Você está na página 1de 12

UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Bruna Bueno de Camargo RA 1810668


Bruna Rodrigues da Cruz RA 1810229
Leandro Correa de Lima RA 1810136
Marilda Machado dos Santos RA 1804075
Rosinete Ferreira Machado RA 1807018
Sandra Rodrigues de Lima RA1807324
Simone Rodrigues da Cruz RA 1809947

Desafios da gestão pedagógica na participação dos pais


escola

Apiaí - SP
2021
UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Desafios da gestão pedagógica na participação dos pais


escola

Relatório Técnico - Científico apresentado na disciplina


de Projeto Integrador para o curso de Pedagogia da
Universidade Virtual do Estado de São Paulo
(UNIVESP).

Apiaí - SP
2021
CAMARGO, Bruna Bueno de; CRUZ, Bruna Rodrigues da; CRUZ, Simone Rodrigues da; LIMA,
Leandro Correa de Lima; LIMA, Sandra Rodrigues de; MACHADO, Rosinete Ferreira; SANTOS,
Machado dos. Desafios da gestão pedagógica na participação dos pais escola. Relatório
Técnico-Científico. Nome do Pedagogia – Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Tutor:
Glaucia Uesugi. Polo Apiaí - 2021

RESUMO

O presente trabalho tem como tema A organização do trabalho pedagógico da gestão Pedagógica,
o qual tem o objetivo de avaliar a participação efetiva dos pais e/ou responsáveis na vida escolar
de seus filhos, por meio de um trabalho colaborativo entre família, aluno e escola. Para isso foi
feito pesquisa bibliográfica qualitativa, elencado o papel do gestor escolar e sua equipe, como se
organiza o seu trabalho escolar, principalmente no que tange a participação dos pais na escola e
seu comprometimento com a aprendizagem dos filhos. Por meio de uma investigação local na
escola E.E. Dona Hermínia da Silveira Melo foi possível verificar um dos problemas da intuição,
a participação dos pais de forma efetiva no desenvolvimento de ensino aprendizagem dos filhos,
assim como outros aspectos importantes na escola. A proposta para uma possível solução é uma
campanha de conscientização dos pais para participar mais das atividades desenvolvidas na escola
e no processo educacional do filho, também reuniões periódicas.

PALAVRAS-CHAVE: gestão pedagógica, gestão democrática, participação dos pais, vida


escolar.
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 1
2. DESENVOLVIMENTO 3
2.1 OBJETIVOS ........................................................................................................................... 3
2.2. JUSTIFICATIVA E DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA ................................................................... 3
2. 3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ............................................................................................... 5
2.4. METODOLOGIA ................................................................................................................... 7
REFERÊNCIAS 8
1

1. INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como tema norteador “A organização do trabalho pedagógico da gestão
Pedagógica”, o qual será desenvolvido de acordo com o problema detectado na escola E. E. Dona
Hermínia da Silveira Mello: Pouco envolvimento dos pais e/ou responsáveis na vida escolar dos
filhos.
A gestão pedagógica é fundamental para assegurar uma escola de qualidade, com acesso
para todos, permanência e aprendizagem. E é um uma organização de trabalho em equipe que pode
criar estratégias para garantir esses direitos a todos os cidadãos.
De acordo com o autor José Fernandes de Lima (2014) para uma educação de qualidade se
faz necessário uma gestão pedagógica articulada, unida nos diferentes saberes, a fim de promover
a aprendizagem de cada um e de todos os alunos. Para isso é preciso um trabalho desenvolvido
com compromisso, planejamento, compartilhado entre a equipe, para que desta forma se concretize
o maior objetivo da educação: o aluno aprender e desenvolver suas potencialidades.
A gestão pedagógica é responsável pelo planejamento pedagógico da escola, assim define
diretrizes e práticas educacionais a serem adotadas. O coordenador pedagógico e o diretor são os
responsáveis pela gestão escolar, mas é o coordenador o principal responsável pela gestão
pedagógica. Júlio Furtado cita:

[...] uma vez que orientar, apoiar e supervisionar o trabalho docente é o cerne da ação
desse profissional. A questão é que esse pré-requisito é necessário, mas não é suficiente.
Conhecimentos de liderança, de currículo, de avaliação da aprendizagem, de avaliação de
desempenho, de metodologia do ensino, de processos de aprendizagem, de gestão de
projetos e, mais recentemente, de coaching são alguns pré-requisitos que os novos tempos
tornam cada vez mais essenciais para o exercício efetivo da função. (FURTADO)

Dentre estas acimas citadas e dentre tantas outras como a gestão do currículo, a gestão da
ação docente e a gestão dos resultados, existe a de aproximar a família da escola.

