Você está na página 1de 68

A I G R E J A D E J E S U S C R I S T O D O S S A N T O S D O S Ú LT I M O S D I A S ■ O U T U B R O D E 20 01

A LIAHONA
A I G R E J A D E J E S U S C R I S T O D O S S A N T O S D O S Ú LT I M O S D I A S ■ O U T U B R O D E 20 01

A LIAHONA
SUMÁRIO
2 MENSAGEM DA PRIMEIRA PRESIDÊNCIA: GARANTIAS DE UM LAR FELIZ
PRESIDENTE THOMAS S. MONSON
25 MENSAGEM DAS PROFESSORAS VISITANTES: SEGURANÇA EM GUARDAR
CONVÊNIOS DIVINOS
26 A OBRA MISSIONÁRIA E A EXPIAÇÃO ÉLDER JEFFREY R. HOLLAND
44 VOZES DA IGREJA: VIVER A AVENTURA
NA CAPA UM TESOURO DE AMOR ROMY BAZALAR COTERA
Fotografia de Jerry Garns. Primeira APANHADA DE SURPRESA WANG SHU-CHUAN
Capa: Missionários em Barcelona, “DÊEM-NOS UMA BÊNÇÃO!” LESLY AUGUSTO TOBAR CORREA
Espanha. Última Capa: Missionários
em Honduras. 48 COMO UTILIZAR A LIAHONA DE OUTUBRO DE 2001

E S P E C I A L M E N T E PA R A O S J O V E N S
10 PROFETAS MODERNOS FALAM SOBRE O TRABALHO MISSIONÁRIO
12 SUA MISSÃO: UMA AVENTURA ESPIRITUAL ÉLDER DAVID B. HAIGHT
17 PERGUNTAS E RESPOSTAS: COMO POSSO AJUDAR MEUS AMIGOS
A COMPREENDEREM POR QUE QUERO SERVIR NUMA MISSÃO?
20 É O SEU CHAMADO BARBARA JEAN JONES
24 PREPARAR-SE
CAPA DE O AMIGO 33 PÔSTER: SER O MELHOR
Uma das maneiras de preparar-se
para a missão é guardando 34 O PASSO MAIS IMPORTANTE F. DAVID STANLEY
dinheiro. Ver “Posso Ser
Missionário Já!”, à página 8. 38 NO CTM MARVIN K. GARDNER

VER PÁGINA 34
O AMIGO
2 DE UM AMIGO PARA OUTRO: ÉLDER WAYNE M. HANCOCK
4 HISTÓRIAS DO NOVO TESTAMENTO: FAZER A VONTADE DO PAI NA TERRA;
JESUS ALIMENTA 5.000 PESSOAS
8 POSSO SER MISSIONÁRIO JÁ! CORLISS CLAYTON
10 MÚSICA: ELIAS ENSINOU A VERDADE VANJA Y. WATKINS
12 TEMPO DE COMPARTILHAR: BÊNÇÃOS PROMETIDAS DIANE S. NICHOLS
14 NÃO HAVIA TOUROS NA VALA SHEILA R. E FRANCIS M. WOODARD

VER PÁGINA 38
COMENTÁRIOS

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Outubro de 2001, Vol. 25, Nº 10
A LIAHONA, 21990 059
Publicação oficial em português de A Igreja de
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
A Primeira Presidência: Gordon B. Hinckley,
Thomas S. Monson, James E. Faust
Quórum dos Doze: Boyd K. Packer, L. Tom Perry,
David B. Haight, Neal A. Maxwell, Russell M. Nelson,
Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard, Joseph B. Wirthlin,
Richard G. Scott, Robert D. Hales, Jeffrey R. Holland,
Henry B. Eyring
Editor: Dennis B. Neuenschwander
Consultores: J. Kent Jolley, W. Rolfe Kerr,
Stephen A. West
Administradores do Departamento de Currículo:
Diretor Gerente: Ronald L. Knighton
Diretor de Planejamento e Editorial: Richard M. Romney
Diretor Gráfico: Allan R. Loyborg
Equipe Editorial:
Editor Gerente: Marvin K. Gardner
Editor Adjunto: Roger Terry
Editor Assistente: Jenifer Greenwood
Editor Associado: Susan Barrett CONTEÚDO MORAL DA LIAHONA EXEMPLOS DE FÉ E DEVOÇÃO
Assistente de Publicações: Collette Nebeker Aune
Equipe de Diagramação: Há algum tempo recebo a Liahona (ita- Por intermédio de A Liahona (portu-
Gerente Gráfico da Revista: M. M. Kawasaki
Diretor de Arte: Scott Van Kampen liano) de alguns amigos santos dos últimos guês), conhecemos os membros da Igreja
Diagramador Sênior: Sharri Cook
Diagramadores: Thomas S. Child, Randall J. Pixton dias. Gosto muito de lê-la. Há mensagens em todo o mundo. Apesar de nossas dife-
Gerente de Produção: Jane Ann Peters
Produção: Reginald J. Christensen, Denise Kirby, muito bonitas de um bom conteúdo moral, renças acadêmicas, sociais e culturais,
Kelli Pratt, Rolland F. Sparks, Kari A. Todd,
Claudia E. Warner especialmente no que diz respeito a valores podemos ver como o conhecimento e tes-
Pré-Impressão Digital: Jeff Martin
Equipe de Impressão e Distribuição:
familiares. Acho que os artigos são bons temunho do evangelho de Jesus Cristo têm
Printing Diretor: Kay W. Briggs para todos nós, qualquer que seja nossa influência na vida de cada um deles. Seus
Gerente de Distribuição (Assinaturas): Kris T. Christensen
A Liahona: religião. exemplos de fé e devoção, por sua vez, in-
Diretor Responsável e Produção Gráfica:
Dario Mingorance
Vincenzo Cerceo, fluenciam positivamente nossa vida.
Editor: Luiz Alberto A. Silva (Reg. 17.605)
Tradução e Notícias Locais: Dario Mingorance
Assinaturas: Cezare Malaspina Jr. Um amigo da Igreja em Trieste, Itália Leonilda Venturini,
REGISTRO: Está assentado no cadastro da DIVISÃO DE Ala Matão,
CENSURA DE DIVERSÕES PÚBLICAS, do D.P.F., sob nº
1151-P209/73 de acordo com as normas em vigor. DEUS TRAÇOU O DESENHO Estaca Campinas Brasil Castelo
ASSINATURAS: Toda correspondência sobre assinaturas
deverá ser endereçada a: Departamento de Assinaturas Quando passamos por provações difí-
de A Liahona Caixa Postal 26023, CEP 05599-970 –
São Paulo, SP. Preço da assinatura anual para o Brasil: ceis, só uma coisa realmente conta: ter a fé, UMA CONEXÃO COM TUDO O QUE É BOM
R$ 18,00. Preço do exemplar em nossa agência:
R$ 1,80. Para Portugal – Centro de Distribuição a vontade e a força de seguir a Deus. Quando fui batizado em 1976 em
Portugal, Rua Ferreira de Castro, 10 – Miratejo, 2800 –
Almada. Assinatura Anual: 1.300$00. Para o exterior: Jó submeteu-se a Deus. Em meio às pro- Córdoba, Argentina, comecei a colecionar
Exemplar avulso: US$ 3.00; Assinatura: US$ 30.00.
As mudanças de endereço devem ser comunicadas vações, ele aprendeu a conhecer-se e a co- a Liahona (espanhol). Apesar de minha vi-
indicando-se o endereço antigo e o novo.
nhecer a Deus. O propósito de Deus era de da ter-me levado a diferentes lugares, nun-
Envie manuscritos e perguntas para:
Liahona, Floor 24, 50 East North Temple, Salt Lake City, abençoá-lo no final. Ele o curou, restau- ca fiquei sem minhas revistas de que tanto
UT 84150-3223, USA. Ou envie um e-mail para:
CUR-Liahona-IMag@ldschurch.org rou-lhe tudo e devolveu-lhe todas as coisas gosto. As Liahonas contêm respostas da
A “Liahona” (um termo do Livro de Mórmon que
significa “bússola” ou “orientador”) é publicada em que havia perdido. mesma forma como as escrituras. Nas vá-
albanês, alemão, armênio, búlgaro, cebuano, chinês,
coreano, dinamarquês, esloveno, espanhol, estoniano, Deus trabalha como se nossa vida fosse rias fases de minha vida e de meus diversos
fijiano, finlandês, francês, haitiano, hiligaynon,
húngaro, holandês, ilokano, indonésio, inglês, islandês, um bordado. Só vemos o avesso — os nós chamados e designações, sempre pude re-
italiano, japonês, letão, lituano, malgaxe, marshallês,
mongol, norueguês, polonês, português, quiribati, e as linhas cortadas. Ele tem uma visão correr à Liahona para encontrar consolo,
romeno, russo, samoano, sueco, tagalo, tailandês,
taitiano, tcheco, tonganês, ucraniano e vietnamita.
de todo o trabalho, traçou o desenho e in- orientação, inspiração, material de apoio às
(A periodicidade varia de uma língua para outra.) cluiu as linhas pretas que realçam as cores minhas aulas, dádivas missionárias e com-
© 2001 por Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos
reservados. Impressa nos Estados Unidos da América. vibrantes. panheirismo. Agradeço por ela ser minha
For readers in the United States and Canada:
October 2001 Vol. 25 No. 10. A LIAHONA (USPS Guy A. Madec, conexão com tudo que é bom.
311-480) Portuguese (ISSN 1044-3347) is published
monthly by The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, Ramo Evreux, Luisa Cecília Bonnet de Bamio,
50 East North Temple, Salt Lake City, UT 84150. USA
subscription price is $10.00 per year; Canada, $15.50 Distrito Caen França Ala Nueva Segovia,
plus applicable taxes. Periodicals Postage Paid at Salt Lake
City, Utah, and at additional mailing offices. Sixty days’ notice Estaca Barquisimeto Venezuela
required for change of address. Include address label from
a recent issue; old and new address must be included.
Send USA and Canadian subscriptions to Salt Lake
Distribution Center at address below. Subscription
help line: 1-800-537-5971. Credit card orders (Visa,
MasterCard, American Express) may be taken by phone.
(Canada Poste Information: Publication Agreement
#1604821)
POSTMASTER: Send address changes to Salt Lake
Distribution Center, Church Magazines, PO Box 26368,
Salt Lake City, UT 84126-0368.

O U T U B R O D E 2 0 0 1
1
MENSAGEM DA PRIMEIRA PRESIDÊNCIA

GARANTIAS
DE UM LAR FELIZ
Presidente Thomas S. Monson
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência

A
felicidade é o objetivo e o propósito de nossa É interessante notar que nossos pensamentos não se
existência; e também será o fim, caso sigamos o prendem ao fato de ter sido grande ou pequeno, situado
FOTOGRAFIA DO PRESIDENTE MONSON TIRADA POR DON BUSATH; À ESQUERDA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA 8 EYEWIRE, INC., 1998

caminho que nos leva até ela; e esse rumo é a numa vizinhança refinada ou decadente. Antes, deleita-
virtude, retidão, fidelidade, santidade e obediência a to- mo-nos nas experiências vividas em família. O lar é o la-
dos os mandamentos de Deus.”1 boratório de nossa vida, e o que nele aprendemos
Essa meta universal foi assim descrita pelo Profeta determina em grande parte como viveremos depois.
Joseph Smith. Era relevante na época; é relevante hoje. A sra. Margaret Thatcher, ex-primeira ministra da
Estando o rumo tão claramente traçado, porque então há Inglaterra, externou esta profunda filosofia: “A família é
tantas pessoas infelizes? Freqüentemente os cenhos fran- a célula mestra da sociedade. É um berçário, escola, hos-
zidos superam os sorrisos, e o desespero abafa a alegria. pital, centro de lazer, um lugar para refúgio e um lugar de
Vivemos tão aquém de nosso potencial divino. Alguns descanso. Ela engloba o todo da sociedade. Ela modela
deixam-se confundir pelo materialismo, enredam pelo nossas convicções; é a preparação para o resto de nossa
pecado, perdendo-se entre a multidão humana que pas- vida”.3
sa. Outros clamam como o convertido por Filipe em ou- “Lar é onde está o coração.” Na realidade, é preciso
tros tempos: “Como poderei [encontrar o caminho] se “muita experiência de vida para fazer de uma casa um
alguém me não ensinar?”2 lar”.4 “Lar, lar, doce, doce lar, ainda que seja humilde, não
A felicidade não consiste em regalar-se no luxo, que é há lugar como o lar.”5 Despertando do enlevo dessas re-
o conceito mundano de “boa vida”. Tampouco devemos cordações prazerosas, vemos lares em que os pais estão
procurá-la em locais distantes de nomes estranhos. A ausentes, os familiares adultos, a infância perdida.
felicidade encontra-se no lar. Vagarosamente somos forçados a encarar a verdade ina-
Todos nós nos lembramos do lar de nossa infância. pelável: Nós somos responsáveis pelo lar que formamos.
Precisamos fazê-lo com sabedoria, pois a eternidade não
Se realmente nos esforçarmos, nosso lar pode é uma jornada breve. Haverá calmaria e ventos, sol
tornar-se um pedacinho do céu na Terra. radiante e nuvens, alegria e pesar. Mas se realmente nos
O U T U B R O D E 2 0 0 1
3
À ESQUERDA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE WELDEN C. ANDERSEN; À DIREITA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE ROBERT CASEY
esforçarmos, nosso lar pode tornar-se Se estivermos ponderando
um pedacinho do céu na Terra. Os sobre como trazer o céu mais
pensamentos que colocamos na men- para perto de nosso lar,
te, as coisas que fazemos, a vida que podemos aprender com
levamos não só influenciam o sucesso o Senhor. Ele é o mestre
de nossa jornada terrena, mas traçam arquiteto. Ele ensinou-nos
o caminho para nossas metas eternas. como precisamos edificar.
Em 1995, a Primeira Presidência e o Conselho
dos Doze Apóstolos promulgaram uma proclamação ao o Pai Celeste, não têm nenhuma inibi-
mundo a respeito da família. Essa proclamação declara, ção em expressar a Ele os seus sentimentos, seus desejos,
entre outras coisas: “A felicidade na vida familiar é mais sua gratidão.
provável de ser alcançada quando fundamentada nos en- A oração familiar é o melhor inibidor do pecado e,
sinamentos do Senhor Jesus Cristo. O casamento e a fa- portanto, o mais benéfico provedor de alegria e felicida-
mília bem-sucedidos são estabelecidos e mantidos sob os de. O velho ditado continua válido: “A família que ora
princípios da fé, da oração, do arrependimento, do res- unida permanece unida”.
peito, do amor, da compaixão, do trabalho e de ativida- Nosso profeta, o Presidente Gordon B. Hinckley, de-
des recreativas salutares”.6 clarou: “Verdadeiramente feliz é o menino ou a menina,
O lar feliz pode ter a mais variada aparência. Alguns inclusive os que já são adolescentes, em cujo lar seja cos-
apresentam uma família numerosa com pai, mãe, irmãos tume orar em família pelas manhãs e à noite”.8
e irmãs vivendo juntos com amor. Outros consistem de Observemos juntos como uma típica família de santos
apenas pai ou mãe com um ou dois filhos, enquanto que dos últimos dias faz uma oração a Deus. O pai, a mãe e
outros, ainda, contam com um único ocupante. todos os filhos se ajoelham, abaixam a cabeça e fecham
Entretanto, existem características marcantes num lar fe- os olhos. Uma agradável atmosfera de amor, união e paz
liz, seja qual for o número ou tipo de seus componentes. enche a casa. Quando um homem ouve seu filhinho orar
Chamo essas características de “Garantias de um Lar pedindo que seu pai faça as coisas certas, acham que se-
Feliz”. São elas: ria difícil para esse pai honrar a oração de seu querido fi-
1. Um padrão de oração. lho? Quando uma adolescente ouve a querida mãe
2. Uma biblioteca de aprendizagem. suplicar para que a filha seja inspirada na escolha de suas
3. Um legado de amor. amizades e que se prepare para um casamento no templo,
4. Um tesouro de testemunho. não acham que essa filha procurará honrar aquela humil-
de e fervorosa prece de sua mãe, a quem ela ama tão pro-
UM PADRÃO DE ORAÇÃO fundamente? Se o pai, a mãe e todos os filhos oram
“A oração é o desejo sincero da alma, seja ele proferi- sinceramente para que os bons filhos da família vivam
do ou não expresso.”7 É tão universal a sua aplicação, tão dignamente a fim de que, no devido tempo, recebam um
benéfico o seu resultado, que a oração é a garantia pri- chamado para servir como embaixadores do Senhor nos
mordial de um lar feliz. Ouvindo a oração de uma crian- campos missionários da Igreja, não começamos a ver es-
ça, os pais também se achegam mais a Deus. Esses ses filhos chegando ao início da vida adulta com imenso
pequeninos, que ainda tão recentemente estiveram com desejo de servir como missionários?
A L I A H O N A
4
Ao oferecermos nossas orações familiares e pessoais, sua ampla poltrona de couro, respondeu sorrindo: “A
façamo-lo com fé e confiança Nele. Se algum de nós tem mesma fórmula que funcionou para você tem abençoado
sido vagaroso em dar ouvidos ao conselho de orar sem- a vida de minha família durante todos os anos de nosso
pre, não há melhor hora para começar do que agora mes- casamento”.
mo. Aqueles que sentem que a oração pode denotar A oração é o passaporte para o poder espiritual.
fraqueza física devem lembrar-se de que nenhum homem
está mais alto do que quando está ajoelhado para orar. UMA BIBLIOTECA DE APRENDIZAGEM
Estou casado com minha esposa Frances há 53 anos. A segunda garantia de um lar feliz se descobre quan-
Nosso casamento foi realizado no Templo de Salt Lake. O do ele se torna uma biblioteca de aprendizagem. Quer es-
celebrante, Benjamin Bowring, aconselhou-nos: “Posso tejamos nos preparando para formar nossa própria família
oferecer aos recém-casados uma fórmula para que qual- ou simplesmente ponderando sobre como tornar o céu
quer desavença que venham a ter não dure mais que um mais próximo de nosso lar atual, podemos aprender com
dia? Todas as noites, ajoelhem-se juntos ao pé da cama. o Senhor. Ele é o mestre arquiteto. Ele ensinou-nos como
Numa noite, irmão Monson, você profere a oração, em precisamos edificar.
voz alta, ajoelhado. Na noite seguinte, você, irmã Quando Jesus caminhou pelos poeirentos caminhos
Monson, profere a oração, em voz alta, ajoelhada. Posso das vilas e cidades do lugar que hoje reverentemente
garantir-lhes que qualquer mal-entendido que acontecer chamamos de Terra Santa e ensinou Seus discípulos às
durante o dia se desvanecerá enquanto orarem. margens do belo mar da Galiléia, Ele freqüentemente fa-
Simplesmente não conseguirão orar juntos sem que rete- lava por meio de parábolas, uma linguagem que as pes-
nham apenas os melhores sentimentos de um para com o soas compreendiam melhor. Freqüentemente Ele se
outro”. referia à edificação de um lar em relação à vida daqueles
Quando fui chamado para o Conselho dos Doze que O ouviam.
Apóstolos, há 38 anos, o Presidente David O. McKay, o Ele declarou: “Toda a cidade (. . .) dividida contra si
nono Presidente da Igreja, perguntou-me a respeito de mesma não subsistirá”.9 Mais tarde Ele advertiu: “Eis que
minha família. Contei-lhe então essa diretriz referente à minha casa é uma casa de ordem (. . .) e não uma casa de
oração e testifiquei de sua validade. Recostando-se em confusão”.10
O U T U B R O D E 2 0 0 1
5
Em uma revelação dada relaxante e inspirador sen-
por intermédio do Profeta tar-nos a sós com um bom

À DIREITA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE CRAIG DIMOND


Joseph Smith em Kirtland, livro.
Ohio, em 27 de dezembro de 1832, As crianças pequenas também
o Mestre aconselhou: “Organizai-vos; Nosso exemplo é digno de ser podem desfrutar do prazer de ouvir os
preparai todas as coisas necessárias e imitado? Será que vivemos pais lerem um livro para elas.
estabelecei uma casa, sim, uma casa de modo que nosso filho ou filha O Senhor aconselhou: “Nos me-
de oração, uma casa de jejum, uma possa dizer: “Quero ser como lhores livros buscai palavras de sabe-
casa de fé, uma casa de aprendizado, meu pai”, ou “Quero ser doria; procurai conhecimento, sim,
uma casa de glória, uma casa de or- como minha mãe”? pelo estudo e também pela fé”.15
dem, uma casa de Deus”.11 As obras padrão da Igreja são uma
Onde poderíamos encontrar uma planta mais adequada biblioteca de aprendizagem para nós e nossos filhos.
com a qual poderíamos construir de modo sábio e adequa- Há vários anos, levamos nossos netos a uma visita às
do? Essa casa deve atender às especificações de construção intalações tipográficas da Igreja. Ali, vimos a edição mis-
descritas em Mateus, sim, uma casa construída “sobre a ro- sionária do Livro de Mórmon saindo da linha de produ-
cha”12, uma casa capaz de suportar as chuvas da adversida- ção, impressa, encadernada e pronta para ser lida. Eu
de, as inundações da oposição, os ventos da dúvida que disse a meus netos: “O funcionário diz que vocês podem
estão sempre presentes em nosso mundo desafiador. pegar um exemplar do Livro de Mórmon para ser só seu.
Alguns poderiam perguntar: “Mas essa revelação foi Vocês escolhem o Livro de Mórmon, e ele será seu”.
dada para orientar a construção de um templo. Será que Cada um deles apanhou um exemplar e expressou seu
é relevante hoje?” amor pelo Livro de Mórmon.
Eu respondo: “O Apóstolo Paulo declarou: ‘Não sabeis Na verdade, não me recordo dos outros acontecimen-
vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus tos daquele dia, mas nenhum dos que estavam presentes
habita em vós?’”13 se esquecerá a expressão sincera do fundo do coração da-
Que o Senhor seja nosso guia para a família, sim, o lar, quelas crianças.
que edificamos. Lembremo-nos, como pais, que nossa vida poderá ser
Bons livros serão uma parte essencial de nossa biblio- o livro da biblioteca familiar que nossos filhos mais apre-
teca de aprendizagem. ciam. Nossos exemplos são dignos de serem seguidos?
Será que vivemos de maneira tal que um filho ou filha
Os livros podem proporcionar-nos um tesouro de sabedoria; possa dizer: “Quero ser como meu pai” ou “Quero ser co-
Os livros são a porta para um mundo de prazer; mo minha mãe”? Nossa vida não pode ser ocultada como
Os livros podem ajudar-nos a progredir e a melhorar; o conteúdo de um livro da estante protegido pela capa.
14
Os livros são nossos amigos. Vinde, leiamos. Nós, pais, somos na verdade um livro aberto.

