Você está na página 1de 2

CURSO DE PSICOLOGIA

UNIDADE CURRICULAR | PSICOLOGIA SOCIAL

ED A | O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL?

Giancarlo Kind Schmid (mat. 2020381)

Na pasta Leitura Complementar e Material de Apoio, você encontrará artigos sobre a Psicologia
Social como campo especializado de conhecimento, além do artigo indicado para leitura na
atividade EAD.

Escolha um dos artigos, faça uma leitura cuidadosa e destaque 2 pontos que julga mais
significativos, explicando as razões pelas quais os considerou mais relevantes.

Ponto 1:
Texto escolhido “Psicologias Sociais Cientificista e Crítica: Um Debate que Continua”.

A Psicologia Social caberia o papel de estudar, através do método científico, a interação


humana e suas consequências cognitivas e comportamentais, enquanto a tecnologia social
seria responsável por usar esse conhecimento para transformar a realidade. (Rodrigues, 1979),
p. 720.
O objetivo da Psicologia Social é a observação/análise do comportamento humano em
sociedade e as interinfluências no processo na construção dos seres. A natureza humana
revela-se espontânea em sua essência, no entanto, há uma variada quantidade de
condicionantes que nos afetam e nos moldam como a cultura e religião, mas é a tecnologia,
que vem ditando as nuances que engendram o comportamento social vigente. Podemos
observar esse fenômeno a partir das redes sociais, o legado dos últimos 20 anos promovido
pela internet, derivadas das salas de chat e dos grupos de listas virtuais. É inegável a modifica-
ção da sociedade com o surgimento do Orkut, Facebook, Twitter, Instagram, Tik Tok e outros:
vivemos o advento do julgamento de valores através das vitrines virtuais, cujas armadilhas
impostas pela manipulação da imagem e informações expõe as nossas fragilidades sociais,
preconceitos, fanatismos e recalques. Por outro lado, as tecnologias sociais estreitaram os
laços humanos, facilitando o acesso às informações e ao compartilhamento em tempo real,
Promovendo uma movimentação da engrenagem social nas conquistas e progresso mútuos.

Ponto 2:
(...) o saber humano não é universal nem eterno, e o homem é historicamente situado, bem
como os problemas que o afligem. (Lane & Sawaia, 2006, p. 8) p. 725.
A construção social se desenvolve, também, através do conhecimento histórico acumulado, no
entanto, a sociedade em contínuo processo de autotransformações regula esse conhecimento
produzindo novos em função de suas necessidades e anseios. As crises sociais/humanas são
inerentes às limitações e desajustes de seu tempo (zeitgeist), por um lado, pela inabilidade de
sintonizar os interesses coletivos, que podem gerar toda gama de conflitos (como as guerras)
ou sistemas de crenças que contrariam os interesses comuns (como podemos observar hoje
com a resistência de uma parte da população mundial que rejeita as vacinações, embora tenha-
mos acesso livre às informações com todo embasamento científico/tecnológico), nos mostran-
do que a sociedade é um constructo impermanente apoiado no conhecimento e diversos sabe-
res, embora toda sociedade e cultura se estabeleça numa linha histórica e temporal, mas com-
preendo que o saber humano é reflexo de um ciclo social, atendendo as carências sociais ine-
rentes ao seu tempo, se a sociedade muda, os saberes também mudam, alguns permanecem
porque continuar a atender o âmbito social, novos saberes nascem das dúvidas e aflições.

Você também pode gostar