Você está na página 1de 38

BUREAU VERITAS

TREINAMENTO

878—Auditor Líder em
Sistema de Gestão Integrado

Documentos Revest-X

Revisão: Junho/2019

Nota: É proibida a reprodução deste material, por qualquer meio,


sem a prévia autorização do BUREAU VERITAS DO BRASIL.

Av. Alfredo Egídio de Souza Aranha ,100 - Vila Cruzeiro - São Paulo - SP - CEP: 04726-170
Telefone: 11 2655-9000 - Site: www.bureauveritas.com.br
MANUAL DO SGI
REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

Índice

1 INTRODUÇÃO .................................................................................................................................................... 2
2 ESCOPO ............................................................................................................................................................. 2
3 PERFIL DA EMPRESA .......................................................................................................................................... 2
4 POLÍTICA DO SGI ................................................................................................................................................ 2
5 CONTEXTO ......................................................................................................................................................... 2
6 NÃO APLICABILIDADE ........................................................................................................................................ 3
7 PROCESSOS ....................................................................................................................................................... 3
8 RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO ...................................................................................................................... 4
9 ASPECTOS AMBIENTAIS E OCUPACIONAIS (PERIGOS) ........................................................................................ 4
10 PLANEJAMENTO ................................................................................................................................................ 5
11 RESPONSABILIDADE, AUTORIDADE E COMUNICAÇÃO. ...................................................................................... 5
12 ANÁLISE CRÍTICA PELA DIREÇÃO ........................................................................................................................ 5
13 GESTÃO DE RECURSOS....................................................................................................................................... 5
14 REALIZAÇÃO DO PRODUTO ............................................................................................................................... 6
15 AQUISIÇÃO ........................................................................................................................................................ 7
16 PRODUÇÃO E FORNECIMENTO DE SERVIÇOS ..................................................................................................... 7
17 CONTROLE DE DISPOSITIVOS DE MEDIÇÃO E MONITORAMENTO ...................................................................... 7
18 MEDIÇÃO, ANÁLISE E MELHORIA ....................................................................................................................... 8
19 CONTROLE DE PRODUTO NÃO CONFORME. ...................................................................................................... 8
20 PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIA ....................................................................................................... 9
21 ANÁLISE DE DADOS ........................................................................................................................................... 9
22 MELHORIAS ....................................................................................................................................................... 9

Page 1 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

1 INTRODUÇÃO

Este manual do sistema de gestão integrado da Revest-X, abrange os sistemas da


qualidade, meio ambiente, saúde e segurança do trabalho.

2 ESCOPO

Prestação de serviços de revestimento metálico e pintura em peças metálicas.

3 PERFIL DA EMPRESA

A Revest-X é uma empresa que presta serviços em operações de revestimento metálico


por meio de galvanoplastia e pintura.

4 POLÍTICA DO SGI

A Revest-X, compromete-se a:

• Atender aos requisitos de nossos clientes e aqueles requisitos determinados por leis
e regulamentos;
• Produzir produtos seguros e adequados, protegendo o meio ambiente, prevenindo
a poluição e atendendo outras necessidades das partes interessadas que estejam
sob nosso controle, ou ainda, influenciando quando possível;
• Eliminando perigos e reduzir riscos de SST de maneira a preservar a integridade dos
trabalhadores, terceiros e visitantes;
• Favorecer a consulta e a participação dos trabalhadores, envolvendo seus
representantes quando aplicável ou requerido.

5 CONTEXTO

A Revest-X é uma empresa que faz tratamento de superfícies em peças metálicas. Possui
um quadro de 150 funcionários, sendo 115 na área de produção. Os funcionários têm média
de idade de 55 anos, sendo que a maioria foi admitida junto com a fundação da empresa
por um grupo de investidores. A empresa iniciou suas atividades realizando processos
galvânicos para tratamento de superfícies, mas atualmente realiza somente pintura com
tintas base solvente. A empresa possui um departamento de desenvolvimento de tintas
para a indústria automotiva.

Está localizada na região do ABC Paulista, tendo parte de seus trabalhadores registrados
no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e outra parte no Sindicato dos Químicos do ABC.

A região onde a empresa está localizada fica próxima a serra do mar, por isso desenvolve
ações de plantio de eucalipto.

O efluente, após tratamento, é lançado no Rio Grande, que serve como manancial de 5
cidades da região metropolitana de São Paulo.

Page 2 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

A Revest-X possui clientes nacionais e internacionais, sendo a maior parte localizada em


países europeus. A exportação de seus produtos requer certificação RoHS (Restriction of
Certain Hazardous Substances), não podendo ter metais pesados.

6 NÃO APLICABILIDADE

As características relativas ao projeto e desenvolvimento do produto são de


responsabilidade dos clientes, sendo assim, não é possível aplicar a Cláusula 8.3 (Projeto
e Desenvolvimento de produtos e serviços) da ISO 9001.

7 PROCESSOS

A REVEST-X estabelece, documenta, implementa e mantém um SGI e está melhorando


continuamente sua eficácia de acordo com os requisitos das normas ISO 9001, ISO 14001
e ISO 45001.

A identificação dos processos necessários para o SGI, sua aplicação e interação está
demonstrada no fluxograma a seguir:

A organização possui ainda processos de apoio para manutenção, SST e Meio ambiente,
além de uma área de metrologia para calibração de instrumentos subordinada a área de
manutenção. A área de desenvolvimento é conjugada ao CQ.

Os critérios e métodos necessários para assegurar a operação e controle desses


processos, bem como, o monitoramento, medição, análise e ações necessárias estão
contemplados nos documentos do SGI citados ao longo deste manual.

Page 3 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

Caso ocorram aquisições de algum dos processos externamente, a REVEST-X assegurará


o controle sobre os mesmos, tratando-os como fornecedores.

8 RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO

8.1 Comprometimento da Direção

A Alta Direção está comprometida com o desenvolvimento e implementação do SGI da


REVEST-X e com a melhoria contínua de sua eficácia mediante:

a) A comunicação à organização da importância de ter o foco no cliente, assim como


atender aos requisitos regulamentares e estatutários.
b) O estabelecimento da Política e dos Objetivos.
c) A condução de Análise Crítica do SGI e a garantia da provisão de recursos.