A leitura é um dos genuínos prazeres da vida. Em nos- UM LEGADO DE AMOR


sa era de cultura massificada, quando tanta coisa que A terceira garantia de um lar feliz é o legado de amor.
encontramos é resumida, adaptada, adulterada, fragmen- Quando garotinho, eu adorava visitar a casa de minha
tada e reduzida à expressão mais simples, é mentalmente avó na Avenida Bueno, em Salt Lake City. Minha avó se
A L I A H O N A
6
mostrava sempre muito alegre de nos ver e dava-nos um tardes de domingo, meu pai me dizia: “Venha, Tommy, va-
abraço apertado. Sentado em seu colo, ficávamos ouvin- mos dar um passeio com o tio Elias”. Num velho
do enquanto ela lia para nós. Oldsmobile 1928, íamos até a rua Eighth West, onde, che-
Seu filho mais novo, meu tio Ray, e sua esposa moraram gando à casa do tio Elias, eu ficava aguardando no carro,
naquela mesma casa depois que minha avó faleceu. Em enquanto meu pai entrava. Pouco depois, ele voltava car-
uma visita a meu tio Ray, no ano passado, pouco antes de regando seu tio entrevado nos braços, como se fosse uma
ele falecer, notei que o hidrante no meio-fio pareceu-me frágil peça de porcelana. Eu então abria a porta do carro
muito pequeno em comparação ao tamanho que tinha e ficava observando com que delicadeza e carinho ele aco-
quando eu o escalava naqueles tempos tão distantes. A va- modava o tio Elias no banco da frente, para que tivesse
randa acolhedora continua a mesma, tranqüila e pacífica uma visão melhor, enquanto eu ia para o banco de trás.
como sempre. Na parede da cozinha havia um quadro bor- O passeio era curto, e a conversa limitada, mas, oh,
dado por minha tia. Seus dizeres continuam um mundo de que grande legado de amor! Meu pai nunca leu para mim
aplicação prática: “Escolhe teu amor; ama tua escolha”. a parábola do bom samaritano na Bíblia. Em vez disso, le-
Muito freqüentemente isso exige compromisso, perdão e vava-me com ele e com o tio Elias, no velho Oldsmobile,
talvez um pedido de desculpa. Precisamos estar sempre para um passeio pela estrada para Jericó.
empenhados em fazer de nosso casamento um sucesso. Se nosso lar transmitir um legado de amor, não tere-
Aparentemente pequenas mostras de amor são obser- mos de ouvir a reprimenda de Jacó registrada no Livro de
vadas pelos filhos, ao absorverem silenciosamente o Mórmon: “Haveis quebrantado o coração de vossas ter-
exemplo dos pais. Meu próprio pai, um tipógrafo, traba- nas esposas e perdido a confiança de vossos filhos, por
lhou dura e arduamente quase todos os dias de sua vida. causa de vossos maus exemplos diante deles; e os soluços
Estou certo de que no Dia do Senhor, ele teria gostado de do coração deles sobem a Deus contra vós”.16
simplesmente ficar em casa. Mesmo assim, visitava os Que nosso lar transmita um legado de amor.
membros idosos da família, procurando dar um pouco de
alegria à vida deles. UM TESOURO DE TESTEMUNHO
Um deles era seu tio, tão severamente atingido pela ar- A quarta garantia de um lar feliz é o tesouro do teste-
trite que não conseguia andar nem cuidar de si. Em certas munho. “A primeira e maior oportunidade de ensino na
O U T U B R O D E 2 0 0 1
7
À ESQUERDA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE JOHN LUKE; À DIREITA: ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE STEVE BUNDERSON
Igreja encontra-se no lar”17, observou a irmã Louden parecia tão per-
o Presidente David O. McKay. “O dida, tão só. “Não podem partir
verdadeiro lar mórmon é aquele em ainda. Tenho sentido tanta falta da
que, se chegasse a nele entrar, Cristo Igreja”. Subitamente, o alto-falante
18
gostaria de demorar-Se e descansar”. anunciou mais trinta minutos de
O que estamos fazendo para asse- Abramos as janelas de demora até a decolagem, devido
gurar que nosso lar se enquadre nes- nosso coração, para que todo a problemas mecânicos. A irmã
sa descrição? Não basta que só os pais membro da família se considere Louden sussurrou: “Minha oração
tenham forte testemunho. Os filhos bem-vindo e “em casa”. acaba de ser atendida”. Ela, então,
só podem amparar-se por pouco tem- perguntou-nos como poderia fazer
po na convicção deles. com que o marido se interessasse pelo evangelho.
O amor ao Salvador, a reverência pelo Seu nome, e Aconselhamos que o incluísse na aula da Primária do
um genuíno respeito mútuo proverão um solo fértil para Lar semanal, e se mostrasse um testemunho vivo do
que o testemunho germine e cresça. evangelho. Prometi que lhe mandaria uma assinatura
Aprender o evangelho, prestar testemunho, dirigir da revista para crianças Children’s Friend e auxílios adi-
uma família são raramente ou nunca processos simples. cionais para o ensino no lar. Aconselhamo-la a nunca
A jornada da vida tem por característica os solavancos na desistir quanto ao marido.
estrada, o mar agitado, que fazem parte da turbulência de Partimos de Mount Isa, cidade à qual nunca mais vol-
nossos tempos. tei. Sempre me lembrarei com carinho daquela dedicada
Há alguns anos, durante uma visita aos membros e mãe e seus queridos filhos despedindo-se com olhos ma-
missionários da Austrália, presenciei um sublime exem- rejados e um carinhoso aceno de gratidão e adeus.
plo de como um tesouro de testemunho pode abençoar e Vários anos depois, falando numa reunião de lide-
santificar um lar. O presidente da missão, Horace D. rança do sacerdócio em Brisbane, Austrália, ressaltei
Ensign, e eu estávamos fazendo a longa viagem de Sidney a importância do estudo e vivência do evangelho no
para Darwin, onde eu deveria dar início à construção lar, e de sermos exemplos da verdade. Compartilhei
de nossa primeira capela naquela cidade. No caminho, com os irmãos ali paresentes a história da irmã Louden
havia uma escala prevista numa cidade de mineração e o impacto de sua fé e determinação em mim.
chamada Mount Isa. Quando entramos no pequeno Concluindo, comentei: “Penso que jamais saberei se
aeroporto, fomos abordados por uma senhora acompa- o marido da irmã Louden chegou a filiar-se à Igreja,
nhada de duas crianças. Ela disse: “Sou Judith Louden, mas ele não poderia ter encontrado um modelo melhor
membro da Igreja, e esses são meus filhos. Imaginamos para seguir”.
que poderiam estar nesse vôo, por isso viemos para poder Um dos líderes ergueu o braço, depois se pôs de pé e
conversar com os irmãos durante sua breve escala”. declarou: “Irmão Monson, sou Richard Louden. A irmã
Explicou-nos que o marido não era membro da Igreja, e de quem falou é minha mulher. As crianças [sua voz em-
que ela e as crianças eram, na verdade, os únicos mem- bargou-se] são nossos filhos. Somos agora uma família
bros em toda aquela área. Compartilhamos lições e pres- eterna, graças em parte à persistência e paciência de mi-
tamos testemunho. nha querida esposa. Ela fez tudo”. Não houve uma só pa-
O tempo corria. Ao nos prepararmos para embarcar, lavra. O silêncio era interrompido apenas por fungadelas
A L I A H O N A
8
e soluços abafados, e marcado pela visão de lágrimas cor- 6. A Liahona, junho de 1996, pp. 10–11.
rendo de todos os olhos. 7. James Montgomery, “Prayer Is the Soul’s Sincere Desire”,
Hymns (1985), número 145.
Meus irmãos e irmãs, tomemos a decisão, sejam quais
8. “The Environment of Our Homes”, Tambuli, outubro–
forem nossas condições, de fazer de nossa casa um lar novembro de 1985, p. 5.
feliz. 9. Mateus 12:25.
Abramos as janelas de nosso coração, para que todo 10. D&C 132:8.
membro da família se considere bem-vindo e “em casa”. 11. D&C 88:119.
12. Mateus 7:25.
Abramos igualmente as portas de nossa própria alma,
13. I Coríntios 3:16.
para que o amado Cristo possa entrar. Lembrem-se des- 14. Emilie Poulsson.
ta promessa: “Eis que estou à porta, e bato: se alguém 15. D&C 88:118.
ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua 16. Jacó 2:35.
17. Priesthood Home Teaching Handbook, edição revisada
casa”.19
(1967), pp. ii–iii.
Quão bem-vindos havemos de nos sentir, quão alegre 18. Conference Report, outubro de 1947, p. 120; ou Gospel
será nossa vida quando Jesus for saudado pelas Ideals: Selections from the Discourses of David O. McKay (1953),
“Garantias de um Lar Feliz”: p. 169.
Um padrão de oração, 19. Apocalipse 3:20.
Uma biblioteca de aprendizagem,
Um legado de amor, IDÉIAS PARA OS MESTRES FAMILIARES
Um tesouro de testemunho. 1. As garantias de um lar feliz se aplicam a todas as fa-
Que nosso querido Pai Celestial nos abençoe na busca mílias, sejam grandes ou pequenas, e para aquelas com
de um lar assim feliz e uma família eterna.  um único membro.
2. A oração é o passaporte para o poder espiritual.
NOTAS 3. As obras padrão da Igreja são os “melhores livros”
1. Joseph Smith, Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, p. 249.
2. Atos 8:31. em que podemos procurar aprendizagem.
3. Nicholas Wood, “Thatcher Champions the Family”, London 4. Cuidar de familiares é um legado que devemos nos
Times, 26 de maio de 1988. esforçar para transmitir.
4. Edgar A. Guest, “Home”, in The Family Book of Best Loved
5. O amor ao Salvador, a reverência pelo Seu nome, e
Poems, org. por David L. George (1952), pp. 151–152.
5. John Howard Payne, “Mid Pleasures and Palaces”, Hymns um genuíno respeito mútuo proverão um solo fértil para
(1948), número 107. que o testemunho germine e cresça.
O U T U B R O D E 2 0 0 1
9
Profetas Modernos
Falam sobre o
Trabalho Missionário
Os missionários mostrados abaixo tornaram-se Presidentes
de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
Seguem-se algumas de suas experiências e testemunhos
relacionados ao trabalho missionário.

JOSEPH SMITH (1805–1844) Senhor tinha-me enviado para lá. Havia um povo que es-
JOSEPH SMITH, DE ALVIN GITTINS

Primeiro Presidente da Igreja tivera orando pela antiga ordem das coisas. Estavam es-
“Nossos missionários estão sendo en- perando o evangelho como tinha sido ensinado por
viados a diversos países, e na Alemanha, Cristo e Seus Apóstolos. Como resultado, nos primeiros
Palestina, Nova Holanda, Austrália e trinta dias após minha chegada naquele lugar, batizei
Índias Orientais, e em outros lugares, o seiscentas daquelas pessoas. Após oito meses de trabalho
Estandarte da Verdade foi erguido; ímpio algum poderá naquele país, eu trouxe oitocentas pessoas para a Igreja.
impedir o progresso desta obra; a despeito da fúria das Por quê? Porque havia um povo preparado para o evan-
perseguições, ajuntamento de populachos, reunião de gelho, e o Senhor enviou-me para realizar o trabalho”.
tropas, a despeito de calúnias, a verdade de Deus avan- (Deseret Weekly, 7 de novembro de 1896, p. 643; citado
çará sem temor, com nobreza e independência, até ter pe- em Howard W. Hunter, “Developing Spirituality”,
netrado cada continente, visitado todo clima, varrido Ensign, maio de 1979, p. 24.)
todos os países e soado em cada ouvido, até que os pro-
pósitos de Deus estejam cumpridos e o Grande Jeová te- GEORGE ALBERT SMITH (1870–1951)
nha dado a obra por terminada.” (History of the Church, Oitavo Presidente da Igreja
4:540) Enquanto servia na Missão dos
Estados do Sul, George Albert Smith
WILFORD WOODRUFF (1807–1898) aprendeu que o Senhor realmente prote-
Quarto Presidente da Igreja ge aqueles que O servem. Depois de pre-
Como missionário na Inglaterra, garem o evangelho em uma área rural, o Élder Smith e
Wilford Woodruff foi abençoado por sua cinco outros missionários foram acordados no meio da
obediência. Ele escreveu: “Perguntei ao noite pelos gritos de uma multidão furiosa que estava do
Senhor o que Ele queria de mim, e Ele lado de fora de sua casa. A multidão cercou a casa e co-
disse simplesmente: ‘Vá para o sul’. Entrei na diligência e meçou a atirar nela. O Presidente Smith escreveu mais
viajei 130 quilômetros. A primeira casa em que parei foi tarde: “Vimos lascas de madeira voando sobre nossa ca-
a de John Benbow, em Herefordshire. Meia hora depois beça, em todas as direções.(. . .) Não senti medo algum.
de ter entrado em sua casa, soube exatamente por que o Estava muito calmo em meu leito, passando pelos mais


horríveis acontecimentos de minha vida, mas tinha cer- Apostasia. Eu tinha falado sobre o Profeta Joseph Smith
teza de que enquanto estivesse pregando a palavra de e prestado meu testemunho de sua missão divina e da
Deus e seguindo Seus ensinamentos, o Senhor iria prote- veracidade do Livro de Mórmon. Depois da reunião, vá-
ger-me, como realmente o fez”. (A Story to Tell, 1945, rias pessoas procuraram os missionários e disseram:
pp. 155–156.) “Recebemos hoje um testemunho de que o mormonismo
é verdadeiro. Estamos prontos agora para pensar no ba-
DAVID O. MCKAY (1873–1970) tismo”. O Presidente Benson disse: “Foi enquanto estava
Nono Presidente da Igreja em minha primeira missão que descobri a necessidade
David O. McKay teve um testemu- constante de confiarmos no Senhor”. (“Our Commission
nho da veracidade do evangelho duran- to Take the Gospel to All the World”, Ensign, maio de
te sua missão na Escócia. Ele assistiu a 1984, p. 44.)
uma reunião do sacerdócio em que “to-
dos sentiram a forte influência do Espírito do Senhor”. GORDON B. HINCKLEY (1910–)
Relembrando mais tarde, ele escreveu: “Nunca havia Décimo Quinto Presidente da Igreja
sentido uma emoção como aquela. Era uma manifestação Durante a Grande Depressão
pela qual, quando jovem e cheio de dúvidas, eu tinha Econômica da década de 1930, quando
orado em segredo com muita sinceridade na montanha e poucos rapazes serviam numa missão,
no campo. Foi uma confirmação para mim de que a ora- Gordon B. Hinckley foi chamado para a
ção sincera é respondida ‘em seu devido tempo e lugar’”. Inglaterra. Pouco depois de sua chegada, ficou desanima-
Foi durante essa mesma conferência que o presidente de do e sentiu que estava desperdiçando seu tempo e o di-
missão do Élder McKay lhe disse: “Se permanecer fiel, nheiro de seu pai. Escreveu para o pai, que respondeu:
você ainda há de sentar-se nos [conselhos] governantes “Tenho apenas uma sugestão a fazer: Esqueça-se de si
da Igreja”. (“Two Significant Statements”, Deseret News, mesmo e trabalhe”. O Presidente Hinckley relembra:
27 de outubro de 1934, p. 8.) “Ajoelhei-me e fiz uma promessa ao Senhor. Fiz convênio
de que tentaria esquecer-me de mim mesmo e entregar-
EZRA TAFT BENSON (1899–1994) me totalmente ao Seu serviço. Aquele dia de julho de
Décimo Terceiro Presidente da Igreja 1933 foi um dia decisivo para mim. Uma nova luz ilumi-
O trabalho missionário era difícil na nou minha vida e uma nova alegria encheu-me o cora-
Inglaterra na década de 1920. Por isso, ção”. (“Taking the Gospel to Britain: A Declaration
quando o Élder Ezra Taft Benson e seu of Vision, Faith, Courage, and Truth”, Ensign, julho
companheiro receberam o convite para 1987, p. 7.)
falarem em uma reunião sacramental da qual participa- Anos depois, ele disse o seguinte sobre sua missão:
riam tanto membros quanto não-membros, eles jejuaram “Quão profundamente grato sou por isso. (. . .) Por meio
e oraram. “A sala estava repleta”, relembrou o Presidente dessa experiência adquiri a convicção e o conhecimen-
Benson, mais tarde. “Meu companheiro tinha planejado to de que esta é a obra viva e verdadeira de Deus, res-
falar sobre os primeiros princípios, e eu estudei ardua- taurada por meio de um profeta para a bênção de todos
mente, em preparação para falar sobre a Apostasia. aqueles que a aceitarem e viverem seus princípios”.
Havia um espírito maravilhoso na reunião. (. . .) Quando (“The Question of a Mission”, Ensign, maio de 1986,
me sentei, percebi que não havia mencionado a p. 40.) 

