Você está na página 1de 123

Curso de Medicina

Antibioticoterapia
FCM/Afya

Cibério Landim Macêdo


(Esp, MSc, PhD)
(Professor de farmacoterapia Medicina FCM, FAMENE, UNIPÊ, pós-graduação e REMUSC)
email: ciberiolandim@hotmail.com e instagram: @ciberiolandim
Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
Sumário

1 Uso racional de
antibióticos

2 Resistência bacteriana

2 Interpretação de dados
microbiológicos

3 Preparação para uso:


vias de administração,
reconstituição e diluição

4 Classes de antibióticos

5 Tratamento das
infecções bacterianas
mais comuns

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Tratamento das
infecções
bacterianas

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
Uso racional de
antibióticos

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Uso racional de antibióticos antibióticos
Antibioticoterapia

Prescrição de antibióticos

Infecções da comunidade (terapia oral)


 Nome do medicamento
 Apresentação
 Quantidade do medicamento para comprar
 Dose
 Frequência de uso
 Duração de tratamento

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Uso racional de antibióticos antibióticos
Antibioticoterapia

Prescrição de antibióticos

Infecções tratadas em hospital


 Nome do medicamento
 Apresentação
 Dose diária
 Frequência de uso
 Solvente de reconstituição (qual, volume??)
 Solvente de diluição (qual, volume,
incompatibilidade??)
 Bolus ou infusão contínua
 Uso de BIC
 Obs.: proteção da luz, velocidade de infusão Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Uso racional de antibióticos antibióticos
Antibioticoterapia

www.google.com/images
Pontos relevantes

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Uso racional de antibióticos antibióticos
Antibioticoterapia

VERONESI, 2015
Segurança de antibióticos

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Uso racional de antibióticos antibióticos
Antibioticoterapia

Insuficiência renal

TAVARES, V., 2014 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de

Resistência bacteriana
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Como as bactérias se tornam resistentes

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Como as bactérias se tornam resistentes

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Beta-lactamases

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Beta-lactamases

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Beta-lactamases

CDDEP, 2017 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

CDDEP, 2017 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Biofilmes

TORTORA, 2012 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Biofilmes

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Tolerância e resistência aos antimicrobianos

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Cateter venoso periférico e central

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de

Interpretação de dados
antibióticos
Antibioticoterapia

microbiológicos

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Aspectos gerais antibióticos
Antibioticoterapia

Pontos relevantes

Infecção da comunidade ou
hospital?
Identificação do microrganismo
(método tradicional vs moderno)
Antibiograma (qualitativo vs
quantitativo)

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Aspectos gerais antibióticos
Antibioticoterapia

Identificação tradicional de bactérias

Quanto tempo para


liberar o resultado?

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Aspectos gerais antibióticos
Antibioticoterapia

Identificação moderna de bactérias

Quanto tempo para


liberar o resultado?

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Aspectos gerais antibióticos
Antibioticoterapia

Antibiograma qualitativo

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Aspectos gerais antibióticos
Antibioticoterapia

Antibiograma quantitativo

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Otimização da eficácia terapêutica antibióticos
Antibioticoterapia

Propriedades PK/PD
Tempo dependente (T>CIM)
→ β-lactâmicos (infusão lenta
3-4h ou contínua)

Concentração dependente
(Cmáx/CIM) → aminoglicosídeos,
fluorquinolonas

Efeito pós-antibiótico (EPA) →


aminoglicosídeos e
fluorquinolonas

Concentração-tempo
dependente (ASC24h/CIM) →
vancomicina, teicoplanina
(importância da dose de ataque) Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Escalonamento e descalonamento antibióticos
Antibioticoterapia

Aspectos gerais
Escalonamento → drogas de amplo espectro

Descalonamento → estreitamento do espectro


antimicrobiano (diminuir a possibilidade de
resistência bacteriana)

(1) Estreitamento de espectro antibiótico guiado por antibiograma;

(2) Redução do número de antimicrobianos;

(3) Retirada do antibiótico (3º ao 5º dia) ou suspensão inicial do


tratamento (antes do 3º dia).

