Você está na página 1de 58

Arquitetura e Urbanismo

Propriedades mecânicas

Danielli Cristina Borelli Cintra

13/02/2016
Conteúdo

1. Introdução
2. Tipos de estruturas
3. Resistência dos materiais
4. Propriedades mecânicas dos materiais
5. Tensão
6. Deformação
7. Lei de Hooke
8. Módulo de elasticidade
9. Exercícios
Solicitações – Ações – Cargas
Solicitações: vento - NBR 6123
http://www.abal.org.br/servicos/manuais/portasejan

Mapa das
isopletas da
velocidade básica
do vento (m/s)
elas/testes_seguranca.asp
Solicitações: vento - NBR 6123

http://blogdopetcivil.com/2010/11/30/
Vigas isostáticas: exemplos

Simplesmente apoiada Viga engastada


Viga biapoiada com extremo em balanço em balanço
ou viga em balanço (viga balcão)

http://www.fau.ufrj.br/apostilas/mse/Vigas.htm, acesso em 18/02/2012


Vigas hiperestáticas: exemplos

Viga contínua Viga biengastada

http://www.fau.ufrj.br/apostilas/mse/Vigas.htm, acesso em 18/02/2012


Resistência dos materiais

Objetivo principal é estudar os esforços internos e as deformações


de um corpo, provocados pela ação de forças externas.

•Objeto real
•Esquema estrutural (aproximação)
•Hipótese: distribuição uniforme dos esforços internos

NASH, 1982
Equilíbrio externo e interno

Fay, 2006
Equilíbrio externo e interno

Através da comparação entre o conjunto dos esforços atuantes e as


tensões que o material resiste, é possível dimensionar a seção de
um elemento estrutural para suportar cargas e vencer vãos.

A forma como o material se distribui na seção transversal do


elemento estrutural pode influenciar:
•economia do material
•tamanho do espaço ocupado
•facilidade construtiva
Resistências: Propriedades dos materiais
(Materiais de Construção)

Silva, 2011
Propriedades físicas dos materiais
• materiais que apresentam
propriedades iguais em todas as
direções

• materiais que apresentam


propriedades iguais em duas
direções

• materiais que apresentam


propriedades diferentes em todas
as direções

• materiais que apresentam


propriedades iguais em todos os
pontos

• materiais que não apresentam


propriedades iguais em todos os pontos
Rebello, 2007
Tensão
Tensão é uma medida de intensidade de distribuição das forças
internas em uma seção.
FÉODOSIEV, 1977
Tensão
Tensão

Rebello, 2007
Esforços: tração

Oliveira, 2011

A tração simples ou axial


(tirantes) depende de:
•Intensidade da força
•Material (módulo de
Rebello, 2007 eslaticidade)
Esforços: tração
ex: tirantes

Oliveira, 2011
Esforços: compressão simples e
flambagem

Oliveira, 2011

Flambagem: fenômeno pelo qual uma estrutura comprimida pode


perder a forma original, acomodando-se em outra posição de
equilíbrio, com geometria diferente da inicial. Pode ocorrer em
barras axialmente comprimidas: vigas, arcos, pilares, barras de
treliça, etc.
Margarido, 2003
Esforços: compressão simples e
flambagem

Seções que respondem bem à


compressão:

Antes da ruptura do material à


compressão, é provável que
ocorra um deslocamento
lateral da peça, a flambagem.
Rebello, 2007
Esforços: compressão simples e
flambagem

Rebello, 2007
Esforços: flexão

Oliveira, 2011
Esforços: flexão

Rebello, 2007
A flexão depende de:
•Intensidade da força
•Material (módulo de eslaticidade)
•Forma (momento de inércia)
Ocorre tensões de tração e
•altura da seção
compressão ao mesmo tempo
Esforços: flexão

Rebello, 2007
Esforços: cisalhamento

Rebello, 2007
Esforços: cisalhamento
Esforços: torção

Rebello, 2007
Esforços: torção

Rebello, 2007
Propriedades mecânicas

Silva, 2011
Propriedades mecânicas

Silva, 2011
Tensão

Silva, 2011
Tensão

Silva, 2011

Ex. Determinar a tensão normal em uma barra de seção transversal


quadrada de lado 2,0cm, onde é aplicada uma força de tração de
1600kgf.
Tensão de trabalho

•  = 2500 kgf/cm2
•  = 800 kgf/cm2

•  = 90 kgf/cm2
•  = 12 kgf/cm2

•  = -250 kgf/cm2
•  = 6 kgf/cm2
Resistência dos materiais: ensaios
Resistência dos materiais: ensaios
Tensão de ruptura à compressão em
corpos de prova de concreto

fc
CP j (dias) Diâmetro (cm) F (tf) A (cm2) fc (MPa)
(kgf/cm2)
1 3 9,97 9,94 10,80