SUA MISSÃO:
UMA AVENTURA ESPIRITUAL
A missão é algo que vocês sempre
recordarão com carinho. Ela vale
qualquer sacrifício que se fizer necessário.
Élder David B. Haight
Do Quórum dos Doze Apóstolos

O grande propósito da obra missionária na Igreja é


convidar todos os habitantes da Terra a virem a
Cristo. Seis bilhões de pessoas em todo o mundo
estão esperando para ouvir a mensagem do evangelho res-
taurado. Nós somos o povo abençoado com o encargo e
Smith escreveu: “É a fé, e somente a fé, que constitui a
força motriz de todos os atos”. (Lectures on Faith [1985],
pp. 1–2) A fé, para ser salvadora, precisa estar centraliza-
da em Cristo e impelir as pessoas a obedecerem a Ele e se-
guirem Seu exemplo. Ao aceitar o chamado para servir, o
responsabilidade de transmitir tal convite e mensagem. missionário expressa fé suficiente para agir segundo suas
Todas as semanas, quase 800 recomendações de mis- crenças. Invariavelmente, os frutos serão bênçãos, con-
sionários chegam ao Departamento Missionário em Salt forme tantos ex-missionários podem testificar. A fé no
Lake City. Trata-se de uma mostra da fé e obediência de Salvador torna-se uma âncora para a alma.
rapazes e moças do mundo inteiro em resposta ao man- “Nem tenho palavras para traduzir a felicidade e alegria
damento dado pelo Salvador. que sinto ao aceitar este chamado para servir. Estou prepara-
Não muito depois de o presidente da estaca ou da mis- do e disposto a dedicar dois anos de minha vida à pregação do
são recomendar um missionário em perspectiva, chega evangelho.”
pelo correio aquela carta tão esperada: o chamado Na carta de aceitação, muitos missionários escrevem:
missionário. “Aceito com profunda gratidão meu chamado para ser-
Dentro do envelope vem uma carta que a princípio vir”. No entanto, às vezes me pergunto quantos missio-
poderia até passar despercebida. É a Aceitação do nários se dão conta de todas as implicações do verbo
Chamado Missionário. Trata-se de um formulário no aceitar. Significa receber de bom grado algo oferecido;
qual o missionário, dirigindo-se à Primeira Presidência, responder favoravelmente; considerar certo e adequado.
aceita formalmente seu chamado. O missionário tem 15 Significa também ser admitido a um grupo ou comunidade.
linhas para externar seus sentimentos relativos à oportu- No que tange ao evangelho, pressupõe submissão à vonta-
nidade singular de servir ao Senhor. Recomenda-se que de do Senhor e determinação para seguir o profeta, que
as cartas sejam manuscritas, breves e diretas. Contudo, emite o chamado. O “chamado” missionário exige o com-
essas poucas palavras têm uma importância e significado promisso de servir ao Senhor de todo o coração, poder,
profundos. Por detrás de cada carta há uma história ins-
piradora de fé e coragem. Partir para o campo missionário, como muitos de
FOTOGRAFIA DE SCOTT WELTY

“Meu Salvador abençoou-me mais do que eu poderia ima- vocês sabem, envolve muitas das mesmas emoções
ginar. Deu a própria vida por mim. O mínimo que posso sentidas ao embarcarmos numa aventura radical:
fazer é dedicar-Lhe dois anos de minha vida.” entusiasmo, uma dose de ansiedade e talvez até
As cartas costumam trazer declarações de fé no uma pontinha de medo. No trabalho missionário,
Salvador e gratidão por Seu sacrifício. O Profeta Joseph damos um passo no escuro.
A L I A H O N A
12
mente e força. A “designação” para a missão significa servir
no campo de trabalho designado. A carta de aceitação
mostra a disposição de aceitar tanto o chamado quanto a
designação conforme a vontade do Senhor.
“A preparação para a missão foi uma longa batalha.
Depois de decidir servir como missionário, levei quase um ano
e meio para superar alguns problemas de conduta.”
Algumas cartas descrevem longos períodos de arre-
pendimento — experiências como as de Alma, que ficou
“atormentado” e “perturbado pela lembrança de tantos
pecados”. (Alma 36:17) Felizmente, relatam também a
“[bela] e doce” alegria que provém do arrependimento e
do perdão. (Ver Alma 36:21.)
O Senhor dá a Seus missionários o mandamento de
serem puros: “Purificai o coração diante de mim; e depois
ide por todo o mundo e pregai meu evangelho a toda
criatura que não o tiver recebido”. (D&C 112:28) Os po-
deres sagrados que estão ao alcance daqueles que são
“[ordenados] por Deus e [enviados]” só podem ser exer-
cidos por quem for “purificado e lavado de todo pecado”.
(Ver D&C 50:26–28.)
A Primeira Presidência declarou: “O serviço missioná-
rio de tempo integral é um privilégio, não um direito, para
aqueles que são chamados por inspiração pelo Presidente
da Igreja. O serviço missionário, literalmente, é um servi-
ço prestado ao Senhor e Sua Igreja. Seu objetivo primor-
dial não é o desenvolvimento de um missionário
individualmente, apesar de que o serviço digno invariavel-
mente produz esse resultado”. (Carta, 12 de dezembro de
2000) Os líderes do sacerdócio receberam diretrizes espe-
cíficas para certificarem-se de que os missionários estejam
espiritual, física, emocional e moralmente qualificados pa-
ra o trabalho. É um desserviço para o Senhor, a Igreja e o
missionário em perspectiva emitir um chamado quando
não tiverem sido preenchidos os requisitos.
Somos gratos aos muitos rapazes e moças cuja vida
digna permite-lhes receber o chamado para a missão.
Temos profunda gratidão por aqueles que se arrependem
e provam da doce alegria da Expiação. Incentivamos a
todos os que não puderem servir por motivos físicos,
FOTOGRAFIA DE JED A. CLARK

Minha própria fé é continuamente fortalecida por


aqueles que aceitam o chamado de servir a Deus,
que permitem que seu amor ao Senhor exceda seus
temores e que se submetem de boa vontade ao
chamado de nosso profeta vivo.
A L I A H O N A
14
emocionais ou de outra natureza a buscarem outras opor-
tunidades para fazerem-no, conforme sugestões dos pais
ou líderes da Igreja.
E ncontra-se abaixo o que alguns missionários
dizem atualmente no campo acerca de sua
decisão de servir.
“A decisão de ir para o campo missionário não foi fácil.
Minha paixão pelo beisebol foi um grande obstáculo.” ÉLDER VICTOR MANUEL ESPINOZA SÁNCHEZ,
Numerosas cartas de aceitação mencionam o sacrifí- DE ABANCAY, PERU
cio. O rapaz citado acima estava prestes a realizar o so- “Antes da missão, faltava apenas um ano para
nho acalentado desde a infância de jogar beisebol numa terminar meu curso de medicina na universidade.
equipe universitária e depois possivelmente como profis- Quando disse a meus amigos que iria partir por
sional, iniciando uma carreira promissora. Contudo, de- dois anos, eles tentaram dissuadir-me. Em meu
pois de meditar e orar intensamente, a resposta veio de coração, porém, eu sabia que chegara a hora de
maneira inequívoca: ele deveria servir ao Senhor. Uma servir como missionário. Sou grato pela decisão
vez tomada a decisão, suas prioridades na vida definiram- que tomei e sei que não estou desperdiçando meu
se e aclararam-se. tempo.”
O Profeta Joseph Smith declarou: “É por meio do sa-
crifício de todas as coisas terrenas que os homens passam SÍSTER YI YI TAM, DE HONG KONG
a saber verdadeiramente que estão fazendo o que é agra- “Disse a meus amigos e amigas em Hong Kong
dável aos olhos de Deus”. (Lectures on Faith, p. 69) A que a missão significa falar com outras pessoas,
perspectiva de abrir mão de algo que muito prezamos po- de modo que possam saber mais a respeito de
de ser difícil, até mesmo dolorosa. No entanto, o Senhor Jesus Cristo. Aí me perguntaram: “por que as
recompensa generosamente qualquer sacrifício. pessoas precisam saber mais acerca de Jesus
Os missionários em perspectiva escrevem com bastan- Cristo?” Minha resposta foi: “porque Ele deseja
te freqüência sobre a experiência de renunciar a um que sejamos felizes, muito felizes.”
carro desejado, à namorada, à música, a um emprego
vantajoso e tantas outras coisas. Muitos permitem que ÉLDER JUSTIN MICHAEL COLLINGS, DE PROVO,
esses tesouros do mundo os ceguem a ponto de não en- UTAH, USA
xergarem as oportunidades espirituais e afastarem-se de “Nunca deixo de ficar admirado, fascinado,
sua missão preordenada. Por outro lado, ficamos sempre edificado e inspirado quando aprendo sobre o
surpresos e gratificados com aqueles que deixam tudo pa- Profeta Joseph Smith, o qual ‘fez mais pela salva-
ra trás a fim de servirem ao Senhor. ção dos homens neste mundo do que qualquer
“Há apenas dois anos, minha vida não tinha propósito al- outro homem que jamais viveu nele’. (D&C
gum. Ao andar na rua, eu tinha medo até de que as pessoas 135:3) Trata-se de um testemunho muito forte
me dirigissem a palavra, mesmo que só para me cumprimen- que prestamos do Irmão Joseph, mas a obra do
tar. Foi assim até que dois missionários me ajudaram a en- reino de Deus nos últimos dias é um trabalho de
contrar o amor de Cristo. Vou achar pessoas com os mesmos peso. Podemos testificar que Jesus é o Filho do
sentimentos que tanto me afligiam e desejo mostrar-lhes o pro- Deus vivo e que Joseph é Seu profeta, sem pare-
pósito da vida.” cer piegas e sem precisar justificar a simplicidade
Mórmon escreveu: “O perfeito amor lança fora todo o de nossa crença.”
medo”. (Morôni 8:16) Quando os missionários em pers-
pectiva aprendem acerca do propósito da vida e do amor
do Senhor, adquirem coragem para agir a despeito do me-
do. Ao fazê-lo, dão-se conta de que os temores eram uma
ilusão, uma criação de sua mente. O Senhor assegurou
repetidas vezes aos missionários que Ele lhes daria forças
para triunfarem sobre as dificuldades. “Aquele que estre-
mece sob meu poder será fortalecido e produzirá frutos de
O U T U B R O D E 2 0 0 1
15
louvor e sabedoria.” (D&C 52:17) O Presidente Harold SÍSTER ERIKA VπIANSKÁ, DE BRNO,
B. Lee (1899–1973) dizia sempre: “A quem o Senhor REPÚBLICA CHECA
chama, Ele qualifica”. “Algo que me impressionou tanto quanto a
Certo rapaz, ao conversar com o bispo, relatou-lhe seu meus pais ao recebermos as palestras foi o fato de
temor de que não conseguiria aprender as palestras ou que os missionários eram bondosos para conosco
ensinar o evangelho. Ele considerava-se um representan- e entre si. Desejei fazer o mesmo por outras pes-
te falho do Senhor. Moisés, Jeremias, Enoque e tantos ou- soas, para que também possam ser felizes e saber
tros se sentiam incapazes de cumprir o chamado que que Deus nos ama a todos.”
receberam. Contudo, o Senhor prometeu-lhes que os for-
taleceria e lhes indicaria as palavras que deveriam dizer. ÉLDER CÉSAR ARTURO RODRIGUEZ HERNÁNDEZ,
(Ver Êxodo 4:11–12; Jeremias 1:7–9; Moisés 6:32–34.) DE OBREGÓN, MÉXICO
Os missionários de hoje contam com a mesma promessa; “Abandonei a universidade, o trabalho, os
basta que dominem seus temores e abram a boca. chamados na Igreja, e minha família, além de
“Clamai a este povo; expressai os pensamentos que eu deixar de lado minhas turnês de dança pela
vos puser no coração e não sereis confundidos diante dos Europa e Ásia. Entretanto, tenho sentido os céus
homens; pois naquela mesma hora, sim, naquele mesmo e Deus mais constantes em meu coração.”
momento, ser-vos-á dado o que dizer.” (D&C 100:5–6)
O Presidente Spencer W. Kimball (1895–1985) afir- SÍSTER AYAKO ONO, DE SAPORO, JAPÃO
mou: “A obra missionária constitui uma aventura espiri- “Espero poder tocar o coração das pessoas por
tual”. (“‘It Becometh Every Man’”, Ensign, outubro de meio do evangelho. Sou feliz porque o Senhor
1977, p. 7) Partir para o campo missionário, como mui- fez de mim Seu instrumento.”
tos de vocês sabem, envolve muitas das mesmas emo-
ções sentidas ao embarcarmos numa aventura radical: ÉLDER KEITH J. SHMIDT, DE SHERIDAN,
entusiasmo, uma dose de ansiedade e talvez até uma CALIFÓRNIA, EUA
pontinha de medo. No trabalho missionário, damos um “Nenhum membro de minha família pertence
passo no escuro. É possível que sejamos mandados para à Igreja. Quando falei que iria servir em uma
uma terra longínqua, com uma cultura desconhecida. missão, meus pais disseram que não me aceita-
Precisamos passar vinte e quatro horas com um compa- riam de volta à casa quando retornasse. Desde
nheiro que nunca vimos antes. E a essência da obra mis- que parti, eles abrandaram o coração e quase já
sionária é conhecer novas pessoas e falar com elas, se orgulham de seu filho missionário.”
prestando testemunho de coisas notáveis e maravilhosas
que elas talvez venham a estranhar. Ao assumirmos esse SÍSTER ALEXANDRINA BADEA, DE BUCARESTE,
papel e expormos publicamente nossas crenças, corre- ROMÊNIA
mos o risco de ser ridicularizados ou incompreendidos. “Eu amo a obra missionária. Sinto o desejo em
Tal é a natureza da aventura. Mas assim como tantas ou- meu coração de ajudar as pessoas a conhecer o
tras aventuras, ela será lembrada com carinho pelo res- evangelho de Jesus Cristo porque este evangelho
tante da vida. modificou a minha vida e a de meus familiares.
As cartas de aceitação do chamado missionário reve- Quero ajudar as pessoas a entender que o Pai
lam um enorme tesouro de espiritualidade e fé. Minha Celestial ama a todos, em todo o mundo.” 
própria fé é continuamente fortalecida por aqueles que
aceitam o chamado de servir a Deus, que permitem que
seu amor ao Senhor exceda seus temores e que se sub-
metem de boa vontade ao chamado de nosso profeta vi-
vo. Oro continuamente para que todos os rapazes dignos,
bem como todas as jovens que tiverem o desejo, venham
a viver a maravilhosa aventura da missão. 
A L I A H O N A
16
PERGUNTAS E RESPOSTAS

Como Posso Ajudar


Meus Amigos a
Compreenderem
Por Que Quero
Servir numa Missão?
Perguntas respondidas à guisa de orientação, não como
pronunciamentos doutrinários da Igreja.

RESPOSTA DE A LIAHONA
Como membros da Igreja, às vezes Depois, você pode explicar que, evangelho, seja positivo e demonstre
é difícil explicar aos outros por que embora os benefícios pessoais não alegria. Mostre às pessoas, sendo um
fazemos determinadas coisas. Muitas constituam o motivo para ir para o membro missionário hoje, que você
pessoas tendem a considerar os man- campo missionário, essa pode ser está animado com a perspectiva de
damentos restritivos e severos. Mas uma bênção adicional. Os ex-missio- tornar-se missionário de tempo inte-
nós temos plena consciência de que o nários costumam falar de coisas que gral no futuro.
cumprimento dos mandamentos traz aprenderam, como a disciplina, o
felicidade, crescimento e proteção. trabalho árduo, a boa convivência, o RESPOSTAS DOS LEITORES
O primeiro passo para explicar a planejamento financeiro e a perseve- Conto a meus amigos que travei
respeito da missão aos amigos é di- rança. Diga a seus amigos que muitos conhecimento com a Igreja por meio
zer-lhes o quanto o evangelho é im- missionários também aprendem ou- dos missionários. Ressalto que a obra
portante em sua vida. Você conhece tro idioma e vivem em outro país. A missionária é o meio pelo qual a luz
os interesses e atividades nos quais maioria das pessoas considera tais do evangelho do Senhor é levada às
seus amigos passam boa parte do experiências positivas e instrutivas. pessoas e que é uma grande bênção
tempo? Talvez eles sejam excelentes A maior parte dos ex-missionários estar envolvido nesse trabalho de
alunos, atletas ou artistas. Explique- é entusiasta em relação à missão e es- amor. Digo que amo a eles e a todas
lhes que assim como eles dedicam tá sempre ávida para relatar expe- as pessoas do mundo e desejo que
tempo aos estudos, treinos ou en- riências. Pode ser que seus amigos todos tenham a oportunidade de re-
saios, você dedica tempo à Igreja. fiquem curiosos para saber como é a ceber as bênçãos do evangelho.
Se julgar oportuno, preste seu teste- vida na missão. Quando conhecem Falo-lhes da alegria indescritível
munho. Diga-lhes que servir como ex-missionários, percebem que, em que sentimos ao ajudarmos uma
missionário é uma forma de de- sua maioria, eles são gratos pelos sa- única pessoa que seja. (Ver D&C
monstrar seu compromisso para crifícios que fizeram e as bênçãos que 18:15–16.)
com o Senhor e o evangelho e seu receberam. Arnis Kanlinsh,
desejo de ajudar as pessoas a conhe- Tire partido das oportunidades e, Ramo Riga Central,
cerem a verdade. ao responder às perguntas sobre o Distrito Riga Letônia
O U T U B R O D E 2 0 0 1
17
Arnis Kanlinsh
A missão é uma bênção para qual- Antes de partirem para o campo
quer pessoa que servir, pois ajuda- missionário, o Pai Celestial já lhes
nos a aprender mais acerca do concedera muitas bênçãos e eles
evangelho. Contudo, a maior bênção achavam que, ao servirem, iriam re-
é ajudar a trazer almas a Cristo. tribuir. Mas na missão, Ele abençoa-
Tahia Mou-Fa, os ainda mais.
Ala Uturoa, Yuliia Ihorivna Kosarets’ka,
Estaca Raromatai Taiti Ramo Poltava Tsentralny, Tahia Mou-Fa
Missão Ucrânia Donetsk
Com o auxílio do Espírito Santo,
seu amor, fé e testemunho do evan- Meu chefe, colegas de escola,
gelho se refletirão em seu semblante. vizinhos e parentes acharam um
Mostre às pessoas à sua volta que vo- absurdo eu abandonar o trabalho,
cê sabe que a fonte de sua felicidade os estudos e a família para ensinar a
é o evangelho. Demonstre também respeito de Jesus Cristo. Ficaram
Chiang Ya-Lin
que sua vontade de ser missionário ainda mais preocupados ao saberem
deriva de seu desejo de ensinar as que eu não seria remunerado para
pessoas a alcançarem essa mesma isso.
alegria. Pedi auxílio ao Senhor. Comecei a
Chiang Ya-Lin, perguntar às pessoas: “Qual é o pro-
Ala Kaohsiung VI, pósito da vida? Por que estamos
Estaca Kaohsiung Taiwan aqui? Para onde vamos?” Passei a
prestar testemunho do plano de sal- Yekaterina
Diga a seus amigos que todos nós vação. Expliquei que muitos filhos Rodionova
somos irmãos e que você vai para a de Deus estão esperando respostas
missão porque deseja ajudar as pes- para essas perguntas.
soas que não conhecem o evangelho. Élder Carlos Eduardo Faria Boato,
Ore para que o Pai Celestial ajude Missão Brasil Maceió
seus amigos a compreenderem.
Yekaterina Rodionova, Ao orar humildemente a Deus pa-
Ramo São Petersburgo Tsentralny, ra enternecer o coração de meus
Yuliia Ihorivna
Distrito São Petersburgo Rússia Norte amigos, prestei testemunho da
Kosarets’ka
Igreja, expus meus sentimentos a res-
A única maneira de ajudar meus peito do Livro de Mórmon e meu
amigos a entenderem por que quero grande desejo de participar da obra
servir como missionário é mostrar- do Senhor. Em conseqüência disso,
lhes as mudanças que ocorreram em alguns amigos começaram a pesqui-
minha vida desde que conheci o sar a Igreja.
evangelho. May J. Ticong,
Muitos missionários disseram-me Ala Lanang, Élder Carlos

que a missão traz inúmeras bênçãos. Estaca Davao Filipinas Buhangin Eduardo Faria Boato

A L I A H O N A
18
May J. Ticong
Numa festa de despedida, expus que ajudaram meus colegas a com-
minhas razões para ir para o campo preenderem a importância vital da
missionário. Quando terminei, meus obra missionária.
amigos estavam chorando. Acho que Élder Humberto Martins de Araújo Jr.,
foram tocados pelo Espírito do Missão Brasil Curitiba
Senhor. Hoje, alguns deles estão ser-
vindo como missionários; outros, Certas coisas foram-me úteis para
Élder Mark pesquisando a Igreja. ajudar meus amigos a compreende-
Amiang Élder Mark Amiang, rem a missão: a oração, as escrituras
Missão Nigéria Lagos e as experiências que relatei sobre as
mudanças que presenciei na vida dos
Minha amiga Eliana e eu estáva- filhos do Pai Celestial.
mos com nossos planos escolares e Benjamin Mulambo Wa Mulambo,
profissionais traçados. Mas quando Ala Binza,
orei a respeito da missão, a resposta Estaca Kinshasa República
Síster Evelín
foi afirmativa. Eu disse a Eliana o que Democrática do Congo
Álvarez
o evangelho fizera por mim. A in-
fluência do Espírito Santo, que Ajude a seção PERGUNTAS E
acompanhou meu singelo testemu- RESPOSTAS respondendo à pergun-
nho, ajudou-a a compreender. ta abaixo. Envie sua contribuição de
Síster Evelín Álvarez, modo a chegar ao destino antes de
Missão Peru Trujillo 1º de dezembro de 2001. Escreva
Élder Roberto para QUESTIONS AND ANS-
Pacheco Expliquei como o evangelho de WERS 12/01, Liahona, Floor 24, 50
Jesus Cristo transformara minha vida East North Temple Street, Floor 25,
e como eu o conhecera por meio de Salt Lake City, UT 84150-3223,
missionários que haviam abandona- USA ou mande e-mail para CUR-
do tudo para proclamar essas verda- Liahona-IMag@ldschurch.org.
des. Eu disse a meus amigos que era Datilografe ou escreva legivel-
minha vez de partilhar a alegria do mente em seu próprio idioma. Não
evangelho. deixe de colocar seu nome completo,
Élder Humberto
Élder Roberto Pacheco, endereço, ala e estaca (ou ramo e
Martins de Araújo Jr.
Missão Peru Lima Central distrito). Se possível, envie também
uma fotografia sua, que não será
Na época da escola secundária, devolvida. Publicaremos uma seleção
surgiram oportunidades para eu de respostas que represente todas as
explicar por que eu pretendia servir recebidas. 
como missionário e a importância
disso em minha vida e na vida das PERGUNTA: Sinto-me triste boa parte
Benjamin Mulambo pessoas que eu viria a conhecer. Até do tempo. O que posso fazer para ter
Wa Mulambo distribuí livros e folhetos da Igreja mais felicidade?
O U T U B R O D E 2 0 0 1
19
É o Seu
CHAMADO Barbara Jean Jones
ILUSTRAÇÕES FOTOGRÁFICAS DE JED A. CLARK

Desde a primeira conversa com o bispo ou presidente de ramo até a emocionante


chegada daquele envelope branco com o chamado. Acompanharemos agora as
diferentes etapas desse empolgante processo.

