Você está na página 1de 11

Mecânica dos Solos e Fundações

PEF 522

Escolha do Tipo de Fundação

Considerações Iniciais
Dados:
• Planta de pilares
• Cargas
• Perfil de solo

Verificação da ordem de grandeza das cargas


apresentadas pelo projetista

• Carga média típica de edifícios:


1.2tf/m2/andar = 12kN/m2/andar
• Carga típicas de pilares de edifícios de n
andares:
Pmin = 10n (tf) = 100n (kN)
Pmed = 20n (tf) = 200n (kN)
Pmax = 30n (tf) = 300n (kN)

Analisar as fundações em ordem crescente de


complexidade e custos.

Solução técnica

Custos
Mercado

1
Tensão Admissível – Fundação rasa

 adm  N SPT 0.5  1(kgf / cm 2 )


ou
N
 adm  SPT (kgf / cm 2 )
5

Avaliar também
os Recalques

Projeto de Fundação em Estaca

Comprimento das Estacas


Sugestões de Mello (1975) para estimativa do comprimento das estacas com base no
SPT. Experiência obtida para a cidade de São Paulo.

São considerados dois tipos de comportamento:

 Estacas de atrito + ponta


 Estacas de ponta

Estacas de atrito + ponta Estacas de ponta

 SPT  1.5 c SPTponta  0.5 c


Em kgf/cm2 Em kgf/cm2

Projeto de Fundação em Estaca

Comprimento das Estacas

Outros métodos

Método de Aoki e Velloso


Décourt e Quaresma

Prova de Cargas

2
Escolha de Fundações

4 Tipos de edificações
4 perfis de solo

Tipos de edificação:

 Caso A - conjunto habitacional formado por casas térreas, geminadas, paredes


auto-portantes (carga distribuída nas paredes da ordem de 1,4 tf/m);
 Caso B - sobrado com estrutura de concreto armado convencional e alvenaria de
vedação;
 Caso C - edifício com quatro pavimentos, estrutura de concreto armado
convencional e alvenaria de vedação;
 Caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura de concreto
armado convencional e alvenaria de vedação.

PERFIL 1: CUBATÃO
caso A - conjunto habitacional formado por casas térreas,
geminadas, paredes auto-portantes (carga distribuída nas paredes
da ordem de 1,4 tf/m);
prof. SPT N.A.

1 -1 m
2 1/40
1/50
4
1/60
0/30 argila marinha siltosa,
6 0/35 mole a muito mole, cinza
1/50 escuro, com matéria orgânica
8 1/45
1/35
10 1
1 1. O terreno superficial não suporta nenhum acréscimo de
12 2/40 carga.
2 2. Deve-se em primeiro lugar executar um aterro e deixar que o
14 5
mesmo recalque, antes de se construir o conjunto
8
16 17
solo de alteração de gnaisse, habitacional.
silte - arenoso, cinza e rosa
15
3. Para acelerar os recalques do aterro podem ser executados
18 drenos de areia ou fibro químico. Este procedimento
19
20
23 aumenta o custo da obra.
26 4. O ideal é executar o aterro com uma altura maior que a
30
22
36
necessária para após a ocorrência de pelo menos 90 a 95%
dos recalques previstos para o acréscimo de tensão final
(aterro + edificação), cortar o aterro até a cota correta.
5. Este processo, chamado de aterro de pré-carga, evita ou
praticamente elimina a ocorrência de recalques posteriores.

PERFIL 1: CUBATÃO caso B - sobrado com estrutura de concreto armado convencional e


alvenaria de vedação;

prof. SPT N.A.