2 7 9,92 9,94 19,00

3 28 10,00 10,01 24,80


Tensão de ruptura à compressão em
corpos de prova de concreto

fc fc
CP j (dias) Diâmetro (cm) F (tf) A (cm2)
(kgf/cm2) (MPa)
1 3 9,97 9,94 10,80 77,83 138,76 13,61

2 7 9,92 9,94 19,00 77,44 245,34 24,06

3 28 10,00 10,01 24,80 78,62 315,45 30,93


Diagrama tensão x deformação:
concreto
Resistência dos materiais: ensaios
Resistência dos materiais: ensaios
Coeficientes de segurança

http://solucoesrep.com.br/SIVA_Geral_Cabos.pdf

Carga de trabalho: limite de uso


Carga de teste: verificação em todas as peças
Carga de ruptura: amostra da produção
Deformação ()
Deformação específica ou relativa ()

Silva, 2011
Deformação elástica

Silva, 2011
Diagrama tensão () x deformação ()

Silva, 2011
Deformação plástica

Silva, 2011
Deformação plástica

Silva, 2011
Ductilidade

Silva, 2011
Módulo de Elasticidade ou
Módulo de Young (E)

Lei de Hooke:

(Válida somente para o trecho linear) Silva, 2011


Módulo de Elasticidade ou
Módulo de Young (E)
E aço = 210.000 MPa
E alumínio = 70.000 MPa
E concreto = 21.000 MPa
E madeira = 8000 à 10.000 MPa
Lei de Hooke

Silva, 2011
Diagrama tensão x deformação: aço
Propriedades mecânicas dos
materiais: metais
Coeficiente de Poisson ()

Silva, 2011
Tenacidade

Silva, 2011
Exercícios
1 – Determinar a tensão normal em uma barra de seção
transversal circular de raio 0,5cm onde é aplicada uma força
de tração de 1570 kgf.

2 – Determinar a área de uma seção transversal, sabendo-


se que a sua tensão normal é de 500 kgf/cm2, quando lhe é
aplicada uma carga de compressão de 2000 kgf,
considerando que a peça não está sujeita à flambagem.

3 – Uma barra de seção transversal 6,5cm2, está submetida


à tração axial de 90kN. Sabendo-se que seu comprimento é
de 4,0m e que o alongamento provocado foi de 0,264cm,
determine o módulo de elasticidade do material.
Exercícios
4 – Um fio de aço de 3,0m de comprimento e 65mm2 de
seção transversal, sob a ação de uma tensão de
1300kgf/cm2, sofre um alongamento de 0,3cm. Qual é o
módulo de elasticidade para este aço?

5- Qual a carga máxima que pode ser suportada por um fio


de alumínio de 0,12cm de diâmetro, sem exceder o limite de
proporcionalidade. Se o fio tem originalmente 6,0m de
comprimento, quanto se alonga sob ação desta força?
Dado: Limite de proporcionalidade = 10.000N/cm2
E = 700.000 kgf/cm2

6- Uma barra de aço de 6,0m de comprimento, com seção


retangular de 25cm2, estica 2mm sob a ação de uma carga
axial. Calcule a deformação específica, tensão e carga.
Dado: E = 2.200.000 kgf/cm2
Exercícios
7 – Calcular o deslocamento de um tirante de aço com 20m
de comprimento e 10cm2 de área quando submetido a uma
força de 15000kgf.
Dado: E = 210 GPa

8 – Considere um tirante em uma construção, com 210 kN


de tração. Sendo de chapa de aço de 9 mm de espessura,
quais as dimensões que deve ter a seção desse tirante,
sabendo-se que o aço resiste a 150 MPa?
Referências
BOTELHO, M.H.C. Resistência dos materiais – para
entender e gostar. São Paulo: Blucher, 2008.
ENGEL, H. Sistemas estruturais. Barcelona: Gustavo Gil,
2009.
FÉODOSIEV, V. Resistência dos materiais. Porto: Lopes da
Silva, 1977.
MARGARIDO, A.F. Fundamentos de estruturas. São Paulo:
Zigurate, 2003.
NASH, W. A. Resistência dos materiais. 2ed. São Paulo:
McGraw-Hill do Brasil, 1982.
REBELLO, Y.C.P. A concepção estrutural e a arquitetura.
São Paulo: Zigurate, 2007.
SILVA, M.G. Notas de aula: durabilidade do concreto.
Vitória. UFES, 2011. PPGEC.

Você também pode gostar