O que a escola espera da família é uma participação efetiva na vida escolar dos filhos e o
apoio às ações da escola, manifestados através de críticas e sugestões para a melhoria do
nosso trabalho, da atenção às necessidades do filho que muitas vezes não está na simples
ajuda nas atividades, mas no diálogo aberto e nas manifestações afetivas. (ARAÚJO,
LARA, SOUZA, 2009, p. 43)

A participação da família na escola ajuda o processo de ensino aprendizagem, precisam


andar juntas para um bem comum.
2

Um dos problemas detectados na escola E.E. Dona Hermínia da Silveira Melo foi o
distanciamento das famílias, pouco engajamento nos estudos dos filhos e participação em reuniões
escolares. Talvez isso possa refletir nos baixos índices baixos da aprendizagem, o qual é medido
pelo IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), em 2019 a nota foi 5,72 no Ensino
Fundamental, e 4,70 no Ensino Médio. Outro problema observado, nesse período de atividades
remotas, por conta da pandemia provocada pelo vírus COVID-19, foi a pouca entrega das
atividades impressas, até mesmo nenhuma participação de aluno e família.
Para tanto, o problema considerado na escola é o pouco envolvimento dos pais e/ou
responsáveis na vida escolar dos filhos, o qual pode refletir nos baixos índices de aprendizagem e
a falta de interesse dos alunos pelos estudos.
3

2. DESENVOLVIMENTO

2.1 Objetivos
Objetivo geral:

Avaliar participação efetiva dos pais e/ou responsáveis na vida escolar de seus filhos, por
meio de um trabalho colaborativo entre família, aluno e escola.

Objetivos específicos
Conhecer a estrutura física e organizacional da escola Hermínia da Silveira Melo
Identificar a comunidade escolar e como atual na vida dos filhos.
Levantar o porquê da pouca participação dos pais e responsáveis na vida escolar
Analisar alternativas para que a família participe da escola.

2.2. Justificativa e delimitação do problema

O problema a ser trabalhado nesta pesquisa é: os desafios da gestão pedagógica na


participação dos pais escola
Sabemos que é de fundamental a participação de pais e responsáveis na vida escolar dos
filhos. Ao acompanhar a trajetória educacional dos filhos tantos os quesitos intelectuais como
comportamental irão se desenvolver melhor. O filho vendo que o pai está presente fará de tudo
para ter boas notas e um bom comportamento, sente-se valorizado, desenvolve de uma forma mais
segura e com autoestima mais elevada.
Infelizmente o que se observa, principalmente na escola pública, nos anos finais e ensino
médio, é o pouco envolvimento dos pais nas atividades dos filhos, relacionado ao comportamento
e ao processo de ensino aprendizagem.
A instituição educacional Dona Hermínia da Silveira Mello tem pouca participação efetiva
dos pais na vida escolar dos filhos e em decisões importantes na escola. Desta forma identificou-
se um desafio da gestão pedagógica.
Para o desenvolvimento deste projeto indagamos as seguintes perguntas: Qual é a
importância da relação entre a família e a escola no processo ensino aprendizagem? Como a família
pode fazer parte no desempenho educacional do filho? E como essa relação família-escola pode
contribuir para o desenvolvimento da identidade e da aprendizagem? Como podemos fazer a
família participar mais das ações da escola e da vida escolar do filho?
4

Uma proposta para encontrar uma solução para este problema é uma campanha de
conscientização da importância da presença e do apoio dos pais na escola, para o desenvolvimento
cognitivo e socioemocional dos filhos, também a realização de reuniões coletivas e individuais
com os mesmos.
5

2. 3. Fundamentação teórica

A palavra gestão vem do latim, gestione, que significa gerenciar, administrar. Para isso é
importante na gestão: administrar, tomar decisões, organizar, ter uma direção, e desta forma atingir
os objetivos propostos. A autora Maria Andreia Grochoska, (2013), cita que:

A maneira como a gestão escolar é concebida determina como se dão os diversos


encaminhamentos educacionais. [...] a gestão escolar tem grande responsabilidade na
efetivação de novos caminhos, em especial no entendimento que a gestão da escola não
perpassa apenas na figura do diretor, numa perspectiva individual, mas sim uma
construção que é coletiva. (GROCHSKA, 2013, p 15).

