Você está na página 1de 4

fl.

SÃO PAULO - SP
150700JUL17
Clique para ICC audiovisual

INSTRUÇÃO CONTINUADA DO COMANDO


www.policiarnilitar.sp.gov.br SÚMULA DE ICC Nº 201
dec@policiamilitar.sp.gov.br

1. TEMA: "ATENDIMENTO DE OCORRÊNCIAS ENVOLVENDO BALÕES - REEDIÇÃO."

2. CALENDÁRIO:
Início: 16JUL17
Término: 31JUL17

3. ASSUNTO A SER LIDO:

Policial Militar! Soltar balão é proibido pela Lei de Crimes Ambientais desde 1998.
Mesmo assim, percebe-se a ocorrência desta prática, principalmente na Capital, Região
Metropolitana de São Paulo e outros grandes centros urbanos, como a região da grande
Campinas, alvo momentâneo dos baloeiros, após as intensas apreensões da PMESP e ações de
repressão na capital.
Esta ação ilegal intensifica-se neste período de festividades juninas, estendendo-se até
o mês de outubro. Nesta época do ano, com ventos frios durante a noite e o tempo seco
/
provocado pela baixa umidade relativa do ar, as condições climáticas tronam-se propícias para
soltura, colocando em risco residências, fábricas, aviação civil e os nossos remanescentes
florestais, levando perigo à integridade física de pessoas e de seu patrimônio.
Aliado a isso, o CENIPA - Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos
afirma que:
"...balões de ar quente, que invadem o espaço aéreo[ ..}, nem
há autorização para a soltura. Eles são lançados [ ..} sem
nenhum controle. [ ..} significam risco para a navegação
aérea civil e militar, porque aeronaves e radares não são
capazes de detectá-los. Além disso, a tecnologia empregada
para conferir maior autonomia de voo, como botijão de gás
baterias de carro, agrava operigo."
fl.2

A Secretaria de Aviação Civil (SAC) elaborou o MANUAL DE ORIENTAÇÃO ÀS


FORÇAS DE SEGURANÇA PÚBLICA PARA A FISCALIZAÇÃO DE BALÕES NÃO
TRIPULADOS, site do CENIPA. (Disponível em:
<www2.fab.mil.br/cenipa/images/ Anexos/Manual_ de_ orientacao _as_ forcas_ de_ seguranca _publi
ca.pdfe-. Acesso em: 19 jun. 2017.)

Policial!
O balão, propelido por mecha incandescente, possui em seu interior ar aquecido (balão
normal) e poderá ser objeto da prática de crime ambiental conforme as condutas típicas
previstas no artigo 42 da Lei Federal 9.605/981, a fabricação, venda, transporte ou soltura de
balões.
Existem artefatos que não possuem mecha incandescente, os chamados balões ecológicos
sem tocha, que também são proibidos, portanto, passíveis de condutas típicas do crime, quando
expõem a perigo a navegação aérea, previsto no artigo 261 caput e seus parágrafos 1° e 2°, do
Código Penal Brasileiro, e a soltura de balões propelidos ou não por mecha incandescente e que
possam expor a perigo aeronaves, ou mesmo a tentativa de soltar com o objetivo de impedir ou
dificultar a navegação aérea.
Além do crime ambiental e/ou crime de perigo, soltar balões que possam provocar
incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, áreas urbanas ou em qualquer tipo de
assentamento humano será objeto de infração ambiental, ou seja, seu autor estará sujeito à multa
administrativa no valor R$ 5 .000,00 (cinco mil reais) por balão apreendido, ou parte dele (boça,
mecha, cangalha, bandeira) com base na Resolução SMA nº 48/142, podendo ser aplicada em
dobro se a infração for praticada para obter vantagem pecuniária e/ou ocorrer no interior do
espaço territorial, especialmente protegido, quando afetar unidade de conservação ou sua zona de
amortecimento e, ainda, aumentada pela metade, quando a infração provocar incêndio e/ou
. \
atingir vegetação que contenha espécies ameaçadas de extinção.
Por se tratar de um crime ambiental e/ou de perigo à navegação aeronáutica, diante do
princípio da universalidade da nossa atividade, deve ser prevenido e reprimido por todos,
independentemente de estar prestando serviços no policiamento ambiental ou não.
O atendimento dessa ocorrência demanda que o Policial Militar reconheça os elementos
que constituem o balão - papel de seda já montado ou não, mechas, cangalhas, varetas,

