Romney.
Restauração 97 Discursos da Conferência na Internet:
Retidão 34 Para ter acesso aos discursos da conferência
Sacerdócio 46, 57 geral via Internet, visite o web site oficial da
Santificação 46 Igreja: (www.lds.org).

A L I A H O N A
2
61
SUMÁRIO “A PAZ DE TEUS FILHOS SERÁ ABUNDANTE”
PRESIDENTE GORDON B. HINCKLEY
1 RELATÓRIO DA 170ª CONFERÊNCIA GERAL SEMESTRAL
D’A IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS SESSÃO DA MANHÃ DE DOMINGO
ÚLTIMOS DIAS
69 UM TESTEMUNHO CRESCENTE
PRESIDENTE JAMES E. FAUST
SESSÃO DA MANHÃ DE SÁBADO
72 DISCIPULADO
4 UMA GRANDE FAMÍLIA EM REVERÊNCIA E ADORAÇÃO ÉLDER L. TOM PERRY
PRESIDENTE GORDON B. HINCKLEY
75 BRILHA, MEIGA LUZ
6 O CONVÊNIO DO BATISMO: ESTAR NO REINO E SER DO VIRGINIA U. JENSEN
REINO ÉLDER ROBERT D. HALES
77 DIAS DE DEDICAÇÃO
10 A REDENÇÃO DOS MORTOS E O TESTEMUNHO DE JESUS PRESIDENTE THOMAS S. MONSON
ÉLDER D. TODD CHRISTOFFERSON
80 ESTE GRANDE ANO MILENAR
14 “VINDE E VEDE” PRESIDENTE GORDON B. HINCKLEY
ÉLDER ALEXANDER B. MORRISON
15 TESTEMUNHO SESSÃO DA TARDE DE DOMINGO
ÉLDER LOREN C. DUNN
85 “SOIS O TEMPLO DE DEUS”
17 A ALEGRIA DE SER MULHER PRESIDENTE BOYD K. PACKER
MARGARET D. NADAULD
88 AGORA É O MOMENTO
19 VIVER SOB A ORIENTAÇÃO DAS ESCRITURAS ÉLDER M. RUSSELL BALLARD
ÉLDER RUSSELL M. NELSON
91 CONSERVAR A REMISSÃO DOS PECADOS
23 SER UM ELO FORTE ÉLDER KEITH CROCKETT
ÉLDER DAVID B. HAIGHT
93 A BÊNÇÃO DE SANTIFICAR O DIA DO SENHOR
ÉLDER H. ALDRIDGE GILLESPIE
SESSÃO DA TARDE DE SÁBADO
95 COMPARTILHAR O EVANGELHO
26 O APOIO DOS LÍDERES ÉLDER ROBERT C. OAKS
PRESIDENTE JAMES E. FAUST
97 LIBERDADE “DE” OU LIBERDADE “PARA”
27 TESTEMUNHO PURO ÉLDER F. ENZIO BUSCHE
ÉLDER JOSEPH B. WIRTHLIN
99 “ESCREVA EM MEU CORAÇÃO”
31 O CAMINHO DA PAZ E ALEGRIA ÉLDER HENRY B. EYRING
ÉLDER RICHARD G. SCOTT
102 “UM HUMILDE E CONTRITO CORAÇÃO”
34 CULTIVAR TRADIÇÕES VIRTUOSAS PRESIDENTE GORDON B. HINCKLEY
ÉLDER DONALD L. HALLSTROM
36 UM POR UM
ÉLDER RONALD A. RASBAND
REUNIÃO GERAL DA SOCIEDADE
DE SOCORRO
38 BUSCAR O ESPÍRITO DE DEUS
ÉLDER DOUGLAS L. CALLISTER 104 SOMOS INSTRUMENTOS NAS MÃOS DE DEUS
MARY ELLEN SMOOT
40 O DESAFIO DE TORNAR-SE
ÉLDER DALLIN H. OAKS 107 ONDULAÇÕES
VIRGINIA U. JENSEN
43 AS TENTAÇÕES E SEDUÇÕES DO MUNDO
ÉLDER NEAL A. MAXWELL 110 LEVANTEMO-NOS E UNAMO-NOS
SHERI L. DEW

SESSÃO DO SACERDÓCIO 113 SEU MAIOR DESAFIO, MÃE


PRESIDENT GORDON B. HINCKLEY
46 “SANTIFICAI-VOS”
ÉLDER JEFFREY R. HOLLAND
64 AUTORIDADES GERAIS DE A IGREJA DE JESUS CRISTO
49 PROFETAS VIVOS: VIDENTES E REVELADORES DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS
ÉLDER DENNIS B. NEUENSCHWANDER
117 ELES FALARAM PARA NÓS
52 OS MAÇARICOS DE SATANÁS
BISPO RICHARD C. EDGLEY 118 GUIA DE RECURSOS

54 O INIMIGO INTERIOR 123 PRESIDÊNCIA GERAL DAS AUXILIARES


PRESIDENTE JAMES E. FAUST 124 NOTÍCIAS DA IGREJA
57 O CHAMADO PARA SERVIR
PRESIDENTE THOMAS S. MONSON

J A N E I R O D E 2 0 0 1
3
Sessão da Manhã de Sábado
7 de outubro de 2000

Uma Grande Família


em Reverência e
Adoração
Presidente Gordon B. Hinckley

“Prestamos testemunho acerca de Deus nosso Pai Eterno e Seu Filho


Amado.”

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos


dos Últimos Dias.
As grandes vozes do rádio, da te-
levisão e dos satélites agora estão re-
cebendo o reforço da Internet para
que nossas palavras sejam levadas li-
teralmente aos confins da Terra. Os
satélites levarão nossos sinais para
congregações grandes e pequenas
em capelas espalhadas por todo o
planeta. E santos de todo o mundo
assistirão no próprio lar às sessões
desta grandiosa conferência pela
Internet.
Inúmeras pessoas trabalharam
muito tempo e com grande afinco
para preparar este acontecimento
glorioso. Agradecemos a cada uma
delas por seu serviço dedicado.

I rmãos e irmãs, que ocasião mara-


vilhosa é esta! Não conheço na-
da igual a isso em todo o mundo.
Estamos reunidos hoje de manhã
como uma grande família em reve-
Amanhã dedicaremos este magnífi-
co Centro de Conferências e outras
dependências. Então, terá sido escri-
to um importante capítulo da histó-
ria de nosso povo.
rência e adoração ao Senhor nosso Damos as boas-vindas a todos
Deus. Somos de uma só fé e uma só vocês, onde quer que estejam. Que
doutrina. Prestamos testemunho todos sejam tocados pelo Espírito
acerca de Deus nosso Pai Eterno e Santo ao reunirmo-nos em adora-
Seu Filho Amado. Declaramos com ção solene. É minha humilde ora-
convicção e certeza que Eles restau- ção. Em nome de Jesus Cristo.
raram nesta última dispensação Amém. 

A L I A H O N A
4
Membros dos atuais Quóruns da Igreja sentam-se de frente para a congregação. A congregação ocupa os três
níveis do auditório do Centro de Conferências.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
5
estaria só ao enfrentar essas prova-
O Convênio do ções e reveses, mas que anjos prote-
tores me amparariam. E de fato,
algumas pessoas eram quase anjos em

Batismo: Estar no Reino forma de médicos, enfermeiras e


acima de tudo minha amada compa-
nheira, Mary. E em alguns momen-

e Ser do Reino tos, quando o Senhor assim desejou,


fui consolado com visitas de hostes
celestiais que me trouxeram consolo
Élder Robert D. Hales e tranqüilidade eterna em minhas
Do Quórum dos Doze Apóstolos horas de necessidade.
Embora meu sofrimento pessoal
não possa ser comparado à agonia
do Salvador no Getsêmani, adquiri
melhor compreensão de Sua
Expiação e Seu padecimento. Em
“Nosso batismo e confirmação são a porta de entrada para Seu reino. Seus momentos de aflição, Ele ro-
Quando ingressamos, fazemos o convênio de sermos de Seu reino, para gou ao Pai: “Se é possível, passe de
sempre!” mim este cálice; todavia, não seja
como eu quero, mas como tu que-
Seu Espírito e faremos Sua vontade res”. (Mateus 26:39) O Pai Celestial
no cotidiano. enviou um anjo para apoiá-Lo e for-
Houve momentos em que fiz al- talecê-Lo em Suas horas mais difí-
gumas perguntas diretas em minhas ceis. (Ver Lucas 22:43.)
orações, como: “Que lições Tu que- Jesus só decidiu deixar este mundo
res que eu aprenda com essas expe- depois de perseverar até o fim e con-
riências?” cluir a missão que fora enviado para
Ao estudar as escrituras nesse pe- cumprir em prol da humanidade. Na
ríodo crítico de minha vida, o véu cruz do Calvário, Jesus entregou o
tornou-se tênue e recebi respostas Espírito a Seu Pai com uma declara-
por meio do que já fora registrado ção simples: “Está consumado”. (João
na vida de pessoas que haviam pas- 19:30) Após perseverar até o fim, foi
sado por tribulações ainda mais cru- liberado da mortalidade.
ciantes. “Meu filho, paz seja com Nós também precisamos perseve-
tua alma; tua adversidade e tuas rar até o fim. O Livro de Mórmon
aflições não durarão mais que um ensina: “A menos que o homem per-
momento; severe até o fim, seguindo o exem-
E então, se suportares bem, Deus plo do Filho do Deus vivente, não
te exaltará no alto.” (D&C 121:7–8) poderá ser salvo”. (2 Néfi 31:16)

D epois de recuperar-me de
três grandes cirurgias que
me impediram de discursar
nas últimas duas conferências gerais,
que alegria é poder estar neste belo
Momentos sombrios de depressão
eram logo dissipados pela luz do
evangelho à medida que o Espírito
trazia paz, consolo e a certeza de
que tudo terminaria bem.
As experiências desses últimos
dois anos tornaram-me mais forte
em espírito e deram-me coragem pa-
ra testificar com mais eloqüência ao
mundo sobre os profundos senti-
Centro de Conferências hoje para Em algumas ocasiões, eu disse ao mentos de meu coração. Estou dian-
ensinar e prestar testemunho para Senhor que eu certamente já apren- te de vocês hoje determinado a
quem desejar ouvir a palavra do dera as lições a serem ensinadas e ensinar os princípios do evangelho
Senhor. que eu não precisava passar por mais como os profetas da antigüidade:
Nos últimos dois anos, exerci fé sofrimentos. Essas súplicas parecem sem temer os homens, falando de
no Senhor para que Ele me ensinas- ter sido em vão, porque me foi mos- modo claro e direto e ensinando as
se lições mortais em períodos de dor trado com clareza que esse processo verdades simples do evangelho
física, angústia mental e meditação. de purificação e testes deveria ser su- Com isso em mente, eu gostaria
Aprendi que as dores constantes e portado no tempo do Senhor e à ma- de discorrer sobre como a ordenan-
intensas são algo que nos consagra, neira Dele. Uma coisa é ensinar ça do batismo e o recebimento do
purifica, torna humildes e aproxima “faça-se a tua vontade” (Mateus dom do Espírito Santo nos separam
do Espírito de Deus. Se ouvirmos e 26:42); outra coisa é viver o princí- deste mundo e nos permitem entrar
obedecermos, seremos guiados por pio. Também aprendi que eu não no reino de Deus.

A L I A H O N A
6
O Presidente Gordon B. Hinckley (centro); o Presidente Thomas S. Monson (à esquerda), Primeiro Conselheiro na
Primeira Presidência; e o Presidente James E. Faust, Segundo Conselheiro na Primeira Presidência.

Há uma frase bastante conhecida em Seu reino e a guardar Seus O Presidente Brigham Young de-
que diz: Estar no mundo sem ser do mandamentos a partir daquele mo- clarou: “Todos os santos dos últimos
mundo. (Ver João 17:11, 14–17.) mento, embora ainda vivamos no dias fazem o novo e eterno convênio
Nossa existência mortal é necessária mundo. O Livro de Mórmon lem- ao filiarem-se a esta Igreja. Fazem o
para cumprir o plano de salvação. bra-nos que, em nosso batismo, nos convênio de deixar de apoiar, defen-
Precisamos, portanto, viver neste comprometemos a “servir de teste- der e sustentar o reino do diabo e os
mundo, mas devemos também resis- munhas de Deus em todos os momen- reinos deste mundo. Fazem o novo e
tir às influências mundanas que tos e em todas as coisas e em todos os eterno convênio de apoiar o reino
sempre nos rodeiam. lugares em que [nos encontremos], de Deus e nenhum outro. Assumem
Jesus ensinou: “O meu reino não é mesmo até a morte; para que [seja- o compromisso solene, diante dos
deste mundo”. (João 18:36) Essas pa- mos] redimidos por Deus e contados céus e da Terra, ( . . . ) de que de-
lavras levaram-me a ponderar mais com os da primeira ressurreição, pa- fenderão a verdade e a justiça em
sobre Seu reino. Concluí que quando ra que [tenhamos] a vida eterna”. vez da iniqüidade e da mentira e
somos batizados por imersão por al- (Mosias 18:9; grifo do autor) que construirão o reino de Deus e
guém com a devida autoridade do sa- Quando somos batizados e con- não os reinos deste mundo”.
cerdócio e optamos por seguir nosso firmados membros de A Igreja de (Ensinamentos dos Presidentes da
Salvador, passamos a estar em Seu Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Igreja: Brigham Young [1997], pp.
reino e a ser de Seu reino. Será que Dias e recebemos o dom do Espírito 62–63)
realmente sabemos o que significa es- Santo, tornamo-nos “concidadãos” É tão importante entrar no reino
tar em Seu reino e ser de Seu reino? com o Salvador no reino de Deus de Deus que Jesus foi batizado a fim
Para sermos do reino de Deus, (ver Efésios 2:19) e devemos “[an- de mostrar-nos “quão estreito é o
precisamos dar ouvidos à admoesta- dar] em novidade de vida”. caminho e quão apertada é a porta
ção do Salvador: “Segui-me”. (2 (Romanos 6:4) pela qual [deveremos] entrar”.
Néfi 31:10) Néfi ensinou que segui- Quando compreendermos nosso (2 Néfi 31:9) “Mas, embora sendo
mos Jesus ao guardarmos os manda- convênio batismal, nosso batismo santo, mostra aos filhos dos homens
mentos do Pai Celestial. “Portanto, modificará nossa vida e estabelecerá que, segundo a carne, se humilha
meus amados irmãos, poderemos nossa total fidelidade ao reino de ante o Pai e testifica-lhe que lhe se-
nós seguir a Jesus se não estivermos Deus. Quando as tentações nos rá obediente na observância de seus
dispostos a guardar os mandamentos confrontarem, se abrirmos os ouvi- mandamentos.” (2 Néfi 31:7)
do Pai?” (2 Néfi 31:10) dos, o Espírito Santo nos fará lem- Nascido de mãe mortal, Jesus
Por ocasião do batismo, fazemos brar que prometemos recordar nosso foi batizado para cumprir o manda-
convênio com nosso Pai Celestial Salvador e guardar Seus manda- mento de Seu Pai de que os filhos
de que estamos dispostos a entrar mentos. de Deus devem ser batizados. Ele

J A N E I R O D E 2 0 0 1
7
deixou o exemplo para que todos para sempre? Os conversos adultos mães e os pais devem, em espírito de
nos humilhemos diante de nosso Pai da Igreja costumam ter um melhor oração, convidar o Espírito Santo a
Celestial. Ele foi batizado para testi- entendimento desta transformação habitar em seu lar dedicado. Com o
ficar a Seu Pai que seria obediente porque sentem o contraste ao saí- auxílio do Espírito Santo, os mem-
na observância de Seus mandamen- rem do mundo e entrarem no reino bros da família poderão fazer esco-
tos. Foi batizado para mostrar-nos de Deus. lhas sábias, escolhas que os ajudarão
que deveríamos receber o dom do Quando somos batizados, toma- a regressar juntos para a presença do
Espírito Santo. (Ver 2 Néfi 31:4–9.) mos sobre nós o sagrado nome de Pai Celestial e Seu Filho Jesus Cristo
Ao seguirmos o exemplo de Jesus, Jesus Cristo. Tomar sobre nós o Seu para viverem com Eles eternamente.
nós também demonstramos que nos nome é uma das experiências mais As escrituras confirmam que as
arrependeremos e seremos obedien- significativas que poderemos ter na pessoas verdadeiramente converti-
tes aos mandamentos de nosso Pai vida. Contudo, às vezes passamos das fazem mais do que apenas igno-
Celestial. Humilhamo-nos com o por essa experiência sem a com- rar os apelos do mundo. Elas amam
coração quebrantado e o Espírito preender plenamente. a Deus e ao próximo. A mente e a
contrito ao reconhecermos nossos Quantos de nossos filhos e quan- alma delas estão centradas no sacri-
pecados e buscarmos o perdão de tos de nós realmente compreende- fício expiatório do Salvador. A partir
nossas ofensas. (Ver 3 Néfi 9:20.) mos que quando fomos batizados, de sua conversão, Enos, Alma, o fi-
Fazemos convênio de que estamos tomamos sobre nós não só o nome lho, Paulo e outros dedicaram-se in-
dispostos a tomar sobre nós o nome de Jesus Cristo, mas também a lei da tegralmente ao trabalho de trazer a
de Jesus Cristo e recordá-Lo sempre. obediência? si próprios e a seus semelhantes a
“Porque a porta pela qual deveis Todas as semanas, na reunião sa- Deus. O poder e os bens do mundo
entrar é o arrependimento e o batis- cramental, prometemos recordar o perderam a importância para eles.
mo com água; e recebereis, então, a sacrifício expiatório de nosso Os filhos de Mosias abriram mão de
remissão de vossos pecados pelo fo- Salvador ao renovarmos nosso con- um reino terreno e arriscaram a pró-
go e pelo Espírito Santo. vênio batismal. Prometemos fazer pria vida pelo bem-estar alheio.
E estareis então no caminho estrei- como o Salvador fez — ser obedien- Esses filhos fiéis eram motivados pe-
to e apertado que conduz à vida eter- tes ao Pai e sempre guardar Seus la esperança de conseguirem salvar
na; sim, havereis entrado pela porta; mandamentos. A bênção que rece- ainda que fosse uma alma e assim
havereis procedido segundo os man- bemos em troca é sempre termos co- conquistar para si mesmos e para
damentos do Pai e do Filho; e have- nosco Seu Espírito. seus irmãos um lugar no reino eter-
reis recebido o Espírito Santo, que dá O dom do Espírito Santo, conferi- no de Deus.
testemunho do Pai e do Filho em do a nós na confirmação, confere- Ao optarmos por estar em Seu
cumprimento da promessa que vos fez nos a capacidade de discernir a reino, nós nos separamos (e não nos
de que, se entrásseis pelo caminho, re- diferença entre a abnegação do reino isolamos) do mundo. Passaremos a
ceberíeis.” (2 Néfi 31:17–18) de Deus e o egoísmo do mundo. O
Essa é a promessa que nos foi feita Espírito Santo concede-nos força e
quando entramos para o reino por coragem para conduzirmos nossa vi-
meio do batismo e quando, por impo- da à maneira do reino de Deus e é a
sição de mãos, nos foi conferido o fonte de nosso testemunho do Pai e
dom do Espírito Santo e fomos con- do Filho. Ao obedecermos à vontade
firmados membros d’A Igreja de de nosso Pai Celestial, esse dom
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos inestimável do Espírito Santo estará
Dias — ou seja, tornamo-nos cida- conosco continuamente.
dãos do reino de Deus (ver Efésios Precisamos do Espírito Santo co-
2:19) e devemos “[andar] em novi- mo nosso companheiro constante
dade de vida”. (Romanos 6:4) para ajudar-nos a fazer escolhas me-
Precisamos ser mais eficazes ao lhores nas decisões com que nos de-
ensinar nossos filhos e netos a com- paramos no dia-a- dia. Nossos
preender o que significa entrar no rapazes e moças são bombardeados
reino de Deus. Muitos membros da com as coisas vis do mundo. A com-
Igreja não entendem plenamente o panhia do Espírito lhes dará forças
que aconteceu quando eles entra- para resistir ao mal e, quando neces-
ram nas águas do batismo. É muito sário, para arrependerem-se e volta-
importante que compreendamos o rem ao caminho estreito e apertado.
maravilhoso dom da remissão dos Nenhum de nós está imune às
pecados, mas há muito mais. Vocês tentações do adversário. Todos pre-
e seus filhos compreendem que, cisamos do fortalecimento propor-
quando são batizados, modificam-se cionado pelo Espírito Santo. As

A L I A H O N A
8
primar pelo recato no vestir e nossos de e obedecer a seus mandamentos viar-se das tentações do mundo e, a
pensamentos e palavras serão puros. em todas as coisas que ele nos orde- partir de então, dedicarem todo o
Os filmes e programas de televisão a nar, para o resto de nossos dias”. “coração, poder, mente e força”
que assistirmos, as músicas que ou- (Mosias 5:2, 5) (D&C 4:2) para estarem no reino
virmos, os livros, as revistas e jornais Demonstraremos que “[deseja- de Deus.
que lermos serão edificantes. mos] ( . . . ) ser chamados seu povo; Sinto uma enorme gratidão por
Escolheremos amizades que nos in- e ( . . . ) [estamos] dispostos a carre- meu batismo e confirmação em A
centivarão a atingir nossas metas gar os fardos uns dos outros, para Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
eternas e trataremos uns aos outros que fiquem leves; Últimos Dias. Sou grato pela força e
com bondade. Manteremos distân- Sim, e [estamos] dispostos a cho- orientação espiritual que o Espírito
cia dos vícios da imoralidade, dos jo- rar com os que choram; sim, e con- Santo me proporcionou ao longo de
gos de azar, do fumo, da bebida e das solar os que necessitam de consolo”. minha vida. Sou grato por pais e
drogas ilícitas. Nossas atividades do- (Mosias 18:8–9) professores bondosos que incutiram
minicais refletirão o mandamento Exorto todos os pais a prepara- em mim o significado do batismo de
do Senhor de lembrar-nos de Seu rem os filhos e os missionários a pre- tal forma que as lembranças e senti-
dia para o santificar. Seguiremos o pararem os conversos para a sagrada mentos daquela ocasião continuam
exemplo de Jesus Cristo na forma de ordenança do batismo. Ensinem so- a ser uma influência duradoura em
tratarmos uns aos outros e levare- bre o significado dela para que fique toda a minha vida.
mos uma vida digna para podermos gravada na memória espiritual deles Presto testemunho da divindade
entrar na casa do Senhor. para o restante da vida. Levem-nos do evangelho, restaurado nestes úl-
Seremos exemplos dos “fiéis, na à reunião sacramental semanalmen- timos dias. Testifico da Expiação de
palavra, no trato, no amor, no espí- te para renovarem os convênios ba- Jesus Cristo e da eficácia e poder do
rito, na fé, na pureza”. (I Timóteo tismais por meio da ordenança do sacerdócio e suas ordenanças do
4:12) sacramento. Sejam um bom exem- evangelho. Oro para que cada um
Passaremos por uma “vigorosa plo para eles. Ensinem-lhes que, por de nós, como membros de Seu rei-
mudança ( . . . ) [no coração], de causa do batismo e do dom do no, compreenda que nosso batismo
modo que não [teremos] mais dispo- Espírito Santo, nossa maneira de en- e confirmação são a porta de entra-
sição para praticar o mal, mas, sim, xergar as coisas do mundo deve mu- da para Seu reino. Quando ingressa-
de fazer o bem continuamente”. dar. Uma vigorosa mudança deve mos, fazemos o convênio de sermos
Guardaremos nosso “convênio com ocorrer em seu coração e em sua de Seu reino, para sempre! Em no-
nosso Deus, de cumprir a sua vonta- mente para que eles consigam des- me de Jesus Cristo. Amém. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
9
“Creio que o trabalho vicário pelos
A Redenção dos Mortos mortos se assemelha mais ao sacrifí-
cio vicário do próprio Salvador do
que qualquer outro trabalho que co-
e o Testemunho de Jesus nheço. Ele é realizado com amor,
sem qualquer expectativa de remu-
neração, compensação ou qualquer
Élder D. Todd Christofferson coisa do gênero. Que princípio glo-
Da Presidência dos Setenta rioso!”8
Alguns não compreendem e pen-
sam que as almas de pessoas faleci-
das estão “sendo batizadas na fé
mórmon sem seu conhecimento” 9
ou que “pessoas que antes perten-
“Ao identificarmos nossos antepassados e realizarmos por eles as ciam a outras denominações religio-
ordenanças de salvação que não podem fazer por si mesmos, estamos sas podem retroativamente ser
testificando da infinita abrangência da Expiação de Jesus Cristo.” forçadas a aceitar essa fé”. 10 Eles
pressupõem que de alguma forma
organizou suas forças e designou temos poder de forçar uma alma a
mensageiros, revestidos de poder e fazer alguma coisa em questões de
autoridade, e comissionou-os para fé. Claro que não podemos. Deus
levar a luz do evangelho aos que concedeu o livre-arbítrio ao homem
estavam nas trevas. ( . . . ) A esses desde o início.11 “Os mortos que se
foi ensinada a fé em Deus, o arre- arrependerem serão redimidos por
pendimento do pecado, o batismo meio da obediência às ordenanças
vicário para remissão de pecados, da Casa de Deus”12, mas somente se
[e] o dom do Espírito Santo pela aceitarem essas ordenanças. A
imposição de mãos”.5 Igreja não os coloca em seus regis-
A doutrina de que os vivos po- tros nem os conta como membros.
dem ser batizados e realizar orde- Nosso anseio em redimir os mor-
nanças pelos mortos vicariamente tos e o tempo e os meios que utiliza-
foi revelada novamente ao Profeta mos para cumprir esse compromisso
Joseph Smith. 6 Ele aprendeu que são acima de tudo uma demonstra-
não só a salvação individual é ofere- ção de nosso testemunho de Jesus
cida aos espíritos que estão aguar- Cristo. Trata-se de uma declaração
dando a ressurreição, mas que eles tão veemente quanto aquela que fa-
também podem ser unidos no céu zemos concernente à Sua missão e

O s teólogos cristãos há muito


tempo meditam sobre a
pergunta: “Qual será o des-
tino de bilhões de pessoas que vive-
ram e morreram sem nenhum
como marido e mulher e ser selados
a seus respectivos pais e mães de to-
das as gerações passadas, assim co-
mo seus filhos de todas as gerações
futuras podem ser selados a eles. O
caráter divinos. Primeiro, testifica-
mos da ressurreição de Cristo; se-
gundo, da abrangência infinita de
Sua expiação; terceiro, de que Ele é
a única fonte de salvação; quarto,
conhecimento de Jesus?” 1 Com a Senhor instruiu o Profeta de que es- que Ele estabeleceu as condições da
Restauração do evangelho de Jesus ses ritos sagrados só podem ser reali- salvação; e quinto, que Ele voltará.
Cristo, recebemos o conhecimento zados de maneira adequada numa
de como os mortos que não foram casa construída em Seu nome, um O PODER DA RESSURREIÇÃO
batizados são redimidos e como templo.7 DE CRISTO
Deus pode ser “perfeito, justo e tam- O princípio do trabalho vicário Com respeito à Ressurreição,
bém um Deus misericordioso”.2 não deveria ser estranho para ne- Paulo perguntou: “Doutra maneira,
Enquanto estava aqui na Terra, nhum cristão. No batismo de uma que farão os que se batizam pelos
Jesus profetizou que também pre- pessoa viva, o oficiante age por pro- mortos, se absolutamente os mortos
garia aos mortos. 3 Pedro nos diz curação, em lugar do Salvador. Não não ressuscitam? Por que se batizam
que isso ocorreu no intervalo entre é essa a doutrina principal de nossa eles então pelos mortos?”13 Nós nos
a Crucificação e a Ressurreição do fé? A de que o sacrifício de Cristo batizamos pelos mortos porque sabe-
Salvador. 4 O Presidente Joseph F. expia nossos pecados satisfazendo mos que eles ressuscitarão. “A alma
Smith testemunhou em visão que o vicariamente as exigências da justi- será restituída ao corpo e o corpo, à
Salvador visitou o mundo espiri- ça em relação a nós? Como disse o alma; sim, e todo membro e junta
tual e “dentre os [espíritos] justos, Presidente Gordon B. Hinckley: serão restituídos ao seu corpo; sim,

A L I A H O N A
10
nem mesmo um fio de cabelo da ca-
beça será perdido, mas todas as coi-
sas serão restauradas na sua própria
e perfeita estrutura.”14 “Porque foi
para isto que morreu Cristo, e res-
surgiu, e tornou a viver, para ser
Senhor, tanto dos mortos, como dos
vivos.”15
É tremendamente importante o
que fazemos em relação àqueles que
já foram porque eles vivem hoje co-
mo espíritos e viverão novamente
como almas imortais por causa de
Cristo. Acreditamos em Suas pala-
vras quando disse: “Eu sou a ressur-
reição e a vida; quem crê em mim,
ainda que esteja morto, viverá”. 16
Por meio dos batismos que realiza-
mos em favor dos mortos, testifica-
mos que “assim como todos morrem
em Adão, assim também todos serão
vivificados em Cristo. ( . . . ) Porque
convém que reine até que haja pos-
to a todos os inimigos debaixo de
seus pés. “Ora, o último inimigo que
há de ser aniquilado é a morte”.17

A INFINITA ABRANGÊNCIA DA
EXPIAÇÃO DE CRISTO
Ao identificarmos nossos ante-
passados e realizarmos por eles as todas as pessoas vivas, fosse cancela- Alguns cristãos dos dias de hoje,
ordenanças de salvação que não po- do para aqueles que não o recebe- preocupados com os bilhões de indi-
dem fazer por si mesmos, estamos ram antes de morrer. Por intermédio víduos que morreram sem o conhe-
testificando da infinita abrangência de Paulo, somos levados a crer que a cimento de Jesus Cristo, começaram
da Expiação de Jesus Cristo. Ele morte não impõe esse obstáculo: a conjeturar se verdadeiramente há
“morreu por todos”.18 “E ele é a pro- “( . . . ) Nem a morte, nem a vida, somente “um só Senhor, uma só fé,
piciação pelos nossos pecados, e não nem os anjos, nem os principados, um só batismo”.27 Dizem que a cren-
somente pelos nossos, mas também nem as potestades, nem o presente, ça de que Jesus é o único Salvador é
pelos de todo o mundo.”19 nem o porvir ( . . . ) nos poderá se- arrogante, limitada e intransigente;
“Deus não faz acepção de pes- parar do amor de Deus, que está em nós, contudo, dizemos que esse dile-
soas. Mas [ . . . ] lhe é agradável Cristo Jesus nosso Senhor”.23 ma é falso. Não há nenhuma injusti-
aquele que, em qualquer nação, o ça no fato de haver apenas Um por
teme e faz o que é justo.”20 “Eis que JESUS CRISTO, A ÚNICA FONTE DE meio do qual possa vir a salvação,
clama ele a alguém, dizendo: SALVAÇÃO quando essa única pessoa e Sua sal-
Afasta-te de mim? Eis que vos digo: Nosso anseio em garantir que vação é oferecida a todas as almas,
Não; mas ele diz: Vinde a mim todos nossos parentes falecidos tenham sem exceção. Não precisamos mu-
vós, extremos da Terra, comprai lei- oportunidade de se batizarem em dar a doutrina ou adaptar as boas
te e mel sem dinheiro e sem pre- nome de Jesus é prova de que Jesus novas de Cristo.
ço.”21 Nosso Senhor “( . . . ) convida Cristo é “o caminho, a verdade e a
todos a virem a ele e a participarem vida” e que “ninguém vem ao Pai, AS CONDIÇÕES DE SALVAÇÃO
de sua bondade; e não repudia senão por [Ele]”.24 Pedro proclamou: ESTABELECIDAS POR CRISTO
quem quer que o procure, negro e “E em nenhum outro há salvação, Por acreditarmos que Jesus Cristo
branco, escravo e livre, homem e porque também debaixo do céu ne- é o Redentor, aceitamos também
mulher; e lembra-se dos pagãos; e nhum outro nome há, dado entre os Sua autoridade para estabelecer as
todos são iguais perante Deus, tanto homens, pelo qual devamos ser sal- condições pelas quais podemos rece-
judeus como gentios”.22 vos”.25 “Porque há um só Deus, e um ber Sua graça, do contrário, não nos
É inconcebível que esse convite, só Mediador entre Deus e os ho- preocuparíamos em sermos batiza-
que se estende universalmente a mens, Jesus Cristo homem.”26 dos pelos mortos.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
11
dará o Espírito Santo, como a mim;
segui-me, pois; e fazei as coisas que
me vistes fazer”.32
Não há exceções; não há necessi-
dade delas. Todos os que crerem e
forem batizados, inclusive os que fo-
rem batizados por procuração, e per-
severarem até o fim, serão salvos,
“não somente os que creram após
[a] vinda [de Cristo] na carne, no
meridiano dos tempos, mas todos,
desde o princípio, sim, todos os que
existiram antes de sua vinda ( . . . )”.33
Por essa razão o evangelho é prega-
do “também aos mortos, para que,
na verdade, fossem julgados segun-
do os homens na carne, mas vives-
sem segundo Deus em espírito”.34

A SEGUNDA VINDA DE JESUS CRISTO


Nosso trabalho pelos mortos pres-
ta testemunho de que Jesus Cristo vi-
rá novamente à Terra. Nos últimos
versículos do Velho Testamento,
Jeová declarou: “Eis que eu vos en-
viarei o profeta Elias, antes que ve-
nha o grande e terrível dia do
Senhor; e ele converterá o coração
dos pais aos filhos, e o coração dos fi-
lhos a seus pais; para que eu não ve-
nha, e fira a terra com maldição”.35
Num comentário inspirado a res-
peito desse versículo, o Profeta
Joseph Smith declarou: “( . . . ) A
Terra será ferida com maldição, a
menos que exista um elo de ligação
de um ou outro tipo entre os pais e
os filhos, sobre um assunto ou outro
— e qual é esse assunto? É o batis-
mo pelos mortos”.36
As ordenanças vicárias que reali-
zamos dentro dos templos, a começar
pelo batismo, torna possível a ligação
entre as gerações, cumprindo o pro-
pósito da criação da Terra. Sem isso,
O lado leste do Templo de Salt Lake. “a Terra seria completamente destruí-
da na sua vinda”37. Elias veio de fato,
Jesus confirmou que “estreita é a Embora não tivesse cometido pe- como prometido, a fim de estabelecer
porta, e apertado o caminho que le- cado, o próprio Jesus Cristo foi bati- esse elo entre os pais e os filhos para
va à vida ( . . . )”.28 Ele disse especifi- zado e recebeu o Espírito Santo para que mais uma vez, o que for ligado na
camente que “aquele que não nascer testificar “ante o Pai ( . . . ) que lhe Terra, “[seja] ligado nos céus”. 38
da água e do Espírito, não pode en- [seria] obediente na observância de Quando veio à Terra, Elias declarou:
trar no reino de Deus”.29 Isso significa seus mandamentos”31, e para mos- “As chaves desta dispensação são
que devemos “( . . . ) [arrepender- trar-nos “quão estreito é o caminho confiadas a vossas mãos; e assim sabe-
nos], e cada um de nós [ser] batizado e quão apertada é a porta pela qual reis que o grande e terrível dia do
em nome de Jesus Cristo, para perdão [devemos] entrar, tendo-[nos] ele Senhor está perto, sim, às portas”.39
dos pecados; e [receberemos] o dom dado o exemplo”. E disse: “Àquele Estamos profundamente engaja-
do Espírito Santo”.30 que for batizado em meu nome o Pai dos no trabalho de procurar nossos

A L I A H O N A
12
pais e mães de gerações passadas pa-
ra ligá-los a nós, e nós a eles. Não é
essa a maior evidência de que esta-
mos convictos da vinda de Jesus
Cristo e de que Ele reinará sobre a
Terra? Sabemos que Ele virá, e sabe-
mos que Ele espera que tenhamos
nos preparado para Sua vinda.
As escrituras às vezes referem-se
aos mortos como se eles estivessem
nas trevas ou na prisão. 40
Contemplando o glorioso plano de
Deus para Seus filhos, o Profeta
Joseph Smith escreveu este salmo:
“( . . . ) Regozije-se vosso coração e
muito se alegre. Prorrompa a terra
em canto. Entoem os mortos hinos
de eterno louvor ao Rei Emanuel,
que estabeleceu, antes da fundação
do mundo, aquilo que nos permitiria
redimi-los de sua prisão; pois os pri- “forçadas a escolher entre uma lei incoe- 17. I Coríntios 15:22, 25–26
sioneiros serão libertados”.41 rente que [permite] entrar no céu aqueles 18.II Coríntios 5:15.
Nossa responsabilidade é tão que não foram batizados e um Deus cruel 19. I João 2:2
grande quanto o amor de Deus para que [amaldiçoa] o inocente”. (Hugh 20. Atos 10:34–35
com Seus filhos de todas as épocas e Nibley, Mormonism and Early Christianity 21. 2 Néfi 26:25
de todos os lugares. Nossos esforços [1987], p. 101). 22. 2 Néfi 26:33
em favor dos mortos prestam elo- 2. Alma 42:15 23. Romanos 8:38–39
qüente testemunho de que Jesus 3. Ver João 5:25. 24. Ver João 14:6.
Cristo é o divino Redentor de toda 4. Ver I Pedro 3:18–20. 25. Atos 4:12; ver também 2 Néfi
a humanidade. Sua graça e promes- 5. D&C 138:30, 33 25:20; Mosias 5:8.
sas alcançam até mesmo aqueles 6. Ver D&C 124, 128, 132. The Personal 26. I Timóteo 2:5
que em vida não O encontraram. Writings of Joseph Smith, ed. Dean C. Jessee 27. Efésios 4:5. Ver, por exemplo,
Por causa Dele, os prisioneiros serão (1984), p. 486; The Words of Joseph Smith, John Hick, The Myth of God Incarnate
libertados. Em nome de Jesus ed. Andrew F. Ehat e Lyndon W. Cook (1977).
Cristo. Amém.  (1991), p. 49. 28. Mateus 7:14
7. Ver D&C 124:29–36. Hoje, a cons- 29. João 3:5
NOTAS trução de templos em todo o mundo está 30. Atos 2:38
1. John Sanders, introdução de What em expansão e um de seus principais ob- 31. 2 Néfi 31:7; ver também Mateus
About Those Who Have Never Heard? jetivos é prover um lugar onde as orde- 3:13–17; Marcos 1:9–11; Lucas 3:21–22;
Three Views on the Destiny of the nanças essenciais à salvação possam ser João 1:29–34.
Unevangelized, de Gabriel Fackre, Ronald realizadas em favor daqueles que não fo- 32. 2 Néfi 31:9, 12
H. Nash e John Sanders (1995), p. 9. ram privilegiados de recebê-las em vida. 33. D&C 20:26
Existem várias teorias a respeito da 8. “Trechos de discursos recentes do 34. I Pedro 4:6
“evangelização” dos mortos, que variam Presidente Gordon B. Hinckley, A Liahona, 35. Malaquias 4:5–6; ver também
de uma inexplicável negação da salvação, agosto de 1998, pp. 16–17. 3 Néfi 25:5–6; D&C 2:1–3.
passando por sonhos e uma expectativa 9. Ben Fenton, “Mormons Using 36. D&C 128:18
de outra intervenção divina no momento Secret British War Files ‘to Save Souls”, 37. D&C 2:3; JS—H 1:39
da morte, chegando até salvação para to- The Telegraph (Londres), 15 de fevereiro 38. Mateus 16:19; ver também Mateus
dos, mesmo sem fé em Cristo. Alguns de 1999. 18:18, D&C 132:46.
acreditam que as almas ouvem alguma 10. Greg Stott, “Ancestral Passion”, 39. D&C 110:16
coisa sobre Jesus depois da morte. Equinox, abril/maio de 1998, p. 45. 40. Ver também Isaías 24:22; I Pedro
Ninguém explica como satisfazer a exi- 11. Ver Moisés 7:32; ver também Alma 3:19; Alma 40:12–13; D&C 38:5; D&C
gência de Jesus de que um homem tem de 5:33–36; 42:27. 138:22, 30. Até mesmo os espíritos dos
nascer da água e do espírito para entrar 12. D&C 138:58 justos são chamados de “os cativos que ti-
no reino de Deus. (Ver João 3:3–5.) Sem 13. I Coríntios 15:29 nham sido fiéis” e aguardavam pela liber-
o conhecimento que outrora existia na 14. Alma 40:23 tação das cadeias da morte. (Ver D&C
Igreja Primitiva, essas pessoas sinceras 15. Romanos 14:9 138:18–19.)
que procuravam a verdade foram 16. João 11:25 41. D&C 128:22

J A N E I R O D E 2 0 0 1
13
seus ombros para que possam me-
“Vinde e Vede” lhor suportar seu fardo e lhes dará
coragem e esperança renovadas para
a próxima jornada.
Élder Alexander B. Morrison “Vinde e vede”, e ao fazê-lo, seus
Membro Emérito dos Setenta olhos se abrirão e vocês irão saber
verdadeiramente, talvez pela primeira
vez, quem são vocês e quem é Ele.
Vocês perceberão que são filhos de
Deus, de ascendência divina, com
“Venham desejosos de conhecê-Lo, e prometo-lhes que O encontrarão e capacidade ilimitada para crescer es-
O verão em Seu verdadeiro papel de Salvador do mundo, ressurreto e piritualmente e ficar mais parecidos
redentor.” com Ele. Entenderão que Deus “de
um só sangue fez toda a geração dos
moído por causa das nossas iniqüi- homens, para habitar sobre toda a
dades ( . . . ) e pelas suas pisaduras face da terra” (Atos 17:26) e verão
fomos sarados”. (Isaías 53:5) os homens de todos os lugares como
“Vinde e vede” e quando vierem, seus irmãos e todas as mulheres co-
depositem o seu fardo aos Seus pés. mo suas irmãs, com todas as implica-
Abandonem seus pecados para que ções da responsabilidade familiar.
possam vê-Lo e conhecê-Lo. (Ver Verão que “o Senhor ( . . . ) não re-
Alma 22:18.) “Vinde a mim, todos pudia quem quer que o procure, ne-
os que estais cansados e oprimidos”, gro e branco, escravo e livre, homem
disse Ele, “e eu vos aliviarei. Tomai e mulher ( . . . ) e todos são iguais
sobre vós o meu jugo, e aprendei de perante Deus”. (2 Néfi 26:33)
mim, ( . . . ) e encontrareis descanso “Vinde e vede”, e ao fazê-lo en-
para as vossas almas.” (Mateus contrarão a Sua Igreja, A Igreja de
11:28–29) Vinde a Ele, e Ele os li- Jesus Cristo dos Santos dos Últimos
vrará dos pecados e os lavará em Dias. Esta Igreja é dirigida na Terra
Seu sangue redentor. Ele curará a por profetas, videntes e reveladores
sua alma, embora enferma pelo pe- vivos, mas o cabeça não é um ho-
cado e os fará sentir- se bem. mem mortal, mas sim Jesus, o próprio
Substituirá o ódio pelo amor e o Senhor Deus Onipotente. Ao “[vi-

L ogo no início de Seu ministé-


rio, dois discípulos vieram até
Jesus e perguntaram-Lhe:
“Mestre, onde moras”? A resposta
breve mas profunda de Jesus, “vinde
egoísmo pelo serviço. Fortalecerá rem] e [verem]”, encontrarão um

e vede”, é o fundamento de minhas


poucas e simples palavras nesta ma-
nhã. (Ver João 1:38–39.)
“Vinde e vede”, venham desejo-
sos de conhecê-Lo, e prometo-lhes
que O encontrarão e O verão em
Seu verdadeiro papel de Salvador
do mundo, ressurreto e redentor.
“Vinde e vede”, e O reconhecerão
como o Cristo do sepulcro vazio,
que venceu o Calvário, rompeu as
ligaduras da morte e ergueu-Se
triunfante da tumba para trazer a
imortalidade a todos e a vida eterna
para os fiéis. Ele é o “cordeiro ima-
culado e incontaminado”, preorde-
nado “antes da fundação do mundo”
para o Seu papel de Messias.
(I Pedro 1:19–20) Foi “ferido por
causa das nossas transgressões, e

A L I A H O N A
14
povo alegre, um povo otimista e feliz
que, enquanto esforça-se para sobre-
pujar as falhas e fraquezas comuns do
ser humano, ainda luta para ser me-
Testemunho
lhor, para fazer o bem a todos os ho- Élder Loren C. Dunn
mens, para construir a cidade de Membro Emérito dos Setenta
Deus, onde todos viverão juntos em
retidão. Ao “[virem] e [verem]”, en-
contrarão um povo genuína e conti-
nuamente preocupado com o pobre e
o necessitado, e que leva a sua ajuda “Sei que Deus, nosso Pai, está envolvido nesta obra em grandes
à viúva e ao órfão, ao doente e ao congregações como esta, e no menor dos ramos e na menor das
aflito, ao pobre e ao oprimido. “Vinde congregações Deus também está envolvido nesta obra.”
e vede” os frutos de uma vida vivida
no evangelho. Provem esses frutos união da grande herança da
por si mesmos e sintam a sua doçura América às raízes sagradas do
e delícia. Quando compreenderem Evangelho Restaurado de Jesus
que “quando [estão] a serviço de Cristo.
[seu] próximo, [estão] somente a ser- Algumas pessoas da audiência es-
viço de [seu] Deus” (Mosias 2:17), tavam ligadas de alguma maneira a
procurarão passar a vida a serviço do Boston e à região circunvizinha. A
Mestre. maioria estava ali porque morava no
Termino onde comecei: a afirma- local e regozijava-se pela dedicação
ção de Jesus, “vinde e vede”, faz ao de um templo em seu meio. Todos
mesmo tempo um convite e uma estavam ali como membros dignos
promessa a todas as pessoas em to- d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos
dos os lugares. Venham a Ele. dos Últimos Dias, concidadãos dos
Vejam-No como Rei dos reis e santos, e da família de Deus, como
Senhor dos senhores. Reconheçam disse o Presidente Hinckley na ceri-
Nele o Grande Messias, que virá no- mônia da pedra angular: “Edificados
vamente trazendo cura em Suas sobre o fundamento dos apóstolos e
asas, para libertar o Seu povo. Ele os dos profetas, de que Jesus Cristo é a
envolverá no manto de Seu amor principal pedra da esquina”. (Efésios
que redime, e a vida de vocês será
modificada para sempre.
Disso eu testifico, como um de
Seus servos, em nome de Jesus
F az exatamente seis dias que o
Presidente Gordon B. Hinckley,
acompanhado pelo Presidente
Boyd K. Packer e pelo Élder Neil L.
2:19–20)
Alguns moradores do local tam-
bém vieram, muitos deles com os fi-
lhos e netos. Isso representava três
Cristo. Amém.  Andersen, dedicou o Templo de gerações de dignos portadores da re-
Boston Massachusetts. A dedicação comendação do templo.
foi realizada ao final de um período Na oração dedicatória do Templo
de visitação pública que atraiu cerca de Kirtland, o Profeta Joseph Smith
de 83.000 pessoas ao novo Templo. implorou ao Senhor que retirasse o
Aproximadamente 16.000 compare- jugo das perseguições daquele tem-
ceram às quatro sessões da dedica- po. (Ver D&C 109:31–33, 47.)
ção, tanto no templo quanto na Embora as tribulações ainda exis-
sede das estacas vizinhas. tam, estamos presenciando o jugo
Considerando que cada templo é da incompreensão e do preconceito
importante e oferece as mesmas or- ser retirado neste tempo de constru-
denanças necessárias à vida eterna, ção de templos e períodos em que
essa dedicação foi, sob vários aspec- estão aberto a visitação pública.
tos, histórica. Esse foi o primeiro No templo, nas salas de selamen-
templo da cidade reconhecida como to, há espelhos em frente um ao ou-
o local de origem da liberdade, e que tro. Quando uma pessoa olha no
foi, na época, o Novo Mundo e é espelho, consegue ver seu reflexo
também reconhecido como o pri- como se estivesse passando de uma
meiro lar de muitos dos primeiros lí- geração para outra, sem fim, repre-
deres e membros da nossa Igreja. A sentando a natureza eterna de nós
dedicação parecia representar a todos. Talvez haja uma outra razão

J A N E I R O D E 2 0 0 1
15
para os espelhos estarem posiciona- meu dia e época, presto esse teste- Redentor e que Ele nos resgatou ao
dos de tal maneira. Ele representa munho a vocês neste momento e derramar Seu sangue e ao sofrer no
todos os que vieram antes de nós e neste dia. Eu sei que há um Deus Getsêmani. Sei que os apóstolos e
todos os que virão depois de nós. no céu e sei que Ele vive. Sei que profetas são o alicerce desta obra,
Penso nas palavras do Profeta Deus vive. Eu sei que Ele vive. Sei começando com o Profeta Joseph
Joseph Smith: “E agora, depois dos que Ele vive e sei que Ele é o Pai de Smith e chegando até o Presidente
muitos testemunhos que se presta- todos nós. Sei que Deus, nosso Pai, Gordon B. Hinckley nos dias atuais.
ram dele, este é o testemunho, últi- está envolvido nesta obra em gran- Este, meus irmãos e irmãs, é o evan-
mo de todos, que nós damos dele: des congregações como esta, e no gelho de Jesus Cristo. Esta obra é
Que ele vive!” (D&C 76:22) menor dos ramos e na menor das verdadeira. Que o Senhor nos
Por todos os que prestaram teste- congregações Deus também está abençoe para vivermos de acordo
munho desta obra e que ainda pres- envolvido nesta obra. Sei que Jesus com esse evangelho. Em nome de
tarão testemunho desta obra, em Cristo é nosso Salvador e nosso Jesus Cristo. Amém. 

O coro do Centro de Treinamento Missionário canta um hino durante uma sessão de conferência.

A L I A H O N A
16
capacidade de amar, sua espirituali-
A Alegria de Ser dade, delicadeza, luminosidade, sen-
sibilidade, gentileza, criatividade,
encanto, graciosidade, dignidade e
Mulher força sutil. Apesar de manifestar-se
de forma diferente em cada menina
ou mulher, cada uma de vocês pos-
Irmã Margaret D. Nadauld sui essa feminilidade que faz parte
Presidente Geral das Moças de sua beleza interior” 2.
Nossa aparência exterior é um re-
flexo de quem somos interiormente.
Nossa vida reflete aquilo que
buscamos. Se de todo coração bus-
carmos verdadeiramente conhecer o
“As filhas de Deus sabem que a natureza maternal da mulher pode Salvador e nos tornarmos mais pare-
proporcionar bênçãos eternas e vivem de modo a cultivar esse atributo cidos com Ele, nós o conseguiremos,
divino.” pois Ele é nosso Irmão divino e eter-
no. Porém, Ele é mais que isso. É
com muitos outros, receberam suas nosso precioso Salvador, nosso
primeiras lições no mundo dos espí- querido Redentor. Como Alma per-
ritos e foram preparados para nascer guntamos: “Haveis recebido sua
no devido tempo do Senhor, a fim imagem em vosso semblante?”
de trabalharem em sua vinha para a (Alma 5:14)
salvação da alma dos homens”. Podem-se reconhecer as mulhe-
(D&C 138:56) Que visão maravi- res que são gratas por serem filhas
lhosa isso nos concede sobre o nosso de Deus mediante sua aparência ex-
propósito na Terra! terior. Essas mulheres compreen-
A quem muito é dado, muito é dem a responsabilidade que têm
exigido. Nosso Pai Celestial quer sobre o corpo e tratam-no com dig-
que Suas filhas sejam virtuosas e vi- nidade. Cuidam do corpo como o
vam em retidão, para que possam fariam com um templo sagrado, pois
realizar a missão de nossa existência compreendem o ensinamento do
e os Seus propósitos. Ele quer que Senhor: “Não sabeis vós que sois o
tenham sucesso e irá ajudá-las templo de Deus e que o Espírito de
quando buscarem Seu auxílio. Deus habita em vós?” (I Cor. 3:16)
Muito antes do nascimento mor- As mulheres que amam a Deus
tal foi determinado que as mulheres nunca ultrajariam ou desfigurariam

S er uma filha de Deus hoje em


dia é uma bênção extraordiná-
ria. Temos a plenitude do
evangelho de Jesus Cristo. Somos
abençoadas por termos o sacerdócio
nasceriam como pessoas do sexo fe-
minino; o mesmo ocorreu com as di-
ferenças divinas entre homens e
mulheres. Gosto muito da clareza
dos ensinamentos da Primeira
um templo com pichações. Nem
tampouco iriam escancarar as por-
tas daquele sagrado e dedicado edi-
fício, convidando o mundo a
observá-lo. O corpo é ainda mais
restaurado na Terra. Somos guiadas Presidência e do Quórum dos Doze sagrado, pois não foi feito pelo ho-
por um profeta de Deus que possui na proclamação da família. Eles de- mem. Foi criado por Deus. Somos
todas as chaves do sacerdócio. Eu claram: “O sexo (masculino ou fe- os mordomos, os guardiões da hon-
amo e reverencio o Presidente minino) é uma característica radez e pureza que o corpo trouxe
Gordon B. Hinckley e todos os nos- essencial da identidade e do propó- consigo do céu. “Se alguém destruir
sos irmãos que são portadores do sa- sito pré-mortal, mortal e eterno de o templo de Deus, Deus o destruirá;
cerdócio dignos. cada um”.1 Essa declaração nos ensi- porque o templo de Deus, que sois
Sou inspirada pela vida de mu- na que toda garota era feminina em vós, é santo.” (I Cor. 3:17)
lheres boas e fiéis. Desde o princípio espírito muito antes de seu nasci- As filhas de Deus que demons-
dos tempos o Senhor depositou mento mortal. tram gratidão protegem seu corpo
substancial confiança nelas. Ele Deus enviou as mulheres à Terra cuidadosamente, pois sabem que são
mandou-nos à Terra numa época com aptidão extra em alguns atribu- o manancial da vida; reverenciam a
como esta para realizarmos uma tos. O Presidente Faust observou vida. Elas não expõem o corpo para
magnífica e gloriosa missão. que a feminilidade “é o adorno divi- agradar o mundo. Conduzem-se com
Doutrina e Convênios ensina: no da humanidade e encontra sua recato para agradar ao Pai Celestial.
“Mesmo antes de nascerem, eles, mais nobre expressão ( . . . ) na sua Sabem que Ele as ama muito.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
17
Podem-se reconhecer as mulhe- sentir um espírito de amor, respeito de maior poder controlador que o
res que são gratas por serem filhas e segurança quando estão por perto, que aconteceu nos congressos?”4
de Deus por seu modo de agir. pois buscam a companhia do As filhas de Deus sabem que a
Sabem que a tarefa dos anjos foi Espírito Santo e Sua orientação. São natureza maternal da mulher pode
confiada às mulheres e desejam es- abençoadas por sua sabedoria e dis- proporcionar bênçãos eternas e vi-
tar a serviço de Deus amando Seus cernimento. O marido e os filhos, vem de modo a cultivar esse atribu-
filhos e ministrando a eles, chaman- cuja vida elas abençoam, irão con- to divino. Com toda certeza,
do-os ao arrependimento, resgatan- tribuir para o equilíbrio das socieda- quando uma mulher reverencia a
do-os de circunstâncias perigosas, des de todas as partes do mundo. As maternidade, os filhos irão levantar-
conduzindo-os na realização de Sua filhas de Deus que são gratas apren- se e chamá-la bem-aventurada. (Ver
obra e declarando Suas mensagens.3 dem a verdade com a mãe, as avós e Provérbios 31:28.)
Compreendem que podem abençoar as tias. Ensinam às filhas a prazerosa As mulheres de Deus jamais po-
os filhos do Pai no lar, na vizinhança arte de criar um lar. Buscam dar a dem ser como as mulheres do mun-
e em outros locais. As mulheres que seus filhos uma boa escolaridade e do. O mundo já tem muitas
são gratas por serem filhas de Deus têm, elas mesmas, sede de conheci- mulheres agressivas; precisamos de
glorificam Seu nome. mento. Ajudam os filhos a desen- mulheres ternas. Já há muitas mu-
Podem-se reconhecer as mulhe- volver habilidades que possam usar lheres grosseiras; precisamos de mu-
res que são gratas por serem filhas para servir a outras pessoas. Sabem lheres gentis. Há muitas mulheres
de Deus por suas habilidades. Elas que o caminho que escolheram não ríspidas; precisamos de mulheres re-
cumprem seu potencial divino e é o mais fácil, mas sabem que seus finadas. Existem muitas mulheres
magnificam os dons que receberam melhores esforços serão absoluta- que têm fama e fortuna; precisamos
de Deus. São mulheres capazes e mente recompensados. de mais mulheres de fé. Já existe
fortes que abençoam famílias, ser- Compreendem o significado do ambição bastante; precisamos de
vem ao próximo e entendem que “a que o Élder Neal A. Maxwell disse: mais bondade. Existe orgulho sufi-
glória de Deus é inteligência.” “Quando a verdadeira história da hu- ciente; precisamos de mais virtude.
(D&C 93:36) São mulheres que se manidade for plenamente revelada, Já temos popularidade demais; pre-
apegam a virtudes duradouras a fim retratará os ecos das balas de canhões cisamos de mais pureza.
de tornarem-se tudo o que nosso Pai ou o soar educativo das cantigas de Oh, oremos com fervor para que
necessita que sejam. O profeta Jacó ninar? Os grandes armistícios feitos toda moça cresça até a medida
falou de algumas dessas virtudes ao pelos militares ou a tranqüila pacifi- completa de seu maravilhoso po-
dizer que seus “sentimentos [são] cação das mulheres nos lares e na vi- tencial. Oremos para que sua mãe
sumamente ternos e castos e delica- zinhança? O que aconteceu à beira e pai mostrem-lhe o caminho cer-
dos perante Deus, o que é agradável dos berços e nas cozinhas provar-se-á to. Que as filhas de Deus possam
a Deus”. (Jacó 2:7)
Podem-se reconhecer as mulhe-
res que são gratas por serem filhas
de Deus mediante sua reverência
pela maternidade, mesmo que essa
bênção lhes seja temporariamente
negada. Nessas circunstâncias, sua
influência para o bem pode ser uma
bênção na vida das crianças que elas
amam. Seu ensino exemplar pode
refletir a voz de um lar fiel e fazer
ecoar a verdade no coração de
crianças que necessitam de fortale-
cimento.
As filhas de Deus que O amam
são gratas e ensinam os filhos a amá-
Lo sem reservas e sem ressentimen-
to. São como as mães do jovem
exército de Helamã, que possuía
grande fé e “tinham sido ensinados
por suas mães que, se não duvidas-
sem, Deus os livraria”. (Alma 56:47)
Quando observamos mães gentis
e tranqüilas em ação, vemos mulhe-
res de grande força. A família pode

A L I A H O N A
18
honrar o sacerdócio e apoiar os
seus portadores dignos. Que elas
possam compreender a grande ca-
pacidade que têm de ser fortes nas
Viver sob a Orientação
virtudes eternas que alguns ridi-
cularizam neste mundo de libera-
ção das mulheres.
das Escrituras
Que as mães e pais possam com- Élder Russell M. Nelson
preender o grande potencial de reali- Do Quórum dos Doze Apóstolos
zar o bem que suas filhas herdaram
de seu lar celestial. Precisamos nutrir
sua delicadeza, sua predisposição
maternal, sua espiritualidade e sensi-
bilidade inatas e seu intelecto bri-
lhante. Alegrem-se com o fato de “Todos precisamos de orientação na vida. O melhor lugar para encontrá-la
que as meninas são diferentes dos são as obras padrão e os ensinamentos dos profetas de Deus.”
meninos. Sejam gratas pela posição
que elas ocupam no grandioso plano Por outro lado, muitas pessoas se-
de Deus. E lembrem-se sempre do guem pela vida sem uma boa orien-
que disse o Presidente Hinckley: tação, sem o conhecimento de seu
“Somente após a criação da Terra, destino desejado nem do modo co-
após a separação do dia e da noite, mo chegarem até lá. Mas se precisa-
após a divisão das águas e da porção mos prestar tanta atenção ao mapa
seca, após a criação da vida vegetal e rodoviário para um passeio de um
animal e após o homem ser posto so- dia, não seria também sensato pres-
bre a Terra a mulher foi criada; e só tarmos muita atenção à orientação
então o trabalho foi dado por termi- autorizada para a nossa jornada da
nado e bom”.5 vida? Para isso, gostaria de falar so-
Pais, maridos e rapazes, que vocês bre por que precisamos de orienta-
consigam compreender tudo o que ção, onde podemos encontrá-la e
as mulheres são e podem vir a se tor- como podemos segui-la.
nar. Por favor, sejam dignos e hon-
rem o santo sacerdócio de Deus que POR QUE PRECISAMOS DE
possuem, pois ele é uma bênção para ORIENTAÇÃO
nós todos. A pergunta por quê? concentra-se
Irmãs, não importa qual seja a sua no propósito da vida. O objetivo fi-
idade, compreendam quem são, quem
devem ser; tudo o que o próprio
Deus, nas cortes celestiais, as prepa-
rou para que se tornassem. Que pos-
samos utilizar com gratidão os
M inha mulher e eu estive-
mos recentemente na
Dinamarca, durante a co-
memoração do sesquicentenário da
Igreja na Escandinávia. Entre as reu-
nal de nossa jornada mortal foi reve-
lado por nosso Criador, que disse:
“Se guardares meus mandamentos e
perseverares até o fim, terás vida
eterna, que é o maior de todos os
inestimáveis dons que nos foram con- niões, passamos algumas horas pro- dons de Deus”.3
cedidos para elevar a humanidade a curando a cidade em que dois dos Seu dom de vida eterna depende
patamares mais altos de pensamento avós de meu pai tinham nascido. das condições por Ele estabelecidas.4
e a aspirações mais nobres. Eu oro em Eles estavam entre os primeiros con- Essas condições constituem um pla-
nome de Jesus Cristo. Amém.  versos da Igreja na Dinamarca. A fa- no ou, usando minha analogia, um
mília da avó paterna de meu pai mapa espiritual. E quando surgem
NOTAS: morava na parte oeste do país.1 A problemas é que mais precisamos de
1. A Liahona, janeiro de 1996, p. 114. família de seu avô paterno morava orientação. Em nossa viagem pela
2. “Ser Mulher: A Mais Elevada no norte da Dinamarca.2 Graças a Dinamarca, encontramos um desvio
Posição de Honra”. A Liahona, julho de um bom motorista e a um mapa ex- inesperado que nos fez perder o ru-
2000, página 118) celente, encontramos todas as cida- mo. Para voltarmos ao caminho cer-
3. Ver Bruce R. McConkie, Mormon des de nossa lista e conseguimos to, tivemos de parar o carro e
Doctrine, 2ª ed. (1966) p. 35 dados preciosos. Durante toda a jor- estudar o mapa com muito cuidado.
4. “As Mulheres de Deus”, A Liahona, nada, segurei firmemente nas mãos Fizemos, então, as correções neces-
outubro de 1978, p. 16) aquele valioso mapa, que foi tão im- sárias no curso.
5. “Our Responsability to Our Young portante para alcançarmos nossos O que aconteceria se vocês se
Women”, Ensign, setembro de 1988, p. 11) objetivos. perdessem e não tivessem um mapa?

J A N E I R O D E 2 0 0 1
19
Imaginem que estejam sozinhos, sem Sagrada, O Livro de Mórmon, Ficamos maravilhados, por exem-
saber onde se encontram. O que vo- Doutrina e Convênios e A Pérola de plo, com os computadores e a
cês podem fazer? Podem pedir ajuda! Grande Valor são o padrão pelo qual Internet, que permitem a transmis-
Ligar para casa! Ligar para a Igreja! devemos viver. Elas nos servem de são de dados a uma velocidade no-
Orar! Quando entrarem em contato padrão de referência, da mesma for- tável. Somos verdadeiramente
com sua fonte de auxílio, descobri- ma que os padrões de tempo, peso e gratos por esses servos eletrônicos.
rão que terão de subir uma ladeira medidas que estão guardados na Mas se deixarmos que eles tomem
aqui ou virar uma esquina ali para agência nacional de padrões. nosso tempo, pervertam nosso po-
voltarem para o rumo certo. Ou tal- Para atingir nosso objetivo de vi- tencial ou envenenem nossa mente
vez tenham que retornar ao princí- da eterna, precisamos seguir os ensi- com pornografia, eles deixarão de
pio para ter certeza de que chegarão namentos das obras padrão e outras ser servos e passarão a ser falsos
ao lugar para onde desejam ir. revelações recebidas dos profetas de deuses.
Deus.5 Nosso amoroso Senhor pre- O Mestre alertou-nos contra
ONDE ENCONTRAR ORIENTAÇÃO viu nossa necessidade de orientação. aqueles que “não buscam o Senhor
Isso nos leva à seguinte questão: Ele disse: “Pois estreita é a porta e para estabelecer sua justiça, mas to-
Onde encontrar a orientação de que apertado o caminho que leva à exal- do homem anda em seu próprio ca-
precisamos? Procuremos Aquele que tação e à continuação das vidas, e minho e segundo a imagem de seu
nos conhece melhor do que nin- poucos há que o encontram”.6 próprio deus, cuja imagem é à seme-
guém: o nosso Criador. Ele permitiu Poucos encontram o caminho lhança do mundo e cuja substância
que viéssemos à Terra com a liber- porque ignoram o mapa divino pro- é a de um ídolo”.8
dade de escolher nosso próprio ca- videnciado pelo Senhor. Um erro Os deuses falsos só nos conduzem
minho. Devido a Seu grande amor, ainda mais grave é ignorar o Criador a becos sem saída. Se quisermos ter
Ele não nos deixou sozinhos, mas do mapa. Deus declarou no primeiro sucesso em nossa jornada da vida,
providenciou um guia, um mapa es- de Seus Dez Mandamentos: “Não precisamos seguir a orientação divi-
piritual, para ajudar-nos a ter suces- terás outros deuses diante de mim”.7 na. O Senhor disse: “Buscai-me em
so em nossa jornada. Chamamos Mas o homem natural tende a dei- cada pensamento; não duvideis, não
esse guia de obras padrão. Elas rece- xar sua lealdade voltar-se para os temais”. 9 E o salmista escreveu:
beram esse nome porque a Bíblia ídolos. “Lâmpada para os meus pés é tua pa-
lavra, e luz para o meu caminho”.10
A aplicação prática desses conse-
lhos exige não apenas convicção,
mas, sim, conversão e, muitas vezes,
arrependimento. Isso agrada ao
Senhor, que disse: “Convertei-vos, e
tornai-vos dos vossos ídolos; e des-
viai ( . . . ) de todas as vossas abomi-
nações”.11
Em sua jornada da vida, vocês
encontrarão muitos obstáculos e co-
meterão alguns erros. A orientação
das escrituras irá ajudá-los a reco-
nhecer o erro e fazer as correções
necessárias. Vocês pararam de seguir
na direção errada. Estudam cuida-
dosamente o mapa das escrituras e
depois, efetuam o arrependimento e
a restituição necessários para voltar
ao “caminho estreito e apertado que
conduz à vida eterna”.12
Irmãos e irmãs, nossa vida atare-
fada nos força a concentrar-nos nas
coisas que fazemos a cada dia. Mas o
desenvolvimento do caráter somen-
te acontece quando nos concentra-
mos em quem realmente somos. Para
estabelecer e atingir essas metas
mais elevadas, precisamos da ajuda
celeste.