A ideia de gestão escolar mudou ao longo do tempo, se antes era considerada questão
burocrática ligada a estrutura física e financeira de uma instituição escolar, hoje está mais ligada a
humanização e a democracia. Ele deve pensar qual o papel da escola, qual a sua missão e seu
futuro, o que deve estar sistematizado no Projeto Político Pedagógico (PPP), com a finalidade de
posicionar a escola tanto pedagógica como institucional, sempre com o foco da aprendizagem.

É preciso que a escola de hoje se caracterize como espaço de construção e socialização


do saber, da interação de pessoas e cidadania, desenvolvendo um aluno crítico e
consciente, capaz de contribuir e conviver em sociedade, a partir de um contexto escolar
inovador que consiga acompanhar as mudanças sociais e contribuir para a sua
transformação. (GROCHSKA, 2013, p 16).

Para o sucesso de uma escola, a participação dos pais e seu comprometimento com
a aprendizagem dos filhos é fundamental para esse processo. Quando se envolve os pais e a
comunidade escolar e local na participação da escola, chamamos de gestão participativa e
democrática.
Houve mudança também na visão do trabalho da gestão escolar, não é mais centralizada
em uma pessoa, no caso no diretor, hoje fala se em equipe escolar, composta por supervisão e/ou
coordenação pedagógica, vice-diretor, orientação pedagógica, secretaria da escola. Cada um
desses tem uma função específica, que depois compartilham as ideias e resultados, com base na
organização, planejamentos, reuniões, e outros momentos e estudos.

A gestão escolar constitui uma das áreas de atuação profissional na educação destinada a
realizar o planejamento, a organização, a liderança, a orientação, a mediação, a
coordenação, o monitoramento e a avaliação dos processos necessários à efetividade das
ações educacionais orientadas para a promoção da aprendizagem e formação dos alunos"
(LUCK, 2009, p. 23).

A gestão escolar vai atuar em diferentes em várias instancias: administrativa, financeira,


pedagógica, recursos humanos, formação, entre outros, assim desenvolver a construção da
6

aprendizagem e do conhecimento. Para tanto, cabe-lhes promover a abertura da escola e de seus


profissionais para os bens culturais da sociedade e para sua comunidade (LUCK, 2009, p. 22)
Na Lei 9.394/96 está explícito sobre a gestão democrática: no Artigo 14 diz que: Os
sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do ensino público na educação
básica, de acordo com as suas peculiaridades.
A educação democrática se faz pela ação dos atores envolvidos, como o diretor, pedagogos,
alunos, professores e outros profissionais que constituem o espaço escolar.
Nesta perspectiva de gestão democrática, o envolvimento deve ser assumido por todos
que fazem parte do processo educativo, sendo esses corresponsáveis pelo processo
educacional. O pedagogo, entretanto, pode ser percebido como elemento desse processo,
pois, na gestão escolar o pedagogo é o elemento que integra e torna esse processo mais
dinâmico e permanente. (FRACARO, PRADO, 2015, p. 9378).

O que se espera é a família participando de forma efetiva de várias atividades desenvolvida


na escola, o que pode ser críticas e sugestões para melhoria do trabalho escolar, atenção as
necessidades do filho, ajuda em desenvolver atividades, mais diálogo (ARAÚJO, LARA, SOUZA,
2009, p. 43).
A participação da família na escola é importante para decidir quais caminhos a serem
trilhados, quais ações a serem tomadas, para isso a escola deve fazer com que a comunidade
entenda que faz parte da escola, e a educação também é seu compromisso.
A autora Aurelina Sandra Barcellos de Oliveira e outros destaca que a qualidade desta
participação depende, principalmente, do grau de conscientização do papel dos atores envolvidos
no processo de elaboração desses instrumentos e da maneira como as relações ocorrem no
cotidiano da escola... (OLIVEIRA e outros, 2015, p. 69)
O processo da gestão democrática não é fácil, são vários procedimentos, é um processo
demorado e com vários envolvidos, e o diretor de escola precisa de aliados para que a democracia
seja posta em prática e realmente a família se sinta envolvida e queira participar das atividades
educacionais. Pois é sabido que é importante a sua participação, mas é grande a ausência dos pais
na vida escolar dos filhos.