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Aspectos gerais antibióticos
Antibioticoterapia

Atenção!!!

Eficácia da vancomicina → associada a


dose

A nefrotoxicidade induzida por vancomicina


é geralmente leve a moderada e reversível
Fatores de risco para nefrotoxicidade →
níveis plasmático altos, terapias acima de 7
dias, insuficiência renal prévia e associação
com outra droga nefrototóxica

Ajustes de dose pode reverter o efeito


nefrotóxico
Infusão contínua → ↓ nefrotóxica

Ototoxicidade de vancomicina é
controversa Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Otimização da eficácia terapêutica antibióticos
Antibioticoterapia

Propriedades PK/PD
Vancocinemia (níveis séricos)

Individualização da terapia
Fatores importantes para se fazer
vancocinemia (gravidade e local da
infecção, função renal, associação com
outras drogas nefrotóxicas, sensibilidade da
bactéria)
Dose de ataque 25-30 mg/Kg
(endocardite, osteolielite, infecções de
próteses, pneumonia grave,
meningoencefalite e sepse)
Dose de manutenção 15-20 mg/Kg/dose
12/12h (vancocinemia entre 15-20 mcg/mL)
Atenção → (uma vez atingida a
concentração-alvo, a vancocinemia e a
concentração sérica de creatinina devem
ser monitoradas ao menos semanalmente) Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
Principais classes de
antimicrobianos

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

β-lactâmicos

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
β-lactâmicos antibióticos
Antibioticoterapia

Estrutura química e classificação

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
β-lactâmicos antibióticos
Antibioticoterapia

Estrutura química e classificação

Bactericidas
Mecanismo de ação igual
Atividade antimicrobiana diferente
Efeito dependente de tempo
Principais mecanismos de resistência → β-lactamases
(ESBL e carbapenemases) e alterações de PBP

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
β-lactâmicos antibióticos
Antibioticoterapia

IBL

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Penicilinas

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Penicilinas antibióticos
Antibioticoterapia

Classificação

Classe Grupos ou fármacos


Penicilinas naturais GeV
Penicilinas resistentes as β-lactamases Isoxazolilpenicilinas
expressas por Estafilococos
Penicilinas de espectro ampliado Aminopenicilinas
Penicilinas + IBL sem ação antipseudomonas Aminopenicilinas+IBL
Penicilinas + IBL com ação antipseudomonas Ureidopenicilinas

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Penicilinas naturais antibióticos
Antibioticoterapia

Penicilina G Penicilina G Penicilina G


Penicilina V
benzatina procaína cristalina

Microrganismos
Microrganismos
Streptococcus, Em
Corynebacterium
Streptococcus Microrganismos diphtheriae, desuso
pyogenes e Streptococcus T. palidum, L. interrrogans,
Treponema pallidum Actinomyces israelii,
Indicação Anaerobios (Actinomyces,
Indicação Erisipela Clostridium, Fusobacterium)
Impetigo
Faringoamigdalite Atenção!!! Indicação
Profilaxia 1ª e 2ª da Pouco usada Erisipela bolhosa, fascite
febre reumática atualmente necrotizante, gangrena
Sífilis gasosa (+clindamicina),
pneumonia, endocardite,
difteria, sífilis congênita
neonatal, neurossífilis,
leptospirose Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Penicilinas semissintéticas antibióticos
Antibioticoterapia

Oxacilina Aminopenicilinas

Microrganismos
Fármacos
MSSA e CoNS Ampicilina e amoxicilina
MRSA (comunidade)
MRSA (hospitalar) Microrganismos
VISA Gram (+) → Estreptococos (pyogenes, agalactiae,
VRSA pneumoniae), Enterococos, Listeria monocytogenes)
Gram (-) → Meningococos, H. influenzae, Proteus
Indicação (MSSA e CoNS) mirabilis, Salmonella, Shigella, E. coli
Anaeróbios → Actinomyces, Veillonella, Fusobacterium
Infecções de pele e tecidos
moles Indicação
Pneumonia EV: ITU por Enterococos; meningites por
Osteomielite Listeria monocytogenes e Streptococcus
Meningite agalactiae; endocardite por Streptococcus
Abscesso viridans e pneumonias
Sepse
Endocardite Oral: Faringites, OMA, pneumonias, úlceras
Infecções dispositivos pépticas pelo H. pylori
protéticos Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Penicilinas + IBL antibióticos
Antibioticoterapia