8.2 Foco no Cliente

São garantidos a determinação e atendimento dos requisitos do cliente com o propósito


de aumentar a sua satisfação conforme os itens 7.2.1 (Determinação dos requisitos
relacionados ao produto) e 8.2.1 (Satisfação dos clientes). A sistemática está descrita nos
documentos: “P-721” e “P-821”.

9 ASPECTOS AMBIENTAIS E OCUPACIONAIS (PERIGOS)

A REVEST-X identifica os aspectos ambientais e ocupacionais de suas atividades, produtos


e serviços que possam por ela ser controlada e sobre as quais ela tem influência, para
definir quais possuem impactos significativo. Os aspectos ambientais e ocupacionais
significativos são considerados no estabelecimento, implementação e manutenção do SGI,
conforme P-431.

9.1 Requisitos legais e outros subscritos

A identificação e o acesso à legislação aplicável aos aspectos ambientais e ocupacionais


são assegurados, bem como sua atualização, através de procedimento específico.

9.2 Política do SGI - Divulgação

A Política, definida a seguir pela Alta Direção é comunicada e entendida por toda a
organização e é analisada criticamente quanto a sua adequação.

As formas de comunicação envolvem a divulgação através de Quadros/murais, cartazes,


eventos de divulgação, entre outros, sendo única e, portanto, não possuindo revisão. Caso
ocorra necessidade de alteração, a nova versão será controlada incluindo-se revisão para
sua emissão.

Page 4 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

10 PLANEJAMENTO

Os objetivos do SGI definidos são mensuráveis e coerentes com a Política.

O Planejamento do SGI é realizado de forma a satisfazer os requisitos gerais definidos,


bem como os objetivos, mantendo sua integridade quando ocorrem mudanças através da
análise realizada pelo Representante da Direção quanto ao impacto no SGI existente.

11 RESPONSABILIDADE, AUTORIDADE E COMUNICAÇÃO.

As responsabilidades e autoridades são definidas e comunicadas à organização através da


divulgação do organograma e/ou treinamento nos documentos do SGI.

A Alta Direção define, através da aprovação deste manual, como RD – Representante da


Direção, o gerente do SGI.

É assegurada pela Alta Direção, a comunicação apropriada relativa a eficácia do SGI, por
toda a organização conforme indicadores de performance divulgados através de:

• reuniões sobre o andamento na busca dos objetivos da qualidade e/ou;


• quadros de avisos e/ou;
• Outros.

As emergências e contatos com órgãos ambientais e de Segurança e Saúde do trabalho,


incluindo a SRTE e Sindicatos, são tratados em procedimentos específicos ou conforme
determinação da Diretoria ou Gerência.

Ocorre a participação e consulta dos trabalhadores através de seu envolvimento


apropriado na identificação de perigos, avaliação dos riscos e determinação de controles,
incluindo seu envolvimento apropriado na investigação de incidentes e no
desenvolvimento e análise crítica das políticas e objetivos.

Fica designado como representante dos assuntos de Segurança e Saúde Ocupacional da


empresa, o supervisor da produção.

12 ANÁLISE CRÍTICA PELA DIREÇÃO

A Alta Direção analisa criticamente o SGI da REVEST-X, assegurando sua contínua


pertinência para melhoria, necessidades de mudança do SGI, incluindo a política e os
objetivos.

13 GESTÃO DE RECURSOS

São definidas nas reuniões de Análise Crítica do SGI, as formas de prover os recursos
necessários para implementação e manutenção do SGI e aumento da satisfação dos
clientes.

Page 5 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

13.1 Recursos Humanos

Os empregados da empresa que executam atividades que afetam a qualidade do produto


ou qualquer pessoa que, para ela ou em seu nome, realize tarefas que tenham o potencial
de causar impacto(s) ambiental(is) ou ocupacional(is) significativo(s) identificados são
competentes para a função.

A competência necessária, bem como a sistemática para fornecer treinamento ou ações


para garanti-la, incluindo a avaliação da eficácia e respectivos registros estão definidos
no documento: “P-622”.

13.2 Infraestrutura

A REVEST-X possui toda a infraestrutura necessária para atender aos requisitos do produto,
incluindo:

• edifício, espaço de trabalho e instalações associadas adequadas;


• equipamentos de processos adequados e em manutenção;
• sistema informatizado de apoio.

13.3 Ambiente de Trabalho

Todas as condições necessárias no ambiente de trabalho para que sejam garantidas as


características adequadas do produto, são atendidas e, quando são específicas para um
determinado processo são definidas nas instruções da área.

14 REALIZAÇÃO DO PRODUTO

14.1 Planejamento da Realização do Produto

Os processos necessários à realização do produto são coerentes com o SGI vigente e


incluem:

• objetivos da qualidade, requisitos do produto, documentação e recursos específicos


e a verificação e validação dos requisitos do produto;
• monitoramento e inspeção como forma de evidenciar que os processos de
realização do produto atendem aos requisitos de Monitoramento e Medição.

14.2 Processos Relacionados a Clientes

Todos os requisitos especificados pelo cliente, os requisitos não declarados (mas


necessários para o uso), os requisitos estatutários e regulamentares relacionados ao
produto e os demais requisitos definidos pela organização são determinados pelo
Departamento comercial conforme definido no documento: “P-721”.

É realizada a análise crítica dos requisitos relacionados ao produto antes da REVEST-X


assumir o compromisso de fornecer o produto, assegurando que todos os requisitos estão
definidos e acordados e que a REVEST-X tem capacidade em atendê-los.

Page 6 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

São garantidas informações aos clientes em relação ao produto, às consultas realizadas e


ações referentes a reclamações ao Departamento comercial.

15 AQUISIÇÃO

A REVEST-X avalia e seleciona os fornecedores, conforme critérios de avaliação e


reavaliação. São mantidos registros destas avaliações.

O detalhamento do processo de aquisição e o controle de produto recebido estão nos


documentos: “P-741”

Os prestadores de serviços e fornecedores são comunicados sobre os procedimentos e


requisitos ambientais e de saúde e segurança pertinentes, quando aplicável.