A L I A H O N A
20
COMO PODEMOS COLOCAR EM O cumprimento dos padrões do particular ou um tema específico,
PRÁTICA A ORIENTAÇÃO DAS Senhor exige que cultivemos o dom complementando-se o estudo com o
ESCRITURAS do Espírito Santo. Esse dom nos uso das referências remissivas nas
Depois de termos entendido o ajuda a compreender a doutrina e a notas de rodapé e o guia de estudos,
motivo por que precisamos de orien- aplicá-la em nossa vida pessoal. pode fazer com que compreendamos
tação e onde podemos encontrá-la, Como a verdade dada por revelação melhor a doutrina.
perguntamos, então: Como podemos só pode ser compreendida por reve- A orientação pode chegar num
colocá-la em prática? Como pode- lação,18 temos que estudar em espí- momento em que estejamos nos de-
mos realmente viver “nem só de pão rito de oração. As escrituras batendo com um sério problema da
( . . . ) mas de toda a palavra que sai atestam a eficácia da oração na vida vida. Há muitos anos, quando eu
da boca de Deus”?13 diária. Uma dessas referências está começava minhas pesquisas científi-
Começamos com a firme deter- em Provérbios: “Reconhece-o em cas num campo que na época era
minação de “[aplicar] todas as escri- todos os teus caminhos, e ele endi- novo para a medicina, um padrão de
turas a nós para nosso proveito e reitará as tuas veredas”.19 Outra se verdade encontrado nas escrituras
instrução”.14 Se prosseguirmos com encontra no Livro de Mórmon: deu-me a coragem necessária para
firmeza, banqueteando-nos com a “Aconselha-te com o Senhor em tu- perseverar. Encontrei muito alento
palavra de Cristo, e perseverarmos do que fizeres e ele dirigir-te-á para nestes versículos de Doutrina e
até o fim, teremos vida eterna.15 o bem”.20 Convênios: “A todos os reinos se
Banquetear significa mais do que Ao ponderarmos e orarmos a res- deu uma lei;
simplesmente provar. Banquetear peito dos princípios do evangelho, o E há muitos reinos; pois não exis-
significa saborear. Saboreamos as es- Espírito Santo nos falará na mente e te espaço em que não haja reino; e
crituras quando as estudamos em es- no coração.21 A partir dos eventos não existe reino em que não haja es-
pírito de prazerosa descoberta e fiel mencionados nas escrituras, vere- paço, seja um reino maior ou um
obediência.16 Quando nos banque- mos surgir um novo entendimento, reino menor.
teamos com as palavras de Cristo, e princípios relevantes para a situa- E a todo reino é dada uma lei; e
elas são escritas “nas tábuas de car- ção em que nos encontramos se des- toda lei também tem certos limites e
ne do coração”17 e se tornam parte tilarão em nosso coração. condições”.27 Aprendemos leis que
integrante de nossa natureza. Vocês podem cultivar essas expe- se referiam ao nosso “reino” de inte-
Há muitos anos, um colega médi- riências com a revelação, vivendo resse e descobrimos como controlar
co repreendeu-me por eu não ser de acordo com a luz que já recebe- coisas que anteriormente tinham si-
capaz de separar meu conhecimento ram e estudando as escrituras com do relegadas ao mero acaso, devido
profissional de minhas convicções sinceridade e com a real intenção de à nossa ignorância.
religiosas. Isso deixou-me surpreso, achegarem-se a Cristo.22 Ao fazê-lo, A motivação para buscarmos a
porque não creio que a verdade pos- sua confiança “se fortalecerá na pre- orientação das escrituras ocorre
sa ser fracionada dessa forma. A sença de Deus” e o Espírito Santo quando precisamos tomar decisões
verdade é indivisível. será seu companheiro constante.23 importantes, particularmente quando
Corremos um grande risco quan- A aplicação prática das escrituras as opções são igualmente válidas. As
do nos dividimos usando expressões pode ser auxiliada por perguntas Autoridades Gerais freqüentemente
do tipo “minha vida particular”, “mi- pertinentes.24 Vocês podem pergun- deparam-se com esse tipo de deci-
nha vida profissional” ou “meu me- tar: “Que princípios podemos apren- sões. Nessas ocasiões, consultamos as
lhor comportamento”. Se dividirmos der com esses ensinamentos do escrituras. Chegamos a ler todas as
nossa vida em compartimentos, isso Senhor?” As escrituras, por exem- obras padrão de novo, procurando
pode resultar em conflitos internos e plo, ensinam que a Criação foi reali- pontos que esclareçam certas ques-
exaustiva tensão. Para escapar dessa zada ao longo de seis períodos de tões específicas.
tensão, muitas pessoas insensata- tempo.25 Os princípios que aprende- O tempo para o estudo das escri-
mente recorrem a substâncias que mos com esse estudo mostram que turas exige que tenhamos um horá-
causam dependência, à busca do qualquer realização importante exi- rio que precisa ser cumprido. Caso
prazer ou à auto-indulgência, que ge planejamento adequado, tempo, contrário, as bênçãos mais impor-
por sua vez provocam mais tensão, paciência e trabalho, sem nenhum tantes ficarão à mercê das coisas
criando assim um círculo vicioso. tipo de atalho. que menos importam. O horário pa-
A paz interior só pode ser alcan- Em seguida, sugiro que adaptem ra o estudo das escrituras em família
çada se mantivermos a integridade seu estudo a seu próprio modo de pode ser algo difícil de se estabele-
da verdade em todos os aspectos de ser.26 Uma das maneiras de se estu- cer. Há alguns anos, quando nossos
nossa vida. Quando fazemos convê- dar é ler um livro de escrituras de filhos ainda moravam conosco, eles
nio de seguir o Senhor e obedecer a capa a capa. Esse método proporcio- estavam em classes diferentes e em
Seus mandamentos, aceitamos Seus na uma boa visão geral. Mas outros várias escolas diferentes. O pai deles
padrões em todos os nossos pensa- métodos também têm seu valor. tinha que estar no hospital antes
mentos, atos e realizações. A atenção dada a um assunto em das sete horas da manhã. Em um

J A N E I R O D E 2 0 0 1
21
conselho de família, decidimos que
o melhor horário para o estudo das
escrituras seria às seis horas da ma-
nhã. Naquele horário, nossos filhos
mais novos estavam muito sonolen-
tos, mas apoiaram a decisão. De vez
em quando, tínhamos que acordar
um deles quando chegava a sua vez
de ler. Eu não estaria sendo comple-
tamente honesto se lhes passasse a
impressão de que nossa hora de es-
tudo das escrituras tenha sido um
sucesso gritante. De vez em quando,
era mais gritante do que bem-suce-
dida. Mas não desistimos.
Agora, uma geração depois, nos-
sos filhos estão todos casados, cada
um com sua própria família. Minha
mulher e eu observamos como eles
realizam com alegria o estudo das
escrituras em seu próprio lar. Eles
têm tido muito mais sucesso do que
nós tivemos. Tremo só em pensar no O novo lago no lado leste do Templo de Salt Lake reflete a imagem dos
que teria acontecido se tivéssemos participantes da conferência e das colunas do templo.
desistido.28
Todos precisamos de orientação na Criador, que disse: “Se desviares o teu pé pessoas quando não seja essa a sua respon-
vida. O melhor lugar para encontrá- ( . . . ) de fazeres a tua vontade no meu sabilidade. Podemos sentir-nos reconforta-
la são as obras padrão e os ensina- santo dia, e chamares ao sábado deleitoso, dos, porém, ao ler que todo aquele que
mentos dos profetas de Deus. Com e o santo dia do Senhor ( . . . ) e o honra- “procurar diligentemente, achará; e os
esforço diligente, podemos colocar res não seguindo os teus caminhos, nem mistérios de Deus ser-lhe-ão desvendados
em prática essa orientação e assim pretendendo fazer a tua própria vontade pelo poder do Espírito Santo”. (1 Néfi
qualificar-nos para todas as bênçãos ( . . . ) então te deleitarás no Senhor”. 10:19) Lembrem-se também de que mui-
que Deus reservou para Seus filhos (Isaías 58:13–14) A auto-estima também tas revelações foram concedidas em res-
fiéis. Presto testemunho disso, em é conquistada pela obediência aos manda- posta a uma pergunta feita por um profeta.
nome de Jesus Cristo. Amém.  mentos de Deus referentes à castidade. É interessante notar que encontramos
(Ver Êxodo 20:14; Levítico 18:22; Mateus perguntas importantes no primeiro livro
NOTAS 5:28; I Coríntios 6:9; 3 Néfi 12:28; D&C do Velho Testamento e no último: “Sou eu
1. Gørding, Vejrup, e Vester Nebel, 42:24; 59:6.) guardador do meu irmão?” (Gênesis 4:9) e
no condado de Ribe. 17. II Coríntios 3:3. “Roubará o homem a Deus?” (Malaquias
2. Mølholm, Støre Brøndum, no 18. Ver I Coríntios 2:11–14. 3:8).
condado de Ålborg. 19. Provérbios 3:6. 25. Ver Êxodo 20:11; 31:17; Mosias
3. D&C 14:7. 20. Alma 37:37. 13:19; D&C 77:12; Abraão 4:31.
4. Ver D&C 130:21. 21. Ver D&C 8:2. 26. Em seu estudo pessoal das escritu-
5. Ver D&C 1:38. 22. Jacó 1:7; Ômni 1:26; Morôni ras, você pode correlacionar sua leitura
6. D&C 132:22. 10:30, 32. com um curso preparado pela Igreja, como
7. Êxodo 20:3. 23. D&C 121:45; ver também v. 46. o curso de Doutrina do Evangelho.
8. D&C 1:16. 24. Uma vez que sempre pode haver Algumas pessoas gostam de preparar car-
9. D&C 6:36. mau uso de qualquer coisa boa, é conve- tões de memorização, que podem usar en-
10. Salmos 119:105. niente deixarmos aqui uma palavra de ad- quanto esperam um compromisso
11. Ezequiel 14:6. vertência. As escrituras não têm a marcado ou uma reunião.
12. 2 Néfi 31:18; ver também Mateus resposta de todas as perguntas. Muitas 27. D&C 88: 36–38.
7:14; Jacó 6:11; 3 Néfi 14:14; 27:33; verdades importantes ainda estão por ser 28. Podem ser utilizados livros, grava-
D&C 132:22. reveladas. A preocupação com os assim ções e outros materiais no estudo das es-
13. Mateus 4:4. chamados “mistérios” deve ser evitada. crituras individual e em família. Aqueles
14. 1 Néfi 19:23. Tomem cuidado também com a interpre- que estabelecerem um horário para o estu-
15. Ver 2 Néfi 31:20. tação pessoal. Consultem os profetas vivos do das escrituras e perseverarem nesse em-
16. As escrituras incentivam-nos a vi- e as normas oficiais para a interpretação penho terão um espírito positivo em seu
ver de acordo com a vontade de nosso de escrituras. Não julguem as outras dia-a-dia.

A L I A H O N A
22
assistimos à reunião sacramental de
Ser um Elo Forte uma ala aqui no centro de Salt Lake
City. Foi uma reunião muito interes-
sante, porque naquela unidade há
Élder David B. Haight membros abastados e também pes-
Do Quórum dos Doze Apóstolos soas que vivem em condições bas-
tante humildes. Pouco antes da
reunião de testemunhos, uma jovem
mãe foi até o bispo no púlpito com
um bebezinho nos braços para que
“À medida que minha visão física se enfraquece, acho que a minha visão fosse abençoado. O bispo tomou a
espiritual melhora, a minha visão do longo caminho, do que está à criança e deu-lhe a bênção.
frente.” Posteriormente, durante a reu-
nião de testemunho, um menininho
Lake, em 4 de setembro de 1930, de de sete anos de idade, de mãos da-
mãos dadas e olhando um para o das com a irmã de cinco anos, foi
outro, mal tínhamos idéia do que até o púlpito. Ele ajudou a colocar
nos esperava. Éramos dois jovens. um banquinho para ela subir e aju-
Eu vinha do interior, no sul de dou-a a prestar testemunho.
Idaho, e Ruby era de Sanpete Quando ela não sabia o que dizer,
County, Utah, também uma área ru- ele inclinava-se e sussurrava-lhe no
ral. Tanto meu pai como o dela já ouvido, esse irmãozinho de sete
haviam falecido, mas cada um de anos tão amoroso.
nós tinha uma mãe viúva maravi- Depois que ela terminou, ele su-
lhosa, e as duas estavam conosco no biu no banquinho e prestou teste-
templo. Quando nos ajoelhamos e munho, e ela permaneceu ao lado,
fizemos convênios e promessas, eu olhando-o. Ao observá-lo, ela tinha
sabia que era real. uma expressão muito doce no rosto.
Agora, posso dizer a todos vocês Ele era o irmão mais velho, e era
que o casamento, depois de 70 anos, possível ver o amor e os ternos rela-
está ainda melhor e melhora a cada cionamentos familiares entre aque-
ano. E ainda há a alegria, a ternura las duas crianças. Ele desceu do
e a certeza de que ainda há mais banquinho, tomou-a pela mão e eles

Q uando o Presidente Gordon


B. Hinckley anunciou que
eu seria o último orador, te-
nho certeza de que ele se preocupou
bênçãos eternas que nos aguardam
no futuro. Assim, eu diria a todos
vocês, e Ruby confirmaria se estives-
se aqui, que a vida pode ser maravi-
voltaram juntos para o seu lugar.
Quase no fim da reunião de tes-
temunho, quando haviam reservado
alguns momentos para mim, pergun-
se eu conseguiria chegar ao púlpito lhosa e significativa, mas temos de tei à jovem mãe que trouxera o filhi-
sem problemas. Ele sabe que acabei vivê-la com simplicidade. nho para ser abençoado se ela
de completar 94 anos. Assim, estou Precisamos praticar os princípios do gostaria de levantar-se e ficar a meu
no meu 95º ano, e ele tem mesmo evangelho, pois é o evangelho em lado, e ela respondeu afirmativa-
motivos para preocupar-se. nossa vida que faz a diferença ao tri- mente. Nesse ínterim, enquanto a
Ele também sabe que minha vi- lharmos nosso caminho na mortali- reunião de testemunho avançava,
são não está muito boa, mas à medi- dade. perguntei ao bispo, cochichando:
da que minha visão física se Nossa família morou em várias “Onde está o marido dela?”
enfraquece, acho que a minha visão partes dos Estados Unidos. Em sua O bispo respondeu: “Está na ca-
espiritual melhora, a minha visão do infância e juventude, nossos filhos deia”.
longo caminho, do que está à frente. freqüentaram escolas em que eram Indaguei: “Qual é o nome dela?”
Assim, tenho certeza de que todos os únicos membros da Igreja na clas- e ele me disse.
vocês que estão aqui hoje diriam co- se. Isso aconteceu diversas vezes, Ela veio ao púlpito e ficou de pé
migo que esta é uma época maravi- mas contribuiu para o próprio de- a meu lado, com o bebê nos braços.
lhosa para vivermos e sermos senvolvimento e compreensão deles Enquanto ali estávamos, olhei aque-
membros desta Igreja e como é ma- e ajudou-os a nutrir o testemunho. le precioso bebezinho, com apenas
ravilhoso gozar as liberdades que go- Assim, eles tiveram um contato pró- alguns dias de vida e a mãe daquela
zamos, a liberdade de reunirmo-nos ximo com o mundo e também com filhinha, que a havia trazido para re-
e praticarmos nossa religião. as bênçãos do evangelho em nossa ceber uma bênção pelas mãos de um
Quando eu e Ruby nos ajoelha- vida. portador do sacerdócio. Ao olhar pa-
mos no altar do Templo de Salt Domingo passado, Ruby e eu ra a mãe e aquela valiosa criancinha,

J A N E I R O D E 2 0 0 1
23
fiquei a perguntar-me o que ela algumas pessoas da cidade de Eu disse: “Então você consegue
viria a ser ou tornar-se. Falei à con- Mountain Home, a família recitar a proclamação inteira?”
gregação e àquela jovem mãe sobre Goodrich. A irmã Goodrich veio Ela respondeu: “Consigo, do iní-
a proclamação que fora feita cinco ver-nos e trouxe consigo sua filha cio ao fim”.
anos antes pela Primeira Presidência Chelsea. Em certo ponto de nossa Eu disse: “Você decorou a procla-
e o Quórum dos Doze, a proclama- conversa, a irmã Goodrich disse que mação da família quando tinha 12
ção da família, e sobre a nossa res- Chelsea havia memorizado a procla- anos de idade; agora, está com 15.
ponsabilidade para com nossos mação da família. Logo você vai começar a namorar.
filhos, a responsabilidade dos filhos Para Chelsea, que agora tem 15 Fale-me um pouco a respeito disso.
em relação aos pais e a dos pais um de idade, eu disse: “Chelsea, é mes- Como esses ensinamentos já a aju-
para com o outro. Esse documento mo?” daram?”
maravilhoso sintetiza as diretrizes Ela confirmou: “É”. Chelsea disse: “Ao pensar no que
espirituais que recebemos e que Perguntei: “Quanto tempo você diz a proclamação e ao entender
guiaram a vida dos filhos de Deus levou para conseguir isso?” melhor nossa responsabilidade como
desde a época de Adão e Eva e con- Ela respondeu: “Quando éramos família e pela forma como devemos
tinuarão a orientar-nos até a consu- pequenos, minha mãe iniciou um viver, a proclamação torna-se uma
mação dos séculos. programa de memorização lá em ca- nova orientação para mim. Quando
Quando toquei nesse assunto e sa. Decorávamos passagens das escri- me relaciono com as pessoas e
olhei aquele belo bebê, pensei numa turas, hinos da reunião sacramental e quando eu começar a namorar, pos-
experiência de alguns meses atrás. outras coisas que nos seriam úteis. so pensar nas frases da proclamação
Ruby e eu estávamos em Idaho Assim, aprendemos a memorizar, e fi- da família. Serão para mim como
para uma visita breve, e conhecemos cou mais fácil para nós”. um padrão que ajudará a guiar-me.
Elas me proporcionarão a força de
que preciso”.
Pouco tempo atrás, o Presidente
Hinckley discursou para os alunos
da Universidade Brigham Young.
Declarou que a vida é uma grande
corrente de gerações, elo após elo,
até o fim dos tempos. Ao dirigir-se
aos alunos, incentivou-os a não se-
rem o elo fraco, mas um elo forte na
família.
Ouvimos muitos ensinamentos
na conferência hoje de manhã sobre
a história da família e as famílias, o
motivo da união e a responsabilida-
de que temos de realizar o trabalho
do templo por dezenas de milhares
de pessoas que podem ser parte de
nossa própria família e que estão es-
perando no mundo espiritual rece-
ber as ordenanças que devem ser
feitas neste lado do véu para que
elas continuem a fazer o que precisa
ser feito do outro lado. Isso todos
nós entendemos muito bem.
Assim, digo a todos vocês que es-
tão aqui hoje de manhã: espero que
desenvolvam um sentimento forte
em sua própria família — e em vo-
cês individualmente — no sentido
de não se tornarem um elo fraco na
corrente de sua família e de seus an-
tepassados. Exorto-os também a se-
rem um elo forte para sua
posteridade. Não sejam o elo frágil.
Não seria terrível? Ao pensar nessa

A L I A H O N A
24
longa corrente e todo o trabalho fazendo. Interrompeu tudo para po- Igreja de Jesus Cristo restaurada na
que precisa ser realizado para a sal- der permanecer no templo e realizar Terra nestes últimos dias. Sei que is-
vação das almas e de todos os de- as investiduras tão necessárias. Ao so é verdade.
mais esforços que precisam ser comentar sobre a experiência, disse Sei que temos um profeta vivo na
envidados, não seria triste se vocês que ansiava por conceder o que os Terra hoje e podemos ver as coisas
fossem o elo fraco que impedisse santos estavam ansiosos para receber. maravilhosas que estão acontecendo
seus descendentes de participar des- É interessante que esta palavra, an- na Igreja, agora com 100 templos
sa pujante corrente? siedade, conste de seu relato. Ele es- em funcionamento. Alguns de vocês
Quando os santos estavam prepa- creve sobre a ansiedade que eles viverão o bastante para verem o dia
rando-se para abandonar Nauvoo, sentiam, esperando que o importante em que haverá 200 templos em fun-
com o templo ainda por terminar, só trabalho das investiduras fosse reali- cionamento e depois 300 e seja qual
era possível conceder a investidura zado antes da partida para o oeste. for o número que venhamos a al-
a algumas poucas pessoas. O Deixo com vocês meu amor e cançar. Bem, estamos vivendo nesta
Presidente Brigham Young, como testemunho e o conhecimento que época e neste dia em que coisas ma-
Presidente do Quórum dos Doze, tenho de que esta obra é verdadeira. ravilhosas estão acontecendo.
era o apóstolo mais antigo naquela Sei que Deus vive. Sei que Ele nos Quando falamos de um profeta vivo
época. Ele escreveu em seu diário ama. Ama-nos assim como amamos que recebe revelações do alto para
sobre a ansiedade que as pessoas nossos filhos e nossa posteridade. dirigir esta obra, testifico-lhes que
sentiam enquanto carregavam os Atualmente, temos 65 bisnetos e é nós, que trabalhamos ao lado dele,
carroções para iniciar a jornada ru- claro que chegarão mais. Amamos a podemos prestar testemunho de que
mo ao oeste, para uma região nova todos e esperamos que as correntes ele é o profeta de Deus aqui na
da qual nada sabiam. Eles estavam e os elos de nossa família sejam for- Terra, ajudando-nos a fazer o que é
seguindo seus líderes e preparando tes e que nossos filhos sejam aben- certo e adequado.
os poucos bens que poderiam levar çoados. Temos orgulho de todos eles Que seus elos sejam fortes. Que
consigo nos carroções. e oramos para que cresçam com o vocês encontrem pessoalmente a
Em meio a todos esses preparati- conhecimento sólido e o sentimento grande alegria e felicidade que po-
vos, alguns tiveram a oportunidade que tenho em relação a Deus, de demos desfrutar por meio da prática
de receber a investidura, e as pessoas que Ele vive, de que Ele é nosso Pai dos princípios do evangelho. Deixo
estavam ansiosas por isso. Brigham e de que toda esta obra está sob a com vocês meu amor e este teste-
Young deixou de lado todo o traba- direção de Seu Filho, que é nosso munho de que a Igreja é verdadeira.
lho regular e rotineiro que estava Salvador, Jesus o Cristo. Esta é a Em nome de Jesus Cristo. Amém. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
25
Sessão da Tarde de Sábado Quórum dos Setenta.
7 de outubro de 2000 Todos os que quiserem juntar-se
a nós nesse apoio, manifestem-se.

Apoio dos Líderes da Gratos pelo serviço prestado co-


mo membros do Segundo Quórum
dos Setenta, desobrigamos os Élde-

Igreja res Eran A. Call, W. Don Ladd,


James O. Mason e Richard E. Turley
Sr.
Aqueles que quiserem juntar-se a
Presidente James E. Faust
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência nós em um voto de agradecimento,
manifestem-se levantando a mão.
É proposto que desobriguemos
L. Tom Perry, David B. Haight, Neal com um voto de agradecimento o
A. Maxwell, Russell M. Nelson, Élder Harold G. Hillam como
Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard, Presidente dos Quóruns dos Setenta
Joseph B. Wirthlin, Richard G. e os Élderes Harold G. Hillam, Neil
Scott, Robert D. Hales, Jeffrey R. L. Andersen e John H. Groberg da
Holland e Henry B. Eyring. presidência geral da Escola
Todos a favor, manifestem-se. Dominical.
Se alguém se opuser, manifeste- Aqueles que quiserem juntar-se a
se. nós em um voto de agradecimento
É proposto que apoiemos os con- por todos os serviços prestados, ma-
selheiros na Primeira Presidência e nifestem-se.
os Doze Apóstolos como profetas, É proposto que apoiemos o Élder
videntes e reveladores. Dennis B. Neuenschwander como
Todos a favor, manifestem-se. membro da Presidência dos
Se houver algum voto contrário, Quóruns dos Setenta.
pelo mesmo sinal. Todos os que estiverem a favor,
É proposto um voto especial de manifestem-se.
agradecimento aos Élderes Loren C. Se houver algum voto contrário,
Dunn, F. Enzio Busche e Alexander pelo mesmo sinal.

M eus irmãos e irmãs, o


Presidente Hinckley soli-
citou que eu apresentasse
agora a vocês as Autoridades Gerais,
Setentas-Autoridades de Área e
B. Morrison e os designemos como
membros eméritos do Primeiro
É proposto que desobriguemos os
Élderes Hugo A. Catrón, Ambrosio

presidências gerais das auxiliares da


Igreja para seu voto de apoio.
É proposto que apoiemos Gordon
Bitner Hinckley como profeta, vi-
dente e revelador e Presidente de A
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
Últimos Dias; Thomas Spencer
Monson como Primeiro Conselheiro
na Primeira Presidência e James
Esdras Faust como Segundo
Conselheiro na Primeira Presidência.
Todos a favor, manifestem-se.
Os que se opuserem, se houver,
manifestem-se.
É proposto que apoiemos Thomas
Spencer Monson como Presidente
do Quórum dos Doze Apóstolos,
Boyd Kenneth Packer como
Presidente Interino do Quórum dos
Doze Apóstolos e os seguintes mem-
bros desse quórum: Boyd K. Packer,

A L I A H O N A
26
C. Collado, Gordon G. Conger,
Cláudio Cuéllar, Paul L. Diehl,
Donald B. Doty, Alvie R. Evans Sr.;
Eduardo Gavarret, Salomón Jaar, W.
Testemunho Puro
E. Barry Mayo, Mitchell V. Myers, Élder Joseph B. Wirthlin
Stein Pedersen, Gustavo Ramos, Do Quórum dos Doze Apóstolos
Eugene E. Reid, Alejandro M.
Robles, Servando Rojas, Lynn A.
Rosenvall, L. Douglas Smoot, Brian
A. Watling e Carlos D. Vargas como
Setentas-Autoridades de Área. “Como testemunha especial do nome de Jesus Cristo em todo o mundo,
Todos a favor manifestem-se. prometo-lhes que se buscarem o Senhor, irão encontrá-Lo. Peçam, e
É proposto que apoiemos Tsung receberão.”
Ting Yang e Alexsandr N. Manzhos
como Setentas-Autoridades de Área. Em uma noite de abril de 1836,
Todos a favor manifestem-se. por exemplo, o Élder Parley P. Pratt
Os que se opuserem, manifestem- tinha-se recolhido mais cedo, com o
se coração pesado e muitas preocupa-
É proposto que apoiemos os Élde- ções. Ele não sabia como iria pagar
res Marlin K. Jensen, Neil L. suas dívidas financeiras. A mulher
Andersen e John H. Groberg como estava muito doente e sua mãe idosa
presidência geral da Escola tinha ido morar com ele. Um ano
Dominical. antes, a casa que estava construindo
Todos a favor manifestem-se. tinha sido destruída por incêndio.
Os que se opuserem, manifestem- Enquanto estava meditando pro-
se. fundamente, ouviu alguém bater na
É proposto que apoiemos todas as porta. O Élder Heber C. Kimball en-
Autoridades Gerais, Setentas- trou e, cheio do espírito de profecia,
Autoridades de Área e presidências disse ao Élder Pratt que ele deveria
gerais das auxiliares como presente- viajar para Toronto, Canadá, onde
mente constituídas. encontraria “um povo preparado pa-
Todos a favor, manifestem-se. ra a plenitude do evangelho”, e que
Os que se opuserem, manifestem- “muitos [seriam] conduzidos ao co-
se.
Parece-me que os apoios foram
unânimes e afirmativos. Obrigado,
irmãos e irmãs, por sua fé e ora-
ções. 
E stamos novamente reunidos
neste maravilhoso Centro de
Conferências e em muitos ou-
tros lugares espalhados por todo o
mundo. Durante esta conferência já
nhecimento da verdade”.3
A despeito de suas preocupações,
o Élder Pratt partiu. Quando chegou
a Toronto, a princípio ninguém pa-
recia estar interessado no que ele ti-
ouvimos e ainda ouviremos o teste- nha a dizer.
munho de muitos servos do Senhor. Entre as pessoas que conheceu
A respeito do testemunho, o salmis- estava John Taylor, que já havia sido
ta escreveu: “A lei do Senhor é pregador da igreja metodista. John
perfeita, e refrigera a alma; o teste- recebeu o Élder Pratt com educa-
munho do Senhor é fiel”.1 ção, mas com frieza. John Taylor ti-
Para os santos dos últimos dias, o nha ouvido rumores distorcidos a
testemunho é “a certeza da realida- respeito de uma nova seita, sua “bí-
de, veracidade e bondade de Deus, blia dourada” e relatos de anjos apa-
dos ensinamentos e da Expiação de recendo a um “jovem inculto, que
Jesus Cristo e do chamado divino fora criado no interior de Nova
dos profetas destes últimos dias. York”.4
( . . . ) É o conhecimento reforçado Sendo um homem sensato, John
pela divina confirmação pessoal do Taylor vinha procurando a verdade
Espírito Santo”.2 durante toda a vida.
A proclamação de um solene tes- Ele ouviu o que o Élder Pratt ti-
temunho sempre foi muito impor- nha a dizer. Entre outras coisas, o
tante para os filhos de Deus aqui na desconhecido dos Estados Unidos
Terra. O testemunho individual for- prometeu que todo aquele que pes-
taleceu esta Igreja desde o princípio. quisasse o evangelho poderia saber

J A N E I R O D E 2 0 0 1
27
por si mesmo, por meio da influên- crescente dos que testificam que Querem saber a verdade a respei-
cia do Espírito Santo, que ele era Deus fala ao homem novamente. to das santas escrituras? Querem
verdadeiro. O Presidente Joseph F. Smith de- derrubar as barreiras que separam os
A certa altura, John Taylor per- clarou: “( . . . ) toda pessoa deve sa- mortais do conhecimento das verda-
guntou: “O que você quer dizer com ber que o evangelho é verdadeiro, des eternas?
isso que mencionou a respeito do pois esse é o privilégio concedido a Querem realmente saber a verda-
Espírito Santo? ( . . . ) [Ele me dará] todos os que são batizados e recebem de? Então, sigam o conselho de
um conhecimento dos princípios em o Espírito Santo. ( . . . ) Sei que o Morôni e sem dúvida alguma en-
que você acredita? evangelho é verdadeiro e que Deus contrarão o que procuram.
O apóstolo respondeu: “Sim, e se está com Seu povo; e que se eu cum- Sejam sinceros. Estudem.
isso não acontecer, então sou um prir meu dever e guardar Seus man- Meditem. Orem com sinceridade,
impostor”.5 damentos, as nuvens se dissiparão e tendo fé.
Ouvindo isso, John Taylor acei- a névoa desaparecerá ( . . . )”.8 Se fizerem essas coisas, vocês
tou o desafio, dizendo: “Se eu des- Como uma pessoa adquire um também poderão colocar-se ao lado
cobrir que sua religião é verdadeira, testemunho pessoal? dos milhões que testificam que Deus
eu a aceitarei, sejam quais forem as Estudem as palavras de Morôni. novamente fala aos homens aqui na
conseqüências; e se for falsa, então Ele viveu há mais de 1.500 anos. Terra.
eu a denunciarei”.6 Aquele profeta observou seu povo O testemunho da veracidade do
Ele não apenas aceitou o desafio, ser massacrado e totalmente destruí- evangelho não acontece da mesma
mas “recebeu aquele Espírito por do pela guerra civil. Sua nação re- forma para todas as pessoas. Alguns
meio da obediência ao evangelho”.7 duziu-se a ruínas, seus amigos e o recebem por meio de uma expe-
Pouco tempo depois, ele adquiriu entes queridos foram mortos, seu riência vívida e transformadora.
por si mesmo o conhecimento que próprio pai, um grande general e um Outros adquirem o testemunho len-
milhões de pessoas também recebe- homem justo, também foi morto. tamente, de modo quase impercep-
ram desde aquela época: de que o Aquele grande profeta Morôni, tível, até que um dia, simplesmente
evangelho de Jesus Cristo foi restau- depois de perder tudo o que amava, sabem.
rado na Terra. ficou sozinho. Ele era o último de Estudem as palavras do
Mais tarde, aquele homem que seu povo. Era a única testemunha Presidente David O. McKay, que
dedicara a vida inteira à busca da da desolação e do sofrimento causa- nos conta que em sua juventude,
verdade tornou- se o terceiro dos pelo ódio e raiva. ajoelhou-se e “orou fervorosa e sin-
Presidente d’A Igreja de Jesus Cristo Seu tempo e o espaço nas placas ceramente, com toda a fé que um
dos Santos dos Últimos Dias. eram preciosamente escassos para menino conseguia exercer” de que
Com o passar do tempo, muitas que escrevesse algumas palavras fi- “Deus [lhe] declararia a veracidade
coisas mudaram no mundo. Uma nais. Como seu próprio povo estava de Sua revelação a Joseph Smith”.
coisa, porém, continua a mesma: a destruído, Morôni escreveu para O Presidente McKay conta que
promessa que o Élder Parley P. Pratt nossos dias. Para nós, ele gravou quando terminou a oração, se er-
fez a John Taylor, há 164 anos. É tão suas preciosas palavras de despedi- gueu, teve de admitir que “nenhu-
válida hoje quanto naquela época: o da, seus últimos conselhos. ma manifestação espiritual me foi
Espírito Santo confirmará a veraci- “Eis que desejo exortar-vos”, es- concedida. Para ser sincero comigo
dade do evangelho restaurado de creveu ele, “quando lerdes estas coi- mesmo, preciso admitir que sou exa-
Jesus Cristo. sas ( . . . ) a vos lembrardes de quão tamente o ( . . . ) mesmo menino
A própria lógica afirma que um misericordioso tem sido o Senhor que era antes de ter orado”.
Pai Celestial amoroso não abando- para com os filhos dos homens ( . . . ) Não sei como o jovem David se
naria Seus filhos sem prover um e a meditardes sobre isto em vosso sentiu naquela época, mas estou
meio pelo qual eles pudessem co- coração. certo de que ficou desapontado, ou
nhecê-Lo. Uma das grandes mensa- E quando receberdes estas coisas, mesmo frustrado, por não ter recebi-
gens da Restauração é a de que as eu vos exorto a perguntardes a do a experiência espiritual que espe-
janelas do céu estão abertas. Todos Deus, o Pai Eterno, em nome de rava receber. Mas isso não o
os que procuram saber a verdade Cristo, se estas coisas não são verda- desencorajou a continuar em sua
podem conhecê-la por si mesmos, deiras; e se perguntardes com um busca de conhecimento.
por meio da revelação do Espírito. coração sincero e com real intenção, Ele recebeu a resposta a suas ora-
Somos abençoados por viver em tendo fé em Cristo, ele vos manifes- ções, mas só depois de se terem pas-
uma época em que há apóstolos e tará a verdade delas pelo poder do sado vários anos, quando estava
profetas na Terra prestando um sole- Espírito Santo.”9 servindo como missionário. Por que
ne e seguro testemunho de que Gostaria que todos pudessem ou- a resposta à sua oração demorou
Jesus Cristo é o Filho de Deus. vir o último testemunho de Morôni, tanto? O Presidente McKay acredi-
Muitos membros, milhões deles, aquele gigante entre os homens, tava que essa manifestação espiri-
acrescentam sua voz ao coro sempre aquele humilde servo de Deus. tual “ocorreu como conseqüência

A L I A H O N A
28
natural do cumprimento do de-
ver”.10
O Salvador ensinou um princípio
semelhante. Quando a veracidade
de Sua mensagem foi questionada,
Ele declarou: “Se alguém quiser fa-
zer a vontade dele, pela mesma dou-
trina conhecerá se ela é de Deus, ou
se eu falo de mim mesmo”.11
Não fiquem desanimados se a
resposta de sua oração não vier ime-
diatamente. Estudem, ponderem,
orem com sinceridade, tendo fé, e
cumpram os mandamentos.
Morôni escreveu: “( . . . ) não
disputeis porque não vedes, porque
não recebeis testemunho senão de-
pois da prova de vossa fé”.12
Lembro-me de quando eu era
criança e ouvia o testemunho pres-
tado pelos adultos de minha ala.
Aqueles testemunhos entraram em
meu coração e inspiraram-me a al-
ma. Em todos os lugares que vou, poder do Espírito Santo, recebemos Gostaria de contar-lhes como ad-
independentemente da língua ou da a promessa de que “derramar-se-á o quiri um testemunho da veracidade
cultura, sinto uma grande emoção Espírito Santo testificando todas as e da natureza divina desta grandiosa
ao ouvir o testemunho dos santos. coisas que [dissermos]”. 17 Somos obra dos últimos dias. Minha expe-
Recentemente, recebi uma carta pessoalmente abençoados quando riência não foi muito fantástica.
de nosso neto que está servindo co- testificamos dessa forma. Não se trata de uma história de ho-
mo missionário. Ele escreveu que os O Presidente Boyd K. Packer dis- sanas celestiais, trovões ou brados.
membros “que estão lendo as escri- se: “Adquirimos o testemunho ao pres- Não é um relato de relâmpagos, fo-
turas e orando mostram mais desejo tá-lo. Em dado momento de sua busca go ou inundação.
de compartilhar o evangelho”.13 pelo conhecimento espiritual, haverá Eu sempre soube que Deus era
Creio que ele tem razão. Quanto um ‘salto da fé’, como o chamam os real e bom.
mais estudarmos as escrituras e orar- filósofos. Trata-se do momento em Desde quando me lembro, sem-
mos, mais provável será que com- que você chega ao limite de sua luz e pre tive um testemunho seguro e
partilhemos entusiasticamente o precisa dar um passo para dentro das forte deste grande trabalho. Às ve-
nosso testemunho do evangelho trevas, descobrindo então que o ca- zes, essa certeza vem quando senti-
com outras pessoas. minho está iluminado à frente, ape- mos o amor do Salvador ao nos
Lembrem-se de que os membros nas alguns passos mais adiante”.18 encontrarmos com Seus servos.
da Igreja que recebem testemunho Uma declaração pública firme e Lembro-me de quando eu tinha
do evangelho estão sob o convênio confiante de sua crença é um passo apenas cinco anos, e minha família
de “servir de testemunhas de Deus assim para dentro do desconhecido. mudou- se para uma nova ala.
em todos os momentos e em todas Isso tem um efeito vigoroso no for- Naquele primeiro domingo, o bispo
as coisas e em todos os lugares”.14 talecimento de suas próprias convi- Charles E. Forsberg, que era natu-
Fica bem claro que temos a sagrada cções. Prestar testemunho faz com ral da Suécia, aproximou-se e cha-
obrigação de dar referências para os que a fé se torne mais profunda em mou-me pelo nome. Eu soube
nossos missionários. As testemunhas sua alma, fazendo com que creiam então.
têm um conhecimento especial e mais fervorosamente do que antes. Durante os frios e escuros dias da
precisam prestar testemunho das Para aqueles que fielmente pres- Grande Depressão, lembro-me de
“coisas que viram e ouviram e em tam testemunho, o Senhor disse: um maravilhoso servo do Salvador
que firmemente crêem”.15 Fazemos “Bem-aventurados sois, porque o chamado C. Perry Erickson. O irmão
uma declaração simples, clara e di- testemunho que prestastes está re- Erickson era empreiteiro e estava ten-
reta de que sabemos com toda a cer- gistrado no céu para ser visto pelos do dificuldades em encontrar traba-
teza que o evangelho é verdadeiro, anjos; e eles se regozijam por vós e lho. Ele podia ter-se isolado,
porque “[nos] foram mostradas pelo vossos pecados vos são perdoados”.19 tornando-se amargo e irado. Podia ter
Santo Espírito de Deus”.16 Ao pres- Tento seguir esse conselho ao pres- desistido de tudo. Em vez disso, ele
tar esse testemunho, falando pelo tar testemunho. foi meu chefe de escoteiros quando

J A N E I R O D E 2 0 0 1
29
eu tinha doze anos. Passou horas e Oro para que assim o façam, e 7. Deseret News, Semi-Weekly, 18 de
horas ajudando-me, bem como a ou- testifico aos confins da Terra que o abril de 1882.
tros de minha idade, a aprender, a evangelho de nosso Senhor e 8. Ensinamentos dos Presidentes da
crescer e a enfrentar cada problema Salvador foi restaurado ao homem! Igreja, Joseph F. Smith, cap. 24, p. 215.
com confiança e otimismo. Sem ex- Em nome de meu amigo, meu exem- 9. Morôni 10:3–4.
ceção, todos os escoteiros liderados plo, meu Salvador e Rei, Jesus 10. Cherished Experiences from the
por C. Perry Erickson se tornaram Cristo. Amém.  Writings of President David O. McKay,
Eagle Scouts, que é a mais alta dis- comp. Clare Middlemiss (1955), 16.
tinção dada aos escoteiros nos NOTAS 11. João 7:17, grifo do autor.
Estados Unidos. Eu soube então. 1. Salmos 19:7 12. Éter 12:6.
Sim, o testemunho dos líderes do 2. Daniel H. Ludlow, org., 13. Carta do Élder Andrew Cannon,
sacerdócio e dos fiéis membros da Encyclopedia of Mormonism, 5 vols. 30 de agosto de 2000.
ala ajudaram-me a saber. (1992) 4:1470. 14. Mosias 18:9.
Lembro-me das palavras de mi- 3. Parley P. Pratt, The Autobiography of 15. D&C 52:36.
nha mãe e de meu pai. Lembro-me Parley P. Pratt, Deseret Book, 1961, pp. 16. Alma 5:46.
de quando expressaram sua fé e seu 130–131. 17. D&C 100:8.
amor pelo Pai Celestial. Eu soube 4. B. H. Roberts, The Life of John 18. “That All May Be Edified”, (1982),
então. Taylor, Bookcraft, Inc., 1963, p. 34. p. 340.
Eu conheci a realidade da com- 5. Deseret News, Semi-Weekly, 18 de 19. D&C 62:3.
paixão do Salvador quando, a pedi- abril de 1882. 20. “Meu Testemunho”, A Liahona, ju-
do de meu pai, que era bispo, levei 6. The Life of John Taylor, p. 38. lho de 2000, p. 85.
alimentos e roupas para as viúvas e
os pobres de nossa ala.
Eu soube, quando era um jovem
pai, nas ocasiões em que minha mu-
lher e eu reuníamos nossos filhos e
expressávamos nossa gratidão ao Pai
Celestial pelas muitas bênçãos que
recebêramos.
Eu soube, em abril passado,
quando ouvi deste púlpito as pala-
vras de nosso Profeta, o Presidente
Gordon B. Hinckley, que chamou
Jesus de seu amigo, exemplo, líder,
Salvador e Rei.
O Presidente Hinckley disse:
“Por meio do sacrifício de Sua vida,
feito com dor e sofrimento indescri-
tíveis, Ele veio para resgatar a mim,
a cada um de nós, a todos os filhos
de Deus, salvando-nos do abismo
das trevas eternas que nos estava re-
servado após a morte. Ele concedeu-
nos algo melhor, uma nova
dimensão de luz e compreensão,
crescimento e beleza”.20
Quero agora prestar meu teste-
munho de que eu sei que Joseph
Smith viu o que disse ter visto, que
os céus se abriram e Deus, o Pai, e
Seu Filho Jesus Cristo apareceram a
um jovem inculto, que havia sido
criado no interior de Nova York.
Como testemunha especial do
nome de Jesus Cristo em todo o
mundo, prometo-lhes que se busca-
rem o Senhor, irão encontrá-Lo.
Peçam, e receberão.

A L I A H O N A
30
E ordena a todos os homens que
O Caminho da Paz e se arrependam e sejam batizados em
seu nome, tendo perfeita fé no
Santo de Israel, pois do contrário
Alegria não poderão ser salvos no reino de
Deus.4
Por que nosso Pai e Seu Filho nos
Élder Richard G. Scott deram o mandamento de que nos
Do Quórum dos Doze Apóstolos arrependêssemos? Porque Eles nos
amam. Eles sabem que todos irão,
inocente ou premeditadamente, vio-
lar as leis eternas. Sejam elas peque-
nas ou grandes, a justiça exige que
cada lei quebrada seja satisfeita para
“Você está aproveitando plenamente o poder redentor do que se mantenha a promessa de ale-
arrependimento em sua vida para que tenha maior paz e alegria?” gria nesta vida e o privilégio de vol-
tar ao Pai Celestial. Caso não tenha
alegria. Ele é o canal para o poder sido satisfeita, no dia do julgamento
reformador do Senhor e, quando a justiça fará com que sejamos ex-
compreendido e utilizado, um pre- pulsos da presença de Deus para es-
cioso e querido amigo. tarmos sob o domínio de Satanás.5
O arrependimento não é opcional. É o nosso Mestre e Seu ato re-
Um anjo deu o seguinte mandamento dentor que nos possibilitam evitar
a Adão: “arrepender-te-ás e invocarás essa condenação. Conseguiremos is-
a Deus em nome do Filho para todo o so por meio da fé em Jesus Cristo,
sempre”. 2 Todos nós recebemos o obediência aos Seus mandamentos e
mandamento de arrepender-nos e in- perseverança até o fim.
vocarmos a Deus continuamente por Você está aproveitando plena-
toda a vida. Esse padrão permite que mente o poder redentor do arrepen-
cada dia seja uma página imaculada dimento em sua vida para que tenha
no livro da vida, uma oportunidade maior paz e alegria? Os sentimentos
renovada. Recebemos o privilégio re- de desânimo e agitação normalmen-
novador de sobrepujarmos os erros te indicam a necessidade de arre-
que cometemos ao fazer algo errado pendimento. A falta da direção
ou os que cometemos por deixar de espiritual que você busca em sua vi-
fazer algo, sejam eles pequenos ou da pode ser o resultado de alguma

H á um aspecto essencial do
plano de felicidade de nos-
so Pai Celestial que é fre-
qüentemente ignorado, apesar de
ele sempre nos trazer paz e alegria.
muito sérios o arrependimento pleno
resulta numa renovação espiritual.
Pode-se sentir a purificação, a pureza,
a renovação que acompanha o arre-
pendimento sincero em qualquer mo-
lei quebrada ou de mandamentos
não cumpridos. Caso seja preciso, o
arrependimento pleno irá restabele-
cer sua vida. Ele irá resolver todas as
dores espirituais que resultam das
O Salvador deu a Sua vida a fim de mento da vida. transgressões. Nesta vida, porém,
que o plano pudesse ser usado para O Salvador deixou essa exigência ele não pode curar algumas das con-
abençoar todos os filhos do Pai clara: “Portanto ordeno que te arre- seqüências físicas decorrentes de pe-
Celestial. Esse assunto é muito mal pendas e guardes os mandamentos cados sérios. Seja sábio e viva
compreendido e, com freqüência, ( . . . ) para que eu não te humilhe sempre dentro dos limites da retidão
temido. Algumas pessoas acham que com minha onipotência; ( . . . )”3 definidos pelo Senhor.
ele deve ser empregado somente por De modo semelhante, Jacó ensi- Há diversos passos vitais em dire-
aqueles que estão envolvidos em nou com grande clareza: ção ao arrependimento. Cada um
transgressões sérias, mas a intenção [O Santo de Israel] vem ao mun- deles é essencial para o perdão com-
do Senhor é que ele fosse utilizado do para salvar todos os homens, se pleto. O Presidente Joseph F. Smith
por todos os Seus filhos. Ele deu re- eles derem ouvidos a sua voz; pois identificou alguns desses passos do
petidos mandamentos a Seus profe- eis que ele sofre as dores dos ho- seguinte modo: “O verdadeiro arre-
tas e líderes para que o mens, ( . . . ) pendimento não é apenas a tristeza
proclamassem e não pregassem ou- ( . . . ) para que todos os homens pelos pecados e a humilde penitên-
tra coisa. 1 Refiro-me à bênção do ressuscitem, para que todos compa- cia e contrição perante Deus, mas
arrependimento verdadeiro, sincero reçam diante dele no grande dia do inclui a necessidade de afastar-nos
e contínuo, o caminho para a paz e julgamento. do pecado, de abandonarmos todas

J A N E I R O D E 2 0 0 1
31
Senhor declarou: “Eu ( . . . ) não
posso encarar o pecado com o míni-
mo grau de tolerância; Entretanto,
aquele que se arrepender e cumprir
os mandamentos do Senhor será
perdoado”.8
Quando existe a determinação de
guardar os mandamentos recebemos
resistência e força. O Senhor espera
um compromisso de que obedecere-
mos ao plano de felicidade durante
toda a vida, incluindo o arrependi-
mento contínuo conforme necessário.
Disse Ele: “( . . . ) somente é salvo
aquele que persevera até o fim”.9
Foram criadas fórmulas para aju-
dar-nos a lembrar de algumas ações
exigidas para o pleno arrependimen-
to. Apesar de tais fórmulas serem
úteis, elas geralmente ignoram o as-
pecto mais fundamental do arrepen-
dimento: o de que ele está centrado
em Jesus Cristo e Sua Expiação, que
ele tem poder porque Cristo se dis-
pôs a pagar o preço total por meio
de Seu sacrifício redentor, motivado
pelo amor perfeito por Seu Pai e por
todos nós. Alma declarou:
“E aconteceu que eu passei três
dias e três noites na mais amarga
dor e angústia; e não obtive a remis-
são de meus pecados até rogar por
misericórdia ao Senhor Jesus Cristo.
Mas eis que clamei a ele e achei paz
para minha alma.
( . . . ) disse-te isto para que ad-
quiras sabedoria, para que aprendas
( . . . ) que não há outro caminho ou
meio pelo qual o homem possa ser
salvo, a não ser em Cristo e por in-
termédio dele.”10
A paz é o fruto precioso de uma
vida reta. É recebida por meio do ar-
rependimento pleno que conduz ao
perdão renovador. O arrependimen-
to abre as portas do esclarecimento
e auxilia a inspiração.11 O arrependi-
mento traz salvação por meio do
perdão,12 mas ela não é recebida au-
tomaticamente. É preciso cumprir-
as práticas e ações maléficas, uma da mente para completar esse glo- se cada passo do arrependimento.
total mudança de vida, uma mudan- rioso trabalho de arrependimento”.6 O sentimento de pesar e a moti-
ça vital do mal para o bem, ( . . . ) Aos passos vitais do reconheci- vação para confessar são um início
fazer reparar, na medida do possível, mento, pesar, abandono, confissão e adequado, mas não bastam. Quando
todas as coisas erradas que fizemos restituição, quando possível, é tam- a confissão é voluntária, os passos
( . . . ). Esse é o verdadeiro arrepen- bém essencial acrescentarmos a exi- para o arrependimento são bastante
dimento, e exige-se toda a disposi- gência de guardar diligentemente os simplificados. Não ajuda em nada ao
ção e toda a capacidade do corpo e mandamentos de Deus. 7 Pois o indivíduo impedir os esforços de um

A L I A H O N A
32
juiz em Israel para incentivar o arre- Testifico que Jesus Cristo pagou o como um passo necessário em dire-
pendimento negando que ocorreu preço e satisfez as exigências da jus- ção ao arrependimento. Esses peca-
uma transgressão ou não cedendo. tiça para todos os que forem obe- dos podem ser evitados não
Leí ensinou: “Eis que ele se oferece dientes a Seus ensinamentos. Sendo permitindo que ninguém toque as
em sacrifício pelo pecado, cumprin- assim, o perdão pleno é concedido e partes privadas e sagradas do seu
do, assim, todos os requisitos da lei os terríveis efeitos do pecado não corpo e recusando-se a fazer isso
para todos os quebrantados de cora- precisam mais persistir na vida da com qualquer outra pessoa.
ção e contritos de espírito; e para nin- pessoa. Na verdade, não poderão Você se afastou do caminho da
guém mais podem todos os persistir quando se compreende, alegria e se encontra agora onde não
requisitos da lei ser cumpridos”. 13 verdadeiramente, o significado da quer estar, com sentimentos que não
Deve haver humildade 14 e contri- Expiação de Cristo. Alma venceu os quer ter? Há um desejo de voltar à
ção.15 pensamentos de sua indignidade an- paz e alegria de uma vida digna?
Sugiro que leiam O Milagre do terior lembrando-se da misericórdia Convido-o, com todo o amor do
Perdão, o livro inspirado do do Redentor. Diz ele maravilhado: meu coração, a arrepender-se e vol-
Presidente Spencer W. Kimball. Ele “Eis que ele não exerceu sua jus- tar. Decida fazê-lo agora. O cami-
continua a ajudar os fiéis a evitar os tiça sobre nós, mas em sua grande nho não é tão difícil quanto parece.
perigos das transgressões sérias. É misericórdia [trouxe-nos] ( . . . ) a Você pode livrar-se da culpa, vencer
também um excelente manual para salvação de nossa alma.”18 a depressão, receber a bênção de ter
aqueles que tenham cometido erros Quando as lembranças de erros paz em sua mente e, assim, encon-
sérios e queiram encontrar o caminho anteriores persistirem em ficar na trar a alegria duradoura. Ore para
de volta. Leia os dois últimos capítu- sua mente, volte seus pensamentos receber ajuda e orientação e você
los primeiro, a fim de compreender para o Redentor e para o milagre será guiado a encontrá-las. Dirija-se
plenamente o milagre do perdão, an- do perdão com a renovação que até onde você sabe que brilha a luz
tes de qualquer outro trecho. vem por intermédio Dele. Sua de- da verdade: a um amigo digno, um
Caso você se tenha arrependido pressão e sofrimento serão substi- bispo ou presidente de estaca amo-
de uma transgressão séria e acredite, tuídos por paz, alegria e gratidão roso, um pai compreensivo. Por fa-
erradamente, que sempre será um por Seu amor. vor, volte. Nós amamos você. Siga o
cidadão de segunda classe no reino Como deve ser difícil para Jesus caminho que leva à paz e alegria por
de Deus, saiba que isso não é verda- Cristo, nosso Salvador e Redentor, meio do completo arrependimento.
de. O Salvador disse: ver tantas pessoas sofrerem sem ne- O Salvador irá ajudá-lo a conseguir
“Eis que aquele que se arrepen- cessidade, porque Seu dom do arre- o perdão quando você seguir todos
deu de seus pecados é perdoado e pendimento é ignorado. Ele é o único os passos do arrependimento since-
eu, o Senhor, deles não mais me ser dentre os que já vieram à Terra a ramente. Ele é o Redentor. Ele ama
lembro. Desta maneira sabereis se não precisar do arrependimento. você. Ele quer que você tenha paz e
um homem se arrepende de seus pe- Todos os demais dentre nós precisa- alegria na vida. Agora testifico que
cados — eis que ele os confessará e mos exercê-lo em nossa vida a fim de Ele vive. Ele o ajudará. Em nome de
abandonará”.16 recebermos as bênçãos que nos Jesus Cristo. Amém. 
Busque incentivo no exemplo da aguardam. Ele deve sofrer profunda-
vida de Alma, o filho, e dos filhos de mente ao ver uma agonia sem senti- NOTAS
Mosias. Eles foram muito iníquos. do, tanto nesta vida como além do 1. Ver D&C 6:9.
Ainda assim, seu pleno arrependi- véu, que acompanha o pecador não- 2. Moisés 5:8.
mento e serviço qualificaram-nos para arrependido, após tudo o que Ele fez 3. D&C 19:13,20.
que fossem considerados tão nobres para que não precisemos sofrer. 4. 2 Néfi 9:21–23.
quanto o justo Capitão Morôni.17 Muitos jovens foram levados a 5. Ver 2 Néfi 9:8–10; 2:5.
Por um momento falo a você que crer que a intimidade sexual “não é 6. Ensinamentos dos Presidentes da
se arrependeu sinceramente mas má”desde que não envolva o ato que Igreja: Joseph F. Smith, p. 61.
ainda continua a sentir o peso da pode levar à gravidez. Isso é falso. A 7. Ver Enos 1:10.
culpa. Compreenda que o sofrimen- intimidade sexual em qualquer de 8. D&C 1:31–32.
to contínuo pelos pecados, quando suas formas, fora do convênio do ca- 9. D&C 53:7.
já houve arrependimento e perdão samento, é um pecado sério. Os pe- 10. Alma 38:8–9.
do Senhor, é instigado pelo mestre cados sérios viciam. Eles criam 11. Ver Alma 26:22.
da mentira. Lúcifer irá incentivá-lo hábitos duradouros que são difíceis 12. Ver Alma 32:13.
a continuar a reviver os detalhes dos de abandonar. Caso você tenha que- 13. 2 Néfi 2:7, grifo do autor.
erros passados, pois sabe que esses brado essas leis, procure a ajuda de 14. Ver D&C 61:2.
pensamentos podem impedir seu seu bispo ou presidente de estaca, 15. Ver II Coríntios 7:9–10.
progresso. Assim, ele tentará mani- uma vez que tais transgressões exi- 16. D&C 58:42–43
pulá-lo como a uma marionete a fim gem confissão, tanto ao Senhor co- 17. Ver Alma 48:17–18.
de desencorajar o progresso pessoal. mo a um dos juízes mencionados, 18. Alma 26:20

J A N E I R O D E 2 0 0 1
33
continua a manifestar-se na vida de
Cultivar Tradições muitos de seus habitantes. Ao cum-
primentar alguém, a pessoa coloca-
se cara a cara com a outra e faz
Virtuosas “há”, chegando a expelir o hálito
para que a outra pessoa o sinta. A
tradução literal de “há” é “fôlego da
Élder Donald L. Hallstrom vida”. Era um modo de se oferecer à
Dos Setenta outra pessoa uma demonstração de
profundo amor e consideração fra-
ternal. Quando os primeiros estran-
geiros chegaram ao Havaí, eles não
demonstraram esse mesmo respeito
pelas pessoas. Foram chamados de
“São particularmente importantes [as tradições] que promovem o amor “haole”, que significa “sem há”.
por Deus e união na família e entre os povos.” Se existe um povo que deveria
ter “há”, ou seja, uma grande cari-
agimos. Define-se cultura como “as dade e compaixão pelas pessoas, são
crenças habituais, os padrões sociais os membros de A Igreja de Jesus
de comportamento e ( . . . ) as ten- Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
dências ( . . . ) mais comuns de um Um verdadeiro santo dos últimos
grupo”. (Merriam-Webster’s Collegiate dias sente um amor pelo próximo
Dictionary, 10th ed.) As tradições, condizente à sua crença de que to-
que são aqueles padrões de compor- dos são seus irmãos e irmãs.
tamento estabelecidos e transmitidos As tradições inspiradoras desem-
de uma geração para a outra, são penham um papel importante no
uma parte inerente da cultura. processo de conduzir-nos às coisas
Nossa cultura e suas tradições aju- do Espírito. São particularmente im-
dam-nos a estabelecer o nosso senso portantes aquelas que promovem o
de identidade e atendem à nossa ne- amor por Deus e união na família e
cessidade vital e humana de fazer- entre os povos.
mos parte do grupo. O poder da tradição, porém, tam-
A respeito das tradições comple- bém traz um risco considerável. Ele
mentares ao evangelho de Jesus pode fazer com que nos esqueçamos
Cristo, Paulo admoestou aos tessalo- de nossa herança celeste. Para alcan-
nicenses: “Estai firmes e retende as çar metas eternas, precisamos recon-

S empre serei grato por ter nasci-


do e por ter sido criado no
Havaí, que fazem parte do que
as escrituras freqüentemente cha-
mam de “as ilhas do mar”. Sendo
tradições que vos foram ensinadas”.
(II Tessalonicenses 2:15) Na Igreja,
há tradições vigorosas que nos re-
lembram a força e o sacrifício de
nossos antepassados e inspiram nos-
ciliar nossa cultura terrena com a
doutrina do evangelho eterno. Esse
processo consiste em aceitarmos tu-
do o que seja espiritualmente inspi-
rador nas tradições de nossa família
muitas vezes chamado de caldeirão so trabalho. Entre elas estão a in- e sociedade, deixando de lado tudo
fervente, por causa de sua formação dustriosidade, a frugalidade e a total aquilo que seja um obstáculo à nossa
multi-étnica, outras pessoas usam devoção a uma causa digna. Outras perspectiva e realização eternas.
um termo mais preciso, consideran- são baseadas em doutrinas e padrões Precisamos deixar de ser homens e
do-o um “delicioso cozido”, no qual que podem parecer estranhos ao mulheres “naturais”, como disse o rei
cada cultura conserva sua identida- mundo, mas que estão em harmonia Benjamim, e tornar-nos “santos” ce-
de mas mescla-se harmoniosamente com o padrão determinado por dendo ao “influxo do Santo
ao caldo social que pode ser saborea- Deus. Elas incluem a castidade, o Espírito”. (Ver Mosias 3:19.)
do por todos. Além disso, por ter recato no vestir, a linguagem limpa, Alertando-nos também de seu
servido numa missão na Inglaterra, a santificação do Dia do Senhor, o perigo e gravidade, o Profeta Joseph
por ter morado muito tempo na par- cumprimento da Palavra de Smith foi inspirado a esclarecer uma
te continental dos Estados Unidos e Sabedoria e o pagamento do dízimo. das epístolas de Paulo aos habitantes
estar agora vivendo e servindo na Mesmo em nossa cultura étnica, de Corinto, declarando: “E aconte-
Ásia, há muito que me interesso pe- muitas tradições podem reafirmar ceu que os filhos, tendo sido criados
las culturas e tradições e pela in- padrões e princípios do evangelho. na sujeição à lei de Moisés, deram
fluência que elas exercem na maneira Antigamente, por exemplo, havia ouvidos às tradições de seus pais e
como nos vestimos, pensamos e um costume entre os havaianos que não acreditaram no evangelho de

A L I A H O N A
34
Cristo; e nisso tornaram-se impu- Deus e por Seu Filho Unigênito, o mente valorizados pelo mundo.
ros”. (D&C 74:4) respeito pelos profetas e pelo poder • Somos inspirados pela nobreza
Não pensem que esse princípio se do sacerdócio, a busca constante da de todo marido e mulher que estabe-
aplica apenas aos outros e à cultura companhia do Santo Espírito, e a leceram um relacionamento de igual-
deles; é válido para todos nós, onde disciplina do discipulado, que trans- dade e bondade, quando o egoísmo e
quer que moremos na Terra ou se- forma as crenças em ações. Uma a indiferença são tão comuns.
jam quais forem as condições em tradição de retidão estabelece um À medida que a natureza celeste
que viva a nossa família. padrão de vida que aproxima os fi- de nossa vida começar a ser enten-
São tradições indesejáveis aque- lhos dos pais, e a família, de Deus, dida e vivida, não desejaremos que
las que nos afastam da realização fazendo com que a obediência deixe nada mundano interfira em nossa
das ordenanças sagradas e do cum- de ser um fardo e passe a ser uma jornada celestial.
primento dos convênios sagrados. bênção. Sentindo-me humilde em minha
Nosso guia deve ser a doutrina ensi- Num mundo onde as tradições responsabilidade, mas exultante
nada nas escrituras e pelos profetas. freqüentemente confundem o certo com a oportunidade de pregar o
As tradições que desprezam o casa- com o errado: evangelho e prestar testemunho em
mento e a família, rebaixam a mu- • Somos inspirados pela coragem todo o mundo, afirmo meu conheci-
lher ou não reconhecem a nobreza de cada jovem que honra o Dia do mento de verdades eternas e cultura
de seu papel ordenado por Deus, Senhor, guarda a Palavra de infinita. Testifico a respeito de
honram o sucesso material mais do Sabedoria e permanece casto, ao quinze homens com chamado profé-
que o espiritual, ou ensinam que passo que a cultura popular conside- tico e autoridade apostólica, e em
confiar em Deus é sinal de fraqueza ra o oposto disso não apenas aceitá- especial de um deles, o Presidente
de caráter, todas elas, afastam-nos vel, mas esperado de todos. Gordon B. Hinckley, que preside
das verdades eternas. • Somos inspirados pela sabedoria com dignidade, visão e um claro
De todas as tradições que devemos de que todo rapaz siga uma carreira entendimento das tradições virtuo-
cultivar em nossa própria vida e no com a qual possa sustentar devida- sas. Mais importante que isso, presto
seio de nossa família, a mais impor- mente a sua mais nova responsabili- testemunho do Salvador e Redentor
tante deve ser a “tradição da retidão”. dade, que é a de dirigir da humanidade, de Sua Igreja e de
As características marcantes dessa espiritualmente a sua família, ao pas- Seu amor redentor, em nome de
tradição são o amor inabalável por so que a riqueza e o poder são alta- Jesus Cristo. Amém. 