Aminopenicilinas Ureidopenicilinas
+ IBL + IBL

Fármacos
Fármacos
Ampicilina-sulbactam (unasyn)
Piperacilina-tazobactam (tazocim)
Amoxicilina-clavulonato (clavulin)
Amoxicilina-sulbactam (trifamox IBL) Microrganismos
Gram (+): Estafilococos; S. pneumoniae,
Microrganismos Gram (-): H. influenzae, M. catarrhalis, E. coli, Proteus,,
Gram (+): Estafilococos; S. pneumoniae, Klebsiella, Citrobacter, Providencia, Yersinia,
Gram (-): H. influenzae, M. catarrhalis, E. coli, Proteus,, Enterobacter, Serratia, P. aeruginosa
Klebsiella, Citrobacter, Enterobacter, Serratia Anaeróbios como B. fragilis
Anaeróbios como B. fragilis
Indicação
Indicação Pneumonias nosocomiais; infecções intra-
Infecções intra-abdominais, ginecológicas e abdominais graves; infecções complicadas
obstétricas; pneumonias; pé diabético; dos tratos urinário e ginecológico; infecções
osteoarticular; ITU; endocardite por de pele e tecidos moles (úlceras do pé
enterococo e estafilococo diabético); osteomielite

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Cefalosporinas

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Cefalosporinas antibióticos
Antibioticoterapia

Classificação
1ª geração 2ª geração 3ª geração 4ª geração 5ª geração
(anti-MRSA)
Cefalotina Acetilcefuroxima Ceftriaxona Cefepima *Ceftarolina
Cefazolina Cefaclor Cefotaxima *Ceftobiprol
Cefalexina *Cefoxitina Ceftazidima
Cefadroxila *Ceftazidima +
avibactam
*Ceftolozana-
tazobactam

Ação insatisfatória contra anaeróbios (exceto cefoxitina)


Sem ação contra MRSA nem Enterococos (exceto
cefalosporinas 5ª geração)
Sem ação contra bactérias produtoras de ESBL e
carbapenemases (exceto ceftazidima+avibactam) Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Cefalosporinas antibióticos
Antibioticoterapia

Cefalosporinas Cefalosporinas
1ª geração 2ª geração

Fármacos
cefalotina/cefazolina
cefalexina/cefadroxila Fármacos
acetilcefuroxima, cefaclor
Microrganismos
Cocos Gram (+) (Estafilococos, Microrganismos
estreptococos, exceto MRSA, pneumococos Gram (+) (S. aureus, S. epidermidis, S.
e enterococos); Gram (-) (E. coli, Proteus saprophyticus, Streptococcus, incluindo
mirabilis e Klebsiella pneumoniae); pneumococos); Gram (-) E. coli,
anaeróbios da cavidade oral (B. fragilis é Klebsiella, Proteus, H. influenzae,
resistente) Moraxella catarrhalis; anaeróbios (- B.
fragilis)
Indicação
EV: Infecções de pele e de tecidos
moles; ITU não complicadas; Indicação
profilaxia cirúrgica (vasculares, Faringites; OMA; sinusites;
ortopédicas, cardíaca, estômago, pneumonias; ITU baixo;
duodeno, biliar, urinária) infecções de pele
Oral: Furunculose; ferimentos de
pele infectados; ITU não
complicadas; faringites Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Cefalosporinas de 1ª e 2ª geração antibióticos
Antibioticoterapia

Indicações clínicas

Esquemas terapêuticos da cistite em grávidas e crianças


Fosfomicina-trometamol 1 envelope (3g) em dose única
(monuril)
Nitrofurantoína (macrodantina) 1 cp de 100mg, de 12/12h, por 5 dias
(não usar próximo ao parto, sob risco de causar
anemia hemolítica no recém-nascido)