A REVEST-X planeja atividades, para o estabelecimento e manutenção de procedimentos


relativos aos aspectos ambientais e ocupacionais significativos identificáveis de bens e
serviços utilizados pela REVEST-X e da comunicação dos procedimentos e requisitos
pertinentes que são atendidos por fornecedores e prestadores de serviços.

16 PRODUÇÃO E FORNECIMENTO DE SERVIÇOS

A REVEST-X disponibiliza todas as condições e informações necessárias para realizar a


produção e o fornecimento de serviço de forma controlada. O detalhamento destas
atividades está no documento: “P-751”.

A REVEST-X possui processos especiais cujas saídas resultantes não podem ser verificadas
por monitoramento ou medição subsequente, sendo garantido o atendimento aos
requisitos através de critérios para aprovação de equipamentos, qualificação de pessoal,
uso de métodos específicos e revalidação.

Os materiais/componentes recebidos, em processo ou finalizados/prontos são


devidamente identificados e possuem indicação da situação.

Os produtos enviados pelo cliente para execução de serviços pela REVEST-X são
identificados, verificados e salvaguardados enquanto estiverem sobre controle da REVEST-
X.

A REVEST-X garante a preservação do produto através de identificação, embalagem,


armazenamento e proteção adequada desde o seu recebimento e em todos os estágios de
produção, conforme sistemática definida no documento.

17 CONTROLE DE DISPOSITIVOS DE MEDIÇÃO E MONITORAMENTO

São definidos quais os dispositivos necessários para realizar as medições e monitoramentos


do produto nas várias fases do processo, incluindo o recebimento.

Os dispositivos adquiridos são identificados, calibrados e ajustados antes do seu uso.

Page 7 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

Quando os dispositivos forem encontrados fora de especificação, deverá ser analisada e


documentada a validade dos resultados de medições anteriores.

Os dispositivos são manuseados, preservados e armazenados na empresa de maneira que


a exatidão e adequação ao uso sejam mantidas, e são protegidos de dano ou deterioração
e ajustes que possam invalidar a calibração.

18 MEDIÇÃO, ANÁLISE E MELHORIA

A REVEST-X possui implementados os processos necessários de monitoramento, análise e


melhoria para demonstrar a qualidade do produto, assegurar a conformidade do sistema
de gestão da qualidade e seus processos incluindo a melhoria contínua do SGI.

18.1 Satisfação dos Clientes

São monitoradas as informações relativas à percepção do cliente sobre o atendimento aos


seus requisitos conforme documento: “P-821”.

18.2 Auditoria Interna

São realizadas auditorias internas a intervalos planejados, visando verificar se o SGI está
mantido e implementado eficazmente e se atende aos requisitos das normas, conforme
“P-822”.

São selecionados auditores qualificados na empresa que asseguram a objetividade e


imparcialidade do processo de auditoria, não sendo permitida a realização de auditoria
por terceiros/contratados.

18.3 Medição e Monitoramento de Processos e de produtos

São medidas e monitoradas as características de produto no recebimento e em estágios


apropriados do processo de realização, evidenciando sua conformidade com os critérios
de aceitação através de registros que indiquem o responsável por sua liberação.

18.4 8.2.3.1 Medição e monitoramento ambiental e de saúde e segurança

A REVEST-X estabelece e mantém procedimentos documentados para monitorar e medir,


periodicamente as características principais de suas operações e atividades que possam
ter riscos e impactos significativos sobre segurança, saúde e meio ambiente.

19 CONTROLE DE PRODUTO NÃO CONFORME.

É assegurado que os produtos que não estejam conforme com os requisitos definidos sejam
identificados e controlados para evitar seu uso não intencional, conforme P-83.

São mantidos registros sobre as não conformidades e as ações tomadas, incluindo os


responsáveis pelas ações e definições. Quando a não conformidade é detectada após a
entrega ou uso, são analisados seus efeitos e tomadas ações apropriadas.

Page 8 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


REVEST-X
MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

20 PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIA

A REVEST-X estabelece, implementa e mantém procedimentos para identificar e


responder as potenciais e reais situações de emergências, sendo feita periodicamente sua
avaliação como previsto no procedimento “P-447”.

21 ANÁLISE DE DADOS

A REVEST-X determina, coleta e analisa dados apropriados para demonstrar a adequação


e eficácia do SGI.

22 MELHORIAS

A REVEST-X busca continuamente melhorar a eficácia do SGI por meio de uso da Política,
objetivos, resultados de auditorias, análise de dados, ações corretivas e preventivas e
análise crítica pela Alta Direção.

São executadas ações corretivas para eliminar as causas de não-conformidades, de forma


a evitar sua repetição. Estas ações são apropriadas aos efeitos das não-conformidades
ocorridas.

São executadas ações preventivas para eliminar as causas de não-conformidades


potenciais, de forma a evitar sua ocorrência. Estas ações são apropriadas aos efeitos dos
problemas potenciais.

Page 9 de 9 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento DSGI-001


PROCEDIMENTOS
REVEST-X
Preparação e Resposta a Emergências

1 OBJETIVO

Estabelecer as diretrizes para o atendimento das situações de emergências ocorridas na


empresa, e atuar preventivamente em causas potenciais de acidentes, a fim de minimizar
os impactos.

2 DESCRIÇÃO

Todos os funcionários das áreas ou da área em emergência devem aguardar as orientações


de suas respectivas chefias imediatas e não devem ir ver o que está acontecendo, para
não atrapalhar as ações de normalização que estão sendo tomadas ou obstruir a passagem
dos brigadistas;

Pessoas não envolvidas no combate a emergência tem acesso ao local somente com a
autorização do Líder da Brigada, ou dos Líderes de Setores da brigada.

3 SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

Ao detectar ou deparar-se diante de uma situação de emergência que não saiba ou esteja
fora de seu controle ou capacidade, a pessoa deve ligar para o supervisor de fábrica,
identificando o local e o tipo de ocorrência.