Os participantes da conferência reúnem-se ao redor do novo lago que fica entre o templo e o Edifício Memorial
Joseph Smith.
lemos em 3 Néfi, capítulo 17, versí-
Um por Um culo 9:
“E aconteceu que depois de ele
haver assim falado, toda a multidão,
Élder Ronald A. Rasband de comum acordo, adiantou-se com
Dos Setenta seus doentes e seus aflitos e seus co-
xos; e com seus cegos e com seus
mudos e com todos aqueles que es-
tavam aflitos de qualquer forma; e
ele curou a todos, à medida que fo-
“Aceitemos o caloroso convite do Salvador de nos achegarmos a Ele, um ram conduzidos a sua presença.”
por um, e de sermos aperfeiçoados Nele.” (grifo do autor)
Lemos então a respeito da bên-
conversos. Seis deles imigraram para ção especial que foi dada àquelas
os Estados Unidos, vindos da preciosas crianças, no versículo 21
Europa, onde estou agora servindo. (3 Néfi, capítulo 17):
Sinto grande amor pelos santos eu- “E depois de haver proferido estas
ropeus e me identifico muito com palavras, ele chorou e a multidão tes-
eles. Comprometo-me a fazer todo o tificou isso; e pegou as criancinhas,
possível para fortalecer a Igreja e uma a uma, e abençoou-as e orou por
edificar o reino de Deus ali, ou em elas ao Pai.” (grifo do autor)
qualquer lugar em que seja designa- Não era um grupo pequeno de
do a servir. pessoas. No versículo 25, lemos o
Quero expressar meu amor e gra- seguinte (3 Néfi, capítulo 17):
tidão à minha querida companheira “( . . . ) e eram cerca de duas mil
eterna e à minha maravilhosa famí- e quinhentas almas, entre homens,
lia por seu dedicado amor e apoio. mulheres e crianças.”
Quero expressar o carinho que sinto Sem dúvida, há uma mensagem
por nossos amigos e queridos missio- muito significativa e pessoal nessa
nários com quem recentemente ser- passagem. Jesus Cristo ministra para
vimos na missão Nova York Nova nós e nos ama a todos, ‘um por um’.
York Norte. Uma das grandes bên- Ao refletirmos na maneira de nos-

M eus queridos irmãos e ir-


mãs, é um grande privilégio
e honra estar hoje aqui nes-
te púlpito. Oro para que tenham as
bênçãos do Santo Espírito, de modo
çãos da minha vida são os amigos e
conhecidos preciosos que tive o pri-
vilégio de conhecer e com quem
tanto aprendi.
Ao longo de minha vida, desco-
so Salvador amar, queremos apoiar
vocês, os dedicados líderes das esta-
cas e alas, que são homens e mulhe-
res de grande fé. Reconhecemos,
agradecidos, o grande esforço feito
que minhas palavras possam contri- bri por experiência própria que o por aqueles que trabalham com os jo-
buir para a espiritualidade que todos Pai Celestial ouve e responde nossas vens. E expressamos nossa gratidão
sentimos na época da conferência. orações pessoais. Sei que Jesus é o às carinhosas e atenciosas líderes e
Eu seria muito ingrato se não Cristo vivo e que Ele conhece cada professoras da Primária, por seu ser-
aproveitasse esta oportunidade para um de nós individualmente, ou co- viço cristão. Temos em mente o mi-
agradecer ao Senhor com toda a mo mencionam as escrituras — ‘um nistério de cada um de vocês, ‘um
sinceridade por meu chamado como por um’. por um’, e queremos dizer-lhes: ‘obri-
Setenta. Gostaria também de agra- Essa sagrada certeza é ensinada gado’ e ‘por favor, continuem assim’.
decer a nosso querido Profeta, o com muita compaixão pelo próprio Talvez em nenhuma época da histó-
Presidente Hinckley, e aos outros lí- Salvador, quando apareceu ao povo ria da humanidade tenha sido tão
deres da Igreja por sua confiança de Néfi. Lemos isso em 3 Néfi, capí- necessário servirmos no estilo ‘um
em mim. Prometo a eles e a todos tulo 11, versículo 15: por um’ quanto agora.
vocês que farei o melhor que estiver “E aconteceu que a multidão se Nos últimos meses de nossa mis-
a meu alcance nos anos de serviço adiantou e meteu as mãos no seu la- são, no ano passado, tivemos uma ex-
que tenho pela frente. do e apalpou as marcas dos cravos periência que nos ensinou novamente
Como resultado de muitas horas em suas mãos e seus pés; e isto fize- o importante princípio de que Deus
de reflexão, desenvolvi um profundo ram, adiantando-se um por um, até conhece e ama cada um de nós.
sentimento de gratidão por meus que todos viram com os próprios O Élder Neal A. Maxwell estava
antepassados pioneiros. Todos os olhos ( . . . )” (grifo do autor). indo para a cidade de Nova York
meus oito bisavôs e bisavós filiaram- Para ilustrar a natureza ‘um por a fim de tratar de negócios da Igreja,
se à Igreja como um de seus primeiros um’ do ministério do Salvador, e fomos informados de que ele

A L I A H O N A
36
também gostaria de realizar uma profundamente emocionado. Fiquei Na reunião, o élder Appiah fez
conferência de missão. Ficamos um pouco surpreso com sua reação, uma oração maravilhosa e ofereceu
muito felizes com a oportunidade e comecei a dizer-lhe que não have- sua humilde contribuição naquela
que teríamos de ouvir um dos servos ria problema e que ele não precisa- reunião em que o Élder Maxwell
escolhidos do Senhor. Foi-me pedi- ria orar, mas ele me disse que ensinou os missionários a respeito
do que escolhesse um de nossos mis- gostaria muito de orar e que sua dos atributos de Jesus Cristo.
sionários para fazer a primeira emoção se devia ao amor que sentia Todos os presentes jamais se esque-
oração da reunião. Eu poderia ter pelo Élder Maxwell. Ele contou-me ceram do amor que sentiram pelo
escolhido ao acaso um dos missioná- que aquele Apóstolo era alguém Salvador.
rios, mas senti que deveria ponderar muito especial para os santos de Irmãos e irmãs, tenho em meu
e escolher em espírito de oração Gana e para sua própria família. O coração um testemunho de que
aquele que o Senhor gostaria que eu Élder Maxwell tinha chamado seu Deus, nosso Pai Celestial, e Jesus
convidasse para orar. Passando os pai para o cargo de presidente de Cristo nos conhecem e nos amam
olhos pela lista de missionários, um distrito em Acra, e selado sua mãe e individualmente. Não compreendo
nome destacou-se entre os outros seu pai no templo de Salt Lake. Ele perfeitamente como isso acontece,
aos meus olhos: o élder Joseph disse que ficaria muito honrado em mas sei disso e já senti que isso, de
Appiah, de Acra, Gana. Senti que fazer a oração na conferência. fato acontece. Peço a todos que em
era ele que o Senhor desejava que Eu não sabia de nada do que aca- nosso próprio ministério, a nossa
orasse na reunião. bei de contar a respeito desse mis- família e a nosso próximo, que
Antes da conferência da missão, sionário ou de sua família, mas o aceitemos o caloroso convite do
eu estava realizando uma entrevista Senhor sabia, e inspirou um presi- Salvador de nos achegarmos a Ele,
rotineira com o élder Appiah e con- dente de missão em benefício de um por um, e de sermos aperfei-
tei-lhe a respeito da inspiração que ‘um’ missionário, de modo a propor- çoados Nele.
recebera do Senhor ao escolhê-lo cionar uma recordação para toda a Presto esse testemunho e expres-
para orar. Com assombro e humilda- vida e uma experiência que edifica- so essa esperança, em nome de Jesus
de no olhar, ele começou a chorar, ria seu testemunho. Cristo. Amém. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
37
que a sarça e todas as coisas na
Buscar o Espírito de Terra são sagradas”.4
Ao buscarmos o Espírito, nosso
estudo das escrituras torna-se mais
Deus reflexivo. Redescobrimos a virtude
de ler devagar. As escrituras foram
feitas mais para serem estudadas do
Élder Douglas L. Callister que, talvez, para serem lidas em voz
Dos Setenta alta. Brigham Young disse: “Tudo o
que eu preciso fazer é manter o espí-
rito, o sentimento e a consciência
como uma folha de papel em branco
e deixar que o Espírito e o poder de
Deus escrevam nela o que deseja-
“Ao tornarmo-nos mais próximos do Espírito Santo, nossa vida torna-se rem. Quando Ele escrever, eu o le-
mais purificada. As coisas sórdidas e sem valor moral não mais nos rei; mas se eu ler antes que Ele
atrairão.” escreva, é muito provável que eu
cometa um erro”.5
escreveu: “O Espírito de Deus, ao Como uma evidência do aumen-
falar ao espírito do homem, tem po- to de nossa espiritualidade, torna-
der para revelar a verdade. ( . . . ) mo-nos mais seletivos naquilo que
Por intermédio do Espírito Santo, a lemos. J. Reuben Clark disse:
verdade torna-se parte integrante “Minha regra, agora, é nunca ler na-
de nosso ser, de modo que não pode da que não seja digno de ser lembra-
ser esquecida”.2 do”. 6 Thomas Jefferson, terceiro
Ao sermos confirmados membros presidente norte-americano, sempre
da Igreja, temos a oportunidade de lia algo que elevasse o pensamento
alcançar essa investidura celestial. E antes de dormir, “para refletir quan-
isso deve tornar-se uma busca ime- do acordava no meio da noite”.7
diata, que perdure a vida toda. Outro fruto da maturidade espiri-
Ao tornarmo-nos mais próximos tual é a melhora na qualidade da
do Espírito Santo, nossa vida torna- oração. Há mais de trinta anos, o
se mais purificada. As coisas sórdidas Presidente Kimball chamou-me para
e sem valor moral não mais nos atrai- servir como presidente de estaca.
rão. A espiritualidade desenvolvida é No encerramento de um longo fim-
que irá afastar-nos do mundo secular. de-semana de conferência, pergun-
O homem cuja mente é centrada tei-lhe se tinha um conselho para

E xiste, na Itália, uma escultura


majestosa de Moisés com uma
rachadura num dos joelhos. O
guia turístico explicou que
Michelângelo, contemplando a
no espírito consegue enxergar a be-
leza do mundo ao seu redor.
Quando a Terra foi organizada, o
Senhor viu que “era bom”. Depois,
viu que era “muito bom”3 Nosso Pai
mim. Ele respondeu: “Ensine aos
santos dos últimos dias como orar.
Como povo, não podemos esquecer
o modo de comunicarmos com o
nosso Pai Celestial. Isso é tudo”. A
obra-prima, arremessou um cinzel Celestial alegra-Se quando também maioria dos ensinamentos profundos
na escultura e exclamou com des- paramos para olhar a beleza do nos- e importantes da Igreja é simples.
prezo: “Por que não fala?” so ambiente, coisa que faremos com Aqueles para quem a busca cons-
Diferentemente de uma pedra naturalidade quando nos tornarmos tante da companhia do Espírito
inanimada, a verdadeira Igreja de mais sensíveis espiritualmente. Santo é a coisa mais importante da
Jesus Cristo é cheia de vida. A voz, Nossa apreciação pela boa música, vida irão despertar na vida futura
o Espírito e o poder de Deus encon- literatura e arte sublime é freqüen- como gigantes espirituais, em con-
tram-se em nossos serviços de ado- temente um produto natural da ma- traste com a infantilidade de outros
ração, ou sempre que as ordenanças turidade do espírito. Numa alusão que viveram sem Deus neste mundo.
do santo sacerdócio são ministradas. poética à teofania de Moisés e da O Presidente Joseph F. Smith foi
Elias disse a Eliseu: “Pede-me o sarça ardente, Elizabeth Barrett uma pessoa de grande espiritualida-
que queres que te faça”. Eliseu disse: Browning, poetisa inglesa do século de. Um membro dos Doze disse a
“Peço-te que haja porção dobrada XIX, escreveu: “A Terra está cheia seu respeito: “Espiritualmente, ele
de teu espírito sobre mim”.1 Ele não de elementos celestiais e em toda foi o homem que mais demonstrava
poderia ter feito pedido maior. sarça comum arde a chama de Deus. princípios e sentimentos elevados,
O Élder Joseph Fielding Smith Mas apenas uns poucos reconhecem entre todos os que conheci. Visitei o

A L I A H O N A
38
É o conhecimento certo e seguro de
que estamos vencendo a batalha pela
alma. A sensualidade é o domínio da
vitória contra si mesmo.
Participei de uma aula da igreja
na qual o professor perguntava que
conselho daríamos aos nossos filhos
no momento final da vida.
Respondi: “Primeiro, cumpra os seus
convênios. Deus cumpre os Dele.
Será muito importante estar diante
de seu Pai nos Céus e dizer: ‘Estou
em casa. Estou limpo. Fiz tudo o que
prometi fazer’.
Segundo, busque o Espírito de
Deus. As escrituras nos exortam:
‘Não extingais o Espírito’. 12 “Não
entristeçais o Espírito Santo de
Deus.”13 Ele não virá ao coração e
mente impuros. Virá mansamente e
sem grandes manifestações. O ouvi-
do atento pode ouvir o suave farfa-
lhar de uma asa. Se não o ouvirmos,
ele se afastará.”
Testifico que a obra do Espírito é
real e encontra- se nesta Igreja.
Também testifico a respeito de
Cristo, o Redentor e da obra que Ele
instituiu nesta dispensação. Em no-
me de Jesus Cristo. Amém. 

NOTAS
1. II Reis 2:9
2. “The Sin against the Holy Ghost”,
Instructor outubro de 1935, p. 431.
3. Gênesis 1:4, 31.
4. Em John Bartlett, Favorite
Quotations, 11th ed. (1937) p. 431.
Tabernáculo onde o Presidente do Presidente Smith estava afinado 5. Deseret News Weekly, 19 de abril de
Smith abençoava os santos dos últi- com as melodias celestiais, ele podia 1871, p. 125.
mos dias. Ele os abençoou por vinte ouvi-las e efetivamente as ouvia”.9 6. Citado por Joseph L. Wirthlin no
minutos. Durante vinte minutos, O Presidente David O. McKay foi Relatório da Conferência Geral de abril de
não havia ninguém que não estives- outra pessoa que também desenvol- 1947, p. 85.
se chorando no Tabernáculo”.8 veu esse grande talento de espiritua- 7. The Best Letters of Thomas Jefferson
O bispo Charles W. Nibley disse, lidade, o que motivou o Élder (As Melhores Cartas de Thomas
no falecimento de Joseph F. Smith: Bryant S. Hinckley a escrever: Jefferson), org. J.G. de Roulhac Hamilton
“Nunca houve um homem mais dig- “David O. McKay fez muitas coisas (1926), p. 227.
no, casto e virtuoso em todos os as- boas e disse muitas coisas lindas, mas 8. Conversa pessoal com o Élder Le
pectos do que ele. Ele se opunha a ele é muito melhor do que qualquer Grand Richards em 1º de julho de 1978.
todas as formas ou pensamentos de coisa que tenha escrito ou feito”.10 9. Citado em Joseph F. Smith, Gospel
imoralidade e era firme como uma A grande batalha realizada em Doctrine, 5ª ed. (1939), pp. 522–525.
montanha.( . . . ) Como defensor da nossa existência pré-mortal foi uma 10. “Greatness in Men, David O.
retidão, ninguém se igualava a ele. luta pela alma individual. É a mesma McKay”, (‘A Grandiosidade dos Homens,
Foi o maior [orador] que já ouvi — batalha que empreendemos aqui, que — David O. McKay’) Improvement Era,
forte, vigoroso, claro, envolvente. é tornarmo-nos seres de suprema es- maio de 1932, p. 446.
Era maravilhoso o modo como pala- piritualidade. O Presidente McKay 11. Gospel Ideals (1953), p. 390.
vras de luz e de fogo vívidos saíam de disse: “A espiritualidade é a cons- 12. I Tessalonicenses 5:19.
sua boca. ( . . . ) Quando o “coração ciência da vitória sobre si mesmo”.11 13. Efésios 4:30.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
39
mas também minha posição e repu-
O Desafio de Tornar-se tação entre os homens. O que tenho
posso facilmente conceder-lhe, mas
o que sou você precisará adquirir
Élder Dallin H. Oaks por si mesmo. Você se tornará mere-
Do Quórum dos Doze Apóstolos cedor de sua herança aprendendo o
que aprendi e vivendo como vivi.
Vou ensinar-lhe as leis e princípios
que me levaram a obter sabedoria e
maturidade. Siga meu exemplo,
“Ao contrário das instituições do mundo, que nos ensinam a saber algo, o aprenda o que aprendi e você se tor-
evangelho de Jesus Cristo desafia-nos a tornarmo-nos algo.” nará o que sou e tudo o que possuo
será seu.”
eles serão imundos; e se forem imun- Essa parábola assemelha-se ao
dos, não poderão habitar o reino de padrão dos céus. O evangelho de
Deus”. (1 Néfi 15:33; grifo do autor.) Jesus Cristo promete a incomparável
Morôni declarou: “Aquele que é herança da vida eterna, a plenitude
imundo ainda será imundo; e aquele do Pai, e revela as leis e princípios
que é justo ainda será justo”. pelos quais poderemos alcançá-la.
(Mórmon 9:14; grifo do autor; ver Tornamo-nos dignos da vida eter-
também Apocalipse 22:11–12; 2 Néfi na por meio do processo da conver-
9:16; D&C 88:35.) O mesmo se apli- são. Conforme utilizada aqui, essa
caria a “egoísta” ou “desobediente” ou palavra de muitos sentidos significa
qualquer outra característica pessoal não só um convencimento, mas
que não esteja em harmonia com as uma profunda mudança de nature-
leis de Deus. Ao referir-se ao “estado” za. Jesus lançou mão dessa acepção
dos iníquos no juízo final, Alma expli- quando ensinou a Seu apóstolo pre-
cou que se formos condenados por sidente a diferença entre o testemu-
nossas palavras, obras e pensamentos, nho e a conversão. Jesus perguntou
“não seremos considerados sem man- a Seus discípulos: “Quem dizem os
cha ( . . . ) e nesse terrível estado não homens ser o Filho do homem?”
nos atreveremos a olhar para o nosso (Mateus 16:13) Em seguida, inda-

P aulo ensinou que os ensina-


mentos e mestres do Senhor fo-
ram concedidos para que
chegássemos à “medida da estatura
completa de Cristo”. (Efésios 4:13)
Deus”. (Alma 12:14)
À luz desses ensinamentos, con-
cluímos que o julgamento final não
é apenas um balanço do total de
atos bons e ruins, ou seja, do que fi-
gou: “E vós, quem dizeis que eu sou?
E Simão Pedro, respondendo, dis-
se: Tu és o Cristo, o Filho do Deus
vivo.
E Jesus, respondendo, disse-lhe:
Esse processo exige muito mais do que zemos. É a constatação do efeito fi- Bem-aventurado és tu, Simão
a aquisição de conhecimento. Não nal de nossos atos e pensamentos, Barjonas, porque to não revelou a
basta sequer que sejamos convencidos ou seja, do que nos tornamos. Não carne e o sangue, mas meu Pai, que
pelo evangelho, precisamos agir e basta fazer tudo mecanicamente. Os está nos céus”. (Mateus 16:15–17)
pensar de modo a sermos convertidos a mandamentos, ordenanças e convê- Pedro tinha um testemunho. Ele
ele. Ao contrário das instituições do nios do evangelho não são uma lista sabia que Jesus era o Cristo, o
mundo, que nos ensinam a saber algo, de depósitos que precisamos fazer Messias prometido, e declarou-o.
o evangelho de Jesus Cristo desafia- numa conta bancária celestial. O Testificar é saber e declarar.
nos a tornarmo-nos algo. evangelho de Jesus Cristo é um pla- Posteriormente, Jesus ensinou a
Em muitas passagens da Bíblia e no que nos mostra como podemos esses mesmos homens acerca da
das escrituras modernas, lemos so- tornar-nos o que nosso Pai Celestial conversão, que é muito mais do que
bre um julgamento final em que to- deseja que nos tornemos. um testemunho. Quando os discípu-
das as pessoas serão recompensadas Uma parábola ilustra esse princí- los perguntaram quem era o maior
de acordo com seus atos, obras ou pio. Um pai abastado sabia que, caso no reino dos céus, “Jesus, chamando
desejos do coração. Mas outras es- entregasse suas riquezas a um filho um menino, o pôs no meio deles,
crituras ampliam essa idéia e afir- que ainda não tivesse desenvolvido a E disse: Em verdade vos digo que,
mam que seremos julgados pela sabedoria e maturidade necessárias, se não vos converterdes e não vos fi-
condição que tivermos alcançado. era bem provável que a herança seria zerdes como meninos, de modo al-
O profeta Néfi descreveu o juízo fi- desperdiçada. Esse pai disse ao filho: gum entrareis no reino dos céus.
nal com base no que nos tornamos: “E “Tudo o que possuo eu desejo Portanto, aquele que se tornar
se suas obras tiverem sido imundas, dar-lhe — e não só minha riqueza, humilde como este menino, esse é o

A L I A H O N A
40
maior no reino dos céus”. (Mateus
18:2–4; grifo do autor)
Algum tempo depois, o Salvador
confirmou a importância da conver-
são, mesmo para quem já possuía
um testemunho da verdade. Nas su-
blimes instruções concedidas na úl-
tima ceia, Ele disse a Simão Pedro:
“Mas eu roguei por ti, para que a tua
fé não desfaleça; e tu, quando te
converteres, confirma teus irmãos”.
(Lucas 22:32)
A fim de confirmar e fortalecer
seus irmãos — nutrir e conduzir o
rebanho de Deus — esse homem
que seguira Jesus durante três anos,
que recebera a autoridade do santo
apostolado, que fora um professor e
testificador destemido do evangelho
de Cristo e cujo testemunho fizera
com que o Mestre o chamasse de
bem-aventurado, ainda precisava
“converter-se”.
O desafio lançado por Jesus mos-
tra que a conversão que Ele exige dos
que vão entrar no reino dos céus (ver
Mateus 18:3) envolve muito mais do
que simplesmente se converter a tes-
tificar da veracidade do evangelho.
Testificar é saber e declarar. O evan- referiu-Se ao que eles deveriam tor- em nossos chamados na Igreja, que
gelho desafia-nos a “convertermo- nar-se. Desafiou-os a arrependerem- ocorrerá a parte mais importante
nos”, o que exige que façamos e nos se e serem batizados e santificados desse desenvolvimento. A conver-
tornemos algo. Se algum de nós con- pelo recebimento do Espírito Santo, são que precisamos alcançar exige
fiar somente no próprio conhecimen- “para [comparecerem] sem mancha que sejamos um bom marido e pai
to e testemunho do evangelho, perante [Ele] no último dia”. (3 Néfi ou uma boa esposa e mãe. Não basta
estará na mesma posição que os 27:20) E concluiu: “Portanto, que ser um líder bem-sucedido na Igreja.
Apóstolos a quem Jesus desafiou que tipo de homens devereis ser? Em A exaltação é uma experiência fa-
fossem “convertidos”. Todos conhe- verdade vos digo que devereis ser miliar eterna e são nossas experiên-
cemos alguém que possui um forte como eu sou”. (3 Néfi 27:27) cias familiares mortais que melhor
testemunho, mas não o vive na práti- O evangelho de Jesus Cristo é o nos prepararão para isso.
ca a ponto de converter- se. Por plano pelo qual podemos tornar-nos O Apóstolo João fez menção ao
exemplo, ex-missionários, vocês ain- o que os filhos de Deus devem tor- que somos desafiados a tornar-nos
da estão empenhando-se para con- nar-se. Esse estado imaculado e per- quando declarou: “Amados, agora
verterem- se ou estão deixando feito virá como conseqüência de uma somos filhos de Deus, e ainda não é
levar-se pelas coisas do mundo? sucessão constante de convênios, or- manifestado o que havemos de ser.
A conversão necessária ao evan- denanças e obras, um acúmulo de es- Mas sabemos que, quando ele se
gelho inicia-se com a experiência colhas corretas e o arrependimento manifestar, seremos semelhantes a
introdutória que as escrituras cha- contínuo. “Esta vida é o tempo para ele; porque assim como é o vere-
mam de “nascer de novo”. (Ver os homens prepararem-se para en- mos”. (I João 3:2; ver também
Mosias 27:25; Alma 5:49; João 3:7; contrar Deus.” (Alma 34:32) Morôni 7:48.)
I Pedro 1:23.) Ao entrarmos nas Agora é o momento para cada Espero que a importância de os
águas do batismo e recebermos o um de nós empenhar-se para alcan- membros converterem-se e torna-
dom do Espírito Santo, tornamo-nos çar a conversão pessoal, para que rem-se algo faça com que os líderes
“filhos e filhas” espirituais de Jesus nos tornemos o que nosso Pai locais reduzam sua preocupação
Cristo, “novas criaturas” que podem Celestial deseja que nos tornemos. com ações baseadas em meras esta-
“herdar o reino de Deus”. (Mosias Ao procedermos assim, devemos re- tísticas e dêem mais atenção ao que
27:25–26) cordar que é em nossos relaciona- nossos irmãos e irmãs são e o que
Ao ensinar os nefitas, o Salvador mentos familiares, ainda mais que estão empenhados em tornarem-se.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
41
As tão necessárias conversões podem ajudar-nos a ser o que Deus parábola dos trabalhadores da vi-
costumam alcançar-se com mais ra- deseja que nos tornemos. nha, contada pelo Salvador para ex-
pidez por meio do sofrimento e da Temos o desafio de passar por plicar a respeito do reino dos céus.
adversidade do que pelo conforto e um processo de conversão até che- Como vocês devem estar lembrados,
a tranqüilidade. Leí prometeu a seu garmos à situação e condição cha- o proprietário da vinha contratou
filho Jacó que Deus “[consagraria mada de vida eterna. Consegue-se trabalhadores em momentos dife-
suas] aflições para [seu] benefício”. isso não só fazendo o que é certo, rentes do dia. Mandou alguns à vi-
(2 Néfi 2:2) O Profeta Joseph rece- mas fazendo-o pelo motivo correto nha de manhã bem cedo, outros na
beu a seguinte promessa: “Tua ad- — o puro amor de Cristo. O hora terceira e outros na hora sexta
versidade e tuas aflições não Apóstolo Paulo deu um exemplo e nona. Por fim, na undécima hora,
durarão mais que um momento; e disso em seu famoso ensinamento enviou outros à vinha, prometendo
então, se as suportares bem, Deus te sobre a importância da “caridade”. que também lhes pagaria “o que
exaltará no alto”. (D&C 121:7–8) (Ver I Coríntios 13.) O motivo pelo [fosse] justo”. (Mateus 20:7)
A maioria de nós passa, em maior qual a caridade nunca falha e pelo Ao fim do dia, o dono da vinha
ou menor grau, pelo que as escritu- qual ela é maior do que até mesmo deu o mesmo salário a todos os traba-
ras chamam de “fornalha da aflição”. os maiores atos de bondade citados lhadores, mesmo àqueles que come-
(Isaías 48:10; 1 Néfi 20:10) Alguns por ele é que a caridade, “o puro çaram na undécima hora. Quando os
se dedicam integralmente aos cuida- amor de Cristo” (Morôni 7:47), que haviam trabalhado o dia inteiro
dos de um familiar com problemas não é um ato, mas uma condição ou viram isso, “[murmuraram] contra o
sérios de saúde. Outros enfrentam a estado. Alcança-se a caridade por pai de família”. (Mateus 20:11) Ele
morte de um ente querido ou a per- meio de uma sucessão de atos que não cedeu, mas simplesmente ressal-
da ou adiamento de uma meta digna resultam na conversão. Precisamos tou que não lesara ninguém, pois pa-
como o casamento ou a chegada de tornar-nos caridosos. Assim, Morôni gara a cada homem a quantia
filhos. Há ainda quem precise lidar afirmou: “A não ser que os homens estipulada inicialmente.
com deficiências pessoais ou senti- tenham caridade, não poderão her- Assim como as demais, essa pará-
mentos de rejeição, inadequação ou dar” o lugar preparado para eles bola pode ensinar vários princípios
depressão. Por meio da justiça e mi- nas mansões do Pai. (Éter 12:34; diferentes e valiosos. Delimitando
sericórdia do amoroso Pai Celestial, grifo do autor) para nossos objetivos de hoje, a li-
o refinamento e a santificação possí- Tudo isso nos ajuda a compreen- ção que podemos tirar é que a re-
veis por meio de tais experiências der um importante significado da compensa do Mestre no Juízo Final
não estará condicionada à quantida-
O Centro de Conferências (em primeiro plano) tem vista para o Templo de de de tempo que tivermos passado
Salt Lake, o Tabernáculo (à direita do templo) e os altos prédios do centro na vinha. Não alcançaremos nossa
de Salt Lake City. recompensa eterna com base num
cartão de ponto espiritual. O que é
essencial é que nosso trabalho na vi-
nha do Senhor tenha feito com que
nos tornemos algo. Para alguns de
nós, isso demanda mais tempo do
que para outros. O que importará
no final é o que nos tivermos torna-
do devido a nosso empenho. Muitos
dos que vêm na undécima hora fo-
ram refinados e preparados pelo
Senhor de outras formas que não o
trabalho formal na vinha. Esses tra-
balhadores são como o pó de bolo
em que basta “acrescentar água” —
no caso, a ordenança aperfeiçoadora
do batismo e o dom do Espírito
Santo. Com esse acréscimo, mesmo
na undécima hora, essas pessoas es-
tarão no mesmo estado de desenvol-
vimento e dignos de receber o
mesmo galardão de quem trabalhou
mais tempo na vinha.
Essa parábola ensina-nos que
devemos sempre ter esperança e

A L I A H O N A
42
manter relacionamentos de amor
com os familiares e amigos cujas ex-
celentes qualidades (ver Morôni
7:5–14) evidenciem seu progresso ru-
As tentações e seduções
mo ao que o Pai amoroso deseja que
eles se tornem. Da mesma forma, o
poder da Expiação e o princípio do
do mundo
arrependimento mostram que nunca Élder Neal A. Maxwell
devemos perder as esperanças pelas Do Quórum dos Doze Apóstolos
pessoas amadas que parecem no mo-
mento estar fazendo muitas escolhas
erradas.
Em vez de julgarmos os outros,
devemos preocupar-nos com nós
mesmos. Não devemos perder as es- “Há muitas pessoas que estão envolvidas com os cuidados do mundo,
peranças. Não devemos deixar de sem estarem obrigatoriamente em transgressão. Contudo, certamente
empenhar-nos. Somos filhos de Deus estão distraídas e, portanto, ‘[desperdiçam] os dias de sua provação.”
e é possível que nos tornemos o que (2 Néfi 9:27)
nosso Pai Celestial deseja que nos
tornemos. Os privilégios do discipulado, po-
Como podemos medir nosso pro- rém, são de tal natureza que se virmos
gresso? As escrituras sugerem várias uma limusine encostando no meio-fio,
maneiras. Vou mencionar apenas sabemos que não veio nos buscar. O
duas. plano de Deus não é um plano de pra-
Depois do grandioso discurso do zer. Ele é o “plano de felicidade”.
rei Benjamim, muitos dos ouvintes As tentações e seduções do mun-
clamaram: “o Espírito do Senhor do são muito vigorosas. Os estilos de
( . . . ) efetuou em nós, ou melhor, vida do mundo são astutamente re-
em nosso coração, uma vigorosa forçados pela justificativa de que
mudança, de modo que não temos “todo mundo está fazendo isso”,
mais disposição para praticar o mal, conseguindo assim aliciar ou enga-
mas, sim, de fazer o bem continua- nar a maioria. Os produtos são pro-
mente”. (Mosias 5:2) Se estivermos movidos e atitudes são criadas por
perdendo o desejo de praticar o hábeis técnicas de marketing.
mal, estamos avançando rumo à Pedro aconselhou: “( . . . ) De
nossa meta celestial. quem alguém é vencido, do tal faz-
O Apóstolo Paulo afirmou que as se também servo”. (II Pedro 2:19)
pessoas que receberam o Espírito de Irmãos e irmãs, existe um número
Deus “[têm] a mente de Cristo”.
(I Coríntios 2:16) A meu ver, isso
quer dizer que as pessoas que estão
progredindo rumo à conversão ne-
cessária estão começando a ver as
P ara os que realmente crêem,
as tentações e seduções do
mundo, inclusive os seus pra-
zeres, poder, honra, dinheiro e
preeminência, sempre existiram.
imenso de prisões personalizadas!
Os escarnecedores exibem a atitu-
de desdenhosa predita por Pedro:
“Onde está a promessa da ( . . . ) vin-
da [de Cristo]? Porque ( . . . ) todas
coisas como nosso Pai Celestial e Atualmente, porém, muitos siste- as coisas permanecem como desde o
Seu Filho Jesus Cristo, as vêem. mas de proteção que já foram úteis princípio da criação”. (II Pedro 3:4)
Estão ouvindo a voz Dele em vez da no passado estão deturpados ou Essa atitude cínica confunde os su-
voz do mundo e fazendo as coisas à inutilizados. Além disso, as coisas cessivos elencos que se apresentam
maneira Dele, em vez da do mundo. nocivas do mundo são vendidas no palco da mortalidade com a au-
Presto testemunho de Jesus com tecnologia muito penetrante e sência de um diretor ou de roteiro.
Cristo, nosso Salvador e Redentor, a promovidas por uma enxurrada de Tal como um peixinho dentro de
quem pertence esta Igreja. Testifico propagandas da mídia, tendo a ca- um aquário, alguns não se dão conta
com gratidão do Plano do Pai por pacidade de atingir quase todos os daquele que lhes troca a água e for-
meio do qual, pela Ressurreição e lares e vilarejos. Tudo isso enquan- nece ração. (Ver Jacó 4:13–14.) Ou
Expiação de nosso Salvador, temos a to muitos que já estão totalmente como uma criança no jardim de in-
certeza da imortalidade e da oportu- fora de sintonia com as coisas espi- fância, cujos pais parecem ter-se
nidade de tornarmo-nos o que for rituais dizem: “Rico sou, e estou atrasado um pouco para apanhá-la,
necessário para a vida eterna. Em enriquecido, e de nada tenho falta”. conclue solenemente: “O homem
nome de Jesus Cristo. Amém.  (Apocalipse 3:17) está sozinho no universo”.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
43
família. Aqueles que fogem da famí-
lia fogem do mundo; sem a afeição, o
ensino e os desafios [proporcionados
pela família], estarão despreparados
para as provações, julgamentos e exi-
gências [do mundo].” (The Moral
Sense, [1993], p. 163.)
É irônico notar que alguns saem
em busca de “uma terra longínqua”
(Lucas 15:13), deixando a nutritiva
horta da família, na qual talvez haja
umas poucas ervas daninhas, em tro-
ca de um deserto de arbustos secos.
A retidão, a adoração, a oração e
o estudo das escrituras pessoais são
essenciais para que nos “[despoje-
mos] do homem natural”. (Mosias
3:19) Tenham cautela, portanto,
quando alguns exigirem tolerância
pública para todas as suas indulgên-
cias particulares!
Quer sejamos jovens ou idosos,
precisamos ser bons amigos, mas
O órgão do Centro de Conferências forma um imponente pano de fundo também precisamos escolher cuida-
para os líderes da Igreja e o coro do Centro de Treinamento Missionário dosamente as nossas amizades. Se
durante a sessão da tarde de sábado. escolhermos o Senhor em primeiro
lugar, a escolha dos amigos se torna-
Sem dúvida existem algumas pes- Não obstante, quando alguns desses rá mais fácil e mais segura. Pensem
soas que desejam sinceramente ter estiverem preparados, até eles preci- no contraste existente entre as ami-
mais poder a fim de fazerem o bem, sarão de ajuda. (Ver Hebreus 12:12; zades feitas na cidade de Enoque e
mas poucos indivíduos são suficien- D&C 81:5.) nas cidades de Sodoma e Gomorra!
temente bons para serem poderosos. Portanto, embora reconheçamos Os cidadãos da cidade de Enoque
Mas a ânsia pelo poder e fama con- a importância de se elogiar e louvar escolheram Jesus e Seu modo de vi-
some todo o oxigênio espiritual, fa- os feitos dignos de nota, não pode- da, tornando-se amigos eternos.
zendo com que alguns tenham mos nos esquecer das palavras de Muito depende de quem e do que
“perdido todo o sentimento”. (Ver Jesus a respeito daqueles que rece- escolhemos em primeiro lugar.
Efésios 4:19; 1 Néfi 17:45; Morôni bem honras mortais: “Já receberam Podemos imitar os reflexos espiri-
9:20.) Por estranho que pareça, em- o seu galardão”. (Mateus 6:2, 5) tuais de José do Egito: Quando foi
bora dessensibilizados, alguns ainda Há uma razão para tal efemeridade tentado, “ele ( . . . ) fugiu” (Gênesis
são capazes de perceber o clique de irmãos e irmãs: Aqueles que conce- 39:12), demonstrando coragem e
uma câmera de TV a mais de cem dem as transitórias honras do mundo também uma boa forma física!
metros. Toda essa agitação em busca são, eles próprios, efêmeros. Não po- Tanto os jovens quanto os adultos
das posições de poder na mortalida- dem conferir algo que seja duradouro precisam fugir de circunstâncias e si-
de não nos lembra aquele jogo in- porque não o possuem! Alguns, sen- tuações perigosas.
fantil das cadeiras? tindo isso e tendo uma visão limitada, Não são muitos os filhos pródigos
Na verdade, o discipulado pode desejam receber tudo agora! que retornam, mas de tempo em
afastar de nós as honras do mundo. Todos esses lamentos levam-nos a tempo, alguns voltam de “uma terra
Como Balaque disse a Balaão: “Eu várias sugestões específicas. longínqua”. (Lucas 15:13) É claro
tinha dito que te honraria grande- Para começar, nada combate me- que é melhor nos tornarmos humil-
mente; mas eis que o Senhor te pri- lhor esse problema do que recorrer- des “por causa da palavra” em vez de
vou desta honra”. (Números 24:11) mos, mais do que o fazemos, aos sermos compelidos pelas circunstân-
De qualquer forma, o reconheci- dons do Espírito Santo! cias, embora isso também seja acei-
mento é uma flor que murcha muito Honremos também o papel de tável! (Ver Alma 32:13–14.) A fome
rapidamente. Estremecemos ao ver destaque da família. Conforme es- pode induzir-nos à sede espiritual.
aqueles que anteriomente tinham si- creveu James Q. Wilson: Tal como o filho pródigo, tam-
do lisonjeados pelo mundo, como “Aprendemos a lidar com as pes- bém podemos ir parar em “uma ter-
Judas, serem usados, desprezados e soas do mundo porque aprendemos ra longínqua”, mesmo que ela não
descartados. (Ver D&C 121:20) a lidar com os membros de nossa seja mais afastada que um vil con-

A L I A H O N A
44
certo de rock. A distância até “uma “vivem sem Deus no mundo” (Alma Sei que eu sou propenso a vagar sem
terra longínqua” não é medida em 41:11), com as portas e os portões rumo, Senhor;
quilômetros, mas em quão distantes trancados pelo lado de dentro. Propenso a abandonar o Deus a
nosso coração e mente estão de Lembrem-se, porém, irmãos e ir- quem amo;
Jesus! (Ver Mosias 5:13.) A fidelida- mãs, de que as pessoas muito volta- Aqui está meu coração, ó, tome-o e
de, e não a geografia, é que determi- das para si mesmas inevitavelmente guarde-o;
na a distância! irão desapontar as outras! Guarde-o para as cortes celestes.
Mesmo com todas as grandes Adotemos a atitude recomenda- (“Come, Thou Fount of Every
tentações e seduções do mundo, os da pelo Presidente Brigham Young: Blessing”, Hymns [1948], nº 70]
sentimentos espirituais podem vir a “( . . . ) Digam aos campos, ( . . . )
alojar-se em nosso coração. Podem rebanhos, ( . . . ) gado, ( . . . ) ouro, Algo que nos auxilia a resistir às
surgir dúvidas sobre as dúvidas. As ( . . . ) prata, ( . . . ) bens e perten- tentações e seduções do mundo é
soluções fáceis não preenchem de ces, ( . . . ) edifícios, ( . . . ) proprie- saber que, embora imperfeitos, o ru-
verdade o vazio e o tédio do mate- dades e a todo o mundo: Dêem-me mo que estamos seguindo na vida é,
rialismo. licença e saiam da minha mente, de modo geral, aceitável ao Senhor.
Além disso, alguns que diligente- pois estou indo adorar o Senhor”. (Ver Lectures on Faith, [1985],
mente escalam as alturas deste (Deseret News, 5 de janeiro de 1854, p. 67.) Com suficiente dedicação,
mundo, podem descobrir, no final, p. 2) Existem muitas maneiras de se podemos vir a sentir essa tranqüila
que estão sentados no alto de um dizer ao mundo: “Dá licença”. segurança!
montinho de areia, embora tenham O marido e a mulher podem “ar- A confirmação de nosso valor pro-
precisado trabalhar arduamente pa- razoar juntos” periodicamente, fa- vém, na realidade, de nosso conheci-
ra chegarem até lá! zendo um “balanço” de sua vida. mento de quem somos e não apenas
Por que, afinal de contas, have- Talvez seja necessário fazer algumas de o que fazemos. As palavras inquiri-
ríamos de cobiçar as riquezas, se só pequenas correções. Além do mais, doras do Senhor permanecem: “Que
“[despendemos] dinheiro naquilo essas conversas podem ser muito tipo de homens devereis ser? ( . . . )
que não tem valor ( . . . ) e que não mais preciosas do que imaginamos. Em verdade vos digo que devereis ser
pode satisfazer”? (2 Néfi 9:51) É uma pena que tantos casais este- como eu sou”. (3 Néfi 27:27, ver tam-
Tal como Jesus, podemos decidir, jam por demais atarefados para isso. bém Mateus 5:48; 3 Néfi 12:48.)
diariamente ou num instante, não Os momentos são as moléculas É óbvio que agir de modo digno
dar atenção à tentação. (Ver D&C que compõem a eternidade! Há al- certamente melhora nosso caráter e
20:22.) Podemos reagir à irritação guns anos, o Presidente Hinckley nossa capacidade, mas as circuns-
com um sorriso em vez de uma car- aconselhou: “Não são os grandes tâncias e as oportunidades diferem
ranca, ou com um elogio caloroso acontecimentos, mas, sim, as deci- muito na mortalidade. Mesmo em
em vez de uma gélida indiferença. sões do dia-a-dia que determinam meio a essas diferenças, porém, ain-
Se formos compreensivos em vez de o curso de nossa vida. ( . . . ) A vi- da podemos tornar-nos semelhantes
rudes, as outras pessoas, por sua vez, da é, na verdade, a soma total de a Cristo em nossa capacidade de ser
talvez decidam prosseguir por mais nossas decisões aparentemente in- mais amorosos, humildes, pacientes
algum tempo, em vez de desistir. O significantes e nossa capacidade de e submissos.
amor, a paciência e a mansidão po- viver de acordo com elas”. Se prestarmos mais atenção em
dem ser tão contagiosos quanto a (“Caesar, Circus, or Christ?”, quem somos em vez de exclusiva-
grosseria e a rudeza. Discursos do Ano da Universidade mente no que fazemos, seremos en-
Podemos permitir que haja uma Brigham Young, [26 de outubro de tão a mesma pessoa, tanto na vida
redentora turbulência, tanto indivi- 1965], p. 3) pública quanto na particular, um
dual quanto geral. (Ver 2 Néfi Misericordiosamente, nossos er- homem ou uma mulher de Cristo.
28:19.) Um coração muito ligado às ros podem ser completamente apa- Nosso valor intrínseco, de qualquer
coisas do mundo talvez precise ser gados por nosso insistente forma, não depende do louvor mor-
quebrantado. (Ver D&C 121:35.) A arrependimento, tendo fé para ten- tal. Na verdade, o mundo talvez nos
mente atarefada que seja “estranha tar de novo, seja em uma tarefa ou considere “fracos e tolos”. (Ver I
a Ele” pode ser sacudida por uma em um relacionamento. Essa insis- Coríntios 1:27.) Em oposição a isso,
advertência. (Ver Mosias 5:13.) tência é realmente uma afirmação temos esta afirmação divina: “O
Há muitas pessoas que estão en- de nossa verdadeira identidade! Os mesmo Espírito testifica com o nos-
volvidas com os cuidados do mun- filhos e filhas espirituais de Deus so espírito que somos filhos de
do, sem estarem obrigatoriamente não precisam ficar permanentemen- Deus”. (Romanos 8:16)
em transgressão. Contudo, certa- te abatidos, se forem elevados pela Deus está infinitamente mais in-
mente estão distraídas e, portanto, Expiação de Jesus. A Expiação infi- teressado em que tenhamos um lu-
“[desperdiçam] os dias de sua pro- nita de Cristo se aplica, portanto, a gar em Seu reino do que com nossa
vação”. (2 Néfi 9:27) Ainda assim, nossos fracassos mortais! Por isso é posição em um quadro empresarial.
há aqueles que orgulhosamente que o hino diz: Talvez nos preocupemos com nossa

J A N E I R O D E 2 0 0 1
45
esfera de influência, mas Ele está Sessão do Sacerdócio
mais preocupado com nossa capaci- 7 de outubro de 2000
dade de autocontrole. O Pai deseja
que retornemos à Sua presença le-
vando conosco o nosso verdadeiro
currículo: nós mesmos!
“Santificai-vos”
Mesmo assim, freqüentemente Élder Jeffrey R. Holland
ainda aparecem invejas mortais com Do Quórum do Doze Apóstolos
respeito ao dinheiro, à influência, à
ofensa ou o “manto” e o “bezerro ce-
vado” dados a outras pessoas. (Ver
Lucas 15:22–23.)
A verdadeira posse acontece
quando sabemos quem somos e a “A admoestação a todas as épocas — e principalmente à nossa — é a
Quem pertencemos! Lembram-se da feita por Josué: ‘Santificai-vos, porque amanhã fará o Senhor maravilhas
letra de uma famosa música de Um no meio de vós.’”
Violinista no Telhado, que falava a res-
peito de Anatevka? Ali, “todos sa- que tinham que realizar um milagre
biam quem ele era e o que Deus na época deles. Àqueles que precisa-
esperava que ele fizesse”. (Joseph vam concluir a tarefa mais prodigio-
Stein, Um Violinista no Telhado, sa da antiga Israel — reconquistar e
1964, p. 3; grifo do autor) Poderia retomar sua antiga terra da promis-
também ser acrescentado: “E quem são — Josué disse: “Santificai-vos,
Deus espera que ele seja”. porque amanhã fará o Senhor mara-
Sim, somos livres para escolher os vilhas no meio de vós”.1
privilégios mortais transitórios. No Gostaria de contar-lhes uma his-
entanto, está para vir o grande mo- tória que mostra a forma rápida e
mento em que todo joelho se dobra- inesperada pela qual os amanhãs po-
rá e toda língua confessará que Jesus dem chegar e, em alguns casos, co-
é o Cristo! (Mosias 27:31; D&C mo pode ser exíguo o tempo que
88:104) As galerias e os tronos mor- vocês terão para uma preparação
tais estarão, então, vazios. Até o apressada e atrasada.
grande e espaçoso edifício cairá, e Numa tarde de quarta-feira, em
quão grande será a sua queda! (Ver 30 de setembro de 1998 (fez dois
1 Néfi 8:26–28.) Nessa ocasião, até anos semana passada), uma equipe
aqueles que viveram sem Deus no de futebol americano infanto-juve-
mundo também confessarão que
Deus é Deus! (Ver Mosias 27:31.)
Enquanto isso, Seu caráter e atribu-
tos devem inspirar nossa adoração e
incentivar-nos a imitá-los.
I rmãos, eu amo e reverencio o sa-
cerdócio de Deus e sinto -me
muito honrado por poder estar
aqui com vocês, portadores desse sa-
cerdócio. Minha mensagem hoje à
nil de Inkom, Idaho, estava em cam-
po para seu treino semanal. Eles
haviam terminado o aquecimento e
estavam começando a simular um
jogo. Nuvens escuras começaram a
Não é maravilhoso, irmãos e ir- noite é direcionada para todos nós, aglomerar-se, como costuma acon-
mãs, que Deus, que conhece todas as seja qual for nossa idade ou o núme- tecer nesta época do ano, e come-
coisas, despenda Seu tempo ouvin- ro de anos de serviço, mas eu gosta- çou a chuviscar, mas isso não foi
do nossas orações? Comparado a ria de falar especialmente aos motivo de preocupação para um
esse fato de proporções cósmicas, o diáconos, mestres e sacerdotes do grupo de meninos que adorava jogar
que o mundo tem realmente a nos Sacerdócio Aarônico e aos jovens futebol americano.
oferecer? Uma salva de palmas, um élderes recém- ordenados do De repente, sem nenhum indício
fugaz momento de adulação ou um Sacerdócio de Melquisedeque — anterior, ouviu-se o som ensurdece-
olhar de aprovação de um César vocês da nova geração, vocês que dor de um trovão ao mesmo tempo
morto? precisam estar prontos para usar o em que se viu um relâmpago que
Que o Senhor nos abençoe para sacerdócio, freqüentemente em oca- iluminou e literalmente eletrificou
vermos as coisas como realmente são siões e maneiras inesperadas. todo o local.
e como realmente serão (ver Jacó Nesse espírito, meu convite a vo- Naquele mesmo instante, um jo-
4:13; D&C 93:24). Glorifiquemos, cês hoje à noite assemelha-se ao que vem amigo meu, A. J. Edwards, diá-
honremos e louvemos a Deus, que é Josué fez a uma geração passada de cono na Ala Portneuf, Estaca
o que faço neste instante, no santo portadores do sacerdócio, tanto ra- McCammon Idaho, estava pronto
nome de Jesus Cristo. Amém.  pazes como homens de mais idade, para receber a bola e marcar um

A L I A H O N A
46
missão que logo chegaria, o jovem
Bryce Reynolds fora ordenado élder
39 dias antes.
Quer tenha proferido as palavras
de maneira audível ou apenas as
sussurrado, o Élder Reynolds disse:
“A. J. Edwards, em nome de Jesus
Cristo e pelo poder e autoridade do
Sacerdócio de Melquisedeque de
que sou portador, abençôo-o para
que fique bom. Em nome de Jesus
Cristo. Amém”. Ao fim daquela
bênção curta, porém fervorosa, pro-
ferida na linguagem de um rapaz de
dezoito anos, A. J. Edwards voltou a
respirar.
As inúmeras orações, milagres e
outras bênçãos do sacerdócio de toda
a experiência — incluindo a viagem
apressada para Pocatello numa am-
bulância e o vôo de helicóptero,
quando A. J. já estava desenganado,
para o Centro de Queimaduras da
Universidade de Utah
— a família Edwards poderá rela-
tar tudo isso em outra oportunidade.
Hoje, basta-nos dizer que A. J.
Edwards, saudável e forte, está aqui
Os membros da Igreja, integrantes do Coro do Tabernáculo, elevam a assistindo à conferência como meu
voz em adoração. convidado especial. Eu também falei
por telefone com o élder Bryce
ponto no treino. Mas o raio que ilu- primeiros socorros e iniciaram uma Reynolds, que está servindo fiel-
minara o céu e a Terra atingiu em tentativa desesperada de realizar a mente na Missão Dallas Texas há
cheio A. J. Edwards, do alto do seu ressuscitação cardiopulmonar. um ano e cinco meses. Eu gosto
capacete de futebol americano até a Segurando a cabeça de A. J. en- muito desses dois rapazes excepcio-
sola dos sapatos. quanto os dois faziam os procedi- nais.
O impacto foi sentido fortemente mentos estava o treinador assistente Mas saibam, meus jovens amigos
por todos os jogadores. Alguns foram da equipe, Bryce Reynolds, de dezoi- tanto do Sacerdócio Aarônico como
arremessados ao chão, um jovem fi- to anos, membro da Ala Mountain do de Melquisedeque, que nem to-
cou temporariamente sem enxergar e View, Estaca McCammon Idaho. Ao das as orações são respondidas de
praticamente todos saíram tontos e observar o irmão Johnson e o irmão modo tão imediato e que nem todas
tremendo. Instintivamente, saíram Shaffer aplicando com urgência a as declarações dos portadores do sa-
em disparada em direção à passarela ressuscitação cardiopulmonar, ele cerdócio têm o poder de devolver
de concreto que ficava ao lado do recebeu uma inspiração. Estou con- ou prolongar a vida. Às vezes, a
parque. Alguns dos rapazes começa- fiante de que verdadeiramente foi vontade do Senhor é outra, mas vo-
ram a chorar. Muitos se ajoelharam e uma revelação do céu. Ele lembrou- cês que são jovens aprenderão, caso
começaram a orar. Enquanto isso, se claramente de uma bênção do sa- ainda não tenham aprendido, que
A. J. Edwards continuava deitado cerdócio que o bispo conferira a seu em momentos assustadores e mesmo
inerte no campo. avô após um acidente igualmente ameaçadores, sua fé e seu sacerdó-
O irmão David Johnson da Ala trágico e com risco de vida ocorrido cio exigirão o melhor de vocês e o
Rapid Creek, Estaca McCammon um ano antes. Agora, ao segurar melhor que vocês puderem invocar
Idaho, correu para a área dos joga- aquele jovem diácono nos braços, dos céus. Vocês, jovens portadores
dores. Gritou para o treinador Rex ele percebeu pela primeira vez na vi- do Sacerdócio Aarônico, não exer-
Shaffer (que pertencia à mesma da que precisava usar o Sacerdócio cerão o sacerdócio exatamente da
ala): “Não estou sentindo o pulso de Melquisedeque, que acabara de mesma forma que um élder ordena-
dele. Ele sofreu uma parada cardía- receber, de modo semelhante. Como do exerce o Sacerdócio de
ca”. Miraculosamente, ambos ha- preparação para seu aniversário de Melquisedeque, mas todos os porta-
viam recebido treinamento de dezenove anos e o chamado para a dores do sacerdócio devem ser

J A N E I R O D E 2 0 0 1
47
instrumentos nas mãos de Deus e, Paulo prosseguiu: “Se alguém se pu- dos valores morais e da pureza pes-
para que isso seja possível, vocês de- rificar da [indignidade], será vaso soal dos jovens.
vem seguir a admoestação de Josué: ( . . . ) santificado e idôneo para uso Irmãos, parte do alerta que quero
“Santificai-vos”. Precisam estar do Senhor, e preparado para toda a fazer é que isso só tende a piorar.
prontos e dignos para agir. boa obra. [Portanto], foge das pai- Parece que a porta para a permissivi-
É por isso que o Senhor disse tan- xões da mocidade, ( . . . ) segue a dade, lascívia, vulgaridade e obsceni-
tas vezes nas escrituras: “Purificai- justiça, ( . . . ) com um coração pu- dade só se abre para um lado. E só
vos, vós que levais os vasos do ro, [invoca] o Senhor”.4 tende a escancarar-se cada vez mais,
Senhor”.2 Deixem-me explicar o que Em ambos os relatos bíblicos, a nunca volta a cerrar-se. As pessoas
significa “levar os vasos do Senhor”. mensagem é que, como portadores podem optar por fechá-la individual-
Na antigüidade, havia pelo menos do sacerdócio, não devemos apenas mente, mas está comprovado histori-
dois significados, ambos relaciona- levar vasos e emblemas sagrados do camente que nem a vontade do povo
dos ao trabalho do sacerdócio. poder de Deus — como preparar, nem as medidas governamentais o fa-
O primeiro refere-se à retomada e abençoar e distribuir o sacramento, rão. Não, no campo dos valores mo-
devolução à Jerusalém de vários ob- por exemplo — mas devemos tam- rais, o único controle verdadeiro
jetos do templo que haviam sido le- bém ser um instrumento santificado. existente é o autodomínio.
vados para a Babilônia pelo rei Em parte devido ao que devemos fa- Se vocês estiverem tendo dificul-
Nabucodonosor. Por ocasião do zer e, ainda mais importante, devido dades para manter o autocontrole
transporte desses objetos, o Senhor ao que devemos ser, os profetas e em relação ao que vêem, ouvem, di-
lembrou àqueles irmãos do passado a apóstolos aconselham-nos a “[fugir] zem ou fazem, peço que orem ao Pai
respeito da santidade de tudo o que das paixões da mocidade” e a invo- Celestial pedindo ajuda. Orem a Ele
se relacionasse ao templo. Portanto, car o Senhor com o coração puro. como Enos o fez ao travar uma luta
ao levarem de volta para sua terra Eles exortam-nos a sermos puros. perante Deus e debater-se vigorosa-
natal esses vários vasos, bacias, taças Vivemos numa época em que é mente em espírito. 6 Lutem como
e demais objetos, eles próprios preci- cada vez mais difícil permanecermos Jacó com o anjo, que se recusou a
savam ser tão puros quanto os instru- puros. Com a tecnologia moderna, deixá-lo partir antes de receber uma
mentos cerimoniais que carregavam.3 até seus irmãozinhos mais novos po- bênção.7 Conversem com seu pai e
O segundo significado está vin- dem viajar pelo mundo inteiro antes sua mãe. Conversem com seu bispo.
culado ao primeiro. Vasos e utensí- mesmo de terem idade suficiente Busquem a melhor ajuda que con-
lios semelhantes eram utilizados para andar de velocípede na rua. O seguirem de todas as pessoas boas
para a purificação ritual do lar. O que na minha geração eram mo- que os rodeiam. Afastem-se a todo
Apóstolo Paulo, escrevendo a seu mentos despreocupados no cinema, custo de quem quiser tentá-los, mi-
jovem amigo Timóteo a respeito dis- diante da televisão ou com uma re- nar sua determinação ou perpetuar
so, afirmou: “Ora, numa grande casa vista, agora, com a chegada também o problema. Se alguns de vocês não
( . . . ) há vasos de ouro e de prata, do videocassete, da Internet e dos se encontrarem integralmente dig-
( . . . ) de pau e de barro”. Esses computadores pessoais, tornaram-se nos hoje à noite, poderão vir a tor-
eram objetos comuns para lavar e diversões permeadas de perigos mo- nar-se por meio do arrependimento
purificar na época do Salvador. Mas rais concretos. Vocês sabiam que e da Expiação do Senhor Jesus
uma das palavras para diversão em Cristo. O Salvador chorou, verteu
latim vulgar originalmente significa- sangue e morreu por vocês. Ele sa-
va “desvio da mente com a intenção crificou tudo por sua felicidade e
de enganar”? Infelizmente, é isso salvação. Ele certamente não vai
que as formas de diversão em nossos negar-lhes auxílio agora!
dias transformaram-se nas mãos do Então, vocês poderão ajudar ou-
mestre de todas as mentiras. tras pessoas a quem forem enviados,
Recentemente, li a seguinte de- agora e no futuro, como portadores
claração: “Nossos momentos de la- do sacerdócio de Deus. Então, pode-
zer, mesmo os mais descontraídos, rão ser, quando missionários, o que
devem constituir um motivo de o Senhor certa vez descreveu como
preocupação. [E isso porque] não “[médicos] para a Igreja”.8
há nenhum local neutro em todo o Rapazes, nós amamos vocês.
universo: cada centímetro quadra- Preocupamo-nos com vocês e deseja-
do, cada milésimo de segundo é rei- mos ajudar de qualquer forma que
vindicado por Deus ou por pudermos. Quase duzentos anos
Satanás”.5 Creio que isso seja uma atrás, William Wordsworth escreveu
grande verdade. E se há um terreno que “o mundo é demais conosco”. E o
que está sendo disputado de modo que será que ele diria sobre as
decisivo e inegável é o da mente, investidas que existem atualmente

A L I A H O N A
48
contra sua alma e valores? Ao tratar
de alguns desses problemas com que
vocês se deparam, temos ciência de
que um número elevado de rapazes
Profetas Vivos: Videntes
está vivendo fielmente o evangelho e
tendo uma conduta irrepreensível
diante do Senhor. Tenho certeza de
e Reveladores
que esses constituem a maioria esma- Élder Dennis B. Neuenschwander
gadora de todos os que estão aqui ou- Da Presidência dos Setenta
vindo-me hoje à noite. Mas as
advertências que fizemos à minoria
são um lembrete importante até mes-
mo para os fiéis.
Nos dias mais difíceis e desanima-
dores da Segunda Guerra Mundial, “Existe um crescente abismo entre os padrões do mundo e os do
Winston Churchill disse ao povo da evangelho e reino de Deus, e ( . . . ) que os profetas vivos sempre irão
Inglaterra: “Todo homem ( . . . ) en- ensinar os padrões de Deus.”
contra-se alguma vez na vida diante
da situação em que tem a oportuni- um de nós portador do sacerdócio co-
dade de fazer algo que só ele pode locou-se em pé, e depois como família
fazer e para o que está talhado. Que nos levantamos para apoiar o
tragédia será se, nesse momento, ele Presidente Benson.
não estiver preparado ou não for Por que o Senhor chama profetas,
qualificado para fazer aquilo que se- videntes e reveladores? E de que
ria seu grande momento na vida”. maneira nós os apoiamos?
Numa guerra espiritual ainda mais A responsabilidade fundamental
séria, irmãos, poderá chegar o dia — dos profetas, videntes e reveladores,
sim, tenho certeza de que chegará — todos eles portadores de autoridade
em que num acontecimento inespe- apostólica, é prestar firme testemu-
rado ou num período de extrema di- nho do nome de Jesus Cristo no mun-
ficuldade, vocês serão surpreendidos do todo. Esse chamado básico para
por um raio, figurativamente, e o fu- ser testemunha especial do nome
turo estará em suas mãos. Estejam Dele tem sido constante em todas as
prontos para esse dia. Sejam fortes. ocasiões em que os Apóstolos se en-
Estejam sempre puros. Honrem e res- contrem sobre a Terra. Esse testemu-
peitem o sacerdócio que possuem, nho, vindo do Espírito Santo por
hoje à noite e para sempre. Presto meio de revelação, constituía a essên-
testemunho desta obra, do poder que
recebemos e da necessidade de ser
digno de administrá-la. Irmãos, testi-
fico que a admoestação a todas as
épocas — e principalmente à nossa
I rmãos, esta noite eu gostaria de
compartilhar uma experiência de
grande significado para mim.
Durante a sessão de domingo à tarde
da conferência geral de 6 de abril de
cia da Igreja do Novo Testamento e é
a essência da Igreja hoje. No dia de
Pentecostes, Pedro prestou genuíno
testemunho de que Jesus de Nazaré
havia sido “[preso] ( . . . ) [crucifica-
— é a feita por Josué: “Santificai-vos, 1986 aconteceu uma assembléia sole- do] e [morto]” e de que Ele ressusci-
porque amanhã fará o Senhor mara- ne, cuja finalidade foi apoiar Ezra Taft tara “[soltando] as ânsias da morte
vilhas no meio de vós”. Em nome de Benson como profeta, vidente e reve- ( . . . )”, de que eles, os Apóstolos,
Jesus Cristo. Amém.  lador, e como décimo terceiro eram todos testemunhas.1 Esse teste-
Presidente da Igreja. Todos os mem- munho de Jesus Cristo, proferido por
NOTAS bros da Igreja foram convidados a um apóstolo vivo, foi tão veemente
1. Josué 3:5. participar, fosse com sua presença no que tocou muitos corações e cerca de
2. Isaías 52:11; ver também 3 Néfi Tabernáculo, ou pelo rádio ou TV. três mil pessoas foram batizadas para
20:41; D&C 38:42; e 133:5. Como família, aceitamos o convite a remissão de pecados. Lemos que es-
3. Ver II Reis 25:14–15; Esdras 1:5–11. para participar de casa. Com exceção ses novos conversos “perseveravam
4. II Timóteo 2:20–22; grifo do autor. de um filho que estava servindo como na doutrina dos apóstolos , e na co-
5. C. S. Lewis, Christian Reflections, org. missionário, todos estavam presentes: munhão, e no partir do pão, e nas
Walter Hooper, (1967), p. 33 um sumo sacerdote, um sacerdote, orações”.2 Esse relato no livro de Atos
6. Ver Enos 1:2–10. um diácono, um filho de onze anos e confere profundo significado espiri-
7. Gênesis 32:24–26. minha esposa, LeAnn. Conforme as tual às palavras que mais tarde Paulo
8. D&C 31:10. instruções e obedecendo a vez, cada escreveu aos efésios, dizendo que

J A N E I R O D E 2 0 0 1
49
aqueles que abraçam o evangelho Os Apóstolos antigos, assim co- esse homem lia as escrituras, Filipe
tornam-se a família de Deus “edifica- mo os modernos, prestam testemu- correu até ele e perguntou:
dos sobre o fundamento dos apóstolos nho do nome de Jesus Cristo porque “Entendes tu o que lês? E ele disse:
e dos profetas, de que Jesus Cristo é a “nenhum outro nome se dará, Como poderei entender, se alguém
principal pedra da esquina”.3 nenhum outro caminho ou meio pe- não me ensinar?” 8 Alma ensinou
Nesta dispensação da restauração lo qual a salvação seja concedida ao povo do Senhor:
o Profeta Joseph Smith ensinou o aos filhos dos homens, a não ser em “Em ninguém confieis para ser
seguinte: nome e pelo nome de Cristo, o vosso mestre ou ministro, a não ser
“Os princípios fundamentais da Senhor Onipotente”. 6 que seja um homem de Deus, que
nossa religião se constituem nos tes- Em segundo lugar, os profetas, ande em seus caminhos e guarde os
temunhos dos apóstolos e profetas videntes e reveladores ensinam a mandamentos ( . . . ) e ninguém era
de que Jesus Cristo morreu, foi se- palavra de Deus com clareza para consagrado a não ser que fosse um
pultado, ressuscitou no terceiro dia que todos os Seus filhos possam homem justo. Portanto zelavam por
e subiu aos céus; e todas as outras beneficiar-se e ser abençoados pela seu povo e edificavam-no com coi-
coisas que pertencem à nossa reli- obediência a Seus ensinamentos. O sas pertinentes à retidão”.9
gião são meros complementos dessa Presidente Hinckley escreveu, re- Essas palavras descrevem com
verdade.”4 ferindo-se a Joseph Fielding Smith: perfeição os profetas, videntes e re-
Com o propósito de cumprir “Sem dúvida ele era muito franco e veladores que guiam esta Igreja. Eles
com a responsabilidade divinamen- falava sem sofismas. Essa é a mis- transmitem as palavras de Deus com
te ordenada de testificar firmemen- são de um profeta”.7 A necessidade clareza, autoridade e entendimento.
te do nome de Jesus Cristo no de professores proféticos que co- Em terceiro lugar, apoiamos quin-
mundo todo, os Apóstolos vivos nheçam a palavra de Deus revela- ze homens não apenas como profe-
atuais prestaram seu testemunho. da e que a transmitam diretamente tas e reveladores, mas também
Na proclamação O Cristo Vivo, de- e sem se desculpar é tão importan- como videntes. Não se fala muito
claram a restauração de Seu sacer- te no presente quanto jamais foi. sobre a presença de videntes entre
dócio e Igreja, testificam sobre a Neste mundo conturbado de idéias nós, muito embora a capacidade de
Segunda Vinda e “[prestam] teste- que se chocam, valores inconstan- enxergar além do presente confira
munho, como Apóstolos Seus, de- tes e avidez pelo poder, seria con- poder e autoridade ao testemunho e
vidamente ordenados, de que Jesus veniente examinarmos com aos ensinamentos apostólicos.
é o Cristo Vivo, o Filho imortal de atenção a conversa que Filipe teve Quero mencionar duas escrituras
Deus”.5 com o homem etíope. Enquanto que falam sobre esse importante e

A L I A H O N A
50
singular chamado. Amon ensina ao
rei Lími no Livro de Mórmon que
“um vidente, porém, pode saber
tanto de coisas passadas como de
coisas futuras; e por meio deles to-
das as coisas serão reveladas ( . . . )
e também manifestarão coisas que,
de outra maneira, não poderiam ser
conhecidas”.10 Na Pérola de Grande
Valor, lemos que o Senhor instruiu
Enoque a ungir os olhos com barro e
lavá-los, para que pudesse ver.
Enoque assim fez.
“E ele viu ( . . . ) coisas que não
eram visíveis ao olho natural; e daí
em diante espalhou-se por toda a
terra a expressão: Um vidente o
Senhor levantou para seu povo.”11
Tenho uma resposta muito sim-
ples para a pergunta “o que os vi-
dentes modernos revelam que não
se possa saber de outra forma, e o
que vêem eles que não seja visível
ao olho carnal?” Ouça, pondere e
medite em espírito de oração sobre
o que estão ensinando e o que estão
fazendo. Ao fazê-lo, pode-se desco-
brir uma forma de proceder muito
elucidativa e aí estará a resposta a sacerdócio de Deus, precisamos delas “com alegria, e não com triste-
essa questão. compreender que existe um cres- za”.13 Que possamos ser sábios o sufi-
Voltemos agora à experiência de cente abismo entre os padrões do ciente para fazermos o mesmo com
minha família na assembléia solene. mundo e os do evangelho e reino de as palavras dos profetas, videntes e
Ao final dos apoios, o Presidente Deus, e que os profetas vivos sempre reveladores de nossos dias.
Hinckley, que dirigia a reunião, dis- irão ensinar os padrões de Deus. Por Presto testemunho do poder sal-
se: “Muito obrigado, irmãos e irmãs, mais que queiramos que o evange- vador da Expiação de Jesus Cristo.
por seu voto de apoio. Sentimos que lho se adapte ao mundo, ele não po- Presto testemunho da realidade dos
não nos apoiaram apenas com a de; não o fará; nunca o fez, e nunca apóstolos, profetas, videntes e reve-
mão, mas também com seu coração, se adaptará. ladores vivos. Em nome de Jesus
fé e orações, de que tanto necessita- O mundo moderno baseia- se Cristo. Amém. 
mos, e rogamos que continuem fa- principalmente na auto-indulgência,
zendo”. 12 Irmãos, nosso apoio aos ganho e satisfação imediatos e acei- NOTAS
profetas, videntes e reveladores não tação social a todo custo. O evange- 1. Atos 2:23–24, ver também v. 32.
é somente o ato de levantar a mão, lho e reino de Deus são muito mais 2. Atos 2:42.
mas inclui principalmente a cora- que isso. Entre as qualidades valori- 3. Efésios 2:20.
gem, o testemunho e a fé para ouvi- zadas por Deus estão a paciência, 4. Ensinamentos do Profeta Joseph Smith,
los, atendê-los e segui-los. longanimidade, perseverança, bon- selecionados por Joseph Fielding Smith,
Mas eu me pergunto: Se isso está dade e amor fraternal, nenhuma das (1976), p. 118.
tão claro, por que é tão difícil? Pode quais é de curto prazo ou pode ser 5. O Cristo Vivo: O Testemunho dos
ser que existam muitas respostas a desenvolvida instantaneamente. Apóstolos. A Liahona, abril de 2000, p. 3.
isso, mas penso que, na verdade, Irmãos, não existe nenhuma van- 6. Mosias 3:17.
existe apenas uma. A maior parte da tagem em termos profetas, videntes e 7. Ensinamentos de Gordon B. Hinckley,
dificuldade reside em nosso desejo reveladores entre nós se não dermos (1997), 525.
de ser aceitável ao mundo, mais do ouvidos a eles. O profeta Jacó nutria 8. Atos 8:30–31.
que a Deus. a esperança de que as palavras escri- 9. Mosias 23:14, 17–18.
Os ensinamentos de um profeta tas com tanta dificuldade sobre as 10. Mosias 8:17.
vivo muitas vezes são contrários às placas por homens dignos fossem re- 11. Moisés 6:36; ver também v. 35.
tendências do mundo. Como santos cebidas por seus filhos com o coração 12. A Liahona, julho de 1986, p. 77.
dos últimos dias e portadores do agradecido, e que pudessem aprender 13. Jacó 4:3.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
51
pedimos a algumas moças que pro-
Os Maçaricos de curassem por ela, mas também foi em
vão. Estava escurecendo, e começa-
mos a ficar muito preocupados.
Satanás Convocamos todos os rapazes que
conseguimos encontrar no dormitó-
rio masculino e continuamos a pro-
Bispo Richard C. Edgley curá-la no bosque, com o auxílio de
Primeiro Conselheiro no Bispado Presidente lanternas. Quando já era bem tarde
da noite, decidimos, assustados,
preocupados e roucos de tanto gritar,
que era hora de contarmos aos guar-
das do parque a tolice que tínhamos
feito. Quando estávamos parados na
Será que devemos acreditar em “Satanás, o autor de todas as mentiras frente dos dormitórios, tentando de-
( . . . )? Ou acreditaremos no amoroso Pai Celestial, que é a fonte de toda cidir quem seria o sujeito corajoso
a verdade e felicidade?” que teria o privilégio de comunicar
seu desaparecimento, Jill apareceu de
falar nisso, trata-se de uma brinca- repente — não veio de seu dormitó-
deira, pois não existe esse tipo de ave rio, mas do dormitório de uma amiga
no oeste dos Estados Unidos. O equi- com quem havia jantado (nós acaba-
pamento necessário para se caçar mos perdendo o jantar) e com quem
maçaricos era um pedaço de pau e havia passado uma tarde bem agra-
um saco de pano. Orientávamos o dável na companhia de amigos. A
“caçador” a entrar pelo mato e ir ba- primeira coisa que disse ao ver-nos
tendo nos arbustos com o pedaço de foi: “Como foi a caçada ao caçador de
pau, enquanto chamava o maçarico maçaricos?” Não é preciso dizer mais
com uns gritos agudos e ridículos. nada sobre a ingenuidade da moça
Desse modo, os maçaricos inexisten- da cidade grande ou do verdadeiro
tes seriam supostamente afugentados estilo de vida do oeste americano.
para dentro do saco de pano. Nós é que fomos enganados, e desde
Demos o saco de pano e o pedaço aquela época nunca mais tive vonta-
de pau para Jill e determinamos uma de de caçar maçaricos.
área na qual ela iria caçar, atrás de Mas existe outro tipo de “caça
um monte. Combinamos de voltar aos maçaricos” acontecendo a nosso
ao ponto de saída depois de 15 mi- redor, e podemos vir a ser as ingê-
nutos, quando então contaríamos nuas vítimas. Não se trata de uma

Q uando eu era jovem, logo


após terminar meu primei-
ro ano de faculdade, como
precisasse juntar dinheiro para ir
quantos maçaricos cada um teria
apanhado.
Quando vimos que ela não tinha
voltado no horário combinado,
brincadeira inocente. E não termina
em risadas ou em momentos agradá-
veis de integração. Satanás é o gran-
de enganador, mentiroso e inimigo
para a missão, passei o verão traba- achamos muita graça na seriedade de tudo o que é bom, inclusive nos-
lhando no recém-construído hotel com que ela parecia ter-se empe- sa felicidade e bem-estar. Seu gran-
Jackson Lake, em Jackson Hole, nhado na caça. Depois de meia ho- de desejo é frustrar o plano de
Wyoming. Muitos jovens universi- ra, achamos que já era hora de felicidade do Pai Celestial e tornar-
tários iam para lá trabalharem jun- irmos buscá-la para explicar-lhe a nos “miseráveis como ele próprio”.
tos em um lugar tão bonito e brincadeira, rirmos bastante e vol- (2 Néfi 2:27) Por ser o próprio autor
intocado. tarmos todos para jantar. Mas ela e perpetrador do engano, ele basica-
Uma dessas jovens era Jill, uma parecia ter levado a sua caçada mais mente deseja convidar-nos a partici-
jovem de San Francisco, Califórnia. a sério do que esperávamos. Não a par com ele de uma caçada aos
Achando que uma moça da cidade encontramos no lugar que lhe fora maçaricos, para que tenhamos mui-
grande provavelmente seria ingênua designado. Depois de procurarmos ta emoção, diversão, popularidade e
em relação àquele ambiente novo, eu bastante sem encontrar sinal dela, “boa vida”. Mas suas promessas são
e uns amigos nos sentimos na obriga- começamos a adentrar os bosques, tão ilusórias quanto os maçaricos
ção de ensinar-lhe algo sobre o estilo chamando-a aos berros, mas sem inexistentes. O que ele realmente
de vida do verdadeiro oeste america- nenhum resultado. nos oferece são mentiras, miséria,
no. Decidimos levá-la para “caçar Na esperança de que ela tivesse degradação espiritual e perda da au-
maçaricos”. Para quem nunca ouviu retornado ao dormitório, voltamos e to-estima.

