Você está na página 1de 1

1.

Cinética Química

1.5.1. Hipótese do estado pseudo-estacionário (HEPE)

Por definição, intermediários ativos são moléculas muito reativas (altas velocidades
específicas de reação), e portanto, tem uma vida muito curta. Além disso, suas concentrações
são insignificantes (muito baixas). Isto leva à aproximação do estado estacionário, onde a taxa
de formação do intermediário ativo é igual à taxa de consumo.
Deste modo, a hipótese do estado pseudo-estacionário determina que -r*A=0, ou seja,
a taxa global (formação + consumo) do centro ativo é igual a zero.
Uma vez que uma reação estequiometricamente simples tenha sido dividida em uma
sequência de reações elementares, uma expressão da taxa para a reação global pode ser
deduzida, pelo menos a princípio, através do uso da hipótese do estado pseudo-estacionário.
Considerando uma sequência de etapas elementares, aberta ou fechada, o
procedimento para determinar a expressão da taxa, consiste em três etapas:

1. Escolher uma espécie para a qual a equação da taxa será desenvolvida. Decidir se a
equação da taxa será para o desaparecimento ou produção desta espécie.
2. Escrever uma expressão para a taxa de formação ou de desaparecimento,
considerando as contribuições de todas as reações da sequência na qual a espécie está
presente. A taxa de cada reação elementar na sequência pode ser escrita utilizando a
propriedade das reações elementares (ordem=molecularidade). As concentrações dos
sítios ativos devem ser tratadas como incógnitas, pois estas concentrações não podem
ser relacionadas às concentrações dos reagentes e dos produtos através da
estequiometria.
3. Eliminar as concentrações dos sítios ativos da expressão da taxa da reação escrevendo
a HEPE para cada sítio ativo.

Reatores I

Você também pode gostar