Você está na página 1de 1

A ARTE BARROCA

O estilo barroco e a Contra-Reforma


O termo barroco costuma designar o estilo artístico que floresceu na Europa entre o final
do Século 16 e meados do Século 18. O aparecimento dos ideais barrocos parece intimamente
ligado à Contra-Reforma Católica.
Apesar de ter sido um estilo internacional, percebemos sua maior força entre países
como a Itália, Espanha e Áustria, não tendo atingido muito os países protestantes como a
Inglaterra.
Regional, individual e subjetivo
Além disso, o barroco apresenta características regionais nas diferentes localidades em
que se desenvolveu. A personalidade forte de alguns artistas do período também é um grande
diferencial dentro desse estilo artístico que deixava campo aberto à subjetividade. Suas
principais características são a teatralidade das obras, o dinamismo, a urgência, o conflito e o
forte apelo emocional.
Na busca da emoção, para provocar o observador, o artista abusa da verossimilhança
das cenas retratadas, daí a importância também na observação da natureza.
O artista para atingir esses efeitos lança mão principalmente de cores, texturas, jogos de
luz e sombra, diagonais e curvas, bem como o domínio do uso do espaço. Os temas místicos e
os tirados da vida cotidiana são freqüentes no período.
Pintura, escultura e arquitetura entrelaçadas uma à outra
A questão da harmonia também é importante para o barroco. Entretanto, ela é vista
numa obra de forma diferente do renascimento. Para o renascentista, a harmonia do todo era
garantida por cada detalhe da obra em perfeito equilíbrio, cada detalhe separadamente como
um todo harmônico. Já para o barroco, a harmonia do conjunto é mais importante, a fusão
harmônica dos diferentes componentes de um trabalho. A harmonia individual pode ser
sacrificada em nome da harmonia do todo. Além disso, essa valorização da unidade geral,
entrelaçou muito a arquitetura com a escultura e com a pintura. O ideal das construções passou
a ser o do inter-relacionamento desses elementos, dialogando harmonicamente para o bem do
conjunto.
No geral, o Barroco é um clássico rebelde
O Barroco surgiu na Itália, aproveitando-se de alguns elementos renascentistas e
transformando-os. O renascimento italiano influenciou sobremaneira a arte posterior. Costuma-
se dizer que vivíamos o estilo renascentista de construção, por exemplo, quase até o Século
20, com a entrada em cena do modernismo.
O barroco também se inspira, em certo sentido, na arquitetura clássica. Mas recebe esse
nome pelos críticos do período (com o significado de grotesco) exatamente por não respeitar as
combinações e a utilização dos gregos e romanos. Apesar de utilizar-se de formas naturalistas,
não se pode dizer que seja uma mera continuação do renascimento.
O artista era religioso, mas independente da religião
A Espanha foi um dos países que mais desenvolveu esse estilo que se espalhou pela
Europa. Além disso, importante no período é o fato do mecenato sair das mãos da Igreja para
concentrar-se na aristocracia.
O homem barroco é um ser dividido, em conflito, repleto de energia e extremamente
místico. Os artistas da época expressavam essa energia e suas convicções espirituais em suas
obras.
Um bom exemplo disso é a figura de Bernini. Entretanto, Rubens é considerado um dos
maiores expoentes do movimento. O italiano Caravaggio também é extremamente importante,
com influência por várias partes da Europa.