Acetil cefuroxima 1 cp de 250mg, de 12/12h, por 5 dias


Amoxicilina+clavulanato 1 cp de 500mg, de 8/8h, por 5-7 dias
Cefalexina (elevada resistência de E. coli) 1 cp de 500mg, de 6/6h, por 7 dias
Cefadroxila (elevada resistência de E. coli) 1 cp de 500mg, de 12/12h, por 7 dias

Homens e mulheres não grávidas, considerar uso de:


Sulfametoxazol+trimetoprima (2 cp 400/80 de 12/12h por 3 dias)
Macêdo, C.L. 2021
Cefalosporinas de 2ª geração Uso racional
Indutor de de
produção de
antibióticos
Antibioticoterapia
(cefoxitina) β-lactamases →
uso muito restrito
Aspectos gerais
Cefoxitina (grupo das cefamicinas)

Uso EV de 4/4 ou 6/6h

Atividade antimicrobiana → Gram (-) e anaeróbios


(B. fragilis)

Atividade antimicrobiana
Profilaxia em cirurgias colorretais, apendicites e
cirurgias ginecológicas (histerectomia) → atividade
anaerobicida
Apendicites, abscessos hepático, peritonites,
aborto infectado Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Cefalosporinas antibióticos
Antibioticoterapia

Cefalosporinas Cefalosporinas
3ª geração 4ª geração

Fármacos Fármaco
Cefotaxima/ceftriaxona; ceftazidima Cefepima
Microrganismos Microrganismos
Cefotaxima/ceftriaxona → Gram (+) pneumococos; Gram (+) → Estreptococos
Gram (-) gonococos, meningocos, E. coli, Serratia, (pneumococos), estafilococos; Gram (-)
Morganella, Enterobacter, Klebsiella, H. influenzae, → Pseudomonas, H. influenzae, E. coli,
Proteus indol positivo; Treponema pallidum Proteus mirabilis, Salmonella, Shigella,
Ceftazidima → Gram (-) Klebsiella, Enterobacter, Klebsiella, Moraxella, Citrobacter,
Citrobacter, Serratia, H. influenzae, P. aeruginosa Enterobacter, Serratia, Meningococos,
Gonococos
Indicação
Ceftriaxona → pneumonias; ITU; sepse; Indicação
meningite; gonorreia (+ azitromicina) Infecções respiratórias; ITU;
Ceftazidima → pneumonias; pielonefrites; ginecológicas; pele e tecidos
osteomielites; meningite; sepse; abscesso moles; endocardites; sepse;
cerebral de origem otogênica (+ oxacilina e meningite; neutropenia febril
metronidazol)
Atenção!!!
Atenção!!! Neurotoxicidade (risco de
Ceftriaxona (lama biliar) convulsão) Macêdo, C.L. 2021
Cefalosporinas de 3ª geração Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
(ceftazidima+avibactam)
Aspectos gerais

Macêdo, C.L. 2021


Cefalosporinas de 3ª geração Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
(ceftazidima+avibactam)
Aspectos gerais

Atenção!!!
Ceftazidima + avibactam (torgena®)

Ação contra → bactérias Gram (-) produtoras de ESBL e


KPC (P. aeruginosa, Enterobactérias)
Sem ação → S. aureus (MSSA, MRSA), Enterococcus spp,
anaeróbios, Stenotrophomonas maltophilia, Acinetobacter
spp.
Indicações → ITU, pneumonias (PAV), cavidade abdominal
complicados

Macêdo, C.L. 2021


Cefalosporinas de 3ª geração Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
(ceftolozana+tazobactam)
Aspectos gerais

Macêdo, C.L. 2021


Cefalosporinas de 3ª geração Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
(ceftolozana+tazobactam)
Aspectos gerais

Atenção!!!
Ceftolozana-tazobactam (zerbaxa®)