Se houver necessidade, o supervisor de fábrica acionará os órgãos externos caso a situação


tome proporções que fujam do controle.

Em casos de sinistros fora do horário comercial a portaria deverá contatar os responsáveis


pela atividade conforme lista disponível na portaria.

3.1 Incêndio

Princípios de incêndio, ou incêndio de pequeno porte (nível leve), devem ser combatidos
de imediato pela Brigada de Incêndio da área de ocorrência, utilizando-se dos recursos
disponíveis no local, para eliminação do fogo e normalização da situação. Para esses
incêndios, a utilização de extintores manuais deve ser suficiente para normalizar a
situação.

Caso o incêndio atinja proporções maiores (nível grave) podendo atingir outras áreas
próximas a da ocorrência ou com potencial para isso, toda a Brigada de Incêndio da
REVEST-X deve ser acionada através do alarme de emergência para que, com todos os seus
recursos humanos e materiais, possa ser controlada a situação.

Se o incêndio não for controlado e aumentar, podendo atingir grandes proporções, mesmo
que toda a Brigada de Incêndio da REVEST-X esteja nele atuando, também deve ser
acionado o Corpo de Bombeiros, pelo número 196. Para este caso deve ser iniciado o

Page 1 de 3 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-447


REVEST-X
Preparação e Resposta a Emergências

processo de evacuação de todo o pessoal das áreas (abandono de áreas), conforme


treinamentos específicos para tanto.

3.2 Explosão ou Risco Potencial de Explosão

No caso de riscos de explosão as providências devem ser tomadas de imediato, como a


evacuação do pessoal (abandono de área) e isolamento da área. Também, e de forma
prioritária, deve-se procurar a existência de vítimas e, em caso de existência delas,
aplicar os devidos atendimentos de urgência.

3.3 Acidente com Vítima

Todo acidente com vítima deve ser comunicado ao departamento de saúde e segurança
ocupacional, de imediato, pelo ramal 99 informando:

• local exato da ocorrência;


• a quantidade de vítimas existentes;
• a situação da(s) vítima(s) (queimada, inconsciente, fratura, hemorragia, queda de
altura, etc.) e
• se a vítima necessita de transporte por maca ou ambulância.

Os membros da brigada de incêndio devem manter a(s) vítima(s) calma(s), estando


consciente(s), e movimentá-la(s) apenas o indispensável, seguindo as técnicas de
primeiros socorros. Não devem permitir a movimentação dela(s) por outras pessoas, a
menos que haja risco próximo e iminente e, nestas circunstâncias, deve-se orientar a
maneira correta de proceder à movimentação.

O Departamento de saúde e segurança ocupacional avalia as condições gerais da(s)


vítima(s), para decidir sobre a necessidade de atendimento externo dela(s).+

3.4 Derramamentos

Os derramamentos que ocorrerem deverão ser contidos com o kit de emergências


ambientais. Deverá ser realizada barreira com cordões de manta de polipropileno e sua
absorção com vermiculita.

4 LIMPEZA E REMOÇÃO DOS RESÍDUOS GERADOS NO ATENDIMENTO

Durante as operações de atendimento a emergências são gerados resíduos diversos, de


acordo com a situação combatida. Após a normalização da situação, a brigada de incêndio
deve proceder a limpeza do local do sinistro, removendo todos os resíduos gerados.

A remoção de resíduos dos extintores de pó químico seco, deve ser feita para disposição
final adequada.

Page 2 de 3 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-447


REVEST-X
Preparação e Resposta a Emergências

A água utilizada no combate ao fogo, originária dos extintores e hidrantes, não necessita
de destinação especifica, desde que não contenha contaminantes líquidos (óleos e
inflamáveis), misturados com ela.

5 COMUNICAÇÃO DE EMERGÊNCIAS

A REVEST-X possui alguns ramais internos, que em caso de quaisquer tipos de emergências
(nível leve ou nível grave), devem ser utilizados para comunicar os responsáveis pelo
desencadeamento de ações corretivas; ou seja: O Departamento de saúde e segurança
ocupacional e Supervisor da fábrica.

Os telefones de contato estão disponíveis na Portaria.

6 TREINAMENTOS E SIMULADOS

Os treinamentos para formação de brigadas ocorrerão sempre em janeiro e fevereiro de


cada ano. Não serão realizadas outras turmas ao longo do ano e aqueles empregados que
forem admitidos após a realização dos treinamentos receberão seu treinamento inicial no
próximo ano. Os simulados terão periodicidade conforme o plano a seguir.
Tabela 1: Cronograma de Simulados

Mês
Cenário Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
Incêndio

Explosão

Primeiros
Socorros

7 REGISTRO E ANÁLISE DE EMERGÊNCIAS

Da mesma forma que para os simulados, deve ser realizado relatório contendo
basicamente o objetivo, o período e a conclusão para um melhor controle e estudo das
causas e circunstâncias envolvidas nas emergências ou para execução de futuras
simulações.

Page 3 de 3 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-447


REVEST-X
Não conformidades e Ações Corretivas

1 OBJETIVO

Determinar a sistemática de controle de não conformidades e a sistemática adotada para


implementar ações corretivas e preventivas.

2 DETECÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES:

Quando uma Não Conformidade for detectada ou comunicada pelo cliente, o supervisor
da área deve ser comunicado para verificar se existe a necessidade de se proceder a
análise de suas causas. Caso seja decidido que a tomada de ações corretivas seja
necessária, o mesmo deverá liderar uma equipe multidisciplinar para seu estudo.

3 IDENTIFICAÇÃO:

A identificação dos materiais não conformes que estiverem na REVEST-X deve ser feita
através de etiqueta vermelha, segregação em caçamba identificada pela cor ou plaqueta
vermelha ou ainda em área sinalizada, evitando assim o seu uso indevido. A identificação
dessa situação prevalece sobre todas as outras e deve estar acompanhada de seu devido
registro.

4 CORREÇÃO

A correção pode ser definida pelo supervisor da área com o auxílio da gerência e/ou pelo
próprio cliente quando aplicável. No registro da disposição devem constar informações da
natureza da NC e das ações subsequentes executadas, inclusive concessões obtidas.