A L I A H O N A
52
A propaganda que ele faz ao en- Deus, nosso Pai amoroso, a fonte
viar-nos para a caçada é “Comei, be- de toda a verdade, alertou-nos a res-
bei e alegrai-vos, porque amanhã peito das mentiras de Satanás.
morreremos”. (2 Néfi 28:7) Seu con- Ouçam ao que o Senhor disse por
vite pode parecer sedutor e convin- meio de Seus profetas:
cente. Néfi explica que em seu • Paulo ensinou aos santos de
método de persuasão, Satanás “paci- Corinto: “Não sabeis vós que sois o
ficará”, “acalentará” e “lisonjeia”, ao templo de Deus e que o Espírito de
declarar que “tudo vai bem”. (2 Néfi Deus habita em vós? Se alguém des-
28:21–22) Entre outras coisas, truir o templo de Deus, Deus o des-
Satanás faz com que acumulemos em truirá; porque o templo de Deus, que
nosso embornal todas as formas de sois vós, é santo”. (I Coríntios
imoralidade, inclusive a pornografia e 3:16–17)
a linguagem, vestuário e comporta- • Jacó admoestou os antigos ne-
mento inadequados. Mas essas coisas fitas, dizendo: “Mas ai, ai de vós,
maléficas causam sofrimento emocio- que não sois puros de coração, que
nal, perda da espiritualidade, do au- estais hoje imundos diante de
to-respeito e da oportunidade de Deus”. (Jacó 3:3)
servir em uma missão ou de casar-se • Alma lembrou o seguinte a seu
no templo, podendo até mesmo re- filho rebelde, Coriânton, com res-
sultar em uma gravidez indesejada. peito à impureza sexual: “Não sabes,
Satanás também nos escraviza por meu filho, que essas coisas são uma
meio das drogas, álcool, fumo, assim abominação à vista do Senhor?”
como por meio de outros vícios. (Alma 39:5) E ainda para
Satanás diz-nos que essas coisas Coriânton, ele disse: “iniqüidade O Templo de Salt Lake no crepús-
são boas e que “todo o mundo está nunca foi felicidade”. (Alma 41:10) culo, visto do átrio do Centro de
fazendo isso”. Ele nos diz que elas Para que não achem que essas ad- Conferências.
nos trarão popularidade e aceitação. moestações aplicavam-se apenas pa-
As mentiras de Satanás podem ser ra a época da Bíblia, ouçam o que o mentiras de Satanás, podemos às
muito sedutoras, especialmente na- nosso profeta moderno, o Presidente vezes nos sentir pouco importantes,
quela época crucial da vida, em que Gordon B. Hinckley, disse: insignificantes ou incapazes. Mas ja-
os jovens tanto anseiam por aceita- “A despeito da assim chamada mais nos esqueçamos que fomos os
ção e popularidade. ‘nova moralidade’, a despeito das escolhidos para receber o sacerdócio
No entanto, existem certas pistas muito comentadas mudanças nos de Deus, fomos chamados por Ele,
que nos orientam a respeito do que padrões morais, não existe substitu- fomos ordenados como Seus repre-
devemos abster-nos de procurar. to adequado para a virtude. Os pa- sentantes, e isso nos torna pessoas
Vocês devem reconhecer essas pis- drões de Deus podem estar sendo importantes.
tas, pois são comuns e bem conheci- questionados em todo o mundo, mas Devido a Seu sacerdócio, temos
das. São elas: Deus não revogou os Seus mandamen- poder. Somos da nobreza. E temos o
• “Todo o mundo está fazendo tos.” (“With All Thy Getting Get poder de discernir os maçaricos de
isso.” Understanding”, Ensign, agosto de Satanás dos verdadeiros princípios
• “Ninguém vai ficar sabendo.” 1988, p. 4, grifo do autor.) de felicidade de Deus. Por sabermos
• “Você não está prejudicando De modo que nos questionamos: quem somos e por termos sido inves-
ninguém, afinal de contas.” “Em quem devemos acreditar em tidos com o Santo Espírito e recebi-
• “Só uma vez não faz mal.” nossa busca de alegria e bem-estar?” do o poder de Seu sacerdócio, temos
• “E daí?” Será que devemos acreditar em a capacidade de simplesmente dizer:
•“Você pode arrepender-se mais Satanás, o autor de todas as menti- “Não. Não, Satanás, não serei vítima
tarde e ainda ir para a missão e ca- ras e falsidades, cujo único objetivo de sua falsa, maligna e freqüente-
sar-se no templo.” é destruir-nos? Ou acreditaremos no mente mortal caçada aos maçari-
• “Cristo expiou seus pecados; amoroso Pai Celestial, que é a fonte cos”. Testifico que “iniquidade
Ele irá perdoá-lo.” de toda a verdade e felicidade, e nunca foi felicidade” (Alma 41:10) e
Quando essas justificativas fo- cujo único objetivo é recompensar- nunca será felicidade. Testifico ainda
rem expressamente citadas por ou- nos com Seu amor e alegria eternos? que somente teremos felicidade e
tras pessoas ou sussurradas pelo Talvez tenhamos nascido em con- auto-estima, agora e no futuro, colo-
tentador, vocês já sabem do que dições humildes, com pouca instru- cando em prática os princípios esta-
se trata. Não dêem ouvidos. Não ção ou até sem ter, em nossa belecidos por Aquele que criou o
experimentem. Simplesmente não opinião, realizado grandes feitos em plano de felicidade. Testifico isso em
façam isso. termos materiais. E por causa das nome de Jesus Cristo. Amém. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
53
Hyde, dando assim a esse lado de
O Inimigo Interior sua natureza cada vez mais poder.
Jekyll acha cada vez mais difícil rea-
dquirir sua personalidade virtuosa e
Presidente James E. Faust também se surpreende por vezes ao
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência tornar-se Hyde sem usar a droga”.6
Com a personalidade do senhor
Hyde, ele comete um homicídio, e
quando a droga não é capaz de res-
taurá-lo à aparência do bondoso
“Todos nós precisamos ser treinados para sermos homens do sacerdócio doutor Jekyll, a verdade vem à tona
corajosos, disciplinados e leais que estejam preparados com o arsenal e ele suicida-se. O mau uso das dro-
adequado para lutar contra o mal e vencer.” gas destruiu sua vida. E pode ocor-
rer o mesmo na vida real.
o mal e vencer. Paulo disse que essas O segredo para nunca cairmos
armas são “a couraça da justiça”, “o nas garras de um senhor Hyde mau
escudo da fé”, “o capacete da salva- e perverso é tomarmos a resolução
ção” e “a espada do Espírito”, que é de não cedermos às tentações des-
a palavra de Deus.3 trutivas. Nunca, nunca experimen-
Hoje à noite eu gostaria de falar tem nenhuma substância que vicie.
sobre a batalha que cada um de nós Jamais usem fumo em qualquer for-
tem que travar dentro de si mesmo. ma nem ingiram nenhuma outra
O Presidente Joseph F. Smith ensi- substância que os escravize.
nou-nos: “Nosso primeiro inimigo Mantenham distância das nocivas
está dentro de nós mesmos. É uma bebidas alcoólicas. Os vícios trazem
boa época para se vencer aquele ini- conseqüências trágicas e difíceis de
migo em primeiro lugar e submeter- serem contornadas.
nos à vontade do Pai e à estrita Recebemos bênçãos ao permane-
obediência aos princípios de vida e cermos fiéis a nossos princípios.
salvação que Ele deu ao mundo para Quando eu presidia a Estaca
a salvação dos homens”.4 Para sim- Cottonwood, um dos patriarcas da
plificar, isso quer dizer que precisa- estaca era o doutor Creed
mos fortalecer o bem que há dentro Haymond. Às vezes ele prestava tes-

C aros irmãos do sacerdócio,


gostaria de expressar meu
amor e apreço a cada um de
vocês. Somos gratos por tudo o que
vocês fazem para levar avante esta
de nós e superar as tentações de
Satanás. A forma de achar o cami-
nho é certa. Alma esclareceu-nos:
“Tudo que é bom vem de Deus e tu-
do que é mau vem do diabo”.5
temunho da Palavra de Sabedoria.
Quando jovem, ele fora o capitão da
equipe de corrida da Universidade
Estadual da Pensilvânia. Em 1919, o
irmão Haymond e sua equipe foram
obra sagrada em todo o mundo. Robert Louis Stevenson descre- convidados para participar do tor-
Sinto-me humilde e honrado pela veu bem essa constante luta entre o neio anual de corrida da associação
oportunidade de estar a seu lado. bem e o mal no romance clássico so- que congregava as universidades.
Mesmo antes da criação do mun- bre o doutor Jekyll e o senhor Hyde. Na noite anterior ao evento, o téc-
do, iniciou-se no céu uma grande No início da história, lemos que “o nico dele, Lawson Robertson, que
batalha entre as forças do bem e do doutor Jekyll é um médico altamen- treinava várias equipes olímpicas,
mal. 1 Essa guerra hoje está sendo te conceituado em Londres, um ho- pediu à sua equipe que tomasse um
travada ainda com mais violência. mem bom e generoso que, apesar de pouco de vinho. Naquela época, os
Satanás ainda está à frente das hos- na juventude ter apresentado incli- treinadores achavam, equivocada-
tes do mal, tentando-nos assim co- nação para o mal, conseguiu supri- mente, que o vinho era um tônico
mo o fez com Moisés, quando disse: mi-la. Interessado nas drogas, agora para os músculos enrijecidos pelos
“Filho de homem, adora-me”. 2 ele deparou-se com uma que lhe rigores do treinamento. Todos os ou-
Como portadores do sacerdócio, fo- permite mudar sua aparência exte- tros membros da equipe tomaram
mos alistados no grandioso exército rior e assumir a de um anão repulsi- vinho, mas o irmão Haymond re-
da retidão para combater as forças vo, a própria personificação do mal, cusou-se porque seus pais lhe ha-
de Lúcifer. Todos nós precisamos ser a quem ele chama de senhor Hyde. viam ensinado a Palavra de
treinados para sermos homens do A mesma dose permite-lhe voltar à Sabedoria. Ele ficou muito nervoso,
sacerdócio corajosos, disciplinados e aparência e personalidade do bene- pois não queria desobedecer ao trei-
leais que estejam preparados com o volente médico. Com freqüência, o nador. Ele estava prestes a competir
arsenal adequado para lutar contra doutor Jekyll torna- se o senhor contra os homens mais velozes do

A L I A H O N A
54
mundo. E se ele se saísse mal no dia
seguinte? Como ele iria encarar o
técnico?
No dia seguinte, durante a corri-
da, os demais membros da equipe fi-
caram muito doentes e apresentaram
um péssimo desempenho ou nem
mesmo tiveram forças para correr. O
irmão Haymond, no entanto, sentiu-
se bem e venceu as provas de 100 e
200 metros. O técnico disse-lhe:
“Você acabou de fazer os 200 metros
mais rápido do que qualquer outro
ser humano”. Naquela noite e no res-
tante de sua vida, Creed Haymond
sentiu-se grato por sua fé simples ao
guardar a Palavra de Sabedoria.7
No serviço militar durante a
Segunda Guerra Mundial, convivi
com alguns rapazes excelentes, de
futuro promissor. Todavia, pouco a
pouco, vi alguns deles distanciarem-
se das qualidades de temor a Deus
do doutor Jekyll e entregarem-se à
vileza do senhor Hyde. Para alguns,
tudo começou quando tomaram ca-
fé porque a água era suja e as pílulas
para descontaminá-la tinham gosto
desagradável. O café levou alguns a
ocasionalmente tomarem um pouco
de cerveja. Todos os soldados que
serviam no exterior recebiam um su-
primento de cigarros e por vezes
uma garrafa de uísque, que na época
custavam bastante caro.
O Presidente George Albert
Smith certa vez deu o seguinte con-
selho: “Se vocês cruzarem a linha e
passarem para o lado do diabo um
centímetro que seja, estarão sob o
poder dele, e se ele tiver êxito, vo-
cês não conseguirão pensar nem ra-
ciocinar adequadamente, pois já
terão perdido o Espírito do
Senhor”.8 Alguns soldados perma-
neceram no lado seguro da linha e
nunca experimentaram nem distri-
buíram essas substâncias que viciam, Os visitantes descem do nível do átrio para o nível da praça do Centro de
embora as recebêssemos gratuita- Conferências.
mente. Mas outros provavam os ci-
garros ou o álcool para esquecer as Depois da guerra, todos os que se da felicidade prometida e passando a
dificuldades da guerra. Alguns até haviam viciado em fumo, álcool e vivenciar, por outro lado, divórcios,
cederam aos apelos da imoralidade imoralidade descobriram que não era lares desfeitos e sofrimento.
achando que a tensão da guerra ser- tão fácil abandonar esses maus hábi- Aqueles que nunca rebaixaram
via de justificativa para que rebai- tos. Os rapazes que antes tinham um seus padrões não se entregaram a es-
xassem seus padrões e deixassem potencial tão grande cruzaram aque- ses vícios. Saíram daquele período
aflorar o senhor Hyde que havia la linha centímetro por centímetro, extenuante de sua vida ainda mais
dentro deles. privando a si mesmos e à sua família fortes e preparados para levar uma

J A N E I R O D E 2 0 0 1
55
vida mais produtiva, exemplar e feliz permitirá que desfrutemos todas as estarem com a consciência ator-
como pais e avôs fiéis de famílias bênçãos do evangelho, como as do mentada e desejosos de Seus sábios
justas. Também serviram como líde- templo ou da missão. O verdadeiro conselhos. “Mestre”, disseram eles
res honrados e respeitados na Igreja arrependimento pode ser um pro- certa vez, de maneira lisonjeira,
e na comunidade. cesso longo e doloroso. Essa doutri- “bem sabemos que és verdadeiro, e
Outra filosofia falsa que agrada ao na tola foi prevista por Néfi. ensinas o caminho de Deus segundo
lado de senhor Hyde de nossa nature- “E muitos também dirão: Comei, a verdade, e de ninguém se te dá,
za é a que apregoa que doses homeo- bebei e diverti-vos; não obstante, te- porque não olhas a aparência dos
páticas de pornografia são mei a Deus — ele justificará a prática homens”.
inofensivas. Trata-se de uma terrível de pequenos pecados; sim, menti um Com essa atitude ardilosa, espe-
ilusão. A pornografia vicia tanto pouco, aproveitai-vos de alguém por ravam enredá-Lo com a seguinte
quanto a cocaína ou qualquer droga causa de suas palavras, abri uma cova pergunta: “Dize-nos, pois, que te pa-
ilegal. Recentemente, recebi uma car- para o vosso vizinho; não há mal nis- rece? É lícito pagar o tributo a
ta pungente de um homem excomun- so. E fazei todas estas coisas, porque César, ou não?”
gado cuja alma está tomada de amanhã morreremos; e se acontecer Essa pergunta estava carregada
angústia e pesar. Com a permissão de- de sermos culpados, Deus nos casti- de intenções iníquas, pois uma das
le, vou citar alguns trechos: “Espero gará com uns poucos açoites e, ao leis romanas mais odiadas era a tri-
que esta carta confirme para qualquer fim, seremos salvos no reino de butária. Se Ele respondesse afirma-
pessoa que ainda tiver dúvidas que o Deus.”9 tivamente, os fariseus poderiam
caminho para a destruição só traz A todos os que ensinam essa falá- taxá-lo de desleal aos judeus. Se
tristeza e sofrimento e que nenhum cia, o Senhor diz: “O sangue dos respondesse negativamente, denun-
pecado compensa o elevado preço santos clamará contra eles, desde a ciariam-No por sedição. “Jesus, po-
que é preciso pagar”. Em seguida, dis- terra”.10 E isso porque todos os nos- rém, conhecendo a sua malícia,
se: “Eu atraí dor e infortúnio para sos convênios devem não só ser re- disse: Por que me experimentais, hi-
mim mesmo. Só agora tenho a per- cebidos por meio das ordenanças, pócritas?”
cepção plena da grande destruição mas para serem eternos, precisam Ele pediu que Lhe mostrassem
que trouxe a mim mesmo. Por ne- também ser selados pelo Santo uma moeda e então indagou: “De
nhum desejo egoísta ou lascivo vale a Espírito da promessa.11 Esse sinal de quem é esta efígie e esta inscrição?”
pena perder a condição de membro aprovação divina só pode ser confe- Eles responderam: “De César”. E
da Igreja. Causei enorme desgosto pa- rido a nossas ordenanças e convê- Ele silenciou os hipócritas fariseus
ra minha esposa e nossos dois filhos nios por meio da fidelidade. A falsa com a resposta clássica: “Dai pois a
maravilhosos. Sou grato pelos enor- idéia do arrependimento premedita- César o que é de César, e a Deus o
mes esforços de minha esposa para do envolve um aspecto ilusório, mas que é de Deus”.14 Estamos no mun-
ajudar-me a superar meus pecados. o Santo Espírito da Promessa não do, mas não devemos deixar-nos
Ela foi vítima deles e teve que supor- pode ser enganado. contaminar pela hipocrisia e a frau-
tar grande pesar e sofrimento. Anseio Algumas pessoas usam máscaras de que nele imperam.
pelo dia em que poderei ser membro de decência e retidão, mas levam A verdade sobre quem somos e o
da Igreja do Senhor novamente e uma vida de aparências, achando que fazemos acabará por evidenciar-
nossa família será uma família eter- que, como o doutor Jekyll, podem ter se. O Senhor fez-nos a seguinte ad-
na”. Mais à frente, ele admite: “Meus vida dupla sem nunca serem desco- vertência, muito séria: “Porque suas
pecados são conseqüência direta do bertas. Tiago declarou: “O homem iniqüidades serão proclamadas em
vício de pornografia que adquiri ain- de coração dobre é inconstante em cima dos telhados e seus feitos secre-
da menino. Sem dúvida alguma, a todos os seus caminhos”.12 No Livro tos serão revelados”.15 Por vivermos
pornografia vicia e é um veneno. Se de Mórmon, lemos a história de num ambiente moralmente insensí-
eu tivesse aprendido no início da mi- Coriânton, que foi pregar aos zorami- vel, temos dificuldade para dizer a
nha vida a aplicar o poder do autodo- tas com o pai e o irmão. Sua vida du- nós mesmos e aos outros que nossos
mínio, eu seria membro da Igreja pla levou-o a abandonar o ministério atos não estão corretos.
hoje”. e fez com que seu pai se lamentasse: Irmãos, podemos defender-nos do
Uma das ilusões do senhor Hyde “Meu filho, quanta iniqüidade trou- inimigo que existe dentro de cada um
é o que algumas pessoas chamam de xeste sobre os zoramitas; pois quando de nós usando o manto protetor do
“arrependimento premeditado”. viram teu procedimento, não acredi- sacerdócio de Deus. Individualmente,
Não existe tal doutrina nesta Igreja. taram em minhas palavras”.13 precisamos fazer com que os grandes
Ela pode até parecer atraente, mas Os hipócritas são aqueles que ex- poderes do santo sacerdócio de Deus
de fato é um conceito pernicioso e ternamente usam máscaras com ajam em nossa vida. Isso significa usar
falso. Seu objetivo é persuadir-nos a aparência de bondade, mas na ver- esse arbítrio divino diariamente para
consciente e deliberadamente co- dade praticam o mal e a mentira. abençoar a vida do próximo ao reali-
meter transgressões com a idéia de Assim é que eram os escribas e fari- zarmos o ensino familiar, as ordenan-
que um arrependimento instantâneo seus que iam até o Salvador fingindo ças do sacerdócio ou a noite familiar.

A L I A H O N A
56
Coletivamente, temos a missão de le-
var a mensagem da salvação ao mun-
do, missão essa que cumprimos sob a
direção de nosso Presidente, Gordon
O Chamado para Servir
B. Hinckley, que porta todas as chaves Presidente Thomas S. Monson
do sacerdócio na Terra nesta época. Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência
Mas não podemos levar essa missão a
cabo a menos que cada um de nós
vença a batalha travada dentro de nós
mesmos. Ao procedermos assim, sere-
mos capazes de revestir-nos de toda a “Tenho grande reverência pelo sacerdócio do Deus Todo-Poderoso.
armadura de Deus e receber as bên- Testemunhei o seu poder. Senti sua força. Maravilhei-me com os milagres
çãos contidas no juramento e convê- que ele realizou.”
nio do sacerdócio. O Senhor
prometeu: “Todos os que recebem es- Senhor e de verem suas orações se-
te sacerdócio a mim me recebem. rem ouvidas e atendidas, da mesma
(...) forma que o profeta, o vidente ou o
E aquele que me recebe a mim, revelador. ( . . . ) É por meio desse
recebe a meu Pai; sacerdócio que os homens recebem
E aquele que recebe a meu Pai, ordenanças, que seus pecados lhes
recebe o reino de meu Pai; portanto são perdoados e que eles são redimi-
tudo o que meu pai possui ser-lhe-á dos. Para esse propósito ele foi reve-
dado”.16 lado e selado sobre nossa cabeça.”2
A exaltação no reino do Pai inclui Aqueles que possuem o
reinos, tronos, domínios, principados Sacerdócio Aarônico devem ter
e poderes que aumentarão para sem- oportunidades de magnificar seu
pre.17 Que todos nos empenhemos chamado nesse sacerdócio.
para sobrepujar o inimigo interior a Por exemplo: quando fui ordena-
fim de recebermos essas bênçãos. É do diácono, nosso bispado ressaltou
minha oração. Em nome de Jesus a sagrada responsabilidade que tí-
Cristo. Amém.  nhamos de distribuir o sacramento.
Eles salientaram a importância de
NOTAS nos vestirmos adequadamente, de
1. Ver Apocalipse 12:4–9; Moisés
4:1–4; Abraão 3:24–28; D&C 29:36–38;
Isaías 14:12–20; Lucas 10:18.
2. Moisés 1:12
Q ue grande privilégio eu te-
nho de estar aqui diante de
vocês esta noite, neste mag-
nífico Centro de Conferências e nas
nos portarmos de modo digno e de
estarmos limpos “tanto por dentro
quanto por fora”.
Quando nos foi ensinado o modo
3. Efésios 6:14–17 congregações espalhadas por todo o de distribuirmos o sacramento, foi-
4. Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: mundo. Que vigoroso grupo de por- nos dito que estávamos ajudando ca-
Joseph F. Smith, (1998), pp 371–372. tadores do sacerdócio! da um dos membros na renovação do
5. Alma 5:40. Como tema, cito as palavras pro- convênio do batismo, com todas as
6. Thesaurus of Book Digests, (1949), feridas por intermédio do Profeta suas responsabilidades e bênçãos.
p. 206. Joseph Smith, que se encontram na Foi-nos dito também que deveríamos
7. Ver Joseph J. Cannon, “Speed and seção 107 de Doutrina e Convênios. ajudar em particular o irmão Louis,
the Spirit”, Improvement Era, outubro de Elas se aplicam a todos nós, quer se- que era paralítico, para que ele tives-
1928, pp. 1001–1007. jamos portadores do Sacerdócio se a oportunidade de partilhar dos sa-
8. Sharing the Gospel with Others, org. Aarônico ou do Sacerdócio de grados emblemas do sacramento.
Preston Nibley, (1948), p. 43. Melquisedeque: “Portanto agora to- Lembro-me muito bem de quan-
9. 2 Néfi 28:8 do homem aprenda seu dever e a do eu fui designado a distribuir o sa-
10. 2 Néfi 28:10 agir no ofício para o qual for desig- cramento na fileira de bancos onde
11. Ver D&C 132:7 nado com toda diligência”.1 Louis estava sentado. Eu estava re-
12. Tiago 1:8 O Presidente Wilford Woodruff ceoso quando me aproximei daquele
13. Alma 39:11 declarou: maravilhoso irmão, mas então vi seu
14. Mateus 22:16–21 “Todas as organizações do sacer- sorriso e a ansiosa gratidão com que
15. D&C 1:3 dócio têm poder. O diácono tem po- demonstrava seu desejo de tomar o
16. D&C 84:35, 37–38 der, graças ao sacerdócio que possui. sacramento. Segurando a bandeja
17. Ver Ensinamentos dos Presidentes da O mesmo se dá com o mestre. Eles com a mão esquerda, peguei um
Igreja: Brigham Young, (1997) p. 72. têm o poder de procurarem o pedaço de pão e coloquei-o em sua

J A N E I R O D E 2 0 0 1
57
boca. Mais tarde, servi a água de Testemunhei o seu poder. Senti sua agiu com a autoridade do
igual modo. Senti que aquele era força. Maravilhei-me com os mila- Sacerdócio Aarônico, ele falou com
um momento sagrado. E realmente gres que ele realizou. poder, com convicção e com a ajuda
era. O privilégio de levar o sacra- Há 50 anos, conheci um rapaz, divina.
mento até Louis fez com que todos um sacerdote, que possuía a autori- Precisamos proporcionar a nossos
nos tornássemos melhores diáconos. dade do Sacerdócio Aarônico. rapazes do Sacerdócio Aarônico ex-
Vocês, nobres líderes dos rapazes, Como bispo, eu era seu presidente periências que edifiquem sua fé. Eles
são um marco na encruzilhada da vi- de quórum. Robert não conseguia buscam ter a oportunidade de sentir
da daqueles a quem ensinam. Na pa- falar sem gaguejar muito. Era muito a ajuda do Espírito do Senhor.
rede da Memorial Church da tímido e medroso em relação a to- Lembro-me de quando fui desig-
Universidade de Stanford está inscri- dos, por causa daquele defeito. nado a fazer meu primeiro discurso
ta a seguinte verdade: “Precisamos Nunca cumpria uma designação, na Igreja. Deixaram que eu esco-
ensinar a nossos jovens que tudo o nunca olhava as pessoas nos olhos, lhesse o tema. Sempre gostei de pás-
que não é eterno é demasiadamente quase sempre andava com a cabeça saros, por isso pensei no
breve, e tudo o que não é infinito é baixa. Então um dia, devido a uma Monumento à Gaivota. Para prepa-
demasiadamente pequeno”.3 situação incomum, ele aceitou uma rar-me, fui até à Praça do Templo e
O Presidente Gordon B. Hinckley designação para desempenhar seu olhei para o monumento. A primei-
ressaltou nossas responsabilidades ao dever de sacerdote de batizar uma ra coisa que me chamou a atenção
declarar: “Neste trabalho é preciso pessoa. foram todas aquelas moedas dentro
haver comprometimento. É preciso Sentei-me ao lado de Robert no da água, ao redor do monumento, e
haver devoção. Estamos engajados batistério do Tabernáculo de Salt fiquei imaginando como seriam re-
em uma grande e eterna batalha em Lake. Ele estava vestido inteiramen- cuperadas e quem o faria. Não con-
prol da própria alma dos filhos e filhas te de branco e preparado para a or- fesso nenhum pensamento que
de Deus. Não estamos perdendo, denança que devia realizar. tenha tido de fazê-lo eu mesmo.
mas, sim, ganhando. Continuaremos Inclinei-me e perguntei como estava Então, olhando para as gaivotas no
ganhando se formos fiéis e verdadei- sentindo-se. Ele olhou para o chão e alto do monumento, tentei imagi-
ros. ( . . . ) Não há nada que o Senhor gaguejou de modo quase incom- nar, em minha mente de garoto ain-
nos peça que não consigamos cum- preensível, dizendo que se sentia da, como teria sido se eu fosse um
prir com fé”.4 muito mal. pioneiro observando a preciosa co-
Irmãos, será que todo mestre que Nós dois oramos fervorosamente lheita daquele primeiro ano ser de-
tenha sido ordenado recebeu uma para que ele estivesse à altura de sua vorada pelos gafanhotos e então ver
designação de ensino familiar? Que tarefa. De repente, o secretário aquelas gaivotas com suas asas im-
grande oportunidade de prepara- anunciou: “Nancy Ann McArthur ponentes descendo sobre os campos
rem-se para a missão. Que grande será agora batizada por Robert e comendo os gafanhotos. Eu gosta-
privilégio de aprender a disciplina Williams, sacerdote”. va muito dessa história. Sentei-me
do dever. Um rapaz automaticamen- Robert levantou-se, entrou na ali, com um lápis na mão, e escrevi
te deixará de preocupar-se apenas pia batismal, tomou Nancy pela mão meu discurso de dois minutos e
consigo mesmo quando for designa- e ajudou-a a mergulhar na água que meio. Nunca me esqueci das gaivo-
do a “zelar” pelos outros. limpa a alma humana e proporciona tas. Nunca me esqueci dos gafanho-
E quanto aos sacerdotes? Esses um renascimento espiritual. Ele pro- tos. Nunca me esqueci de como
rapazes têm a oportunidade de feriu as palavras: “Nancy Ann meus joelhos tremiam quando fiz o
abençoar o sacramento, de conti- McArthur, tendo sido comissionado discurso. Nunca me esquecerei da
nuar a cumprir seus deveres no ensi- por Jesus Cristo, eu te batizo em no- experiência de partilhar alguns de
no familiar e a participar da sagrada me do Pai e do Filho e do Espírito meus sentimentos mais íntimos fa-
ordenança do batismo. Santo. Amém”. Sem gaguejar ne- lando do púlpito. Peço-lhes insisten-
Podemos fortalecer-nos uns aos nhuma vez. Não errou nenhuma pa- temente que proporcionem ao
outros; temos a capacidade de per- lavra. Um milagre moderno tinha Sacerdócio Aarônico uma oportuni-
ceber o que se passa despercebido. sido testemunhado. Robert então dade de pensar, refletir e servir.
Se tivermos olhos para ver, ouvidos realizou a ordenança batismal para O Presidente David O. McKay
para ouvir e coração para conhecer mais duas ou três crianças, da mes- disse:
e sentir, poderemos estender a mão ma forma. “Deus nos ajude a todos a sermos
e resgatar aqueles que estão sob nos- No vestiário, cumprimentei fiéis aos ideais do sacerdócio, tanto
sa responsabilidade. Robert, esperando ouvi-lo falar o Aarônico quanto o de
Em Provérbios lemos o seguinte fluentemente. Eu estava errado. Ele Melquisedeque. Que Ele nos ajude a
conselho: “Pondera a vereda de teus olhou para o chão e gaguejou seu magnificarmos nossos chamados e a
pés”.5 agradecimento. inspirarmos os homens por nossas
Tenho grande reverência pelo sa- A todos vocês, irmãos, aqui esta ações, não apenas os membros da
cerdócio do Deus Todo-Poderoso. noite, testifico que quando Robert Igreja, mas todos os homens de toda

A L I A H O N A
58
parte, a terem uma vida mais eleva- sinal que é facilmente reconhecível arbustos quando Abraão se prepa-
da e melhor, ajudando-os a ser me- e sempre infalível. rou para sacrificar seu filho Isaque.
lhores maridos, vizinhos e líderes, Há muitos sinais assim. Quero ci- Não havia dois Seres Celestiais à
em todos os aspectos.”6 tar apenas três deles. Prestem bas- vista quando Joseph se ajoelhou e
O mundo parece estar à deriva, tante atenção. A exaltação de todos orou. Em primeiro lugar, houve o
afastando-se cada vez mais da segu- nós depende destas coisas: teste da fé, depois o milagre.
rança do porto da paz. A licenciosida- Primeiro: A oração nos propor- Lembrem-se de que a fé e a dúvi-
de, a imoralidade, a pornografia e a ciona paz. da não podem existir na mente ao
pressão dos amigos fazem com que Segundo: A fé precede o milagre. mesmo tempo, porque uma afasta a
muitos sejam sacudidos de um lado Terceiro: Sempre é melhor ser outra. Livrem- se da dúvida.
para o outro no mar do pecado e lan- honesto. Cultivem a fé.
çados contra os recifes pontiagudos Em primeiro lugar, falemos sobre Por fim, sempre é melhor ser ho-
das oportunidades perdidas, das bên- a oração. Adão orou; Jesus orou; nesto. Aprendi essa verdade de mo-
çãos negadas e dos sonhos destruídos. Joseph orou. Sabemos qual foi o re- do bastante marcante na época em
Alguns podem perguntar-se, an- sultado da oração que fizeram. que servi na marinha, há cinqüenta
siosos: “Existe um caminho seguro?” Aquele que percebe até a queda de e cinco anos. Depois de três semanas
“Alguém pode guiar-me?” “Há al- um pardal sem dúvida ouvirá à sú- de treinamento isolado, recebemos
gum modo de escaparmos da des- plica de nosso coração. Lembrem-se as boas notícias de que teríamos nos-
truição que nos ameaça?” A da promessa: “Se algum de vós tem so primeiro dia livre e que podería-
resposta, irmãos, é um retumbante falta de sabedoria, peça-a a Deus, mos visitar a cidade de San Diego.
“Sim!” Olhem para o farol do que a todos dá liberalmente, e o não Todos estavam muito ansiosos por
Senhor. Não há neblina tão densa, lança em rosto, e ser-lhe-á dada”.7 aquela mudança na rotina. Quando
noite tão escura, vento tão forte ou Em seguida, a fé precede o mila- nos preparávamos para entrar nos
marinheiro tão perdido que seu fa- gre. Sempre foi assim, e sempre será ônibus para a cidade, o suboficial or-
cho de luz não possa resgatar. Ele assim. Não estava chovendo quando denou: “Vocês estão indo passar um
brilha dentro das tempestades da vi- Noé foi ordenado a construir a arca. dia livre em San Diego. Os que não
da. O farol do Senhor envia seu Não havia um carneiro à vista nos sabem nadar, façam uma fila ali.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
59
Vocês irão para a piscina e terão verdade, por ter nadado com facili- vidente e revelador. Para mim,
uma aula de natação. Só depois te- dade até o outro lado da piscina. aquela foi uma ocasião extraordiná-
rão a permissão de sair”. Lições como essa nos ensinam a ser ria, com respeito ao momento em
Eu sabia nadar desde criança, por verdadeiros: Verdadeiros para com a que você pediu o voto de apoio da
isso preparei-me para entrar no ôni- verdade, com o Senhor, com nossos Igreja.
bus; mas então o suboficial disse ao companheiros, com tudo o que há Naquela manhã, em particular, eu
nosso grupo: “Mais uma coisa, antes de sagrado e precioso para nós. precisava juntar feno para meus ani-
que entrem no ônibus”. Sigam-me! Nunca me esqueci daquela lição. mais. Eu estava ouvindo a conferên-
Em frente, marchem!” Ele fez com O farol do Senhor mostra-nos o cia no rádio de meu caminhão. Eu
que marchássemos até a piscina, or- caminho para um lugar seguro e pa- tinha apanhado o feno, voltado para
denou que tirássemos a roupa e nos ra a alegria eterna, se nos deixarmos o estábulo e estava jogando os fardos
enfileirássemos na borda da parte guiar por seus sinais infalíveis: de feno para fora do caminhão.
mais funda da piscina. Depois orde- A oração nos proporciona paz. Quando então você convocou os ir-
nou: “Pulem na água e nadem a pisci- A fé precede o milagre. mãos do sacerdócio, “onde quer que
na inteira”. Naquele grupo, Sempre é melhor ser honesto. estivessem”, a prepararem-se para
supostamente formado apenas por Testifico-lhes nesta noite que apoiar o Profeta, achei que estava fa-
pessoas que sabiam nadar, havia dez Jesus é realmente o Cristo, nosso lando comigo. Fiquei em dúvida se o
que tinham pensado que consegui- amado Redentor e Salvador. Somos Senhor Se ofenderia por eu estar to-
riam enganar os outros. Eles não sa- guiados por um profeta do Deus do suado e sujo. Mas segui sua ins-
biam nadar. E entraram na água, por Todo -Poderoso: o Presidente trução e desci do caminhão.
bem ou por mal. Foi quase uma tragé- Gordon B. Hinckley. Sei que vocês Nunca me esquecerei daquele
dia. Os suboficiais deixaram que eles compartilham dessa mesma certeza. momento em que eu estava sozinho
afundassem uma ou duas vezes, antes Quero terminar lendo uma carta no estábulo, com o chapéu na mão,
de estenderem uma vara de bambu simples porém muito significativa com o suor escorrendo pelo rosto e
para puxá-los até um lugar seguro. que expressa o amor que sentimos o braço erguido em ângulo reto para
Com poucas palavras escolhidas, os por nosso profeta e por sua liderança: apoiar o Presidente Hinckley. As lá-
suboficiais então disseram: “Isso irá “Caro Presidente Monson, grimas misturaram-se ao suor, quan-
ensiná-los a dizer a verdade!” Há cinco anos, o Presidente do me sentei para pensar por vários
Fiquei muito grato por ter dito a Hinckley foi apoiado como profeta, minutos naquela ocasião sagrada.
Em nossa vida, colocamo-nos em
determinados lugares nos quais
eventos de conseqüências ainda
maiores ocorrem. Isso aconteceu co-
migo, mas nenhum foi mais espiri-
tual, precioso e memorável do que
aquela manhã no estábulo, tendo a
companhia apenas das vacas e de
um cavalo malhado.
Sinceramente,
Clark Cederlof”
Presidente Hinckley, nós, os ir-
mãos do sacerdócio da Igreja, o
amamos e o apoiamos. Presto teste-
munho disso, em nome de Jesus
Cristo. Amém. 

NOTAS
1. D&C 107:99
2. Millennial Star, 22 de setembro de
1890, pp. 595–596; grafia atualizada
3. Ver o Relatório da Conferência
Geral de outubro de 1952, p. 17.
4. “A Guerra que Estamos Vencendo”,
A Liahona, janeiro de 1987, pp. 42–44.
5. Provérbios 4:26
6. Relatório da Conferência Geral de
outubro de 1967, p. 97.
7. Tiago 1:5.

A L I A H O N A
60
minoria, mas mesmo a perda de uma
“A Paz de Teus Filhos única alma já é demais.
Pais, vocês e as mães têm uma
responsabilidade da qual não podem
Será Abundante” esquivar-se. Vocês são os pais de
seus filhos. Vocês transmitiram para
eles sua herança genética.
Presidente Gordon B. Hinckley Enquanto estamos nesta reunião,
sei que alguns deles estão passeando
pela cidade. Eles ou os amigos deles
têm carro, em muitos casos compra-
do pelos próprios pais. Eles entrega-
ram as chaves aos filhos e
“No que tange à sua felicidade, às coisas que lhes trarão orgulho ou desejaram-lhes bom divertimento.
desgosto, nada, repito, nada exercerá efeito tão profundo sobre vocês Eles querem viver emoções for-
quanto o que seus filhos vierem a tornar-se.” tes. Acham que não poderão satisfa-
zer esse desejo com entretenimento
felicidade, às coisas que lhes trarão sadio. São volúveis e estão sempre
orgulho ou desgosto, nada, repito, em busca de algo que os faça senti-
nada exercerá efeito tão profundo rem-se homens.
sobre vocês quanto o que seus filhos Um policial amigo meu contou-
vierem a tornar-se. me recentemente sobre dois rapazes
Vocês vão alegrar-se e orgulhar- que viu na traseira de uma viatura
se das realizações deles ou chorarão, policial, algemados. Eles haviam ini-
com as mãos no rosto, tristes e des- ciado a noite de maneira inocente.
consolados, se eles lhes causarem Quatro deles saíram de carro dispos-
decepções ou constrangimento. tos a arranjar confusão. E não de-
Muitos de vocês estão nesta reu- morou muito: logo se envolveram
nião acompanhados dos filhos. numa briga. A polícia chegou, e eles
Recebam meus elogios mais efusi- foram detidos e algemados.
vos. Gostaria também de elogiar os Esses eram rapazes bons; não
filhos. Tanto vocês como eles estão eram do tipo que vai parar na dele-
com a melhor companhia possível. gacia com freqüência. A mãe de um
Tenho grande orgulho de muitos de deles alertara-o antes de ele sair de
nossos jovens — tanto rapazes casa: “Coisas ruins acontecem de-
quanto moças. Eles são brilhantes. pois das 11h da noite”.

O s rapazes presentes hoje à


noite receberam conselhos
maravilhosos. Espero que
tenham ouvido com atenção e que
sua vida seja influenciada para o
Possuem autodisciplina. Têm uma
perspectiva ampla e o raciocínio
veloz. Hoje à noite, estão onde de-
veriam estar. Alguns estão cantan-
do neste coro. Estão reunidos em
Ele não tardou a aprender o sig-
nificado daquela frase. Ele ficou en-
vergonhado e sem coragem de
encarar a mãe.
Falei para as irmãs da Sociedade
bem em decorrência disso. congregações em todo o mundo. de Socorro sobre as festas secretas
Decidi dirigir-me aos pais. Vocês Estão servindo como missionários. realizadas em ambientes fechados,
já sabem do que vou falar. As espo- A duras penas, estão estudando e regadas a drogas, que se chamam
sas já devem ter dito qual será o as- abrindo mão de prazeres no presen- “rave”. Nesses locais, com uma ilu-
sunto de hoje. Pedi a elas que o te em troca de oportunidades futu- minação alucinante e músicas ba-
fizessem, duas semanas atrás, na ras. Eu os admiro. Eu os amo, e rulhentas (se é que se pode chamar
conferência da Sociedade de vocês também os amam. Eles são de música), rapazes e moças dan-
Socorro. É possível que eu diga hoje nossos filhos e filhas. çam e rodopiam. Vendem e com-
algumas das mesmas coisas que disse Espero, oro e suplico que eles pram drogas. A droga chama-se
a elas. Lembro-lhes de que a repeti- continuem no caminho que estão “ecstasy” e é derivada da metanfe-
ção é uma lei do aprendizado. trilhando agora. tamina. Os usuários desse entorpe-
Este é um assunto que levo muito Contudo, é triste dizer, sei que al- cente usam chupetas de bebê
a sério. Trata-se de algo com que me guns de nossos rapazes estão envol- porque ficam com vontade de ran-
preocupo imensamente. Espero que vidos ou envolvendo - se com o ger os dentes. A música ensurdece-
vocês não o negligenciem. Diz res- lamaçal repulsivo da imoralidade, dora e a dança enlouquecida
peito ao bem mais precioso que vo- das drogas, da pornografia e do fra- continuam até as 7h30 da manhã
cês possuem. No que tange à sua casso. Espero que constituam a de domingo. Para onde isso tudo

J A N E I R O D E 2 0 0 1
61
As telas gigantescas ajudam os membros sentados em áreas distantes do auditório a ver os integrantes do coro
e os oradores.

leva? Para lugar nenhum. É um be- envolvente e vicia. Pode levar um traz a história de uma menina de
co sem saída. rapaz ou moça à destruição, e isso é doze anos que ficou viciada na
Agora surgiu outro costume nes- certo, não há como negar. A porno- Internet. Pela rede, entrou em con-
sa busca desenfreada por coisas no- grafia é um negócio vil e desprezível tato com um admirador. Uma coisa
vas, diferentes e arriscadas. Os que enriquece quem a promove, levou a outra, e as mensagens torna-
jovens asfixiam uns aos outros. Os mas empobrece e arrasa as vítimas. ram-se sexualmente explícitas. Ao
rapazes asfixiam as moças até elas Dói-me dizer que muitos pais conversar com ele, ela achou que
desmaiarem. Recentemente, numa também se deixam levar pelo apelo fosse um menino aproximadamente
escola da região, uma menina com dos negociantes de pornografia. da mesma idade que ela.
problemas de saúde foi sufocada até Alguns deles também buscam na Quando o conheceu pessoalmen-
ficar inconsciente. Só a ação rápida Internet materiais obscenos e bai- te, deparou-se com “um homem alto,
de uma equipe de paramédicos con- xos. Se houver algum homem ao al- obeso e grisalho”. Tratava-se de um
seguiu salvar-lhe a vida. cance de minha voz que se esteja maníaco, um pedófilo perigoso. A
Será que os rapazes que se envol- envolvendo com isso ou propenso a mãe dela, com a ajuda do FBI, sal-
vem nessas práticas ridículas têm fazê-lo, suplico que elimine isso de vou-a do que poderia ter sido uma
consciência de que, com essas brin- sua vida. Fuja. Mantenha distância. tragédia da pior espécie. (Ver
cadeiras de mau gosto, poderão aca- Do contrário, isso se tornará uma Stephanie Mansfield, “The Avengers
bar tendo que responder por obsessão. Destruirá sua vida familiar. Online”, Reader’s Digest, janeiro de
homicídio? Se isso acontecer, a vida Destruirá seu casamento. Tirará o 2000, pp. 100–104)
deles será destruída para sempre. que há de bom e belo em seus rela- Nossos jovens defrontam-se com
Se eles quiserem envolver-se com cionamentos familiares e colocará essas tentações por todas as partes.
pornografia, podem fazê-lo com mui- no lugar o que é feio e suspeito. Eles precisam do auxílio dos pais pa-
ta facilidade. Podem pegar o telefone A vocês rapazes e às moças com ra resistir. Precisam de uma grande
e discar um número de conhecimen- quem se relacionam, rogo que não dose de autodomínio. Necessitam
to público. Podem sentar-se diante contaminem a mente com essas coi- do apoio de bons amigos e da oração
do computador e ver imagens imun- sas repugnantes e nocivas. Elas têm para fortalecerem-se contra essa en-
das que circulam livremente pela o objetivo de atraí-los e enredá-los xurrada de imundície.
Internet. em suas garras. Tirarão o que há de A discussão em torno da orienta-
Temo que isso possa estar aconte- belo em sua vida. Levarão vocês às ção que os pais devem oferecer aos
cendo no lar de alguns de vocês. É trevas e à imundície. filhos não é nova. Talvez agora este-
algo pernicioso, sórdido e abjeto. É Um artigo recente de uma revista ja mais em voga do que nunca, mas

A L I A H O N A
62
Membros caminham pela nova praça no lado leste do Templo de Salt Lake.
Autoridades Gerais de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
PRIMEIRA PRESIDÊNCIA Outubro de 2000

Presidente Thomas S. Monson Presidente Gordon B. Hinckley Presidente James E. Faust


Primeiro Conselheiro Segundo Conselheiro
QUÓRUM DOS DOZE

Boyd K. Packer L. Tom Perry David B. Haight Neal A. Maxwell Russell M. Nelson Dallin H. Oaks

M. Russell Ballard Joseph B. Wirthlin Richard G. Scott Robert D. Hales Jeffrey R. Holland Henry B. Eyring

PRESIDÊNCIA DOS SETENTA

L. Aldin Porter Earl C. Tingey D. Todd Christofferson Marlin K. Jensen David E. Sorensen Ben B. Banks Dennis B. Neuenschwander
PRIMEIRO QUÓRUM DOS SETENTA SEGUNDO QUÓRUM DOS SETENTA

Angel Abrea Carlos H. Amado Neil L. Andersen Merrill J. Bateman William R. Bradford Monte J. Brough John K. Carmack Richard D. Allred Athos M. Amorim E. Ray Bateman L. Edward Brown Douglas L. Callister Val R. Christensen Darwin B. Christenson

Sheldon F. Child Gary J. Coleman Spencer J. Condie Gene R. Cook Quentin L. Cook Robert K. Dellenbach John B. Dickson Richard E. Cook Claudio R. M. Costa Keith Crockett Adhemar Damiani Duane B. Gerrard H. Aldridge Gillespie Ronald T. Halverson

Charles Didier Vaughn J. John H. Groberg Bruce C. Hafen Donald L. Hallstrom F. Melvin Hammond Harold G. Hillam Wayne M. Hancock J. Kent Jolley Richard J. Maynes Dale E. Miller Earl M. Monson Merrill C. Oaks Robert C. Oaks
Featherstone

F. Burton Howard Jay E. Jensen Kenneth Johnson L. Lionel Kendrick W. Rolfe Kerr Yoshihiko Kikuchi Cree-L Kofford Stephen B. Oveson Bruce D. Porter H. Bryan Richards Ned B. Roueché Dennis E. Simmons Donald L. Staheli David R. Stone

John M. Madsen Lynn A. Mickelsen Glenn L. Pace Rex D. Pinegar Hugh W. Pinnock Carl B. Pratt Ronald A. Rasband H. Bruce Stucki Jerald L. Taylor D. Lee Tobler Gordon T. Watts Stephen A. West Robert J. Whetten Richard H. Winkel

Lynn G. Robbins Cecil O. Dieter F. Uchtdorf Francisco J. Viñas Lance B. Wickman W. Craig Zwick Richard B. Wirthlin Ray H. Wood Robert S. Wood
Samuelson jr
BISPADO PRESIDENTE

Richard C. Edgley H. David Burton Keith B. McMullin


Primeiro Conselheiro Bispo Presidente Segundo Conselheiro
À esquerda: O Presidente Gordon B. Hinckley chega para
uma sessão da conferência, acompanhado do Presidente
Thomas S. Monson, Primeiro Conselheiro na Primeira
Presidência.

Abaixo: O Presidente Hinckley acena seu lenço branco,


seguido pela congregação, durante o Brado de Hosana na
dedicação do Centro de Conferências realizada na manhã
de domingo.

A L I A H O N A
66
todas as gerações já debateram al- ele. Isaías afirmou: “E todos os teus média anual de U$ 22.895,00. Mas
gum aspecto da questão. filhos serão ensinados do Senhor; e à medida que aumentava o nível de
Em 1833, o próprio Senhor re- a paz de teus filhos será abundante”. instrução, aumentava também a di-
preendeu Joseph Smith, e seus con- (Isaías 54:13) ferença. Alguém com diploma de
selheiros e o Bispo Presidente. Assim, guiem seus filhos, condu- graduação universitária ganhava,
Depois, falou ao Profeta Joseph zam-nos e orientem-nos desde a em média, U$ 40.478,00 por ano.
Smith de maneira clara e inconfun- tenra infância, ensinem-lhes os ca- Por fim, um portador de diploma de
dível; como dissera aos outros: “Tu minhos do Senhor para que a paz pós-graduação auferia U$ 20.000,00
não guardaste os mandamentos e lhes seja uma companheira constan- a mais, recebendo, na média nacio-
necessário é que sejas repreendido te ao longo de toda a vida. nal, U$ 63.229,00 por ano, segundo
perante o Senhor. Mencionei para as irmãs da o levantamento do censo”. (Nicole
Tua família precisa arrepender-se Sociedade de Socorro várias coisas A. Bonham, “Does an Advanced
e abandonar certas coisas e prestar específicas que elas deveriam ensi- Degree Pay Off?” Utah Business, se-
mais atenção a tuas palavras; caso nar aos filhos. Gostaria de repeti-las tembro de 2000, p. 37)
contrário, será removida de seu lu- hoje à noite, resumidamente, utili- Ensinem os filhos a terem auto-res-
gar”. (D&C 93:47–48) zando palavras um pouco diferentes. peito. Ensinem-lhes que o corpo é
O que especificamente ocasionou Em primeiro lugar, incentivem-nos a uma criação do Todo-Poderoso. Que
essas censuras eu não sei. Mas sei nutrirem boas amizades. Todo menino coisa miraculosa, prodigiosa e linda
que a situação era séria o bastante e e menina deseja ter amigos. é o corpo humano.
que o futuro reservava vários peri- Ninguém gosta de ficar sozinho. O Como falamos aqui nesta noite,
gos para que o próprio Senhor falas- calor humano, o afeto e o compa- Paulo, em sua primeira epístola aos
se com tanta clareza e fizesse tais nheirismo de um amigo significam coríntios, disse: “Não sabeis vós que
advertências. tudo para um menino ou menina. sois o templo de Deus e que o
A meu ver, Ele também nos fala Esse amigo pode ser tanto uma in- Espírito de Deus habita em vós?
com clareza e faz-nos alertas. Meu co- fluência para o bem como para o Se alguém destruir o templo de
ração compunge-se por nossos jo- mal. As gangues de rua, tão perni- Deus, Deus o destruirá; porque o
vens, que muitas vezes estão muito ciosas, são um exemplo de amizades templo de Deus, que sois vós, é san-
sozinhos. Eles estão cercados por es- destrutivas. Por outro lado, o conví- to”. (I Coríntios 3:16–17)
ses males por todos os lados. Espero vio saudável dos jovens na igreja e Hoje em dia vemos a febre da ta-
que eles possam dividir o fardo com na escola com amigos que tenham os tuagem. Não consigo entender por
vocês, pais e mães. Espero que vocês mesmos princípios e interesses pode que um rapaz ou moça poderia que-
ouçam, que sejam pacientes e com- levá-los a querer superar os próprios rer submeter-se ao processo doloro-
preensivos para que assim consigam limites e sair-se bem em todas as so de desfigurar a própria pele com
atraí-los para perto de vocês e os con- suas atividades. Abram as portas de várias representações multicores de
solem e fortaleçam em sua solidão. casa para os amigos de seus filhos. Se pessoas, animais e símbolos diversos.
Orem pedindo orientação. Orem pe- acharem que eles têm um apetite fo- A tatuagem é um processo perma-
dindo paciência. Orem para terem ra do comum, só fechem os olhos e nente, a menos que se recorra a ou-
força e amor, ainda que o pecado te- deixem-nos comer. Façam amizade tro procedimento doloroso e caro
nha sido grave. Orem suplicando com os amigos de seus filhos. para retirar as marcas. Pais, alertem
compreensão e bondade e, acima de Ensinem-lhes a importância do es- os filhos para que não tatuem o cor-
tudo, sabedoria e inspiração. tudo. O Senhor conferiu aos jovens po. Pode ser que eles se oponham a
Na minha opinião, esta é a época de Sua Igreja a responsabilidade de seus conselhos hoje, mas um dia
mais maravilhosa de toda a história treinarem a mente de modo a prepa- agradecerão. A tatuagem é um “gra-
do mundo. Por algum motivo, foi rarem-se para servir na sociedade fite” no templo do corpo.
permitido a vocês e a mim vir à que logo integrarão. A Igreja será Da mesma forma, existem os
Terra neste período em que o co- abençoada em decorrência da exce- “piercings”, as perfurações do corpo
nhecimento está progredindo de lência deles. Além do mais, eles se- para o uso de vários brincos nas ore-
maneira tão formidável. Que tragé- rão amplamente recompensados lhas, no nariz e até na língua. Será
dia, que coisa lastimável e terrível é pelo esforço que fizerem. que realmente há quem ache isso
ver um filho ou filha em quem depo- Ouçam algo que retirei de um ar- bonito? Trata-se de uma moda pas-
sitávamos tanta confiança entrar no tigo recente da imprensa: “Os dados sageira, mas seus efeitos podem ser
caminho tortuoso que conduz ao in- do último censo indicavam que o sa- permanentes. Algumas pessoas fize-
ferno. Por outro lado, como é glorio- lário anual de alguém sem nível uni- ram coisas tão extremas que precisa-
so e belo ver o filho de seus sonhos versitário nem secundário era de ram submeter- se a cirurgias
andar com a cabeça erguida, atin- pouco mais de U$ 16.000,00 em reparadoras. A Primeira Presidência
gindo seu potencial, destemido e 1997. A diferença não era muito e o Quórum dos Doze Apóstolos de-
confiante, tirando partido das infini- grande para quem apenas concluíra clararam que desaconselham as ta-
tas oportunidades que se abrem para a escola secundária: uma renda tuagens e também a perfuração do

J A N E I R O D E 2 0 0 1
67
situações que levem à tristeza, ao
pesar e, por fim, ao divórcio. O di-
vórcio tornou-se muito comum em
nosso meio. Há um número elevado
de pessoas violando os convênios
solenes que fizeram diante de Deus
em Sua santa casa.
Brigham Young disse certa vez:
“Depois de casarem-se, em vez de
tentarem livrar-se um do outro, refli-
tam que vocês já fizeram sua escolha
e empenhem-se para honrá-la e pre-
servá-la. Não dêem a entender às
pessoas que vocês agiram de maneira
insensata, que fizeram uma escolha
ruim; tampouco digam a ninguém
que vocês acham que o fizeram.
Vocês fizeram sua escolha; agarrem-
se a ela e esforcem-se para apoiar e
auxiliar um ao outro”. (Deseret
News, 29 de maio de 1861, p. 98)
Afinal, o divórcio representa um
casamento fracassado.
Muitos homens tornam-se críti-
cos contumazes. Contudo, se pres-
tassem atenção às virtudes da
esposa em vez de procurar as falhas,
o amor floresceria e o lar seria um
O organista John Longhurst ao console do órgão do Centro de Conferências. lugar seguro.
Ensinem os filhos a orar. Nenhum
corpo, exceto para fins médicos”. com mentiras, engodos e que se outro recurso se compara à oração.
Contudo, não nos pronunciamos justificam dizendo que uma mentiri- Ao pensarmos que cada um de nós
contra a “perfuração discreta das nha não faz mal a ninguém. Na ver- pode dirigir-se a nosso Pai Celestial,
orelhas pelas mulheres para o uso de dade as coisas não são assim, porque que é o grandioso Deus do universo,
um par de brincos” — um par. as pequenas mentiras levam a outras e pedir auxílio pessoal, orientação,
Ensinem-nos a manterem distância maiores, e as prisões deste país são a força e fé, perceberemos que isso
das drogas. Já se falou bastante desse melhor prova desse fato. por si só já é um milagre. Foi Ele
assunto aqui. Já falei sobre o “ecs- Ensinem-nos a serem virtuosos. Não mesmo que nos convidou a achegar-
tasy”. Vocês querem que seus filhos se pode ter paz em meio à impureza mo-nos Dele. Não percamos a opor-
tenham a paz mencionada por sexual. Nosso Pai Celestial colocou tunidade que Ele nos concedeu.
Isaías? Eles não desfrutarão essa paz dentro de nós os desejos que nos tor- Que Deus os abençoe, queridos
caso se envolvam com as drogas. nam atraentes uns para os outros, ra- pais. Que Ele os abençoe com sabe-
Essas substâncias ilegais os privarão pazes e moças, homens e mulheres. doria, discernimento, compreensão,
do autocontrole e os dominarão a Todavia, esses impulsos devem vir autodisciplina, autodomínio, fé,
tal ponto que eles farão qualquer acompanhados de autodisciplina — bondade e amor. E que Ele abençoe
coisa, dentro ou fora da lei, para rígida, forte e inabalável. os filhos que pôs em seu lar. Que sua
conseguir mais uma dose. Ensinem-nos a ansiarem pelo dia influência os fortaleça, edifique e
Ensinem-lhes a virtude da honesti- em que poderão casar-se na casa do guie, ajudando-os a trilhar o espi-
dade. Não há nenhum substituto Senhor, chegando ao altar livres de nhoso caminho da vida. À medida
neste mundo para o homem ou mu- manchas e males de qualquer natu- que passarem os anos, e passarão
lher, rapaz ou moça que sejam ho- reza. Eles serão gratos todos os dias com extrema rapidez, espero que
nestos. Não há palavras falsas que de sua vida por terem-se casado no vocês sintam a paz “que excede todo
enodoem sua reputação. Não há ne- templo dignamente, sob a autorida- o entendimento” (Filipenses 4:7) ao
nhum engano que macule sua cons- de do santo sacerdócio. olharem seus filhos e filhas, que por
ciência. Eles podem andar de cabeça Agora vou falar bem especifica- sua vez também sentirão essa paz sa-
erguida, indiferentes às pessoas de mente para os homens. grada e maravilhosa. Essa é minha
padrões menos elevados que cons- Estejam atentos às mudanças em humilde oração, em nome do
tantemente se permitem envolver sua vida para não se enredarem em Senhor Jesus Cristo. Amém. 

A L I A H O N A
68
Sessão da Manhã de Domingo era menino e perdia alguma coisa,
8 de outubro de 2000 como meu precioso canivete, apren-
di que se orasse com suficiente fer-

Um Testemunho vor eu normalmente a encontrava.