Ceftolozana é uma nova cefalosporina, estruturalmente


semelhante à ceftazidima
Ativo contra Enterobacteriaceae produtoras de ESBL e P.
aeruginosa MDR
Aprovado para tratamento de infecções intra-abdominais
complicadas, ITU complicadas e pneumonias (em estudo)

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Cefalosporinas de 5ª geração Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
(ceftarolina)
Atividade antimicrobiana
MSSA, VISA, MRSA

Pneumococos sensíveis e resistentes as penicilinas


e cefalosporinas

Enterococcus faecalis sensíveis e resistentes a


ampicilina e a vancomicina; mas não E. faecium

H. influenzae e bacilos Gram (-) entéricos


(atividade semelhante a ceftriaxona)

Não tem ação → bactérias Gram (-) produtoras de


ESBL; Pseudomonas; B. fragilis Macêdo, C.L. 2021
Cefalosporinas de 5ª geração Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
(ceftarolina)
Indicações clínicas
Infecções de pele e tecido mole

Pneumonia da comunidade

Outras infecções por microrganismos sensíveis

Macêdo, C.L. 2021


Cefalosporinas de 5ª geração Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
(ceftobiprol)
Atividade antimicrobiana
Ação semelhante a da ceftarolina

Acréscimo de ação contra → Pseudomonas


(semelhante a ação da ceftazidima)

Indicação → semelhante as da ceftarolina

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de

monobactâmicos
antibióticos
Antibioticoterapia

Carbapenens e

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Carbapenéns e monobactâmicos antibióticos
Antibioticoterapia

Carbapenéns Monobactâmico

Fármacos
Meropenem, imipenem, ertapenem
Fármaco
Microrganismos
Aztreonam
Gram (+); Gram (-) e anaeróbios
Microrganismos
Indicação Gram (-) → E. coli, Klebsiella, Proteus,
Pielonefrites e ITU complicadas; pneumonias Morganella, Salmonella, Providencia, H.
graves; pé diabético; infecções intra-abdominais influenzae, Gonococo, Meningococo, P.
(apendicite supurada, peritonite, abscessos aeruginosa
intra-abdominais)
Indicação
Atenção!!! Infecções respiratórias;
 Uso restrito (indutores de resistência)
ginecológicas; sepses;
osteoarticulares; intra-
 Normalmente resistentes as ESBL e sofrem abdominais (peritonites,
ação de carbapenemases
abscessos hepáticos,
 Indutores de convulsões (↑ imipenem) apendicites + metronidazol;
 Terapia duplo-carbapenêmico (ertapenem 1g meningites
EV, 1xdia, correr em 1h + após 0,5-1h iniciar
meropem 2g, 8/8h correr em 3-4h) Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

tetraciclinas e
Macrolídeos,

glicilciclinas

Macêdo, C.L. 2021


Macrolídeos, tetraciclinas e Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
glicilciclinas
Macrolídeos Tetraciclinas Glicilciclinas

Fármaco
Fármacos Fármacos
Tigeciclina
Eritromicina, claritromicina e Tetraciclina, oxitetraciclina,
azitromicina doxiciclina, minociclina
Microrganismos
Microrganismos Microrganismos MRSA, Estreptococos
Pneumococos e outros Estreptococos; Estafilococos (+MRSA), Pneumococos; resistentes, VRE,
H. pylori, S. aureus, M. pneumoniae, H. influenzae, H. pylori, Treponema enterobactérias (K.
Legionella pneumophila, Chlamydia, pallidum; Rickettsia, Clamídeas, pneumoniae, E. coli,
Moraxella catarrhalis, Chlamydophila Borrélias e M. pneumoniae, anaeróbios Enterobacter, K. pneumoniae
pneumoniae, H. influenzae, Bordetella (B. fragilis) produtores de ESBL e
pertussis carbapenemases, Citrobacter),
Indicação Acinetobacter, H. influenzae,
Indicação Pneumonia da comunidade, Gonococos, anaerobios (B.
Faringite, OMA, pneumonia, infecções por Clamideas e
fragilis, Clostridium)
coqueluche, úlcera péptica, Riquetsias, de pele e tecidos
uretrite, cervicite e doença Indicação
moles, sífilis, úlcera péptica,
inflamatória pélvica Infecções de pele e
cólera, leptospirose
(Chlamydia), cancroide (H. tecidos moles; intra-
ducreyi, Ureaplasma) Atenção!!! abdominais (abscessos,
Proscritos para gestante e crianças <8 anos
apendicite,Macêdo,
peritonite)
C.L. 2021
Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Glicopeptídeos,
lipopeptídeos e
oxazolidinonas
Lincosamidas,