Quando a disposição definida for a de retrabalhar, uma nova inspeção deve ser realizada.

5 AÇÕES CORRETIVAS

Além do tratamento de não conformidade, descrito no Procedimento de Auditorias


Internas, as ações corretivas são iniciadas nas seguintes situações:

• Não atendimento aos objetivos do SGI.


• Não-conformidade de produto com maior número de ocorrências no mês anterior
(só é obrigatório quando o número de ocorrências for superior à 10).
• Não conformidades ambientais, conforme critério do RD.
• Incidentes com lesão (acidentes), se a área de SST considerar como necessária.

Page 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-83


REVEST-X
Controle da Informação Documentada

Este procedimento refere-se ao controle da informação documentada da Revest-X e está


divido em controle de documentos e controle de registros.

1 CONTROLE DE DOCUMENTOS - OBJETIVO

Definir o sistema que controla a aprovação, re-aprovação, situação, distribuição e


manutenção dos documentos que compõe o sistema de gestão integrada.

1.1 Elaboração e Aprovação de documentos

Na sua elaboração, devem ser observados os seguintes itens:

• A formatação deve seguir, sempre que possível, o modelo deste procedimento;


• Se necessário, outros capítulos podem ser adicionados;
• Devem estar adequados às normas vigentes no SGI e ao sistema de trabalho da
REVEST-X;
• Os documentos internos devem ser aprovados por autoridade competente, e ter sua
identificação e revisão registrados na Lista Mestra de Documentos Internos ou na
Lista Mestra de Desenhos;
• O Manual do Sistema de Gestão deve ser aprovado pela diretoria;
• Os procedimentos do SGI devem ser aprovados pelo Representante da Direção (RD);
• Outras instruções (ex. Ordens de Produção) tem a sua aprovação garantida pela sua
simples emissão;
• Desenhos devem ser aprovados por autoridade definida no setor de engenharia.

1.2 Re-aprovação de Documentos

Quando for detectada a necessidade de alterações de documentos, a pessoa que detectou


deve solicitar a mudança ao responsável pela aprovação, que deve analisar criticamente
e re-aprovar o documento com as alterações necessárias.

1.3 Situação do Documento

A revisão atual de cada documento deve ser identificada nas Listas Mestras de documentos
internos ou externos, que são mantidas pelo RD ou na Lista Mestra de Desenhos mantida
pelo setor de engenharia. No caso de informações eletrônicas, sua revisão atualizada no
sistema é garantida por controle de perfil de usuários protegido por senha, onde somente
o pessoal competente tem acesso à inclusão ou alteração desses dados.

1.4 Distribuição de documentos e controle dos obsoletos

É de responsabilidade do RD arquivar os documentos internos originais e garantir que as


cópias atuais estejam disponíveis nos locais de uso. Nos documentos com indicação de
distribuição para o SGI, o mesmo pode usar o original. Os documentos de origem externa
ficam centralizados com a Engenharia e são distribuídos conforme indicado na folha de

Page 1 de 2 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-423


REVEST-X
Controle da Informação Documentada

rosto anexado aos documentos originais. Em todos esses casos, as cópias são identificadas
como “Cópia Controlada” em azul ou vermelho.

Quando um documento se torna obsoleto, os mesmos devem ser removidos de todos os


pontos de distribuição e destruídos. Porém, se por qualquer motivo for necessária a
retenção do documento anterior, o mesmo deve ser identificado como “OBSOLETO” em
azul ou vermelho de forma facilmente visível, para evitar o uso não intencional.

2 CONTROLE DE REGISTROS - OBJETIVO

Definir o sistema que controla a identificação, armazenamento, proteção, recuperação,


tempo de retenção e descarte dos registros do sistema de gestão integrada.

2.1 Identificação e Armazenamento:

A identificação e os dados de armazenamento (responsável, local, indexação e tempo de


retenção) dos registros estão indicados nos procedimentos, contendo os seguintes itens:

• Identificação: nome ou referência do registro descrito nos procedimentos;


• Responsável(eis) pelo armazenamento: Pessoa(l) responsável pela guarda dos
registros enquanto estiverem arquivados;
• Local de armazenamento: Local onde podem ser encontrados os registros;
• Indexação de armazenamento: Indica o item que define a ordem de arquivamento
dos registros;
• Tempo de Retenção de armazenamento: Indica por quanto tempo os registros
devem ser mantidos.

Através do atendimento às diretrizes de armazenamento e forma de indexação, os


registros tornam-se prontamente recuperáveis. Após o tempo de retenção, os registros
podem ser descartados.

2.2 Proteção:

Os responsáveis pelo preenchimento dos registros da gestão integrada devem garantir que
os mesmos sejam legíveis e identificados como definido nas instruções e procedimentos.

Page 2 de 2 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-423


REVEST-X
Calibração de pHmetro

1 INTRODUÇÃO

Esta Instrução de Trabalho descreve a calibração do medidor de pH para qualquer


utilização na empresa.

2 RESPONSABILIDADES

• Calibração, registro de resultados e relato de resultados ao Gerente do Laboratório:


Técnico do Laboratório [designado pelo Gerente do Laboratório]
• Análise Crítica e relato à planta de tratamento de efluentes: Gerente do
Laboratório

3 FREQUÊNCIA

• Medidor de amostragem de efluentes/descarga: imediatamente antes do uso


• Medidor em linha na planta de tratamento de efluente: semanalmente

4 MÉTODO DE CALIBRAÇÃO

a) Para uso na medição de pH de produtos, a calibração deverá ser realizada sempre


considerando os valores de solução tampão imediatamente inferior e
imediatamente superior a medição que se deseja realizar.
b) Pegar as soluções tampões padrões inferior e superior [estoque do armário]
c) Verificar datas de vencimento da solução [Descartar se vencida; obter nova solução
do almoxarifado]
d) Enxaguar a sonda de pH com água destilada e remover excesso de água
e) Colocar a sonda na solução inferior
f) Verificar a leitura do medidor, ajustar no botão ‘set’(ajustar), se necessário
g) Enxaguar a sonda de pH com água destilada e remover o excesso de água
h) Colocar a sonda de pH na solução superior
i) Verificar a leitura do medidor, ajustar no botão ‘set’(ajustar), se necessário
j) Repetir os passos de 3 a 8 até que leituras estáveis sejam obtidas
k) Registre os resultados nas Folhas de Registro

5 EXEMPLO DE USO

• Se a grandeza a ser medida for de pH em torno de 5, deve-se utilizar soluções


tampão de pH 4 (Inferior) e pH 6,86 (superior).
• Se a grandeza a ser medida for de pH em torno de 10, deve-se utilizar soluções
tampão de pH 9 (Inferior) e pH 10 (Superior).