S
em dúvida, o recebimento do chamado é um dos missão será custeada. A fim de traçar um perfil correto de
momentos mais marcantes — e também descon- si mesmo, é você — e não sua mãe ou seu pai — que de-
certantes — da vida de um missionário em pers- ve preencher esse formulário. Seja completamente ho-
pectiva. Se você já se perguntou o que acontece com os nesto e direto quanto a seus desejos e habilidades.
papéis de recomendação dos missionários ao longo das Anexe a esse formulário uma fotografia sua, com tra-
semanas de suspense que começam quando eles saem das jes e aparência compatíveis com os padrões missionários.
mãos do presidente da estaca ou da missão e culminam Lembre-se de que, além de examinar os dados pessoais
com a chegada do chamado missionário na caixa de cor- que você fornecer, um membro do Quórum dos Doze
reio, continue a ler este artigo. Veremos o que ocorre em olhará sua foto ao buscar inspiração quanto ao lugar pa-
cada passo do processo e encontraremos informações va- ra o qual você será chamado. Esse retrato também será
liosas sobre o preenchimento adequado dos formulários. enviado a seu presidente de missão depois que você for
designado. A primeira impressão que você passar ao pre-
PREENCHIMENTO DOS PAPÉIS sidente da missão é fundamental.
Cerca de quatro meses antes da data de sua disponibi- Ao começar a preencher seu formulário de recomen-
lidade para a missão, marque um horário com o bispo ou dação, marque imediatamente consultas com seu dentis-
presidente de ramo para realizar uma entrevista pessoal e ta e médico para fazer as avaliações necessárias. Se
receber os papéis de Recomendação para Missionário. procurar esses profissionais com antecedência, evitará
Entre eles, encontram-se uma lista de verificação com to- atrasos em sua missão caso haja problemas a resolver. A
dos os passos a serem seguidos, os formulários a serem avaliação completa de saúde que você e seu médico fize-
preenchidos pelos missionários em perspectiva e pelos lí- rem nos formulários médicos terá um peso substancial em
deres do sacerdócio, os registros médicos e odontológicos sua designação missionária.
e os formulários de seguro. Quando terminar de preencher os formulários e tratar
No formulário de recomendação do missionário, você os problemas de saúde porventura detectados, marque
colocará informações sobre si mesmo, incluindo dados outra entrevista com o bispo ou presidente de ramo. Se
pessoais, seu desejo e facilidade de aprender um idioma ele sentir que você se encontra digno e pronto, o enca-
estrangeiro, seu grau de escolaridade e a forma como sua minhará para o presidente de estaca ou da missão para
A L I A H O N A
20
outra entrevista.
Se houver alguma
transgressão em sua
vida que ainda não
tiver sido adequada-
mente resolvida, não
procrastine e peça logo aju-
da aos líderes do sacerdócio.
Nenhum missionário em
perspectiva deve supor que
pode ignorar uma transgres-
são não-resolvida e continuar
em paz consigo mesmo. Se a
confissão for tardia, o chamado Departamento
missionário poderá ser adiado ou Missionário. Esse sistema
cancelado. Um missionário pode eletrônico processa os cerca de
até ser mandado para casa a fim 35.000 chamados emitidos anualmente.
de cumprir o período necessário Então, a recomendação, tanto na versão eletrônica
à conclusão do processo de como impressa, é enviada pelo seu escritório de área pa-
arrependimento. ra o Departamento Missionário em Salt Lake City, on-
de os dados em formato eletrônico são inseridos nos
PROCESSAMENTO DOS PAPÉIS computadores do Departamento Missionário. Se os
Depois de verificarem que você está formulários estiverem incompletos ou chegarem mais de
preparado em todos os aspectos para servir, 90 dias antes da data de sua disponibilidade para o início
seus líderes do sacerdócio preencherão o for- da missão, poderão ser devolvidos a seu Presidente de
mulário com os comentários e sugestões dos lí- Área com instruções para que sejam reenviados ou pa-
deres e enviarão as informações para o escritório ra que os problemas sejam corrigidos.
de área. Os dados contidos nos formulários Em seguida, uma junta médica examina seus regis-
em papel são passados para um disco de compu- tros médicos e odontológicos para certificar-se de que
tador por meio de um software fornecido pelo estejam completos e confirmar que você está física e
Comece com uma entrevista pessoal Preencha você mesmo os formulários. Marque imediatamente consultas
com seu bispo ou presidente de ramo Seja direto e honesto e anexe com seu dentista e médico para
cerca de quatro meses antes da data uma fotografia sua com trajes evitar atrasos.
de sua disponibilidade para a missão. e aparência compatíveis com
os padrões missionários.


——E—
L
RO
LIB E
D ÓN
M—
R—
MO—
— STA
MEN
O TE RISTO
OTR JESUC
T

DE

emocionalmente apto para enfrentar os rigores da missão De duas a seis semanas depois de enviar seus papéis,
de tempo integral. você passará pela experiência emocionante e espiritual
Depois que seus formulários passarem por esses de abrir seu chamado.
processos, você estará pronto para ser designado.
do chamado leva de duas a seis semanas, dependendo
A DESIGNAÇÃO DO CHAMADO de onde você resida e do preenchimento correto dos
Cada missionário é chamado por Deus por meio do formulários.
presidente da Igreja. As designações específicas para ca- Qualquer pessoa que já tenha passado pela experiên-
da missão são feitas por membros do Quórum dos Doze cia de abrir o chamado missionário sabe como é uma ex-
Apóstolos que foram autorizados para isso pelo profeta. periência emocionante e espiritual. Quando Joel Hiller,
Todas as semanas, dependendo do número de missio- de Taylorsville, Utah, viu o envelope branco que sua mãe
nários a serem designados, de dois a quatro membros do colocara na mesa da cozinha, seu coração bateu mais for-
Quórum dos Doze Apóstolos reúnem-se em salas separa- te, e ele mal conseguiu esperar a chegada dos demais fa-
das da sede da Igreja. Lá, depois de ajoelharem-se em miliares e de dois amigos íntimos que conseguiriam
oração e suplicarem orientação divina, cada um se senta participar desse momento algumas horas depois.
diante da tela de um computador. Então, uma por vez, Depois das três horas mais longas da vida de Joel, hou-
vão aparecendo fotografias dos missionários em perspec- ve grande alvoroço quando todos se reuniram para con-
tiva e seus dados pessoais, bem como as necessidades versar, rir e fazer previsões sobre os possíveis locais para
atuais de todas as missões da Igreja. Cada missionário é os quais ele seria chamado. Mas uma doce serenidade es-
designado pessoalmente para uma missão específica. piritual subitamente tomou conta do recinto quando Joel
O Élder Thomas S. Monson, quando membro do abriu o envelope e começou a ler em voz alta as palavras
Quórum dos Doze Apóstolos, testificou: “Disto sei: há ins- do profeta: “Caro Élder Hiller, você foi chamado para
piração divina em cada uma dessas designações sagradas”. servir como missionário de A Igreja de Jesus Cristo dos
(“The Army of the Lord”, Ensign, maio de 1979, p. 36) Santos dos Últimos Dias”.
Joel descreve o que sentiu ao continuar a ler a carta:
RECEBIMENTO DO CHAMADO “Senti-me honrado por ter sido chamado, e o Espírito
Quando seu chamado e designação forem emitidos, imediatamente testificou que era a coisa certa e a missão
lhe serão mandados a carta com seu chamado e um certa para mim. Foi uma experiência única em minha
pacote com informações sobre a missão. Todo o processo vida”. 
A L I A H O N A
22
Quando terminar de preencher Se você estiver pronto, seu bispo ou Quando seus líderes do sacerdócio
os papéis, marque outra entrevista presidente de ramo irá encaminhá-lo sentirem que você está pronto,
com o bispo ou presidente de ramo. ao presidente de estaca ou de missão seus dados serão encaminhados
para ser entrevistado. pela Presidência de Área para
o Departamento Missionário em
Salt Lake City.
Preparar-se
Como posso me
preparar para ser
o melhor missionário
que eu puder?
Aqui vão alguns conselhos de
alguns leitores e de missionários
que estão servindo atualmente:
• Ore todos os dias. Peça ao Pai
Celestial que o ajude a se preparar.
• O Senhor precisa de missionários
dignos. Guarde os mandamentos
diariamente.
• Freqüente e preste atenção às
aulas do seminário e instituto.
• Leia as escrituras todos os dias,
especialmente o Livro de Mórmon.
Aplique a promessa de Morôni em
Morôni 10:3–5.
• Aprenda a ser responsável,
magnificando qualquer chamado ou
designação que receber. (Ver D&C
88:80.) O trabalho dos mestres fa-
miliares e das professoras visitantes,
por exemplo, é excelente para se
aprender a cultivar relacionamentos Se você já tem a sua, leia-a • Saia com os missionários de
de confiança com outras pessoas. freqüentemente. tempo integral e observe-os dar
• Vá ao templo com mais • Vá à Igreja todos os domingos as palestras.
freqüência. e sinta o Espírito nas reuniões. • Dê as palestras missionárias
• Passe o maior tempo possível com • Procure conhecer pessoas para seus amigos, para praticar.
sua família — você sentirá falta de e ser simpático com todos. • Vá às reuniões batismais de sua
seus familiares quando estiver fora. • A missão exige esforço físico, ala ou ramo.
Participe da oração familiar, noites portanto procure manter-se em • Preste seu testemunho sempre
FOTO ILUSTRAÇÃO DE WELDEN C. ANDERSEN

familiares e outras atividades com boa forma. que possível.


a família. • Comece agora a economizar. • Convide seus amigos não-membros
• Durante a noite familiar, pratique Guarde dinheiro para sua missão para ir à Igreja e participar das
dar aulas a seus familiares, utilizan- sempre que puder. atividades.
do as escrituras e as palestras • Trabalhe com os missionários de • Freqüente as aulas de preparação
missionárias. tempo integral e com os líderes da missionária.
• Receba sua bênção patriarcal. obra missionária da ala ou do ramo. • Memorize as Regras de Fé. 
A L I A H O N A (A página 25 da Liahona vem logo após as notícias locais e O Amigo.)
24
MENSAGEM DAS PROFESSORAS VISITANTES

SEGURANÇA EM GUARDAR CONVÊNIOS DIVINOS

A o fazer e guardar convênios


sagrados, somos abençoados
com poder para resistir às
provações e à tentação e a desfrutar
da plenitude das bênçãos do sacer-
Por exemplo, quando tomamos dig-
namente o sacramento e renovamos
nosso convênio batismal, temos a
promessa de ter sempre o Espírito do
Senhor conosco. (Ver D&C 20:77,
UM VÍNCULO PESSOAL
Uma irmã que não estava em
condições de ir à Igreja devido a al-
guns problemas de saúde descobriu
como são agradáveis e pessoais os
dócio. O Élder Neal A. Maxwell, 79). Aqueles que obedecem aos ter- convênios de Deus. Devido a essa
do Quórum dos Doze Apóstolos mos do “novo e eterno convênio” do circunstância incomum, os portado-
ensinou: “Se guardarmos nossos casamento celestial têm a promessa res do Sacerdócio Aarônico, sob a
convênios, eles nos manterão espiri- de que “passarão pelos anjos e pelos direção do bispo, foram à sua casa
tualmente salvos”. (“Overcome. . . deuses ali colocados, rumo a sua para administrar-lhe o sacramento.
Even As I Also Overcame”, Ensign, exaltação e glória em todas as coi- Ela sabia que eles viriam, mas não
maio de 1987, p. 71) sas”. (D&C 132:19) podia imaginar que fosse sentir o
Ao nos comprometermos com o amor de Deus quando eles se ajoe-
O QUE É UM CONVÊNIO? Senhor a obedecer aos convênios lharam e abençoaram o pão e a
O convênio é um acordo sagrado sagrados, somos abençoados com água, especialmente para ela.
entre Deus e uma pessoa ou grupo de proteção contra o adversário. Especial- “Jamais esquecerei quando eles se-
pessoas. Deus estabelece os termos mente em épocas de provação, os guraram a bandeja do sacramento
dos convênios. Se obedecermos a es- convênios dão-nos força. O Élder com um pedaço de pão e depois um
ses termos, receberemos as bênçãos Henry B. Eyring, do Quórum dos copinho com água. Ao tomar os em-
que Ele prometeu àqueles que guar- Doze Apóstolos, explicou: “O cum- blemas do sacramento, senti um vín-
dam convênios. Mostrando seu vín- primento dos convênios tem como culo tão forte com o Salvador!
culo de amor a nós, Ele prometeu: fruto a companhia do Espírito Santo Percebi que Sua Expiação fora feita
“Eu, o Senhor, estou obrigado quan- e uma capacidade maior de amar. realmente para mim. Senti Sua mi-
do fazeis o que eu digo; mas quando Isso ocorre graças ao poder que a sericórdia e Seu amor. De todas as
não o fazeis, não tendes promessa al- Expiação de Jesus Cristo tem para maneiras, senti-me renovada e forta-
guma”. (D&C 82:10) mudar nossa natureza. (. . .) Aqueles lecida para enfrentar os desafios que
Todos os mandamentos do Pai que aceitam convênios e guardam os eram unicamente meus.”
Celestial baseiam-se em convênios. mandamentos recebem milagrosa- Por estar totalmente ciente de
Os convênios são feitos por intermé- mente maior poder espiritual”. (A nossas fraquezas humanas e dificul-
dio das ordenanças de salvação co- Liahona, janeiro de 1997, p. 34) dades, o Pai Celestial deu-nos
mo o batismo e o sacramento, bem convênios para garan-
como por ordenanças de exaltação tir nossa passagem
administradas no templo. segura pela mortali-
ILUSTRADO POR SHERI LYNN BOYER DOTY

dade. Quanto mais


QUAIS SÃO AS BÊNÇÃOS diligentes formos em
QUE RECEBEMOS POR cumprir nossos convê-
GUARDAR CONVÊNIOS? nios, mais segurança
Para cada convênio espiritual encontrare-
que guardamos, existe mos em nossa obediên-
uma bênção específica. cia ao Senhor. 
A Obra Missionária
e a Expiação
Élder Jeffrey R. Holland
Do Quórum dos Doze Apóstolos

O Profeta Joseph Smith certa vez


declarou que todas as coisas
pertencentes “à nossa religião
são meros complementos [da Expiação de
Jesus Cristo]”.1 De modo análogo e pelos
REQUISITOS PARA O BATISMO
Creio haver pouquíssimos missionários,
se é que os há, que não tenham ciência da
importância vital dessa doutrina. Mas cau-
sa-me espanto verificar que não se trata de
mesmos motivos, todas as verdades que os algo mencionado com a devida freqüência
missionários ou membros ensinam são ape- nas discussões sobre a obra missionária.
nas adendos da mensagem mais importante de todos Um exemplo é o tipo de resposta que ouço nas confe-
os tempos: Jesus é o Cristo, o Salvador e Redentor do rências de zona quando pergunto aos missionários o que de-
mundo. sejam que os pesquisadores façam ao ouvirem as palestras.
Nossa mensagem central é que, ao ofertar integral- “Que se batizem!” é o que eles costumam bradar em
mente Seu corpo, Seu sangue e a angústia de Seu espíri- uníssono.
to, Cristo expiou a transgressão inicial de Adão e Eva no “Certamente”, respondo. “Mas o que precisa aconte-
Jardim do Éden e também os pecados pessoais de todas as cer antes disso?”
demais pessoas que viveriam neste mundo desde Adão Nesse momento, eles ficam um pouco reticentes. Ah,
até o fim dos tempos. ele deve nos estar testando, pensam. Um teste sobre a pri-
Algumas dessas bênçãos, como o dom da Ressurreição, meira palestra. “Eles precisam ler o Livro de Mórmon!”
são gratuitas. Já outras são condicionais e exigem a obe- responde alguém. “Orar!” exclama outro élder. “Ir à
diência aos mandamentos, a realização de ordenanças e Igreja!” menciona uma missionária. “Receber todas as
uma vida pautada pelos princípios esperados de um discí- palestras!” declara outro missionário.
pulo de Cristo. “Bem, vocês enumeraram praticamente todos os com-
De qualquer forma, a mensagem essencial do evan- promissos da primeira palestra”, digo. “Mas o que mais
gelho é esta, expressa pelo próprio Mestre: “Eu sou o ca- vocês querem que seus pesquisadores façam?”
minho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, “Que se batizem!” repetem os missionários em coro.
senão por mim”.2 Assim, a Expiação de Cristo, que pos- “Élderes e sísteres”, prossigo, “vocês já me falaram
sibilita nosso regresso à presença do Pai, é o fato crucial, acerca do batismo, mas ainda não ouvi a resposta que es-
o alicerce e a doutrina principal do grande e eterno tou esperando!”
plano de salvação, plano esse que fomos chamados a Bem, nesse ponto eles ficam perplexos. Deve tratar-se
ensinar. de compromissos de outras palestras, presumem. “Obedecer
A L I A H O N A
26
T odas as verdades
que os missionários
ou membros ensinam
são apenas adendos
da mensagem mais
importante de todos
O MAIOR DE TODOS, DE DEL PARSON

os tempos: Jesus
é o Cristo.
à Palavra de Sabedoria!”, propõe alguém. “Pagar o dízi- permite o acesso irrestrito à plenitude das bênçãos da
mo!” grita outro. E assim continuam. Expiação.
Devo admitir que raramente os missionários apontam Só então entra em cena o batismo para a remissão dos
as duas coisas fundamentais que desejamos que os pes- pecados. Sim, é verdade que o batismo também é a for-
quisadores façam antes do batismo: ter fé no Senhor ma de ingresso na Igreja, mas não é esse aspecto que o
Jesus Cristo e arrepender-se de seus pecados. Contudo, Profeta Joseph Smith frisou naquela regra de fé.
“cremos que os primeiros princípios e ordenanças do Salientou que o batismo é para a remissão dos pecados —
evangelho são: primeiro, Fé no Senhor Jesus Cristo; se- chamando assim a nossa atenção, a dos missionários e a
gundo, Arrependimento; terceiro, Batismo por imersão dos pesquisadores para a Expiação, para a salvação, para
para remissão de pecados; quarto, Imposição de mãos para o dom que Cristo nos concede.
o dom do Espírito Santo“.3
A nova vida do converso deve alicerçar-se na fé no TORNAR A EXPIAÇÃO ALGO CENTRAL NA OBRA
Senhor Jesus Cristo e Seu sacrifício redentor — uma con- MISSIONÁRIA
vicção de que Ele é verdadeiramente o Filho de Deus, de Eu gostaria de sugerir algumas coisas que todos pode-
que Ele está vivo agora, de que só Ele possui a chave pa- mos fazer para que Cristo e Sua Expiação ocupem na
ra nossa salvação e exaltação. E essa crença deve vir mente dos membros e pesquisadores a posição de desta-
acompanhada do verdadeiro arrependimento, que é a que que merecem.
demonstração de nosso desejo de tornarmo-nos puros e Estimulem, de todas as maneiras possíveis, reuniões
sãos e de renovarmo-nos; arrependimento que nos mais espirituais na Igreja, principalmente as reuniões

ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE STEVE BUNDERSON, EXCETO QUANDO INDICADO; À ESQUERDA: ILUSTRAÇÃO FO-
única senda que conduz à salvação passa necessariamente
pelo Getsêmani e pelo Calvário. O único caminho para a eternidade
é por meio Dele: o Caminho, a Verdade e a Vida.