1 -1 m
2 1/40
1/50
1. Não poderiam ser executadas sapatas.
4
1/60 2. Pode-se calcular um aterro de pré-carga para evitar os
0/30 argila marinha siltosa, recalques posteriores.
6 0/35 mole a muito mole, cinza 3. Para um sobrado com estrutura de concreto armado, o ideal
1/50 escuro, com matéria orgânica
8 1/45
seria a utilização de estacas.
4. Não podem ser usadas brocas, strauss, Franki nem hélice
1/35
10 1 contínua devido à camada superficial de argila muito mole.
1 5. Podem ser usadas estacas pré moldadas.
12 2/40 6. De todo modo é necessário executar um aterro para permitir
2 a passagem de equipamentos.
14 5
8
16 solo de alteração de gnaisse,
17
silte - arenoso, cinza e rosa Pilar médio = 20* número de andares = 20 * 2 = 40tf
15
18 Para 3 estacas no pilar médio:
19
23 40tf
20
26  13,3tf
30 3
22
36 Estacas pré moldadas 15x15 ou F20
Se forem utilizadas estacas de 15x15 que agüentam 15tf de
carga ter-se-ia:
10 * 2
Pilar mínimo  2 estacas
15
30 * 2
Pilar mãximo  4 estacas
15

3
PERFIL 1: CUBATÃO caso B - sobrado com estrutura de concreto armado convencional e
alvenaria de vedação;

prof. SPT N.A.

1 -1 m
2 1/40
1/50
4
1/60 1. Para estimar o comprimento das estacas, usa-se a fórmula de
0/30 argila marinha siltosa, Mello. Só pode ser considerado o atrito existente abaixo da
6 0/35 mole a muito mole, cinza camada de argila mole.
1/50 escuro, com matéria orgânica
8 1/45
1/35
 SPT  1,5 * 60  90
10 1 2. As estacas devem chegar até 21m de profundidade.
1 3. Fundações por estacões, perfis metálicos ou raiz são mais
12 2/40 caras.
2 4. Tubulão também sairia caro pois seria necessário tubulão a
14 5
ar comprimido.
8
16 solo de alteração de gnaisse,
17
silte - arenoso, cinza e rosa
15
18
19
23
20
26
30
22
36

PERFIL 1: CUBATÃO
caso C - edifício com quatro pavimentos, estrutura de concreto
armado convencional e alvenaria de vedação;

prof. SPT N.A.

1 -1 m
2 1/40
1/50
4 Para uma edificação com 4 pavimentos, pelos motivos já citados
1/60
0/30 argila marinha siltosa,
no caso B, devem ser utilizadas estacas pré moldadas de
6 0/35 mole a muito mole, cinza concreto. As estacas também devem chegar a 21m de
1/50 escuro, com matéria orgânica profundidade
8 1/45
1/35
10 Pilar médio: 20 * 4 = 80tf 80tf
1
1
 26,7tf
12 3 estacas por pilar médio:
3
2/40
2
14 5
8 Por exemplo, estacas com diâmetro de 26 que apresentam 35tf
16 solo de alteração de gnaisse,
17
silte - arenoso, cinza e rosa de carga de trabalho.
15
18
19 80
23 Para pilar médio:  2,3  3 estacas
20 35
26
30
22
36
10 * 4
Para pilar mínimo:  1,2  2 estacas
35

30 * 4
Para pilar máximo:  3,4  4 estacas
35

PERFIL 1: CUBATÃO
caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.
prof. SPT N.A.

1 -1 m
2 1/40
1/50
4
1/60
0/30 argila marinha siltosa,
6 0/35 mole a muito mole, cinza
1/50 escuro, com matéria orgânica
8 1/45
1/35 1. Para executar um subsolo neste tipo de terreno será
10 1
1 necessário tratar a argila com “jet grounting” no fundo da
12 2/40 vala.
2 2. As laterais da vala devem ser protegidas com a utilização de
14 5 paredes diafragmas ou com estacas pranchas.
8 3. Os custos serão elevados.
16 solo de alteração de gnaisse,
17
silte - arenoso, cinza e rosa 4. O edifício deverá ter a fundação em estacas e toda a
15
18
19
estrutura deve ser suportada por esta fundação, para evitar
23 recalques do piso térreo.
20
26
30
22
36