As soluções tampão em estoque são:

• pH 1,68; • pH 7;
• pH 4; • pH 9;
• pH 6,86; • pH 10.

Page 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-585665


REVEST-X
Auditoria Interna

1 OBJETIVO

Estabelecer a sistemática para avaliar o planejamento e implementação de auditorias


internas para verificar se as atividades estão em conformidade com as disposições
planejadas e para determinar a eficácia do Sistema de Gestão Integrada.

2 QUALIFICAÇÃO DE AUDITORES

Para realizar auditoria interna os auditores devem ter treinamento em requisitos das
normas que compõe o Sistema de Gestão Integrada e em técnicas de auditoria.

Opcionalmente, podem ser utilizados prestadores de serviço que tenham comprovado


treinamento e experiência em auditorias, através de currículo aprovado pelo
Representante da Direção.

Os auditores devem ser escolhidos de tal forma a não auditarem o seu próprio trabalho.

3 PLANEJAMENTO DE AUDITORIAS

O Representante da Direção deve planejar as auditorias internas.

Todas as áreas devem ser auditadas em janeiro e julho de cada ano. Pode ocorrer uma
auditoria extraordinária completa ou em processos específicos, a critério do RD e/ou da
Diretoria, quando necessário.

4 REALIZAÇÃO DA AUDITORIA

Os auditores, seguindo o Plano de Auditoria, devem verificar:

• Se as disposições planejadas no Manual do Sistema de Gestão e demais documentos


referenciados no mesmo estão de acordo com as normas vigentes.
• Se estas disposições estão sendo executadas.

Os resultados encontrados devem ser registrados no formulário Relatório de Auditoria e


Ações Corretivas, sendo que só é necessário detalhar as não conformidades e as
oportunidades de melhoria. Deve ser indicada no formulário a quantidade final de não
conformidade para ciência dos responsáveis pelos departamentos auditados.

5 AÇÕES CORRETIVAS:

O responsável da área onde foi detectada a não conformidade deve definir e executar a
ação corretiva, sem demora indevida, para eliminar a não conformidade e sua causa.

Ao término da implementação da Ação Corretiva, o próprio responsável pela ação deve


verificar a implementação e auditar a eficácia da ação.

Page 1 de 2 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-822


REVEST-X
Auditoria Interna

Se a ação não for considerada eficaz, o responsável pela área deve iniciar nova ação
corretiva.

6 CRONOGRAMA DE AUDITORIAS

Mês
Cenário Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez

Alta direção

Sistema de
Gestão

PCP + Produção +
CQ

Compras

Expedição +
Almoxarifado

RH

Comercial

Page 2 de 2 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-822


REVEST-X
Aspectos Ambientais e Perigos de SST

1 ASPECTOS AMBIENTAIS DA REVEST-X (TODAS AS ÁREAS)

Método: Os aspectos são identificados e sua significância avaliada. Para os aspectos


considerados como significativos, deverão ser adotados controles operacionais.

Critério de significância: Serão considerados os aspectos ambientais como significativos,


aqueles que, na avaliação da diretoria, são importantes, ou que tenham requisitos legais
associados. Poderão ser classificados como significativos aqueles em que a falta de
controle possa causar poluição ou degradação ambiental.

IMPACTO
ITEM ASPECTO AMBIENTAL SIGNIF. CONTROLE
AMBIENTAL

Cabine fechada com


Emissão de Material exaustão, Utilização de
1 Contaminação do ar S
Particulado aspirador de pó e/ou exaustor
móvel

Monitoramento de emissão
através da Escala de
2 Emissão de fumaça preta Contaminação do ar S
Ringelmann e Controle do
Prestador de Serviço

Contaminação da
Efluente Doméstico Sanitário / Armazenado em fossa para
3 qualidade do solo e S
Caixa de gordura futuro descarte.
água

Contaminação da Utilização de manta especial


Efluente contaminados com
4 qualidade do solo e S para absorção do
óleo / Solventes
água hidrocarboneto.

Contaminação da
Cartucho / Toner / Fita de
5 qualidade do solo e N ---
impressora
água

Quando necessário entregar


Alteração da qualidade
6 Pneus usados N na revenda autorizada para
do solo e água
retorno ao fabricante.

Tambores metálicos Alteração da qualidade


7 S ---
contaminados do solo e água

Page 1 de 4 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento PAPR-001


REVEST-X
Aspectos Ambientais e Perigos de SST

IMPACTO
ITEM ASPECTO AMBIENTAL SIGNIF. CONTROLE
AMBIENTAL

Alteração da qualidade
8 Lixo comum, varrição N ---
do solo

Alteração da qualidade
9 EPI’s N ---
do solo e água

Alteração da qualidade
10 Recicláveis N ---
do solo e água

Armazenar em recipiente
Contaminação da apropriado e identificado,
11 Borra e resto de tinta qualidade do solo e S destinado à área de
água resíduo/inflamável para
futuro descarte.

Armazenar em recipiente
Contaminação da apropriado e identificado,
12 Óleo em geral / Borra qualidade do solo e S destinado à área de
água resíduo/inflamável para
futuro descarte.