E sempre consegui encontrar as va-
cas perdidas que me haviam sido

Crescente confiadas. Às vezes, eu tinha que


orar mais de uma vez, mas minhas
orações sempre pareciam ser atendi-
Presidente James E. Faust
das. Às vezes a resposta era não,
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência mas na maioria das vezes elas eram
positivas e confirmadoras. Mesmo
quando a resposta era não, aprendi
que na grande sabedoria do Senhor
a resposta que eu recebia era sempre
o melhor para mim. Minha fé conti-
“Ao refletir sobre a minha vida, reconheço uma fonte especial de força e nuou a crescer à medida que novos
bênçãos. É meu testemunho e o conhecimento que tenho de que Jesus é o tijolos foram acrescentados àquela
Cristo.” pedra de esquina, linha sobre linha
e preceito sobre preceito. Tenho
Cristo é nosso Salvador e o tantas experiências como essas que
Redentor do mundo. Como esse não me seria possível citá-las uma
testemunho foi forjado pela expe- por uma, e algumas são por demais
riência de toda uma vida, é preciso sagradas para serem relatadas.
que eu relate minhas experiências, Essas primeiras sementes de fé
que são de natureza muito pessoal. brotaram ainda mais quando eu era
Mas esse testemunho é meu, e sinto um jovem do Sacerdócio Aarônico e
que o Salvador sabe que sei que Ele tive a confirmação do notável de-
vive. poimento das Três Testemunhas so-
A primeira pedra de esquina de bre a veracidade do Livro de
meu testemunho foi assentada há Mórmon. Meu presidente de estaca
muito tempo. Uma de minhas pri- era o Presidente Henry D. Moyle, e
meiras lembranças é de quando tive seu pai era James H. Moyle. No ve-
um pesadelo assustador, quando rão, o irmão James H. Moyle visita-
criança. Lembro-me dele com clare- va sua família e assistia às reuniões
za. Devo ter gritado de medo no conosco em nossa pequena ala no
meio da noite. Minha avó acordou- sudeste do vale do Lago Salgado.
me. Eu estava chorando, e ela to- Certo domingo, o irmão James H.
mou-me nos braços e consolou-me. Moyle contou-nos uma experiência

M eus amados irmãos, irmãs


e amigos, já vivi muito
tempo. Ao refletir sobre a
minha vida, reconheço uma fonte
especial de força e bênçãos. É meu
Foi buscar um pedaço do meu pu-
dim de arroz preferido, que tinha so-
brado do jantar, e sentou-me no seu
colo, enquanto me dava de comer
na boca. Disse que estávamos a sal-
muito marcante. Quando jovem, ele
foi para a Universidade de Michigan
estudar direito. Ao terminar o cur-
so, seu pai lhe disse que David
Whitmer, uma das testemunhas do
testemunho e o conhecimento que vo em casa, porque Jesus estava cui- Livro de Mórmon, ainda estava vi-
tenho de que Jesus é o Cristo, o dando de nós. Senti que era vo. O pai sugeriu que o filho apro-
Salvador e Redentor de toda a hu- verdade, e ainda acredito nisso hoje. veitasse para conversar com David
manidade. Sinto-me profundamente Fui consolado tanto física quando Whitmer, face a face, em sua viagem
grato por ter tido durante toda a vi- espiritualmente e voltei tranqüila- de volta para Salt Lake City. O pro-
da a fé singela de que Jesus é o mente para a cama, com a certeza pósito do irmão Moyle era perguntar
Cristo. Esse testemunho foi-me con- da realidade divina de que Jesus a David Whitmer algo a respeito de
firmado centenas de vezes. É o co- realmente cuida de nós. seu testemunho sobre as placas de
nhecimento supremo de minha Aquela primeira experiência me- ouro e o Livro de Mórmon.
alma. É a luz espiritual de meu ser. É morável levou a outras fortes confir- Durante a conversa que teve com
a pedra angular de minha vida. mações de que Deus vive e de que David Whitmer, o irmão Moyle per-
Como um dos menores dentre Jesus é nosso Senhor e Salvador. guntou: “O senhor é um homem ido-
vocês, mas em meu chamado como Muitas delas vieram como resposta so, e eu sou jovem. Estive estudando
um de Seus Apóstolos, testifico que a uma oração sincera. Quando eu a respeito das testemunhas e seu

J A N E I R O D E 2 0 0 1
69
teríamos. Nossa alegria aumentou
com nossos netos e bisnetos. Foi só
pelo poder de uma bênção do sacer-
dócio que isso veio acontecer.
Juntamente com as bênçãos, po-
rém, tive algumas experiências difí-
ceis e tristes. Sinto-me grato pelas
lições que aprendi com essas adversi-
dades. Quando jovem, vivi na época
da Grande Depressão, quando os
bancos faliram e muitos perderam o
emprego, a casa e passaram fome.
Tive a felicidade de conseguir um
emprego em uma fábrica de enlata-
dos, que pagava 25 centavos de dó-
lar a hora. Provavelmente eu não
merecesse um salário maior que es-
se! Mas ele ajudou-me a terminar
meus estudos. Servi três longos anos
nas forças armadas, durante a
Segunda Guerra Mundial. Certa vez,
quando estávamos correndo o risco
O lado sul do Centro de Conferências. de nosso navio emborcar em uma
terrível tempestade no Pacífico, co-
depoimento. Peço que me conte a esses países. Hoje há 643 estacas na loquei minha vida nas mãos do
verdade a respeito de seu depoimen- América Latina. Creio que isso é Senhor e prometi-Lhe fervorosa-
to como uma das testemunhas do apenas o início. O que aconteceu mente que caso sobrevivesse eu pro-
Livro de Mórmon”. David Whitmer estava bem além de meus sonhos curaria servi-Lo todos os dias de
disse ao rapaz: “Sim, eu segurei as mais fantasiosos. É um dos muitos minha vida.
placas de ouro em minhas mãos, e milagres que testemunhei na vida. Houve ocasiões em que vacilei e
elas nos foram mostradas por um an- Testemunho que tudo isso não po- fiz menos do que deveria ter feito.
jo. Meu testemunho a respeito do deria ter acontecido sem a interven- Todos passamos por esses momentos
Livro de Mórmon é verdadeiro”. ção divina do Senhor, que está difíceis, decisivos e dolorosos, que
David Whitmer não era mais mem- cuidando deste santo trabalho, não nos elevam para um nível mais alto
bro da Igreja, mas jamais negou seu apenas na América Latina, mas em de espiritualidade. Eles são o
testemunho da visita do anjo, de ter todos os países do mundo. Getsêmani de nossa vida e são
segurado as placas ou da veracidade Em minha longa vida, encontrei acompanhados de muito sofrimento
do Livro de Mórmon. Ao ouvir pes- paz, alegria e felicidade bem maiores e angústia. Muitas vezes são sagra-
soalmente essa notável experiência, do que jamais sonhara receber. Uma dos demais para serem relatados em
diretamente dos lábios do irmão das maiores bênçãos de minha vida público. São experiências decisivas
Moyle, meu crescente testemunho foi meu casamento com uma filha que nos ajudam a livrar-nos dos de-
foi fortalecido de modo vigoroso eleita de Deus. Eu a amo de todo o sejos impuros pelas coisas do mun-
e confirmador. Depois de ouvir esse meu coração e de toda a minha al- do. Quando as escamas do
testemunho, senti que tinha uma ma. Sobre as asas de seu espírito fui materialismo são tiradas de nossos
grande responsabilidade sobre os arrebatado até montanhas muito al- olhos, vemos mais claramente quem
ombros. tas.1 Casamo-nos no Temple de Salt somos e quais são nossas responsabi-
Uma das pedras fundamentais de Lake, há 57 anos, quando eu era um lidades com respeito a nosso destino
meu testemunho ocorreu quando eu soldado na Segunda Guerra Mundial divino.
servia na minha primeira missão no e não sabia se voltaria para casa vi- Reconheço humildemente que es-
Brasil, quando rapaz. Naquela épo- vo. Sua forte e inabalável fé e seu sas muitas experiências produziram
ca, o trabalho era muito difícil e in- apoio fortaleceram meu próprio tes- em mim um conhecimento seguro de
frutífero. Não podíamos prever a temunho nos momentos difíceis e de que Jesus é nosso Salvador e
grande afluência do Espírito do provação. A eterna jornada prometi- Redentor. Ouvi a Sua voz e senti Sua
Senhor que ocorreria naquele país e da, se eu for digno de merecê-la, será influência e presença. Elas foram
nos países vizinhos da América do maravilhosa com ela a meu lado. como um manto cálido e espiritual. O
Sul, Central e no México, nos anos Outra grande bênção de minha mais maravilhoso disso é que todos
subseqüentes. Há sessenta anos, vida foram os filhos que tivemos, aqueles que conscientemente se es-
havia apenas uma estaca em todos mesmo achando que talvez não os forçam em guardar os mandamentos

A L I A H O N A
70
e apoiar seus líderes podem realizarmos convênios que serão vá- testificar naquela ocasião, dizendo:
receber uma parte desse mesmo co- lidos no mundo vindouro. “Considero que uma das princi-
nhecimento. O privilégio de servir na Tal como Alma, posso testificar pais exigências para o santo aposto-
causa do Mestre pode nos proporcio- que “todas as coisas mostram que lado seja um testemunho pessoal de
nar grande satisfação e paz interior. existe um Deus; sim, até mesmo a Jesus como o Cristo e o Divino
O testemunho unido à fé dos pri- Terra e tudo que existe sobre a sua fa- Redentor. Com base apenas nisso,
meiros membros da Igreja levaram- ce, sim, e seu movimento, sim, e tam- talvez eu possa qualificar-me. Essa
nos de Palmyra até Kirtland, e de bém todos os planetas que se movem verdade foi-me dada a conhecer por
Nauvoo até o vale do Lago Salgado. em sua ordem regular testemunham meio da indescritível paz e poder do
Por fim, essa fé estabelecerá esta obra que existe um Criador Supremo”.3 Espírito de Deus.”6
em todo o mundo. Essa força de tes- Em uma revelação dada ao Desde que aceitei o chamado há
temunho e fé faz o trabalho de Deus Profeta Joseph Smith que sei ser muitos anos, meu testemunho segu-
progredir de modo maravilhoso. O verdadeira, o Salvador testificou so- ro aumentou muito. Isso graças a
poder do Senhor está neste trabalho, bre Si mesmo com as seguintes pala- meu inegável testemunho de que
como demonstram os maravilhosos vras: “Eu sou a verdadeira luz que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus.
acontecimentos de nosso tempo. ilumina todo homem que vem ao Meu maior desejo é ser verdadei-
O Presidente Gordon B. Hinckley mundo; ro e fiel até o final de meus dias aqui
preside provavelmente o maior nú- E ( . . . ) eu estou no Pai e o Pai nesta Terra. Que todos possamos fa-
mero de fiéis que já houve sobre a fa- em mim; e o Pai e eu somos um”.4 zê-lo, é minha oração em nome de
ce da Terra. Testifico que ele é O Senhor prometeu que “toda al- Jesus Cristo. Amém. 
realmente um grande profeta. Ele ma que abandonar seus pecados e
precisa de seguidores fiéis. A grande vier a mim e invocar meu nome e NOTAS
força desta Igreja provém de nosso obedecer a minha voz e guardar 1. Ver 2 Néfi 4:25.
testemunho coletivo e individual, meus mandamentos verá minha face 2. Malaquias 3:10.
forjado por nossas próprias provações e saberá que eu sou”.5 3. Alma 30:44.
e fidelidade. A fidelidade dos santos Quando fui chamado ao santo 4. D&C 93:2–3.
permitiu que este grande Centro de apostolado, há muitos anos, meu 5. D&C 93:1.
Conferências fosse construído e dedi- firme testemunho inspirou-me a 6. A Liahona, abril de 1979, p. 29.
cado em nome do Senhor neste dia
histórico. Ele é único no mundo. São
maravilhosas e grandiosas as obras do
Senhor em nossos dias. Como povo,
ainda não somos o que deveríamos
ser, estamos longe disso. No entanto,
espero que nos esforcemos ainda
mais para tornar-nos um povo mais
justo e digno de continuar a receber
as bênçãos do céu.
O aceleramento da construção
de templos em nossa época tem sido
maravilhoso. Por meio da visão pro-
fética do Presidente Hinckley, temos
hoje muitos templos, que estão em
muitas nações desta Terra. Essa no-
tável realização foi possível graças
aos fiéis dizimistas. Isso, por sua vez,
fez com que o Senhor cumprisse Sua
promessa feita por intermédio de
Malaquias: “Fazei prova de mim nis-
to, diz o Senhor dos Exércitos, se eu
não vos abrir as janelas do céu, e
não derramar sobre vós uma bênção
tal até que não haja lugar suficiente
para a recolherdes”. 2 Todos esses
magníficos edifícios sagrados são um
testemunho de nossa crença de que
o Salvador rompeu as cadeias da
morte e nos abriu o caminho para

J A N E I R O D E 2 0 0 1
71
Em seguida, o Sr. Allen acrescenta:
Discipulado “Se um homem alterar radical-
mente seus pensamentos, ficará atô-
nito diante da rápida transformação
Élder L. Tom Perry que isso acarretará nas condições
Do Quórum dos Doze Apóstolos materiais de sua vida. Os homens
pensam que podem manter secreto
o seu pensamento, mas não podem;
ele se cristaliza rapidamente num
hábito, e o hábito determina o cará-
“Criemos ( . . . ) um processo contínuo que nos aproxime do nosso Senhor ter.” (As a Man Thinketh, pp. 33–34)
e Salvador, para que sejamos contados entre Seus discípulos.” Sem dúvida, uma das áreas que
devemos diligentemente lutar para
Contudo, é nos cantos escondidos manter limpa é a dos nossos pensa-
da nossa vida, onde há coisas que só mentos. O ideal é mantê-los volta-
nós sabemos, que precisamos ser dos para as coisas espirituais.
particularmente cuidadosos para ter Talvez outro canto que possa
certeza de que estamos limpos. acumular poeira devido à negligên-
Um desses cantos de nossa vida é a cia seja o da cuidadosa orientação
atenção especial que damos à área dos que damos à nossa família. O
pensamentos. Devemos estar conti- Presidente Kimball salientou sua
nuamente atentos àqueles momentos preocupação nessa área nas seguin-
ociosos em que deixamos a mente va- tes palavras:
gar por territórios que deveriam ser “Nosso sucesso, individual e como
evitados. Lemos em Provérbios: Igreja, será grandemente determina-
“Porque, como imaginou no seu do pela maneira fiel como focalizamos
coração, assim é ele.” (Prov. 23:7) a vivência do evangelho no lar.
E como Judas escreveu: Somente quando virmos claramente
“( . . . ) Também estes, semelhan- as responsabilidades de cada indiví-
temente adormecidos, contaminam duo e o papel das famílias e lares,
a sua carne ( . . . ).” (Judas 1:8) poderemos adequadamente com-
Inevitavelmente, nossos pensa- preender que os quóruns do sacerdó-

M inha mãe sabia delegar


muito bem. Todos os sába-
dos de manhã, quando
meus irmãos, minhas irmãs e eu éra-
mos crianças, ela nos dava uma ta-
mentos moldam nossa vida. James
Allen escreveu sobre isso em seu li-
vro As a Man Thinketh (Assim
Como o Homem Pensa):
“Da mesma forma como a planta
cio e as organizações auxiliares, e
mesmo as alas e estacas, existem, pri-
mordialmente, para ajudar os mem-
bros a viverem o evangelho em sua
casa. Então poderemos compreender
refa relativa à limpeza da casa. As cresce e não poderia existir sem a se- que as pessoas são mais importantes
instruções que nos passava, ela pró- mente, cada ato de uma pessoa origi- que os programas, e que os programas
pria aprendera com sua mãe: na-se das sementes ocultas do da Igreja devem sempre apoiar e nun-
“Limpe cuidadosamente os can- pensamento e não surgiria sem eles. ca desviar a família das atividades
tos e os rodapés. Se tiver que deixar Isso se aplica tanto àqueles atos tidos centralizadas no evangelho ( . . . )
passar alguma coisa, que seja no como ‘espontâneos’ e ‘não premedita- Todos devem trabalhar em con-
meio da sala.” dos’ como àqueles deliberadamente junto para fazer do lar um local on-
Ela sabia muito bem que se hou- executados. ( . . . ) de gostamos muito de estar, um
véssemos limpado os cantos, não ha- No arsenal dos pensamentos, ele lugar onde se ouve e aprende, um
veria coisa alguma que tivesse sido funde as armas com as quais destrói lugar onde cada um possa encontrar
deixada no meio da sala. O que é vi- a si mesmo, bem como as que usa amor, apoio, gratidão e incentivo
sível aos olhos nós sempre limpamos. para construir para si mansões celes- mútuos.
Com o passar dos anos, o conse- tiais de alegria, força e paz. ( . . . ) Repito que nosso sucesso, indivi-
lho de minha mãe tem sido de gran- Entre esses dois extremos residem dual e como Igreja, dependerá,
de utilidade para mim de várias todos os níveis de caráter, e o ho- em grande parte, do grau de fideli-
maneiras diferentes. Aplica-se espe- mem é seu criador e mestre. ( . . . ) dade com que nos centramos em vi-
cialmente à tarefa de limpeza espiri- O homem é senhor de seus pensa- ver o evangelho no lar.” “Viver o
tual. Os aspectos notórios de nossa mentos, o modelador de seu caráter, Evangelho no Lar”, A Liahona, ou-
vida não costumam causar proble- o criador de suas condições, am- tubro de 1978, pp. 165, 167, 168.)
mas porque sempre queremos deixar biente e destino.” (As a Man Meu conselho é que criemos um
a melhor impressão possível. Thinketh, [1983], pp. 7–10) processo que estimule uma faxina

A L I A H O N A
72
espiritual; um processo contínuo Ensign, setembro de 1974, p. 81.) Uma mudança surpreendente
que nos aproxime do nosso Senhor e O Salvador instruiu aqueles que ocorre na vida das pessoas quando
Salvador, para que sejamos contados O seguiriam a respeito da essência realmente se dedicam à tarefa de
entre Seus discípulos. do discipulado quando disse: tornarem-se discípulos do Senhor.
O propósito mais importante de “( . . . ) Se alguém quiser vir após Um dos exemplos mais vívidos de
nossa provação mortal é o de prepa- mim, renuncie-se a si mesmo, tome que me lembro nas escrituras é o da
rar-nos para nosso encontro com sobre si a sua cruz e siga-me. conversão do jovem Alma e a mu-
Deus e herdarmos as bênçãos que E eis que um homem tomar sua dança que ocorreu em sua própria
Ele prometeu a Seus filhos dignos. cruz significa negar-se a toda ini- fisionomia ao se tornar discípulo do
O Salvador deu-nos o exemplo du- qüidade e a toda concupiscência Senhor. Lembrem-se: Alma e os fi-
rante Seu ministério terreno e in- mundana e guardar meus manda- lhos de Mosias incluíam-se entre os
centivou Seus seguidores a mentos. incrédulos. Alma era um homem
tornarem-se Seus discípulos. Não quebrai meus mandamentos eloqüente e lisonjeava muito o po-
A seguinte observação foi feita para salvar vossa vida; pois aquele vo. Ele conduziu muitas pessoas a
acerca do discipulado: que salvar sua vida neste mundo, todo tipo de iniqüidade e tornou-se
“A palavra discípulo vem do latim perdê-la-á no mundo futuro. um grande obstáculo para a Igreja,
( . . . ) e significa aprendiz. Um discí- E quem perder a sua vida por atraindo o coração do povo e cau-
pulo de Cristo é alguém que está amor de mim, achá-la-á no mundo sando muita discórdia entre eles.
aprendendo a ser como Cristo — futuro. Mas devido à humilde súplica de
aprendendo a pensar, sentir e agir co- Portanto, deixai o mundo e seu pai, um anjo apareceu a eles en-
mo Ele. A tarefa de tornar-se um ver- salvai vossa alma.” (TJS Mateus quanto andavam fazendo suas mal-
dadeiro discípulo, de assimilar esse 16:25–29) dades. Alma ficou tão perplexo que
aprendizado é um dos processos mais Quando o espírito vence a carne, caiu no chão e o anjo lhe ordenou:
difíceis que existe. É preciso que haja ela se torna serva em vez de senho- “( . . . ) Alma, levanta-te e apro-
uma transformação total na pessoa, ra. Quando tivermos purificado a xima-te, pois por que persegues a
de seu estado de homem natural para mente das coisas do mundo e esti- Igreja de Deus? Porquanto o Senhor
homem santo, alguém que ame o vermos prontos para ser obedientes disse: Esta é a minha igreja e eu a
Senhor e O sirva de todo o coração, ao Senhor, então seremos capazes de estabelecerei; e nada a destruirá, a
poder, mente e força.” (Chauncey C. receber Sua palavra e guardar Seus não ser a transgressão do meu po-
Riddle, “Becoming a Disciple”, mandamentos. vo.” (Mosias 27:13)
Ele estava tão fraco que não con-
seguia mover os braços e as pernas,
e teve que ser carregado. Além dis-
so, ficou mudo. Depois, foi levado à
presença de seu pai. O pai alegrou-
se e chamou o povo para orar pelo
filho.
“E aconteceu que depois de ha-
verem jejuado e orado pelo espaço
de dois dias e duas noites, os mem-
bros de Alma recobraram as forças e
ele levantou-se e começou a falar-
lhes, dizendo-lhes que tivessem bom
ânimo.
Pois, disse ele, arrependi-me de
meus pecados e o Senhor redimiu-
me; eis que nasci do Espírito.”
(Mosias 27:23–24)
Em seguida, contou sobre a gran-
de tribulação e sofrimento por que
passou ao perceber que havia sido
banido do reino de Deus. Lembrou-
se então dos ensinamentos de seu
pai e implorou ao Senhor que o
poupasse.
Vemos agora uma magnífica mu-
dança ao se tornar discípulo do nos-
so Redentor:

J A N E I R O D E 2 0 0 1
73
Uma visão (de leste para oeste) do interior do nível do átrio do Centro de Conferências.

“E então aconteceu que, daí em ouvir os ensinamentos que eram tão de trabalho árduo para guardar di-
diante, Alma e aqueles que com ele importantes para ela. Logo depois, nheiro e financiar a viagem. Por fim,
estavam quando o anjo lhes apare- ele foi tocado pelo Espírito e também chegaram a Sião, mas não antes de
ceu, começaram a ensinar o povo, converteu-se ao Evangelho. Quando, terem feito muitos outros sacrifícios
viajando por toda terra, proclaman- porém, informou os pais de sua deci- como verdadeiros discípulos.
do a todo o povo as coisas que ha- são de se filiar à Igreja e de casar-se O jovem rico passou por um dos
viam ouvido e visto e pregando a com essa moça, estes ficaram zanga- maiores testes do discipulado quan-
palavra de Deus em meio a muita dos e obrigaram-no a decidir-se entre do lhe disseram:
tribulação ( . . . ).” (Mosias 27:32) a família e sua riqueza e a Igreja. Ele “( . . . ) Vende tudo quanto tens,
Na história pioneira de minha fa- abriu mão de todo o conforto que te- reparte-o pelos pobres, ( . . . ) vem,
mília há muitos relatos de almas no- ve durante toda a vida, filiou-se à ( . . . ) segue-me.” (Lucas 18:22)
bres que demonstraram os traços do Igreja e casou-se com ela. Muitos de nós passamos por tes-
verdadeiro discipulado. O bisavô de Imediatamente depois, começa- tes semelhantes quando temos que
meus filhos era um corajoso discípu- ram os preparativos para sair da nos livrar de nossos maus hábitos e
lo de Jesus Cristo. Sua família cons- Dinamarca e empreenderem viagem pensamentos mundanos para viver-
tituía- se de ricos fazendeiros a Sião. Agora, sem o apoio da famí- mos sem conflitos e sermos inabalá-
dinamarqueses. Como filho protegi- lia, ele tinha que trabalhar ardua- veis em nossa devoção ao serviço do
do, herdaria as terras de seu pai. Ele mente em qualquer emprego que Senhor.
apaixonou-se por uma linda jovem encontrasse, a fim de guardar di- Como verdadeiros discípulos de
que não era da mesma classe social nheiro para custear a jornada para a Cristo, que nossa vida reflita Seu
que sua família e foi incentivado a nova terra. Depois de um ano de exemplo. Que tomemos sobre nós o
não ir em frente com o relaciona- muito trabalho, conseguiu economi- Seu nome e sejamos testemunhas
mento. Porém, ele não era muito zar o suficiente para as passagens. Dele em todas as horas e em todos
dado a seguir os conselhos da famí- Quando se preparavam para partir, os lugares. (Ver Mosias 18:9.)
lia e, em uma de suas visitas a essa seu presidente de ramo veio falar Além disso, que Deus nos aben-
moça, descobriu que toda a sua fa- com eles e disse-lhes que havia uma çoe para que desejemos sinceramen-
mília se havia filiado à Igreja. Ele re- família cujas necessidades eram te fazer nossa “faxina” espiritual,
cusou-se a ouvir a doutrina que a muito maiores do que as dele e de limpando todos os cantos, eliminan-
família dela havia abraçado e obri- sua esposa. Pediram-lhe então que do tudo aquilo que pode diminuir-
gou-a a decidir entre ele e a Igreja. desse o dinheiro para que essa outra nos como discípulos do Senhor a fim
Ela declarou veementemente que família fosse para Sião. de que prossigamos em nosso serviço
não abandonaria sua religião. O discipulado exige sacrifício. a Ele que é nosso Rei e Salvador, eu
Mediante um pronunciamento tão Eles deram o dinheiro à família ne- oro humildemente, em nome de nos-
enérgico, ele concluiu que deveria cessitada e iniciaram um novo ano so Senhor Jesus Cristo. Amém. 

A L I A H O N A
74
apagar-se em nossa vida somente
“Brilha, Meiga Luz” por meio de nossa desobediência e
falta de fé. Por outro lado, a luz do
Salvador aumenta em nossa vida à
Irmã Virginia U. Jensen medida que guardamos os manda-
Primeira Conselheira na Presidência Geral da Sociedade de Socorro mentos e nos esforçamos continua-
mente para sermos como Ele. Pois,
“Aquilo que é de Deus é luz; e aque-
le que recebe luz e persevera em
Deus recebe mais luz; e essa luz se
“A luz de Jesus Cristo é mais forte do que qualquer escuridão que torna mais e mais brilhante”. (D&C
enfrentamos na vida, se tivermos fé Nele, formos à Sua procura e 50:24)
O obedecermos.” À medida que a luz de Jesus
Cristo e de Seu evangelho se torna
fundo de uma mina a 610 metros da mais intensa em nosso semblante e
superfície, apegou-se a essa luz para coração, fica mais fácil discernirmos
que tivesse força, consolo, coragem as coisas realmente preciosas das fal-
e esperança. Josh experimentou sificações que o mundo oferece. O
aquilo que Abinádi ensinou ao falar conhecimento de que Cristo nos
de Cristo. Ele disse: “Ele é a luz e a amou o suficiente para tomar volun-
vida do mundo; sim, uma luz sem tariamente sobre Si os nossos peca-
fim, que nunca poderá ser obscure- dos elimina a necessidade de
cida ( . . . )”. (Mosias 16:9) confiarmos apenas em nós mesmos
Quão oportuno foi o surgimento ou na força e nas habilidades de um
de miraculosas luzes no Hemisfério outro mortal. A crença de que o
Ocidental após o nascimento do Sacrifício Expiatório nos restitui tu-
Salvador em Belém! Na ocasião de do o que perdemos em conseqüência
Seu nascimento, “ao pôr-do-sol, não dos pecados e erros que cometemos
houve escuridão; e o povo começou durante a nossa vida traz-nos mais
a admirar-se, ( . . . ) não houve es- esperança do que qualquer prazer
curidão toda aquela noite”. (3 Néfi temporal ou satisfação momentânea.
1:15, 19) Esse espetáculo de luzes re- Pensem a respeito da experiência
presentou um verdadeiro contraste do rei Lamôni. Apesar de possuir

Q uando tinha apenas dez


anos de idade, Joshua
Dennis passou cinco dias
na mais absoluta escuridão dentro
em relação à Sua crucificação, quan-
do “houve trevas espessas sobre toda
a face da terra, de modo que todos os
habitantes ( . . . ) podiam sentir o va-
imenso poder, grandes riquezas e
empregados para servi-lo, ele vivia
em trevas espirituais. Quando per-
mitiu a Amon que lhe ensinasse o
de uma mina abandonada. Quando por da escuridão”. (3 Néfi 8:20–23) evangelho, algo notável aconteceu;
as pessoas que o resgataram final- Há no mundo todos os tipos de Lamôni “caiu por terra como se esti-
mente ouviram seu grito abafado de trevas; as trevas decorrentes do pe- vesse morto”. (Alma 18:42) “Amon
socorro e o retiraram da terrível es- cado; as trevas originadas do desâni- ( . . . ) sabia que o rei Lamôni estava
curidão, ele estava desorientado, mo, tristeza e desespero; as trevas sob o poder de Deus; sabia que o es-
com frio e exausto. Para a surpresa advindas da solidão e do sentimento curo véu da incredulidade lhe esta-
de todos, ele não estava com medo. de rejeição. Assim como a luz que va sendo tirado da mente e que a luz
Josh passou o tempo dormindo, gri- brilhava no coração de Josh Dennis que lhe iluminava a mente ( . . . )
tando por socorro e orando. era mais forte do que a sufocante es- era a luz da glória de Deus ( . . . )
“Alguém estava-me protegendo”, curidão que o envolvia, a luz de sim, essa luz havia-lhe infundido
disse ele. “Eu sabia que seria encon- Jesus Cristo é mais forte do que tanta alegria na alma.” (Alma 19:6)
trado.” qualquer escuridão que enfrentamos Somente a glória de Deus e a luz
A fé simples mas profunda que na vida, se tivermos fé Nele, formos da vida eterna proporcionam alegria
Joshua tinha havia sido incentivada à Sua procura e O obedecermos. suficiente para preencher-nos com-
pelos pais que ensinaram que ele era Pois, como revelou o Profeta Joseph pletamente e eliminar o “escuro véu
filho de um Pai Celestial que saberia Smith, “se vossos olhos estiverem fi- da incredulidade”.
sempre onde ele estava. Ensinaram tos em minha glória, todo o vosso Em todas as escrituras e, de fato,
que ele havia nascido com a Luz de corpo se encherá de luz e em vós nos escritos deixados ao longo dos
Cristo. Joshua havia realmente sido não haverá trevas”. (D&C 88:67) séculos por cuidadosos cristãos, en-
criado em luz e verdade (ver D&C A luz de Cristo e a mensagem do contramos exemplos de como a
93:40); por isso, ao achar-se no evangelho de luz e salvação podem mensagem de luz e salvação de

J A N E I R O D E 2 0 0 1
75
Cristo pode dar-nos força física e
espiritual. Enquanto viajava pela
Itália em 1883, um jovem sacerdote
inglês chamado John Henry
Newman deparou-se com a escuri-
dão emocional e física quando uma
doença lá o deteve durante várias
semanas. Ele ficou terrivelmente de-
sanimado, e uma enfermeira que o
viu chorar perguntou o que o afligia.
Tudo o que conseguiu expressar foi
a certeza de que Deus tinha um tra-
balho para ele realizar na Inglaterra.
Ansioso para voltar para casa, con-
seguiu finalmente um lugar a bordo
de uma pequena embarcação.
Pouco tempo após o navio ter dei-
xado o porto, um espesso nevoeiro
baixou e não permitia que os perigo-
sos penhascos que os cercavam fos-
sem vistos. Estagnados durante uma
semana em meio à névoa, uma es-
curidão cinzenta, o navio não podia
prosseguir viagem tampouco voltar
ao porto. Newman suplicava a ajuda
do Salvador enquanto escrevia as
palavras que hoje conhecemos como
o hino: “Brilha, Meiga Luz”.

Na escuridão, oh, brilha meiga luz!


Na negra noite brilha e me conduz.
Não peço luz a fim de longe ver
Somente luz em cada passo ter.
Hinos nº 60

Esse hino traz um ensinamento


que sabemos em nosso íntimo ser
verdadeiro: apesar de os desafios po- remos sozinhos na escuridão. Por e luz. Ele ensina diariamente a res-
derem extinguir outras fontes de luz, que permanecermos na escuridão peito do paradoxo que vivenciou
Cristo iluminará o nosso caminho se a luz de Cristo está esperando perdido em uma mina quando ain-
para que possamos “luz em cada pas- para nos resgatar? Desfrutemos da da era menino: apesar da escuridão
so ter” e nos indicará a direção de luz cálida e brilhante proporciona- à nossa volta, apesar das mais te-
volta para casa. Pois, como prometeu da pelo evangelho de Jesus Cristo. nebrosas circunstâncias por que
o Salvador: “( . . . ) quem me segue Deixemos que a Meiga Luz do podemos passar, é possível sentir
não andará em trevas”. (João 8:12) Salvador ilumine cada um de nos- esperança, paz e consolo — graças
Todos nós podemos encontrar- sos passos e que os convênios e à luz que é mais forte do que toda
nos de vez em quando em lugares mandamentos nos mantenham em e qualquer escuridão, a luz de Jesus
de escuridão. Podemos vagar rumo segurança à medida que percorre- Cristo.
às escuras cavernas espirituais ao mos o caminho do evangelho de Sei por meio de minhas próprias
fazermos escolhas erradas, admitir- volta ao nosso lar celestial. experiências, com tanta certeza
mos más influências em nossa vida Lembrem-se do pequeno Josh quanto Josh sabe por meio das suas,
e nos distanciarmos da luz do evan- Dennis. Hoje, ele está servindo co- a respeito da existência desse mara-
gelho para conhecermos um pouco mo missionário longe da escuridão vilhoso ser de luz — nosso Salvador.
mais das coisas do mundo. Isso po- da mina em que ficou preso. Hoje, Aceitemos Sua luz e vivamos de
de parecer inofensivo a princípio o élder Dennis anda pelos estreitos modo que ela continue a iluminar o
— um pouco audaz apenas. Porém, e desconhecidos caminhos de nosso caminho e a guiar-nos de vol-
antes que nos demos conta, tere- Honduras, compartilhando uma ta ao nosso lar celestial. Em nome
mos-nos distanciado da luz e esta- mensagem de esperança, salvação de Jesus Cristo. Amém. 

A L I A H O N A
76
artigos de jornal para termos uma
Dias de Dedicação idéia de nossa difícil situação.
Lemos o seguinte em Associated
Press: “Em nome da liberdade de ex-
Presidente Thomas S. Monson pressão, a Suprema Corte dos
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência Estados Unidos vetou uma lei fede-
ral que impedia as crianças de assis-
tirem aos canais de TV a cabo com
programação voltada ao sexo”.4
No The San Jose Mercury News
“Como uma manifestação de nosso amor pelo Senhor, não deveríamos foi publicado este artigo: “A
igualmente rededicarmos nossa vida e nosso lar de igual modo?” Alemanha pode ser a locomotiva da
Europa, mas ela pára aos domingos.
adiarmos sua construção, quando há No entanto, o poder do mercado
de ser erigido? Quando esse edifício global está começando a perturbar o
for construído, poderemos então tradicional dia de descanso alemão.
desfrutar as bênçãos e benefícios por Com ( . . . ) o estilo americano de
ele proporcionados. O mesmo prin- vida, com lojas abertas [sete dias por
cípio se aplica a tudo o que toma- semana, como já acontece], e a
mos nas mãos e com que lidamos, Internet oferecendo acesso 24 horas
seja a construção de um templo, de aos bens de consumo do mundo, es-
um tabernáculo, seja o envio de gru- sas leis rígidas referentes às compras
pos para as fronteiras a fim de reunir são como um castelo dos séculos
os pobres ou a realização de qual- passados. Para competir com outras
quer outro trabalho que seja exigido cidades cosmopolitas, Berlim precisa
de nós. Nada que nos seja pedido ser mais agressiva. ‘Queremos ga-
será realizado até que comecemos a nhar mais dinheiro.’”5
trabalhar e façamos algo por nós Ao vermos a desilusão sentida por
mesmos. Não temos ninguém mais incontáveis milhares de pessoas
com quem contar; portanto, nós é atualmente, estamos aprendendo da
que devemos começar a trabalhar e forma difícil o que um antigo profeta
a fazer a nossa parte.”2 escreveu para nós há três mil anos:

U m de meus hinos favoritos


descreve os ternos senti-
mentos de meu coração e
de minha alma neste belo dia de de-
dicação. Creio que ele descreve
Eles começaram a trabalhar!
Graças a Deus por nosso nobre
profeta, o Presidente Gordon B.
Hinckley, que com a presciência de
um vidente reconheceu a necessida-
“Quem amar o dinheiro jamais dele
se fartará; e quem amar a abundân-
cia nunca se fartará da renda”.6
O respeitado presidente
Abraham Lincoln descreveu preci-
também o que vocês sentem: de deste magnífico edifício e, com a samente a nossa triste situação:
ajuda de muitos outros, “começou a “Recebemos as mais abundantes
Neste dia de alegria e felicidade, trabalhar”. O resultado está hoje bênçãos do céu. Fomos preservados
Senhor, Teu santo nome louvamos; diante de nós, e ele será dedicado por todos esses anos em paz e prospe-
Neste sagrado local de adoração e nesta manhã. ridade. Crescemos tanto em riqueza
verdade, Como símbolo de nossa gratidão, quanto em poder ( . . . ) mas nos es-
Em alta voz Tuas glórias como uma manifestação de nosso quecemos de Deus. Esquecemo-nos
proclamamos! amor pelo Senhor, não deveríamos da mão generosa que nos preservou
igualmente rededicarmos nossa vida em paz, nos multiplicou, nos enrique-
Alto e claro soa a voz de nossa grei, e nosso lar de igual modo? ceu e nos fortaleceu. Temos presun-
Cantando hinos de júbilo O Apóstolo Paulo, em sua epísto- çosamente enganado nosso próprio
A nosso Criador, Senhor e Rei!1 la aos Coríntios, acrescentou uma coração imaginando que essas bên-
dimensão apostólica a nosso empe- çãos foram produzidas por nossa su-
Charles C. Rich, em 7 de abril de nho de construção ao declarar: perior sabedoria ou nosso próprio
1863, falou sobre a necessidade de “Não sabeis vós que sois o templo mérito. Embriagados com nosso cons-
haver um tabernáculo para reunir- de Deus e que o Espírito de Deus tante sucesso, tornamo-nos por de-
nos. Ele declarou: habita em vós?”3 mais auto-suficientes para sentir a
“O que diremos a respeito desse A necessidade de dedicação e re- necessidade da graça protetora e re-
tabernáculo? Podemos ver de ime- novado compromisso pessoal é algo dentora, e demasiadamente orgulho-
diato que podemos desfrutar a bên- essencial na sociedade de hoje. sos para orar ao Deus que nos criou.”7
ção de um edifício assim agora. Se Basta passarmos os olhos por vários Quando os mares da vida estão

J A N E I R O D E 2 0 0 1
77
Uma fonte recepciona os visitantes que chegam ao Centro de Conferências pela entrada do lado sudoeste.

tempestuosos, o marinheiro sensato seu futuro e manter os valores que so lar, o Senhor aconselhou: “Nos
procura um porto pacífico. A família, estima no presente. melhores livros buscai palavras de
como tradicionalmente se sabe, é esse Um lar feliz pode ter vários aspec- sabedoria; procurai conhecimento,
refúgio seguro. “O lar é a base de uma tos. Alguns possuem uma família sim, pelo estudo e também pela fé”.10
vida justa, e nada pode tomar seu lu- com um pai, mãe, irmãos e irmãs As obras padrão são a biblioteca
gar ou preencher suas funções essen- morando juntos num clima de amor. de aprendizado a que me referi.
ciais.” 8 Na verdade, o lar é muito Outros consistem de uma mãe ou Devemos ter cuidado em não subesti-
mais do que uma simples casa. Uma pai que cria um ou dois filhos sozi- mar a capacidade que nossos filhos
casa é feita de madeira, tijolos e pe- nho, enquanto (que) outros lares têm de ler e compreender a palavra
dra. Um lar é feito de amor, sacrifício abrigam uma única pessoa. Existem, de Deus.
e respeito. Uma casa pode ser um lar, porém, características que identifi- Como pais, devemos lembrar que
e um lar pode ser um céu na Terra cam um lar feliz, seja qual for o nú- nossa vida pode ser o livro da biblio-
quando abriga uma família. Quando mero ou a descrição de seus teca da família que nossos filhos
os verdadeiros valores e as virtudes integrantes. Essas características são: consideram mais precioso. Será que
básicas adornarem as famílias da so- O hábito de orar. nosso exemplo é digno de ser segui-
ciedade, a esperança vencerá o deses- Uma biblioteca de aprendizado. do? Será que vivemos de modo que
pero e a fé triunfará sobre a dúvida. Um legado de amor. nosso filho ou filha possa dizer:
Esses valores, se forem aprendidos A esse respeito, no continente “Quero seguir os passos de meu pai”
e vividos em nossa família, serão tão americano, Jacó, o irmão de Néfi, de- ou “Quero ser como minha mãe”?
bem-vindos quanto a chuva sobre clarou: “Confiai em Deus com a men- Ao contrário dos livros da estante
um solo ressequido. Haverá amor, a te firme e orai a ele com grande fé”.9 da biblioteca, cuja capa esconde seu
lealdade do indivíduo ao que há de Perguntaram a um importante conteúdo, o livro de nossa vida não
melhor em si mesmo será ampliada; juiz o que nós, como cidadãos dos pode ser fechado. Pais, somos real-
e as virtudes do caráter, da integrida- países do mundo, podemos fazer pa- mente um livro aberto na biblioteca
de e da bondade serão promovidas. ra reduzir o crime e a violação da de aprendizado de nosso lar.
A família precisa voltar a ocupar seu lei, levando paz e alegria aos lares e Será que deixamos um legado de
lugar de destaque em nosso modo de nações. Ele respondeu, pensativo: amor? Será que nosso lar é um lega-
vida, porque ela é a única base possí- “Sugiro que voltemos ao antigo há- do de amor? Bernadine Healy, acon-
vel sobre a qual uma sociedade bito da oração familiar”. selhou em um discurso:
de seres humanos responsáveis A respeito de nossa vida pessoal e “Como médica, tendo o grande
conseguiu encontrar para edificar da biblioteca de aprendizado de nos- privilégio de compartilhar alguns

A L I A H O N A
78
dos momentos mais tocantes da vi- vítimas entre as pessoas. Existem ergueu os olhos para além da torre do
da das pessoas, inclusive seus mo- aqueles que, sem motivo aparente, sino, fitando o céu, e numa oração de
mentos finais, quero contar-lhes um marcham ao som de um compasso gratidão sussurrou: “Graças a Deus.
segredo: As pessoas que estão diante diferente, para mais tarde descobri- Estou em casa”.
da morte não pensam nos diplomas rem que seguiram um caminho que Como o soar de um sino conhe-
que receberam, nos cargos que os levará à dor e ao sofrimento. cido, assim será a verdade do evan-
ocuparam nem em quanto dinheiro Um convite está sendo feito hoje gelho de Jesus Cristo para a alma
conseguiram acumular. No final da deste púlpito para todas as pessoas daquele que sinceramente procura
vida, o que realmente importa são do mundo inteiro: Venham de seus a verdade. Muitos de vocês percor-
as pessoas que vocês amam e as que caminhos errantes, viajantes cansa- reram um longo caminho em sua
amam vocês. O círculo do amor é dos. Venham para o evangelho de jornada pessoal em busca do som da
tudo, sendo uma boa medida de co- Jesus Cristo. Venham para aquele verdade. A Igreja de Jesus Cristo
mo uma vida foi vivida. Ele é o pre- refúgio celestial chamado lar. Ali dos Santos dos Últimos Dias esten-
sente mais valioso de todos.”11 descobrirão a verdade. Aprenderão de a vocês um sincero convite.
Nosso Senhor e Salvador deixou- ali a realidade da Trindade, o conso- Abram a porta para os missionários.
nos uma mensagem de amor. Ela po- lo do plano de salvação, a santidade Abram a mente para a palavra de
de ser uma luz para iluminar nosso do convênio matrimonial e o poder Deus. Abram o coração, sim, a sua
caminho individual para a exaltação. da oração pessoal. Voltem para o lar. própria alma, para o som daquela
“Próximo do final de sua vida, Muitos de nós devem lembrar-se voz mansa e suave que testifica a
um pai começou a refletir como ti- de uma história que era contada respeito da verdade. Como prome-
nha passado sua vida na Terra. quando éramos jovens, a respeito de teu o profeta Isaías: “E os teus ouvi-
Tendo sido um autor muito respeita- um menininho que foi raptado da dos ouvirão a palavra ( . . . )
do e famoso de livros acadêmicos, casa dos pais e levado para uma vila dizendo: Este é o caminho, andai
ele disse: ‘Quisera ter escrito um li- distante. Por causa disso, aquele me- nele”. 13 Então, como o rapaz que
vro a menos e levado mais vezes nininho cresceu até tornar-se um mencionei, vocês também, de joe-
meus filhos para pescar’.” rapaz, sem conhecer seus pais verda- lhos, dirão a seu Deus e meu Deus:
O tempo passa muito depressa. deiros ou seu lar terreno. “Estou em casa”.
Muitos pais dizem que parece ter si- Mas onde estava o seu lar? Onde Que todos possam receber essa
do ontem que seus filhos nasceram. poderia encontrar seu pai e sua bênção, é minha oração, em nome
Hoje esses filhos estão crescidos, tal- mãe? Se ao menos conseguisse lem- de Jesus Cristo. Amém. 
vez até já com seus próprios filhos. brar o nome deles, teria mais espe-
‘Para onde vão os anos?’ perguntam rança nessa tarefa. Ele procurou NOTAS
eles. Não podemos voltar no tempo, desesperadamente lembrar-se ainda 1. Leroy J. Robertson,(1896–1971) “On
não podemos parar o tempo nem que fosse de um pequeno vislumbre This Day of Joy and Gladness”, Hymns, nº 64.
podemos viver o futuro agora no de sua infância. Deseret News Weekly, 20 de maio de
presente. O tempo é uma dádiva, Como um lampejo de inspiração, 1863, p. 369.
um tesouro que não pode ser colo- ele lembrou-se do som de um sino 2. I Coríntios 3:16.
cado de lado para ser usufruído no que tocava no alto da torre da igreja 4. Richard Carelli, “High Court Kills
futuro, mas precisa ser sabiamente da vila, todas as manhãs de domin- Limits on TV Sex”, Salt Lake Tribune,
utilizado no presente. go. O rapaz percorreu uma vila após 23 de maio de 2000. A1
Será que temos desenvolvido um outra, sempre procurando ouvir 5. “Daniel Rubin Global Economy
clima de amor em nosso lar? O aquele sino conhecido. Alguns Erodes Ban on Sunday Shopping”, Salt
Presidente David O. McKay decla- sinos eram semelhantes, outros Lake Tribune, 23 de maio de 2000 A-1.
rou: “Um verdadeiro lar mórmon é muito diferentes do som que ele se 6. Eclesiastes 5:10.
aquele em que, se chegasse a nele lembrava. 7. Citado em James D.Richardson,
entrar, Cristo gostaria de demorar-se Por fim, o cansado rapaz parou, A Compilation of the Messages and Papers of
e descansar”.12 certa manhã de domingo, diante da the Presidents, 10 vols. (1897), 5:3366
O que estamos fazendo para ga- igreja de uma cidadezinha típica. Ele 8. Citado no Relatório da Conferência
rantir que nosso lar se enquadre nes- ouviu atentamente o sino começar a Geral de outubro de 1962, p. 72.
sa descrição? Será que somos assim? soar. O som lhe era familiar. Era dife- 9. Jacó 3:1.
Ao longo da jornada da vida, rente de todos os que tinha ouvido, 10. D&C 88:118.
ocorrem tragédias. Alguns se des- com exceção do sino que tocava na 11. “On Light and Worth: Lessons
viam dos sinais que indicam o cami- lembrança que tinha da sua infância. from Medicine”, discurso de formatura,
nho para a vida eterna, para Sim, era o mesmo sino. Seu som era Vassar College, 29 de maio de 1994, p. 10,
descobrir depois que o desvio que verdadeiro. Seus olhos encheram-se Special Collections.
escolheram leva a um beco sem saí- de lágrimas. Seu coração ficou repleto 12. Conference Report, outubro de
da. A indiferença, o descaso, o de alegria. Sua alma transbordou de 1947, p. 120.
egoísmo e o pecado fazem muitas gratidão. O rapaz caiu de joelhos, 13. Isaías 30:21.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
79
Nós chegamos a todo o mundo,
Este Grande Ano em todos os lugares que nos permiti-
ram entrar. Ensinamos o evangelho
conforme revelado nesta dispensa-
Milenar ção da plenitude dos tempos.
Atualmente, estamos indo a locais
de cujo nome mal ouvíamos falar em
Presidente Gordon B. Hinckley 1947. Nosso trabalho missionário
progrediu de maneira miraculosa.
Acho que já estive na maioria
dos lugares onde a Igreja está orga-
nizada. Conheci pessoas maravilho-
sas em todas as partes. Eles são
“Esta obra está dotada de uma vitalidade tal que nunca se viu antes.” santos dos últimos dias que real-
mente fazem jus ao nome. Eles estão
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos empenhando-se em guardar os man-
dos Últimos Dias. (Ef. 2:21) damentos.
Como eu disse ao grupo presente Ao reunir-me e conversar com
na cerimônia da pedra angular hoje eles, aprendi o real significado das
mais cedo, esse símbolo deve ser re- palavras de Paulo:
conhecido como uma representação “E de um só sangue [Deus] fez
do Redentor do mundo, o Filho de toda a geração dos homens, para ha-
Deus, o Senhor Jesus Cristo, Cujo bitar sobre toda a face da terra, de-
nome esta Igreja leva. terminando os tempos já dantes
Sou muito grato por ver este pré- ordenados, e os limites da sua habi-
dio terminado. Nós o utilizamos pa- tação.
ra nossa conferência de abril e em Para que buscassem ao Senhor, se
outra ocasião em junho passado, porventura, tateando, o pudessem
embora as obras ainda não tivessem achar; ainda que não está longe de
acabado. Agora, está concluído, e já cada um de nós;
recebemos até o “habite-se” das au- Porque nele vivemos, e nos mo-
toridades competentes. vemos, e existimos; ( . . . ) Pois so-
Este ano milenar de 2000 foi um mos também sua geração”. (Atos
ano extraordinário para a Igreja. 17:26–28)

I rmãos e irmãs, que grande inspi-


ração vocês são para mim. Ao
olhar para o rosto dos presentes
nesta enorme congregação e lem-
brar que há muitos mais reunidos
Avançamos em todos os aspectos
em todo o mundo. Ultrapassamos a
marca dos 11 milhões de membros.
Como isso é significativo!
Eu estava presente em 1947
Tornamo-nos uma grande socie-
dade cosmopolita, uma enorme fa-
mília de irmãos no Senhor. Nesse
excepcional grupo de homens e mu-
lheres, meninos e meninas, todos
em todo o mundo, fico emocionado quando a Igreja comemorou o cen- santos do Altíssimo, cantamos ao
e sinto um enorme amor por todos tenário da chegada dos pioneiros. marcharmos avante:
vocês. Como vocês são maravilho- Naquela ocasião, foi dedicado o mo-
sos! Oro para que o Espírito Santo numento “Este É o Lugar”. Foi reali- “Já refulge a glória eterna de Jesus,
me guie ao falar-lhes. zada uma grande solenidade com o Rei dos reis
Antes de entrarmos neste edifício um espetáculo no Tabernáculo, re- Breve reinos deste mundo ouvirão
hoje de manhã, selamos a rocha de- presentando a missão international as suas leis;
corativa da pedra angular desta no- da Igreja. O grande tema ressaltado Os sinais de sua vinda mais se mos-
va e grandiosa estrutura. Isso nas festividades era que a Igreja tram cada vez —
assinala a conclusão deste edifício. chegara a um milhão de membros. Vencendo vem Jesus!”
Preservamos os simbolismo da Cerca da metade deles morava em (“Já Refulge a Glória Eterna”,
pedra angular em memória ao Filho Utah. Hoje, somente em torno de Hinos, Nº 180)
de Deus, em cuja vida e missão esta 15 por cento moram aqui; no entan-
Igreja está baseada. Ele, e Ele so- to, temos mais membros agora do Esta obra está dotada de uma vi-
mente, é a Pedra Angular Principal. que jamais tivemos antes. É algo ex- talidade tal que nunca se viu antes.
Sobre Ele, foi erigido um firme ali- cepcional e maravilhoso pensar que Na área educacional, estabelece-
cerce de apóstolos e profetas e, aci- hoje temos 11 milhões de membros, mos o programa do seminário e do
ma disso, “todo o edifício bem algo que traz consigo a esperança de instituto em todos os lugares em que
ajustado”, a fim de que se constitua um futuro ainda mais promissor. a Igreja está presente. Tal fato está

A L I A H O N A
80
influenciando positivamente a vida
de alunos em todo o mundo. Nos
institutos, os jovens em idade univer-
sitária têm a oportunidade de conhe-
cer-se, aprender, confraternizar-se e,
até mesmo, encontrar um futuro
cônjuge dentro da Igreja.
Há poucos meses, anunciamos
que o Ricks College, uma excelente
instituição pioneira de ensino supe-
rior, e que até agora só oferecia cur-
sos de dois anos, será expandida
para oferecer cursos completos de
graduação de quatro anos e passará
a ser chamada de BYU — Idaho. De
modo algum isso deprecia o grande
homem com cujo nome a faculdade
foi inicialmente batizada. Vai, isso
sim, expandir as oportunidades edu-
cacionais para muitos rapazes e mo-
ças. Vai tornar ainda melhor uma
instituição que já era excelente.
Trata-se de um esforço por parte da
Igreja para extender a oportunidade
de instrução secular dentro de um
ambiente pautado pelos princípios
do evangelho, onde se ensina a fé
no Deus vivo e em Seu Filho divino, Um visitante observa o busto de um dos Presidentes da Igreja disposto na
nosso Senhor. galeria que fica no nível do balcão do Centro de Conferências.
Outro assunto de conseqüências
notáveis e que também se destaca para agradecer aos muitos homens E hoje, como outra realização sig-
neste ano milenar é a construção de e mulheres que trabalharam por nificativa deste ano milenar, dedica-
templos. É um milagre. Domingo tanto tempo e com tanto afinco pa- mos este grande Centro de
passado, dedicamos em Boston, ra possibilitar esse milagre. Alguns Conferências. É um prédio único e
Estado de Massachusetts, o centési- desses novos templos são menores. notável. Ao começarmos a planejá-
mo templo em funcionamento da No entanto, todas as ordenanças lo, não estávamos preocupados em
Igreja. que podem ser realizadas no erigir a maior casa de adoração do
Passei a fazer parte da Primeira Templo de Salt Lake City, o maior mundo. Nossa intenção era projetar
Presidência em julho de 1981, como da Igreja, podem também ser reali- um local para atender às necessida-
conselheiro do Presidente Kimball. zadas nesses templos menores. Seu des de nosso povo.
Desde aquela época, foram dedica- propósito exclusivo é a realização O Tabernáculo, que nos serviu
dos 81 desses 100 templos. Só havia de ordenanças. São belos edifícios, tão bem por mais de um século, sim-
19 templos em funcionamento antes bem construídos em todos os aspec- plesmente não se adequava mais às
dessa data. tos. Fazem com que seja mais fácil nossas necessidades.
Cinqüenta e três novos templos, para milhares e milhares de mem- Foi algo importante e sério assumir
mais da metade dos 100 em funcio- bros irem à casa do Senhor. a construção deste prédio. É claro
namento hoje, foram dedicados des- Vamos continuar a construí-los. que tínhamos ciência de todos os
de que fui ordenado Presidente da Dedicaremos mais três antes do meios eletrônicos existentes para a
Igreja cinco anos atrás. Digo isso fim do ano. Vamos dar prossegui- transmissão da mensagem falada do
apenas para lembrá-los de como essa mento a esse projeto no futuro, tal- púlpito a todas as partes do mundo.
expansão fantástica vem-se acele- vez não no mesmo ritmo deste Todavia, sabíamos do desejo acalen-
rando. último ano, mas continuaremos a tado por tantas pessoas de estarem
Quando anunciei, numa confe- construir mais dessas casas sagra- sentadas no mesmo local em que os
rência, que eu esperava presenciar das para atender às necessidades oradores. Como eu disse ao anunciar
a dedicação do centésimo templo das pessoas. a decisão de seguir avante: “A presen-
em funcionamento antes do fim do Nosso povo está profundamente te construção foi um empreendimen-
ano 2000, estava em dúvida se isso grato. Espero e creio que o Senhor to de coragem. Preocupamo-nos com
seria possível. Nem tenho palavras esteja satisfeito. ele. Oramos por ele. Buscamos os

J A N E I R O D E 2 0 0 1
81
sussurros do Espírito a seu respeito. E grande número de pessoas. Aqui se- Isaque e Jacó. Que andemos na luz
somente quando sentimos que a voz rão encenados espetáculos mostran- Dele que foi o Messias do mundo, o
do Senhor nos confirmava, decidimos do, de maneira artística e bela, a Filho de Deus, que disse a respeito
seguir adiante”. (A Todo o Mundo história a Igreja, bem como muitas de Si mesmo: “Eu sou o caminho, e
como Testemunho, A Liahona, julho outras coisas. a verdade, e a vida; ninguém vem
de 2000, p. 4.) Este prédio foi construído com os ao Pai, senão por mim”. (João 14:6)
Anunciamos nossa decisão na melhores materiais, pelos artífices É minha humilde oração, em nome
Conferência Geral de abril de 1996. mais habilidosos. Temos uma grande de Jesus Cristo. Amém.
Naquela oportunidade, eu disse: dívida para com todos os que contri-
“É uma pena que muitos que de- buíram para tornar este um magnífi- INSTRUÇÕES PARA O BRADO DE
sejavam reunir- se conosco no co centro para as conferências da HOSANA
Tabernáculo hoje de manhã não Igreja e outras finalidades. Dentro de alguns instantes, vou
conseguiram entrar. Há muitas pes- Prevemos que outros grupos pedi- proferir a oração dedicatória, da
soas lá fora. ( . . . ) rão para usar essas dependências. qual convido todos vocês a partici-
Meu coração volta-se para aque- Cederemos o espaço tendo por base par. Imediatamente depois do fim da
les que quiseram entrar e não normas que garantam que seu uso es- oração, convidamos todos os que
puderam por falta de lugar. teja em harmonia com os propósitos desejarem participar a levantarem-
Aproximadamente um ano atrás, para os quais ele será dedicado hoje. se e unirem-se a nós no brado de
lembrei às Autoridades Gerais que Não se trata de um museu, em- Hosana. Essa saudação sagrada ao
talvez tivesse chegado a hora de es- bora a arquitetura seja majestosa. É Pai e ao Filho é feita na dedicação
tudarmos a possibilidade de cons- um local para ser usado em honra de cada templo. Também foi feita
truir uma outra casa de adoração ao Todo-Poderoso e para a realiza- em alguns outros poucos aconteci-
muito maior, que acomodasse um ção de seus propósitos eternos. mentos de importância histórica,
número de pessoas três ou quatro Sou muito grato por termos este como a colocação da última pedra
vezes maior do que esta construção edifício. Sou muito grato por ele es- do Templo de Salt Lake e a come-
acomoda”. (“Esta Gloriosa Manhã tar concluído. Ainda é preciso afi- moração do centenário da Igreja na
de Páscoa”, A Liahona, julho de nar o órgão, uma empreitada que conferência geral de abril de 1930.
1996, p. 68) ainda levará algum tempo. Sentimos que é oportuno darmos o
Pouco mais de um ano depois, Ao contemplar esta estrutura brado aqui ao dedicarmos este gran-
fez-se a abertura da terra. Foi em 24 maravilhosa, ao lado do templo, dioso edifício, algo que dificilmente
de julho de 1997, no sesquicentená- vem-me à mente uma grande profe- faremos novamente. Caso venha a
rio da chegada dos pioneiros a este cia de Isaías: ser mencionado pela mídia, deve-se
vale. “E acontecerá nos últimos dias reconhecer que, para nós, isso é algo
Ao fim da cerimônia de abertura que se firmará o monte da casa do muito pessoal e sagrado. Solicitamos
da terra, o Presidente Packer fez a Senhor no cume dos montes, e se que o assunto seja tratado com res-
oração de encerramento. Nela, ele elevará por cima dos outeiros; e peito e consideração.
pediu ao Senhor que preservasse mi- concorrerão a ele todas as nações. Vou demonstrar o brado. Cada
nha vida para que eu presenciasse a E irão muitos povos, e dirão: um, usando um lenço branco limpo e
dedicação do novo edifício. Sou gra- Vinde, subamos ao monte do segurando-o por uma das pontas, agi-
to porque, como vêem, esse pedido Senhor, à casa do Deus de Jacó, para ta-o e todos dizem em uníssono:
foi atendido. que nos ensine os seus caminhos, e “Hosana, Hosana, Hosana, a Deus e
Hoje, vamos dedicar esse prédio andemos nas suas veredas; porque ao Cordeiro”, repetindo três vezes, e
como uma casa para adorarmos a de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a depois dizem: “Amém, Amém e
Deus, o Pai Eterno, e Seu Filho palavra do Senhor. Amém”.
Unigênito, o Senhor Jesus Cristo. Vinde, ó casa de Jacó, e andemos Repito, os que desejarem partici-
Esperamos e oramos que continuem na luz do Senhor.” (Isaías 2:2–3, 5) par são convidados a levantarem-se
a sair deste púlpito para o mundo Creio que essa profecia se aplique e darem o brado imediatamente
declarações de testemunho e doutri- ao histórico e maravilhoso Templo após a oração dedicatória. Os que
na, de fé no Deus vivo, e de grati- de Salt Lake. Mas acredito também desejarem permanecer sentados,
dão pelo maravilhoso sacrifício que se relacione a este edifício mag- têm a liberdade de assim fazê-lo.
expiatório de nosso Redentor. nífico. Pois é deste púlpito que a lei Quem não tiver um lenço branco
Também o dedicaremos como de Deus sairá, juntamente com a poderá simplesmente acenar com a
uma casa para apresentações artísti- palavra e o testemunho do Senhor. mão. As pessoas que estiverem em
cas da mais elevada qualidade. Que Deus nos abençoe como po- outras áreas poderão unir-se a nós e
Aqui, o maravilhoso Coro do vo. Estamos caminhando a passos dar o brado, se as circunstâncias fo-
Tabernáculo entoará hinos de lou- mais largos neste grandioso ano mi- rem adequadas.
vor. Aqui, outros grupos musicais se lenar. Que sigamos os passos do Depois do brado, o Coro do
apresentarão para o deleite de um grande Jeová, o Deus de Abraão, Tabernáculo, sem ser anunciado,

A L I A H O N A
82
cantará o “Tema de Hosana”, que próximo do templo sagrado que nos- para terminar as obras. Que eles sin-
foi escrito por Evan Stephens para a sos antepassados, a duras penas, tam orgulho de suas realizações.
dedicação do Templo de Salt Lake construíram ao longo de 40 anos. Ao reunirmo-nos nesta extraor-
em 1893. Ao sinal do regente, a Ele dá para o histórico Tabernáculo, dinária conferência geral de Tua
congregação se unirá ao coro para que serviu tão bem a Teu povo por Igreja, que está sendo transmitida às
cantar duas estrofes de “Tal Como mais de um século. Perto está tam- pessoas de todo o mundo, inclina-
um Facho”, escrito por W. W. Phelps bém o Assembly Hall, utilizado para mos a cabeça em reverência diante
e cantado pela primeira vez na dedi- os mais variados fins. de Ti.
cação do Templo de Kirtland, em Não muito longe está o Edifício de Agindo pela autoridade do santo
1836. Escritórios da Igreja, o Edifício sacerdócio que provém de Ti e em
A oração final será oferecida pelo Administrativo e o Edifício Memorial nome de Teu Filho Unigênito,
Élder W. Don Ladd, dos Setenta, e a Joseph Smith. Perto estão ainda a o Senhor Jesus Cristo, dedicamos
próxima sessão da conferência se Lion House e a Beehive House, am- e consagramos o Centro de
iniciará às 14h. bas de grande valor histórico. Do ou- Conferências de A Igreja de Jesus
Agora, peço a todos que abaixem tro lado, está o Museu de Arte e Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
a cabeça e fechem os olhos, pois vou História da Igreja e a Biblioteca de Dedicamo-lo a Ti, nosso Pai e nosso
proferir a oração dedicatória. História da Família. Deus, e a Teu Filho Amado, nosso
Desta nova estrutura podem-se Redentor, Cujo nome Tua Igreja leva.
ORAÇÃO DEDICATÓRIA ver todos esses edifícios e ela com- Dedicamo-lo como um local de
Ó Deus, nosso Pai Eterno, com o plementa sua variedade, utilidade e reuniões para Teu povo, para que
coração agradecido, achegamo-nos beleza. Juntos, tornam-se um teste- possam congregar-se para ouvir a
a Ti em oração neste Dia do Senhor munho da força e vitalidade de Tua palavra do Senhor, proferida por
histórico em que vamos dedicar este obra, da sede de Tua Igreja e da fon- Teus servos que servem de profe-
magnífico Centro de Conferências. te de onde emana a verdade que en- tas, videntes e reveladores e como
Ele foi erigido para Tua honra e che toda a Terra. testemunhas para o mundo da rea-
glória. É mais um de uma série de Agradecemos-Te pelos muitíssi- lidade viva do Senhor Jesus Cristo,
grandes estruturas dedicadas à reali- mos homens e mulheres dedicados e cujo nome é o único entre os
zação de Teus propósitos e ao pro- altamente qualificados que trabalha- homens pelo qual eles podem ser
gresso de Tua obra. Está localizado ram tanto tempo e com tanto afinco salvos.

As Autoridades Gerais, presidência das auxiliares, membros do coro e membros em geral acompanham
o Presidente Gordon B. Hinckley (no púlpito) no acenar de lenços brancos durante o Brado de Hosana na
dedicação do Centro de Conferências.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
83
Dedicamo-lo desde os alicerces presidiram ao longo dos anos. uma ilha de serenidade e beleza no
que lhe dão sustentação até o topo Protege-o da fúria da natureza e das coração desta grande e próspera co-
de sua torre. Dedicamos este magní- mãos profanas dos vândalos e des- munidade. Que o desejo do povo de
fico salão, único em seu desenho e truidores. Preserva-o de conflitos e Tua Igreja de melhorar e embelezar
tamanho, construído para abrigar os atos de terrorismo. Que todos os esta área seja reconhecido por todos
milhares que ao longo dos anos se que aqui entrarem, seja qual for sua os que passarem pelo local.
reunirão aqui para adorarem-Te e religião, demonstrem respeito e ad- Oramos para que o número de
divertirem-se de maneira saudável e miração por este prédio. pessoas satisfeitas com essas cons-
maravilhosa. Que este grande salão seja um lo- truções aumente até o ponto em
Que neste púlpito Teu nome seja cal de diversão de alta qualidade, que todos aceitem e valorizem o que
pronunciado com reverência e amor. um abrigo para as artes edificantes e foi feito. Invocamos Tuas bênçãos
Que o nome de Teu Filho seja cons- que aumentem a cultura das pes- sobre esta comunidade e este esta-
tantemente lembrado com respeito soas. Que nenhuma apresentação do. Este é o local para onde Teu po-
e santidade. Que o testemunho de aqui feita seja indigna ou deixe de vo veio em busca de proteção
Tua obra divina soe eloqüente a par- retratar a beleza que faz parte de contra a opressão que haviam sofri-
tir daqui para todo o mundo. Que a Tua natureza divina. do. Hoje, tornou-se uma grande so-
justiça seja proclamada e o mal de- Dedicamos o grande órgão, as ciedade cosmopolita que atraiu
nunciado. Que palavras de fé sejam belas salas e outros recintos, o esta- pessoas de todo o país e do mundo.
proferidas com coragem e convic- cionamento e todas as demais de- Que todas as pessoas que aqui vi-
ção. Que proclamações e declara- pendências desta estrutura. Que vam e que venham para cá reconhe-
ções doutrinárias sejam levadas a todas as pessoas que a contempla- çam que estão num ambiente
todas as nações. rem, tanto dentro como fora, enxer- comunitário único e atraente. Que
Ainda que a Terra estremeça, guem a sua beleza. Que seja uma nós, membros de Tua Igreja, sejamos
que este esplêndido edifício perma- casa de muitas utilidades, uma casa hospitaleiros e bondosos. Que man-
neça sólido e seguro sob Teu olhar de cultura, uma casa de arte, uma tenhamos os padrões e práticas pe-
cuidadoso. Que nenhuma voz do casa de adoração, uma casa de fé, los quais somos conhecidos e
mal se erga neste salão contra Ti, uma casa de Deus. concedamos aos outros o privilégio
Teu Filho, Tua Igreja restaurada ou Que este edifício seja um exemplo de adorarem “como, onde ou o que
contra os profetas e líderes que a vivo da declaração que Teu povo faz desejarem”. (Regras de Fé 1:11)
de que “se houver qualquer coisa vir- Abençoa-nos para sermos bons
tuosa, amável, de boa fama ou louvá- vizinhos e ajudarmos a todos. Que
vel, [eles a procurarão]”. (Regras de ergamos as mãos e fortaleçamos os
Fé 1:13) joelhos enfraquecidos de todas as
Agora, Pai, ao dedicarmos este pessoas em dificuldades. Que todos
Centro de Conferências, também vivamos juntos em paz, com estima
dedicamos o teatro que fica contíguo e respeito uns pelos outros.
a ele. É uma bela estrutura, projeta- Deus Todo-Poderoso, quão gratos
da para ser um local de reuniões, co- somos pelas bênçãos maravilhosas
mo um lar para as artes dramáticas e que derramas sobre nós. Aceita nos-
para uma série de fins, todos dignos sa gratidão. Guarda Tuas promessas
e voltados para cultivar o que é belo antigas em relação àqueles que con-
e nobre. Protege-o e abençoa-o da tribuem com o dízimo e as ofertas e
mesma forma que rogamos em favor assim tornam tudo isso possível.
do Centro de Conferências. Abre as janelas do céu e abençoa-os
Da mesma forma, dedicamos ho- abundantemente.
je o estacionamento construído em- Amamos a Ti e a Teu Filho
baixo da Main Street e todas as Divino. Procuramos fazer Tua von-
benfeitorias realizadas na área loca- tade. Louvamos Teu santo nome.
lizada em frente à casa do Senhor, o Erguemos a voz em hinos de adora-
templo de nosso Deus. ção. Testificamos de Ti e de nosso
Que esta área seja vista como um Redentor, Teu Filho incomparável.
local de paz, um oásis no meio desta Majestoso é Teu caminho, glorioso é
cidade agitada. Que seja um lugar Teu plano eterno para todos os que
onde as pessoas cansadas possam forem obedientes a Ti.
sentar-se e meditar sobre as coisas Que nos abençoes com tua
de Deus e as belezas da natureza. benevolêcia. É nossa oração no sa-
Há árvores e arbustos ornamentais, grado nome de nosso Senhor Jesus
flores e água, todos juntos para criar Cristo. Amém. 

