Você está na página 1de 13

Cálculo de Reatores em Batelada

Operação: esterilização do meio / inoculação / fermentação /


descarga  nada é adicionado (exceto oxigênio (p/ processos
aeróbios) e antiespumante)  o volume é constante.
Desvantagens: baixa produtividade se S causa inibição ou
desvio do metabolismo e muitos tempos mortos (carga,
descarga, lavagem, esterilização).
Vantagens: baixos riscos de contaminação, fácil controle da
estabilidade genética.
Aplicação: é o mais usado na indústria de alimentos e
bebidas.
Processo Descontínuo ou em Batelada
Número de dornas
Fermentadores  alto custo e tamanho  determinação do
número de fermentadores adequado ao processo de produção –
no econômico de dornas.

Borzani (1975) propôs uma metodologia para o cálculo do


número de fermentadores para uma empresa que trabalha com
processo em batelada. Considerar:
- fornecimento ininterrupto de meio fermentado ao setor de
recuperação/purificação do produto;
Processo Descontínuo ou em Batelada
Número de dornas
Sejam dados:
F = Vazão de P para recuperação
tf = Tempo de fermentação
V = Capacidade útil de cada dorna
D = No de dornas de volume V necessários para garantir F
td = Tempo de descarga
tc = Tempo de limpeza e carga

A vazão F depende dos seguintes fatores:


 quantidade de produto (m) na unidade
F = m/c
do tempo (t) F = (g/h)/(g/L)=L/h
concentração de produto formado (c)
Processo Descontínuo ou em Batelada
Número de dornas
tf - varia com o processo de fermentação
td = V/F (L)/(L/h)
tc - considerar igual a td  essa igualdade facilita a avaliação de
D (número de dornas).

Representação esquemática do problema

1 2 3 4 D

Recuperação
Cálculo do Número de Dornas
Cronograma de funcionamento de D dornas simultâneas

Fim da descarga

Fim da fermentação

Fim da carga

Início do preparo
da dorna
Cálculo do Número de Dornas
Genericamente:
 Tem que haver um espaço de tempo td entre a operação das dornas.
 A dorna D inicia seu funcionamento no instante (D-1)td.
 Também é verdade que D inicia seu funcionamento em td+tf.

D 1* td  td  t f


Cálculo do Número de Dornas
Logo,

D 1* td  t d  t f
tf
D2 mas, td = V/F, pois vazão é o volume em escoamento
td na unidade do tempo

F.t f  Expressão que permite calcular o número


D  2    de dornas desde que se conheça F, V e tf
 V 

Nem sempre V pode ser escolhido  Portanto, não se


pode calcular D.
Nesse caso, V será escolhido em função da tabela de
preços dos reatores.
Cálculo do No Econômico de Dornas
É o número de dornas de custo total mínimo capaz de atender
às necessidades da instalação. É calculado com base no custo
e volume de fermentadores comerciais.

Sendo p o custo de um fermentador de capacidade útil V, é


válida a equação empírica:

p  k.V a

Onde k e a são parâmetros que dependem do local e 0<a<1.


Logo, o custo de D fermentadores é:

P  p.D
Cálculo do No Econômico de Dornas
Combinando:

 F.t f  F.t f
P  k.V .D a e D 2
 V
V 
 D2
P  k.F.t f 
a D
D  2a
Constante = K

D
P  K.
D  2a
Cálculo do No Econômico de Dornas
D
P  K.
D  2a

Derivando essa equação e igualando a zero (pois espera-se


calcular o número mínimo de reatores), obtém-se o ponto de
mínimo igualando-se a zero (menor valor de P) D=número
econômico de dornas (E).
dP K.D.a.D  2  D  2 .K
a1 a

 0
D  2
2a
dD
2
D E 
1 a
Cálculo do No Econômico de Dornas
Combinando:

2  F.t f  F.t f

D E  e D 2 V 
1 a  V  D2

Temos:

F.t f .1  a  capacidade útil de cada


Ve  um dos E fermentadores
2a

Consegue-se, assim, calcular o V (que faltava antes!)...


Precisa-se, no entanto, saber quem é “a”...
Quando “a” for calculado, pode-se saber quem é
VeD
A Equação empírica p = k.Va
Como obter o “a”?
Linearizando a expressão da equação empírica, temos:

log p  log k  a log V

Construindo um gráfico de log p X log V, calcula-se:


Coeficiente angular = a
Coeficiente linear = log k

É preciso conseguir com o fabricante uma lista de preços (p)


de fermentadores de diversas capacidades (V).
A Equação empírica p=k.Va
Pode ser determinada construindo o gráfico de p (preço) X V
(capacidade do fermentador) no Excel e ajustando a curva para
potência  adicionar linha de tendência (marcar a opção p/
fornecer equação).

Tabela de Preços 500.000,00

0,7488
y = 50,775x
400.000,00
R2 = 0,9999
Preço ($)

300.000,00

200.000,00
K = 50,775
100.000,00 a = 0,7488

0,00
0 50000 100000 150000 200000 250000
Volume (L)

Você também pode gostar