4
PERFIL 1: CUBATÃO
caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.
prof. SPT N.A.

1 -1 m
2 1/40
1/50 Estacas de concreto pré moldadas
4
1/60
0/30 argila marinha siltosa, Pilar médio: 15 * 20 = 300tf
6 0/35 mole a muito mole, cinza
1/50 escuro, com matéria orgânica 300tf
8 1/45 3 estacas por pilar médio:  100tf
3
1/35
10 1
1 Estacas com diâmetro de 58 – carga de 130tf
12 2/40
2
14 5 15 *10
8
Para pilar mínimo:  1,2  2 estacas
16 17
solo de alteração de gnaisse, 130
silte - arenoso, cinza e rosa
15
18
19
15 * 20
20
23 Para pilar médio:  2,3  3 estacas
26 130
30
22
36
15 * 30
Para pilar máximo:  3  3 estacas
130

Para cargas maiores poderiam ser utilizados estacões ou perfis


metálicos.

PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)

Considerações gerais sobre o perfil

prof. SPT
1
2 3
2 argila porosa, siltosa, mole, vermelha
4 1. Observa-se que neste perfil existe uma camada
4
3 de argila porosa suprficial de 7m de
6 6
7
profundidade.
8 7 2. O nível d’água está a 9m, na camada de argila
-9 m
6 siltosa média a rija.
10 6 3. As argilas porosas colapsam quando são
8
12
carregadas e submetidas a aumento de teor de
7
11
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom umidade, levando o solo a uma condição perto
14 13 da saturação.
8 4. O ideial é não apoiar nenhum tipo de fundação
16 areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela
8 neste tipo de solo.
18
12 argila siltosa rija, amarela e roxa 5. Deve-se avaliar o nível de tensão e o grau de
16
areia argilosa, fina e média, mediamente compacta, colapso.
20 18
25 a compacta, amarela e roxa 6. Qualquer infiltração provocada por chuva,
30 vazamentos de tubulação, etc., pode levar ao
colpaso do solo.
7. A máxima tensão que se pode admitir para uma
argila deste tipo é de 50kPa, que deve estar
abaixo da máxima tensão de colapso.
8. No caso da argila porosa da Av. Paulista a
tensão de máximo colapso é de 200kPa.

PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)


caso A - conjunto habitacional formado por casas térreas,
geminadas, paredes auto-portantes (carga distribuída nas paredes
da ordem de 1,4 tf/m);

prof. SPT
1
2 3
argila porosa, siltosa, mole, vermelha
1. Para o caso A, como a tensão aplicada pelas
2
4 paredes auto-portantes é muito baixa (14kN/m2)
4
3 pode-se fazer a fundação em sapatas corridas
6 6 apoiadas na cota –2m.
7 2. Tensão admissível
8 7
-9 m
6 SPT
10 6  adm   0,6kgf / cm 2
8 3
 adm  3  1  0,7kgf / cm 2
12 7
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom
11
14 13
8
16
8
areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela Ado tan do  se  adm  0,6kgf / cm 2  60kN / m 2
12 argila siltosa rija, amarela e roxa
18
16
areia argilosa, fina e média, mediamente compacta,
20 18
a compacta, amarela e roxa
3. Tem-se que a largura da sapata deve ser maior ou
25
igual a b.
30
14
b  0,23m
60

4. Como a largura da sapata corrida deve ter no


mínimo 40cm pode-se adotar b=0,40m.