A L I A H O N A
84
Sessão da Tarde de Domingo Minha bênção patriarcal aconse-
8 de outubro de 2000 lhou-me: “Zela por [teu corpo] e pro-
tege - o. Nunca ingira nada que

“Sois o Templo de Deus” prejudique seus órgãos, porque teu


corpo é sagrado. Ele é o instrumento
de tua mente e o alicerce de teu ca-
Presidente Boyd K. Packer ráter”. (Bênção patriarcal de Boyd K.
Presidente Interino do Quórum dos Doze Apóstolos Packer, 15 de janeiro de 1944, p. 1)
Descobri que a Palavra de Sabe-
doria é um princípio com promessa. O
princípio é: Cuide de seu corpo; abs-
tenha-se de estimulantes que criem
dependência, chá, café, fumo, bebidas
“[O teu corpo] ( . . . ) é o instrumento de tua mente e o alicerce de teu alcoólicas e drogas. (Ver D&C
caráter.” 89:3–9.) Essas coisas nocivas pouco
fazem além de saciar a avidez que elas
apresentar-lhes essas verdades aber- mesmas provocaram em você.
tamente. ( . . . ) Pode ser que vocês A promessa: Aqueles que obede-
descubram que os jovens têm menos cerem terão melhor saúde (ver
receio delas do que vocês. Não há D&C 89:18) e receberão “grandes
necessidade de uma abordagem gra- tesouros de conhecimento, sim, te-
dual”. (em “The Charted Course of souros ocultos”. (D&C 89:19)
the Church in Education”, Boyd K. O Profeta Joseph Smith disse:
Packer, Teach Ye Diligently, rev. ed. “Viemos a este mundo com o objeti-
[1991], 365, pp. 373–374.) vo de obter um corpo e poder apre-
Concordo com o Presidente Clark, sentá-lo puro diante de Deus no
por isso falarei claramente aos jovens reino celestial. O grande plano de
a respeito de coisas que aprendi e que felicidade consiste em ter um corpo.
sei que são verdadeiras. O diabo não tem corpo, e nisso con-
Quando eu tinha 18 anos, fui siste seu castigo. Ele deleita- se
chamado para o serviço militar. Eu quando pode conseguir o corpo de
não tinha recebido minha bênção um homem. ( . . . ) Todos os seres
patriarcal, por isso o bispo deu-me com corpo possuem domínio sobre
uma recomendação para o patriarca os que não têm”. (Ensinamentos do
que morava próximo à base aérea. Profeta Joseph Smith, sel. Joseph

H á muito que tenho me senti-


do inspirado a falar aos
jovens da Igreja que enfren-
tam desafios que nos eram desconhe-
cidos em nossa própria juventude.
Recebi minha bênção do patriar-
ca J. Roland Sandstrom, da estaca
Santa Ana Califórnia. Nela, foi-me
dito: “De livre e espontânea vontade
tomaste a decisão de viver de acordo
Fielding Smith [1976], p. 181.)
Até as duras provações relaciona-
das à saúde ou um corpo deficiente
ou incapacitado podem refinar a al-
ma para o glorioso dia da restauração
O Presidente J. Reuben Clark com as leis do Progresso Eterno, que e da cura, que certamente virá.
descreveu assim os nossos jovens: nos foram ensinadas por nosso irmão Nosso corpo é realmente o ins-
“Eles são ávidos pelas coisas do espí- mais velho, o Senhor Jesus Cristo. trumento de nossa mente e o alicer-
rito; estão ansiosos por aprender Recebeste um corpo físico com o ce de nosso caráter.
o evangelho e querem que ele qual poderia passar pela experiência O Presidente Harold B. Lee nos
lhes seja ensinado de modo claro e mortal aqui na Terra ( . . . ) um cor- ensinou a respeito do importante
direto. po de proporções e aptidões físicas efeito simbólico e real que o nosso
Querem conhecer ( . . . ) nossas que permitiriam que teu espírito modo de vestir tem. Se estivermos
crenças; querem adquirir um teste- agisse por meio dele, sem ser limita- bem arrumados e vestidos de modo
munho de sua veracidade; não são do por impedimentos físicos. ( . . . ) recatado, convidamos a companhia
cépticos, mas, sim, inquiridores, em Estima-o como um grande legado”. do Espírito de nosso Pai Celestial e
busca da verdade. ( . . . ) (Bênção patriarcal de Boyd K. exercemos uma influência sadia so-
Não é preciso que vocês se apro- Packer, 15 de janeiro de 1944, p. 1.) bre as pessoas à nossa volta. Se esti-
ximem sorrateiramente desses jo- Isso foi muito reconfortante para vermos desarrumados em relação à
vens espiritualmente experientes e mim. Por causa da poliomielite que nossa aparência, estaremos sujeitos a
sussurrem religião em seus ouvidos; tive na infância, não pude participar influências degradantes. (Ver The
vocês podem encará-los face a face e de atividades esportivas e sentia-me Teachings of Harold B. Lee, ed.
conversar com eles ( . . . ). Podem inferior a meus amigos. Clyde J. Williams [1996], p. 220.)

J A N E I R O D E 2 0 0 1
85
só então vocês poderão correspon-
der dignamente ao forte, bom e
constante desejo de expressarem seu
amor, por meio do qual os filhos irão
abençoar a sua vida. Por manda-
mento de Deus, nosso Pai, isso só
pode acontecer entre marido e mu-
lher — homem e mulher — com-
prometidos um com o outro pelo
convênio do casamento. (Ver I Cor.
7:2; D&C 42:22.) Agir de modo
diferente é proibido e resultará em
sofrimento.
Os mandamentos mais rigorosos
dados nas revelações referem-se ao
controle desses desejos naturais.
(Ver Smith, Ensinamentos, p. 181;
Gál. 5:19; Ef. 5:5, Mórmon 9:28.)
Rapazes e moças, mantenham-se
dignos. Afastem-se de ambientes,
música, filmes, fitas de vídeo, clubes
e amizades que os induzam a um
comportamento imoral. (Ver I Cor
6:9; I Tess. 5:22; II Tim. 2:22; D&C
9:13.)
Preciso também mencionar outro
perigo, quase desconhecido em nos-
Não usem roupas que não sejam templo de Deus, que sois vós, é san- sa juventude, mas que hoje se en-
recatadas. Vistam-se e arrumem-se to.” (I Cor. 3:16–17) contra em toda parte.
de modo a mostrar ao Senhor que Em seu corpo existe um poder su- Há desejos e atrações normais
sabem o quanto seu próprio corpo é blime capaz de criar a vida. Os rapa- que surgem na adolescência, haven-
precioso. zes crescem e tornam-se homens, do a tentação de se experimentar e
O Presidente Hinckley admoes- podendo vir a ser pais; as moças fazer mau uso do sagrado poder de
tou-os a não decorarem o corpo crescem e tornam-se mulheres, po- procriação. Esses desejos podem ser
com figuras ou símbolos que não po- dendo vir a ser mães. Existem senti- intensificados e até pervertidos pela
derão ser removidos, e a não perfu- mentos naturais e bons que atraem pornografia, pela música imprópria
rarem o corpo com anéis e jóias, mutuamente o homem e a mulher. ou incentivados por amizades indig-
como faz o mundo. (Ver “Seu Maior “Todos os seres humanos — ho- nas. O que deveria ser apenas uma
Desafio, Mãe”, A Liahona, janeiro mem e mulher — foram criados à fase mais ou menos passageira no
de 2001, p.115.) imagem de Deus. Cada indivíduo é desenvolvimento da identidade se-
Vocês não pintariam figuras e um filho (ou filha) gerado em espíri- xual pode implantar-se e deixá-los
símbolos tenebrosos ou mesmo ini- to por pais celestiais que o amam e, confusos, ou mesmo perturbados.
ciais no templo. Não façam isso no como tal, possui natureza e destino Se vocês permitirem, o adversário
próprio corpo. divinos. O sexo (masculino ou femi- pode assumir o controle de seus pen-
“Não sabeis que o vosso corpo é nino) é uma característica essencial samentos e conduzi-los cuidadosa-
o templo do Espírito Santo, que ha- da identidade e do propósito pré- mente a um hábito e vício,
bita em vós, proveniente de Deus, e mortal, mortal e eterno de cada convencendo-os de que esse compor-
que não sois de vós mesmos? um.” (“A Família: Proclamação ao tamento imoral e antinatural é uma
Porque fostes comprados por Mundo”, A Liahona, outubro de parte imutável de sua natureza.
bom preço; glorificai, pois, a Deus 1998, p. 24.) Alguns poucos indivíduos estão
no vosso corpo, e no vosso espírito, “O casamento entre homem e sujeitos a uma tentação que lhes pa-
os quais pertencem a Deus.” (I Cor. mulher foi ordenado por Deus e rece irresistível a da atração de ho-
6:19–20) ( . . . ) a família é essencial ao plano mem por homem, ou de mulher por
“Não sabeis vós que sois o templo do Criador para o destino eterno de mulher. As escrituras claramente
de Deus e que o Espírito de Deus Seus filhos”. (Ensign, novembro de condenam aqueles que “desonrarem
habita em vós? 1995, p. 102.) seus corpos entre si ( . . . ); homens
Se alguém destruir o templo de É preciso que se sintam atraídos com homens, cometendo torpeza”.
Deus, Deus o destruirá; porque o um pelo outro para se casarem. Mas (Rom. 1:24, 27) “[Ou as] mulheres

A L I A H O N A
86
[que] mudaram o uso natural, no Tem sido exercida muita pressão rejeitá-los, porque os amamos. (Ver
contrário à natureza.” (Rom 1:26) para que se criem leis que legalizem Heb. 12:6–9; Rom. 3:19; Hel. 15:3;
Os portões da liberdade, bem co- o comportamento antinatural. Mas D&C 95:1.)
mo tudo de bom ou mau que se en- elas não podem tornar justo aquilo Vocês podem até achar que não
contra além deles, abrem- se ou que foi proibido pelas leis de Deus. os amamos. Mas isso também não é
fecham-se de acordo com a senha (Ver Lev. 18:22; I Cor. 6:9; I Tim. verdade. Os pais sabem, e vocês um
que é a decisão. Vocês são livres para 1:9–10.) dia saberão, que existem momentos
escolher o caminho que leva ao de- Muitas vezes, as pessoas nos per- em que os pais e nós que lideramos
sespero, à doença e até à morte. guntam por que não reconhecemos a Igreja precisamos exercer um amor
(Ver 2 Néfi 2:26–27.) esse comportamento como uma va- severo, quando a omissão em ensi-
Se escolherem esse caminho, as riação aceitável de estilo de vida. nar, advertir ou disciplinar significa
fontes da vida podem vir a secar. Não podemos fazê-lo. Não fomos destruição.
Vocês não experimentarão a mescla nós que criamos as leis; elas foram Não fomos nós que criamos as re-
de amor e esforço, dor e prazer, de- feitas no céu “antes da fundação do gras; elas nos foram reveladas como
cepção e sacrifício que, combinados mundo”. (D&C 132:5; 124:41 ver mandamentos. Não causamos nem
na paternidade e na maternidade, também Alma 22:13.) Somos ape- podemos impedir as conseqüências
exaltam o homem e a mulher e os nas servos. da desobediência às leis morais. (Ver
conduzem àquela plenitude de ale- Tal como os profetas da antigui- D&C 101:78.) A despeito das críti-
gria mencionada nas escrituras. (Ver dade, fomos “consagrados sacerdotes cas e da oposição, precisamos ensi-
2 Néfi 2:25; 9:18; D&C 11:13; e mestres deste povo ( . . . ) [tendo a nar e admoestar.
42:61; 101:36.) responsabilidade de magnificar] o Quando um desejo impuro entrar
Não experimentem. Não deixem nosso ofício para o Senhor, tomando em sua mente, combatam-no, resis-
que ninguém, homem ou mulher, sobre nós a responsabilidade de res- tam a ele, controlem-no. (Ver Tiago
toque seu corpo ou desperte paixões ponder pelos pecados do povo se não 4:6–8; 2 Néfi 9:39; Mosias 3:19.) O
que podem vir a inflamar-se descon- lhes [ensinarmos] com diligência a Apóstolo Paulo ensinou: “Não veio
troladamente. Tudo começa com palavra de Deus”. (Jacó 1:18–19) sobre vós tentação, senão humana;
uma inocente curiosidade. Satanás Compreendemos o motivo por mas fiel é Deus, que não vos deixará
então influencia seus pensamentos, que alguns sentem que os rejeita- tentar acima do que podeis, antes
criando um hábito que pode escravi- mos. Mas isso não é verdade. Nós com a tentação dará também o esca-
zá-los com um vício, para tristeza e não os rejeitamos, mas, sim, o seu pe, para que a possais suportar”.
desapontamento daqueles que os comportamento imoral. Não pode- (I Cor. 10:13; ver também D&C 62:1.)
amam. (Ver João 8:34; II Pedro mos rejeitá-los, porque vocês são fi- Essa talvez seja uma luta da qual
2:12–14, 18–19.) lhos e filhas de Deus. Não iremos não consigam escapar nesta vida. Se
não cederem às tentações, não pre-
Alguns portadores do sacerdócio após a sessão geral do sacerdócio. cisam se sentir culpados. Pode ser
extremamente difícil resistir a elas.
Mas isso é melhor do que ceder a
elas e causar decepção e infelicida-
de, tanto a vocês mesmos quanto
àqueles que os amam.
Alguns pensam que Deus os criou
com desejos irresistíveis e antinatu-
rais, aos quais estão sujeitos, não
sendo responsáveis por isso. (Ver
Tiago 1:13–15.) Não é verdade. Não
pode ser verdade. Mesmo se aceitar-
mos isso como verdade, é preciso
lembrar que Deus pode curar e sa-
nar. (Ver Alma 7:10–13; 15:8.)
E quanto aos que já cometeram
erros ou que se entregaram a um es-
tilo de vida imoral? Que esperança
têm? Será que estão banidos e perdi-
dos para sempre?
Esses pecados não são imperdoá-
veis. Por mais indignos, antinaturais
ou imorais que sejam essas trans-
gressões, elas não são imperdoáveis.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
87
(Ver D&C 42:25.) Se forem comple-
tamente abandonadas, e o arrepen-
dimento for completo, o dom
purificador do perdão pode aliviar e
Agora É o Momento
apagar o fardo da culpa. Há um ca- Élder M. Russell Ballard
minho de volta — longo, talvez; difí- Do Qórum dos Doze Apóstolos
cil, certamente; possível, sem dúvida
alguma! (Ver Atos 5:31; Ef. 1:7;
Mosias 4:2; 26:29; D&C 1:31–32;
58:42; 61:2.)
Vocês não precisam nem podem
encontrar o caminho sozinhos. “Se não tivermos ( . . . ) a disposição para ensinar as pessoas a respeito
Vocês têm um Redentor. O Senhor da Restauração do evangelho de Jesus Cristo por intermédio do Profeta
irá aliviar seu fardo se decidirem ar- Joseph Smith, quem o fará?”
repender-se e abandonar seus peca-
dos, para nunca mais cometê-los. É meu testemunho ( . . . ) a qualquer
para isso que houve a Expiação de momento ou em qualquer lugar ou
Cristo. em qualquer situação em que seja
“Vinde então, e argüi-me, diz o colocado ( . . . ). Estou pronto para ir
Senhor: ainda que os vossos pecados e enfrentar os bons e maus momen-
sejam como a escarlata, eles se tor- tos por esta causa que abracei”.
narão brancos como a neve; ainda (Conforme citado em Joseph
que sejam vermelhos como o carme- Fielding Smith, comp., Life of Joseph
sim, se tornarão como a branca lã.” F. Smith, [1938], p. 176.)
(Isa. 1:18) Precisamos hoje perguntar a nós
A escolha é sua; vocês não estão mesmos: Será que estamos prontos e
banidos para sempre. Repito: essas dispostos a ir e enfrentar os bons e
transgressões não são imperdoáveis. maus momentos por esta causa que
Há aqueles que talvez pensem ser abraçamos? Será que refletimos em
tarde demais, que sua vida logo chega- nosso semblante a alegria de viver o
rá ao fim, e que estarão eternamente evangelho de Cristo como se espera
condenados. Não é assim, porque “se dos verdadeiros discípulos Seus? Se
esperamos em Cristo só nesta vida, não tivermos o entendimento e a dis-
somos os mais miseráveis de todos os posição para ensinar as pessoas a res-
homens”. (I Cor. 15:19)
Assim como o corpo físico pode
ser purificado e curado, o espírito
também pode ser limpo pelo poder
da Expiação. O Senhor tomará e car-
E m março de 1839, da escura
masmorra que era a prisão de
Liberty, o Profeta Joseph
Smith aconselhou a Igreja, dizendo:
“Existe muita gente na Terra, em to-
peito da Restauração do evangelho
de Jesus Cristo por intermédio do
Profeta Joseph Smith, quem o fará?
Não podemos colocar o fardo da res-
ponsabilidade de levar o evangelho a
regará seu fardo durante o sofrimen- das as seitas, partidos e denomina- todas as pessoas exclusivamente nos
to e o esforço exigidos para que ções, que é cegada pela astúcia sutil ombros dos missionários de tempo in-
sejam purificados. É isso que significa dos homens ( . . . ) e que só está tegral. As famílias não serão fortifica-
a Expiação de Cristo. Ele disse: “Eu, afastada da verdade por não saber das nem o testemunho das pessoas
o Senhor, [dos seus pecados] não onde encontrá-la”. (D&C 123:12) será fortalecido, os conversos não au-
mais me [lembrarei]”. (D&C 58:42; Anos mais tarde, aos 15 anos, mentarão, nem os membros menos
ver também Heb. 8:12; 10:17; Alma Joseph F. Smith, o sobrinho do ativos serão recebidos de volta, até
36:19.) Profeta, foi chamado para servir nu- que nós, membros da Igreja, nos er-
Nossos amados e queridos jovens, ma missão no Havaí. Vocês devem gamos individual e coletivamente,
permaneçam no caminho do Senhor. lembrar-se de que ele tinha apenas com dedicação e disposição, para aju-
Se caírem, ergam-se e continuem em cinco anos quando seu pai Hyrum dar a edificar o reino de Deus.
frente. Se tiverem perdido o rumo, foi morto como mártir. Sua mãe, Nosso dever é ajudar outras pes-
estamos todos de braços abertos es- Mary Fielding, morreu quando ele ti- soas, pelo poder do Espírito, a sabe-
perando sua volta. nha apenas 13 anos. Depois de che- rem e compreenderem as doutrinas e
Deus seja louvado pelo poder que gar à ilha de Maui, o jovem Joseph princípios do evangelho. Todos preci-
limpa, purifica e perdoa da Expiação ficou muito doente. A despeito dessa sam chegar a sentir que as doutrinas
oferecida pelo Senhor Jesus Cristo, e de outras adversidades, ele escre- da Restauração são verdadeiras e de
de quem eu presto testemunho. Em veu o seguinte ao Élder George A. grande valor. E todos os que aceitam
mome de Jesus Cristo. Amém.  Smith: “Estou pronto para prestar a mensagem precisam esforçar-se em

A L I A H O N A
88
viver o evangelho, fazendo e guar- da Igreja. A influência dos membros que coisas específicas nós, como
dando convênios sagrados e partici- da Igreja é muito forte. Acredito líderes do sacerdócio e das auxiliares,
pando de todas as ordenanças de que seja por isso que o Presidente podemos fazer para incentivar uma
salvação e exaltação. Freqüente- Hinckley nos tenha pedido que cui- família ou indivíduo a pôr à prova a
mente pensamos que a conversão é demos para que todos tenham um boa palavra de Deus? O que o conse-
algo que se aplica apenas aos pesqui- amigo. (Ver “Conversos e Rapazes”, lho pode fazer como líderes e profes-
sadores, mas existem alguns mem- A Liahona, julho de 1997, p. 53.) sores para assegurar que cada pessoa
bros que ainda não estão plenamente Eis, portanto, uma importante que freqüente nossas reuniões da
convertidos ou que ainda não senti- chave do sucesso para acelerarmos o Igreja sinta o Espírito e seja fortaleci-
ram aquela “grande mudança em seu trabalho do Senhor. Como membros da espiritualmente?
coração” descrita nas escrituras. (Ver ativos da Igreja, e em particular como Só agora estamos aprendendo a
Alma 5:12.) líderes do sacerdócio e das auxiliares, concentrar-nos nas coisas certas em
Irmãos e irmãs, a verdadeira e precisamos fazer mais para auxiliar no nossas reuniões de conselho, mas
completa conversão é a chave para processo de conversão, retenção e com muita freqüência ainda nos
acelerarmos o trabalho da Igreja. ativação. Sabemos que os membros concentramos em coisas triviais. Em
Sabemos que tanto os membros fiéis desejam servir, mas às vezes nos uma estaca que está tendo muito su-
quanto os não-membros terão maior esquecemos do resultado essencial cesso em batizar e reter os novos
probabilidade de ser completamente que nossa fé e obras devem produzir conversos, os missionários de tempo
convertidos ao evangelho de Jesus no fortalecimento da dedicação dos integral são convidados a reunirem-
Cristo se estiverem dispostos a “pôr filhos de nosso Pai ao evangelho. se com o conselho da ala para falar a
a palavra à prova”. (Ver Alma Bispos, vocês são a chave do su- respeito das pessoas que estejam en-
32:27.) Essa é uma atitude tanto da cesso. Vocês proporcionam o entendi- sinando. Os membros do conselho
mente quanto do coração, que inclui mento e convidam o conselho da ala procuram inspiração para decidir
o desejo de sabermos a verdade e a a ajudá-los a fortalecer a conversão quais líderes e membros da ala po-
disposição de fazermos alguma coisa espiritual dos que estão pesquisando a derão ajudar melhor os missionários
em relação a isso. Para aqueles que Igreja, bem como de todos os seus a integrar pessoas e famílias específi-
estão pesquisando a Igreja, a prova membros. Incentivem os membros do cas e trazê-las para a Igreja.
pode constituir-se simplesmente em conselho a pensarem constantemente Alguns dos bispos sentem que
concordarem em ler O Livro de em coisas específicas que possam fa- precisam envolver-se diretamente
Mórmon, orar a respeito dele e pro- zer para auxiliá-los no trabalho de em cada ação tomada pelos membros
curar sinceramente saber se Joseph ajudar os membros de sua ala e seus do conselho. Isso é um erro, porque
Smith foi o profeta do Senhor. amigos não-membros a conhecerem e assim jamais conseguirão fazer com
A verdadeira conversão acontece compreenderem melhor o evangelho. que todos os vigorosos recursos que
pelo poder do Espírito. Quando o O que eles podem fazer para ajudá-los lhes foram proporcionados por Deus
Espírito toca o coração, ele sofre uma a sentir que ele é verdadeiro e a dar- sejam utilizados com toda a sua for-
mudança. Quando o indivíduo, seja lhes apoio em seu empenho de viver ça. Na reunião geral da Sociedade de
membro ou pesquisador, sente o os princípios? Perguntem a si mesmos Socorro, há duas semanas, a Irmã
Espírito trabalhando nele, ou quando
vê uma evidência do amor e miseri-
córdia do Senhor em sua vida, ele é
edificado e fortalecido espiritualmen-
te e sua fé Nele aumenta. Essas expe-
riências com o Espírito são uma
conseqüência natural da disposição
mostrada pela pessoa de pôr a pala-
vra à prova. É assim que chegamos a
sentir que o evangelho é verdadeiro.
Uma evidência muito importante
de nossa conversão e de como nos
sentimos em relação ao evangelho
em nossa vida é a nossa disposição
de compartilhá-lo com outras pes-
soas e de ajudar os missionários a
encontrarem pessoas para ensinar. A
probabilidade de uma conversão du-
radoura aumenta muito se o não-
membro tiver um amigo ou parente
que irradie a alegria de ser membro

J A N E I R O D E 2 0 0 1
89
os pais tão comovidos, que eles pas-
saram a freqüentar a Igreja também.
Em maio de 1999, a menina foi bati-
zada. O que tornou o batismo ainda
mais marcante foi ele ter sido realiza-
do pelo mais recente sacerdote da
ala, seu pai recém-reativado.
Bispos, para cumprirem o que a
Primeira Presidência e o Quórum dos
Doze estão pedindo, seu conselho de
ala precisa ganhar esse entendimento
e ser mais unido na realização do
grandioso trabalho de Deus de levar
a efeito a imortalidade e a vida eter-
na de todos os Seus filhos. Imaginem
o grande vigor que haveria se todo
membro da Igreja estendesse a mão
As Autoridades Gerais ouvem um hino cantado pelo Coro do Tabernáculo para ajudar todos os membros e pes-
sob a regência de Barlow Bradford. Na primeira fila ao púlpito do Centro quisadores a desfrutarem a compa-
de Conferências, encontram-se a Primeira Presidência e o Quórum dos nhia do Espírito. Trabalhemos todos
Doze Apóstolos. As demais filas são ocupadas pelos membros do Quórum mais arduamente para garantir que a
dos Setenta, o Bispado Presidente e a presidência geral das auxiliares. presença do Espírito esteja em todas
as nossas reuniões, de modo a levar a
Sheri Dew disse acreditar que as terna que mostra o poder do sistema efeito uma conversão espiritual mais
irmãs sejam a “arma secreta do de conselhos na edificação da Igreja. intensa. Isso exigirá, em especial, que
Senhor”. Creio que ela esteja certa. Ele disse que tanto a Sociedade de o conselho da ala auxilie o bispado
Nossas irmãs líderes têm uma sensi- Socorro quanto o sacerdócio vinham a melhorar a reverência em nossas
bilidade espiritual que lhes possibili- trabalhando com uma família da es- reuniões sacramentais e a aperfeiçoar
tará saber qual a melhor maneira de taca, mas não tinham conseguido fa- o ensino do evangelho de Jesus
abordar e cuidar daqueles que os zer muito progresso com os pais. As Cristo em todas as nossas reuniões da
missionários estão ensinando. O líderes da Primária encontraram a Igreja.
melhor lugar para se começar a uti- resposta. Os pais deram permissão Todos devemos pensar constante-
lizar plenamente os talentos e a sa- para que a filhinha freqüentasse a mente a respeito de como o
bedoria de nossas irmãs é por meio Primária, com a condição de que ela Salvador deu a Sua vida por nós.
do sistema estabelecido de conse- teria que ter vontade de ir para a Jamais devemos esquecer que Ele
lhos da Igreja. Vocês têm a liberdade Igreja por conta própria. Não poderia sofreu rejeição, humilhação, agonia
de decidir como irão utilizar o con- receber uma carona para a Igreja. indescritível e até a morte para sal-
selho da ala. Como ela tinha que passar por uma var todos nós e o mundo inteiro do
Há apenas um ano, o Presidente parte perigosa da cidade, o conselho pecado. Será que poderemos nos
Hinckley disse aos bispos da Igreja: da ala providenciou para que hou- apresentar perante Ele algum dia no
“Vocês não estão presos a regras rígi- vesse sempre alguém dirigindo um futuro e dizer que não compartilha-
das, mas dispõem de uma flexibilida- carro a seu lado, enquanto ela peda- mos o evangelho com outros nem os
de ilimitada. Vocês têm direito de lava sua velha bicicleta até a Igreja. ajudamos a encontrarem os missio-
receber resposta a suas orações, sen- No calor do verão, na chuva e até na nários porque estávamos muito
do inspirados e recebendo revelação neve, ela perseverou e continuou in- ocupados, éramos muito tímidos ou
do Senhor”. (“Encontrem as Ovelhas do para a Igreja. Um rapaz, que havia qualquer outro motivo?
e Apacentem-nas”, A Liahona, julho sido designado com sua família para Este é o trabalho de Deus. Ele
de 1999, p. 118.) Talvez em alguns acompanhá-la em uma manhã de ne- quer que participemos com Ele e Seu
casos uma única reunião mensal de ve, ficou tão tocado ao ver a determi- Filho Amado no empenho de levar o
conselho não seja suficiente para en- nação com que aquela menininha evangelho para a vida de todos os
focar a conversão espiritual tanto dos pedalava pela neve, no frio, que deci- Seus filhos. O Senhor prometeu-nos
membros quanto dos não-membros diu servir numa missão de período que nossa alegria será grande se levar-
que estão sob sua responsabilidade. integral, referindo-se àquela expe- mos uma alma que seja para Ele. (Ver
Vocês têm a liberdade de reunir-se riência como um momento decisivo D&C 18:15–16.) Exerçamos mais fé
em conselho tantas vezes quanto for em sua vida. Na época do Natal, e trabalhemos juntos, membros e mis-
necessário. uma família da ala deu de presente sionários, para levar mais almas a Ele.
Recentemente, um presidente de àquela fiel menininha uma bicicleta Que toda família da Igreja inclua em
estaca contou-me uma história muito nova com dez marchas. Isso deixou suas orações familiares um pedido ao

A L I A H O N A
90
Senhor de que Ele abra o caminho
e ajude a família a encontrar alguém
preparado para receber a mensagem
do evangelho restaurado de Jesus
Conservar a
Cristo.
Agora é o momento para os mem-
bros da Igreja serem mais destemidos
Remissão de Pecados
ao estender a mão para outras pes- Élder Keith Crockett
soas, ajudando -as a saber que a Dos Setenta
Igreja é verdadeira. Agora é o mo-
mento de apoiarmos com nossas
ações o que o Presidente Gordon B.
Hinckley está pedindo de nós.
Lúcifer está espalhando imundí-
cies vulgares, revoltantes, violentas e O rei Benjamim ensinou a seu povo três princípios básicos que os
lascivas pelo mundo, no intuito de ajudariam a conservar a remissão de seus pecados: “primeiro, permanecer
destruir a sensibilidade espiritual dos humildes; segundo, invocar o Senhor diariamente e terceiro, permanecer
filhos do Pai. Estamos realmente em firmes na fé naquilo que está para vir.”
guerra contra aqueles que zombam
de Deus e rejeitam a verdade, por- segundo, invocar o Senhor diaria-
tanto cumpramos nossos convênios mente e terceiro, permanecer firmes
e atendamos a nosso chamado para na fé naquilo que está para vir. (Ver
servir. Reunamos todos os recursos Mosias 4:11.)
que o Senhor possui, inclusive o po- Analisemos cada um desses itens
der de nosso próprio testemunho. para que também sejamos fortaleci-
Que nossa voz seja ouvida por mui- dos em nossa firme determinação de
tas outras pessoas. Tenhamos no es- conservarmos a remissão de nossos
pírito a mesma atitude do Presidente pecados.
Joseph F. Smith. Que possamos di-
zer: “Estou pronto para prestar meu PERMANECER HUMILDES
testemunho ( . . . ) a qualquer mo- O Élder Bruce R. McConkie en-
mento ou em qualquer lugar ou em sinou-nos que: “Todo progresso nas
qualquer situação em que seja colo- coisas espirituais depende de termos
cado”. Seremos ajudados nesse in- antes desenvolvido a humildade”.1
tento lendo freqüentemente a A humildade foi descrita como o
história do Profeta Joseph Smith e “desejo de nos submetermos ao
declarando a outras pessoas a nossa Senhor”; o “desejo de buscarmos a
própria certeza de que a plenitude vontade e a glória do Senhor”; e o
do evangelho eterno de Jesus Cristo
foi restaurada novamente na Terra.
Precisamos seguir adiante com a
promessa de que o Espírito nos aben-
çoará para que saibamos o que fazer
E m seu último discurso a seu
povo, o rei Benjamim ensinou-
lhes uma fórmula para conser-
varem a remissão de seus pecados.
Ele havia testemunhado a disposição
“desejo de extirpar o orgulho”.2 O
rei Benjamim disse a seu povo:
“( . . . ) Quisera que vos lembrásseis
e sempre guardásseis na memória a
grandeza de Deus e vossa própria
e o que dizer, ao ajudarmos aqueles deles de estabelecerem um convênio nulidade; e sua bondade e longani-
que estão procurando conhecer a com Deus de que fariam a Sua von- midade para convosco, indignas
verdade. Sigamos em frente com tade e de que seriam obedientes a criaturas; e que vos humilhásseis
mais fé, jamais nos esquecendo de Seus mandamentos em todas as coi- com a mais profunda humildade”.
que o Senhor nos ajudará se O pro- sas. Analisemos essa fórmula de mo- (Mosias 4:11) O Senhor ensinou em
curarmos em vigorosa oração. Nosso do que nós também possamos Doutrina e Convênios: “E se fossem
Pai Celestial vive e ama cada um de desfrutar essas grandes bênçãos. humildes, fossem fortalecidos e
Seus filhos. O Senhor Jesus Cristo Depois de terem sentido aquela abençoados do alto e recebessem co-
vive. O trabalho mais importante grande alegria decorrente do conhe- nhecimento de tempos em tempos”.
que podemos fazer é o de ajudar os cimento da bondade de Deus e ex- (D&C 1:28)
filhos de Deus a alcançarem um ple- perimentado Seu amor, o rei Oro para que todos desenvolva-
no entendimento do evangelho res- Benjamim ensinou a seu povo três mos a humildade, submetendo-nos à
taurado de Jesus Cristo. Sei que isso princípios básicos que os ajudariam vontade do Senhor em todas as coi-
é verdade e presto testemunho disso a conservar a remissão de seus peca- sas, para que possamos conservar a
em nome de Jesus Cristo. Amém.  dos: primeiro, permanecer humildes; remissão de nossos pecados.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
91
INVOCAR O SENHOR DIARIAMENTE Uma bela descrição da oração foi perante Deus no último dia.” (D&C
A oração é uma das maiores bên- dada pelo Presidente Gordon B. 4:2) Senti o Espírito do chamado de-
çãos que temos aqui na Terra. Por Hinckley em seu discurso de abertura les, ao permanecerem firmes em sua
meio da oração podemos comunicar- da conferência geral de outubro de mordomia de levar almas a Cristo.
nos com nosso Pai Celestial e buscar 1996. “Oraram para ouvir pronun- Os santos dos últimos dias receberam
Sua orientação diariamente. Jesus ciamentos que os ajudassem em seus este mandamento: “( . . . ) Alegrai-
ensinou: “Deveis sempre orar ao Pai problemas e fortalecessem-lhes a fé. vos e rejubilai-vos e cingi os lombos e
em meu nome”. (3 Néfi 18:19) Afirmo-lhes que nós também ora- tomai sobre vós toda a minha arma-
Devemos orar todos os dias para que mos. Oramos por inspiração e orien- dura, para que possais resistir no dia
tenhamos a capacidade de resistir à tação. Trazemos no coração uma mau, havendo feito tudo, a fim de
tentação. Amuleque nos ensinou súplica constante para que jamais ve- subsistirdes”. (D&C 27:15) O rei
que devemos orar tanto de manhã nhamos a desmerecer a grande con- Benjamim ensinou a seu povo que
como ao meio-dia e à noite”, e que fiança que o Senhor depositou em eles deveriam “[permanecer] firmes
devemos “[encher nosso] coração, nós e que vocês depositaram em nós. na fé naquilo que está para vir”.
voltado continuamente para [Deus] Pedimos inspiração para proferir pa- (Mosias 4:11) Eles clamaram em alta
em oração.” (Ver Alma 34:21, 27.) lavras que edifiquem a fé e o teste- voz, dizendo: “Oh! Tende misericór-
Nossas orações diárias influenciam munho de vocês, palavras que se dia e aplicai o sangue expiatório de
nossos pensamentos, palavras e transformem em respostas às orações Cristo, para que recebamos o perdão
ações. Para conservar a remissão de daqueles que as ouvirem”.4 de nossos pecados e nosso coração
nossos pecados, é essencial que pe- Testifico que aqueles que oram seja purificado; porque cremos em
çamos a nosso Pai Celestial, todos os ao Senhor diariamente terão maior Jesus Cristo, o Filho de Deus, ( . . . )
dias, que nos fortaleça para que con- capacidade de conservar a remissão que descerá entre os filhos dos ho-
tinuemos no caminho estreito e de seus pecados. mens”. (Mosias 4:2)
apertado. “O Espírito do Senhor desceu so-
Na conferência geral de abril pas- PERMANECER FIRMES bre eles e encheram-se de alegria,
sado, o Presidente James E. Faust Estive recentemente com os mis- havendo recebido a remissão de seus
ensinou o seguinte: “Para manter a sionários da Missão Montevidéu pecados e tendo paz de consciência,
fé, todos precisamos ser humildes e Uruguai Oeste, que recitaram de cor por causa da profunda fé que ti-
compassivos, bondosos e generosos a seção 4 de Doutrina e Convênios. nham em Jesus Cristo que haveria
para com os pobres e necessitados. “( . . . ) Ó vós que embarcais no ser- de vir ( . . . )”. (Mosias 4:3)
A fé é mantida também por doses viço de Deus, vede que o sirvais de Podemos hoje permanecer firmes
diárias de espiritualidade que rece- todo o coração, poder, mente e força, no testemunho de “O Cristo Vivo”,
bemos ao ajoelhar-nos em oração”.3 para que vos apresenteis sem culpa como nos foi proclamado pelos

O sol vespertino alonga a sombra dos visitantes e da fonte no lado sudoeste do Centro de Conferências.

A L I A H O N A
92
Apóstolos vivos: “Testificamos que
Ele voltará um dia à Terra. ‘E a glória
do Senhor se manifestará, e toda a
carne juntamente a verá’. ( . . . )
A Bênção de Santificar
(Isaías 40:5) Ele governará como Rei
dos Reis e reinará como Senhor dos
Senhores, e todo joelho se dobrará e
o Dia do Senhor
toda língua confessará em adoração Élder H. Aldridge Gillespie
perante Ele. Cada um de nós será jul- Dos Setenta
gado por Ele de acordo com nossas
obras e os desejos de nosso coração”.5
Irmãos e irmãs, essas bênçãos po-
dem ser nossas se colocarmos em
prática esses três princípios em nos-
sa vida. Os santos da época do rei “Os santos dos últimos dias devem ser os primeiros a santificar esse dia
Benjamim receberam a promessa de específico a cada semana.”
que se assim o fizessem iriam regozi-
jar-se para sempre e ficariam plenos específica para realizar as mudanças
do amor de Deus. Isso deu-lhes o necessárias em nossa vida. Essa ação
poder de conservarem a remissão de chama-se fé e as mudanças, arre-
seus pecados. Foi-lhes prometido pendimento. Esses dois princípios
que cresceriam no conhecimento do sempre são seguidos por bênçãos. Se
Senhor e no conhecimento daquilo não agirmos depressa, a mesma coisa
que fosse justo e verdadeiro. Eles que poderia ter-nos santificado nos
não teriam o desejo de ferirem-se trará condenação.
uns aos outros, mas, sim, de viverem Hoje é o Dia do Senhor. Ele não
em paz entre si. Disciplinariam os acaba quando saímos desta sessão;
filhos com amor e os ensinariam a não acaba quando alguém nos tele-
andar nos caminhos da verdade e fona ou bate à porta convidando-nos
da sobriedade. Eles se amariam mu- para sair e nos divertir, passear, jogar
tuamente e serviriam uns aos bola ou fazer compras; não acaba
outros. Repartiriam seu sustento pa- porque estamos em férias ou porque
ra cuidar dos pobres, alimentar os alguém nos está visitando, seja essa
famintos, vestir os nus e cuidar dos pessoa membro da Igreja ou não.
enfermos. Confortariam seus seme- O Senhor ordenou: “Saí do meio
lhantes, tanto espiritual quanto ma- dos iníquos. Salvai-vos. Sede limpos,
terialmente. Que bênção maior
poderíamos pedir?
Que Deus igualmente nos conce-
da a capacidade de conservarmos
a remissão de nossos pecados.
A todos vocês, belos e fiéis
santos, reunidos nesta tarde
de domingo: Nós os elogia-
mos pelo respeito que demonstram
pelo Dia do Senhor ao assistirem à
vós que portais os vasos do
Senhor”. 4 Um elemento essencial
para a observância desse manda-
mento é “[lembrarmo-nos] do dia
do sábado, para o santificar”.5
Testifico que Deus vive e que Seu conferência nesta tarde, onde quer O Dia do Senhor dura o dia in-
Filho Unigênito é realmente nosso que se encontrem. teiro! Numa revelação “especial-
Salvador e Redentor. Em nome de Fomos instruídos, edificados e mente [aplicável] aos santos de
Jesus Cristo. Amém.  nutridos espiritualmente durante as Sião” 6 , o Senhor afirma que o
cinco sessões desta magnífica confe- Sábado foi feito para que pudésse-
NOTAS rência geral d’ A Igreja de Jesus mos nos conservar “limpos das man-
1. Mormon Doctrine, 2.a Edição, 1966, Cristo dos Santos dos Últimos Dias. chas do mundo”. 7 É o dia de
p. 370. Foi-nos ensinado “como proceder participar do sacramento, o dia de
2. Princípios do Evangelho, (1997), p. 4. com respeito aos pontos de minha lei “[prestarmos nossa] devoção ao
3. Conference Report, abril de 2000, e dos mandamentos [do Senhor]”1 e Altíssimo” 8, dia de “jejum e ora-
p. 21, ou A Liahona, julho de 2000, p. 21. fomos “santificados por meio daquilo ção”9, dia de dedicar nosso tempo,
4. Conference Report, outubro de que [recebemos]”.2 talentos e recursos ao serviço de
1996, p. 3; ou A Liahona, janeiro de 1997, Este é o momento de “[agir] em Deus e do próximo10, dia de “[con-
p. 4. toda a santidade diante [do fessar nossos] pecados a [nossos] ir-
5. “O Cristo Vivo: O Testemunho Senhor]”.3 Isso significa que, com mãos e perante o Senhor”. 11 É,
dos Apóstolos”, A Liahona, abril de 2000, base nesta conferência, precisamos também, um excelente dia para pa-
pp. 2–3. nos decidir a respeito de uma ação gar o nosso dízimo e ofertas de

J A N E I R O D E 2 0 0 1
93
O Presidente Gordon B. Hinckley sorri para a congregação.

jejum, um dia para ser marcado pelo todas as reuniões designadas. Deixar justiça não exceder a dos escribas e
sacrifício sincero dos afazeres e pra- de fazer essas coisas constitui peca- fariseus”, disse o Senhor, “de modo
zeres do mundo. É o dia de obedecer do de omissão”.16 nenhum entrareis no reino dos
ao convênio do Dia do Senhor12, dia Nosso amado Profeta Gordon B. céus.”20
de “regozijo e oração”13, dia de “co- Hinckley prometeu: “Se tiver algu- Com relação a esse dia específico,
ração e ( . . . ) semblante alegres”.14 ma dúvida sobre a sabedoria, a di- “a questão da observância do Dia do
Isaías prometeu que “Se desviares vindade da observância do Dia do Senhor permanece ( . . . ) como um
o teu pé ( . . . ) de fazeres a tua Senhor, ( . . . ) fique em casa e reú- dos grandes testes que distingue o
vontade no meu santo dia, e chama- na seus familiares, ensine-lhes o justo entre mundanos e fracos”, dis-
res ao sábado deleitoso ( . . . ) e o evangelho, passe momentos agradá- se o Élder Bruce R. McConkie.21
honrares não seguindo os teus cami- veis com eles no Dia do Senhor, ve- As promessas do Senhor àqueles
nhos ( . . . ) então te deleitarás no nha às reuniões, participe. Você que santificam o Seu Dia estão de tal
Senhor”.15 saberá que o princípio do Dia do forma claras nas escrituras que nos
Obviamente, nossa atenção deve Senhor é um princípio verdadeiro, levam a perguntar: “Por que alguém
centrar-se na vontade do Senhor e que traz consigo grandes bênçãos”.17 jogaria fora tais bênçãos em troca de
não em continuar o trabalho nem Jesus ensinou: “O sábado foi feito prazeres enganosos e passageiros do
satisfazer os apetites carnais por di- por causa do homem”.18 O que isso mundo?” Ouçam novamente as pa-
versão e descanso. quer dizer? Quer dizer que para um lavras de Jeová pronunciadas no
O profeta Spencer W. Kimball homem ter a felicidade e a alegria Monte Sinai: “Guardareis os meus
aconselhou: “O Dia do Senhor é que o evangelho promete, nesse dia sábados, e reverenciareis o meu san-
um dia sagrado no qual se deve rea- ele deve sacrificar o mundo, deixar tuário. Eu sou o Senhor. Se andardes
lizar coisas dignas e sagradas. A abs- de lado o emprego, se possível, e nos meus estatutos, e guardardes os
tinência do trabalho e recreação é obedecer o eterno convênio do Dia meus mandamentos, e os cumprir-
importante, mas insuficiente. O Dia do Senhor. O Senhor ordenou: des, Então eu vos darei as chuvas a
do Senhor exige pensamentos e “Guardarão, pois, o sábado os filhos seu tempo; e a terra dará a sua co-
atos construtivos, e se a pessoa per- de Israel, (que incluem todos os san- lheita, ( . . . ) e comereis o vosso pão
manece ociosa, nada fazendo du- tos dos últimos dias) ( . . . ) nas suas a fartar, e habitareis seguros na vossa
rante esse dia, ela o está quebrando. gerações por aliança perpétua. Entre terra. Também darei paz na terra
Para observá-lo adequadamente, mim e os filhos de Israel será um si- ( . . . ) e pela vossa terra não passará
tem-se que se ajoelhar em oração, nal para sempre”.19 espada. ( . . . ) E para vós olharei, e
preparar lições, estudar o evange- De todas as pessoas da Terra, os vos farei frutificar, ( . . . ) e confirma-
lho, meditar, visitar os enfermos e santos dos últimos dias devem ser os rei a minha aliança convosco. ( . . . )
oprimidos, dormir, ler coisas sadias primeiros a santificar esse dia espe- E porei o meu tabernáculo (ou seja,
e benéficas, e freqüentar, nesse dia, cífico a cada semana. “Se a vossa o templo) no meio de vós. ( . . . ) E

A L I A H O N A
94
andarei no meio de vós, e eu vos
serei por Deus, e vós me sereis por
povo”. 22
Eu gosto muito do domingo! Ele
Compartilhar
já abençoou a minha família de inú-
meras maneiras. Presto testemunho,
por minha própria experiência, de
o Evangelho
que os mandamentos do Senhor são Élder Robert C. Oaks
“verdadeiros e fiéis”. 23 Dos Setenta
Tenho certeza de que vocês serão
mais felizes, desfrutarão de paz mais
intensa e encontrarão alegria na vida
ao presenciar os milagres que che-
gam a cada pessoa e a cada família
que faz o sacrifício de obedecer a es- “Considerando-se a importância da mensagem, o auxílio proporcionado
se convênio eterno. pelo Espírito, o número de missionários e o tamanho do campo que está
Amo o meu Senhor e Salvador. pronto para a colheita, 300.000 novos conversos por ano estão longe de
Sei que Ele vive e que esta é a Sua ser o suficiente.”
Igreja e reino nesta Terra. Sei que Ele
é, ao mesmo tempo, um Deus de jus- profeta desta dispensação, Joseph
tiça e de misericórdia, que ama Seus Smith.
filhos com toda a ternura de um rei e Nós, que experimentamos os do-
pai amoroso. Que nós, então, “[ofe- ces frutos do evangelho, sabemos
reçamos] um sacrifício ao Senhor que ele é uma fonte de fé, esperança
[nosso] Deus em retidão, sim, um co- e paz, e um constante motivo de ale-
ração quebrantado e um espírito gria. Na realidade, é uma jóia rara
contrito”.24 É a minha oração, em no- cujo valor devemos apreciar, e é
me de Jesus Cristo. Amém.  uma jóia rara que devemos compar-
tilhar. Existem 60.000 missionários
NOTAS de tempo integral empenhados nes-
1. D&C 43:8. se processo de compartilhá-lo. Os
2. D&C 43:9. esforços deles, aliados àqueles dos
3. D&C 43:9. missionários de estaca e dos mem-
4. D&C 38:42. bros, fizeram com que houvesse cer-
5. Ex. 20:8. ca de 300.000 novos conversos no
6. D&C 59: cabeçalho da seção. ano passado.
7. D&C 59:9. Isso, entretanto, não é o suficien-
8. D&C 59:10. te. Considerando-se a importância
9: D&C 59:14.
10: D&C 59:12 lemos: “Oferecerás tuas
oblações”, que significa oferecer o nosso
tempo, talentos e recursos (see footnote b).
11. D&C 59:12.
F ico emocionado ao ouvir o
profeta subir a este púlpito e
declarar que vê o trabalho do
Senhor rolando até encher a Terra,
como a pedra, cortada sem auxílio
da mensagem, o auxílio proporcio-
nado pelo Espírito, o número de
missionários e o tamanho do campo
que está pronto para a colheita,
300.000 novos conversos por ano
12. D&C 59:12. de mãos, que Daniel contemplou em está longe de ser o suficiente.
13. D&C 59:14. sua visão. (Ver Dan. 2:34–35.) Na verdade, no ano passado o
14. D&C 59:15. Esta obra é guiada pelo Espírito Presidente Hinckley desafiou os
15. Isa. 58:13–14. do Senhor e pelo exercício da auto- membros da Igreja a aumentarem
16. O Milagre do Perdão, (1969), p. 97. ridade do sacerdócio dada ao ho- significativamente o número de con-
17. Teachings of Gordon B. Hinckley, mem. Porém, ela segue avante sobre versos. Ainda não estamos seguindo
(1997), 559. as rodas do trabalho missionário da- sua admoestação profética.
18. Marcos 2:27. queles que responderam ao chama- A tarefa dos profetas consiste em
19. Êxodo 31:16–17. do do Senhor para “[irem] por todo ajudar-nos a galgar novos patama-
20. Mateus 5:20. o mundo, [pregando] o evangelho a res. O Presidente David O. McKay
21. Mormon Doctrine, 2ª ed. (1966), toda criatura”. (Marcos 16:15) aconselhou: “Cada membro é um
p. 658. O evangelho de Jesus Cristo, em missionário”1; o Presidente Kimball
22. Lev. 26:2–12. toda a sua pureza, beleza e simplici- disse: “Alargai vossos passos”2 e “fa-
23. D&C 71:11. dade, foi restaurado à Terra nestes úl- ça-o agora”3; o Presidente Benson
24. D&C 59:8. timos dias por intermédio do grande falou: “Inundai a Terra com o Livro

J A N E I R O D E 2 0 0 1
95
de Mórmon”4; e agora, o Presidente conversos a integrarem-se completa- que os amigos não abracem a men-
Hinckley nos diz: “Aumentem o nú- mente. A única maneira de aumentar sagem do evangelho.
mero de conversos e retenham-nos”. a atual taxa de conversão é aumentar Imagine que você seja convidado
Será que precisamos de instruções a participação dos membros. para tomar o desjejum na casa de
mais específicas? Já ouvimos isso tudo muitas ve- um amigo. Sobre a mesa há um
Examinemos os quatro passos das zes. Por que não conseguimos nos grande jarro de suco de laranja fres-
instruções que recebemos com rela- sobressair em relação a dar referên- quinho, e o seu anfitrião enche o
ção ao trabalho missionário dos cias? Não pode ser preguiça, por- próprio copo com ele, mas não lhe
membros: que os santos dos últimos dias não oferece nem um pouco. Finalmente,
1. Identifiquem, em espírito de são um povo preguiçoso. Acredito você pergunta: “Será que eu pode-
oração, seus amigos e vizinhos que que o temor de uma rejeição ou o ria beber um pouco de suco de
seriam mais receptivos à mensagem medo de magoar uma amizade se- laranja?”
do evangelho. jam os obstáculos mais comuns no Ele responde: “Ah, desculpe-me.
2. Apresente as pessoas identifi- que se refere a compartilhar o Achei que você talvez não gostasse
cadas aos missionários. evangelho. de suco de laranja e não o quis ofen-
3. Envolva-se no ensino do evan- Esses temores, entretanto, teriam der oferecendo algo que você não
gelho, de preferência em seu próprio fundamento? Quando você convida desejava”.
lar. um amigo para conhecer os missio- Isso parece absurdo, mas não é
4. Integre os amigos e quaisquer nários, está oferecendo a ele algo muito diferente da maneira como he-
membros novos na Igreja, ajudando- que é muito estimado e valioso. Isso sitamos em oferecer algo muito mais
os e dando-lhes atenção. é ofensivo? A irmã Oaks e eu acha- doce que suco de laranja. Muitas ve-
Por meio desse processo simples e mos que não seja esse o caso. Na zes imagino como poderia explicar
resumido, podemos aumentar o nú- realidade, descobrimos que quando minha hesitação a um amigo quando
mero de conversos e, mais importan- compartilhamos o evangelho, as o encontrasse além do véu.
te ainda, podemos ajudar os novos amizades são fortalecidas, mesmo Uma história contada pelo élder
Christoffel Golden, da África do
O Centro de Conferências fica localizado no centro de Salt Lake City, Sul, trouxe novamente à memória
em frente ao templo e a uma quadra dos prédio dos escritórios minhas preocupações. Recente-
administrativos. mente ele esteve em uma reunião
para novos conversos em Lusaka,
Zâmbia. Um estranho bem vestido e
muito educado entrou no recinto
com um Livro de Mórmon na mão.
Afirmou que passara pela capela de
carro muitas vezes e imaginara que
igreja seria aquela e que tipo de
doutrina era ali ensinada.
Ao final da reunião, o cavalheiro
ficou de pé, ergueu o exemplar do
Livro de Mórmon bem alto e per-
guntou: “Por que vocês esconderam
esse livro do povo de Lusaka? Por
que o mantêm em segredo?”
Ao ouvir essa história, fiquei com
medo de que algum dia um amigo
venha a perguntar-me: “Por que vo-
cê mantém em segredo o Livro de
Mórmon, com sua mensagem de
verdade e salvação?”
Minha resposta: “de que eu temia
comprometer a nossa amizade” não
será muito satisfatória nem para
mim nem para o meu amigo.
Irmãos e irmãs, oro para que dei-
xemos de lado nossos temores e
hesitação e não mantenhamos mais
em segredo o grande tesouro que
possuímos.

A L I A H O N A
96
Um último pensamento com res-
peito à obra missionária. Durante o
pouco tempo que estive no sudeste
da África, fiquei impressionado com
Liberdade “de” ou
o serviço extraordinário prestado pe-
los casais missionários. Todos os dias,
eles contribuem significativamente
Liberdade “para”
para o fortalecimento dos membros e Élder F. Enzio Busche
ajudam a rolar para a frente a pedra, Membro Emérito dos Setenta
cortada sem auxílio de mãos, em seu
caminho eterno. Ao unirem-se aos
missionários mais jovens e os mem-
bros locais, eles formam uma pode-
rosa equipe na luta pela retidão.
A contribuição dessas almas ex- “Começamos a sentir-nos vivos ao assumirmos conscientemente a total
perientes e testificadoras não tem responsabilidade por nossa própria vida e ao pararmos de culpar as
limites, seja na liderança, no proseli- circunstâncias.”
tismo, no trabalho do templo ou nos
serviços humanitários, de bem-estar que a humanidade tem sofrido tanta
e de educação da Igreja. E, sem ex- infelicidade e injustiça. Os questio-
ceção, vejo-os encontrar grande sa- namentos da humanidade a respeito
tisfação pessoal no serviço. da vida após a morte e do destino fi-
Se você é aposentado ou está ap- nal do homem também acabaram
to a se aposentar e está pensando em tendo resposta.
como tirar proveito do restante de Até o dia de hoje, mais de 42
sua vida, entre em contato com seu anos desde que aceitei, por livre es-
bispo. Permita que ele fale com você colha, fazer o sagrado convênio do
sobre a empolgante lista de oportu- batismo do Senhor, ainda permane-
nidades missionárias que possui. ço em estado de contemplação dian-
Hoje, tome seu cônjuge pela mão te dos acontecimentos maravilhosos
e veja se não concordam que o me- e miraculosos da Restauração. Não
lhor a fazer, em relação a todos os in- só nos foi permitido aprender tudo a
teressados, incluindo seus netos, respeito da essência do Sacrifício
seria que aceitassem uma designação Expiatório do Senhor Jesus Cristo,
para servir ao Senhor como missio- mas também o significado do sacer-
nários. Esta é Sua obra e Ele nos dócio de Deus que foi revelado e
chama para que nos juntemos a Ele. restaurado para que todos nós pu-
Presto testemunho de que Deus,
nosso Pai Eterno, e Seu Filho Uni-
gênito, Jesus Cristo, vivem. Cristo
veio à Terra e cumpriu Seu chamado
como Redentor de toda a humanida-
S e me perguntassem qual é, no
meu entendimento, o evento
mais importante acontecido
na Terra nos últimos 200 anos, eu
responderia sem hesitar: as conse-
déssemos agir no sentido de cultivar
o amor e a paciência, para levar a
efeito a oportunidade de salvação
para todos.
O tempo não me permite falar
de. Testifico que Seu evangelho foi qüências da oração de um rapaz do mais a respeito dos detalhes dessa
restaurado em sua plenitude e que campo, que no início do século de- obra maravilhosa de nossos dias,
existe um profeta vivo, Gordon B. zenove, no interior do Estado de mas sinto-me inspirado a falar sobre
Hinckley, conduzindo esta obra, sob a Nova York, ajoelhou-se diante de um aspecto essencial do reino do
direção do Pai e do Filho. Eu o faço, Deus e perguntou-Lhe acerca de Senhor que, se não for compreendi-
em nome de Jesus Cristo. Amém.  verdades eternas. do, pode resultar no fato de que a
Esse rapazinho, de nome Joseph visão de Seu plano não seja adequa-
NOTAS Smith, tornou- se, nas mãos do damente percebida.
1. Relatório de Conferência, abril de Senhor Jesus Cristo, o instrumento Antes de entrar no assunto, gos-
1959, p. 122. que restaurou ao mundo o conheci- taria de falar-lhes sobre um irmão
2. “The True Way of Life and mento da verdade perdida há muito fiel que era membro do mesmo ramo
Salvation”, Ensign, maio de 1978, p. 4. tempo e quase esquecida: o conheci- que eu em minha terra natal, a
3. “Always a Convert Church”, Ensign, mento a respeito de nós, seres hu- Alemanha, nos primeiros anos de
setembro de 1975, p. 3. manos — quem somos, de onde minha filiação à Igreja.
4. “Flooding the Earth with the Book of viemos, qual o sentido e o propósito Era uma pessoa de condição mo-
Mormon” Ensign, novembro de 1988, p. 5. de nossa existência terrena e por desta e sentia-se muito abençoado

J A N E I R O D E 2 0 0 1
97
que temos como seres humanos.
Aprendemos que tudo o que faze-
mos, ou até dizemos ou pensamos,
tem conseqüências. Vemos que por
muito tempo acreditamos ser víti-
mas das circunstâncias. No evange-
lho de João 8:32, lemos o seguinte:
“E conhecereis a verdade, e a
verdade vos libertará.”
Ao abrirmos o coração para a
mensagem da verdade de Deus,
conforme restaurada em nossos dias,
começamos a compreender porque
existiu e ainda existe tanta infelici-
dade, dor, sofrimento e até fome. À
medida que aprendermos a aceitar a
verdade revelada em nossa própria
vida, a nossa fé no Filho vivo de
Deus irá crescer e, portanto, recebe-
remos dons espirituais e aptidões
até o momento desconhecidas.
Aprenderemos que nada é impossí-
vel para aqueles que crêem em Jesus
por estar começando a trabalhar nu- bebendo não tinha nada a ver com a Cristo. Limitações irreais serão eli-
ma pequena empresa particular. Igreja à qual pertencia, mas que ele minadas. O pensamento obtuso, de-
Contou-me que em breve haveria mesmo havia feito uma promessa sa- corrente das tragédias que são as
um evento e que todos os emprega- grada a Deus de que não beberia. Se falsas tradições, desaparecerá.
dos haviam sido convidados a parti- ele porventura quebrasse essa pro- Quanto mais o nosso entendi-
cipar de um jantar tradicional da messa, como permaneceria fiel às mento da vastidão e da plenitude do
companhia. coisas que viria a prometer e como plano de salvação for desenvolvido,
Ele estava preocupado porque sa- as pessoas, até mesmo o seu patrão, mais nos enxergaremos em nossa in-
bia da grande festa da cerveja que poderiam acreditar que não menti- significância e imperfeição. E ao nos
aconteceria no final da reunião, e ria, roubaria ou seria desonesto? vermos nessa condição de humilda-
seu chefe seria muito provavelmente Segundo afirmou meu amigo, o de, com o coração quebrantado e o
o maior bebedor de cerveja entre to- dono da empresa ficou muito im- espírito contrito, compreenderemos
dos os presentes. Tinha consciência pressionado com suas afirmações e e finalmente aceitaremos esse sacra-
também de que seria muito indelica- abraçou-o, dizendo palavras de res- tíssimo convênio feito com o Pai
do de sua parte se não comparecesse peitosa admiração e confiança. Celestial, sob a forma do batismo.
ao jantar. Meus queridos irmãos e irmãs, na Nós nos submeteremos cheios de
Quando o encontrei novamente, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos alegria a esse convênio, sabendo que
passado o evento do jantar, vi nele Últimos Dias, muitos membros no- existe uma grande diferença entre o
um brilho e felicidade interior, e ele vos, principalmente aqueles que vêm mero desejo e o convênio. Quando
mal podia esperar para contar-me o de fora dos Estados Unidos, apren- simplesmente desejamos algo, so-
que havia acontecido. Por ele ser dem pela primeira vez o verdadeiro mente esforçamo-nos para consegui-
novo na empresa, seu chefe havia-se significado da palavra “liberdade”. lo quando nos convém. Mas quando
sentado bem ao seu lado, para co- Liberdade, para a maior parte das chegamos ao ponto de fazer um con-
nhecê-lo melhor. À medida que as pessoas do mundo, significa “liberda- vênio sagrado, como o batismo,
horas passavam, os piores temores de de” — a ausência de malignidade, aprendemos a superar todos os obstá-
desse irmão iam-se confirmando, dor ou repressão. Mas o sentido que culos por meio da obediência e, ao
pois o chefe não iria aceitar que o Deus dá à “liberdade”, ao referir-Se fazê-lo, somos abençoados com a
novo funcionário não bebesse com a nós, vai muito além disso. Ele quer presença do Espírito e, por conse-
ele. Ele disse: “Que tipo de igreja é dizer “liberdade para” — a liberdade guinte, com realizações. Começamos
essa que não lhe permite beber um para agir na dignidade de nossa pró- a sentir-nos vivos ao assumirmos
único copo de cerveja comigo”? pria escolha. conscientemente a total responsabili-
Os temores desse amigo não se Então, o que significa ser livre? dade por nossa própria vida e ao pa-
transformaram em pânico porque ele Liberdade quer dizer ter maturidade rarmos de culpar as circunstâncias.
teve calma suficiente para responder para o pleno conhecimento do peri- Uma coisa, porém, é certa: ter
ao chefe que a razão de ele não estar go das inúmeras responsabilidades “liberdade para” significa também

A L I A H O N A
98
que temos o potencial para fazer es-
colhas erradas. As escolhas erradas
têm conseqüências impiedosas e,
quando não são contidas e corrigi-
“Escreva em
das, nos conduzem à infelicidade e à
dor. As escolhas erradas, quando não
são corrigidas, nos conduzem ao últi-
Meu Coração”
mo desastre possível na vida: ficar Élder Henry B. Eyring
longe de nosso Pai Celestial no mun- Do Quórum dos Doze Apóstolos
do vindouro.
Ao recebermos essa mensagem vi-
vificante, começamos a entender
que em nossa existência anterior,
éramos como um jogador de futebol
parado no meio do campo, total- “A oração poderá proporcionar o escudo de proteção que os pais tanto
mente desanimado por não saber o desejam para os filhos.”
propósito e as regras do jogo. Não
sabíamos a qual equipe pertencíamos York. Ele tinha ido até lá a trabalho.
e nem mesmo quem era o nosso téc- Eu estava ali a caminho de outro lu-
nico. Só por meio do conhecimento gar. Ambos sabíamos que eu prova-
do evangelho restaurado é que o velmente jamais voltaria a viver
nosso objetivo fica claro e com- novamente com meus pais.
preendemos que Jesus Cristo e Sua Era um dia ensolarado, por volta
Igreja e sacerdócio restaurados são o do meio-dia, as ruas cheias de pedes-
único meio de alcançarmos êxito em tres e carros. Naquela esquina havia
nossa experiência terrena. um semáforo que parava os carros e
Jesus Cristo deseja dar vigor à os pedestres por alguns instantes. O
nossa vida de acordo com as nossas sinal ficou vermelho e os carros pa-
escolhas em retidão, de modo que, raram. Uma multidão de pedestres
por meio de nossa fé e nossas obras, começou a mover-se apressadamente
as circunstâncias de que éramos pri- das calçadas, indo para todas as dire-
sioneiros no passado acabarão modi- ções, inclusive atravessando o cruza-
ficando-se. No Livro de Mórmon mento na diagonal.
aprendemos que o Redentor contro- Tinha chegado o momento de di-
la nossa vida, junto com uma multi- zer adeus, e eu comecei a atravessar
dão de anjos. Lemos: a rua. Parei quase no meio da rua,
“( . . . ) cessaram os milagres? Eis
que vos digo que não; tampouco os
anjos cessaram de ministrar entre os
filhos dos homens. Pois eis que a ele
estão sujeitos, para ministrarem de
O s pais devem ensinar seus
filhos a orar. A criança
aprende tanto com o que os
pais fazem quanto com o que dizem.
A criança que vê a mãe ou o pai en-
com as pessoas correndo a meu re-
dor, e voltei-me. Em vez de cami-
nhar com a multidão, meu pai
estava ali parado na esquina, olhan-
do para mim. Ele parecia solitário e
acordo com a palavra de sua ordem, frentar as provações da vida com um pouco triste. Eu queria voltar
manifestando-se aos que têm uma fé uma fervorosa oração a Deus e de- até ele, mas percebi que o sinal mu-
vigorosa ( . . . ).” (Morôni 7:29–30) pois ouve um sincero testemunho de daria em breve, por isso virei-me e
Nesta liberdade que recebemos que Deus respondeu a essa oração corri para o outro lado da rua.
em nossos dias, por meio de nosso irá lembrar-se com carinho do que Anos depois, conversei com ele a
entendimento de Seu plano divino viu e ouviu. Quando ela tiver suas respeito daquele momento. Ele disse
para nós, assumimos inteiramente a próprias provações, estará preparada. que eu me enganara quanto à sua ex-
nossa responsabilidade. Que sempre Mais tarde, quando estiver longe pressão. Não estava triste, mas, sim,
fiquemos perto da mão amorosa e de casa e da família, a oração poderá preocupado. Ele viu-me parar e olhar
cuidadosa de nosso Redentor e proporcionar o escudo de proteção para trás, como se fosse um menini-
Salvador para termos segurança e fe- que os pais tanto desejam para os fi- nho inseguro à espera de incentivo.
licidade. Digo isso com profunda hu- lhos. A separação pode ser muito di- Em nossa conversa, anos depois, ele
mildade. E presto -lhe o meu fícil, em particular quando os pais e me disse o que estava pensando na-
testemunho, como irmão e servo, de o filho sabem que não se verão por quele momento: “Será que ele ficará
que Jesus vive e de que Ele está à muito tempo. Tive essa experiência bem? Será que lhe ensinamos o suficien-
frente nesta obra. Isso eu digo em com meu pai. Separamo-nos em te? Estará preparado para o que pode
nome de Jesus. Amém.  uma esquina da cidade de Nova vir a encontrar no futuro?”