1
Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de con
atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Disponível I em:
<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9605.htm>. Acesso em: 27 jun. 2017.
2
Resolução da Secretaria do Meio Ambiente nº 48, de 26 de maio de 2014. Dispõe sobre as condutas infracionais ao
meio ambiente e suas respectivas sanções administrativas. Disponível \..___
e
<http://www.ambiente.sp.gov.br/legislacao/resolucoes-sma/resolucao-sma-48-2014/>. Acesso em: 27 jun. 2017.
fl. 3

bandeirolas, lâmpadas, entre outros - e que deverão ser recolhidos como prova material do
crime.
Todas as pessoas que concorreram para a prática do crime (autor, coautor e partícipe),
seja durante a fabricação, comercialização, transporte ou soltura, deverão ser conduzidas ao DP,
juntamente com os materiais e veículos envolvidos, salvo quando, por orientação da autoridade
competente, a ocorrência deva ser encaminhada para a Delegacia de Polícia Federal em razão de
sua competência, para a lavratura do competente procedimento de polícia judiciária.
Os policiais devem ter bastante atenção com as cangalhas que levam centenas de
materiais explosivos, como bombas, rojões ou morteiros e que podem, no momento da
ocorrência, causar explosões com possibilidade de ferimentos graves.
Ao atender a ocorrência, o Policial Militar deverá solicitar a presença de guarnição do
Policiamento Ambiental para a lavratura de multa administrativa. Caso não seja possível o
pronto atendimento do Policiamento Ambiental, principalmente em razão de não haver OPM
ambiental em todos os municípios do Estado de São Paulo, deverá ser encaminhada ao
Policiamento Ambiental do local da ocorrência a cópia do procedimento realizado no Distrito de
Polícia, bem como o Boletim de Ocorrência Policial Militar, caso haja, que contenha o nome dos
envolvidos para lavratura da respectiva multa administrativa, com base na peça policial
apresentada.
O Policial Militar deve estar atento, também, para as fases que se seguem após a soltura
dos balões. Em alguns casos, grupos de pessoas saem ao seu encalço e disputam, entre si, a posse
do artefato. É comum ocorrer danos ao patrimônio das pessoas como: quebra de telhados, cercas,
danos em veículos, etc. A intervenção policial é importante para a manutenção da ordem.
A captura de balões poderá ensejar a tipificação do crime ambiental, caso ocorra o
transporte do local de captura, nova soltura ou tentativa de nova soltura e crime de perigo, caso
ocorra a soltura ou te~tativa de nova soltura do artefa,~o.
Observa-se claramente que as condutas praticadas pelos chamados "baleeiros"
ultrapassam o limite de apenas uma tradição folclórica ou cultural, tornando-se uma associação
criminosa que lesiona bens jurídicos de difícil reparação, ou até mesmo, irreparáveis, como
acontece com a morte de pessoas e determinados desastres ambientais. Importante salientar que
tramita pela Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei nº 3693/2012, propondo a alteração da pena
de "detenção de um a três anos ou multa" para "reclusão de dois a cinco anos e multa'', para
quem praticar a conduta criminosa. Nesse contexto, foi proposto pelo Comando de Policia
Ambiental, via Subcomandante PM, o encaminhamento de estudo para juntada ao/rroje~q,
propondo a alteração do art. 42 da Lei 9.605/98, com a inclusão de novas cobdutas e\
fl.4

consequentemente, aumento de pena, como forma de evidenciar uma eficaz prevenção, repressão
aos criminosos.
VOCÊ É O QUE A POLÍCIA MILITAR POSSUI DE MAIS VALIOSO!

4. Verificação Imediata
4.1. O costume, enraizado nas tradições culturais brasileiras de soltar balões propelidos por
mecha incandescente é crime?
R: Sim, previsto no artigo 42 da Lei Federal 9.605/98.

4.2. Quais os perigos de soltar balões?


R: Causar incêndios, perigos à navegação aeronáutica, a aeronaves, etc

5. Outras ICC, PVT e POP relacionados:


ICC nº 45 - Atendimento de ocorrências envolvendo balões.

6.Responsável técnico pela elaboração:


6.1. Cap PM 940748-A Alessandro Daleck Moreira, do 4° BPAmb;
6.2. Cap PM 940639-5 Marcos das Neves Palumbo do CCB;
6.3.1° Ten PM 127932-A Vítor Calandrini de Araújo do CPAmb;
6.4. Subten PM 942375-3 Eliandro Albuquerque de Negreiros da DEC·'
~
6.5. 3° Sgt PM 103640-8 Jonatan Luiz Casagrande do CP

Nós, Policiais Militares, sob a proteção de De11s,estamos compromissados com a Defesa tia Vida, tia Integridade Ffsica e tia Dignidade tia Pessoa H11111a11a".

Você também pode gostar