Você está na página 1de 4

Pecados da Mente

Além dos pecados espirituais e dos pecados da


carne, há também os pecados da mente. Muitos são
os que não têm pecados espirituais e até certo
ponto sua carne já foi eliminada. Mas mesmo
assim não conseguem obter vitória sobre seus
pensamentos. Alguns têm uma mente que divaga;
a mente de outros fica girando em círculo vicioso;
outros têm mente instável. Já a mente de alguns
não divaga, não fica dando voltas e nem é instável,
mas é impura e está cheia de ilusões. Alguns estão
cheios de dúvidas; outros estão obcecados por
conhecimento: querem saber tudo e não se
satisfazem até que o consigam. Os que têm tal tipo
de mente ainda não experimentaram a vida
vencedora. Não devemos pensar que não temos
nada de mal em nós. Muito poucos são os que
experimentam uma verdadeira vitória sobre seus
pensamentos. Pelo contrário, muitos são os que
têm pensamentos vagueantes, errantes e instáveis.
Ter pensamentos que divagam é um problema
sério, mas ter pensamentos impuros é ainda pior.
Alguns têm pensamentos impuros que persistem
tenazmente na mente. Conheci uma irmã que
confessou que seus pensamentos sempre
divagavam. Outro cristão que também conheci
confessou que tinha continuamente pensamentos
impuros. Isso demonstra que não vivemos pela
vida de Deus. Portanto, devemos resolver todos
esses assuntos.
A imaginação tem causado dano a muitos
cristãos. As dúvidas também têm prejudicado
muitos cristãos. Por exemplo, quando nos
encontramos com um irmão na rua, e ele não é
muito simpático conosco, podemos até pensar que
ele está magoado conosco ou que esteja pensando
mal a nosso respeito. Mas, logo depois disso,
talvez, fiquemos sabendo que sua atitude pouco
amigável devia-se ao fato de ele não ter passado
bem a noite, de ter tido dor de cabeça ou passar por
momentos difíceis. Mesmo que tivéssemos pensado
que o problema fosse conosco, na verdade não
existia nada contra nós. Nossa imaginação
freqüentemente nos perturba; no entanto, ainda
continuamos pensando que podemos discernir o
coração dos outros. Devemos reconhecer que só o
Senhor pode sondar "mentes e corações" (Ap
2:23). Muitos têm conceitos formados sobre a
forma de ser dos outros. Assim, todos temos pecado
em nossos pensamentos; temos julgamentos em
demasia; temos ilusões demais. Irmãos e irmãs,
temos de nos achegar ao Senhor e tirar do
caminho todas estas coisas. Se não resolvermos o
problema dos nossos pensamentos, não poderemos
ter uma vida de vitória em Deus.
Há também aquele irmão que tem obsessão
por conhecimento. Ele sempre tem de encontrar
uma razão para tudo. Analisa tudo e quer saber de
tudo; sua mente é sempre muito ativa. Não confia
em Deus e quer estar informado de cada coisa que
há ao seu redor. Irmãos e irmãs, esse tipo de
atração pelo conhecimento é também um pecado.
E isso é algo que também precisa ser eliminado.

Watchman Nee- A Vida que Vence

A graça e a verdade vieram por meio de Jesus


Cristo(João 1:17). Graça sobre graça, significa
beneficio sobre beneficio (João 1:16). Graça
(Grego Charis e Hebraico Chen) significa
aceitação divina por benevolência compassiva.
Paulo em Gálatas aborda o contraste, a função da
lei é dinâmica e impele o homem a fazer para
merecer, mas na graça é Deus quem faz sem o
homem nada merecer. A graça é o poder
operacional divino no coração humano, é um
dinamismo misericordioso do Senhor, favorecendo
o pecador, trata-se de uma comunicação ativa,
levando o homem a um progresso espiritual cada
vez maior (I Pedro 3:18) o poder de Deus se
aperfeiçoa na fraqueza do homem redimido (II
Coríntios 12:9) significa que a ação
governamental divina através do Espírito Santo
forma no homem o caráter que Ele mesmo deseja
para seus filhos (Romanos 8:29). A grandeza do
amor de Deus em Pai consiste em dar a Cristo Seu
unigênito filho ao mundo, em particular para
redimir todo aquele que nEle crer (João 3:15 a 18)
Assim a expressão ativa e pura da graça de deus é
Cristo redimindo, salvando santificando,
transformando e por fim ressuscitando cada
regenerado, para que na economia substancial e
concreta do plano da salvação pela graça, o
homem sem merecer receba a plenitude
existencial: viver o mundo vindouro, duradouro e
eterno (João 14:1 a 6). Viver o Evangelho é viver a
gratidão e a experiencia da graça de Deus,
beneficio sobre beneficio, e tudo através, em e por
Cristo.

Clavio J. Jacinto