Você está na página 1de 8

ESCOLA MUNICIPALIZADA MANOEL NOVAES

PROJETO EDUCAÇÃO ESPECIAL NA PERSPECTIVA DA


EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA UMA CIDADE EDUCADORA.

A DIFERENÇA NOS ENRIQUECE, O RESPEITO NOS UNE.

ITAPETINGA BA
2020
APRESENTAÇÃO

A Constituição Federal de 1988 traz como um dos


seus objetivos fundamentais “promover o bem de
todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo,
cor, idade e quaisquer outras formas de
discriminação” (art.3º, inciso IV). Define, no artigo
205, a educação como um direito de todos,
garantindo o pleno desenvolvimento da pessoa, o
exercício da cidadania e a qualificação para o
trabalho. No seu artigo 206, inciso I, estabelece a
“igualdade de condições de acesso e permanência
na escola” como um dos princípios para o ensino e
garante como dever do Estado, a oferta do
atendimento educacional especializado,
preferencialmente na rede regular de ensino (art.
208).

A Educação Inclusiva vai além das especificidades individuais, ela


propõe a interação com o coletivo e sua dinâmica. Desta forma, a Educação
Inclusiva não deve ser confundida com Educação Especial, é importante,
contudo, a compreensão que para haver uma Educação Especial efetiva é
necessário antes a implementação de formação para os professores e
profissionais envolvidos neste processo, para que assim aconteça a inclusão
de forma a promover a aprendizagem e o desenvolvimento de todos.
Quando falamos em inclusão, compreendemos que o significado desse
simples verbo vai além de fazer valer os direitos que por lei a Constituição
brasileira nos garante. É celebrar a diversidade humana através da construção
da consciência de que todos são iguais perante a lei, porém diferentescomo
indivíduos, pois cada um constrói a partir de sua história independente de etnia
ou das suas necessidades especiais, a sua identidade como pessoa em um
processo de interação e diálogo onde o meu direito termina onde começa o do
outro, formando assim cidadãos conscientes em busca da construção de uma
qualidade de vida para todos.
JUSTIFICATIVA

            Com vista a fazer a diferença neste contexto cultural é que se propõe o
diálogo em torno do tema, buscando promover o conhecimento da diversidade
cultural brasileira e mais especificamente local, a fim de propiciar a
compreensão dos valores que envolvem tais diferenças e assim promover uma
rede de relações positivas e de humanização.
Este projeto tem como finalidade, resgatar a importância do respeito à
diversidade que nos cerca, evidenciando a necessidade de confrontar as
práticas discriminatórias, buscando criar através do conhecimento adquirido,
alternativas para superá-las. Desta forma, a escola torna-se um ambiente de
inclusão educacional, social e de cidadania.

OBJETIVO GERAL

Proporcionar aos alunos o reconhecimento da diversidade humana presente no


meio em que vive, respeitando as diferenças, e assim contribuir na formação
de cidadãos ativos, críticos e atuantes na sociedade.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Sensibilizar e proporcionar momentos de reflexão sobre as diferenças e o
direito de todos a uma educação integral e de qualidade;
 Favorecer o processo de inclusão escolar de alunos com necessidades
educacionais especiais;
 Oferecer oportunidades e condições que estimulem a percepção de si e do
outro;
 Refletir sobre a importância do respeito mútuo nos diversos contextos
vivenciados pelos alunos;
 Favorecer o relacionamento interpessoal, com ações e atitudes positivas;
 Proporcionar aos alunos as condições necessárias para apropriarem-se da
sua identidade de forma a compreender os seus diretos e deveres;
 Promover a cidadania.
CONTÉUDOS DOS ANOS INICIAIS

Leituras de livros de histórias que trabalhe as diferenças. (1º ao 3° ano do


fundamental);
Teatros de fantoches (1° e 2° ano do fundamental);
Filmes – Hair Love | Sony Pictures Animation (afrohair, cabelo crespo, Hair
Love, Oscar, representatividade) e outros.

Diversidade e discriminação;
Bullying;
Respeito e humildade;
Autoestima;
EDH (Educação em Direitos Humanos) para todas as idades;
Respeito na escola;

CONTÉUDOS DOS ANOS FINAIS

Leituras de livros de histórias que trabalhe as diferenças.


Diversidade e discriminação;
Respeito e humildade;
Sujeito de direitos;
Democracia na escola e nos demais espaços sociais;
Mediação de conflitos;
EDH (Educação em direitos humanos) para todas as idades;
Respeito na escola;
Palestras com o tema do projeto.

