Você está na página 1de 3

CENTRO TECNOLÓGICO DR JOSEPH HEIN

CENTEC

O QUE É FILOSOFIA?

Nome: Letícia Ferreira de Souza – nº 17


Professor: Douglas Félix
Disciplina: Filosofia
Tipo de produção: Síntese

João Monlevade, 19 de Abril de 2011


A filosofia tem um significado muito amplo e vago, uma vez que o pensar
das pessoas seja distinto. Seria um sentido mais específico de filosofar: a
procura da verdade por meio de atividades racionais. A precisão e o desejo de
saber a verdade faz com que a encontremos. A busca da verdade vincula-se à
aposta e ao desejo de organizar a vida individual e social ou política de
maneira mais objetiva e permanente. E isso se faz fundamentando a verdade
na razão e não em alguma crença ou opinião interessada. Essa pluralidade de
definições da filosofia, mesmo mantendo a ideia de se tratar de uma tarefa
executada racionalmente, não só serve para suscitar uma perplexidade ou
insegurança, mas também nos convida a ser mais críticos com doutrinas e
verdades que nos for apresentada, tornando-nos mais racionais.
Às vezes, a prática da filosofia, ou melhor, a atitude filosófica não agrada
a todos, por parecer perda de tempo ou incômodo exagerado com as coisas,
por exigir a criação do hábito de pensar mais rigoroso e crítico. A atitude
filosófica, muitas vezes confundida com a atitude crítica, não se passa da
identificação da capacidade de perceber melhor o que é explorado,
descobrindo se é um mal ou um bem. Nesse caso, o filósofo é inimigo de
qualquer dogmatismo ou fanatismo, ou seja, para eles, não existe verdade
absoluta, tudo é questionável e visto de um ponto de vista diferente, onde toda
crítica, por mais que não seja considerada, deve ser ao menos escutada.
Podemos constatar que só existiram grandes pensadores em locais
onde houve importantes momentos históricos. Também podemos dizer que um
filósofo é um porta-voz consciente de um povo, interpretando a realidade em
que vive, resolvendo não só os seus problemas, mas o de todos, buscando um
saber com validade universal. Nesse caso, pode-se afirmar que toda filosofia é
e deve ser radical, procurando as raízes, desvendando o porquê das coisas.
Filosofar é refletir. Refletir o próprio pensamento, tomando o próprio eu como
objeto de compreensão. A atividade filosófica envolve a reflexão, a crítica e a
análise, procurando sempre seguir a razão, presente na realidade,
solucionando tudo e em todos os seres humanos do mesmo jeito.
O nascimento da filosofia na Grécia, também é de certa forma, o
nascimento da ciência, pois praticamente os dois conceitos se equivalem,
tomando a razão como o princípio, enquanto outros saberes, como mitologia,
não partem de uma fundamentação racional, e sim da crença ou fé. Mas a
diferença entre a ciência e a filosofia é que, enquanto a ciência procura saber
qual e como é o fato, sendo um método de investigação, procurando
estabelecer uma certeza maior e infalível, estabelecendo melhor relação entre
causa e efeito, a filosofia procura o porquê e quais os princípios desse fato,
interessando a ela as causas últimas e não a mais imediata, como a ciência.
Se por um lado, a filosofia é uma atitude diante dos conhecimentos e
pensamentos de uma sociedade, por outro lado é também um campo de saber
do ser humano, ao lado das ciências, sociais e naturais, da tecnologia, da
mitologia e do senso comum.

“Querem que vos ensine o modo de chegar à ciência verdadeira? Aquilo que
se sabe, saber que se sabe; aquilo que não se sabe, saber que não se sabe;
na verdade é este o saber”.
Confúcio
Relação entre a Filosofia e a nossa vida cotidiana

Atualmente, existem muitas formas de influencias presentes nas


sociedades. Essas vão desde artigos abordando algum assunto polêmico,
como religião, política, futebol etc., até a da escolha entre o que é certo ou
errado. E todos os seres humanos são sujeitos a essas escolhas, seja ela
aderir àquela religião, ou até mesmo definir o que é o bem e o que é o mal. A
filosofia nos leva a refletir sobre esses e outros assuntos, analisando os
acontecimentos, procurando a sua essência, procurando sempre a seguir a
razão. A filosofia desperta em nós uma atitude crítica, que nos leva a pensar de
um modo diferente, procurando sempre dosar e analisar a situação. O que nos
dá autonomia para escolher o que é certo ou errado, ou em que eu devo
acreditar ou não. Enfim, praticando, ao menos um pouco a atitude filosófica,
“aprendemos a pensar”, criticar, refletir e analisar determinadas situações, mas
sempre sendo racionais.