J A N E I R O D E 2 0 0 1
99
Havia mais do que pensamentos O. Bennion, lhe tinha dito. Ele viaja- dos outros. Se eu e todos os demais
em sua mente. Por conhecê-lo ra com um apóstolo que lhe descre- entrássemos na reunião com esse es-
bem, eu sabia que tinha sentimen- veu ter visto o Salvador em uma pírito, então o Espírito de Deus Se
tos em seu coração. Ele ansiava por visão. O élder Bennion deu a ela a manifestaria em nosso meio, e o que
ver-me protegido e seguro. Ouvi e pintura dizendo que aquela era a me- decidíssemos seria a mente e a von-
senti esse anseio em suas orações, e lhor descrição da força de caráter do tade de Deus, porque nos teria sido
mais ainda nas de minha mãe, du- Salvador que ele jamais tinha visto. revelado por Deus. Veríamos luz na
rante todos os anos que vivi com Então ela emoldurou a gravura e co- direção a ser tomada e trevas, na di-
eles. Tinha aprendido com isso, e locou-a na parede de modo que pu- reção oposta.” (Deseret Semi-Weekly
me lembrava. desse vê-la da cama. News, 30 de setembro de 1890, p. 2;
A oração é um assunto do cora- Ela conhecia o Salvador e O grifo do autor.)
ção. Aprendi muito mais do que amava. Aprendi com ela que não Nossa meta ao ensinarmos nossos
simplesmente a forma de se orar. encerramos em nome de um estra- filhos a orar é fazer com que dese-
Aprendi com meus pais e com os nho quando nos dirigimos ao Pai jem que Deus escreva em seu cora-
ensinamentos do Salvador que nos em oração. Eu sabia pelo que tinha ção e estejam dispostos a ir e fazer o
devemos dirigir ao Pai Celestial na visto de sua vida que o coração de- que Deus lhes pedir. É possível nos-
reverente linguagem da oração. “Pai la tinha-se achegado ao Salvador sos filhos terem fé suficiente, em vir-
nosso, que estás nos céus, santifica- ao longo de anos de constante e tude do que nos vêem fazer e do que
do seja o teu nome.” (Mateus 6:9) firme empenho em servi-Lo e agra- lhes ensinamos, de modo a sentirem
Eu sabia que jamais devemos profa- dá-Lo. Eu sabia que esta escritura, pelo menos parte do que o Salvador
nar Seu santo nome; jamais. Podem que traz uma advertência, era ver- sentiu ao orar pedindo forças para
imaginar o quanto as orações de dadeira: realizar Seu sacrifício infinito por
uma criança seriam prejudicadas se “Pois como conhece um homem nós:
ela ouvisse um dos pais profanar o o mestre a quem não serviu e que “E, indo um pouco mais para
nome de Deus? Essa ofensa teria lhe é estranho e que está longe dos diante, prostrou-se sobre o seu rosto,
conseqüências terríveis para uma pensamentos e desígnios de seu co- orando e dizendo: Meu Pai, se é pos-
criança. ração?” (Mosias 5:13) sível, passe de mim este cálice; toda-
Aprendi que era importante Anos depois que minha mãe e via, não seja como eu quero, mas
agradecer pelas bênçãos e pedir per- meu pai faleceram, as palavras “em como tu queres.” (Mateus 26:39)
dão. “Perdoa-nos as nossas dívidas, nome de Jesus Cristo” não são tri- Já recebi resposta a minhas ora-
assim como nós perdoamos aos nos- viais para mim, seja quando eu as ções. Essas respostas eram muito cla-
sos devedores.” (Mateus 6:12) digo ou quando ouço outras pessoas ras quando minha vontade era
Aprendi que pedimos aquilo que dizerem-nas. Devemos servi-Lo não subjugada pela insuperável necessi-
necessitamos e oramos para que ou- apenas para conhecer o coração do dade de conhecer o desejo do
tras pessoas sejam abençoadas. “O Mestre, mas também devemos orar Senhor. É desse modo que a resposta
pão nosso de cada dia nos dá hoje.” para receber a resposta do Pai do amoroso Pai Celestial pode ser fa-
(Mateus 6:11) Sabia que nós deve- Celestial às nossas orações em nosso lada à mente, por meio da voz mansa
mos sobrepujar a nossa vontade. coração bem como em nossa mente. e delicada, e escrita no coração.
“Venha o teu reino, seja feita a tua (Ver Jer. 31:33; Heb. 8:10, 10:16 e Alguns pais podem estar pergun-
vontade, assim na terra como no II Cor. 3:3.) tando-se: “Mas como posso abran-
céu.” (Mateus 6:10) Eu fora ensina- O Presidente George Q. Cannon dar o coração de meu filho, que já
do e verifiquei ser verdade que po- descreveu a bênção que é as pessoas está crescido e convencido de que
díamos ser advertidos do perigo e se reunirem depois de terem orado não precisa de Deus? Como posso
admoestados sobre o que falamos pedindo essas respostas. Ele estava abrandar seu coração o suficiente
que pode ser do desagrado do referindo-se a uma reunião do sa- para permitir que Deus escreva ne-
Senhor. “E não nos induzas à tenta- cerdócio, mas muitos de vocês vie- le?“ Às vezes a tragédia abranda o
ção; mas livra-nos do mal.” (Mateus ram a esta nossa reunião com o coração. Mas até a tragédia pode
6:13) coração preparado da maneira por não ser suficiente para alguns.
Aprendi que sempre devemos orar ele descrita: Mas há uma necessidade que até
em nome de Jesus Cristo. Mas algo “Eu entraria nessa reunião com a a pessoa mais obstinada e orgulhosa
que vi e ouvi tinha-me ensinado que mente totalmente livre de qualquer não será capaz de imaginar que con-
aquelas palavras eram mais do que influência que impedisse o Espírito seguirá satisfazer por si mesma. As
mera formalidade. Havia uma gravu- de Deus de agir sobre mim. Eu iria pessoas não podem tirar o peso do
ra do Salvador na parede do quarto em espírito de oração, pedindo a pecado dos próprios ombros. E até
em que minha mãe permaneceu aca- Deus que escrevesse em meu coração as pessoas de coração mais endure-
mada por alguns anos antes de mor- a Sua vontade, e não com a decisão cido às vezes sentem o aguilhão da
rer. Ela colocara a gravura ali por já tomada de exercer minhas vonta- consciência e, portanto, necessitam
causa de algo que seu primo, Samuel des, independentemente da opinião do perdão de Deus. Alma, que foi

A L I A H O N A
100
que cometeríamos. Preparar-nos
um caminho de volta para casa, à
Sua presença e à presença do Pai
Celestial. Se o Espírito Santo pode
dizer-nos tantas coisas a respeito de
quem somos, nós e nossos filhos po-
demos sentir o mesmo que Enos sen-
tiu. Ele orou da seguinte maneira:
“E minha alma ficou faminta; e
ajoelhei-me ante o meu Criador e
clamei-lhe, em fervorosa oração e
súplica, por minha própria alma; e
clamei o dia inteiro; sim, e depois de
ter anoitecido, continuei a elevar
minha voz até que ela chegou aos
céus.
E ouvi uma voz, dizendo: Enos,
perdoados são os teus pecados e tu
serás abençoado.” (Enos 1:4–5)
Prometo-lhes que nenhuma ale-
gria supera aquela que sentirão
quando um filho seu orar num mo-
mento de necessidade e receber
uma resposta assim. Vocês um dia
irão separar-se deles, levando no co-
ração o anseio de revê-los. Um Pai
Celestial amoroso sabia que esse an-
seio perduraria eternamente a me-
Do interior do Centro de Conferências, uma mulher observa, através de nos que nos reuníssemos em família
uma janela no lado sul, a água da fonte do terraço cair em cascata. com Ele e com Seu Filho amado. Ele
preparou tudo o que Seus filhos pre-
um pai amoroso, ensinou a respeito Alma sabia o que nós podemos cisariam para receber essa bênção.
dessa necessidade e seu filho saber: que seu testemunho de Jesus Para consegui-la, eles devem pedi-la
Coriânton, dizendo: Cristo e Sua crucificação era a coisa a Deus por si mesmos, sem nada du-
“Ora, o plano de misericórdia que tinha maior probabilidade de fa- vidar, como fez o menino Joseph
não poderia ser levado a efeito se zer com que seu filho sentisse neces- Smith.
não fosse feita uma expiação; por- sidade de toda a ajuda que apenas Meu pai estava preocupado
tanto o próprio Deus expia os peca- Deus poderia oferecer. E alguém aquele dia em Nova York, porque
dos do mundo, para efetuar o plano cujo coração tenha sido tocado por sabia, tanto quanto a minha mãe,
de misericórdia, para satisfazer os re- essa imensa necessidade de purifica- que a única real tragédia que pode-
quisitos da justiça, a fim de que ção recebe resposta a suas orações. ria vir a acontecer seria o fato de
Deus seja um Deus perfeito, justo e Quando ensinamos a nossos entes separarmo-nos para sempre. Foi por
também um Deus misericordioso.” queridos que nós somos filhos espiri- esse motivo que me ensinaram a
(Alma 42:15) tuais afastados temporariamente de orar. Eles sabiam que poderíamos fi-
E então, depois de prestar teste- um Pai Celestial amoroso, estamos car eternamente juntos somente
munho do Salvador e de Sua abrindo as portas da oração para com a ajuda de Deus e com a segu-
Expiação, o pai fez esta súplica, ro- eles. rança que Ele nos dá. Assim como
gando pela brandura de coração: Vivemos em Sua presença e gló- vocês, eles ensinaram a oração por
“Oh! Meu filho, desejo que não ria antes de virmos a esta Terra para meio do exemplo.
negues mais a justiça de Deus. Não sermos provados. Conhecíamos o Na tarde em que minha mãe fale-
procures, mesmo nas mínimas coi- Seu rosto e Ele nos conhecia. Tal ceu, fomos para casa assim que saí-
sas, desculpar-te de teus pecados, como meu pai terreno viu-me partir, mos do hospital. Ficamos por alguns
negando a justiça de Deus: mas nosso Pai Celestial viu-nos descer instantes sentados em silêncio em
deixa que a justiça de Deus e sua para a mortalidade. meio à penumbra da sala de estar.
misericórdia e sua longanimidade Seu Filho Amado, Jeová, partiu Papai pediu licença e dirigiu-se a
governem plenamente teu coração; daquelas cortes de glória para descer seu quarto, onde permaneceu por
e deixa que te humilhem até o pó.” ao mundo e sofrer tudo o que sofreu alguns minutos. Ao retornar para
(Alma 42:30) e pagar o preço de todos os pecados a sala, ostentava um sorriso nos

J A N E I R O D E 2 0 0 1
101
lábios. Ele disse que havia estado
preocupado com a mamãe. Enquanto
apanhava os objetos pessoais dela no
hospital e agradecia os médicos e en-
“Um humilde e
fermeiros por terem sido tão amáveis
para com ela, pensou a respeito de
sua chegada ao mundo espiritual mi-
contrito coração”
nutos após a sua morte. Ele ficou Presidente Gordon B. Hinckley
com medo de ela sentir-se sozinha
caso não houvesse ninguém para re-
cepcioná-la.
Ele havia ido até o quarto orar ao
Pai Celestial pedindo que enviasse al-
guém para receber Mildred, sua espo- “Se nos tivermos aproximado mais do Salvador, com uma resolução mais
sa e minha mãe. Ele disse que firme de seguir os Seus ensinamentos e o Seu exemplo, então esta
recebeu a resposta de que sua própria conferência terá sido um sucesso extraordinário.”
mãe estaria lá para recepcionar sua
adorável esposa. Eu também sorri da Internet. Ao fazermos isso, espe-
diante disso. A vovó Eyring não era ro que, quando tudo acabar, “[per-
muito alta. Eu a vi claramente, baixi- dure] teu sacrifício redentor, um
nha como era, apressando-se entre a humilde e contrito coração”.
multidão ao encontro de minha mãe. (Hymns, nº 80)
Meu pai não tinha certamente a Espero que ponderemos com ins-
intenção de, naquele momento, en- trospecção os discursos que ouvi-
sinar-me a respeito do princípio da mos. Espero que meditemos com
oração, mas assim o fez. Não me serenidade sobre as coisas maravi-
lembro de nenhum discurso de meu lhosas que escutamos. Espero que
pai ou minha mãe a respeito de ora- nos sintamos um pouco mais contri-
ção. Eles oravam nos bons e maus tos e humildes.
momentos; e relatavam de maneira Todos nós fomos edificados. O
simples quão bondoso e poderoso teste consistirá em aplicar os ensina-
Deus Se revelava e quão próximo de mentos recebidos. Se a partir de
nós Ele estava. As orações que eu agora formos um pouco mais bondo-
mais ouvia eram a respeito do que sos, se tratarmos um pouco melhor o
seria necessário para que estivésse- nosso próximo, se nos tivermos
mos eternamente juntos. As respos- aproximado mais do Salvador, com
tas que permanecerão indeléveis em “Cessam o tumulto e o clamor; uma resolução mais firme de seguir
meu coração parecem ser, com mais Partem os reis e capitães. Seus ensinamentos e Seu exemplo,
freqüência, a certeza de que estáva- Mas perdura teu sacrifício redentor, então esta conferência terá sido um
mos no caminho certo. Um humilde e contrito coração. sucesso extraordinário. Se, por outro
Ao imaginar a minha avó corren- Senhor Deus dos Exércitos, perma- lado, não melhorarmos nossa vida,
do em direção de minha mãe, senti- nece conosco, nós suplicamos então os oradores terão, em grande
me alegre por elas e o anseio de levar Para que não esqueçamos, para que parte, facrassado.
minha esposa e meus filhos a tal en- não esqueçamos.” Talvez essas mudanças não pos-
contro. É por causa desse anseio (God of Our Fathers, Known of sam ser medidas em um dia ou um
que devemos ensinar nossos filhos a Old, Hymns, nº 80) mês. Muitas resoluções se fazem e
orar. esquecem com rapidez. Contudo, se
Testifico que nosso Pai Celestial
responde às orações dos pais fiéis
que desejam saber como ensinar seus
filhos a orar. Testifico que, por causa
da Expiação de Jesus Cristo, pode-
E ssas palavras imortais de
Rudyard Kipling expressam
meus sentimentos ao encer-
rarmos esta maravilhosa conferên-
cia da Igreja.
daqui a um ano estivermos saindo-
nos melhor do que no passado, en-
tão o esforço empreendido nesses
últimos dias não terá sido em vão.
Não nos lembraremos de tudo o
mos viver eternamente como famí- Depois da oração de encerramen- que foi dito, mas em decorrência de
lias se honrarmos os convênios to, deixaremos este grande salão, tudo isso, estaremos edificados espiri-
oferecidos nesta Igreja verdadeira, apagaremos as luzes e trancaremos as tualmente. Talvez seja algo difícil de
que é a Sua Igreja. Portanto, como portas. Vocês que estão ouvindo-nos definir, mas será real. Como o Senhor
Seu servo, presto meu testemunho em todo o mundo desligarão o tele- disse a Nicodemos: “O vento assopra
em nome de Jesus Cristo. Amém.  visor ou o rádio ou se desconectarão onde quer, e ouves a sua voz, mas

A L I A H O N A
102
não sabes de onde vem, nem para Só lamento uma coisa em relação e respondidas. É algo miraculoso,
onde vai; assim é todo aquele que é a esta conferência: o fato de ser pe- mas é real.
nascido do Espírito”. (João 3:8) queno o número de irmãos e irmãs Abaixemos nosso tom de voz
E o mesmo se dará com a expe- que têm a oportunidade de discur- no lar. Que o amor seja abundante
riência que tivemos. E talvez, em sar. Isso se deve unicamente a nos- e se reflita em nossos atos. Que an-
meio a tudo o que ouvimos, haja sas limitações de tempo. demos nos caminhos serenos do
uma frase ou parágrafo que se desta- Amanhã de manhã vamos voltar Senhor e que a prosperidade coroe
cará e não nos sairá da mente. Se is- para nosso trabalho, nossos estudos, nosso trabalho.
so acontecer, espero que tomemos ou o que quer que constitua nossa A grandiosa saudação de
nota e meditemos a respeito disso rotina diária. No entanto, podere- “Hosana” da qual participamos esta
até tirarmos o máximo proveito da mos contar com o fortalecimento manhã deve ser para nós uma expe-
profundidade de seu significado e o proporcionado pelas lembranças riência inesquecível. De tempos em
termos tornado parte de nossa vida. desta gloriosa ocasião. tempos, podemos repetir em silêncio
Em nossas noites familiares, espe- Podemos aproximar-nos do em nossa mente, quando estivermos
ro que venhamos a discutir com nos- Senhor em nossas orações. Essas sozinhos, essas belas palavras de
sos filhos essas coisas e dar a eles a conversas podem ser a oportunidade adoração.
oportunidade de provar da doçura de rendermos graças a Ele. Nunca Presto testemunho da veracidade
das verdades que ouvimos. E quando compreendo plenamente como o desta obra e da realidade viva de
a revista A Liahona sair em janeiro Grande Deus do universo, o Todo- Deus nosso Pai Celestial e de Seu
com todas as mensagens da confe- Poderoso, nos convida, como Seus Filho Unigênito, a Quem pertence
rência, rogo que não a deixem de la- filhos, a conversar com Ele indivi- esta Igreja. Expresso meu amor a to-
do afirmando já terem ouvido tudo, dualmente. Que oportunidade pre- dos vocês e invoco as bênçãos dos
mas que leiam e ponderem as mensa- ciosa temos. Como é maravilhoso céus sobre vocês ao despedirmo-nos
gens. Vocês se darão conta de muitas que isso de fato aconteça. Testifico temporariamente em nome Dele que
coisas que deixaram passar desperce- que nossas orações, proferidas com é nosso Mestre, Redentor e Rei, sim,
bidas quando ouviram os discursos. humildade e sinceridade, são ouvidas o Senhor Jesus Cristo. Amém. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
103
Reunião Geral da Sociedade de Socorro Hinckley de que “nenhum chamado
23 de setembro de 2000 nesta Igreja é ( . . . ) de pouca impor-
tância. Todos nós, ao cumprirmos

Somos Instrumentos nossas responsabilidades, tocamos a


vida de outras pessoas. ( . . . )
Qualquer que seja o seu chamado, ele

nas Mãos de Deus está tão cheio de oportunidades de


fazer o bem quanto o meu. ( . . . )
Nossa tarefa é fazer o bem tal como
[o Mestre] o fez”. (“This Is the Work
Irmã Mary Ellen Smoot
Presidente Geral da Sociedade de Socorro of the Master”, Ensign, maio de 1995,
p. 71.)
Todas podemos realmente ser um
instrumento nas mãos de Deus.
Felizmente, não é preciso que todas
sejamos o mesmo tipo de instrumen-
“Não precisamos de um programa novo para motivar-nos. Precisamos to. Assim como os instrumentos de
apenas ter o desejo de compartilhar o evangelho e estender a mão aos uma orquestra diferem em tamanho,
membros novos e aos menos ativos.” formato e timbre, nós também somos
diferentes umas das outras. Temos di-
Conheci recentemente uma irmã ferentes talentos e aptidões, mas as-
no Estado de Oregon que foi trazida sim como a trompa não pode imitar o
de volta à atividade na Igreja por som do picolo, também não é preciso
causa de uma atenciosa professora que todas sirvamos ao Senhor da
visitante. Não tenho dúvidas de que mesma forma. A irmã Eliza R. Snow
aquela professora visitante deve ter disse que “não há nenhuma irmã que
sentido o mesmo que Amon e seus seja tão isolada e cuja esfera de ação
irmãos sentiram ao se alegrarem por seja tão limitada a ponto de não po-
terem sido “instrumentos nas mãos der fazer muito em prol do estabele-
de Deus” (Alma 26:3), levando o cimento do reino de Deus na Terra”.
conhecimento de Cristo aos lamani- (Woman’s Exponent, 15 de setembro
tas que eram “estranhos a Deus” de 1873, p. 62; grifo da autora.)
(Alma 26:9), porque o “valor das al- Temos, portanto, o privilégio e a res-
mas é grande à vista de Deus”. ponsabilidade, como filhas de Deus e
(D&C 18:10) irmãs da Sociedade de Socorro, de
Em mais de 165 países do mundo, tornar-nos o melhor instrumento que
nossas irmãs estão sendo instrumen- pudermos ser.
tos nas mãos de Deus. Penso em uma A Sociedade de Socorro pode
ala do Brasil que recebe membros ajudar-nos. O Profeta Joseph, que

M inhas queridas irmãs, que-


ro começar dizendo o
quanto amo vocês. Sinto
uma gratidão inexprimível por fazer
parte desta grande irmandade, que o
novos toda semana. As irmãs daque-
la Sociedade de Socorro decidiram
estabelecer a meta de não deixarem
passar mais de uma semana sem que
cada irmã recém-batizada recebesse
organizou a Sociedade de Socorro
em 1842, deixou bem claro que o
propósito dessa organização divina-
mente inspirada não era apenas au-
xiliar o pobre, mas também salvar
Presidente Gordon B. Hinckley dis- uma visita em sua casa e uma cópia almas. (History of the Church, 5:25.)
se ser uma família mundial de irmãs. de “A Família: Proclamação ao Desde seu início, a Sociedade de
Somos irmãs, e sinto-me constante- Mundo” e da Declaração da Socie- Socorro já realizou um bem incal-
mente inspirada por sua fé, sua bon- dade de Socorro. Até agora elas não culável. A Sociedade de Socorro
dade e seu desejo de fazer o que o perderam nenhuma irmã. proveu o primeiro carregamento de
Senhor espera de vocês. Agradeço Sinto-me maravilhada com uma farinha que chegou aos sobreviven-
pelo seu serviço e exemplo, e por se- inspirada presidente da Sociedade tes do terremoto de San Francisco,
rem verdadeiramente mulheres de de Socorro de uma ala na Coréia, em 1906, e posteriormente forne-
fé, virtude, visão e caridade. A to- que decidiu visitar todas as irmãs ceu trigo ao governo dos Estados
dos os lugares em que vou, vejo os menos ativas de sua ala. Ela já visi- Unidos durante a Primeira e a
frutos da Sociedade de Socorro ma- tou 25 irmãs, e todas com exceção Segunda Guerras Mundiais. No
nifestando-se na vida das irmãs da de três voltaram para a igreja. ano passado, nossas irmãs doaram
Igreja. Todas somos instrumentos Irmãs como essas são um testemu- mais de 140.000 acolchoados para
nas mãos de Deus. nho vivo da declaração do Presidente ajudar pessoas necessitadas. Temos

A L I A H O N A
104
defendido a maternidade e a famí- of Righteous Women”, Ensign, no- companhia do Senhor. (Ver Alma
lia, travado uma batalha contra o vembro de 1979, p. 102.) 18:16.)
analfabetismo e prestado incontá- Mas como podemos fazê-lo? Em A capacidade de ouvir a voz do
veis horas de serviço em todo o meio às pressões da vida, como po- Espírito depende de nossa disposi-
mundo. Mas minha mensagem para demos tornar-nos o melhor instru- ção de guardar os mandamentos,
vocês nesta noite é que o nosso tra- mento que podemos ser nas mãos do porque “quando recebemos uma
balho mais importante ainda está Senhor? Há muito que podemos bênção de Deus, é por obediência à
para vir, quando nos unirmos a nos- aprender com os filhos de Mosias lei na qual ela se baseia”. (D&C
sos líderes do sacerdócio para aju- e na Declaração da Sociedade de 130:21) Se quisermos sentir a inex-
darmos a levar adiante o reino de Socorro. primível alegria proporcionada pelo
Deus. Número 1. Nossa própria conver- evangelho e sentir a misericórdia
Irmãs, somos necessárias aqui, são deve vir em primeiro lugar. A expiatória de Cristo, o único cami-
para o Senhor, para nossos líderes conversão mais importante para to- nho para isso é a obediência a todos
do sacerdócio, para nossa família e das nós é a nossa própria. Se quiser- os mandamentos, não apenas a uma
para nós mesmas. O Senhor precisa mos levar a luz do evangelho à vida parte deles.
que aceitemos nosso chamado eter- de outras pessoas, ela precisa estar Já recebemos as incontáveis bên-
no e cumpramos a medida de nossa brilhando bem forte em nossa pró- çãos decorrentes da realização de
criação. Ele precisa que voltemos pa- pria vida. Uma vez convertidos, os uma reunião familiar semanal, do es-
ra o nosso lugar na Sociedade de filhos de Mosias trabalharam sem tudo diário das escrituras e da ora-
Socorro e procuremos maneiras de cessar para levar o evangelho a ou- ção diária? Será que compreendemos
servir ao próximo em nome de Sua tras pessoas, porque “não podiam as duradouras bênçãos que nos espe-
organização de mulheres, e que tra- suportar que qualquer alma humana ram por guardarmos nossos convê-
balhemos juntas como irmãs, aju- se perdesse”. (Mosias 28:3) Só nios e enchermos nossa mente
dando o reino do evangelho a quando nós formos convertidas ao apenas com coisas que sejam “vir-
progredir. A Sociedade de Socorro Senhor Jesus Cristo, estaremos em tuosas, amáveis ou de boa fama”?
sem dúvida alguma nos ajudará a posição de fortalecer outras pessoas. (Regras de Fé 1:13) Quando a obe-
servir nossa própria família e servir E só então começaremos a com- diência se torna o nosso objetivo, ela
umas às outras de uma forma que preender que nossa vida realmente deixa de ser um motivo de irritação.
nenhum outro clube ou organização tem significado, propósito e direção, A Sociedade de Socorro pode aju-
será capaz de fazer. e que unidas como irmãs em nossa dar-nos a viver de acordo com as leis
O Presidente Spencer W. Kimball devoção a Jesus Cristo, temos o cha- divinas e a achegar-nos mais a Deus.
disse: “No mundo pré-mortal, as mado de ser uma luz para o mundo. Imaginem todo o bem que encheria a
mulheres fiéis receberam certas de- Número 2.Tal como os filhos de Terra se, sob a direção do sacerdócio,
signações. ( . . . ) Embora não nos Mosias, precisamos “[fortalecer-nos] este círculo de mulheres justas se
lembremos dos detalhes, isso não no conhecimento da verdade”. unisse para levar a efeito propósitos
altera a gloriosa realidade do que (Alma 17:2) Aqueles irmãos estuda- dignos! Quando servimos unidas
concordamos em fazer. Somos res- vam continuamente o evangelho. umas às outras e a todos os filhos do
ponsáveis pelas coisas que há muito Por meio de jejum e oração, entre- Pai, podemos ser instrumentos nas
foram exigidas de nós”. (“The Role gando-se completamente ao estudo mãos de Deus, não apenas para ali-
das escrituras, eles chegaram a saber viar o sofrimento físico, mas também,
que Jesus é o Cristo e aprenderam a e mais importante, para socorrer os
ouvir Sua voz. espiritualmente carentes.
Da mesma forma, como irmãs da Número 3. O serviço é a chave
Sociedade de Socorro, devemos es- para tornar-nos um instrumento efi-
forçar-nos para aumentar nosso tes- caz. Os filhos de Mosias decidiram
temunho de Jesus Cristo, por meio servir os lamanitas em vez de assu-
da oração e do estudo das escritu- mir a liderança do reino do pai de-
ras; e buscar força espiritual, obede- les. Em muitas ocasiões, o serviço
cendo aos sussurros do Espírito que prestaram abrandou o coração
Santo. dos lamanitas e os tornou receptivos
É quase impossível ser um instru- ao evangelho. Quando os servos de
mento eficaz em nossa própria famí- Lamôni estavam narrando os feitos
lia, com nossos vizinhos ou mesmo de Amon ao combater os assaltan-
do púlpito a menos que possamos tes, o próprio Amon estava no está-
discernir os sussurros do Espírito bulo alimentando os cavalos e
Santo. Amon conseguiu discernir os servindo o rei. (Ver Alma 18:9–10.)
pensamentos do rei lamanita porque Nós também nos alegramos no
estava vivendo de modo a ter a serviço e nas boas obras. O serviço

J A N E I R O D E 2 0 0 1
105
abranda e abre o coração das pes- aprendizado e amamos umas às ou- Espírito a seu lar e a seu casamento,
soas, porque ele é realmente o evan- tras. O pai de Lamôni, que era rei amando o marido e o Senhor. Ela
gelho em ação. Conheço uma ala no dos lamanitas, abrandou seu cora- era fiel e tinha muita fé, mesmo
Arizona em que três famílias estão ção quando viu quão sinceramente quando se sentia solitária. Foi um
atualmente pesquisando a Igreja, e Amon amava seu filho. No final, o instrumento nas mãos de Deus em
todas elas são um resultado direto amor de Amon propiciou a conver- sua própria casa.
do serviço caridoso prestado pela são da família de Lamôni. (Ver Para cada uma de nós, os exem-
Sociedade de Socorro. Alma 20:26–27.) Nossa primeira e plos justos talvez pareçam pequenos,
A Sociedade de Socorro oferece- maior preocupação com respeito ao mas sua influência é muito grande.
nos inúmeras oportunidades para de- trabalho de conversão, retenção e Para todos que estejam em nossa es-
senvolvermos e exercermos o puro ativação precisa ser dirigido à nossa fera de influência “sê o exemplo dos
amor de Cristo em todos os aspectos própria família. fiéis, na palavra, no trato, no amor,
de nossa vida. Por exemplo: As reu- Nisso também a Sociedade de no espírito, na fé, na pureza”.
niões de aprimoramento pessoal, fa- Socorro pode ajudar. A irmã Elsa (I Timóteo 4:12) Permita que outras
miliar e doméstico proporcionam um Bluhm, que hoje tem 102 anos de pessoas sintam a paz e a alegria que o
ambiente ideal para aprendermos e idade, sabia que o evangelho era evangelho proporciona em sua vida.
servirmos juntas. O serviço é o evan- verdadeiro. Ela amava o Senhor. Convide seus amigos que não sejam
gelho de Jesus Cristo em ação, por- Conheceu um bom homem da membros ou sejam membros menos
que ele abençoa tanto a pessoa que o Alemanha, que não era membro da ativos a participarem de sua reunião
executa quanto a que o recebe. Igreja, e casou-se com ele. Seu mari- familiar. Leve-os para a Igreja e seja
Peço-lhes que procurem um meio de do nunca havia aprendido a orar. um bom exemplo de reverência para
canalizarem seu serviço por intermé- Elsa ajoelhava-se ao lado da cama, eles. Faça com que saibam que você
dio da organização da Sociedade de todas as noites, segurava a mão dele não assiste a programas de televisão,
Socorro, sabendo que o serviço é um e orava. Depois de muitos anos, ele filmes nem visita sites da Internet
dos meios mais eficazes de abençoar- filiou-se à Igreja, os dois foram sela- que afastem o Espírito e a tornem um
mos as pessoas tanto física quanto dos no templo. Antes de falecer, o instrumento menos eficaz.
espiritualmente. irmão Bluhm tornou-se um instru- O Presidente Hinckley pediu-nos
Número 4. O amor deve ser a mento nas mãos de Deus, pesquisan- muitas vezes que nos tornemos me-
motivação de tudo o que fazemos. do seus antepassados alemães. lhores missionários, e o Élder M.
Como irmãs da Sociedade de Esse final feliz começou com o Russell Ballard do Quórum dos Doze
Socorro, amamos o Senhor, amamos exemplo constante, amoroso e justo Apóstolos explicou que para o pro-
nossa família, amamos a vida e o de uma mulher. Elsa convidou o grama missionário da Igreja realizar

As irmãs reunidas no Tabernáculo na Praça do Templo assistem com atenção à reunião geral da Sociedade de
Socorro realizada no dia 23 de setembro.

A L I A H O N A
106
tudo o que precisa, as irmãs também
devem participar do trabalho.
Não precisamos de um programa
novo para motivar-nos. Precisamos
Ondulações
apenas ter o desejo de compartilhar Irmã Virginia U. Jensen
o evangelho e estender a mão aos Primeira Conselheira na Presidência Geral da Sociedade de Socorro
membros novos e aos menos ativos
nos programas que já existem. Quer
estejamos servindo como professora
visitante planejando uma reunião de
aprimoramento pessoal, familiar e “As ações das mulheres justas propagam-se continuamente pelo tempo e
doméstico; ensinando as crianças na pelo espaço, e até por gerações.”
Primária, ou liderando as jovens, po-
demos encontrar maneiras de tocar evangelho, de nossa obediência aos
o coração daqueles que são novos na mandamentos eternos e de nosso
fé, dos que se tornaram enfraqueci- trabalho neste que é o reino de
dos na fé ou dos que ainda não en- Deus na Terra.
contraram a verdade. Podemos ser Gostaria de relatar um exemplo
instrumentos para ajudar a reunir as de como essas ondulações começam
ovelhas do Senhor de volta ao redil. e propagam-se quando uma digna
Sei que podemos fazê-lo. Aque- mulher da Igreja coloca em prática o
cemos dezenas de milhares de pes- seu conhecimento de que Jesus é o
soas em todo o mundo com nossos Cristo e de que o evangelho foi res-
acolchoados feitos em casa. De- taurado.
monstramos nossa disposição em ser- Em 1841, Dan Jones, um imi-
vir, doar e amar. Agora, que grante galês, era o capitão de um
possamos encontrar maneiras de ofe- dos menores barcos que tinham li-
recer a dádiva do evangelho aos que cença para transportar pessoas e
necessitam de calor espiritual. carga pelo rio Mississipi. Para mim é
Ao voltarem para casa nesta noi- mais do que apenas coincidência
te, peço-lhes que reservem um tem- que aquele barco se chamasse Ripple
po para escrever os sentimentos que (ondulação). Entre seus passageiros
tiveram no coração nesta reunião.
Peço-lhes que pensem em maneiras
específicas pelas quais possam ser um
instrumento nas mãos de Deus.
Peço-lhes que visualizem as bênçãos
G ostávamos muito de viajar
para as montanhas com to-
da a família, quando nossos
filhos eram pequenos. De pé, junto
às margens do belo lago Jackson,
estavam alguns membros de uma
igreja “nova” e desconhecida, A
Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
Últimos Dias.
Durante suas viagens, Dan Jones
que estão reservadas para vocês por com os majestosos picos das monta- começou a ouvir críticas a respeito
sua obediência nesta vida e por toda nhas refletidos em sua superfície, dos tais “mórmons”. Como sua balsa
a eternidade. E peço-lhes que colo- costumávamos ver quem conseguia transportava muitos deles, ele con-
quem seu próprio nome neste versí- fazer uma pedrinha pular mais vezes versou com eles e observou seu
culo das escrituras e saibam com sobre a água. Quando as pedras comportamento. Viu que eram pes-
toda a sua alma que Deus as ama: afundavam, olhávamos as ondula- soas boas, gentis, honestas e traba-
“Continue pregando em favor de ções espalharem-se pela superfície lhadoras. Os comentários e artigos
Sião, com espírito de mansidão, da água, até perderem-se de vista. negativos a respeito daquelas pes-
confessando-me perante o mundo; e Até a menor pedrinha jogada por soas não combinavam com o que ele
sustentá-[la]-ei como sobre asas nosso filho mais novo formava on- tinha visto ao lidar com eles.
de águias; e [você] obterá glória e dulações que se espalhavam intermi- “Analisando cuidadosamente as
honra para si [mesma] e para o meu navelmente. acusações”, escreveu ele mais tarde,
nome”. (D&C 124:18) Sei que o Como os círculos que se propaga- “percebi claramente que era impos-
evangelho é verdadeiro. Sei que este vam a partir das pedrinhas que jogá- sível que fossem verdadeiras, seja
trabalho é do Senhor. Sei que Jesus é vamos no lago Jackson, as ações das por ( . . . ) exagerarem os fatos ou
o Cristo e que temos um profeta ver- mulheres justas propagam-se conti- ( . . . ) contradizerem-se umas às ou-
dadeiro na Terra hoje. Doce é o tra- nuamente pelo tempo e pelo espaço, tras ( . . . )”. (Citado por Ronald D.
balho que realizamos. Presto esse e até por gerações. Essas ações justas Dennis, “Dan Jones, Welshman”,
humilde testemunho, em nome de decorrem de nossa compreensão da Ensign, abril de 1987, p. 50.)
nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. missão divina de Jesus Cristo, de Um evento particularmente im-
Amém.  nosso conhecimento do plano do portante fez com que Dan Jones

J A N E I R O D E 2 0 0 1
107
deixasse de ser um mero observador história da Igreja, conduzindo em Naquele que é o lugar mais im-
atento para tornar-se um ativo pes- Gales, seu país de origem centenas portante de nossa vida, o nosso lar,
quisador da Igreja. Ele escreveu: de pessoas ao evangelho. De modo aprendemos como é que “de peque-
“( . . . ) por mero acaso, veio parar muito literal, a influência de Emma nas coisas provém aquilo que é
em minhas mãos uma carta escrita Smith continua a propagar-se pelas grande”, porque a vida no lar é uma
por [Emma Smith] ( . . . ). Nunca es- gerações que se seguiram. Quem po- série de pequenas coisas que se
quecerei os sentimentos que aquela de dizer quantas centenas ou mesmo unem para criar uma família eterna.
( . . . ) carta evocaram em mim. milhares de descendentes daqueles Talvez porque a criação de um forte
Percebi claramente que [ela] não que ouviram o evangelho de Dan relacionamento com o Senhor e uns
apenas acreditava no Novo Testa- Jones podem estar assistindo a esta com os outros seja algo que progrida
mento, tal como eu, professando reunião neste exato momento? tão lentamente, ou talvez porque às
uma fé apostólica e regozijando-se Cada uma de nós pode agir de vezes recebemos tão pouca gratidão
em meio às tribulações por ter sido modo a criar ondulações que se pro- pelos ensinamentos, incentivos e
considerada digna de passar por tudo paguem tão vigorosamente quanto orientação que oferecemos, é muito
aquilo ( . . . ) por causa de seu teste- as palavras de Emma Smith tocaram fácil nos desconcentrarmos, chegan-
munho de Jesus e do evangelho, mas o coração de Dan Jones. Cada uma do até a ficarmos desanimadas.
também continha melhores conse- de nós é apenas uma pessoa, mas O adversário quer confundir-nos
lhos, mais sabedoria e ( . . . ) mais es- lembrem-se dos círculos que uma e desviar nossa atenção das coisas
pírito divino do que qualquer coisa pequenina pedra criou por toda a mais importantes. Mas somos aben-
que eu já tinha lido!” (Ensign, abril amplidão do lago Jackson. Que pos- çoadas, porque sabemos que a fé e a
de 1987, pp. 50, 52.) samos ganhar alento neste encoraja- família são o que há de mais impor-
Inspirado pelas palavras e pelo mento tirado das escrituras: “( . . . ) tante. As mulheres que tocaram
exemplo de Emma, Dan Jones pro- Não vos canseis de fazer o bem, por- meu coração e me motivaram a ter
curou aprender mais a respeito que estais lançando o alicerce de uma vida melhor são aquelas que
daquela igreja. Em 1843, ele foi bati- uma grande obra. E de pequenas colocam o Senhor e a família em
zado no rio Mississipi e tornou-se um coisas provém aquilo que é grande”. primeiro lugar. Seu “espírito divino”
dos mais influentes missionários da (D&C 64:33) tocaram meu coração da mesma for-
ma que as palavras de Emma Smith
influenciaram Dan Jones, convidan-
do-me a achegar-me a Cristo, que
declarou: “A quem quer que tiver
sede, de graça lhe darei da fonte da
água da vida”. (Apocalipse 21:6)
Podemos encontrar virtude e vi-
gor em todo trabalho comum e roti-
neiro, em todas as tarefas diárias no
cuidado de nossa família; e no servi-
ço que regularmente prestamos a
outras pessoas. Prestígio não é o
mesmo que prioridade, tampouco o
pagamento que recebemos no mun-
do se compara ao que recebemos de
nosso Pai Celestial, que conhece a
importância da devoção de uma
mulher para a salvação de almas.
Ao pensarmos nas mulheres cuja
influência para o bem se propaga
por toda a eternidade, lembremos
de Maria, “um vaso precioso e esco-
lhido”. (Alma 7:10) Recebendo de
um anjo uma mensagem santa e sem
precedentes, ela submeteu-se afa-
velmente à vontade do Senhor: “Eis
aqui a serva do Senhor; cumpra-se
em mim segundo a tua palavra”.
(Lucas 1:38) Sua fé, obediência e
humildade estabeleceram um pa-
drão para todas as mulheres.

A L I A H O N A
108
Embora o chamado de Maria te- mundo. Precisamos erguer a voz em
nha sido único, todas as mulheres po- defesa da retidão, sem desculpar-nos
dem “expressar esse mesmo tipo de por isso. Tal como Maria, Eva, Sara e
beleza. Elas são mulheres que buscam Emma, somos únicas. Temos uma in-
se tornar aceitáveis a Deus. ( . . . ) fluência a propagar e compartilhar.
Elas são humildes e vivem casta e vir- Devido à nossa herança eterna, pre-
tuosamente. ( . . . ) Têm o coração cisamos lembrar-nos de quão vigoro-
crente e magnificam o Senhor. ( . . . ) samente as nossas ações simples e
Regozijam-se no Salvador e ( . . . ) re- justas podem propagar-se até o cora-
conhecem Suas dádivas e misericór- ção e o lar das pessoas a nossa volta.
dias”. (S. Michael Wilcox, Daughters Temos inúmeras e grandes oportuni-
of God: Scriptural Portraits [1998], dades de fazer o bem. Mais importan-
p. 179.) te ainda, sabemos onde e como tirar
Essas descrições também se apli- “águas das fontes da salvação”.
cam a vocês, as fiéis irmãs da Socie- Minha amiga Tammy parou de fre-
dade de Socorro de A Igreja de qüentar a Igreja quando tinha apenas
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos 15 anos de idade. Perto da casa de
Dias. Vocês são mulheres cujo Tammy, morava um rapaz que tam- importante, como se elas realmente se
trabalho diário está repleto deste bém decidiu, em sua adolescência, importassem comigo e realmente me
maravilhoso conhecimento tão vi- que não queria mais fazer parte da amassem e gostassem de mim.
gorosamente declarado por Isaías: Igreja. Os dois criaram hábitos que os Por meio de suas visitas decidi que
“( . . . ) Deus é a minha salvação; afastaram ainda mais da atividade na era o momento de voltar para a Igreja.
o Senhor Jeová é a minha força e o Igreja. Eles acabaram casando-se e Acho que eu realmente não sabia como
meu cântico. ( . . . ) começaram a criar uma família. voltar, mas com suas visitas e sua aten-
Portanto com alegria tirareis águas Tammy amava muito o marido e ção e carinho, elas proporcionaram-me
das fontes da salvação”. (2 Néfi as duas filhas, mas no fundo do co- um caminho para voltar.
22:2–3) ração sentia um anseio de voltar pa- Precisamos compreender que o
A causa de Cristo, que é redimir ra a vida que conhecera quando Senhor nos ama, não importando
todas as almas, precisa de sua força, criança. Tinha uma vaga lembrança quem sejamos, e minhas professoras vi-
tempo e talentos, em seu lar e em de ter sentido o Espírito e a influên- sitantes ajudaram-me a ver que isso
sua comunidade. Suas obras e pala- cia do Pai Celestial, e sentia falta era verdade.
vras fiéis contribuem de modo mui- Dele. Não tinha coragem de com- Hoje meu marido e eu já fomos se-
to importante para edificar o reino partilhar esses pensamentos com o lados no templo a nossas duas lindas
de Deus na Terra. O Élder Bruce R. marido, temendo que ele não os filhas.
McConkie explicou-nos como foi aprovasse, de modo que os manteve Sentimo-nos gratas pelas nossas
importante o nosso papel: “Sabemos escondidos. Ela queria voltar, mas fiéis professoras visitantes. Sim, ir-
o seguinte: Cristo, sob a direção do simplesmente não sabia por onde mãs, as ações das mulheres justas se
Pai, é o Criador; Miguel, Seu com- começar. Em suas próprias palavras, propagam continuamente pelo espa-
panheiro e assistente, presidiu gran- ouçamos seu relato a respeito da in- ço, tempo e gerações. Não há nada
de parte do trabalho da criação; fluência de duas maravilhosas pro- que se propague de modo mais dura-
e com eles, conforme viu Abraão, fessoras visitantes, que tiraram douro do que o selamento da família
havia muitos grandes e nobres. “águas das fontes da salvação” e as no templo para toda a eternidade.
Podemos deixar de concluir que compartilharam com Tammy. Oro para que sejamos mais seme-
Maria, Eva, Sara e miríades de nos- [Transcrição do vídeo de Tammy lhantes às fiéis irmãs que nos ante-
sas irmãs fiéis estavam entre eles? Clayton] cederam e bebamos da água tirada
Sem dúvida aquelas irmãs trabalha- Sinto-me grata hoje por minhas pro- “das fontes da salvação”.
ram tão diligentemente, naquela fessoras visitantes, porque elas me Deus vive. Seu Filho, Jesus Cristo,
época, e lutaram tão valentemente amaram e não me condenaram. Elas proveu-nos o caminho para voltar-
quanto os irmãos na guerra no céu, realmente fizeram-me sentir que eu mos a viver com Ele. O verdadeiro
da mesma forma como hoje também era, de fato, importante e que havia evangelho foi novamente restaurado
defendem firmemente, na mortali- um lugar para mim na Igreja. na Terra. Temos hoje um profeta vi-
dade, a causa da verdade e da reti- Elas foram visitar-me em minha ca- vo, o Presidente Gordon B. Hinckley,
dão”. (Woman, [1979], p. 59.) sa e conversaram comigo. Depois de por intermédio de quem o Pai
Tal como aquelas “grandes e no- algum tempo, perguntaram se eu gosta- Celestial dirige Seu povo. Que por
bres” mulheres que nos antecederam, ria de receber uma mensagem e, leva- meio da influência de nossas ações
não podemos ser mulheres comuns. ram-me uma a cada mês. justas possamos ajudar todas as pes-
Não podemos ser mulheres que em Quando elas chegavam todos os me- soas a conhecerem essas verdades.
muito se assemelhem às que estão no ses, sua visita fazia-me sentir realmente Em nome de Jesus Cristo. Amém. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
109
restaurado durante todo o serviço
Levantemo-nos fúnebre. Mais tarde, muitos nos
contaram como ficaram tocados
com o que ouviram e sentiram.
e Unamo-nos Alguns até manifestaram interesse
em aprender mais. Não sabemos se
alguém que se tenha sentido tocado
Irmã Sheri L. Dew com a morte de nossos jovens che-
Segunda Conselheira na Presidência Geral da Sociedade de Socorro gará a filiar-se à Igreja. Mas sabemos
que o fato de nos levantarmos para
expressar nossas crenças e ensinar o
evangelho a amigos que jamais ha-
viam demonstrado interesse foi algo
que ajudou a amenizar nossa dor e
“Nenhuma mulher é um instrumento mais vibrante nas mãos do Senhor trazer alegria à nossa família.
que uma mulher de Deus que sente grande satisfação e emoção por ser Neste mundo, a única alegria
quem é.” verdadeira promana do evangelho.
Uma alegria que é irradiada da
“levantar-nos e ficarmos em pé”. (Ver Expiação e das ordenanças que
3 Néfi 20:2.) transcendem o véu e do Consolador
Quando eu era adolescente, não que salva nossa alma. Recente-
entendia que não tinha sido desti- mente, minha sobrinha de 11 anos,
nada a manter-me escondida no Aubrey, cujo pai morreu há cinco
meio da multidão. Vocês também anos, foi questionada por uma amiga
não. Pois, como mulheres de Deus, não-membro, que lhe perguntou por
precisamos levantar-nos de modo que não estava triste com a morte
que nos sobressaiamos em relação do pai e mais recentemente, dos
ao restante do mundo. Só assim po- primos. A resposta de Aubrey foi
demos esperar sentir alegria, porque notável: “Não estou triste? Pode
ter alegria e levantar-nos, não sobre acreditar que estamos muito tristes,
nossos pés mas como embaixadoras sim, mas sabemos que estaremos
do Senhor, são coisas diretamente juntos novamente, de modo que
relacionadas entre si. não nos preocupamos muito”. Nossa
Minha família lembrou-se desse família sem dúvida chorou muito,
fato recentemente de modo muito mas não nos preocupamos tanto
dramático. Tenho 17 sobrinhas e so- quanto nos preocuparíamos se não
brinhos maravilhosos. Fazemos excur- sentíssemos o amor transcendental

Q uando completei 12 anos, eu


tinha quase 1.80 m, e minha
vida social era um desastre.
Por ser bem mais alta que minhas
sões, andamos de bicicleta e oramos e
jejuamos juntos. Recentemente todos
choramos juntos. Há poucas sema-
nas, sentimos imensa dor ao vermos
e o poder curador de Jesus Cristo. O
evangelho é glória em vez de cinza
(Isaías 61:3), é o óleo da alegria
(Hebreus 1:9), são boas novas!
amigas, passei a adolescência isolada. dois dos filhos de minha irmã, Embora nossos filhos tenham
Eu não queria me sobressair, pelo Amanda de 11 e Tanner de 15 anos, partido, temos a gloriosa certeza de
menos não daquela forma; por isso, perderem a vida em um acidente. que não os perdemos. Mas, e quanto
andava sempre meio encurvada. Como sempre fomos muito unidos aos filhos de nosso Pai, nossos ir-
Como resultado, minha mãe estava por causa de nosso amor, choramos mãos e irmãs, que estão perdidos e
sempre me dizendo para “levantar a muito a perda daqueles que se foram. que estão diante não apenas da
cabeça”. Eu não queria levantar-me (Ver D&C 42:45.) morte física, mas da morte espiri-
naquela época, mas hoje quero, pois Os amigos que moram em nossa tual? O evangelho de Jesus Cristo
todas fomos admoestadas a “[levan- cidade, a maior parte deles não- foi feito para todas as pessoas. É ho-
tar-nos]” (2 Néfi 8:17) e servir de membros, choraram conosco, e sa- ra de deixarmos as noventa e nove e
testemunhas (ver Mosias 18:9) para bíamos que o coração deles talvez irmos ao deserto em busca daquelas
que todas “[nos apresentemos] sem jamais viesse a estar tão aberto à que se perderam. É hora de levar-
culpa perante Deus no último dia” verdade quanto naquele dia em que mos os fardos uns dos outros, sendo
(D&C 4:2). Não encontro nenhuma os dois caixões estavam sendo vela- que o maior fardo que uma pessoa
escritura que nos aconselhe a andar- dos em nossa pequena capela no pode carregar é caminhar por esta
mos encurvadas em Sião. Em vez dis- Kansas. Por isso, testemunhamos a vida sem ter luz. Por isso, o Senhor
so, somos muitas vezes instruídas a respeito de Cristo e do evangelho pediu-nos nestes últimos dias: “O

A L I A H O N A
110
campo já está branco para a ceifa; e lamentou que existe um poder na alguém a fortalecer o seu testemu-
é a décima primeira hora e a última Sociedade de Socorro que não tinha nho, edificamos o reino de Deus.
vez que chamarei trabalhadores para “ainda sido plenamente exercido Toda vez que ajudamos uma irmã
a minha vinha; ( . . . ) portanto lan- ( . . . ) para edificar o reino de Deus”. recém-batizada a integrar-se ou fa-
çai vossas foices e ceifai com todo o (“Relief Society — Its Promise and zemos amizade com uma alma er-
poder”. (D&C 33:3, 7) Potential”, Ensign, março de 1976, rante, sem julgá-la, ou convidamos
Os profetas antigos previram um p. 4.) Pelo bem de tudo o que foi feito uma família de não-membros para
dia em que “o conhecimento de um no passado, a Sociedade de Socorro nossa reunião familiar, entregamos
Salvador se [espalharia] por toda na- ainda precisa ajudar a levar adiante um Livro de Mórmon para um co-
ção, tribo, língua e povo”. (Mosias este trabalho dos últimos dias, como é nhecido, conduzirmos uma família
3:20) Esse dia chegou. E é nossa vez o seu dever. Irmãs, chegou o momen- ao templo ou defendemos o recato e
de lançarmos nossas foices e ajudar- to de exercermos o poder de felicida- a maternidade, convidamos os mis-
mos na colheita. Não é por acaso de e retidão que existe entre as sionários para irem à nossa casa ou
que estamos hoje aqui. Por um longo mulheres de Deus. Chegou o mo- ajudamos alguém a descobrir o po-
período de tempo, nosso Pai obser- mento de nos engajarmos dedicada- der da palavra, estamos edificando o
vou, pois sabia que poderia contar mente no trabalho de salvar almas. reino de Deus. Imaginem como mi-
conosco quando tudo mais estivesse Chegou o momento de as irmãs da nha irmã se sentiu elevada quando
em jogo. Fomos reservadas para este Sociedade de Socorro colocarem-se leu o que Tanner havia escrito em
exato momento. Temos que com- ao lado do profeta e apoiarem-no no seu diário pouco antes de morrer:
preender não apenas quem somos, trabalho de ajudar a edificar o reino. “Obrigado, mamãe e papai, por ensi-
mas quem sempre fomos. Pois somos Chegou a hora de todas nos levantar- nar-me a respeito de Cristo”. O que
mulheres de Deus, e o trabalho das mos e nos unirmos. edifica mais o reino do que criar um
mulheres de Deus sempre foi o de Isso começa com a nossa própria filho para o Senhor?
ajudar a edificar o reino de Deus. conversão, porque quando sentimos Com exceção daquelas que estão
Quando na vida pré-mortal, acei- a “intensa alegria” do evangelho servindo numa missão de tempo in-
tamos o plano de nosso Pai, confor- (Alma 36:24), temos o desejo de tegral, não precisamos de um crachá
me explica o Élder John A. Widtsoe, compartilhá-la. Os alimentos e acol- com o nosso nome nem bater de
“concordamos naquele exato mo- choados que fizemos para aliviar o porta em porta para ajudar a edificar
mento que seríamos salvadoras ( . . . ) sofrimento das pessoas são maravi- o reino. Embora algumas pessoas
de toda a família humana. ( . . . ) A lhosos atos de bondade, mas ne- nos vejam como mulheres mal vesti-
execução do plano ( . . . ) não é nhum serviço, eu repito, nenhum das e submissas em vez das mulheres
um trabalho apenas do Pai e do serviço se compara ao de levarmos dinâmicas e radiantes que somos,
Salvador, mas é um trabalho nosso alguém até Cristo. Querem ser feli- nenhuma mulher é mais persuasiva,
também”. (Utah Genealogical and zes? Eu quero dizer verdadeiramente exerce maior influência para o bem
Historical Magazine, outubro de felizes? Então cuidem de alguém ao
1934, p. 189.) Portanto, quando aqui longo do caminho que conduz ao
fomos batizados, renovamos nosso templo e a Cristo.
compromisso e convênio com o O modo mais eficaz de se compar-
Senhor. Não admira que o Presi- tilhar o evangelho é vivendo-o. Se vi-
dente Gordon B. Hinckley tenha de- vermos como as discípulas de Cristo
clarado que “se é para o mundo ser deveriam viver, se não formos apenas
salvo, nós é que temos de fazê-lo. boas, mas tivermos alegria em nossa
( . . . ) Nenhum outro povo na histó- bondade, as outras pessoas serão
ria do mundo ( . . . ) recebeu ( . . . ) atraídas até nós porque seremos “dife-
esse mandamento de modo mais en- rentes, de um modo muito feliz”
fático do que o nosso ( . . . ), por isso (“The Role of Righteous Woman”,
é melhor que comecemos a trabalhar Ensign, novembro de 1979, p. 104),
nesse sentido”. (“Church Is Really como o Presidente Kimball profeti-
Doing Well”, Church News, 3 de zou. Seremos felizes pelo modo que
julho de 1999, p. 3.) escolhemos viver; felizes porque não
Irmãs, temos um trabalho a fazer. estamos constantemente remoldan-
O Profeta Joseph encarregou a do-nos à imagem do mundo; felizes
Sociedade de Socorro do trabalho de por termos “o dom e o poder do
salvar almas (ver History of the Espírito Santo” (1 Néfi 13:37); felizes
Church, 5:25), porque ir atrás dos que por levantar-nos de modo a destacar-
se perderam e cuidar deles é algo que nos na multidão.
faz parte de nossa natureza. Contudo, Toda vez que fortalecermos nosso
o Presidente Spencer W. Kimball próprio testemunho ou ajudarmos

J A N E I R O D E 2 0 0 1
111
Os Élderes Russell M. Nelson, M. Russell Ballard e Joseph B. Wirthlin (a partir da esquerda) cumprimentam o
Presidente Gordon B. Hinckley e o Presidente Thomas S. Monson, Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência,
na presença da presidência geral da Sociedade de Socorro, Moças e Primária.

nem é um instrumento mais vibran- membro novo. A pensarem na possi- campo”. Minha oração, nesta noite,
te nas mãos do Senhor que uma bilidade de servir numa missão com é que possamos ter essa mesma clara
mulher de Deus que sente grande seu marido. A procurarem e orarem consciência de nossa missão como
satisfação e emoção por ser quem é. por oportunidades de realizar o tra- mulheres de Deus. Esta não é ape-
Gosto de pensar em nós mesmas co- balho missionário. De fazerem algo nas uma igreja muito boa que ensina
mo as armas secretas do Senhor. Se de importante para a vida espiritual coisas muitos boas para que possa-
usássemos um crachá, gostaria que de alguém, especialmente para a mos viver uma vida muito boa. Esta
no meu estivesse escrito: “Sheri dos membros de sua própria famí- é A Igreja de Jesus Cristo dos Santos
Dew, Mulher de Deus, Atarefada na lia. Nenhuma de nós pode tocar a vi- dos Últimos Dias, investida com o
Edificação do Reino de Deus”. da de todas as pessoas. Mas e se to- Seu poder e encarregada de levar
Imaginem o que aconteceria nes- das tocarmos a vida de alguém? Sua verdade aos confins da Terra.
ta Igreja se a cada manhã, nós todas, E depois, a de outra pessoa, a de ou- Amo nosso Pai. E amo Seu Filho. E
4.5 milhões de mulheres, nos ajoe- tra e, assim, sucessivamente. O adquiri por mim mesma o conheci-
lhássemos e perguntássemos a nosso Presidente Hinckley pediu-nos que mento de que este é o Seu trabalho
Pai a quem Ele precisaria que esten- nos “tornássemos um imenso exérci- e Sua glória e que somos as mais
dêssemos a mão nesse dia. Imaginem to cheio de entusiasmo por este tra- abençoadas de todas as mulheres
então se fizéssemos isso! Imaginem o balho”. (Encontrem as Ovelhas e por desempenharmos uma parte tão
que aconteceria se consagrássemos Apascentem-nas”, A Liahona, julho essencial dele. Que possamos erguer
toda a nossa energia e atenção para de 1999, p. 118.) Ao fazê-lo, iremos nossas “vozes como o som de uma
o maior de todos os serviços, que é o tornar-nos parte de uma das maiores trombeta”. (D&C 42:6) Que encon-
de conduzir nossos irmãos e irmãs a influências positivas que o mundo já tremos alegria ao levantar-nos e
Cristo. Imaginem o que aconteceria viu. Pois nós, as irmãs da Sociedade unir-nos. E que “façamos alegre-
se uníssemos todas as irmãs da de Socorro, somos mulheres de Deus. mente todas as coisas que estiverem
Sociedade de Socorro num esforço E o trabalho das mulheres de Deus e a nosso alcance” (D&C 123:17) e
conjunto para ajudar a edificar o rei- da Sociedade de Socorro sempre foi depois permaneçamos firmes para
no. Veremos então o despertar de o de ajudar a edificar o reino de ver o braço de Deus revelar-se e o
um gigante adormecido. Deus. Creio que podemos fazer mais Seu trabalho avançar com coragem
Convido-as hoje a levantarem-se, para ajudar nossos líderes do sacer- e nobreza, “até que tenha ( . . . ) vi-
a lançarem sua foice e fazerem parte dócio do que jamais foi feito antes. sitado cada país e soado em cada
deste trabalho com todo o vigor. No quórum do sacerdócio de ouvido, até que os propósitos de
Convido-as a rededicarem sua vida à meu sobrinho, poucas horas antes Deus sejam cumpridos, e o Grande
edificação do reino. A estenderem a de ele morrer, Tanner disse: “Sabe, Jeová diga que o trabalho está ter-
mão para alguém que tenha se afas- se eu tiver que morrer cedo, quero minado”. (History of the Church,
tado do caminho. A assumirem a res- que meu funeral seja como a despe- 4:540) No sagrado e santo nome de
ponsabilidade de cuidar de um dida de um missionário indo para o Jesus Cristo. Amém. 

A L I A H O N A
112
nata da boa juventude da Igreja
Seu Maior Desafio, Mãe que está amadurecendo. Chegaram
até aqui, limpas, belas e virtuosas.
Cumprimento-as calorosamente.
Presidente Gordon B. Hinckley Cumprimento vocês, mulheres
solteiras. Vocês sabem o que significa
a solidão. Sentiram ansiedade, temor
e um imenso anseio, mas não se dei-
xaram vencer. Seguiram em frente
com a sua vida, fazendo contribui-
“Não conheço resposta melhor e essas práticas nocivas do que confrontar ções importantes e maravilhosas ao
nossos jovens com os ensinamentos da mãe, transmitidos com amor e um longo do caminho. Deus as abençoe,
claro tom de advertência.” minhas queridas irmãs e amigas.
Nesta noite, não posso falar dire-
embora estejam na Ásia, no sul do tamente a todas vocês. Escolhi diri-
Pacífico e em outras terras distantes. gir-me a um grupo específico desta
Seu coração é um só. Vocês estão imensa congregação, que é o de vo-
unidas porque amam o Senhor. cês, mães. Refiro-me também àque-
Possuem um testemunho e uma con- las que ainda se tornarão mães. Que
vicção de que Ele realmente vive. coisa maravilhosa vocês têm feito
Oram ao Pai em nome de Jesus. como mães! Deram à luz e criaram
Compreendem a eficácia da oração. seus filhos. Foram co-participantes
São esposas e mães. Vocês são viúvas com nosso Pai Celestial no processo
e mães que criam os filhos sozinhas, de prover uma experiência mortal
tendo que carregar um fardo muito aos filhos e filhas Dele. Eles são fi-
pesado. São mulheres recém-casa- lhos Dele e são seus filhos também,
das, e mulheres que ainda não se ca- sangue de seu sangue, pelos quais
saram. São uma grande multidão de Ele as considera responsáveis. Vocês
mulheres d’A Igreja de Jesus Cristo se alegraram com eles, e em muitos
dos Santos dos Últimos Dias. casos sofreram por eles. Seus filhos
Pertencem a essa grande organiza- trouxeram-lhes uma felicidade que
ção, que tem mais de quatro milhões nenhuma outra pessoa lhes poderia
de mulheres como vocês. É impossí- proporcionar. Também as fizeram so-

E u estaria satisfeito se encerras-


se a reunião neste momento.
Nós aprendemos muito.
Quero cumprimentar a presidência
por seus excelentes discursos. Vocês
vel calcular a imensa influência para
o bem que vocês podem vir a ser.
São as defensoras da família. São as
administradoras do lar. Na compa-
nhia da irmã Dew, desafio-as a le-
frer como ninguém mais poderia ter
feito.
No geral, vocês fizeram um traba-
lho notável na criação de seus filhos.
Eu já disse muitas vezes que acredito
devem saber que elas se preocupa- vantarem-se e fortalecerem-se na termos hoje a melhor geração de jo-
ram, oraram e pediram ao Senhor defesa dessas grandes virtudes que vens que já houve nesta Igreja. Eles
que as ajudasse em sua preparação e têm sido a coluna mestra de nosso têm mais instrução, são mais motiva-
em seus discursos. Temos uma gran- progresso social. Quando estão uni- dos, conhecem as escrituras, vivem a
de dívida para com vocês, irmã das, seu poder não tem limites. Palavra de Sabedoria, pagam o dízi-
Smoot, irmã Jensen e irmã Dew. Vocês podem realizar tudo o que de- mo, oram. Procuram fazer o certo.
Vocês realizaram um excelente tra- sejarem. E quão imensamente neces- São brilhantes e capazes, limpos e
balho. sárias são vocês neste mundo de saudáveis, atraentes e espertos. São
Considero um precioso privilégio valores decadentes, no qual o adver- estatisticamente bem melhores tam-
falar a vocês. Não há nenhuma outra sário parece estar no comando. bém. Há mais deles servindo numa
congregação que se assemelhe a esta. Tenho imenso respeito e admira- missão do que em qualquer outra
Estamos falando do Tabernáculo da ção por vocês, jovens mulheres, que época. Mais deles se casam no tem-
Praça do Templo, em Salt Lake City, passaram recentemente a fazer parte plo. Eles conhecem o evangelho e
mas vocês que nos ouvem estão espa- da Sociedade de Socorro. Vocês procuram vivê-lo, procurando a
lhadas por quase todo o mundo. conseguiram vencer grande parte da orientação e a ajuda do Senhor.
Estão reunidas nos Estados Unidos e tempestade que se abateu sobre vo- Lamento dizer, porém, que mui-
no Canadá, nas nações da Europa, cês em sua juventude. Mantiveram- tos de nossos jovens estão nos esca-
no México, na América Central e na se limpas das manchas do mundo. pando por entre os dedos. Procuram
América do Sul. Vocês se encontram Conservaram-se livres das nódoas e fazer uma insensatez após outra, sem
unidas nesta grande congregação, máculas da iniqüidade. Vocês são a jamais se darem por satisfeitos, até

J A N E I R O D E 2 0 0 1
113
caírem em um abismo do qual não Foram degradantes e repulsivos. Essays, vol.2 de The Works of
conseguem sair sozinhos. Alguns de Representavam as coisas mais avil- Alexander Pope, Esq.; “Epistle I: To
nossos próprios filhos estão entre es- tantes que existem na vida. Não ha- Sir Richard Temple, Lord Cobham”
ses jovens, e são vocês, mães, que via nenhuma beleza neles. Havia [1776] p. 119; linha 150)
carregam o fardo do sofrimento que apenas depravação e perversão. Era o Ensinem seus filhos desde a tenra
disso resulta. Eles são seus filhos e que havia de pior em licenciosidade. idade, e nunca desistam. Enquanto
filhas. Nesta noite, portanto, na es- Aqueles jovens pagaram de 35 a eles estiverem no lar, façam deles o
perança de ser-lhes útil, quero fazer- 50 dólares pela entrada. Em muitos seu principal interesse. Tomo a li-
lhes um pedido. casos, o dinheiro veio dos pais. berdade esta noite de sugerir várias
Em alguns casos, talvez já seja Coisas semelhantes estão aconte- coisas que vocês poderiam ensinar-
muito tarde, mas na maioria deles cendo em todo o mundo. Alguns de lhes. A lista não é completa. Vocês
ainda há chance de se guiar e persua- seus filhos e filhas permitem que os podem acrescentar outras coisas.
dir, de ensinar com amor, de conduzir patrocinadores desse lixo prosperem Ensinem-nos a procurar bons ami-
por caminhos frutíferos e produtivos, em seus negócios escusos. gos. Eles sempre terão amigos, sejam
afastando-os de vias sem saída que No domingo passado, o jornal eles bons ou maus. Esses amigos te-
não trazem nenhum benefício. Deseret News publicou um artigo de- rão grande influência na vida deles.
Não há nada neste mundo que talhado a respeito de festas ilícitas É importante que eles cultivem uma
seja mais precioso para vocês do que onde são fornecidas drogas ilegais. atitude tolerante em relação a todas
seus filhos. Quando envelhecerem, Elas começam às três da madrugada as pessoas, mas é mais importante
e seus cabelos se tornarem brancos, e continuam até 7h30 da manhã de ainda que estejam no meio de pes-
e seu corpo ficar cansado, quando domingo. Nelas, rapazes e moças, soas com os mesmos ideais, que pro-
estiverem mais dispostas a sentar-se adolescentes e jovens adultos, dan- movam o que há de melhor dentro
em uma cadeira de balanço e medi- çam ao som metálico daquilo que deles. Caso contrário, podem vir a
tar na vida, nada lhes será tão im- eles chamam de música, vertendo ser influenciados pelo estilo de vida
portante quanto saber no que seus de inúmeros amplificadores. “Alguns daqueles com quem convivam.
filhos se tornaram. A coisa mais im- usam contas brilhantes e coloridas; Nunca esqueci uma história que
portante não será o dinheiro que outros agitam bastões luminosos. o Élder Robert Harbertson contou
acumularam. Não será os carros que Alguns usam chupeta na boca, en- do púlpito deste Tabernáculo. Era a
possuíram. Não será a grande casa quanto outros vestem máscara de respeito de um menino índio que
em que estiverem morando. A gran- pintor”. (Deseret News, 17 de setem- subiu em uma montanha bem alta.
de dúvida que se repetirá muitas ve- bro de 2000, B1.) Fazia frio lá em cima. A seus pés, ele
zes em sua mente será: Como meus Drogas são passadas de trafican- viu uma cobra, uma cascavel. A ser-
filhos se saíram? tes para usuários, custando de 20 a pente estava enregelada e implorou
Se a resposta for que eles se saí- 25 dólares cada pílula. ao rapaz que a apanhasse e a levasse
ram muito bem, então sua felicidade Não conheço resposta melhor a para baixo, onde era mais quente.
será completa. Se eles não tiverem essas práticas nocivas do que con- O menino índio ouviu a súplica
se saído tão bem, então nenhuma frontar nossos jovens com os ensina- da serpente e concordou com seu
outra satisfação poderá compensar a mentos da mãe, transmitidos com pedido. Apanhou-a nos braços e co-
sua perda. amor e um claro tom de advertência. briu-a com sua camisa. Carregou-a
Portanto, esta noite, quero pedir- Sei que haverá fracassos. Haverá de- até o sopé da montanha, onde a
lhes minhas queridas irmãs, que fa- sapontamentos dolorosos. Haverá temperatura era mais elevada, e co-
çam silenciosamente um balanço de tragédias, cruéis e impiedosas. Mas, locou-a gentilmente no chão. Assim
seu papel como mãe. Ainda não é em muitos casos, se o processo for ini- que a serpente se aqueceu, ergueu a
tarde. Quando tudo o mais falhar, ciado bem cedo e tiver continuidade, cabeça e atacou o menino com suas
ainda haverá a oração e a ajuda que haverá sucesso, felicidade, amor e presas venenosas.
o Senhor prometeu para auxiliá-las muita gratidão. Simplesmente abrir a O menino amaldiçoou a serpente
em suas provações. No entanto, não bolsa e entregar dinheiro a um filho por atacá-lo em troca de sua bonda-
tardem em fazê-lo. Comecem agora, ou filha antes de correr para o traba- de. A serpente respondeu: “Você
quer seus filhos tenham seis ou de- lho não trará esse resultado. Isso ape- sabia quem eu era quando me apa-
zesseis anos. nas levará a mais práticas iníquas. nhou”. (“Restoration of the Aaronic
Fui informado de que recente- Um provérbio citado há muito Priesthood”, Ensign, julho de 1989,
mente houve um grande evento tempo declara: “Educa a criança no p. 77.)
nesta cidade, que reuniu 10.000 mil caminho em que deve andar; e até Alertem seus filhos a respeito das
jovens. Tenho certeza de que alguns quando envelhecer não se desviará presas venenosas daqueles que pro-
desses jovens eram nossos. dele”. (Provérbios 22:6) curam seduzi-los e tentá-los com
Foi-me contado que os atos prati- Outro ditado muito sábio decla- uma conversa suave, para depois
cados naquela noite de entreteni- ra: “É de pequeno que se torce o pe- prejudicá-los e possivelmente des-
mento foram malignos e indecentes. pino”. (Alexandre Pope, Moral truí-los.