Macêdo, C.L. 2021


Lincosamidas, glicopeptídeos, Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
lipopeptídeos e oxazolidinonas
Lincosamidas Glicopeptídeos Lipopeptídeos Oxazolidinonas

Fármacos Fármacos
Lincomicina, Vancomicina, teicoplanina Fármaco
clindamicina Linezolida
Microrganismos Fármaco
Microrganismos MRSA, estreptococos, Daptomicina Microrganismos
MSSA, MRSA, enterococos MRSA,
Estreptococos Microrganismos estreptococos e
Indicação
(pneumococos), MRSA e enterococos
Pneumonia, sepse,
anaeróbios Enterococos
celulites, meningite, Indicação
Indicação osteomielite, endocardite,
Indicação Pneumonia,
Pneumonia, enterocolite
Sepse, infecções de pele e
abscesso pulmonar, pseudomembranosa
endocardite tecidos mole,
pele e tecidos Atenção!!! sepse, meningite,
moles, osteomielite, Infecções graves Atenção osteomielite
cavidade abdominal, (vancocinemia ou nível sérico Pneumonias!!!
trato genital feminino de 15-20 mcg/dL e dose de Atenção!!
Atenção!!! ataque 25-30 mg/Kg) trombocitopenia e
efeitos síndrome homem vermelho leucopenia!!!
indesejáveis Teico (EV/IM e ↑ segurança) Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Aminoglicosídeos, antibióticos
Antibioticoterapia

metronidazol
polimixinas,

Macêdo, C.L. 2021


Aminoglicosídeos, polimixinas Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia
e metronidazol
Aminoglicosídeos Polimixinas Anaerobicida

Fármacos
Fármacos Polimixina B (ativa), Fármaco
Tobramicina, gentamicina, polimixina E ou colistina Metronidazol
amicacina (inativa) Microrganismos
Microrganismos Anaeróbios (cocos e bacilos
Microrganismos Gram -); menor ação contra
Citrobacter, Enterobacter, E. coli, K. Enterobacter, E. coli, Citrobacter, H.
influenzae, Salmonella, Shigella, P. (cocos e bacilos Gram +) e
pneumoniae, Proteus mirabilis,
protozoários
Providencia, P. aeruginosa, Serratia aeruginosa, Acinetobacter, Klebsiella

Indicação Indicação
Indicação
Pneumonias, sepses, Infecções intra-
ITU, pneumonias, peritonite,
pielonefrites, infecções por abdominais (1ª opção),
endocardite bacteriana (+
enterobactérias multirresistentes obstétricas e
ampicilina-sulbactam ou
(polimixina + aminoglicosídeo ginecológicas, abscessos
oxacilina ou vancomicina, sepse
ou tigeciclina) cerebrais, colite
(P. aeruginosa)
pseudomembranosa (C.
Atenção!!! difficile); amebíase,
Atenção!!! Uso EV e inalatório
Uso EV e inalatório giardíase, tricomoníase
Bactérias intrinsicamente resistentes
Efeito dependente de dose, efeitos Atenção!!!
(Proteus, Providencia, Serratia,
nefrotóxico e ototóxico Pneumonias por anaeróbios
Burkholderia, Morganella)
Nefrotoxicidade e neurotoxicidade Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

fluorquinolonas
Sulfonamidas e

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Sulfonamidas e fluorquinolonas antibióticos
Antibioticoterapia