5
PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)
caso B - sobrado com estrutura de concreto armado convencional e
alvenaria de vedação;

prof. SPT
1
2 3
argila porosa, siltosa, mole, vermelha
1. Para o sobrado com tensão média de 24kN/m 2,
2
4 ainda é possível adotar a solução de fundação
4
3 direta (rasa).
6 6 2. Neste cao, ter-se-ia a área da fundação igual a:
7
8 7
24
6
-9 m
 0,4
10 6 60
8
12 7
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom
14
11 3. Isto indica que teremos em sapata o equivalente a
13
40% da área do edifício, o que é uma solução
8
16
8
areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela econômica.
12
4. O pilar mais carregado teria uma sapata com área
18 argila siltosa rija, amarela e roxa
16 de:
18 areia argilosa, fina e média, mediamente compacta,
20 a compacta, amarela e roxa
25
30
30 * n 30 * 2
As    1m 2
 adm 60

PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)


caso B - sobrado com estrutura de concreto armado convencional e
alvenaria de vedação;

1. Também podem ser utilizadas brocas para a


prof. SPT
fundação do sobrado, pois desta forma se
1
2
evitaria definitivamente a possibilidade de
3
argila porosa, siltosa, mole, vermelha colapso.
2
4
4
3 2. Se forem adotadas brocas tem-se:
6 6
20n 20 * 2
8
7
Pmédio    13,33tf
7
-9 m
3 3
6
10 6 3. Como a máxima capacidade de carga da
8 broca é de 8tf, seriam necessárias 5 brocas
12 7
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom
para o pilar médio, o que é um número muito
11
14 alto. Portanto a solução não é boa.
13
8
4. Podem ser utilizadas estacas Strauss com
16
8
areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela F20cm e capacidade de carga de 15tf.
12 argila siltosa rija, amarela e roxa
5. A argila porosa não flui fechando o buraco,
18
16 como acontece com argilas moles orgânicas.
18 areia argilosa, fina e média, mediamente compacta,
20 a compacta, amarela e roxa 6. O bloco do pilar mínimo teria 2 estacas e do
25
30
pilar de máxima carga 4 estacas.
7. O comprimento das estacas pode ser estimado
pela fórmula:
 SPT  1,5 c  1,5 * 40  60
8. Portanto, as estacas teriam aproximadamente
10m de profundidade.
9. Outras soluções como tubulões a cêu aberto,
etsacs hélice contínua ou pré-moldadas podem
ser utilizadas, mas devem ficar mais caras.

PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)

caso C - edifício com quatro pavimentos, estrutura de concreto


armado convencional e alvenaria de vedação;

prof. SPT
1
2 3
2 argila porosa, siltosa, mole, vermelha
4
4
3 1. Para o edifício com 4 pavimentos a solução
6 6 por sapatas seria inviável.
7
8 7
2. Poderiam ser utilizadas estacas Strauss com
6
-9 m F32cm e capacidade de carga de 30tf.
10 6
8
pilar com menor carga :
12 7 10 * 4
11
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom Pmin.   2 estacas
14 13 30
8 pilar com carga média :
16 areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela
8
20 * 4
18
12 argila siltosa rija, amarela e roxa Pmed .   3 estacas
16
areia argilosa, fina e média, mediamente compacta,
30
20 18
25 a compacta, amarela e roxa pilar com carga máxima :
30
30 * 4
Pmax .   4 estacas
30

3. Como no caso B as estacas deveriam atingir


10m de profundidade.
4. Também como em B outros tipos de estacas
ou tubulões a cêu aberto podem ser utilizados.

6
PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)
caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.

1. Neste caso pode-se escavar o subsolo com


prof. SPT
escoramento apropriado que não será tão
1
2
caro, já que o empuxo provocado pela argila
3
argila porosa, siltosa, mole, vermelha porosa é pequeno.
2
4
4
2. Supondo 3m de subsolo tem-se que executar
3 as fundações a partir da cota –3m.
6 6 3. O pilar médio do edifício tem 16 x 20 = 320tf
7
8 7
de carga. Como em C não podem ser
6
-9 m utilizadas sapatas.
10 6 4. Pode-se pensar em tubulões a cêu aberto
8 apoiados na cota –8m ou estacas.
12 7
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom
5. Para Tubulão apoiado na cota –8m:
11 6
14 13  adm   1,2kgf / cm 2
8 5
16 areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela
8
 adm  6  1  1,5kgf / cm 2
12 argila siltosa rija, amarela e roxa
18
16 6. Considerando o efeito da profundidade pode-
18 areia argilosa, fina e média, mediamente compacta,
20 a compacta, amarela e roxa se aumentar a tensão admisível para:
25
30
1,5 adm sup erfície  1,5 * 40  60
ou
 adm tubulão  1,5 *1,2  1,8kgf / cm 2  18tf / m 2  180kN / m 2

PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)


caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.