TOGRÁFICA DE JOHN LUKE


sacramentais. Os pesquisadores têm o direi-
A reunião
batismal deve O cerne da questão é que os pesquisado-
to de sentir nessa ocasião o mesmo Espírito estar em harmonia res não estão ouvindo apenas nosso teste-
que os toca quando ouvem as palestras dos com o significado munho de Cristo, mas escutando ecos de
missionários. do batismo e outros testemunhos anteriores, inclusive o
Ajudem na preparação dos pesquisadores da Expiação de que eles próprios prestaram, pois eles esta-
explicando com antecedência a ordenança Cristo, que torna vam do lado os fiéis que guardaram o pri-
do sacramento. Os missionários podem ler essa ordenança meiro estado e conquistaram o privilégio de
para eles as orações sacramentais que se en- válida. um segundo. Devemos sempre lembrar que
contram nas escrituras, ler a letra de alguns esses pesquisadores estavam entre os valen-
de seus hinos sacramentais prediletos ou tomar outras tes que outrora derrotaram Satanás pelo poder de seu
providências que ajudem esses visitantes a terem uma ex- testemunho de Cristo!4
periência de aprendizado memorável ao participarem da Além do mais, ao testificarem de “Jesus Cristo, e este
reunião sacramental. crucificado”5 — usando as palavras de Paulo — vocês in-
Da mesma forma, façam tudo a seu alcance para tor- vocam o poder de Deus o Pai e do Espírito Santo. O pró-
nar as reuniões batismais uma experiência espiritual e prio Salvador ensinou:
centralizada em Cristo. Os recém-conversos merecem “Todo aquele que crê em mim, crê também no Pai; e a
que esse seja um momento sagrado, cuidadosamente pla- ele [o pesquisador] o Pai dará testemunho de mim, pois visi-
nejado e espiritualmente edificante. As orações, os hinos tá-lo-á [o pesquisador] com fogo e com o Espírito Santo.
e certamente os discursos, tudo deve estar em harmonia E assim o Pai dará testemunho de mim e o Espírito Santo
com o significado do batismo e da Expiação de Cristo, dará testemunho do Pai e de mim; pois o Pai e eu e o
que torna essa ordenança válida. Missionários, não se Espírito Santo somos um. (. . .)
deixem levar tanto pela ânsia de registrar um batismo a (. . .) Esta é minha doutrina e os que edificam sobre is-
ponto de esquecerem o que representa essa ordenança e to edificam sobre minha rocha; e as portas do inferno não
o que deve significar na vida do novo membro. prevalecerão contra eles.”6
Ao longo de todo o processo de ensino, os missioná- Então por que devemos prestar testemunho de Cristo
rios devem prestar testemunho do Salvador e de Seu dom com freqüência e poder? Porque ao fazê-lo, convidamos o
da salvação para a humanidade. É claro que é preciso tes- Espírito e nosso testemunho passa a integrar o poder di-
tificar regularmente de todos os princípios ensinados, vino que emana de Deus o Pai e do Espírito Santo, um
mas é de fundamental importância prestar testemunho testemunho prestado com o fogo do Espírito e que toca o
dessa doutrina que constitui a essência do plano de nos- coração dos pesquisadores. Esse testemunho divino de
so Pai Celestial. Cristo é a rocha sobre a qual cada recém-converso deve
Há vários motivos para prestar testemunho. E um de- edificar. Somente esse testemunho do Ungido prevalece-
les é que quando declaramos a verdade, ela ecoa na men- rá contra as portas do inferno.
te dos pesquisadores como algo familiar, uma lembrança Estudem as escrituras diligentemente e familiarizem-
inconsciente de algo que parecem já ter ouvido antes — se com as passagens que ensinem e testifiquem da missão
e é claro que ouviram. O testemunho do missionário evo- redentora de Cristo. Nada tocará seu coração e sua alma
ca um grande legado de testemunho que teve origem nos como as verdades que mencionei até agora.
conselhos celestiais realizados antes da fundação do Pediria em especial aos missionários de tempo integral
mundo. Naquela época, essas pessoas ouviram esse mes- e membros missionários que estudem e ensinem a
mo plano ser exposto e tomaram conhecimento do papel Expiação de Cristo conforme registrada no Livro de
que Jesus Cristo desempenharia em sua salvação. Mórmon. Digo isso com fervor especial, pois em minha
O U T U B R O D E 2 0 0 1
29
missão aprendi a amar o Livro de Mórmon e
O Livro
de Mórmon E ele sofre isto para que todos os homens
a magnificência do Filho de Deus revelada foi a primeira ressuscitem. (. . .)
por ele. Em sua ênfase ímpar no Salvador do ferramenta E ordena a todos os homens que se arre-
mundo, o Livro de Mórmon é literalmente missionária desta pendam e sejam batizados em seu nome,
um novo testamento ou “outro testamento” dispensação — tendo perfeita fé no Santo de Israel, pois do
de Jesus Cristo, declarando a todos que, por e ainda é contrário não poderão ser salvos no reino de
meio da Expiação do Filho de Deus, “assim a mais eficaz. Deus.”9
como [caíram], [serão redimidos] (. . .), sim, Como último exemplo, vejamos as se-
tantos quantos o desejarem”.7 guintes palavras do grande patriarca Leí:
“Portanto a redenção nos vem por intermédio do
TESTEMUNHO DE PROFETAS DO LIVRO DE MÓRMON Santo Messias. (. . .)
Vejamos as seguintes palavras de Néfi, proferidas no Eis que ele se oferece em sacrifício pelo pecado, cum-
início de seu ministério: prindo, assim, todos os requisitos da lei para todos os
“E o mundo, devido à iniqüidade, julgá-lo-á como quebrantados de coração e contritos de espírito; e para
uma coisa sem valor; portanto o açoitam e ele suporta-o; ninguém mais podem todos os requisitos da lei ser
e ferem-no e ele suporta-o. Sim, cospem nele e ele su- cumpridos.
porta-o por causa de sua amorosa bondade e longanimi- Portanto, quão importante é tornar estas coisas conheci-
dade para com os filhos dos homens. das dos habitantes da Terra, para que saibam que nenhuma
E o Deus de nossos pais, (. . .) sim, o Deus de Abraão carne pode habitar na presença de Deus a menos que se-
e de Isaque e o Deus de Jacó, como homem, entregar-se- ja por meio dos méritos e misericórdia e graça do Santo
á (. . .) nas mãos de iníquos para ser levantado, de acor- Messias, que dá a sua vida, segundo a carne, e toma-a no-
do com as palavras de Zenoque; e para ser crucificado, de vamente pelo poder do Espírito, para poder efetuar a res-
acordo com as palavras de Neum; e para ser enterrado surreição dos mortos, sendo ele o primeiro a ressuscitar.
num sepulcro, de acordo com as palavras de Zenos. (. . .) Ele é, portanto, as primícias para Deus, visto que in-
E todas estas coisas certamente se darão, diz o profeta tercederá por todos os filhos dos homens; e os que nele
Zenos. E partir-se-ão as rochas da Terra e, por causa dos crerem serão salvos.”10
gemidos da Terra, muitos dos reis das ilhas do mar serão Obviamente, vocês reconhecem que esses trechos são
inspirados pelo Espírito de Deus a exclamar: O Deus da todos testemunhos que se encontram nas páginas iniciais
natureza sofre.”8 do Livro de Mórmon. Talvez isso já seja o suficiente para
Ou vejamos o que declarou Jacó, o notável irmão de ajudá-los a compreender o tema urgente e grandioso que
Néfi, que fez um sermão de dois dias sobre a Queda e a permeia todo esse registro sagrado. O Livro de Mórmon
Expiação! foi a primeira ferramenta missionária desta dispensação
“Oh! Quão grande é a bondade de nosso Deus, que pre- — e ainda é a mais eficaz.
para um caminho para nossa fuga das garras desse terrível Testifico-lhes que transformaremos a vida de muitos,
monstro, sim, aquele monstro, morte e inferno, que eu incluindo a nossa própria, se ensinarmos a Expiação
chamo morte do corpo e também morte do espírito. (. . .) por meio do Livro de Mórmon bem como de outras
E ele vem ao mundo para salvar todos os homens, se escrituras.
eles derem ouvidos a sua voz; pois eis que ele sofre as do-
res dos homens, sim, as dores de toda criatura vivente, A EXPIAÇÃO E OS MISSIONÁRIOS
tanto homens como mulheres e crianças, que pertencem Qualquer pessoa que realiza algum tipo de obra mis-
à família de Adão. sionária em um momento ou outro certamente já se
A L I A H O N A
30
perguntou: Por que é tão difícil? Por que não temos su- opinião pessoal: estou convencido de que a obra missio-
cesso mais rápido? Por que mais pessoas não se filiam à nária não é fácil porque a salvação tampouco o é; não se
Igreja? Não seria tão mais fácil se o único risco para os trata de uma experiência corriqueira. A salvação nunca
missionários fosse contrair pneumonia depois de passa- foi fácil. Somos a Igreja de Jesus Cristo, esta é a verdade,
rem dia e noite encharcados na pia batismal? e Ele é nosso Grande e Eterno Líder. Como haveríamos
Já pensei muito nisso. Gostaria de expressar minha de achar que seria fácil para nós se jamais foi fácil para

L eí ensinou: “Quão importante é tornar estas coisas conhecidas


dos habitantes da Terra, para que saibam que nenhuma carne
pode habitar na presença de Deus, a menos que seja por meio
dos méritos e misericórdia e graça do Santo Messias”.
GRAVURA DE GARY L. KAPP
Ele? Parece-me que os missionários e líde-
T estifico-lhes que
transformaremos Ele vive e, porque vive, nós também
res de missão precisam passar pelo menos a vida de muitos, viveremos.
alguns instantes no Getsêmani. Devem incluindo a nossa Naquele primeiro domingo de Ressur-
dar ao menos alguns passos rumo ao própria, se ensi- reição, Maria Madalena achou, a princí-
Calvário. narmos a Expiação pio, ter visto um jardineiro. De fato,
Mas rogo-lhes que não me interpretem por meio do Livro viu mesmo — o Jardineiro que cultivou
mal. Com isso não quero dizer que possamos de Mórmon. o Éden e que suportou as dores do
vivenciar algo que chegue ao menos perto Getsêmani. O Jardineiro que nos concedeu
do que Cristo padeceu. Seria presunçoso e blasfemo. Mas a árvore da vida.
creio que os missionários e pesquisadores, para chegarem Declaro que Ele é o Salvador do mundo. Sei que so-
à verdade e à salvação, para terem alguma noção do pre- mos elevados para a vida porque Ele foi elevado para a
ço pago por Ele, terão de pagar ainda que uma ínfima morte. Testifico que Ele foi ferido por nossas transgres-
porção desse mesmo preço. sões e moído por nossas iniqüidades, que foi um varão de
Por isso, acho que a obra missionária nunca foi fácil, dores e experimentado em padecimentos e tomou sobre
tampouco a conversão, a retenção ou a fidelidade contí- Si as transgressões de todos nós.13
nua. A meu ver, sempre se exige algum esforço, algo que Presto testemunho de que, na condição de Deus, Ele
parta das profundezas da alma. saiu da presença de Deus para restaurar os contritos de
Se Ele teve, naquela noite, de ajoelhar-Se, prostrar-Se, coração, enxugar as lágrimas de todo olho, proclamar li-
sangrar por todos os poros e exclamar: “Aba, Pai, todas as berdade aos cativos e abrir as portas da prisão aos encar-
coisas te são possíveis, afasta de mim este cálice”11, não é cerados.14 Prometo-lhe que, se forem fiéis ao atenderem
de admirar que a salvação também não seja fácil para ao chamado de proclamar o evangelho, Ele curará seu co-
nós. Se vocês desejam saber se acaso não haveria um ca- ração atormentado, secará suas lágrimas e libertará vocês
minho mais fácil, lembrem que não são os primeiros a fa- e sua família. Esta é a promessa missionária que lhes dei-
zerem tal indagação. Alguém muito maior e mais digno xo e a mensagem missionária que exorto que levem ao
perguntou há muito tempo se não haveria uma maneira mundo. 
menos dolorosa. Discurso proferido no Centro de Treinamento Missionário (CTM)
Quando vocês estiverem em dificuldades, quando se de Provo em 20 de junho de 2000.
sentirem rejeitados, quando forem humilhados e expul-
sos, estarão em situação semelhante à da melhor vida que NOTAS
1. Ver Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, sel. por Joseph
este mundo já conheceu, a única vida perfeita que já
Fielding Smith (1976), p. 118.
houve. Vocês têm todos os motivos para andarem de ca- 2. João 14:6.
beça erguida e serem gratos pelo fato de o Filho vivo do 3. Regras de Fé 1:4; grifo do autor.
Deus vivo conhecer todas as suas dores e aflições. A úni- 4. Ver Apocalipse 12:10–11.
ca senda que conduz à salvação passa necessariamente 5. I Coríntios 2:2.
6. 3 Néfi 11:35–36, 39; grifo do autor.
pelo Getsêmani e pelo Calvário. O único caminho para a 7. Moisés 5:9.
eternidade é por meio Dele: o Caminho, a Verdade e a 8. 1 Néfi 19:9–10, 12.
FOTOGRAFIA DE JED A. CLARK

Vida. 9. 2 Néfi 9:10, 21–23.


Testifico que o Deus vivo é nosso Pai Celestial e que 10. 2 Néfi 2:6–9; grifo do autor.
11. Ver Marcos 14:36.
Jesus Cristo é Seu Filho vivo e Unigênito na carne. 12. Ver Atos 5:30.
Testifico que esse Jesus, que foi morto e suspenso 13. Ver Isaías 53; Mosias 14.
no madeiro12, vive. O total triunfo do evangelho é que 14. Ver Isaías 61:1–3.
A L I A H O N A
32
SER O MELHOR
Sejam gratos; Sejam inteligentes; Sejam puros;
Sejam fiéis; Sejam humildes; Orem sempre.
— Presidente Gordon B. Hinckley
O Passo Mais Impor
F. David Stanley
Ex-presidente do Templo de Bountiful Utah
e Ex-membro do Segundo Quórum dos Setenta

Nenhuma preparação minutos, deu-se início à segunda fa- janeiro de 1996, p. 57) Somente no
para a missão ou para se de preparação. As duas famílias fi- templo recebemos as bênçãos mais
a vida é mais vital do zeram listas detalhadas: estabelecer elevadas da vida. Somente lá cum-
que aquilo que acontece o último dia de trabalho, comprar pri-se a plenitude do evangelho. A
no templo. roupas e malas, preparar-se para a essência de tudo o que fazemos na
reunião sacramental, fazer uma reu- Igreja centraliza-se no templo.

E ra quinta-feira, e como cente-


nas de outras pessoas na
Igreja, Jim e Alex aguarda-
vam ansiosamente pelo carteiro.
Seus papéis de recomendação mis-
nião com a família e, claro, ir ao
templo. Infelizmente, apenas uma
das famílias considerou a ida ao tem-
plo o evento mais importante da vi-
da de seu filho, dando ao fato a
INVESTIDOS DE PODER
A investidura, que é um dom de
Deus, permite que você se fortifique
com “poder do alto” (D&C 38:32),
sionária tinham sido enviados várias merecida atenção. que é o poder de Jesus Cristo. O pla-
semanas antes, e aquele deveria ser o no de salvação que você ensinará no
dia de receberem seus respectivos TUDO CENTRALIZA-SE NO TEMPLO campo missionário é mostrado no
chamados. Se a ida ao templo deve ser uma templo de modo extremamente sa-
Jim estava trabalhando no super- grande bênção em sua missão e em grado e de uma forma bastante com-
mercado do bairro, e Alex trabalha- sua vida, como é o que se espera, en- preensiva. Você fará um convênio
va para um construtor. Os dois tão esse acontecimento deve ser de não falar fora do templo a respei-
fizeram a mãe prometer que se rece- mais do que simplesmente um outro to das ordenanças e convênios que
bessem um envelope grande e branco item na sua lista de coisas a fazer an- fará. Mas se for obediente a esses
da sede da Igreja, não deveria abri-lo. tes de ir para o campo missionário. convênios, bênçãos eternas o acom-
Ambos tiveram dificuldade em con- O Presidente Howard W. Hunter panharão ao campo missionário e es-