Sulfonamidas Fluorquinolonas

Fármacos
Sulfametoxazol+trimetoprima,
sulfadiazina+pirimetamina Fármacos
Microrganismos Norfloxacino, ciprofloxacino,
E. coli, H. influenzae, Pneumococos, Nocardia brasiliensia, levofloxacino, gemifloxacino,
Pneumocystis jiroveci; Toxoplasma gondii moxifloxacino
Indicação Microrganismos
ITU, prostatites, infecções intestinais e cólera, Cocos e bacilos Gram (+) e Gram (-),
incluído P. aeruginosa, atípicos,
infecções respiratórias, por estafilococos,
anaeróbios (só moxifloxacino)
Nocardiose, infecções Pneumocystis jiroveci;
Toxoplasmose Indicação
Espiramicina até 18a semana (não trata o feto, se concentra ITU (baixo e alto), respiratórias
na placenta e dificulta a transmissão intraútero); após 18ª
semana (sulfadiazina+pirimetamina+ácido folínico); Atenção!!!
substituir sulfadiazina por clindamicina no último mês da Moxifloxacino (não se concentra no
gestação (evitar risco de Kernicterus no recém-nascido) trato urinário)
Uso restrito
Atenção!!!
Principais efeitos indesejados são hematológicos,
contra-indicação no recém nascido Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Fluorquinolonas antibióticos
Antibioticoterapia

FDA, EMA e ANVISA


Alertas em: 2008, 2011, 2013, 2016, 2018

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Fluorquinolonas antibióticos
Antibioticoterapia

Indicações atuais
Não devem ser mais usadas em:
 Tratamento de infecções não graves (faringites)
 Na profilaxia da diarreia dos viajantes;
 Na profilaxia das infecções recorrentes do trato urinário inferior;
 Na sinusite bacteriana aguda;
 Na exacerbação da bronquite crônica;
 Infecções não complicadas do trato urinário.

São alternativas em:


 Infecções graves (pneumonias comunitárias passíveis de
internação hospitalar);
 Infecções osteoarticulares. Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Fluorquinolonas antibióticos
Antibioticoterapia

Precauções atuais

Atenção!!!
 Suspensão ou uso restrito → efeitos colaterais
incapacitantes e potencialmente permanentes

 Pacientes devem interromper o tratamento ao primeiro


sinal de um efeito colateral envolvendo músculos,
tendões ou articulações ou sistema nervoso

 Pacientes mais vulneráveis → mais de 60 anos,


comprometimento renal ou se tiver recebido transplante
de órgãos, em uso de corticóide

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Fluorquinolonas antibióticos
Antibioticoterapia

Esquemas terapêuticos alternativos

Sinusites
Pneumonias
ITU baixo
ITU alto

Macêdo, C.L. 2021


Resistência
bacteriana
(atual situação nas infecções
adquiridas na comunidade)
antibióticos
Uso racional de
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana na comunidade antibióticos
Antibioticoterapia

OMS/OPAS – Informe regional de SIREVA II, 2019 Macêdo, C.L. 2021


Resistência
bacteriana
(atual situação nas infecções
adquiridas no hospital)
antibióticos
Uso racional de
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana antibióticos
Antibioticoterapia

Patógenos não MDR Patógenos MDR


S. pneumoniae, outras espécies P. aeruginosa
de Streptococus
H. influenzae MRSA
MSSA Espécies de Acinetobacter
E. coli Espécies de Enterobacter
Espécies de Proteus Espécies de Klebsiella
Espécies de Enterobacter Legionalla pneumophila
Serratia marcescens Burkholderia cepacia
Espécies de Aspergillus

Atenção!!!
Infecções hospitalares (< 5 dias e com > 5 dias)
Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Processos de resistência antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo,
WHO, C.L. 2021
2019
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

Agentes etiológicos de IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de


cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020


Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

Agentes etiológicos de IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de


cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020


Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

Agentes etiológicos de IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de


cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020


Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços deMacêdo,


saúde n oC.L. 2021
20, 2020
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

IPCS-CVC - Infecção primária de corrente sanguínea em paciente eu uso de cateter venoso central