1. A carga média no edifício é de: 16 x 12 =


prof. SPT
192kN/m2
1
2
2. Portanto, a carga é muito alta para a tensão
3
argila porosa, siltosa, mole, vermelha admissível que deve ser considerada, o que
2
4
4
inviabiliza o uso do tubulão.
3 3. As estacas que podem ser utilizadas são:
6 6  Hélice contínua
7
8 7
 Pré moldada
6
-9 m  Estacão, etc.
10 6 4. A mais barata deve ser a pré moldada.
8 5. Adotando-se pré moldada tem-se:
12 7
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom Carga na Estaca :
11
14 13
16 * 20
16
8
areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela Carga   107tf
8 3
18
12
16
argila siltosa rija, amarela e roxa F  58cm  carga de trabalho  130tf
areia argilosa, fina e média, mediamente compacta,
20 18
a compacta, amarela e roxa
pilar com carga mínima :
25
30 16 *10
Pmed .   1,2  2 estacas
130
pilar com carga média :
3 estacas
pilar com carga máxima :
4 estacas

PERFIL 2: AV. PAULISTA (SÃO PAULO)


caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.

prof. SPT
1
2 3
2 argila porosa, siltosa, mole, vermelha
4
4 1. Estimativa do comprmeto da estaca
3

 SPT  1,5 c  1,5 * 60  90


6 6
7
8 7
-9 m
6 2. A estaca deveria ir no mínimo até a cota –17,
10 6 porém como nesta cota o SPT ainda é baixo e
8
12 7
começa a aumentar na cota –20m, deve-se
11
argila siltosa, média a rija, amarela e marrom estimar esta cota para calcular o
14 13 comprimento mínimo das estacas.
8
16 areia fina argilosa, mediamente compacta, amarela
8
12 argila siltosa rija, amarela e roxa
18
16
18 areia argilosa, fina e média, mediamente compacta,
20 a compacta, amarela e roxa
25
30

7
PERFIL 3: CAMPINAS

Considerações gerais sobre o perfil

prof. SPT
6
2 5
7 1. Neste perfil o SPT é crescente com a
4 -4m
12
profundidade, portanto, podem ser utilizadas
7
6 9 argila siltosa, mole a rija, marrom, com mica
fundações diretas rasas, desde que as tensões
8 admissíveis na cota considerada sejam
8 8 compatíveis com as tensões aplicadas pela
12 estrutura.
10 9
9
12 10
14
14 23
26 silte arenoso, micáceo, com pedregulhos,
16
31 compacto, cinza
32
18
28
26 areia siltosa, média a grossa, micácea, compacta,
20 branco e cinza
35

PERFIL 3: CAMPINAS
caso A - conjunto habitacional formado por casas térreas,
geminadas, paredes auto-portantes (carga distribuída nas paredes
da ordem de 1,4 tf/m);

prof. SPT
6
2 5
7
4
12
-4m 1. Apoiando-se a sapata corrida na cota –1m
7 tem-se:
6 9 argila siltosa, mole a rija, marrom, com mica
6
8
8
8
 adm   1,2kgf / cm 2  12tf / m 2
5
12
10 1,4
b  0,11m
9
9
12 10
12
14 adota  se b  40cm
14 23
26 silte arenoso, micáceo, com pedregulhos,
16
31 compacto, cinza
32
18
28
26 areia siltosa, média a grossa, micácea, compacta,
20 branco e cinza
35