FOTOS ILUSTRATIVAS DE PATRIC GERBER E KARI A. TODD; FOTOGRAFIA DE APOIO DE CRAIG DIMOND
centrar-se no trabalho naquele dia. (1907—1995) disse: “Realmente tarão com você por toda a vida.
Jim quase empacotou sabão junto não existe nenhum outro trabalho
com verduras frescas, e Alex cortou que se compare àquele realizado no PREPARAR-SE PARA O TEMPLO
duas tábuas num tamanho pequeno templo”. (“We Have a Work to Do”, Uma preparação muito importan-
demais. Ensign, março de 1995, p. 65) Ele te é a de estudar e procurar com-
Os envelopes grandes e brancos disse também: “Preparemos todos os preender as doutrinas do templo que
realmente chegaram. No final do dia, missionários para irem ao templo estão nas escrituras sagradas.
os dois jovens correram para casa. com dignidade e para fazerem dessa Ao meditar na profundidade des-
Com a mãe ao lado, abriram o tão experiência o ponto alto de sua vida, sas doutrinas, ore para conseguir
esperado chamado missionário. A mais importante ainda do que o cha- compreender o significado dos con-
expectativa foi substituída pela ale- mado para a missão”. (A Liahona, vênios eternos que você fará no
gria e por lágrimas de gratidão. Os maio de 1995, p. 6) O Presidente templo. Ore para conseguir ouvir es-
dois jovens sentiram que Deus falara Gordon B. Hinckley declarou: “[Os piritualmente. Pode ser oportuno, se
com eles e estavam prontos para res- templos] e as ordenanças neles reali- houver um templo nas imediações,
ponder ao Seu chamado. zadas representam o ponto máximo participar de batismos vicários antes
Passada a agitação dos primeiros de nossa adoração”. (A Liahona, de receber sua própria investidura.
A L I A H O N A
34
tante
Lembre-se que ao pisar no “mon- poderá ter um acompanhante. Este
te do Senhor” (ver Isaías 2:3), sua pode ser um parente ou amigo ínti-
dignidade pessoal é de suma impor- mo — e onde for possível, o pai,
tância. A dignidade para entrar no para missionários, ou a mãe, para
templo é essencialmente a mesma missionárias.
para ingressar no campo missionário. A fim de contribuir com a re-
Por favor, não tente esconder trans- verência no templo, seja você
gressões ou pecados pessoais. Se fizer também reverente. A comunica-
isso, você não se sentirá bem ao fazer ção com os outros deve ser em
os convênios sagrados. Como missio- voz baixa. Você verá quando en-
nário, você irá progredir ou tropeçar trar no templo.
de acordo com sua dignidade. Depois de os oficiantes verifi-
Quando você for entrevistado pa- carem e processarem sua reco-
ra receber sua primeira recomenda- mendação, você entrará no
ção para o templo, seu bispo ou vestiário e será preparado para
presidente de ramo conversará com as ordenanças de unção e ablu-
você e fará algumas perguntas. Você ção. (Ver D&C 124:39.) Após
pode pedir-lhe que explique o propó- as ordenanças iniciatórias, re-
sito e significado dessas perguntas ceberá instruções de um mem-
sobre dignidade antes mesmo de sua bro da presidência do templo
entrevista formal. ou pela diretora do templo ou
As alas e os ramos — e também uma assistente. Na casa do
as estacas e distritos — têm classes Senhor espera-se uma atmosfe-
de preparação para o templo para ra de aprendizado. (Ver D&C
aqueles que entrarão no templo pela 109:8.)
primeira vez. Não deixe de aprovei- Em seguida, você será con-
tar essa oportunidade. duzido a uma sala de ordenan-
ças onde serão dadas instruções
A EXPERIÊNCIA NO TEMPLO sagradas e feitos os convênios.
O que você deve esperar da pri- Os convênios eternos que você fa-
meira vez que vai ao templo? Você rá mudarão sua vida para sempre.
sentirá uma atmosfera de paz, tran- O significado profundo desses convê-
qüilidade e reverência impossíveis nios não deverão surpreendê-lo se
de serem encontradas em qualquer você normalmente estuda as escritu-
outro lugar no mundo. Será recep- ras. Os convênios são uma continua-
cionado por oficiantes gentis e pres- ção do que é esperado de cada
tativos que lhe mostrarão como se membro que foi batizado e recebeu
conduzir a cada etapa da experiência o Espírito Santo. O fato de receber
no templo. Além disso, você também esses convênios no templo sagrado
A L I A H O N A
36
coloca você sob uma obrigação maior, Quando começar a estudar, Essas escrituras podem
porém, em contrapartida, você tem a aprender e ensinar as palestras mis- ajudá-lo em sua preparação
promessa de que, se for fiel, receberá sionárias, você sentirá imediatamen- para ir ao templo pela
as maiores bênçãos da eternidade. te a harmonia dos convênios sagrados primeira vez — e em todas
Parte do processo consiste no feitos no templo. Isso irá mais tarde as vezes subseqüentes.
compromisso de usar o garment do aumentar sua fé e testemunho. O po-
santo sacerdócio pelo resto de sua vi- der que você pode sentir indo regu- Poder da divindade
da. O garment irá ajudá-lo a lembrar- larmente ao templo manifesta-se D&C 84:20
se dos convênios sagrados que você num testemunho maior do Salvador
Poder do alto
fará e também servirá de proteção e de Seu sacrifício expiatório. Todos
D&C 95:8–9
contra o mal. os convênios que você fizer no tem-
Após ter completado o processo plo centralizam-se no Pai Celestial e Um lugar de instrução
da investidura, você entrará na sala em Seu Filho Jesus Cristo. A obe- D&C 97:10–17
celestial do templo e poderá desfrutar diência a esses convênios trará inú-
de sua reverente santidade. Nesse lo- meras bênçãos, não somente durante Sacrifício
cal, você se reunirá às pessoas queri- sua missão, mas em toda a sua vida. D&C 109:5
das que o acompanharam no templo. Entre no templo com o desejo humil-
Esse é o lugar e a hora de conversar de de compreender melhor a vonta- Um lugar de santidade
sobre coisas sagradas, meditar em si- de do Pai Celestial em relação a você. D&C 109:13
lêncio, ponderar e adorar a Deus. Essa humildade permitirá que você
Obter todas as coisas
sinta o Espírito Santo, que aumente
necessárias
UMA SENSAÇÃO DE FORÇA seu desejo e compromisso de viver
D&C 109:15
Indo ao templo, você ganha força uma vida reta. As respostas para as
para sua própria investidura. Se você dificuldades da vida estão à nossa A casa de Deus
se preparar para essa grande bênção, disposição nos templos sagrados do D&C 109:16
sentirá isso imediatamente. Essa for- Senhor.
ça pode ser mantida e aumentada As maiores bênçãos da vida e da Pureza
antes de sua missão e durante a vida eternidade e a plenitude do sacerdó- D&C 109:20
se você for regularmente ao templo. cio só podem ser encontradas nos
Ao tomar sobre si convênios tão sig- templos do Senhor. Quando você fi- A aparição do Salvador
nificativos, você começará a ter uma zer da experiência do templo algo no Templo de Kirtland
A IMAGEM DE CRISTO, DE HEINRICH HOFMANN

compreensão mais profunda do pla- mais do que apenas um outro item D&C 110
no de felicidade do Pai Celestial. É de sua lista de coisas a fazer, recebe-
Unções e abluções
como Alma descreve: “Vossa com- rá um poder que de nenhuma outra
preensão começa a iluminar-se e vos- forma receberia. Ao trabalhar para D&C 124:37–42
sa mente começa a expandir-se”. trazer outras pessoas a Cristo, verá Convênios
(Alma 32:34) Alma também diz: que está trilhando um caminho que
D&C 132:7–14
“Começa a ser-me [delicioso]”. no final o guiará de volta à presença
(Alma 32:28) do Pai e de Seu Filho. 
O U T U B R O D E 2 0 0 1
37
N O C T M

Marvin K. Gardner

Quer você tenha sido


E le nasceu numa pequena casa de
barro com telhado de sapé em
Chojoló, uma remota vila nas mon-
do ramo. Quando um missionário o
incentivou a servir numa missão de
tempo integral, Manuel explicou o
tanhas no sul do México. Quando motivo por que não poderia fazê-lo.
membro da Igreja a vida ouviu os missionários, aos 15 “Não falo nem entendo es-
anos de idade, alguém preci- panhol, só tzotzil”, disse ele.
toda ou apenas há um ano, sou traduzir-lhe o que eles “Além disso, não tenho di-
diziam em espanhol para sua nheiro. Tive que largar a es-
língua natal, o tzotzil. Ele es- cola quando era menino
o Centro de Treinamento
tudou trechos do Livro de para trabalhar no campo a
Mórmon em tzotzil, foi bati- fim de sustentar meus pais
Missionário (CTM) pode zado e procurou compartilhar o idosos. Eles dependem totalmente
evangelho com seus pais. Quatro de mim.”
ajudá-lo a preparar-se para anos depois, eles foram batizados. Mas Manuel queria servir numa
Manuel Solíz Ruiz serviu como missão, e juntou coragem para falar
servir numa missão. professor da Primária e secretário com o presidente da missão local.
A L I A H O N A
38
Percebendo a pureza de coração de O Élder Solís está tendo uma ex- CTM ajuda os missionários a achega-
Manuel, o presidente da missão e ou- periência que influenciará sua vida rem-se mais a Deus e a desenvolverem
ACIMA: FOTOGRAFIA DO CTM DO MÉXICO POR MARVIN K. GARDNER; À ESQUERDA: FO-
TOGRAFIA DO ÉLDER MANUEL SOLÍS RUIZ, CORTESIA DO DEPARTAMENTO MISSIONÁRIO

tros líderes locais ajudaram a tornar para sempre, no Centro de Treina- maior poder de conversão. No CTM,
sua missão possível. mento Missionário, uma experiência cada missionário irá:
“Hoje estou no Centro de que o está ajudando a preparar-se pa- • Aprender e amar as doutrinas do
Treinamento Missionário da cidade ra a missão e também para a vida. evangelho e desenvolver qualidades se-
do México!” diz Manuel, com 21 Muitos missionários nos CTMs de melhantes às de Cristo.
anos, que foi chamado para a todo o mundo estão tendo experiên- • Aprender a ensinar pelo poder do
Missão México Cidade do México cias semelhantes. Espírito a fim de ajudar outras pessoas
Sul. “Fiquei triste por deixar meu a terem fé em Cristo, arrependerem-
pai e minha mãe, mas eles ficarão QUAL É O PROPÓSITO DO CTM? se, serem batizadas, receberem o
bem. O Senhor me dá confiança Todos os CTMs têm a mesma de- Espírito Santo e perseverarem até o
e forças. Estou aprendendo o evan- claração de propósito. fim.
gelho de Jesus Cristo e fiz muitos Sob a influência do Santo Espírito e • Buscar o dom das línguas e tornar-
amigos aqui no CTM, que estão me em um ambiente de amor, confiança e se capaz de falar a língua da missão
ajudando.” respeito, o treinamento ministrado no para a qual foi designado.
O U T U B R O D E 2 0 0 1
39
Além de farto alimento
espiritual, o CTM também provê
refeições nutritivas. Extrema
esquerda: No CTM de Provo.
À esquerda: No CTM do México.

QUANTOS CENTROS DE TREINAMENTO Requena, da Guatemala, está no Cristo. Será capaz de iniciar seu tra-
MISSIONÁRIO EXISTEM? CTM da Argentina, tem uma com- balho no campo missionário com
Há 15 Centros de Treinamento panheira do Chile e está preparando- confiança e humildade, com fé e se-
Missionário no mundo: na Argentina, se para servir no Uruguai. “Senti o gurança, e com um sólido alicerce de
Brasil, Chile, Colômbia, República Espírito desde o momento de minha conhecimento do evangelho, habili-
Dominicana, Inglaterra, Guatemala, chegada”, diz ela. “Meu testemunho dades didáticas, capacidade de falar
Japão, Coréia, México, Nova Zelândia, está crescendo sem parar.” a língua e compreensão da cultura
Peru, Filipinas, Espanha e Provo, local.
Utah. O QUE FAREI NO CTM?
Você terá um companheiro mis- O QUE OS OUTROS MISSIONÁRIOS
PARA QUAL CTM EU IREI? sionário de tempo integral, um presi- ESTÃO DIZENDO A RESPEITO DO
Quando receber seu chamado, vo- dente do CTM e professores que são CTM?
cê será informado sobre o CTM para missionários que já retornaram do Ainda Não Consigo Acreditar.
o qual irá. Na maioria dos casos, vo- campo. Você estudará a doutrina da Élder Edgar Eleuterio Quispe Pérez,
cê receberá treinamento de professo- Igreja. Aprenderá como ensinar pelo da Bolívia, que está no CTM do
res que falam a língua de sua missão Espírito — e em especial como usar o Peru: “Ainda não consigo acreditar
como idioma materno, irá interagir Livro de Mórmon e outras escrituras que estou realmente aqui no CTM e
com missionários nascidos na sua no ensino. Aprenderá como apresen- que estou usando uma plaqueta de
missão, formará dupla com missioná- tar as palestras de proselitismo. Se missionário!”
rios que estão servindo na área e terá necessário, aprenderá uma língua no- Em Casa. Élder William Samuel
oportunidade de conhecer por si va. Irá ao templo. As Autoridades Lolani Meredith, de Samoa

FOTOGRAFIA DE MARVIN K. GARDNER, JOHN LUKE E C. EUGENE HILL


mesmo o povo e a cultura local. Gerais e as Autoridades de Área fala- Ocidental, que está no CTM da
Muitos de vocês não terão de apren- rão para você nos devocionais, ao vi- Nova Zelândia: “A princípio fiquei
der uma língua e ficarão no CTM por vo ou por transmissão via satélite ou um pouco ansioso, mas agora sinto-
cerca de três semanas. Se precisarem vídeo. Você aprenderá as regras de me em casa aqui”.
aprender uma língua, ficarão por comportamento e a rotina de um Entre os que Foram Chamados a
aproximadamente oito semanas. missionário de tempo integral. Terá Servir. Élder Choi Byung-Yong, da
Seja qual for o CTM em que fi- tempo para fazer exercícios físicos, Coréia, que está no CTM da Coréia:
quem, vocês sentirão o Espírito ao cantar em coros, alimentar-se, lavar “Fiquei emocionado ao assistir ao ví-
interagirem com missionários de sua roupa e escrever cartas. deo Called to Serve (Chamados a
muitos outros lugares. Por exemplo: Nesse processo, aprenderá a ser Servir). Ele ajudou-me a dar-me
A síster Ana Victoria Ordoñez um embaixador do Senhor Jesus conta de que sou um dos 60.000
A L I A H O N A
40
As horas de estudo intensivo são alternadas com
oportunidades para atividades físicas. Abaixo: No
CTM da República Dominicana. À direita: No CTM
do México.

países e culturas diferentes, mas o


Espírito é muito forte entre nós.
Estamos todos unidos em nossa
causa”.

missionários que estão servindo ao Pensar Primeiro nos Outros. Síster SERÁ QUE CONSEGUIREI?
Senhor!” Yulia Vladimirovna Mikhaleva, da É Difícil no Começo. Élder José
Rússia, que está no CTM de Provo: Luis Aguilar, do Peru, que está no
SERÁ QUE GOSTAREI DO MEU “Não é fácil ficar com uma pessoa 24 CTM do Peru: “As duas coisas de que
COMPANHEIRO? horas por dia. Aprendemos a pensar mais gosto no CTM são a comida e o
Um Amigo. Élder Joseph Thomas primeiro nos outros e depois em nós belo espírito que sentimos aqui. A
Miller, de Utah, EUA, que está no mesmas”. parte mais difícil é que tudo é muito
CTM da Espanha: “Nunca estudei es- A Língua do Espírito. Síster rigoroso. Sempre temos que ser pon-
panhol antes, mas meu companheiro Kimberly Monika Johnson, da tuais, há muito estudo a ser feito, e
já estudou por seis anos. Ele ajudou- Alemanha, que está no CTM da não há muito tempo para estudar-
me muito com a língua, com o evan- Inglaterra: “Sinto-me grata por mi- mos. A princípio, foi difícil acostu-
gelho e com muitas outras coisas. Ele nha companheira, síster Iva Petkova, mar-nos, mas agora tudo está indo
tem sido mais do que um companhei- da Bulgária. Em nosso grupo de 12 muito bem”.
ro, tem sido meu amigo”. Seu compa- sísteres, há oito nacionalidades re- É Difícil Acordar Cedo. Élder
nheiro, o élder Samuel David Norton, presentadas. Aprendi a amar cada Oscar Ignacio Pérez Aguilera, do
da Inglaterra, diz que a recíproca é uma das sísteres. Embora houvesse a Chile, que está no CTM do Peru:
verdadeira: “Élder Miller é uma pes- barreira da língua, conseguimos co- “Tem sido difícil para mim levantar-
soa notável. As lições de humildade e municar-nos umas com as outras pe- me e ir deitar-me cedo, mas sei que as
diligência que aprendi com ele real- la língua universal do Espírito. regras nos ajudam a sermos responsá-
mente me ajudaram”. Sinto-me cheia do Espírito sempre veis e bem-sucedidos”.
Paciente Comigo. Élder Esteban que as ouço orar em sua língua natal Superar a Saudade de Casa.
José Ventura, do Uruguai, que está e quando fazem uma oração simples Élder Cristhian Rolando Escalante
no CTM da Argentina: “Meu com- em inglês”. Romero, do Equador, que está no
panheiro ajudou-me a saber como Unidos em Nossa Causa. Síster CTM da Guatemala: “Como estou
expressar amor a outras pessoas. Ele Jana Hedrlinova, da República muito longe de casa, as cartas levam
é paciente comigo e me ajudou a Checa, que está no CTM de Provo: muito tempo para chegar até aqui.
aprender as palestras”. “Aqui há muitas pessoas de diversos Mas meu companheiro me fortalece
O U T U B R O D E 2 0 0 1
41
FOTOGRAFIA DE MARGARITA DÍAZ, JOHN LUKE, C. EUGENE HILL, BARBARA JEAN JONES, JANET THOMAS E ROGER TERRY

Enquanto estão no CTM,


os missionários têm a
oportunidade de ir ao
templo. À esquerda: No
Templo de Madri Espanha.

estando a meu lado. Meu presidente Santo. Antes de vir para cá, estudei que está no CTM do Peru: “Em nos-
do CTM me aconselha como se eu inglês por cinco anos na escola, mas sa classe, recebemos a designação de
fosse um de seus netos. Eu o um élder brasileiro que se senta a escrever uma dissertação explicando
amo muito. E Jesus Cristo me dá meu lado nunca estudou inglês. Ele a Expiação. Mas eu nunca tinha
alento”. está falando tão bem quanto eu, de- compreendido claramente a Expia-
A Meu Lado. Élder Cory Lignell, pois de ter ficado apenas um mês no ção, e por isso não consegui fazê-lo. E
de Utah, EU A, que est á no CTM da CTM!” não fui a única. Quando se aproxi-
República Dominicana: “Sei que Imersão Plena na Cultura. Élder mava a data de entregarmos nossa
Deus está a meu lado, e meus amigos Daniel Bokovoy, da Califórnia, EUA, dissertação, nossos professores nos
e minha família estão orando por que está no CTM do Brasil: “Um dos ajudaram. Pude perceber que éramos
mim”. fatores mais importantes no aprendi- mais importantes do que a desig-
O Amor de Cristo. Élder José zado de uma nova língua é a imersão nação dada. Estudamos D&C
Carlos Pérez Zubieta, da Bolívia, que plena na cultura onde a língua é fala- 19:16–19, e consegui compreender o
está no CTM do P eru: “Quero apren- da. Temos muitas oportunidades de ir grande amor que Jesus Cristo tem
der todos os costumes e regras que até a cidade e interagir com os mora- por nós”.
irão ajudar a tornar á- dores locais. Também podemos sair
-me um mission Estar com Nosso Presidente do
rio de sucesso. No CTM , sinto para
o fazer trabalho de proselitismo CTM. Élder Tomomi Hara, do Japão,
amor de Cristo. Sinto -me bem pertocom os missionários de tempo inte- que está no CTM do Japão: “Uma
Dele”. gral locais. Temos experiências reais das maiores bênçãos é estar com nos-
no trabalho missionário”. so maravilhoso presidente do CTM e
POSSO REALMENTE APRENDER UMA sua esposa. Sempre que estou com
NOVA LÍNGUA E CULTURA? COMO SÃO AS AULAS E AS REUNIÕES? eles, sinto o Espírito”.
Não Há Nenhum Outro Centro Os Professores Instilam Ouvir os Discursos das
de Ensino de Línguas no Mundo. Confiança. Síster Lizbeth Adriana Autoridades Gerais. Élder Ricardo
Élder Wojtek Krzysztof Baszczyk, da Martínez Hernández, do México, Andrés Ibáñez Fuentemavida, do
Polônia, que está no CTM de Provo: que está no CTM do México: “Meus Chile, que está no CTM do Peru:
“Não há nenhum outro centro de en- professores deram-me muita confian- “Quando assistimos ao vídeo Special
sino de línguas no mundo em que as ça de que se eu trabalhar arduamen- Witnesses of Christ (Testemunhas
pessoas aprendam uma língua tão te, conseguirei cumprir o que o Especiais de Cristo), fiquei particu-
bem em tão pouco tempo. Creio que Senhor espera de mim”. larmente tocado pelo testemunho
isso acontece porque somos ensina- Compreender a Expiação. Síster que o Presidente Gordon B. Hinckley
dos sob a influência do Espírito Bayelita Carmen Ituza Casa, do Peru, prestou no Bosque Sagrado. Senti
A L I A H O N A
42
México República Coréia Japão
Guatemala Dominicana
Colômbia

Filipinas
Peru
Inglaterra
Brasil
Provo, Utah
Argentina
Chile Espanha Nova
Zelândia