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

Microrganismos isolados em ITU-CVD - Infecção do Trato Urinário associado a cateter vesical de


demora

Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020


Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

Microrganismos isolados em ITU-CVD - Infecção do Trato Urinário associado a cateter vesical de

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020


demora

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

ITU-CVD - Infecção do Trato Urinário associado a cateter vesical de demora

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

ITU-CVD - Infecção do Trato Urinário associado a cateter vesical de demora

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020


Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Resistência bacteriana em hospital antibióticos
Antibioticoterapia

ITU-CVD - Infecção do Trato Urinário associado a cateter vesical de demora

ANVISA, Boletim segurança do paciente e qualidade em serviços de saúde n o 20, 2020


Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Tratamento das antibióticos
Antibioticoterapia

infecções mais
comuns

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Infecções respiratórias antibióticos
Antibioticoterapia

Trato respiratório superior


Faringites

OMA

Rinossinusites

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Infecções respiratórias antibióticos
Antibioticoterapia

Trato respiratório inferior


PAC

PAH

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Infecções urinárias antibióticos
Antibioticoterapia

Inferior vs superior
Cistites

Pielonefrites

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
IBPs

Úlceras gástricas/duodenais Omeprazol 20 mg 12/12 h


Lansoprazol 30antibióticos
Antibioticoterapia
mg 12/12 h
Pantoprazol 40 mg 12/12 h
Rabeprazol 20 mg 12/12 h

Infecções pelo H. pylori Dexlansoprazol 60 mg 12/12 h


Esomeprazol 40 mg 12/12 h

Atenção!!!
Para evitar testes falso negativos →
interrupção por 2 semanas do uso
de IBPs e 4 semanas do uso de
antimicrobianos e sais de bismuto

IVth Brazilian Consensus Conference on Helicobacter pylori infection, 2018 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Úlceras gástricas/duodenais antibióticos
Antibioticoterapia

Infecções pelo H. pylori

IVth Brazilian Consensus Conference on Helicobacter pylori infection, 2018 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Úlceras gástricas/duodenais antibióticos
Antibioticoterapia

Infecções pelo H. pylori

IVth Brazilian Consensus Conference on Helicobacter pylori infection, 2018 Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
Meningite antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Infecção no pé diabético antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Antibioticoterapia
(infecções intra-abdominais)

Infecção adquirida na comunidade Antibioticoterapia


Perfil de microrganismos → flora gastrointestinal do (infecções intra-abdominais)
paciente (Enterobacteriaceae, streptococcos e
anaeróbios Infecção adquirida no
Pacientes com IIA não complicado, como apendicite e hospital
colecistite não complicadas, onde a fonte de infecção é Perfil de microrganismos →
tratada definitivamente, a antibioticoterapia pós- microbiota hospitalar
operatório não é necessária
Importante ampliar cobertura
Pacientes com IIA complicado submetidos a adequado antifúngica, principalmente
procedimento de controle de infecção, um curso curto contra Candida
de antibióticoterapia (3-5 dias) é sempre recomendada
Escolha da antibioticoterapia
Realização de cultura intra-operatória sempre
realizadas nas IIA hospitalares ou de comunidade
graves ou com risco de patógenos resistentes →
escalonamento ou descalonamento
Escolha da antibioticoterapia Macêdo, C.L. 2021
Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
antibióticos
Antibioticoterapia

Perspectivas

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Perspectivas antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Perspectivas antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Perspectivas antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Perspectivas antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Perspectivas antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Perspectivas antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Uso racional de
Perspectivas antibióticos
Antibioticoterapia

Macêdo, C.L. 2021


Investigação do mecanismo de ação espasmolítica do
flavonóide FGAL, isolado de Piptadenia stipulacea Benth
(Fabaceae), em aorta de rato e traquéia de cobaia

Curso de Medicina
Antibioticoterapia
FCM/Afya

Cibério Landim Macêdo


(Esp, MSc, PhD)
(Professor de farmacoterapia Medicina FCM, FAMENE, UNIPÊ, pós-graduação e REMUSC)
email: ciberiolandim@hotmail.com e instagram: @ciberiolandim