PERFIL 3: CAMPINAS
caso B - sobrado com estrutura de concreto armado convencional e
alvenaria de vedação;

prof. SPT
6
2 5
7
4
12
-4m 1. Carga do sobrado = 2 x 1,2 = 2,4tf/m2:
7
6
2,4
 0,20
9 argila siltosa, mole a rija, marrom, com mica
8
8 8
12
12
10 9
2. Isto é: 20% da área será ocupada pelas
9 fundações.
12 10 3. Área das sapatas:
14
14 23
10 * 2
16
26
31
silte arenoso, micáceo, com pedregulhos,
compacto, cinza
mínima   1,7m 2
32
12
18
28
20 * 2
20 26
35
areia siltosa, média a grossa, micácea, compacta,
branco e cinza média   3,4m 2
12
30 * 2
máxima   5m 2
12

8
PERFIL 3: CAMPINAS

caso C - edifício com quatro pavimentos, estrutura de concreto


armado convencional e alvenaria de vedação;

prof. SPT
6
2 5
7
4 -4m 1. Carga do prédio de 4 pavimentos = 4 x 1,2 =
12
7 4,8tf/m2:
6 9 argila siltosa, mole a rija, marrom, com mica
4,8
8
8 área ocupada pelas sapatas   0,40
8 12
12
10 9
9 2. Isto é: 40% da área será ocupada pelas
12 10 fundações.
14 3. Área das sapatas:
14 23
10 * 4
16
26
31
silte arenoso, micáceo, com pedregulhos,
compacto, cinza
mínima   3,4m 2
32
12
18
28
20 * 4
20 26
35
areia siltosa, média a grossa, micácea, compacta,
branco e cinza média   6,7 m 2
12
30 * 4
máxima   10m 2
12

PERFIL 3: CAMPINAS
caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.

prof. SPT
6
2 5
7
4
12
-4m 1. Com o subsolo até a cota –3m, é inviável
7 tecnicamente a solução por sapatas porque a
6 9 argila siltosa, mole a rija, marrom, com mica tensão admissível nas cotas –5 e –6m são:
8
7
8 8  adm   1,4kgf / cm 2  14tf / m 2
12 5
10 9 9
9  adm   1,8kgf / cm 2  18tf / m 2
12 10 5
14
14 23 2. A tensão aplicada pelo prédio é de 19,2tf/m2.
26 silte arenoso, micáceo, com pedregulhos, 3. Não podem ser utilizados tubulões porque o
16
31 compacto, cinza N.A. está alto e seria necessário usar ar
32 comprimido.
18
28
26 areia siltosa, média a grossa, micácea, compacta, 4. Podem ser usadas estacas pré moldadas,
20
35 branco e cinza hélice contínua, estacão, etc…
5. Utilizando-se pré moldadas as estacas seriam
as mesmas usadas no perfil 2 para este caso.
6. O comprimento estimado é de 10m, chegando
até a cota –14m.

PERFIL 4: CIDADE DE SANTOS


caso A - conjunto habitacional formado por casas térreas,
geminadas, paredes auto-portantes (carga distribuída nas paredes
da ordem de 1,4 tf/m);

Areia fina
Compacidade média 1. Sapatas corridas na cota –1m.
17
 adm   3,4kgf / cm 2  34tf / m 2
5
 adm  17  1  3,0kgf / cm 2  30tf / m 2
Argila marinha siltosa 2. O valor da tensão admissível é muito superior
Cinza escura
a necessária.
3. A largura mínima das sapatas corridas é de
40cm.
Areia fina pouco argilosa
Fofa cinza 4. Os recalques neste caso são desprezíveis, por
que o acréscimo de carga que chega na
camada de argila mole é muito pequeno.
Argila marinha siltosa
Consistência média
cinza escura

