Você está na página 1de 2

Quico: Pois fique você sabendo que minha mãe vai me dar dinheiro pra comprar um álbum.

Chiquinha: Pois fique você sabendo que eu vou ganhar e vou pegar todas as figurinhas do meu
álbum porque eu vou pedir ao meu pai que me compre muitas figurinhas!

Quico: Ah sim, bom... Pois fique sabendo que eu vou dizer pra minha mãe vender a televisão
pra eu ter mais dinheiro pra figurinhas!

Chiquinha: Pois fique sabendo que eu vou mandar o meu pai vender a cozinha e usar todo o
dinheiro pra comprar tudo de figurinhas!

Quico: Ah, então... Pois fique sabendo que eu vou mandar minha mãe vender todos os móveis
da casa!

Chiquinha: Pois fique sabendo que eu vou mandar o meu pai vender toda a nossa vila!

Quico: Ah, mas o seu pai nem é dono!

Chiquinha: Mas até que descubram... [vai pra casa]

Quico: [segue a Chiquinha] Pois fique sabendo que eu vou mandar minha mãe vender o seu
pai!

Chiquinha: [fecha a porta na cara do Quico]

Quico: Ah, como é que eu vou vender aquele velho lá? De graça já é muito caro!

Chaves: Não não, espera, espera, espera, espera. [olha em volta]

Quico: Quê é?

Chaves: Cê viu por aí o Sr. Barriga?

Quico: [caminha até o Chaves] Não! E pra quê que você quer o Sr. Barriga?!

Chaves: Bom, é que eu fico até sem jeito porque, bom, o Sr. Barriga é muito boa gente mas...
sempre que ele chega aqui na vila eu recebo ele com pancada, né?

Sr. Barriga: [entra na vila] Hoje não, Chaves. Hoje você quebrou esse tabu.

Chaves: Quem foi que quebrou o tatu?

Sr. Barriga: [risos] Eu disse "quebrou o tabu", e não disse "tatu". Eu quero dizer que hoje eu
cheguei aqui na vila e você não me recebeu com uma pancada.

Chaves: [se vira animado para o Quico, e acerta Sr. Barriga com o bastão] Cê ouviu, Quico?!

Quico: [cruza os braços]

Chaves: Tá vendo? Outra vez quebrei o tal do tatu.

Quico: Mamãe! Mamãezinha! Agora há pouco esteve aí o Sr. Barriga, e me di-- [olha o álbum
nas mãos de Dona Florinda] O quê é isso, mamãe?!

Dona Florinda: É o álbum de figurinhas que você me pediu!

Quico: [gargalhada] Puxa, mamãezinha! Você é a mãe mais linda e mais charmosa que eu já
tive em toda a minha vida!
Dona Florinda: [ri e para de repente]

Quico: [para o Chaves] Você não tem, não é mesmo?

Chaves: Álbum ou mamãe?

Quico: ...Álbum.

Chaves: Também.

Dona Florinda: [suspira] Cuida bem dele, viu, meu Tesouro?

Quico: Sim, mamãe.

Dona Florinda: [se vira para ir, mas volta] Ah! Tesouro, ia dizer alguma coisa do Barriga?

Quico: Não, eu ia dizer em pé mesmo.

Dona Florinda: Não, Tesouro, quero saber se você ia falar sobre o Sr. Barriga.

Quico: O Sr. Barrig-- Ah, sim! Sabe o quê foi, mãe? Chegou aí o Sr. Barriga e ó. [sussurra no
ouvido de Dona Florinda]

Dona Florinda: [arfa] Sempre isso! Sempre isso! [caminha até a porta do Seu Madruga e bate]

Seu Madruga: [sai de casa com a Chiquinha] Sim, diga. Em que posso servir?

Dona Florinda: O senhor não serve pra mim nem pra capacho! [bofetada]

Quico: Não, mãezinha! Quem me ameaçou foi o Sr. Barriga!

Dona Florinda: Eh. [aponta, pensativa] ...Bom, mas errar é humano, não?! [vai pra casa com o
Quico]

Seu Madruga: Me acusou de desumanidade! Mas é que "errar é humano"!

Chiquinha: E ficar quieto é burrice!

Seu Madruga: [se vira lentamente para Chiquinha]

Chiquinha: Digo, não? [risinhos]

Seu Madruga: [tenta pegar os dólares de Chaves] D-Deixa eu ver!

Chaves: [esconde os dólares] Não! Não vai chover!

Chaves: Não tem?

Seu Madruga: Nem um centavo. Nem um centavo. [tenta pegar os dólares] Mas depois eu te
dou!

Chaves: [esconde os dólares] Ah não! Mais vale um pássaro na mão que dois voando, se não
Deus sabe quando!

Você também pode gostar