CTMs atualmente em funcionamento no mundo

grande alegria, e pude ver o amor e a No Templo. Síster Sachiko gigante. Mas sei que estou apenas
paz em seus olhos”. Miyagawa, do Japão, que está no começando”.
Síster Abigail Ray Babaga, de CTM do Japão: “Ir ao templo en- Prestar Testemunho. Élder Brett
Papua Nova Guiné, que está no quanto estive no CTM foi uma expe- Maxfield, de Idaho, EUA, que está
CTM da Nova Zelândia: “Ouvi a riência que jamais esquecerei. No no CTM da República Dominicana:
transmissão de um discurso do Élder templo, senti o desejo de ser mais “Certa noite, após um devocional,
M. Russell Ballard, do Quórum dos obediente e de achegar-me mais a meu distrito foi para uma sala e
Doze Apóstolos, e senti-me cheia do Deus”. compartilhamos o que havíamos
Espírito”. Ajudar Outros a Sentirem aprendido e prestamos nosso teste-
Élder Benjamin F. Gardner, do Alegria. Síster Lesly María Guzmán munho. Nunca tinha sentido o
Arizona, EUA, que está no CTM do Maldonado, da Guatemala, que está Espírito tão forte em toda a minha
Brasil: “Assistimos a um vídeo do Él- no CTM da Guatemala: “Enquanto vida”.
der Jeffrey R. Holland, do Quórum participava das ordenanças do tem- Crescer Espiritualmente. Élder
dos Doze Apóstolos, falando do plo, senti esperança, segurança, amor Nigel Morriss, da Inglaterra, que está
CTM de Provo. Foi muito vigoroso. e gratidão. Percebi o quanto signifi- no CTM da Inglaterra: “Meu cresci-
Ele disse que pensa em sua missão cava para mim alcançar a exaltação mento espiritual aqui foi imensurá-
quase todos os dias de sua vida”. com minha família. Vou trabalhar vel. Em um ambiente de amor,
com todas as minhas forças para aju- confiança e respeito, acheguei-me a
E SE EU AINDA NÃO FUI AO TEMPLO? dar outras pessoas a terem essa mes- Deus de um modo indescritível.
Preparação para o Templo. Síster ma alegria”. Compreendi que essa experiência é
Carmen María Ramos Zúñiga, de apenas o início de uma jornada.
Honduras, que está no CTM da O CTM É REALMENTE UMA Minha missão é apenas o passo ini-
Guatemala: “Em nosso primeiro do- EXPERIÊNCIA QUE “MUDA NOSSA cial de um crescimento e desenvolvi-
mingo aqui, jejuamos a fim de prepa- VIDA”? mento muito maiores”.
rar-nos para entrar no templo. Desde Só Estou Começando. Élder Sentir a Expiação. Élder Evanildo
o momento em que acordei pela Nathan Craven, de Utah, EUA, que Gomes do Nascimento, do Brasil, que
manhã, senti a presença do Espírito. está no CTM da Espanha: “Como está no CTM do Brasil: “O cresci-
Tive a forte impressão de que minha estava na Igreja por apenas um ano e mento espiritual aqui é inacreditável!
família, que não são membros da meio, depois de 10 anos de inativi- Eu costumava aceitar a Expiação.
Igreja, logo seriam contactados dade, eu não sabia nada sobre o Agora sinto-a em meu coração de
pelos missionários e aceitariam o evangelho. Portanto, comparado ao um modo que não consigo sequer
evangelho”. que eu era há dois meses, sou um expressar”. 
O U T U B R O D E 2 0 0 1
43
VOZES DA IGREJA

Viver a Aventura

O
Élder David B. Haight, do Quórum escuro”. (Ver esta edição, p. 15.) ❦ Como qual-
dos Doze Apóstolos, declarou: “Partir quer grande aventura, a missão exige prepa-
para o campo missionário, como muitos ração, prática e trabalho. Requer o máximo
de vocês sabem, envolve muitas das mes- empenho. Mas poucas outras aventuras,
mas emoções sentidas ao embarcar- conforme veremos nas experiências
mos em alguma aventura radical: abaixo, são capazes de produzir
entusiasmo, uma dose de ansie- uma alegria tão palpável e que
dade e talvez até uma pontinha modifica tanto a vida das pes-
de medo. No trabalho missio- soas quanto a felicidade decor-
nário, damos um passo no rente do serviço missionário.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Um Tesouro de Amor (Cante Comigo, B-52). Trouxe gra-


Romy Bazalar Cotera vuras e, ao ensinar-nos a letra, falou-

L embro-me de certa tarde como


se fosse ontem. Eu estava senta-
da ao lado de uma senhora sorriden- quando fecho os olhos, consigo visua-
nos da importância da música em
nossa vida. Disse-nos que o Pai
Celestial e Jesus Cristo gostavam de
te durante nossas reuniões de lizar nitidamente a fisionomia deles. ouvir-nos erguer a voz em louvor.
domingo, que naquela época aconte- Sempre os cito para minha classe de Em outra ocasião, voltamos a sen-
ciam tanto de manhã como à tarde. CTR. A história deles é a melhor ma- tar-nos juntas na reunião sacramen-
Segurei-lhe a mão para que ela não neira que conheço para ensinar sobre tal. Não conseguíamos dizer muitas
saísse de perto de mim. Mas eu só ti- o amor a meus alunos da Primária. coisas uma para a outra por causa das
nha seis anos de idade e estava bas- Eles haviam saído de seu país e barreiras lingüísticas, mas de alguma
tante cansada. Minhas pálpebras vindo ao Peru para passar algum forma nos comunicávamos. Durante

A OVELHA PERDIDA, DE DEL PARSON; ILUSTRAÇÕES DE BRIAN CALL


começaram a fechar-se e embora eu tempo conosco. Ela não era fluente a reunião, ela pegou uma folha de
fizesse um esforço enorme para não em nosso idioma, mas seu marido fa- papel e alguns lápis de cor. Achei que
soltar aquela mão calorosa, adorme- la melhor do que muitos de nós. Nós ela iria escrever algo, mas ela sussur-
ci. Quando acordei, aquela mão não o admirávamos e sabíamos que ele rou: “Vamos desenhar a mamãe”. Ela
estava mais lá. Lágrimas banharam- amava nossa língua e cultura. fez um pequeno círculo. Em seguida,
me o rosto pequeno e meu coração Não me lembro exatamente de apontou para os próprios olhos e
entristeceu-se. quando comecei a amar a síster
O nome dela era síster Avon Compton, mas acho que deve ter si- A síster Compton pegou uma
Compton. Ela e o marido, Merlin, es- do naquele primeiro domingo na folha de papel e alguns lápis
tavam sempre sorrindo, e seu sem- Primária. Ela ensinou-nos um hino de cor e sussurrou: “Vamos
blante irradiava amor. Ainda hoje, chamado “Quando Vou à Igreja” desenhar a mamãe”.
A L I A H O N A
44
deu-me uma folha e um lápis. felizes ao achar o tesouro! Desde perguntou: “Se o Senhor a chamasse
Compreendi que ela queria que eu aquela época, encontrei muitos te- para a missão hoje, você iria?”
desenhasse os olhos, e o fiz. Devolvi o souros belos e valiosos na vida, mas Respondi: “Creio que sim”.
lápis, e ela desenhou o cabelo. um dos maiores será sempre o amor Recebi minha recomendação para
Depois, desenhei o vestido e ela, os de dois membros-missionários espe- o templo e minha investidura naque-
braços. Finalmente terminamos o de- ciais: meus amigos Avon e Merlin le mesmo dia. Decidi também que
senho de minha mãe. Como fiquei fe- Compton. aceitaria o chamado para servir co-
liz! Mostrei para a minha mãe e dei Romy Bazalar Cotera é membro da Ala mo missionária.
um grande abraço na síster Compton. Santa Cruz, Estaca Lima Peru Limatambo. Essa decisão deixou minha família
Ela sempre tinha algo para partilhar estarrecida. Meu irmão mais velho
conosco. Muitas vezes, era alguma his- Apanhada de Surpresa disse que se eu fosse para a missão,
tória infantil de sua própria autoria. Wang Shu-chuan deveria estar disposta a romper rela-
Certo dia, falou-me de Jesus Cristo e,
em seguida, colorimos algumas gravu-
ras de Jesus preparadas por ela.
F iliei-me à Igreja em Tainan,
Taiwan, em outubro de 1991.
Dois anos depois, mudei-me para
ções com a família.
No entanto, como Néfi prometeu,
o Senhor preparou um caminho para
Finalmente chegou o dia em que Taipé para trabalhar. Por sentir ne- eu cumprir Suas ordens. (Ver 1 Néfi
o irmão e a síster Compton foram cessidade de aumentar meu conheci- 3:7.) Parti para a missão Taiwan
embora. Perguntei o motivo. Minha mento do evangelho, matriculei-me Taichung em maio de 1996. Pouco an-
mãe respondeu que eles tinham uma no instituto. Essa decisão levou a tes de minha saída, meu irmão abra-
família que precisava deles e sentia acontecimentos surpreendentes. çou-me e, com lágrimas nos olhos,
saudades. Pensei em minha mãe e Em meu segundo ano de instituto, revelou que se opusera a minha missão
como eu também não conseguiria fi- estudamos Doutrina e Convênios. por detestar a idéia de separar-se de
car longe dela por muito tempo. Foi Ao aprender acerca das ordenanças mim. Ao longo de toda a missão, rece-
então que compreendi que deveria do templo, senti um forte desejo de bi apoio irrestrito de minha família.
conformar-me com a partida da sís- recebê-las. Quando conversei com o Minha vida mudou completa-
ter Compton. bispo a respeito, ele sugeriu algumas mente por eu ter servido como mis-
Já se passaram muitos anos desde maneiras para eu preparar-me. Em sionária. Passei a compreender com
aquela época. Mas nunca paramos de junho de 1995, fui entrevistada pelo mais clareza meu relacionamento
corresponder-nos, e nossa amizade só presidente da estaca. com o Pai Celestial. Meu testemu-
se fortaleceu. Quando penso na síster Inicialmente, meu presidente de nho cresceu, e a importância do tra-
Compton, vêm-me à mente as pala- estaca disse que eu era muito nova balho de trazer almas a Jesus Cristo
vras do Senhor Jesus Cristo a Seus para fazer os convênios sagrados do ficou eternamente gravada em mi-
discípulos: “O meu mandamento é es- templo. Fiquei arrasada com aquelas nha mente e coração.
te: Que vos ameis uns aos outros, as- palavras, pois muito me empenhara Agora que terminei a missão, o
sim como eu vos amei”. (João 15:12) na preparação e, sinceramente, sen- que há de maior valor para mim é a
Lembro-me com carinho de mi- tia-me pronta. Assim, supliquei-lhe promessa que fiz a Deus de que per-
nhas férias escolares, quando as que reconsiderasse sua posição, expli- severaria até o fim. Lembro-me vivi-
crianças da Primária participavam de cando que o bispo já dera o aval e me damente das palavras de meu
uma brincadeira chamada caça ao encaminhara até ele. Perguntei se po- presidente de missão pouco antes da
tesouro; no caso, o tesouro podia ser deríamos ao menos conversar acerca desobrigação de um grupo de élderes
um chocolate, uma flor ou um pe- da possibilidade. Ele concordou: “Se e sísteres. Ele disse que desejava que
queno brinquedo escondido por uma você insistir, poderemos conversar”. permanecêssemos dignos para poder-
criança mais velha. Como ficávamos Perto do fim da entrevista, ele mos estar novamente todos juntos
A L I A H O N A
46
Eu e meu companheiro ficamos
perplexos quando algumas
crianças saíram de uma casa
pequena e humilde gritando:
“Uma bênção! Uma bênção!
Dêem-nos uma bênção!”

nome dela como referência e fomos


embora.
Voltamos dois dias depois e desco-
brimos que ela era membro Igreja,
mas não freqüentava havia muito
tempo. O principal motivo era que
ela não sentira o incentivo de nin-
guém. Seus filhos não eram membros
da Igreja. Percebemos que ela tinha o
desejo de tornar o evangelho de Jesus
Cristo parte da vida dela e dos filhos.
Ensinamos a mensagem do evan-
no céu algum dia. Esse desa- gelho aos filhos, e eles foram batiza-
fio sempre me volta à mente, dos duas semanas depois. Na reunião
principalmente em momentos de batismal, um deles chorou de alegria.
provação. companheiro estávamos a caminho Disse que a mãe mudara e que ele es-
Meu coração está cheio de grati- de uma palestra. De repente, algu- tava muito feliz pelo fato de o
dão. Agradeço a Deus por ter-me mas crianças saíram gritando de uma Senhor ter enviado os missionários
protegido e concedido experiências casa pequena e humilde: “Uma bên- até sua casa.
de aprendizado. Muitas delas foram ção! Uma bênção! Dêem-nos uma Aqueles meninos mal podiam
inesperadas e pegaram-me de surpre- bênção!” imaginar que, ao pedirem uma bên-
sa, mas todas me moldaram e ajuda- Ficamos perplexos e nem sabía- ção em tom de brincadeira, seriam
ram a tornar-me mais semelhante à mos o que pensar. Passou-nos pela atendidos pelo Senhor — e em
serva do Senhor que tanto almejo ser. cabeça simplesmente ignorá-los e abundância. Hoje, essa família conti-
Wang Shu-chuan é membro da Ala seguir para nosso compromisso, mas nua fiel e firme na Igreja.
Taipé IV, Estaca Taipé Taiwan Central. algo nos impeliu a procurar saber o Muitas pessoas no mundo são co-
que estava acontecendo. Temíamos mo essas crianças. Mesmo incons-
“Dêem-nos uma que tivesse ocorrido alguma tragédia. cientemente, desejam uma bênção
Bênção!” As crianças voltaram correndo pa- do Pai Celestial. Basta pedir, e Ele
Lesly Augusto Tobar Correa ra dentro da casa. Seguimo-las e en- responderá. Afinal, Ele disse: “Vós

O tavalo, uma bela cidade no nor-


deste do Equador, é ainda mais
bonita em minha memória devido a
contramos uma senhora que ficou tão
surpresa ao ver-nos quanto nós ao vê-
la. Explicamos o que sucedera e, sor-
sois criancinhas e ainda não com-
preendestes quão grandiosas são as
bênçãos que o Pai tem nas mãos e
uma experiência que tive lá ao servir rindo, ela explicou: “As crianças só preparou para vós”. (D&C 78:17) 
na Missão Equador Quito. Em certa estavam brincando”. Conversamos Lesly Augusto Tobar Correa é membro da
tarde de setembro de 1996, eu e meu por alguns minutos, anotamos o Ala El Porvenir, Estaca Milagro Equador.
O U T U B R O D E 2 0 0 1
47
TÓPICOS DESTA EDIÇÃO

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Amizade ..........................................17

Como Utilizar
Amor ..........................................2, 44
Bênção Patriarcal ..........................A2
Bênçãos ........................................A12

A Liahona de
Centros de Treinamento
Missionário ................................38
Convênios ................................25, 34
Conversão ................................26, 44

Outubro de 2001 Educação ..........................................2


Ensino ............................................48
Ensino Familiar ................................9
Estudo das Escrituras ........................2
IDÉIAS PARA AS AULAS Expiação..........................................26
■ “Garantias de um Lar Feliz”, página 2: Uma das garantias de um lar Fé .............................................12, 26
feliz, mencionadas pelo Presidente Thomas S. Monson, é “uma biblio- História da Família ......................A10
Histórias do Novo
teca de aprendizagem”. Pense nos livros que você tem em casa. Como
Testamento ........................A4, A6
eles podem fortalecer o seu aprendizado e a sua fé? Jesus Cristo ......................26, A4, A6
■ “Sua Missão: Uma Aventura Espiritual”, página 12: O Élder David B.
Livro de Mórmon, O ......................26
Haight explica-nos que muitos missionários sacrificam alguma coisa Noite Familiar ................................48
que amam para servir em uma missão. Como as bênçãos compensam o Obediência ..........................A12, A14
sacrifício? Obra Missionária ..............10, 12, 17,
......20, 24, 26, 34, 38, 44, A2, A8
■ “A Obra Missionária e a Expiação”, página 26: O Élder Jeffrey R.
Oração ....................................2, A14
Holland pergunta aos missionários, às vezes, o que eles esperam que os Padrões............................................33
pesquisadores façam ao ouvirem as palestras. Os missionários, diz ele, Perspectiva Eterna ..........................A2
raramente apontam “as duas coisas fundamentais que desejamos que os Preparação ......17, 20, 24, 34, 38, A8
pesquisadores façam antes do batismo”. Quais são essas duas coisas, e Primária ......................................A12
Professoras Visitantes......................25
por que são tão importantes, não só para os pesquisadores mas princi-
Profetas ............................10, 33, A12
palmente para os missionários e membros? Relacionamento Familiar ..................2
■ “Não Havia Touros na Vala”, página A14: Por que é tão importan-
Sacramento ....................................25
te seguir as instruções que nos dão nossos pais, professores e o Senhor? Sacrifício ........................................12
Templo e Ordenanças
do Templo ..................34, 44, A10
Testemunho ......................................2

FOTOGRAFIA DE JERRY GARNS

UMA INFLUÊNCIA POSITIVA


Há alguém que tenha ocasionado uma grande mudança
para melhor em sua vida? A revista A Liahona gostaria de
saber algo a respeito dessa pessoa e da maneira positiva co-
mo ela o influenciou. Mande idéias, histórias e relatos para
A Positive Influence, Liahona, Floor 24, 50 East North
Temple Street, Salt Lake City, UT 84150-3223, USA ou uti-
lize o e-mail CUR-Liahona-IMag@ldschurch.org. Não
deixe de informar o seu nome completo, endereço, número
do telefone, além da ala e estaca (ou ramo e distrito).
O Amigo
PARA AS CRIANÇAS DA IGREJA DE JESUS CRISTO DOS SANTOS DOS ÚLTIMOS DIAS ■ OUTUBRO DE 2001
DE UM AMIGO PARA OUTRO

ÉLDER WAYNE M. HANCOCK


DOS SETENTA

De uma entrevista com Kellene Ricks Adams


FOTOGRAFIA DE FUNDO DE JED A. CLARK

G osto muito de minha bên-


ção patriarcal. Levo-a co-
migo onde quer que eu vá,
e leio-a com freqüência para ter orien-
tação e saber que curso seguir em mi-
Uma frase em minha bênção patriarcal deixou-me
emocionado: “Você será chamado para pregar o evange-
lho no mundo”. Durante toda a minha vida, sempre
desejei servir numa missão; por isso, quando ouvi essa
frase, senti que teria essa oportunidade.
nha vida. Aguarde ansiosamente pelo Quando chegou a época de eu servir numa missão,
dia de adquirir uma recomendação do os Estados Unidos estavam envolvidos numa guerra e
seu bispo ou presidente do ramo, depois somente alguns homens tiveram realmente permissão
receba sua própria bênção. de servir como missionários. Dos outros esperava-se
As bênçãos patriarcais são dadas por um que servissem o país na guerra, se fossem requisitados.
Pai Celestial amoroso por intermédio de um Naquela época, todos os missionários em perspectiva
patriarca ordenado e contêm conselhos espe- eram entrevistados pelas Autoridades Gerais, assim co-
cíficos e especiais para cada um de nós. Nem mo pelos líderes locais da Igreja. Passei pelo processo de
sempre entendemos nossas bênçãos quando entrevista e, por causa daquela frase em minha bênção
as recebemos. Às vezes, passam-se anos até patriarcal, achei que seria chamado para servir numa
vermos o cumprimento de alguma parte das missão. Fiquei profundamente decepcionado quando
bênçãos, mas se as lermos, orarmos sobre elas me contaram que em vez de servir como missionário,
e procurarmos seguir os conselhos e orientação eu deveria servir meu país.
que o Pai Celestial nos dá nessas bênçãos sagra- Muitas vezes, pensei naquela frase da minha bênção
das, receberemos mais ajuda e orientação. patriarcal. Quando e como eu seria chamado para pregar
O A M I G O
2
Aos 6 anos, com Com cerca de Aos 18 anos, quando Com sua mulher, O Élder Hancock
sua irmã Evelyn 10 anos, usando era estudante (à Connie, numa hoje.
Anne. seu corte de cabelo esquerda), com seu reunião de família.
preferido. primo Bevan B. Blake.