Areia grossa
Compacta

9
PERFIL 4: CIDADE DE SANTOS
caso B - sobrado com estrutura de concreto armado convencional e
alvenaria de vedação;

Areia fina
Compacidade média 1. Sapatas isoladas (2m de profundidade) –
adm = 30tf/m2:
2,4
área ocupada pelas sapatas   0,08
30

Argila marinha siltosa 2. Isto é: 8% da área será ocupada pelas


Cinza escura
fundações.
3. Área das sapatas:
10 * 2
mínima   0,67m 2
Areia fina pouco argilosa
Fofa cinza
30
20 * 2
média   1,34m 2
Argila marinha siltosa
Consistência média
cinza escura
30
30 * 2
máxima   2m 2
30
Areia grossa
Compacta 4. Os recalques seriam despreziveis pelos
motivos apresentados para o caso A.

PERFIL 4: CIDADE DE SANTOS


caso C - edifício com quatro pavimentos, estrutura de concreto
armado convencional e alvenaria de vedação;

1. Sapatas isoladas (2m de profundidade) – adm = 30tf/m2:

4,8
Areia fina
área ocupada pelas sapatas   0,16
Compacidade média
30

2. Isto é: 16% da área será ocupada pelas fundações.


3. Área das sapatas:

10 * 4
Argila marinha siltosa
mínima   1,34m 2
Cinza escura 30
20 * 4
média   2,7 m 2
Areia fina pouco argilosa
Fofa cinza
30
30 * 4
máxima   4,0m 2
Argila marinha siltosa
Consistência média
30
cinza escura
4. Os recalques neste caso ainda seriam muito pequenos,
porém tanto para este caso como para os anteriores, se
forem construídos prédios altos próximos, com fundação
rasa, estes podem provocar a inclinação dos edifícios mais
baixos.
Areia grossa
Compacta
5. Normalmente em Santos se considera adm = 25tf/m2, mesmo
que esta tensão, quando determinada por meio de fórmulas
empiricas dê valores mais altos.

PERFIL 4: CIDADE DE SANTOS


caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.

1. Fundação por estacas apoiadas na última


camada de areia.
2. Se as fundações forem apoiadas na 1a camada
de areia gerarão altos recalques.
Areia fina 3. Os recalques podem chegar a 1m.
Compacidade média
4. Quando a segunda camada de areia é mais
espessa, pode-se utilizar estacas até esta
camada, desde que a segunda camada de
argila, que é menos compressível, não sofra
recalques.
Argila marinha siltosa 5. Os recalques devem ser calculados.
Cinza escura 6. Utilizando-se estacas com comprimento tal
que ultrapasse as duas camadas de argila
mole, ter-se-á certeza que não ocorrerão
Areia fina pouco argilosa
Fofa cinza
recalques.
7. Neste caso as estacas devem ter
aproximadamente 43m de comprimento
Argila marinha siltosa (subsolo na cota –3m).
Consistência média 8. As estacas que podem ser utilizadas são:
cinza escura
 Pré moldadas
 Estacões
 Estacas raiz
9. Não podem ser utilizadas hélice contínuas
devido à primeira camada de argila mole e
Areia grossa
Compacta
também devido ao comprimento da estaca
que é maior do que o máximo normalmente
executado com este tipo de estaca.

10
PERFIL 4: CIDADE DE SANTOS
caso D - edifício residencial com 15 andares e um subsolo, estrutura
de concreto armado convencional e alvenaria de vedação.

Areia fina
Compacidade média
1. Deve-se orçar as pré moldadas e os estacões,
pois devido à primeira camada de areia
compacta, as pré moldadas devem ser
executadas com pré furo o que encarece a
execução.
Argila marinha siltosa 2. Além disso como a estaca pré moldada
Cinza escura
provoca vibrações na vizinhança, deve ser
verificado se a cravação destas estacas pode
danificar as edificações próximas.
Areia fina pouco argilosa
Fofa cinza

Argila marinha siltosa


Consistência média
cinza escura

Areia grossa
Compacta

11

Você também pode gostar