Você está na página 1de 4

Introdução

É o material que constitui o molde e machos, é um sistema heterogêneo constituído


essencialmente de um elemento granular refratário, que constitui a base (geralmente areia
silicosa) e um elemento aglomerante mineral (argila, cimento) ou orgânico (óleos, farinha de
cereais, resinas) normalmente disperso em água e também tem por função condicionar a
estrutura de areia através da variação do seu volume específico.Atualmente está consagrada a
designação areias de moldagem embora ainda sejam usados os termos terras de fundição e
areias de fundição.

Areia Base
É o constituinte presente em maior proporção nas areias de fundições, os tipos mais
usados na indústria de fundição é a areia de sílica (SiO2), de olivina ((MgFe)2SiO4), de
zirconita (ZrSiO4) e de cromita (FeCr2O5 ou FeCr2O4). Há mais utilizada é base de sílica, que
pode ser explicada pela facilidade em se encontrar este mineral e de extraí-lo da natureza (a
sílica é um elemento abundante na crosta terrestre), o que acarreta menor custo. Pode ser
encontrada em cavas, em rios e em morros. Forma-se pela desintegração mecânica através de
agentes exteriores sobre rochas. A areia pode ser classificada pelo seu tamanho, sendo fina
(0,06 mm a 0,2 mm), média (0,2 mm a 0,6 mm) e grossa (0,6 mm a 2,0 mm). Também pode
ser dividida pelo formato de seus grãos: arredondados, sub-angulares, angulares e os
agrupados.

Aglomerantes
É a responsável pela aglomeração dos grãos de areia, conferindo a resistência
mecânica ao molde e ao macho.

Bentonita
O principal constituinte do minério bentonita é argilomineral montmorilonita, que possui a
estrutura cristalina. A aglomeração dos grãos de areia por bentonita estende-se como
resultante de dois componentes: a adesão (da bentonita ao grão de areia), e a coesão (da
bentonita). Enquanto a adesão reflete-se na interface areia/bentonita permitindo a aderência da
bentonita aos grãos de areia, a coesão afeta a resistência interna do filme de bentonita que
envolve os grãos.

Classificação

Quanto à origem
Areias naturais: depósitos naturais originados de arenitos de cimento argiloso ou de rochas
feldspáticas (saibros), caracterizados por se acharem os grãos silicosos envolvidos por pasta
argilosa.
Areias semi-sintéticas: resultantes de modificações realizadas nas areias naturais por meio de
adições, que visam corrigi-las para melhorar as suas qualidades.
Areias sintéticas: obtidas pela mistura correta do constituinte base areia e aglomerantes em
proporção adequada e umidade determinada.
Quanto ao uso
Areia nova: é a que é utilizada pela primeira vez na fundição
Areia usada: é a que foi recuperada de fundições anteriores.
Quanto ao seu emprego na caixa de fundição
Areia de faceamento: parte da areia que faceia o modelo e que entra em contato com o metal
no vazamento
Areia de enchimento: parte da areia que constitui o restante da caixa de moldagem; areia de
macho: é aquela destinada ao preparo dos machos, conformadores das cavidades internas das
peças.

2
Quanto ao estado de umidade da areia
Areia úmida ou verde: é a que mantém no momento do vazamento, aproximadamente a
mesma umidade do preparo.
Areia estufada: é aquela prepara com composição adequada para machos e moldes e que
sofrem um cozimento em estufa antes do vazamento.
Quanto à qualidade do material
 Areias para metais ferrosos e metais não ferrosos
Para a seleção da areia adequada, deve-se considerar o metal a ser fundido  e as
características que normalmente se leva em conta são as seguintes: temperatura de
vazamento, tensão superficial e atividade química (estas características são bastante diversas,
exigindo diferentes requisitos do molde). O Al é vazado a cerca de 750ºC, ao passo que o aço
em torno de 1450ºC. O Al tem tensão superficial muito inferior ao aço. O aço de alto teor de Mn
e o Mg tem atividades químicas que exigem do molde propriedades químicas especiais.

Requisitos de uma areia de moldagem


Perda ao fogo: medida de % de materiais voláteis na areia e relacionada com a resistência
mecânica da areia; teor de óxido de ferro: responsável pelo aumento da resistência a quente
da areia.
Escoabilidade: A areia deve facilmente preencher o molde, adotando a forma do modelo.
Consistência: Após a compactação a areia deve reter a forma do modelo.
Refratariedade: Capacidade de resistência à fusão ou amolecimento que ocasionaria a
sinterização. Depende do tamanho dos grãos, teor de argila e impurezas de baixo ponto de
fusão.
Plasticidade: Capacidade de deformar-se elasticamente a verde, mediante a aplicação de
forças externas, retornando à posição inicial quando estas cessam.
Dureza e Resistência: Após a compactação a areia deve resistir ao manuseio das caixas e
posteriormente à força do metal vazado.
Permeabilidade: Capacidade de permitir que os gases gerados durante o vazamento (e o ar
presente dentro do molde) escapem da peça.

Tintas e Revestimentos
Destina-se a melhorar o acabamento superficial das peças, modificar a estrutura superficial ou
impedir o aparecimento de certos defeitos.

Ensaios e Controle
Compactabilidade; Umidade; Resistência a Compressão e Granulometria.

Conclusão

3
4

Você também pode gostar