Em nossa convivência escolar observamos que os pais pouco ou quase nunca participam
na vida escolar de seus filhos e a falta dessa integração com a escola, sempre foi motivo
de intensas reclamações principalmente pelos professores que sentem a falta da ajuda dos
pais nos trabalhos escolares de seus alunos. (SILVA, COUTINHO, 2009, p. 93)

Quando se alerta para os pais participarem da vida educacional dos filhos, fala-se em
aprendizagem, em resultados obtidos, seja por análise da própria escola ou das avaliações externas.
Os pais são responsáveis pela educação de seus filhos.
7

2.4. Metodologia

Para o desenvolvimento deste projeto integrador o grupo fez reuniões por meio da
plataforma TEAMS, também pelo grupo do WhatsApp, para levantamento de dados, discussões e
o papel de cada um no desenvolvimento das atividades.
Para tanto o objetivo deste trabalho é investigar a falta do envolvimento dos pais na vida
escolar dos filhos e investigar meios de promover a interação família e escola.
Por motivo de pandemia, a escola estando fechada, as consultas e conversa com a senhora
Claudia Regina da Silva, diretora da escola Dona Hermínia da Silveira Mello foi a maioria por
meio de telefone.
Mesmo assim foi possível ouvir sua preocupação em trazer os pais a participarem de forma
mais efetiva na vida escolar dos filhos. Segundo a diretora cada vez mais os pais se ausentam,
mesmo nesse período no qual os filhos praticamente há um ano sem aulas presenciais.
Depois de muita conversa por telefone, a diretora avisou que poderia receber um integrante
do grupo, pois a escola tinha sido liberada.
Desta forma, a análise dos dados foi por meio de pesquisa qualitativa ou quantitativa. O
desenvolvimento do projeto foi por meio de observação da escola e alguns documentos
disponibilizados pela diretora, e conversa com a mesma,
A coleta local ela mostrou os dados da escola e sua preocupação com o ensino
aprendizagem, pois as metas estão bem baixas, tanto do Ensino Fundamental como Ensino Médio.
Ela relatou que faz reuniões e chama os pais, mas nem 20% comparecem, e nesse período de
pandemia as atividades em sua maioria são impressas, pois muitos alunos moram em bairros e
difícil acesso para internet. A devolutiva dessas atividades é bem baixa. Mas o mais agravante é
que alunos que tem acesso ao meio tecnológico não dão a devolutiva que imaginava.
Umas das soluções possíveis é uma campanha de conscientização das famílias para
participar mais efetivamente da vida escolar dos filhos, também reuniões coletiva e individual.
Como ainda tem cuidados para evitar a transmissão do COVID-19, foi pensado realizar as
reuniões com poucos pais por vez, e entrar em contato por WhatsApp para incentivá-los a
acompanhar o processo educacional dos filhos.
8

REFERÊNCIAS

ARAÚJO, Eudeiza Jesus de; LARA, Gerry Salvaterra Lara E SOUZA, Maria das Neves Oliveira
de. A importância da participação da família nas ações da escola. In A Gestão Escolar:
Enfrentando Os Desafios Cotidianos Em Escolas Públicas. Editora CRV, Curitiba 2009.

BRASIL. MEC, Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação
Nacional. Brasília, DF, 1996.

FRACARO. Marcos Antonio; PRADO, Eliane Mimesse. A gestão do trabalho pedagógico:


reflexões acerca da atuação do professor pedagogo. Educere – XII Congresso Nacional de
Educação, 2025. Disponível em https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/16675_7349.pdf.

FURTADO, Júlio. A gestão pedagógica: afinal o que é isso? Disponível em:


http://www.juliofurtado.com.br/gestao_pedagogica.pdf. Acesso dia 02 de maio de 2021.

GROCHOSKA, M. A. Contribuições da autoavaliação institucional para a escola de


educação básica - uma experiência de gestão democrática. Petrópolis, RJ: Editora Vozes,
2013.

LÜCK, H. Dimensões de gestão escolar e suas competências. Curitiba: Positivo, 2009.


Disponível em:
https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2190198/mod_resource/content/1/dimensoes_livro.pdf.
Acesso dia 08 de maio de 2021.

OLIVEIRA, Aurelina Sandra Barcellos de, e outros. Gestão democrática na escola pública:
ação sócio-pedagógica que se faz ao caminhar. In: escola de gestores da educação básica.
Vitória, BH, editora GM – Gráfica e Editora, 2010.

SILVA, Loidi Lorenzzi da; COUTINHO, Sebastião Alves Filho. A participação da família na
vida escolar dos filhos. In A Gestão Escolar: Enfrentando Os Desafios Cotidianos Em Escolas
Públicas. Editora CRV, Curitiba 2009.

Você também pode gostar