A L I A H O N A
114
Ensinem-lhes o valor dos estudos. difundida entre os jovens, que é a muito feio ver rapazes com as ore-
“A glória de Deus é inteligência ou, da tatuagem e do “piercing”. Tempo lhas furadas, usando não apenas um
em outras palavras, luz e verdade.” virá em que se arrependerão disso, par, mas vários brincos.
(D&C 93:36) mas então será muito tarde. As es- Será que eles não têm nenhum
O povo desta Igreja recebeu o crituras declaram de modo bem cla- respeito por sua aparência? Será que
mandamento do Senhor de adquirir ro: “Não sabeis vós que sois o consideram inteligente ou atraente
instrução. Isso irá abençoar-lhes a templo de Deus e que o Espírito de adornarem-se dessa forma?
vida agora e durante todos os anos Deus habita em vós? Não considero isso um adorno. É
vindouros. Se alguém destruir o templo de algo que enfeia o que era bonito. As
Assisti fascinado, certa noite, a Deus, Deus o destruirá; porque o pessoas não furam apenas a orelha,
um programa de televisão que con- templo de Deus, que sois vós, é san- mas também outras partes do corpo,
tava a história de uma família do to”. (I Coríntios 3:16–17) inclusive a língua. É um absurdo.
meio-oeste dos Estados Unidos. A É triste e lamentável ver os rapa- Nós, a Primeira Presidência e o
família era formada pelo pai, a mãe, zes e moças com o corpo tatuado. O Conselho dos Doze, assumimos uma
três filhos e uma filha. que eles esperam ganhar com esse posição que citarei agora: “A Igreja
O pai e a mãe decidiram, quando processo doloroso? Há alguma coisa desaprova a tatuagem. Também de-
se casaram, que fariam todo o possí- “virtuosa, amável, de boa fama ou saprova o “piercing”, ou o ato de fu-
vel para que os filhos tivessem as louvável” (Regras de Fé 1:13) em rar o corpo, a não ser por motivos
melhores experiências educacionais. impregnar a pele com algo impró- médicos, embora ela não se manifes-
Eles viviam em uma casa simples. prio a que dão o nome de arte, ten- te em relação a um pequeno furo
Seu estilo de vida era modesto. Mas do que carregar isso consigo a vida nas orelhas das mulheres para a uti-
eles criaram seus filhos com sabedo- inteira, até a velhice e a morte? Eles lização de um par de brincos”.
ria. Todos os filhos alcançaram su- devem ser aconselhados a afasta- Ensinem seus filhos e filhas a fugirem
cesso de modo notável. Todos rem-se dessas coisas e a absterem-se das drogas ilegais como se fossem uma
receberam excelente instrução. Um disso. Chegará um momento em que doença. O uso desses narcóticos irá
deles tornou-se reitor de uma uni- lamentarão tê-lo feito, mas não ha- destruí-los. Eles não podem maltratar
versidade, e os outros tornaram-se verá como fugirem desse constante dessa forma o seu próprio corpo, não
executivos de grandes empresas, lembrete de sua insensatez, a não podem criar dentro de si mesmos um
tendo muito sucesso. ser por meio de outro processo cus- apetite tão maléfico e escravizador
Ensinem-nos a respeitar seu próprio toso e doloroso. sem causarem um dano incalculável.
corpo. Há uma prática cada vez mais Embora hoje seja algo comum, é Um hábito leva a outro, até que a

J A N E I R O D E 2 0 0 1
115
vítima, em muitos casos, chega a um seus filhos se divertirem e terem que tentaram dar o melhor de si e
estado de total abandono, com a per- prazer na vida. Poderão sentir muita não permitiram que nada tomasse o
da completa do autocontrole, a pon- alegria na companhia de bons ami- lugar de seu papel como mãe. Os fra-
to de não conseguir mais deixar o gos. Não é preciso que sejam dema- cassos serão poucos se agirem assim.
hábito. siadamente puritanos. Eles podem Para que não pensem que estou
Um recente programa de televisão divertir-se e já demonstraram que colocando toda essa responsabilida-
declarou que 20% dos jovens que realmente o fazem. de em suas costas, quero dizer que
usam drogas foram iniciados no vício Deus as abençoe, minhas queri- pretendo falar aos pais a respeito
pelos pais. O que acontece com essas das amigas. Não troquem seu direito desse mesmo assunto na Reunião
pessoas? O uso de drogas ilegais é inato de serem mães por algum valor Geral do Sacerdócio daqui a duas
uma via sem saída. Ela não leva a lu- passageiro. Que seu principal inte- semanas.
gar algum, exceto à perda do auto- resse esteja no lar. O bebê que hoje Que as bênçãos do céu estejam
controle, à perda do respeito próprio, seguram nos braços irá crescer tão com vocês, minhas queridas irmãs.
e à autodestruição. Ensinem seus fi- rapidamente quanto o nascer e o Oro para que nunca venham a pre-
lhos a fugirem delas como se fossem pôr-do-sol de um dia corrido. Espero ferir algo de valor temporário em lu-
uma doença maligna. Desenvolvam que quando isso acontecer, vocês gar do bem maior que é ter filhos e
neles uma total aversão a essas coisas. não sejam levadas a exclamar o mes- filhas, meninos e meninas, rapazes e
Ensinem-nos a ser honestos. As pri- mo que o rei Lear: “Mais doloroso moças; sendo sua a responsabilidade
sões do mundo estão cheias de pes- do que a picada da serpente é ter um imprescindível de criá-los.
soas que iniciaram suas atividades filho ingrato!” (Rei Lear, I, iv, 312) Que a vida virtuosa de seus filhos
iníquas com pequenos atos de deso- Em vez disso, espero que tenham to- venha a santificar e abençoar a sua
nestidade. Uma pequena mentira do motivo para ter orgulho de seus velhice. Que vocês sejam levadas a
geralmente leva a outra mentira filhos, amá-los, ter fé neles, vê-los exclamar com gratidão, tal como
maior. Um pequeno furto freqüente- crescer em retidão e virtude perante João: “Não tenho maior gozo do que
mente leva a pessoa a cometer um o Senhor; e vê-los tornarem- se este, o de ouvir que os meus filhos
roubo maior. Em pouco tempo, a membros úteis e produtivos da socie- andam na verdade”. (III João 1:4)
pessoa fica presa em uma rede da dade. Se depois de tudo o que tive- Oro por isso, com toda a sincerida-
qual não consegue se livrar. A larga rem feito, ainda houver um fracasso de, no sagrado nome de Jesus
avenida da prisão começa com um ocasional, ao menos poderão dizer Cristo. Amém. 
caminho pequeno e atraente.
Ensinem-nos a ser virtuosos.
Ensinem os rapazes a respeitarem as
moças como filhas de Deus investi-
das com algo muito precioso e belo.
Ensinem suas filhas a terem respeito
pelos rapazes, pelos portadores do
sacerdócio, pelos jovens que têm o
dever de erguerem-se acima dos
perniciosos males deste mundo e
que verdadeiramente o fazem.
Ensinem-nos a orar. Nenhum de
nós é suficientemente sábio para con-
seguir vencer sozinho. Precisamos da
ajuda, da sabedoria e da orientação
do Todo-Poderoso para tomarmos
aquelas decisões que serão tremenda-
mente importantes em nossa vida.
Não há nada que substitua a oração.
Não há melhor fonte de ajuda.
Minhas queridas mães, essas coi-
sas que mencionei evidentemente
não são novas. Elas são tão velhas
quanto Adão e Eva. Mas, embora a
lista não esteja completa são tão se-
guras em sua causa e efeito quanto o
sol que se levanta pela manhã.
Mesmo abstendo-se de todas es-
sas coisas, há muitas maneiras de

A L I A H O N A
116
precisamos de orientação na vida. O
Eles Falaram para Nós melhor lugar para encontrá-la são as
obras padrão e os ensinamentos dos
profetas de Deus.

Élder Joseph B. Wirthlin, do


Quórum dos Doze Apóstolos: Uma
Relatório para as crianças da Igreja sobre a 170ª Conferência Geral das grandes mensagens da Res-
Semestral de 7 e 8 de Outubro de 2000. tauração é a de que as janelas do
céu estão abertas. Todos os que pro-
curam saber a verdade podem co-

P residente Gordon B. Hinckley:


Se a partir de agora formos um
pouco mais bondosos, se tra-
tarmos um pouco melhor o nosso
próximo, se nos tivermos aproxima-
Élder David B. Haight, do Quórum
dos Doze Apóstolos: A vida pode ser
maravilhosa e significativa, mas te-
mos de vivê-la com simplicidade.
Precisamos praticar os princípios do
nhecê-la por si mesmos, por meio da
revelação do Espírito.

Élder Robert D. Hales, do Quórum


dos Doze Apóstolos: Por ocasião do
do mais do Salvador, com uma reso- evangelho, pois é o evangelho em batismo, fazemos convênio com nos-
lução mais firme de seguir Seus nossa vida que faz a diferença. so Pai Celestial de que estamos dis-
ensinamentos e Seu exemplo, então postos a entrar em Seu reino e a
esta conferência terá sido um suces- Élder Neal A. Maxwell, do guardar Seus mandamentos a partir
so extraordinário. Quórum dos Doze Apóstolos: Quer daquele momento, embora ainda
sejamos jovens ou idosos, precisa- vivamos no mundo. O Livro de
Presidente Thomas S. Monson, mos ser bons amigos, mas também Mórmon lembra-nos que, em nosso
Primeiro Conselheiro na Primeira precisamos escolher cuidadosamen- batismo, nos comprometemos a “ser-
Presidência: Adão orou; Jesus orou; te as nossas amizades. Se escolher- vir de testemunhas de Deus em todos
Joseph orou. Sabemos qual foi o re- mos o Senhor em primeiro lugar, a os momentos e em todas as coisas e em
sultado da oração que fizeram. escolha dos amigos se tornará mais todos os lugares em que [nos encon-
Aquele que percebe até a queda de fácil e mais segura. tremos], mesmo até a morte; para
um pardal sem dúvida ouvirá à súpli- que [sejamos] redimidos por Deus e
ca de nosso coração. Lembrem-se da Élder Russell M. Nelson, do contados com os da primeira ressur-
promessa: “Se algum de vós tem falta Quórum dos Doze Apóstolos: Todos reição, para que [tenhamos] a vida
de sabedoria, peça-a a Deus, que a to- eterna”. (Mosias 18:9; grifo do autor)
dos dá liberalmente, e o não lança em
rosto, e ser-lhe-á dada.” (Tiago 1:5) Élder Jeffrey R. Holland, do
Quórum dos Doze Apóstolos: Se vocês
Presidente James E. Faust, Segundo estiverem tendo dificuldades para
Conselheiro na Primeira Presidência: manter o autocontrole em relação ao
Ao refletir sobre a minha vida, reco- que vêem, ouvem, dizem ou fazem,
nheço uma fonte especial de força e peço que orem ao Pai Celestial pe-
bênçãos. É meu testemunho e o co- dindo ajuda. ( . . . ) Conversem com
nhecimento que tenho de que Jesus seu pai e sua mãe. Conversem com
é o Cristo, o Salvador e Redentor de seu bispo. Busquem a melhor ajuda
toda a humanidade. que conseguirem de todas as pessoas
boas que os rodeiam.
Presidente Boyd K. Packer,
Presidente Interino do Quórum dos Élder Dennis B. Neuenschwander,
Doze Apóstolos: Descobri que a da Presidência dos Setenta: Não existe
Palavra de Sabedoria é um princípio nenhuma vantagem em termos pro-
com promessa. O princípio é: Cuide fetas, videntes e reveladores entre
de seu corpo; abstenha-se de esti- nós se não dermos ouvidos a eles.
mulantes que criem dependência,
chá, café, fumo, bebidas alcoólicas e Sister Margaret D. Nadauld,
drogas. (Ver D&C 89:3–9.) Presidente Geral das Moças: Nossa
A promessa: Aqueles que obede- vida reflete aquilo que buscamos. Se
cerem terão melhor saúde (ver de todo coração buscarmos verda-
D&C 89:18) e receberão “grandes deiramente conhecer o Salvador e
tesouros de conhecimento, sim, te- nos tornarmos mais parecidos com
souros ocultos”. (D&C 89:19) Ele, nós o conseguiremos. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
117
Ensinamentos para os Nossos Dias, 2001

A s reuniões do Sacerdócio de
Melquisedeque e da Sociedade
de Socorro do quarto domingo do mês
3. Devemos Seguir os Líderes
Mt. 7:15–23; D&C 21:1–6;
43:1–7; 124:45–46.
M. Russell Ballard, “Em que Pé
Estamos?”, A Liahona, julho de 2000,
pp. 37–40.
devem ser dedicadas à aplicação de M. Russell Ballard, “Acautelai-vos Henry B. Eyring, “A Voz de
“Ensinamentos para os Nossos Dias”. dos Falsos Profetas e Falsos Mestres”, Advertência”, A Liahona, janeiro de
Todos os anos, a Primeira Presidência A Liahona, janeiro de 2000, 1999, pp. 37–40.
determina 10 assuntos assim como os pp. 73–76. “A Obra Missionária”, capítulo
recursos designados para serem utili- David B. Haight, “Apoio aos 33 de Princípios do Evangelho,
zados nessas reuniões. Seguem os as- Profetas”, A Liahona, janeiro de 1999, pp. 211–217.
suntos e os recursos para o ano 2001. pp. 41–43.
7. Fortalecer a Juventude
Outros dois assuntos devem ser esco- “Devemos Seguir os Líderes”, lição
I Tm. 4:12; Alma 37:35; 38:2;
lhidos pela presidência da estaca ou 13 do Manual Básico da Mulher SUD,
41:10; Regras de Fé 1:13.
do distrito. Parte B, pp. 104–114.
Gordon B. Hinckley, mensagem do
Deve-se utilizar nas reuniões do
4. Nosso Refúgio contra a serão de 12 de novembro de 2000 a
quarto domingo do mês um ou dois re-
Tempestade ser publicada em A Liahona de abril
cursos que melhor se adaptem às neces-
Is. 41:10; Alma 36:3, 27; D&C de 2001.
sidades e circunstâncias dos membros
58:2–4; 121:1–8; 122. Gordon B. Hinckley, “Seu Maior
do quórum e do grupo. Os professores
James E. Faust, “Esperança, uma Desafio, Mãe”, A Liahona, Janeiro de
não precisam utilizar todos os recursos.
Âncora para a Alma”, A Liahona, 2001.
Os líderes e professores são incentiva-
janeiro de 2000, pp. 70–73. Gordon B. Hinckley, “A Paz
dos a realizar debates nessas reuniões
Joseph B. Wirthlin, “Encontrar um de Teus Filhos Será Abundante”,
em vez de aulas e apresentações. Eles
Porto Seguro”, A Liahona, julho de A Liahona, janeiro de 2001.
devem considerar maneiras de incenti-
2000, pp. 71–74. O folheto Para o Vigor da Juventude
var os membros do quórum e do grupo
Robert D. Hales, “Eis que Temos (item nº 34285 059).
a aplicar os princípios discutidos no de-
por Bem-aventurados os que “Pureza Moral”, lição 34 de
bate. Sugestões para a preparação e
[Perseveram]”, A Liahona, julho de Deveres e Bênçãos do Sacerdócio,
realização dos debates do quórum e do
1998, pp. 83–86. Parte A, pp. 248–253; “Pureza de
grupo são encontradas em Ensino, Não
“Provações, Adversidades e Pensamento”, lição 9 do Manual
Há Maior Chamado e Guia de Ensino.
Aflições”, lição 15 do Manual Básico Básico da Mulher SUD, Parte B,
1. O Papel das Escrituras na da Mulher SUD, Parte B, pp. 123–129. pp. 71–77.
Conversão de Nossa Própria Família
5. Buscar a Orientação do Espírito 8. Tornar-se Puro diante do Senhor
Dt. 11:18–19, 21; II Tm. 3:14–17;
Santo Is. 1:18; Mosias 4:10–12; D&C
2 Né. 25:21–23, 26; Mosias 1:3–7.
Jo. 14:16–17, 26; 2 Né. 32:2–5; 19:16–20; 58:42–43.
Boyd K. Packer, “Ensinar as
Morô. 10:5–7; D&C 8:2–3. Thomas S. Monson, “Sua Viagem
Crianças” A Liahona, maio de 2000,
Boyd K. Packer, “Línguas Eterna”, A Liahona, julho de 2000,
pp. 14–23.
Repartidas como que de Fogo”, pp. 56–59.
Henry B. Eyring, “A Força da
A Liahona, julho de 2000, pp. 7–10. Henry B. Eyring, “Não Deixem
Doutrina”, A Liahona, julho de 1999,
Jeffrey R. Holland, “Não Rejeiteis, para Depois”, A Liahona, janeiro de
pp. 85–88.
Pois, a Vossa Confiança”, A Liahona, 2000, pp. 38–41.
Dallin H. Oaks, “Nutrir o
junho de 2000, pp. 34–42. Boyd K. Packer, “Purificados”,
Espírito”, A Liahona, agosto de 2001.
Richard G. Scott, “Ele Vive”, A Liahona, julho de 1997, pp. 8–10.
“O Aprendizado do Evangelho em
A Liahona, Janeiro de 2000, pp. “Arrependimento”, capítulo 19 de
Nosso Lar”, lição 32 do Manual Básico
105–108. Princípios do Evangelho, pp. 122–128.
da Mulher SUD, Parte A, pp. 242–250.
“O Dom do Espírito Santo”, lição
9. A Santidade da Mulher
2. A Importância das Escrituras na 30 de Deveres e Bênçãos do Sacerdócio,
Pv. 31:10–31; Ef. 5:25–28, 31;
Vida de Nossos Antepassados Parte A, pp. 221–227.
Jacó 2:28–35.
Dt. 31:10–13; Jo. 5:39; 1 Né.
6. Os Verdadeiros Discípulos James E. Faust, “O que Significa
3:1–4, 19–20; Mosias 1:2–7.
Ensinam o Evangelho Ser uma Filha de Deus”, A Liahona,
James E. Faust, “Sementes e
Mt. 5:16; D&C 4; 18:14–16; janeiro de 2000, pp. 120–124.
Solos”, A Liahona, janeiro de 2000,
88:81. Richard G. Scott, “A Santidade da
pp. 54–57.
Gordon B. Hinckley, “Encontrem Mulher”, A Liahona, julho de 2000,
L. Tom Perry, “Ensinar-lhes com
as Ovelhas e Apascentem-nas”, pp. 43–45.
Toda a Diligência a Palavra de Deus,
A Liahona, julho de 1999, pp. Russell M. Nelson, “Nosso Dever
A Liahona, julho de 1999, pp. 6–9.
118–124. Sagrado de Honrar as Mulheres”,
“As Escrituras“, capítulo 10 de
A Liahona, julho de 1999, pp. 45–48.
Princípios do Evangelho, pp. 52–56.
A L I A H O N A
118
“A Mulher Santo dos Últimos
Sugestões para as Reuniões de Aprimoramento Dias”, lição 14 do Manual Básico da
Pessoal, Familiar e Doméstico* Mulher SUD, Parte A, pp. 98–107.
10. Gratidão
ASSUNTOS PARA AS SUGESTÕES A RESPEITO DE ASSUNTOS Sl. 100; Lc. 17:11–19; Mosias
APRESENTAÇÕES PARA AS MINI-AULAS** 2:19–22; D&C 78:19.
Gordon B. Hinckley, “Agradecemos
Desenvolvimento Espiritual • Adoração no templo ao Senhor Suas Bênçãos”, A Liahona,
(D&C 88:63) • Oração pessoal e estudo das escrituras julho de 1999, pp. 104–105.
• Guardar o Dia do Senhor (D&C 59) Thomas S. Monson, “Gratidão”,
A Liahona, maio de 2000, pp. 2–9.
Habilidades Domésticas • Cultivo, preparação e conservação de “Como Desenvolver a Gratidão”,
(Pv. 31:27) alimentos lição 35 do Manual Básico da Mulher
• Organização e limpeza da casa
SUD, Parte B, pp. 303–311. 
• Valor do trabalho

Relações na Família e no • “A Família: Proclamação ao Mundo”


Casamento (Liahona, outubro de 1998, p. 24)
(Malaquias 4:6; Mosias 4:15) • Noite familiar, oração familiar e estudo Guia de Recursos
das escrituras
• Ser pai e mãe Para o Ano 2001, Sacerdócio
Aarônico Manual 2, Lições 1–25
Fortalecer os Relacionamentos • Comunicação e resolução de conflitos
(Mateus 5:38–44; 25:40) • Arrependimento e perdão
• Liderança eficaz P ara atualizar e aprimorar as aulas.
A=O Amigo
Autoconfiança • Armazenamento doméstico e preparação Lição 1: Quem Sou Eu?
(D&C 88:119) para emergências Russell M. Nelson, “A Criação”, A
• Educação e administração de recursos Liahona, julho de 2000, pp. 102–105.
• Saúde e higiene Russell M. Nelson, “Somos Filhos
de Deus”, A Liahona, janeiro de 1999,
Serviço • Prestar serviço à família e aos vizinhos pp. 101–104.
(Pv. 31:20; Mosias 4:26) • Serviço na Igreja “A Vitória”, A Liahona, agosto de
• Projeto de serviço comunitário 1998, pp. 40–41.
“Sou um Filho de Deus”, Hinos,
Saúde Física e Emocional • Exercícios físicos e nutrição nº 193.
(Mosias 4:27; D&C 10:4) • Controle do estresse e recreação
• Sentir gratidão e reconhecer as bênçãos Lição 2: Conhecer Nosso Pai
do Senhor Celestial
James E. Faust, “Que Te
Desenvolvimento Pessoal e • Bênção patriarcal Conheçam, A Ti Só, por Único Deus
Educação • Desenvolver talentos e criatividade Verdadeiro, e a Jesus Cristo”,
(D&C 88:118; 130:18–19) • Aprendizado em todas as idades A Liahona, fevereiro de 1999, pp. 2–6.
Jeffrey R. Holland, “As Mãos dos
Alfabetização • Alfabetização no evangelho Pais”, A Liahona, julho de 1999,
(Daniel 1:17; Moisés 6:5–6) • Histórias e testemunhos escritos pp. 16–19.
• Educação na primeira infância e S. Michael Wilcox, “Não Terás
literatura infantil Outros Deuses Diante de Mim”,
A Liahona, fevereiro de 1998, pp.
Arte e Cultura • Importância da música no lar 26–33.
(D&C 25:12) • Literatura e belas artes
• Entender outras culturas Lição 3: Fé em Jesus Cristo
Neal A. Maxwell, “Aplicar o
Sangue Expiatório de Cristo”,
A Liahona, janeiro de 1998, pp.
24–27.
John B. Dickson, “Os Dons
Incomparáveis”, A Liahona, outubro
* As diretrizes para as reuniões de aprimoramento pessoal, familiar e doméstico foram distribuídas com a de 1999, pp. 18–24.
carta da Primeira Presidência enviada em 20 de setembro de 1999. Sheri L. Dew, “Nossa Única
** Os recursos contendo assuntos para as mini-aulas incluem o manual Princípios do Evangelho e o
Manual Básico da Mulher SUD Parte A e Parte B.
Chance”, A Liahona, julho de 1999,
pp. 77–79.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
119
Lição 4: A Companhia do Espírito “Buscar o Autocontrole”, Diane K. Cahoon, “Um Milagre
Santo A Liahona, junho de 1999, p. 25. para a Irmã Stratton”, A Liahona,
Dallin H. Oaks, “Ensinar e maio de 1999, A6–7.
Lição 9: O Arrependimento e a
Aprender pelo Espírito”, A Liahona,
Expiação de Jesus Cristo Lição 14: Obediência a Deus
maio de 1999, pp. 14–24.
Henry B. Eyring, “Não Deixem Patricia P. Pinegar, “Paz, Esperança
Boyd K. Packer, “Revelação
para Depois”, A Liahona, janeiro de e Orientação”, A Liahona, janeiro de
Pessoal: o Dom, o Teste e a
2000, pp. 38–41. 2000, pp. 79–82.
Promessa”, A Liahona, junho de 1997,
Boyd K. Packer, “Purificados”, Donald L. Staheli, “Obediência:
pp. 8–14.
A Liahona, julho de 1997, pp. 8–10. O Maior Desafio da Vida”, A Liahona,
Brad Wilcox, “Pergunta Perigosa”,
Bruce C. Hafen, “Glória em vez de julho de 1998, pp. 91–92.
A Liahona, maio de 2000, pp. 32–35.
Cinza: O Sacrifício Expiatório de “Obedecer a Sua Voz e Guardar
“Santo Espírito de Deus”, Hinos,
Jesus Cristo”, A Liahona, abril de os Seus Mandamentos”, A Liahona,
nº 80.
1997, pp. 38–48. fevereiro de 1998, p. 25.
Lição 5: Livre-Arbítrio “Vinde a Cristo”, Hinos, nº 69. “Faze o Bem”, Hinos, nº 147.
James E. Faust, “Obediência:
Lição 10: Estudar as Escrituras Lição 15: Exaltação por meio da
O Caminho que Conduz à Verdadeira
Daniel C. Peterson, “Novas Obediência aos Convênios
Liberdade”, A Liahona, julho de 1999,
Evidências da Veracidade do Livro de James E. Faust, “‘Sonda-me, ó
pp. 53–56.
Mórmon”, A Liahona, setembro de Deus, e Conhece o Meu Coração’”,
Joseph B. Wirthlin, “A Escolha É
2000, pp. 28–35. A Liahona, julho de 1998, pp. 17–20.
Sua”, A Liahona, novembro de 1998,
“O que Devemos Examinar nas Richard G. Scott, “Jesus Cristo,
pp. 46–48.
Escrituras?” A Liahona, maio de 1998, Nosso Redentor”, A Liahona, julho de
Sharon G. Larsen, “Arbítrio —
pp. 28–32. 1997, pp. 65–67.
Uma Bênção ou um Fardo”, A Liahona,
Willie Holdman e Richard M. “Construir Sião Fazendo
janeiro de 2000, pp. 12–14.
Romney, “No Topo do Mundo”, Convênios, Recebendo as
Lição 6: Serviço Cristão A Liahona, março de 1997, pp. 10–15. Ordenanças”, A Liahona, maio de
Robert J. Whetten, “Verdadeiros “Estudando as Escrituras”, Hinos, 1998, p. 25.
Seguidores”, A Liahona, julho de nº 176. “Ó Meu Pai”, Hinos, nº 177.
1999, pp. 34–36.
Lição 11: Satanás e Suas Tentações Lição 16: Dízimo e Ofertas
Janna Nielsen, “Um Sábado de
Thomas S. Monson, “Em Perigo”, James E. Faust, “Abrir as Janelas
Serviço ao Próximo”, A Liahona,
A Liahona, julho de 1998, pp. 52–54. do Céu”, A Liahona, janeiro de 1999,
agosto de 1998, pp. 10–13.
Richard B. Wirthlin, “Quatro pp. 67–70.
H. David Burton, “Vai, e Faze da
Verdades Absolutas Fornecem uma Jon R. Howe, “Aulas Motivadoras
Mesma Maneira”, A Liahona, julho de
Bússola Moral Infalível”, A Liahona, com Objetos”, A Liahona, março de
1997, pp. 86–89.
janeiro de 1998, pp. 9–10. 1999, pp. 26–27.
“Neste Mundo”, Hinos, nº 136.
Clyde J. Williams, “Um Escudo Ronald E. Poelman, “O Privilégio
Lição 7: A Importância Eterna das contra o Mal”, A Liahona, outubro de de Conhecer e Viver a Lei do Dízimo”,
Famílias 1996, pp. 18–24. A Liahona, julho de 1998, pp. 87–88.
A Primeira Presidência e o “Faze o Bem, Escolhendo o que É
Lição 17: Bênçãos Patriarcais
Conselho dos Doze Apóstolos, Certo”, Hinos, nº 148.
Thomas S. Monson, “Sua Jornada
A Família: Proclamação ao Mundo”,
Lição 12: Oração Celestial”, A Liahona, julho de 1999,
A Liahona, outubro de 1998, p. 24.
Gordon B. Hinckley, “Não Temas, pp. 114–116.
Dallin H. Oaks, “O Mais
Crê Somente”, A Liahona, outubro de Richard D. Allred, “O Senhor
Importante”, A Liahona, março de
2000, pp. 26–29. Abençoa os Filhos por meio da
2000, pp. 14–22.
“Como Posso Evitar que Minhas Bênção Patriarcal”, A Liahona, janeiro
Henry B. Eyring, “A Família”,
Orações Sejam Repetitivas?” de 1998, pp. 31–32.
A Liahona, outubro de 1998, pp. 12–23.
A Liahona, junho de 1999, pp. 18–21. Valeria Salerno, “O Dia em que
Robert D. Hales, “A Família
Eileen Murphy Allred, “A Oração Recebi a Minha Bênção Patriarcal”,
Eterna”, A Liahona, janeiro de 1997,
do Meu Avô”, A Liahona, março de A Liahona, outubro de 1997, pp.
pp. 69–71.
1998, A4–5. 20–21.
“As Famílias Poderão Ser Eternas”,
“Com Fervor Fizeste a Prece?”,
Hinos, nº 191. Lição 18: Deveres de um Mestre no
Hinos, nº 83.
Sacerdócio Aarônico
Lição 8: Espiritualidade
Lição 13: Jejum James E. Faust, “Com que Poder
Russell M. Nelson, “Capacidade
Thomas S. Monson, “Construir Fizestes Isto?” A Liahona, janeiro de
Espiritual”, A Liahona, janeiro de
Seu Lar Eterno”, A Liahona, outubro 1999, pp. 52–55.
1998, pp. 15–18.
de 1999, pp. 2–7. James E. Faust, “O Poder do
Robert L. Millet, “Despojar-se do
Lorenzo Presença, “Nosso Primeiro Sacerdócio”, A Liahona, julho de
Homem Natural”, A Liahona, agosto
Jejum em Família”, A Liahona, junho 1997, pp. 41–43.
de 2000, pp. 6–10.
de 1999, A12–13.

A L I A H O N A
120
Dallin H. Oaks, “O Sacerdócio Lição 24: As Bênçãos do Trabalho Dale E. Miller, “O Caminho de
Aarônico e o Sacramento”, A Liahona, James E. Faust, “Horizontes Aperfeiçoamento do Reino”,
janeiro de 1999, pp. 43–46. Perdidos”, A Liahona, agosto de 1999, A Liahona, julho de 1998, pp. 32–33.
pp. 2–6. “Trabalhemos Hoje”, Hinos, nº 141.
Lição 19: Um Coração
Neal A. Maxwell, “‘Nossa Lei É
Quebrantado e um Espírito Contrito Lição 4: A Obediência aos
Trabalhar’”, A Liahona, julho de 1998,
Robert D. Hales, “A Cura da Alma Mandamentos Ajuda-nos a Cumprir
pp. 41–43.
e do Corpo”, A Liahona, janeiro de Nossas Funções Divinas
“Élder Robert D. Hales”,
1999, pp. 16–19. James E. Faust, “Quão Próximas
A Liahona, setembro de 1997, A6–7.
Juan Antonio Flores, “Mudança dos Anjos”, A Liahona, julho de 1998,
“Nossa Lei É Trabalhar”, Hinos,
de Vida”, A Liahona, maio de 1998, pp. 105–108.
nº 142.
pp. 40–41. Richard J. Maynes, “Uma Conexão
“Suficientemente Quieto para Lição 25: Pureza Pessoal Celestial com os Anos de Adolescên-
Ouvir”, A Liahona, março de 1997, por meio da Autodisciplina cia”, A Liahona, janeiro de 1998,
pp. 30–32. “O que os Prefetas Ensinam a pp. 34–35.
respeito de Castidade e Fidelidade”, Richard G. Scott, “A Alegria de
Lição 20: Administrar o Sacramento
A Liahona, outubro de 1999, pp. 26–29. Viver o Grande Plano de Felicidade”,
Thomas S. Monson, “O Sacerdócio
Jeffrey R. Holland, “Pureza Pessoal”, A Liahona, janeiro de 1997, pp. 78–81.
— Um Poderoso Exército do Senhor”,
A Liahona, janeiro de 1999, pp. 89–92; “Guarda os Mandamentos”, Hinos,
A Liahona, julho de 1999, pp. 56–59.
outubro de 2000, pp. 40–43. nº 194.
Dallin H. Oaks, “O Sacerdócio
Richard G. Scott, “Perguntas
Aarônico e o Sacramento”, A Liahona, Lição 5: O Ambiente do Lar
Sérias, Respostas Sérias”, A Liahona,
janeiro de 1999, pp. 43–46. Thomas S. Monson, “Construir Seu
setembro de 1997, pp. 28–32.
Lois T. Bartholomew, “Natal Todos Lar Eterno”, A Liahona, outubro de
os Domingos”, A Liahona, dezembro 1999, pp. 2–7.
de 1997, p. 24. Virginia U. Jensen, “Aprimoramento
“Nossa Humilde Prece Atende”, Guia de Recursos Pessoal, Familiar e Doméstico”,
Hinos, nº 102. A Liahona, janeiro de 2000,
Para o Ano 2001, Moças Manual 2,
pp. 114–117.
Lição 21: Preparar-se para o Lições 1–24
Margaret D. Nadauld, “Voltar o
Sacerdócio de Melquisedeque
Coração para a Família”, A Liahona,
Thomas S. Monson, “O
Sacerdócio: Um Poderoso Exército
do Senhor”, A Liahona, julho de 1999,
P ara atualizar e aprimorar as aulas.
A=O Amigo
julho de 1998, pp. 99–101.
“Pode o Lar Ser como o Céu”,
Hinos, nº 189.
pp. 56–59. Lição 1: Achegar-se a Jesus Cristo
James E. Faust, “Com que Poder James E. Faust, “Que Te Lição 6: Participar do Trabalho
Fizestes Isto?”, A Liahona, janeiro de Conheçam, a Ti Só, Por Único Deus de Casa
1999, pp. 52–55. Verdadeiro, e a Jesus Cristo”, James E. Faust, “Quão Próximas
Joseph B. Wirthlin, “Crescer no A Liahona, fevereiro de 1999, pp. 2–6. dos Anjos”, A Liahona, julho de 1998,
Sacerdócio”, A Liahona, janeiro de Russell M. Nelson, “Jesus o Cristo: pp. 105–108.
2000, pp. 45–49. Nosso Mestre e Muito Mais”, Neal A. Maxwell, “‘Nossa Lei É
A Liahona, abril de 2000, pp. 4–19. Trabalhar’”, A Liahona, julho de 1998,
Lição 22: A Liderança Patriarcal Joseph B. Wirthlin, “Guiados por pp. 41–43.
no Lar Sua Vida Exemplar”, A Liahona, Vaughn J. Featherstone, “Haverá
Jeffrey R. Holland, “As Mãos dos fevereiro de 1999, pp. 34–43. Sempre um Elo”, A Liahona, janeiro
Pais”, A Liahona, julho de 1999, “Sim, Eu Te Seguirei”, Hinos, de 2000, pp. 15–18.
pp. 16–19. nº 134. “Enquanto o Sol Brilha”, Hinos,
Fraser Aumua e Laury Livsey, “Tal
Lição 2: Dons Espirituais nº 154.
Pai, Tal Filho”, A Liahona, setembro
de 2000, pp. 38–39. Janette Hales Beckham, Lição 7: Viver em Amor
S. Michael Wilcox, “Casamento: “A Realidade da Fé”, A Liahona, e Harmonia
Uma Parceria Divina”, A Liahona, janeiro de 1998, pp. 87–89. Robert D. Hales, “Fortalecer as
setembro de 1997, pp. 8–9. Mensagem das Professoras Famílias: Nosso Dever Sagrado”,
Visitantes, A Liahona, 1997 (Todas as A Liahona, julho de 1999, pp. 37–40.
Lição 23: A Preparação Prática para edições com exceção das de janeiro e “A Importância de Ensinar
a Missão julho.) Princípios Corretos aos Membros da
Élder M. Russell Ballard,
Lição 3: Edificar o Reino de Deus Família”, A Liahona, abril de 1999,
A Liahona, outubro de 2000, A10–11.
James E. Faust, “O Preço de Ser um p. 25.
Marvin K. Gardner, “O Futuro
Discípulo”, A Liahona, abril de 1999, Sharon G. Larsen, “Moças:
Brilhante de Soweto”, A Liahona,
pp. 2–6. Estandartes da Liberdade”, A Liahona,
dezembro de 1999, pp. 36–39.
Jeffrey R. Holland, “Como Pombas julho de 1998, pp. 103–104.
“Chamados a Servir”, A Liahona,
nas Janelas”, A Liahona, julho de “Com Amor no Lar”, Hinos,
agosto de 1999, pp. 26–31.
2000, pp. 90–93. nº 188.

J A N E I R O D E 2 0 0 1
121
Lição 8: Desenvolver a James E. Faust, “O Poder do Richard D. Allred, “O Senhor
Habilidade de Comunicar-se Sacerdócio”, A Liahona, julho de Abençoa os Filhos por meio da
M. Russell Ballard, “Como Chama 1997, pp. 46–49. Bênção Patriarcal”, A Liahona, janeiro
Inextinguível”, A Liahona, julho de D. Lee Tobler, “O Sacerdócio e de 1998, pp. 31–32.
1999, pp. 101–103. o Lar”, A Liahona, julho de 1999, Valeria Salerno, “O Dia em que
Tammy Munro, “Uma Leitura pp. 51–52. Recebi Minha Bênção Patriarcal”,
com Ben”, A Liahona, maio de 2000, A Liahona, outubro de 1997, pp. 20–21.
Lição 11: Apreciar o Bispo
pp. 10–12.
Gordon B. Hinckley, “Os Pastores Lição 14: As Bênçãos do Templo
Ann Michelle Nielsen, “Mãe X
do Rebanho”, A Liahona, julho de A Primeira Presidência e o
Filha”, A Liahona, dezembro de 1999,
1999, pp. 60–66. Quórum dos Doze Apóstolos,
pp. 40–41.
Boyd K. Packer, “O Bispo e Seus “Bênçãos do Templo: Na Terra e
“Oh, Falemos Palavras Amáveis”,
Conselheiros”, A Liahona, julho de na Eternidade”, A Liahona, maio
Hinos, nº 137.
1999, pp. 71–74. de 1999, pp. 42–45.
Lição 9: A Jovem como Dallin H. Oaks, “Bispo, Socorro!”, David E. Sorensen, “Templos
Pacificadora do Lar A Liahona, julho de 1997, pp. 23–26. Pequenos — Grandes Bênçãos”,
Erika DeHart, “A Lição Mais A Liahona, janeiro de 1999,
Lição 12: Bênçãos Paternas
Importante”, A Liahona, novembro de pp. 74–76.
Gordon B. Hinckley, “Palavras do
1999, p. 29.
Profeta Vivo”, A Liahona, junho de Lição 15: Casamento no Templo
Aurora Rojas de Álvarez, “A
1997, pp. 32–33. Richard G. Scott, “Receber as
Alegria de Seguir ao Senhor: Unidos
James E. Faust, “O que Significa Bênçãos do Templo”, A Liahona, julho
pelo Perdão”, A Liahona, outubro de
Ser uma Filha de Deus”, A Liahona, de 1999, pp. 29–31.
1999, pp. 44–48.
janeiro de 2000, pp. 120–124. David E. Sorensen, “A Trilha da
Lynn G. Robbins, “Arbítrio e Ira”,
S. Michael Wilcox, “Casamento: Lua de Mel”, A Liahona, outubro de
A Liahona, julho de 1998, pp. 89–90.
Uma Parceria Divina”, A Liahona, 1997, pp. 16–19.
“Luz Espanhai”, Hinos, nº 155.
setembro de 1997, pp. 8–9. Patricia E. McInnis, “Meu Tão
Lição 10: O Sacerdócio: Esperado Casamento no Templo”,
Lição 13: Bênçãos Patriarcais
Uma Grande Bênção A Liahona, abril de 1997, pp. 28–30.
Thomas S. Monson, “Sua Jornada
Gordon B. Hinckley, “Palavras do “As Famílias Poderão Ser Eternas”,
Celestial”, A Liahona, julho de 1999,
Profeta Vivo”, A Liahona, junho de Hinos, nº 191.
pp. 114–116.
1997, pp. 32–33.
Lição 16: Diários
Bruce C. Hafen, “Plantar
Promessas no Coração dos Filhos”,
A Liahona, junho de 1998, pp. 16–24.
Lição 17: Manter Registros da
História da Família
Russell M. Nelson, “Uma Nova
Colheita”, A Liahona, julho de 1998,
pp. 37–40.
“Um Trabalho de Amor”,
A Liahona, junho de 2000, pp. 26–31.
Dennis B. Neuenschwander, “Elos
e Recordações Eternas”, A Liahona,
julho de 1999, pp. 98–100.
Lição 18: Uma Herança de Boas
Tradições
Robert D. Hales, “Fortalecer as
Famílias: Nosso Dever Sagrado”,
A Liahona, julho de 1999, pp. 37–40.
Richard G. Scott, “Remover as
Barreiras à Felicidade”, A Liahona,
julho de 1998, pp. 95–97.
Lição 19: Preparar-se para Ensinar
Outras Pessoas
Gordon B. Hinckley,
“Testemunho”, A Liahona, julho de
1998, pp. 76–79.

A L I A H O N A
122
L. Tom Perry, “Receber a Verdade”,
A Liahona, janeiro de 1998, pp. 69–71. Presidência Geral das Auxiliares
F. Onyebueze Nmeribe, “Eles
Decidiram com Antecedência”, ESCOLA DOMINICAL
A Liahona, setembro de 1999, pp. 10–13.
“Chamados a Servir”, Hinos,
nº 166.
Lição 20: Compartilhar o Evangelho
James E. Faust, “A Importância de
Prestar Testemunho”, A Liahona,
março de 1997, pp. 2–6.
L. Tom Perry, “Aceitar o Desafio”,
A Liahona, setembro de 1999, Élder Neil L. Andersen Élder Marlin K. Jensen Élder John H. Groberg
Primeiro Conselheiro Presidente Segundo Conselheiro
pp. 44–47.
Darrin Lythgoe, “Testemunha de RAPAZES
Jesus Cristo”, A Liahona, dezembro de
1997, pp. 16–18.
“Avante, ao Mundo Proclamai”,
Hinos, nº 170.
Lição 21: Apoiar os Missionários
por Cartas
(Não há referências)
Lição 22: Aconselhar-se com Élder F. Melvin Hammond Élder Robert K. Dellenbach Élder John M. Madsen
Primeiro Conselheiro Presidente Segundo Conselheiro
o Senhor
Gordon B. Hinckley, “Não Temas, SOCIEDADE DE SOCORRO
Crê Somente”, A Liahona, outubro de
2000, pp. 26–29.
Yessika Delfin Salinas, “‘Orai por
Vossos Inimigos’”, A Liahona, setembro
de 2000, pp. 8–10.
“Como Posso Evitar que Minhas
Orações Sejam Repetitivas?” A
Liahona, junho de 1999, pp. 18–21.
“Ó Doce, Grata Oração”, Hinos, Irmã Virginia U. Jensen Irmã Mary Ellen Smoot Irmã Sheri L. Dew
nº 79. Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira
Lição 23: O Jejum Traz Bênçãos MOÇAS
Thomas S. Monson, “Construir Seu
Lar Eterno”, A Liahona, outubro de
1999, pp. 2–7.
Brigada Acosta de Pérez, “A Alegria
de Seguir ao Senhor: As Bênçãos do
Jejum”, A Liahona, outubro de 1999,
pp. 44–48.
Lorenzo Presença, “Nosso Primeiro
Jejum em Família”, A Liahona, junho Irmã Carol B. Thomas Irmã Margaret D. Nadauld Irmã Sharon G. Larsen
de 1999, A12–13. Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira

Lição 24: A Revelação na Vida PRIMÁRIA


Diária
Boyd K. Packer, “Revelação Pessoal:
O Dom, o Teste e a Promessa”,
A Liahona, junho de 1997, pp. 8–14.
“Como Receber Revelação Pessoal”,
A Liahona, setembro de 2000, p. 25.
“Deus Fala a Seus Filhos por meio
de Revelação Pessoal”, A Liahona,
maio de 1999, p. 25. Irmã Sydney S. Reynolds Irmã Coleen K. Menlove Irmã Gayle M. Clegg
“Santo Espírito de Deus”, Hinos, Primeira Conselheira Presidente Segunda Conselheira
nº 80. 

J A N E I R O D E 2 0 0 1
123
dos 900 lugares de seu anfiteatro, a
Notícias da Igreja congregação ocupou completamente
o Tabernáculo, o Assembly Hall e as
salas do Centro de Visitantes Norte e
Cerimônia de Colocação da Pedra do Edifício Memorial Joseph Smith,
espalhando-se pelos jardins da Praça
Angular Faz Parte da Dedicação do do Templo e proximidades. Outras
Centro de Conferências milhares de pessoas participaram da
conferência via Internet e via satélite

A dedicação do Centro de
Conferências no domingo, dia
8 de outubro, incluiu a cerimônia de
aço inoxidável e colocada com ante-
cedência dentro da caixa da pedra
angular, continha diversos objetos,
em seu próprio lar ou nas capelas da
Igreja em todo o mundo. 

colocação da pedra angular que foi inclusive uma combinação tríplice


dirigida pelo Presidente Gordon B. assinada pela Primeira Presidência, a Mudanças na
Hinckley no sudeste do edifício, cer- réplica de uma pequena colméia fei- Presidência dos
ca de uma hora antes da sessão mati- ta da mesma nogueira de que foi
nal da conferência. feito o púlpito do Centro de Setenta e na
As pessoas que se encontravam,
às 8h45 da manhã, do lado de fora,
Conferências, informações a respeito
dos desenhos das treliças, um capa-
Presidência da
próximo à entrada sudeste do edifí- cete protetor utilizado durante a Escola Dominical
cio, surpreenderam-se no momento construção do edifício, a edição de
em que os membros da Primeira
Presidência, o Quórum dos Doze
Apóstolos, o Presidente Sênior dos
abril e de outubro de 2000 das revis-
tas da Igreja e fotografias do primeiro
participante a chegar com um convi-
O s membros da Igreja apoiaram
as mudanças ocorridas na
Presidência dos Setenta, Quóruns
Quóruns dos Setenta, o Bispo te para assistir à conferência geral no dos Setenta e na presidência geral da
Presidente e a presidência geral da Centro de Conferências. Escola Dominical durante a sessão
Sociedade de Socorro, Moças e “Declaramos o Centro de Con- da tarde de sábado da conferência
Primária chegaram para participar ferências completo e acabado. Deus geral de 7 de outubro de 2000.
da cerimônia. A multidão ouvia em abençoe este grande e maravilhoso O Élder Harold G. Hillam foi de-
silenciosa reverência a explicação do edifício”, disse o Presidente Hinckley sobrigado da Presidência dos Setenta
Presidente Hinckley de que a pedra após os líderes terem aplicado arga- e está agora servindo na Presidência
angular representa simbolicamente o massa ao redor da pedra angular. da Área Europa Oeste. Os Élderes F.
Senhor Jesus Cristo, que é a pedra Cerca de 30.700 pessoas assistiram Enzio Busche, Loren C. Dunn e
angular da Igreja. à sessão da manhã. Além dos 21.000 Alexander B. Morrison, do Primeiro
Uma cápsula do tempo, feita em lugares do Centro de Conferências e Quórum dos Setenta, receberam o tí-
tulo de membros eméritos. Quatro
O Presidente Hinckley, na companhia do Presidente James E. Faust, membros do Segundo Quórum dos
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência, e o Presidente Thomas S. Setenta foram desobrigados: Os Élde-
Monson, Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência, prepara-se para res Eran A. Call, W. Don Ladd, James
aplicar argamassa à pedra angular do Centro de Conferências. O. Mason e Richard E. Turley Sr.
O Élder Dennis B. Neuen-
schwander foi chamado para servir
na Presidência dos Setenta.
O Élder Hillam foi também deso-
brigado da presidência geral
da Escola Dominical juntamente
com seus conselheiros: o Élder Neil
L. Andersen e o Élder John H.
Groberg. O Élder Marlin K. Jensen,
da Presidência dos Setenta, foi
apoiado como presidente geral da
Escola Dominical, tendo sido cha-
mados novamente o Élder Andersen
como primeiro conselheiro e o Élder
Groberg como segundo conselheiro.
Foram desobrigados vinte Setentas-
Autoridades de Área, e apoiados dois
novos líderes. 

A L I A H O N A
124
82.600 convidados participaram da
visitação (realizada de 29 de agosto
a 23 de setembro, todos os dias com
exceção dos domingos) que recebeu
ampla cobertura da imprensa. Uma
estação local de rádio e jornal cria-
ram a primeira visita ao templo on-
FOTOGRAFIA DE JEFFREY D. ALLRED, CORTESIA DO CHURCH NEWS

line, incluindo uma narração e


fotografias do interior do templo.
Devido a uma ação judicial movi-
da por alguns moradores locais que
se opuseram à proposta da constru-
ção de uma torre no templo, este foi
dedicado sem a torre. Entretanto,
em uma coletiva de imprensa reali-
zada na véspera da dedicação, o
Presidente Hinckley expressou oti-
mismo em relação ao assunto:
“Gostaríamos que houvesse uma
torre aqui agora. Lamento que não a
Construído no alto de uma colina, o Templo de Boston foi projetado no tenhamos. Mas, ficaremos sem ela
estilo arquitetônico típico da Nova Inglaterra. até que saia o resultado do proces-
so”, disse ele. “Enquanto isso, ire-
mos adiante com a realização das
É Alcançado “um Marco na História ordenanças nesta casa sagrada.”
Nas semanas que antecederam a
da Igreja”: 100 Templos dedicação do Templo de Boston, o
Presidente Gordon B. Hinckley de-

O Presidente Gordon B. Hinckley


dedicou, em quatro sessões no
dia 1º de outubro de 2000, o Templo
gratidão. Agradecemos a Ti por
Tuas maravilhosas e influentes ações
que tornaram isso possível”.
dicou quatro outros templos em di-
ferentes locais das Américas.

de Boston Massachusetts, o 100º O Presidente Hinckley estava TEMPLO DE CARACAS VENEZUELA


templo da Igreja em funcionamento. acompanhado pelo Presidente Boyd O Templo de Caracas Venezuela,
Na oração dedicatória, ele disse: K. Packer, Presidente Interino o primeiro construído no país, foi
“Deus Pai, ( . . . ) em humildade e do Quórum dos Doze Apóstolos, e dedicado em quatro sessões no
solene reverência, prostramo-nos pelo Élder Neil L. Andersen, dos dia 20 de agosto de 2000. “Oramos
diante de Ti neste dia histórico. Setenta, Primeiro Conselheiro na por esta grande nação que é a
Estamos reunidos para dedicar a Presidência da Área América do Venezuela”, disse o Presidente
Tua casa santa. Esta é uma ocasião Norte Nordeste. Hinckley na oração dedicatória.
especial. Este templo é o 100º tem- “Este é um marco na história da “Que ela ocupe o seu lugar entre as
plo de Tua Igreja em funcionamento. Igreja”, disse o Presidente Hinckley nações soberanas da Terra. Que seu
Aguardávamos ansiosamente por durante a dedicação do templo que povo seja abençoado e prospere.
este momento. Oramos por este dia. indica a realização de uma meta que Que usufruam da liberdade de ado-
Estendemos os nossos agradecimen- ele mesmo havia estabelecido du- rar a Ti sem restrições. Abençoa os
tos a todos aqueles que trabalharam rante a conferência geral de abril de líderes da nação com sabedoria e
fervorosa e diligentemente, muitas 1998, quando disse que, até o final entendimento e grande desejo de
vezes em meio a grandes dificulda- do ano 2000, haveria 100 templos atender às necessidades do povo.”
des, para realizar o milagre da con- da Igreja em funcionamento. O Presidente Hinckley estava
clusão deste templo. Cerca de 16.800 membros partici- acompanhado dos Élderes M. Russell
Para nós, este é um verdadeiro param das sessões dedicatórias do Ballard, do Quórum dos Doze
milagre. A terra sobre a qual ele foi Templo de Boston. Outras milhares Apóstolos, e Robert J. Whetten, dos
edificado, a preparação dele para es- assistiram à transmissão da cerimônia Setenta, Presidente da Área América
te dia e a decisão de construí-lo aqui via satélite às capelas localizadas no do Sul Norte.
— são todos milagres para aqueles distrito do templo. A visitação ao templo, realizada
que fizeram parte desse processo. A dedicação do 100º templo fez no dia 5 e entre 7 e 12 de agosto,
O templo está agora pronto para mais do que concentrar a atenção contou com a participação de
os propósitos para os quais foi cons- dos membros locais da Igreja e de 27.806 pessoas. “Muitas saíam do
truído. Expressamos nossa imensa muitos outros em todo o mundo; templo em lágrimas”, disse Jorge

J A N E I R O D E 2 0 0 1
125
Desde que a primeira estaca foi
organizada em Houston em 1953, a
Igreja teve um crescimento signifi-
cativo no sudeste do Estado do
Texas. Há atualmente 22 estacas so-
FOTOGRAFIA DE JASON SWENSEN, CORTESIA DO CHURCH NEWS

mente na área de Houston. “Hoje,


nossas estacas são tão fortes como as
de qualquer outro lugar”, diz
Sterling Pack, presidente de um ra-
mo local. O Templo de Houston tor-
nou possível aos membros, que
moram em suas proximidades e que
antes viajavam sete horas para che-
gar ao Templo de Dallas Texas, fre-
qüentá-lo assiduamente.

TEMPLO DE BIRMINGHAM ALABAMA


O Presidente Hinckley dedicou o
Aproximadamente 6.000 membros assistiram à dedicação do Templo de Templo de Birmingham Alabama em
Caracas Venezuela. quatro sessões no dia 3 de setembro
de 2000. Na oração dedicatória, ele
Alberto Ruiz, presidente da Estaca Primeiro Conselheiro na Presidência pediu: “Que a influência desta Tua
Caracas Venezuela Urdaneta. “Uma da Área América do Norte Sudoeste. casa se estenda à todo o grande dis-
mulher saiu do templo e perguntou: Ao todo, mais de 20.000 membros trito do templo. Que a Igreja cresça e
‘O que preciso fazer agora? Como assistiram às sessões. prospere aqui. Que aqueles que
posso tornar-me membro dessa A visitação ao templo (realizada ocupam posições no governo preo-
Igreja?’” entre os dias 5 e 22 de agosto, com cupem-se com o Teu povo. Deixa
Aproximadamente 6.000 mem- exceção dos domingos) contou com que o Teu Santo Espírito oriente
bros de todas as partes da Venezuela a participação de 110.000 pessoas. aqueles que são chamados para pre-
participaram da dedicação. ”Nunca Os convidados ficavam impressiona- gar o evangelho. Que eles procurem
vou esquecer de que o profeta veio dos com a beleza e espírito do novo e encontrem as pessoas que aceitarão
ao meu país para dedicar o templo”, templo; um exemplo é uma mulher a eterna verdade revelada nesta dis-
disse Carlos Ordeneta de Maracaibo, que entrou por engano no estacio- pensação da plenitude dos tempos.
Venezuela. Ele e outros membros de namento do templo e decidiu ficar Que todos os que se filiam à Igreja
Maracaibo viajaram 10 horas para para visitar o edifício. permaneçam fiéis e verdadeiros e
assistir à dedicação. ”O templo é a
melhor coisa que já aconteceu na O distrito do Templo de Houston abrange grande parte do Estado do Texas.
Venezuela.”

TEMPLO DE HOUSTON TEXAS


O Presidente Hinckley dedicou o
Templo de Houston Texas em oito
sessões nos dias 26 e 27 de agosto de
2000. “Que glorioso e perfeito é o
Teu plano para a salvação e exalta-
ção de Teus filhos de todas as gera-
ções! Que magnífica é nossa
obrigação de levar adiante esta gran-
diosa obra vicária em favor deles!”,
disse o presidente na oração dedica-
tória. “Abençoa as famílias da Igreja
com segurança e união ( . . . ). Que
elas sintam o Teu imenso amor.”
Na dedicação, o Presidente
Hinckley estava acompanhado dos
Élderes Jeffrey R. Holland, do
Quórum dos Doze Apóstolos, e
Richard J. Maynes, dos Setenta,

A L I A H O N A
126
Presidente da Área América do
Norte Sudeste, também participaram
das sessões dedicatórias. Cerca de
10.000 dominicanos e seus vizinhos
do Haiti, Porto Rico e outras ilhas
FOTOGRAFIA DE JULIE A. DOCKSTADER, CORTESIA DO CHURCH NEWS

reuniram-se para testemunhar a de-


dicação do templo, o primeiro a ser
construído nas Antilhas.
“Este é o dia mais especial na his-
tória de nosso país”, disse Georgina
Rosario, uma jovem dominicana que
se filiou à Igreja há dez anos. Nosso
país e nossa família serão fortaleci-
dos pela influência do templo.”
A visitação ao templo foi realizada
diariamente, com exceção dos do-
mingos, de 26 de agosto a 9 de se-
tembro e atraiu cerca de 40.000
pessoas. Após conhecer o interior do
Cercado pelo verde, o novo Templo de Birmingham Alabama aguardava sua templo, um jornalista local disse: “No
dedicação que seria realizada na manhã do dia 3 de setembro de 2000. templo, tem-se a impressão de estar
em um outro mundo ( . . . ). Isso se
cresçam em maturidade e dignidade primeira recomendação para o tem- deve em maior parte às imagens de
para participar do sagrado trabalho plo do que nos últimos cinco anos”, Cristo expostas em todo o edifício.
realizado em Tua casa”. disse Richard D. May, presidente da Neste país, nada se compara a esse
Estavam com o Presidente Estaca Birmingham Alabama. “Os templo. Sua beleza não tem igual”.
Hinckley os Élderes David B. membros estavam entusiasmados. O Templo de Santo Domingo se-
Haight, do Quórum dos Doze Trabalharam com mais diligência na rá uma bênção muito importante
Apóstolos, e Gordon T. Watts, dos história de sua família. Durante a vi- para os membros de seu distrito, que
Setenta, Primeiro Conselheiro na sitação, vi muitos membros menos
Presidência da Área América do ativos aparecerem. Eles diziam: O Templo de Santo Domingo
Norte Sudeste. Aproximadamente ‘Estamos prontos para voltar a viver é freqüentado pelos membros da
5.000 membros da Igreja participa- o evangelho’.” República Dominicana, Porto Rico,
ram da dedicação. Haiti e outras pequenas ilhas
O novo templo e os membros da TEMPLO DE SANTO DOMINGO vizinhas.
Igreja no Estado do Alabama rece- REPÚBLICA DOMINICANA
beram atenção favorável por parte O Presidente Hinckley dedicou
da imprensa. Após participar da vi- o Templo de Santo Domingo
sitação (realizada no dia 19 e entre República Dominicana em quatro
21 e 26 de agosto) que recebeu sessões no dia 17 de setembro de
21.000 pessoas, o repórter de um 2000. “Querido Pai, olha com amor
jornal escreveu: “Ao entrar no local para os Teus filhos e filhas desta
sagrado, ( . . . ) os visitantes são re- ilha, que é uma nação, e das terras
cebidos de braços abertos. Na pare- que a cercam”, suplicou ele durante
de, há o retrato de Jesus Cristo com a oração dedicatória. “Faze com que
os braços abertos, como Se estivesse prosperem em seu trabalho para que
acolhendo os que entram no tem- tenham alimento à mesa e abrigo
plo”. Uma carta ao editor, escrita sobre a cabeça. Ao olharem para Ti,
por um morador de Birmingham e recompensa a sua fé e abre para eles
publicada em outro jornal, diz: “Nos a Tua mão providencial. Que en-
meus 70 anos vida, tive muitos vizi- contrem paz em meio aos conflitos e
nhos e posso afirmar que os mór- fé em meio as perturbações do mun-
mons são os melhores vizinhos que do. Abre as janelas do céu como
alguém pode ter”. prometeste e deixa as bênçãos der-
Os membros no distrito do tem- ramarem-se sobre eles.”
plo aguardavam ansiosamente pelo O Élder Henry B. Eyring, do
advento do templo. “No ano passa- Quórum dos Doze Apóstolos, e o Él-
do, realizei mais entrevistas para a der Richard D. Allred, dos Setenta,

J A N E I R O D E 2 0 0 1
127
inclui a República Dominicana, a presidência da antiga Área Europa Tadjiquistão, Turquia, Turcomenis-
Porto Rico, Haiti e outras pequenas Oeste preside agora a Área Europa tão, Ucrânia e Uzbequistão.
ilhas vizinhas. Limitações de ordem Central. A Presidência da Área O escritório da Área da Europa
econômica têm impedido esses Europa Leste continuará a presidir Central fica em Frankfurt, na
membros de freqüentar templos as áreas recém-demarcadas. Alemanha. Essa área abrange partes
mais próximos, nos Estados Unidos Uma mudança significativa rela- do norte e do centro da Europa,
e na Guatemala. cionada à redemarcação é a mudan- Oriente Médio e Egito. Inclui 20
A experiência de Roland Ciochy, ça do escritório da Área Europa missões, 34 estacas, 20 distritos e 37
membro do Ramo Jacmel na costa Leste de Frankfurt, na Alemanha, países: Albânia, Áustria, Bahrein,
sul do Haiti, é bastante característi- onde funcionava tanto o escritório Bósnia, Croácia, Chipre, Chipre
ca. “Sou membro da Igreja há 13 da Área Europa Leste quanto o da do Norte, República Tcheca,
anos e só agora poderei ir ao templo Área Europa Oeste, para Moscou, Dinamarca, Egito, Finlândia,
pela primeira vez”, disse ele.  na Rússia. Alemanha, Grécia, Hungria,
“A redemarcação realizada tem o Islândia, Irã, Iraque, Jordânia,
propósito de ajudar no desenvolvi- Kosovo, Kuweit, Líbano, Moldova,
Áreas da Igreja mento da Igreja no Leste Europeu e Montenegro, Holanda, Noruega,
na Europa São na Europa Central”, disse o Élder Omã, Polônia, Qatar, Romênia,
Jeffrey R. Holland, do Quórum dos Arábia Saudita, República Eslová-
Demarcadas Doze Apóstolos. “Na última década, quia, Eslovênia, Suécia, Suíça,
Novamente vimos o importante trabalho missio-
nário realizado e o crescimento da
Síria, Emirados Árabes Unidos e
Iêmen.

A Primeira Presidência e o
Quórum dos Doze Apóstolos
anunciaram recentemente a redemar-
Igreja no Leste Europeu e na Europa
Central, com oito missões na Rússia
e um templo já anunciado para
A Área Europa Oeste abrange
agora a Groenlândia e o Reino
Unido (que faziam antes parte da
cação dos limites das Áreas Europa Kiev, na Ucrânia”, acrescentou ele. Área Europa Norte); países do norte
Leste, Europa Oeste e Europa Norte. A Área Europa Leste não inclui da África como a Argélia, Líbia,
As três áreas recém-demarcadas cha- mais o norte da África, o Oriente Marrocos e Tunísia (que faziam an-
mam-se agora: Área Europa Leste, Médio e certas partes do centro da tes parte da Área Europa Leste);
Europa Oeste e Europa Central; o Europa. Ela agora abrange 13 mis- Bélgica, França, Itália, Luxemburgo,
termo “Área Europa Norte” não será sões e 25 distritos em 18 países: Portugal e Espanha. Essa área; que
mais utilizado. Armênia, Azerbaidjão, Belarus, inclui 24 missões, 66 estacas e 53
A Presidência do que era antes a Bulgária, Estônia, Georgia, Caza- distritos, tem sede em Solihull, na
Área Europa Norte é agora a quistão, Quirguistão, Letônia, Inglaterra, local onde ficava a antiga
Presidência da Área Europa Oeste; Lituânia, Macedônia, Rússia, Sérvia, sede da Área Europa Norte. 

A sede das áreas recém-


demarcadas fica em
Solihull, na Inglaterra;
Frankfurt, na Alemanha
O e Moscou, na Rússia.
IC
T
N
Â
L

Moscou
T
A

Solihull Área Europa


O

Frankfurt Oeste
N

Área Europa
EA

Central
OC

NEGRO R
MA
Área Europa
Leste
MAPA DE THOMAS S. CHILD

M ED
ITERR ÂNEO

A L I A H O N A
128