13 Ruído Incômodo a vizinhança N Monitorar

Morte, Contaminação
Emergências: Incêndio /
14 da qualidade do solo, N ---
Explosão
água

Contaminação da
Para o vazamento utilizar kit
15 Vazamento/Transbordamento qualidade do solo e S
de emergência
água

Qualificação dos prestadores


16 Vazamento de Gás Contaminação do ar S de serviço de fornecimento
de gás.

Page 2 de 4 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento PAPR-001


REVEST-X
Aspectos Ambientais e Perigos de SST

2 PERIGOS E RISCOS DE SST (TODOS OS DEPARTAMENTOS)

Método: Os perigos são identificados e a significância de seus riscos avaliados. Para os


riscos considerados como significativos, ou intoleráveis, deverão ser adotados controles
operacionais.

Critério de significância: Serão considerados intoleráveis, aqueles riscos que, na


avaliação da diretoria, são importantes, ou que tenham requisitos legais associados.

RISCO
ITEM PERIGO DANO CONTROLE
(T/I)

Ação humana relacionada


Contusão, fratura,
1 ao uso de equipamento de N Treinamento e qualificação
morte
maneira imprópria.

Contusão, fraturas,
2 Atropelamento S Treinamento e qualificação
morte

3 Batida contra Contusão N ---

Queimadura; parada
Atendimento de emergência; EPI:
4 Choque elétrico cardiorrespiratória; S
luva, bota e roupa
morte

Contusão,
5 Colisão de empilhadeira esmagamento, fraturas, N ---
morte

Contato com produtos de


6 Irritação da pele e olhos N ---
limpeza

7 Escorregão Contusão; ferimentos N ---

Esforço excessivo ao
Orientação e Avaliação
8 erguer, empurrar, puxar, Entorse; luxação. N
ergonômica
manusear objetos.

Exposição a ruído e/ou Cansaço físico e EPI: Protetor auricular (concha e


9 N
vibração mental; surdez plug) - uso eventual

Page 3 de 4 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento PAPR-001


REVEST-X
Aspectos Ambientais e Perigos de SST

RISCO
ITEM PERIGO DANO CONTROLE
(T/I)

10 Exposição ao calor Mal-estar; fadiga S ---

Falta de conhecimento,
Escoriação; contusão;
11 experiência ou N ---
fratura;
especialização.

12 Iluminação inadequada Cansaço físico e visual N ---

13 Impacto entre pessoas Contusão; ferimentos N ---

Emergência: Incêndio/
14 Queimaduras; morte N ---
explosão

Lesões por esforços Avaliação ergonômica,


15 Movimento repetitivo N
repetitivos. rotatividade

16 Prensar dedo Contusão N ---

17 Projeção de corpo estranho Lesões oculares N ---

Escoriações; contusão;
Queda com diferença de
18 fratura; traumatismo ou N ---
nível
morte.

19 Queda de material Fratura, esmagamento N ---

20 Queda de mesmo nível Escoriações; contusão N ---

Vazamento ou Irritação das vias Manter produtos nas embalagens


21 derramamento de produtos respiratórias, pele e S e manusear de forma adequada.
químicos olhos; intoxicação Utilizar Kit se ocorrer vazamento

T – Toleráveis: Não é necessária a adoção de controles;

I – Intoleráveis: É necessária a adoção de controles.

Page 4 de 4 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento PAPR-001


DOCUMENTOS E
REGISTROS
REVEST-X
REGISTRO DE AVALIAÇÃO DE SIMULADO DE EMERGÊNCIA

AVALIADOR: Franjinha

LOCAL DE INÍCIO DO EVENTO: Fábrica A

TIPO DO EVENTO: Simulado

DATA: 20/11/2017 - HORÁRIO: -------

TEMPO
AÇÕES OBSERVAÇÃO
(hh:mm)

Simulado não autorizado pelo


Comunicação da emergência diretor financeiro – realizada
visita de acionistas neste dia.
Reunião da brigada de emergência em ponto
de encontro

Deslocamento para local da emergência

Alerta Geral para abandono da edificação

Inicio do Combate ao incêndio

Acionamento dos Órgãos Externos


(Bombeiros)
Primeira turma a chegar ao Ponto de
Encontro.

Última turma a chegar ao Ponto de Encontro.

Pessoas que não realizaram o abandono


(Mortos)

Total Geral do Simulado

Página 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2016 Documento P-239714


REVEST-X
REGISTRO DE AVALIAÇÃO DE SIMULADO DE EMERGÊNCIA

AVALIADOR: Franjinha

LOCAL DE INÍCIO DO EVENTO: Fábrica A

TIPO DO EVENTO: Simulado

DATA: 16/05/2017 - HORÁRIO: 10:00h

TEMPO
AÇÕES OBSERVAÇÃO
(hh:mm)

Comunicação da emergência 00:00 Acionamento pela área de SST

Reunião da brigada de emergência em ponto


00:18
de encontro

Deslocamento para local da emergência 00:47

Alerta Geral para abandono da edificação 00:48

Inicio do Combate ao incêndio 01:20 Problemas com a mangueira

Acionamento dos Órgãos Externos Foram acionados, mas disseram


-----
(Bombeiros) que não tinham viatura

Primeira turma a chegar ao Ponto de


02:00
Encontro.

Não foi possível medir o tempo,


Última turma a chegar ao Ponto de Encontro. ----- deu a hora do almoço e as
pessoas foram almoçar

Não foi possível medir o tempo,


Pessoas que não realizaram o abandono
------- deu a hora do almoço e as
(Mortos)
pessoas foram almoçar
Não foi possível medir o tempo,
Total Geral do Simulado ------- deu a hora do almoço e as
pessoas foram almoçar

Página 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2016 Documento P-239714


REVEST-X
REGISTRO DE AVALIAÇÃO DE SIMULADO DE EMERGÊNCIA

AVALIADOR: Franjinha

LOCAL DE INÍCIO DO EVENTO: Fábrica A

TIPO DO EVENTO: Simulado

DATA: 15/01/2017 - HORÁRIO: 10:15h

TEMPO
AÇÕES OBSERVAÇÃO
(hh:mm)

Acionamento pela
Comunicação da emergência 00:00
área de SST
Reunião da brigada de emergência em ponto
00:20
de encontro

Deslocamento para local da emergência 00:35

Alerta Geral para abandono da edificação 00:48

Inicio do Combate ao incêndio 00:55

Acionamento dos Órgãos Externos


-----
(Bombeiros)
Primeira turma a chegar ao Ponto de
01:15
Encontro.