DISCIPLINAS

As diferentes áreas e anos complementarão com estratégias específicas,


desde 1º até o 9º ano.
METODOLOGIAS E PROCEDIMENTOS

O Projeto Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva para


uma cidade educadora será desenvolvido na Escola Municipalizada Manoel
Novaes sob o subtema: A DIFERENÇA NOS ENRIQUECE, O RESPEITO NOS
UNE. Após definir os conteúdos a serem trabalhados, os objetivos a serem
atingidos e as dinâmicas a serem utilizadas, iniciaremos a aplicação do projeto
com o público alvo do Ensino Fundamental - Anos iniciais e finais.

1º momento

Diante da proposta apresentada pela Secretaria de Educação,


inicialmente realizamos pesquisas fazendo uso de livros e sites para
embasamento teórico, optando por ter como base os cadernos do Projeto
Respeitar, material composto de sete volumes adaptando à realidade da nossa
escola. Em todos os cadernos há sugestões de atividades e reflexões para
serem feitas com o propósito de aprimorar as relações existentes no espaço
escolar.

2º momento

Apresentação a todos os profissionais envolvidos no projeto, onde serão


discutidas as atividades para desenvolvimento do projeto inclusive aos alunos.

3º momento

4º momento

Culminância do Projeto – Apresentação das atividades desenvolvidas durante a


realização do projeto na escola.
AVALIAÇÃO

Sendo a avaliação um processo, espera-se que ao final seja possível


perceber mudança de postura no que se refere a atitudes de valorização do ser
como um sujeito integral que se desenvolve no todo. Sendo valorizados os
saberes, os saberes postos em prova através do saber fazer e principalmente
no momento de transpor tal conhecimento para a prática real, através do saber
ser e do saber conviver, pilares básicos da educação nacional e que
perpassam pela transversalidade do tema trabalhado.
Critérios: Responsabilidade, comprometimento com as pesquisas e produções
teóricas e sistematização do conhecimento.
Procedimentos: Leitura, pesquisa de campo e pesquisa teórica, maquetes,
cartazes, produção textual e outros.
Instrumentos: Mostra artística e literária, sistematização individual,
apresentações culturais e outras.
Cada aluno será avaliado de acordo a sua participação, interesse e
apresentações dos trabalhos solicitados e ações procedimentais, conceituais e
comportamentais de cada indivíduo inserido no projeto.
REFERÊNCIAS:

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Parâmetros Curriculares


Nacionais: Apresentação dos temas transversais, Brasília, 1997.

Respeitar é Preciso | Projeto de Educação. Disponível


em:http://respeitarepreciso.org.br/?gclid=CjwKCAiA-vLyBRBWEiwAzOkGVN-
SKthdYsUeR_E2yX5uthjUSprwxQYYWgB78kJdeNru4giGvOe8whoCzB8QAvD
_BwE Acesso em: 04 de fevereiro.

MEC/SECADI Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da


Educação Inclusiva. Disponível em:http://portal.mec.gov.br/index.php?
option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-
educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-
05122014&Itemid=30192. Acesso em: 29 de fevereiro.

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988.


Disponível
em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso
em: Acesso em: 29 de fevereiro.

Hair Love | Oscar®-Winning Short Film (Full) | Sony Pictures Animation.


Disponível em: https://www.youtube.com/watch?
v=kNw8V_Fkw28&feature=emb_logo. Acesso em: 01 de março.
ANEXOS:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza,
garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à
propriedade, nos termos seguintes:

I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta


Constituição;
II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em
virtude de lei;
III - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou
degradante;
IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
V - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da
indenização por dano material, moral ou à imagem;
VI - é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o
livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção
aos locais de culto e as suas liturgias;
VII - é assegurada, nos termos da lei, a prestação de assistência religiosa nas
entidades civis e militares de internação coletiva;
VIII - ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de
convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de
obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação
alternativa, fixada em lei;
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de
comunicação, independentemente de censura ou licença;
X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das
pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral
decorrente de sua violação;
XI - a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem
consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre,
ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação
judicial;         (Vide Lei nº 13.105, de 2015) (Vigência)
XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas,
de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último caso, por ordem
judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de
investigação criminal ou instrução processual penal;         (Vide Lei nº
9.296, de 1996)

Você também pode gostar