o evangelho? dizia eu para mim mesmo. Hoje, claro, co- mas seus amigos, que estavam vendo tudo da
mo Autoridade Geral, estou pregando o evangelho no margem, sabiam que ele estava nadando em águas
mundo todo. Vejo agora como aquela promessa se está rasas. Tudo o que ele precisava fazer era ficar de pé,
cumprindo, mas quando era jovem, muitas vezes ficava e seria salvo.
pensando em como isso aconteceria. Nossos pais e os líderes da Igreja muitas vezes vêem
Às vezes, na vida, podemos ficar imaginando como coisas que nós não conseguimos ver. Se dermos ouvidos
o Senhor cumprirá Suas promessas. Nem sempre é fácil a eles, sua orientação nos ajudará a alcançar a margem
ver as coisas de Seu ponto de vista eterno, e começamos sãos e salvos. A obediência é fundamental para nossa
a questionar por que Ele faz certas coisas e por que cer- segurança e proteção.
tas coisas estão acontecendo conosco. Devemos lem- É também muito importante que sejamos honestos
brar-nos de que o Pai Celestial é perfeito e que Ele nos na vida. Uma vez, fui encarregado de um grande projeto
ama muito. Devemos sempre confiar Nele, e Ele nos na Itália e as pessoas com quem eu estava trabalhando
guiará e dirigirá para a felicidade. encorajaram-me a fazer algo desonesto. “Todo mundo
Uma forma pela qual o Pai Celestial nos ajuda a faz isso”, disseram meus colegas. “É assim que as coisas
encontrar a felicidade é por intermédio de pais justos funcionam.” Talvez o que eles estivessem dizendo fosse
e líderes fiéis da Igreja. Eles vêem as coisas de maneira verdade, mas eu me recusei a fazer algo que eu sabia
diferente de nós, e devemos ouvi-los e obedecer a eles. estar errado. Decidimos juntos fazer o que era certo e
Certa vez, um grupo de rapazes foi a um lago. Eles honesto, e nosso projeto foi um sucesso.
levaram um arco e dez flechas. Depois que todas as Você terá muitas oportunidades na vida de enganar,
flechas foram atiradas e caíram inofensivamente no la- mentir ou fazer alguma outra coisa que você sabe que
go, um dos garotos resolveu nadar até o meio do lago não deve fazer. Outras vezes, pessoas o incentivarão a
para pegar a última flecha. Ele mergulhou e procurou- fazer escolhas erradas. Poderá parecer que todos estão
a. Conseguiu apanhá-la, depois começou a nadar de agindo mal e você é o único que está fazendo o que é
volta até a margem. A essa altura, ele já estava bem certo. Talvez você seja tentado a acompanhar os outros.
cansado. As roupas molhadas deixaram-no mais pesa- Lembre-se de que você sempre, sempre será aben-
do. Estava muito difícil nadar segurando a flecha na çoado por escolher o certo. O Pai Celestial sabe das
mão. O rapaz começou a ficar com medo de se afogar decisões que você toma e Ele o fortalecerá e apoiará
e começou a pedir desesperadamente que seus amigos em seus momentos de dificuldade. Ele ama muito
o ajudassem. você. Seus pais e seus professores e líderes da Primária
“Ponha os pés no chão e ande até a margem”, gritaram também amam você. Tenha fé neles e seja obediente,
eles. O rapaz não conseguia ver as coisas com clareza, e você receberá muitas bênçãos. 
O U T U B R O D E 2 0 0 1
3
HISTÓRIAS DO NOVO TESTAMENTO

FAZER
A VONTADE
DO PAI
NA TERRA

ILUSTRADO POR PAUL MANN


Certa vez, num dia de festa judaica, Jesus foi ao tanque
de Betesda em Jerusalém. As pessoas acreditavam que
as águas do tanque curavam-nas de doenças e outros
problemas físicos.
João 5:1–4

Perto do tanque, Jesus viu um homem que há 38 anos Embora fosse o Dia do Senhor, Jesus disse ao homem:
era inválido. O homem explicou a Jesus que não con- “Levanta-te, toma o teu leito, e anda”. O homem ficou
seguia entrar sozinho na água do tanque. curado imediatamente e andou.
João 5:5–7 João 5:8–9

O A M I G O
4
Os judeus disseram que era ilícito fazer milagres no Dia do Senhor e perseguiram Jesus.
João 5:10–16

Jesus respondeu que estava fazendo a obra de Seu Pai.


João 5:17

O U T U B R O D E 2 0 0 1
5
HISTÓRIAS DO NOVO TESTAMENTO

JESUS
ALIMENTA
5.000 PESSOAS

Alguns amigos de João Batista foram falar com Jesus e


disseram-Lhe que João tinha sido morto. Ele foi morto
porque disse ao rei que se arrependesse.
Mateus 14:1–12

Quando Jesus ouviu isso, retirou-se, pois queria ficar Depois de ensiná-los, era hora de comer e a maioria
sozinho. Muitas pessoas sabiam que Ele estava lá e das pessoas não tinha comida. Os discípulos queriam
O seguiram, esperando que Ele as ensinasse. Mais que as pessoas fossem aos vilarejos onde poderiam
de 5.000 pessoas foram atrás Dele. comprar algum alimento.
Mateus 14:13; Marcos 6:44 Mateus 14:15; Marcos 6:36

O A M I G O
6
O Salvador, no entanto, disse aos discípulos que Jesus disse a todas as pessoas que sentassem.
verificassem se alguém havia trazido alguma comida. Depois abençoou os pães e os peixes e os repartiu.
Eles encontraram um menino que tinha cinco pães Mateus 14:18–19; Marcos 6:39–41
e dois peixes.
Mateus 14:16–17; Marcos 6:37–38; João 6:9

Quando os discípulos distribuíram a comida ao povo, havia mais que o suficiente para todos eles!
Mateus 14:20–21; Marcos 6:41– 44

O U T U B R O D E 2 0 0 1
7
POSSO SER MISSIONÁRI
Corliss Clayton

INÍCIO

Ore pelos missionários.

Economize
dinheiro.

Convide um amiguinho para ir à Primária.

R egras d
a famíl
1. Arru ia.
2. Esco mar as cama
var os s.
dentes

Aprenda a cozinhar. Obedeça às regras da família.


O JÁ!
INSTRUÇÕES

Estude as escrituras.
Ao participar deste jogo, aprenderá coisas
que pode fazer para ser um missionário agora,
além de preparar-se para uma missão formal
no futuro.

1 Abra a revista e coloque-a onde todos os


participantes possam enxergar o tabuleiro.

2 Cada participante deve colocar um botão


ou outro objeto pequeno sobre o INÍCIO.
O primeiro a jogar lança o dado e move-se de
acordo com os espaços e seguindo as indicações
da mão impressa no tabuleiro.

3 Se a pessoa parar no espaço onde se lê


“preparação para a missão”, deverá ler
acerca de como preparar-se para uma missão
e poderá jogar outra vez. Caso pare no espaço
contendo uma foto de missionários, deverá
pensar a respeito e falar sobre outra atividade
que o auxilie a preparar-se para a missão.
Daí, poderá jogar novamente.

4 Lembre-se de que na missão você jamais


pode ir a algum lugar sem seu companheiro.
Assim sendo, quem quer que termine o jogo
primeiro continua tendo direito a jogar e ajuda
outro participante a chegar até o FIM. Continue
o jogo até que todos os participantes tenham
terminado. 
ILUSTRADO POR MARK ROBISON

FIM

O U T U B R O D E 2 0 0 1
9
Elias Ensinou a Verdade
Suave C = 80–88

W [ Em

! 44 C C C C C C C C C C C C C
1 3

Con - ver - te - se o meu co - ra - ção a meus pais, Sim, con -


˘
# W4 C C C
S C YC C WC C
4 5 5 5 3

W
Am B7 Em ]
! C C C C C C C WC BO C C C C C C C
1 2

ver - te - se, con - ver - te - se a meus pais. E - li - as, eu sei, a ver -


˘
# W (X ) C C
C
C C C C C C S C C YC C
5 3

Am B7
W
! C C C C C C C C C C C C
1
C WC
2

da - de en - si - nou, Sim, ver - da - de, ver - da - de en - si -


˘ ˘
# W C C C
C WC C (X ) C C
Em Am D7
W C CB
! BO X CC B C C C C
4
1

nou. E com gran - de a - mor bus - co


˘
C C C C WC B
# W C B
3 1 2 1
5

Este hino pode ser copiado para uso na Igreja ou no lar, não para uso comercial.
ILUSTRADO POR RICHARD HULL
Em B7
W CB C
! C C B C C CB C C C C C
4 4
WB
1 1

meus an - ces - trais, Pre - ser - van - do seu no - me e seus


˘
# W B B
B B
Em Am D7 Em
W C CC C C C C CB C
! CC W CC C CC B C B C C C B C C
3 3
1 1

i - de - ais. Bem mais pu - ro se - rei pra no Tem - plo en - trar E pra

# W C C C C B B
B B
3 1

W
Am
- - B
? Em

C C
! CB C C CB C
3
C CC CC C C C C C C C
1

sem - pre a e - les eu me se - lar. Con - ver - te - se o meu co - ra -


-CC -C W C ˘
B C C C C
# W B S C YC
3
5
¯ 5

Am B7 E
W C C C
! C C C C C C C CC W CC BB OO
3 3 4
1 2

ção a meus pais, Sim, con - ver - te - se, con - ver - te - se.

# W C C C C C C W BB O
WC (X ) C
5
5 1 2 1 2
C
4

Letra e música: Vanja Y. Watkins, Doutrina e Convênios 2:2


nasc. 1938. © 1983 IRI Malaquias 4:5–6
TEMPO DE COMPARTILHAR

BÊNÇÃOS PROMETIDAS
Diane S. Nichols

“Eu, o Senhor, estou obrigado quando e receberemos muitas bênçãos. O Pai


fazeis o que eu digo; mas quando não Celestial sempre cumpre Sua palavra.
o fazeis, não tendes promessa alguma.”
(D&C 82:10) Instruções
Veja o que o profeta e os apóstolos pediram

§ Romero aguardava ansiosa-


mente este dia. Ele e a mãe
haviam planejado ir ao parque,
mas antes de saírem, chamaram sua mãe para ajudar
um vizinho doente. Ela prometeu a Romero que iriam
que fizéssemos para ajudar a fortalecer nossa
família. (Ver os números de janeiro e julho
d’A Liahona; ver também “Marcas de um
Lar Feliz”, páginas 2–9 deste número de A Liahona.)
Escreva algumas dessas coisas nas pedras grandes no
ao parque quando ela retornasse se ele fizesse algumas caminho da página 13. Recorte a casa e o caminho
tarefas enquanto ela estivesse fora. Romero concordou. e cole-os numa cartolina. Dobre nas linhas pontilhadas
Depois que a mãe saiu, Romero começou a fazer as e forme uma casa. Cole as abas nas bordas corresponden-
coisas que ela pedira. Pouco depois, chegou o amigo tes. (Ver ilustração.) Cole o caminho de maneira que
José. Romero lembrou-se de que sua mãe prometera este conduza até à porta. Quando você fizer alguma
levá-lo ao parque se ele fosse obediente. Ele então disse coisa que está escrito em uma das pedras, pinte-a.
a José que não poderia brincar porque tinha coisas a
fazer. A mãe de Romero ficou feliz ao ver que ele havia Idéias para o Tempo de Compartilhar
feito o que ela pedira. Ela manteve a promessa, e passa- 1. O Presidente Hinckley pediu-nos que guardássemos
ram a tarde no parque. o dia santificado. Separe a classe em dois grupos. Peça
Às vezes, o Pai Celestial pede que façamos certas coi- a um dos grupos que pense em coisas que devemos fazer no
sas e promete que nos abençoará se as fizermos. Embora domingo. Peça ao segundo grupo que pense em coisas que
nem sempre recebamos as bênçãos imediatamente ou eles fazem no sábado em preparação para o domingo. Os
nesta vida, nós as receberemos se formos obedientes. membros de cada grupo deverão representar as atividades
Uma das coisas que o Pai Celestial pede que façamos mencionadas. Quando um grupo estiver representando,
é ouvir os profetas e seguir seus ensinamentos. Se fizer- o outro deverá adivinhar qual atividade está sendo represen-
mos o que eles pedem, nossa vida será abençoada. tada. Comente que quando fazemos coisas corretas no
Na conferência geral que se realiza nos meses de abril domingo, estamos guardando um mandamento e nos
e outubro, o profeta fala a nós em nome do Pai Celestial. sentiremos mais perto do Pai Celestial.
É importante ouvir e fazer as coisas que ele nos pede. 2. Junte 10 a 15 varetas e, numa sacola de papel ou
Nosso profeta, o Presidente Gordon B. Hinckley, pediu num outro recipiente, coloque uma etiqueta com a palavra
que fôssemos mais semelhantes ao Salvador, que per- “lixo”. Peça a uma criança que quebre uma das varetas.
doássemos mais as pessoas e tivéssemos consideração Explique à classe que ao usarmos palavras grosseiras, inade-
pelos outros. Pediu também que fôssemos obedientes a quadas, que magoam as pessoas, podemos tornar nossa
ILUSTRADO POR THOMAS S. CHILD

nossos pais e mais bondosos com nossa família. Ele disse família tão fraca quanto a vareta. Devemos eliminar esse
que devemos realizar noites familiares, orar e agradecer tipo de linguagem do nosso vocabulário. Coloque a vareta
ao Pai Celestial por nossas bênçãos. Ele nos ensinou que quebrada na sacola ou no recipiente que está servindo
nossas orações são respondidas. como lixo. Explique-lhes que em vez de usarmos palavras
Se fizermos o que o profeta nos pede, estaremos que enfraquecem nossa família, devemos usar palavras
fazendo o que o Pai Celestial quer que façamos que a fortaleçam. Peça às crianças que dêem exemplos
O A M I G O
12
de palavras que fortalecem a família (“obrigado”, “por varetas, as famílias tornam-se muito mais fortes
favor”, “parabéns”, “posso ajudar?”). Cada criança que quando os familiares edificam uns aos outros, dizendo
der um exemplo deverá pegar uma vareta e colocá-la palavras amáveis. Cante um hino que fale sobre a
numa pilha. Amarre bem todas as varetas e peça a família. Incentive as crianças a fazer essa mesma
uma criança que tente quebrá-las. Como o feixe de atividade numa noite familiar. 

COLE

Ilustração

CO
COLE LE
LE
CO
COLE

CO
LE

CO
LE
COLE
LE
CO

CO
LE COLE

O U T U B R O D E 2 0 0 1
13
NÃO HAVIA TOU
Conforme narrado a Sheila R. e Francis M. Woodard

T
odos os anos, meus pais levavam-me para visitar “Estava pensando no que minha professora da
a tia Ruby e o tio George, que moravam numa Primária disse semana passada”, respondi.
fazenda. Eu gostava de ir lá porque sempre havia “O que ela disse?” perguntou o tio George jogando
inúmeras coisas para ver e fazer. Eu brincava na cochei- feno para uma das vacas.
ra, ajudava a dar comida aos animais, andava de trator “Disse que as escolhas corretas vão ajudar-me a cum-
e explorava palmo a palmo o celei- prir as promessas que fiz ao Pai Celestial quando fui
ro vermelho. batizado. Mas é difícil tomar a decisão certa sempre.”
Certa vez, quando eu O tio George concordou por meio de um sinal da
tinha nove anos de idade, cabeça. “É verdade. É difícil sempre fazer escolhas certas.
estava ajudando o tio George Mas quando seguimos os padrões do evangelho e trilha-
a alimentar os animais no mos o ‘caminho estreito e apertado’, como nos indicam
celeiro. “Você está calado as escrituras, o Senhor nos ajudará.”
hoje, Justin”, disse ele. Fiquei pensando no “caminho estreito e apertado”
durante o restante da manhã. Quando terminei de ali-
mentar os animais, o tio George disse: “Obrigado por
sua ajuda, Justin. O que você gostaria de fazer agora?”
“Gostaria de ir até a casa de meu amigo Jeff, mas
meus pais é que costumam levar-me.”
Ajeitando o chapéu na cabeça, o tio George dis-
se: “Eles foram à cidade com a Ruby. Eu também
não posso ir com você, pois preciso consertar o
trator”.
Colocando o braço em volta de meus
ombros, levou-me até uma enorme vala
seca. “Se você seguir por esta vala”, indicou,
“vai chegar à casa de Jeff. Consegue fazê-lo?”

ILUSTRADO POR DICK BROWN

O A M I G O
14
ROS NA VALA
Respondi que tinha certeza que sim. Antes de minha estivesse na direção correta. As orientações de meu tio
partida, ele fez-me duas recomendações. Primeiro, eu ainda estavam bem frescas na mente, mas subi até o al-
deveria permanecer na vala. Se saísse, poderia machu- to da vala com todo o cuidado para olhar o que estava
car-me ou perder-me. Segundo, eu deveria ir até o fim, além do mato e ter idéia de minha localização.
mesmo que me cansasse. Então, prometeu-me que se eu Felizmente, vi apenas uma cerca e uma enorme pas-
seguisse as instruções, não teria problema para chegar à tagem que me separava da casa de Jeff. Tudo o que eu
casa de meu amigo. precisava fazer era andar pelo campo e logo estaria lá.
A princípio, fiquei nervoso. O mato nas duas mar- Com esse plano em mente, esqueci as recomendações
gens da vala era tão alto que bloqueava a visão do que de meu tio.
estava além dela. Mas logo comecei a ver coisas interes- Passei por um buraco da cerca e comecei a andar
santes ao meu redor, e não sentia mais medo de estar pelo pasto. Conseguia apenas pensar no quanto eu
ali. Deparei-me com um caracol de concha branca e
muitas plantas interessantes. Depois achei um seixo e
pus no bolso.
Contudo, depois de algum tempo, tudo perdeu
um pouco a graça e minhas pernas começaram a
doer. Minha fé nas palavras do tio George vacilou.
Talvez eu já tivesse passado da casa de Jeff.
Era possível que eu nem
e Jeff nos divertiríamos. Só prestei atenção ao que esta- Naquele instante, meus planos mudaram: minha
va acontecendo a minha volta quando ouvi o bufar prioridade era chegar à cerca antes que o touro me
ruidoso de um animal e o barulho de gravetos voando. alcançasse. Eu sabia que a menor distância entre dois
Virei-me e vi um enorme touro correndo do outro pontos era uma linha reta, assim corri direto para a
extremo do pasto em minha direção. fenda da cerca por onde eu passara pouco antes. Corri
tão rápido que conseguia ouvir o silvar do vento em
meus ouvidos. Em todos aqueles momentos, eu estava
orando em silêncio para que o Pai Celestial me aben-
çoasse e me ajudasse a ser mais veloz que o touro.
A cerca estava mais próxima, mas o touro também.
Senti seu bafo quente em meu pescoço quando pulei
pelo buraco da cerca e escapei são e salvo. Ele bufou
alto ao colocar o nariz na fenda e perceber que não
conseguiria atingir-me.
Minha vida fora poupada. O Pai
Celestial atendera a minha oração. Meu
coração estava cheio de gratidão a Ele.
Agora tudo o que eu queria era voltar
para o “caminho estreito e apertado” e seguir as ins-
truções de meu tio. Eu sabia que não havia touros na
vala. Era um lugar seguro.
Eu aprendera que minha professora da Primária
e o tio George tinham razão. Há grande segurança em
escolher o que é certo e trilhar as veredas da retidão.
Percebi que o Pai Celestial sempre me ajudaria a perma-
necer no “caminho estreito e apertado” se eu ouvisse
e obedecesse. 
ILUSTRAÇÃO FOTOGRÁFICA DE CRAIG DIMOND

Casais Missionários
“As várias formas pelas quais um casal pode servir são potencialmente ilimitadas. (. . .) Existem
oportunidades de usar quase qualquer tipo de capacidade ou talento com que o Senhor os tenha
abençoado.(. . .) Mas é adequado para uma irmã de mais idade ou um casal maduro deixar que seus líderes
do sacerdócio saibam que vocês estão dispostos a servir e que são capazes. Recomendo que façam isso.”
— Élder Robert D. Hales, “Casais Missionários: Um Chamado para Servir”, A Liahona, julho de 2001, página 31.
“Nossos missionários estão sendo enviados a diversos
países”, declarou o Profeta Joseph Smith. “A verdade
de Deus avançará sem temor, com nobreza
e independência, até ter penetrado cada continente,
visitado todo clima, varrido todos os países e soado
em cada ouvido, até que os propósitos de Deus
estejam cumpridos e o Grande Jeová tenha dado
a obra por terminada.” Ver “Profetas Modernos
Falam sobre o Trabalho Missionário”, à página 10.
Ver também outros artigos sobre a obra missionária
nesta edição especial de A Liahona.