Última turma a chegar ao Ponto de Encontro. 02:00

Pessoas que não realizaram o abandono 46 (Total


(Mortos) de 120)

Total Geral do Simulado 02:15h

Página 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2016 Documento P-239714


REVEST-X
REGISTRO DE MONITORAMENTO DE EFLUENTES

Descarga Sul
Parâmetro pH

Data Resultado Data Resultado


01/07/2018 6,00 16/07/2018 8,00
02/07/2018 9,00 17/07/2018 6,00
03/07/2018 8,00 18/07/2018 7,00
04/07/2018 9,00 19/07/2018 6,00
05/07/2018 6,00 20/07/2018 7,00
06/07/2018 6,00 21/07/2018 6,00
07/07/2018 8,00 22/07/2018 7,00
08/07/2018 9,00 23/07/2018 9,00
09/07/2018 7,00 24/07/2018 7,00
10/07/2018 8,00 25/07/2018 7,00
11/07/2018 9,00 26/07/2018 7,00
12/07/2018 7,00 27/07/2018 6,00
13/07/2018 6,00 28/07/2018 7,00
14/07/2018 8,00 29/07/2018 8,00
15/07/2018 8,00 30/07/2018 7,00
31/07/2018 7,00

Análise Crítica do Monitoramento: Todos os resultados estão conforme a legislação aplicável.

Responsável pela medição: Capitão Feio

Página 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-65258


REVEST-X
Registro de Calibração de pHmetro

Instrumento pHmetro

Identificação PH3256

Quinzena 07 - 01

Data Solução Tampão Solução Tampão Analista Resultado


Inferior utilizada Superior Utilizada

03/07/2018 1,68 4,00 Cebolinha Realizado Ajuste

04/07/2018 4,00 6,86 Mônica Ok

06/07/2018 4,00 10,00 Mônica Ok

06/07/2018 4,00 6,86 Cascão Ok

08/07/2018 9,00 10,00 Cascão Realizado Ajuste

10/08/2018 7,00 9,00 Cascão Ok

11/08/2018 - - Cascão Ok

12/08/2018 4,00 6,86 Cascão Realizado Ajuste

13/07/2018 9,00 10,00 Franjinha Ok

15/07/2018 4,00 6,86 Franjinha Ok

15/07/2018 9,00 10,00 Magali Realizado Ajuste

Página 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-585665


FORMULÁRIO DE INVESTIGAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO

CBO: Não especificado Nome: Genival Lacerda


Data de admissão:
Função: Operador de Produção

INFORMAÇÃO SOBRE O ACIDENTADO


Data de Nascimento: 01/04/1970

Estado Civil: Casado

Telefone: (11) 98888-5555

Número de acidentes anteriores: 3

Toma Remédio controlado (x) Não ( ) Sim. Qual?

INFORMAÇÃO DO ACIDENTE

Houve Afastamento? SIM ( X ) 12 dias. NÃO ( )

Tipo do acidente - Típico ( X ) - Trajeto ( ) - Doença ocupacional ( )

Natureza da lesão: Intoxicação

Parte do corpo atingida: Sistema Respiratório

Agente causador: Tolueno

Hospital em que foi atendido: Hospital lá de Cima

Data do acidente: 05 /08/2018 Hora: 03:47 Local: Produção de Tintas B

O acidente ocorreu depois de quantas horas trabalhadas: 3h

DESCRIÇÃO DO ACIDENTE
O Sr. Genival estava limpando a máquina de envase com tolueno, quando derramou a
galão onde estava o tolueno. O Sr. Genival inalou grande quantidade de tolueno e
desmaiou, sofrendo intoxicação. O Sr. Genival foi localizado pelo Sr. Caetano Veloso, que
acionou o alarme. A Brigada de Incêndio fez o regate do Sr. Genival, o qual foi
encaminhado para o Hospital, recebendo tratamento.
PARECER DA TESTEMUNHA

Testemunha: Sr. Caetano Veloso

O Sr. Caetano descreve que ao caminhar para a sala de limpeza, onde iria tirar um cochilo após a ceia,
avistou o Sr. Genival caído no chão, por cima de um líquido “malcheiroso”. Como o Sr. Genival não
respondia a seus chamados, ele acionou o alarme da brigada, quebrando a botoeira da área de
produção.

CONCLUSÃO DO PROFISSIONAL DE SEGURANÇA DO TRABALHO QUE FEZ A


INVESTIGAÇÃO DO ACIDENTE

O acidente era inevitável do ponto de vista prevencionista. Não havia balde adequado para levar
o tolueno até a linha de produção. O galão não tinha tampa que impedisse o transbordamento
do tolueno.

Abertura de CAT não necessário, uma vez que o afastamento foi menor que 15 dias. Médico do
Trabalho – Dr. Francisco Buarque, declara estar de acordo.

AÇÃO IMEDIATA PARA EVITAR QUE OCORRA OUTRO ACIDENTE

Orientar os operadores a não levar tolueno em galões.

Data

06/08/2018
Ass. Profissional que coordenou a
Assinatura do Acidentado investigação

Endereço do local do acidente

Unidade A
Rua: dos Bobos, 0 – São Paulo - SP

Observações
REVEST-X
BOLETIM DE ANÁLISE DE PRODUTO

Produto Tinta Super – Cor Melancia

Referência 3652254

Lote 3665/52585

Parâmetro Especificação Rastreabilidade Resultado


de Equipamentos
utilizados

Cor Verde, conforme


placa padrão - Conforme
3265669

Sólidos Totais >45g/100mL 22365 53 g/100mL

pH 6,5 – 6,6 PH3256 6,6

Viscosidade >25s CF 365 28s

Secagem ao toque <2 horas CR 66955 1h 36min

Situação do Produto APROVADO

Data de Análise 08/07/2018

Data de Emissão 11/07/2018

Responsável pela liberação: Maurício de Sousa

Página 1 de 1 Emissão 0.0, rev.: 00 – Junho/2018 Documento P-6598

Você também pode gostar