Você está na página 1de 4

Obrigação

Elementos: Credor, devedor e objeto … {Subjetivos, pessoais}

Credor Poder de exigir

Vinculo Objeto Aquilo sobre o que recai a obrigação


(exigência)

Devedor Incumbência de cumprir

Objeto da obrigação: É aquilo sobre o que recai a obrigação. Possui 2 elementos em si:
• Comportamento do devedor: por isso que alguns autores chamam objeto de “prestação”.
◦ Obrigação de dar (233);
◦ Obrigação de fazer (247);
◦ Obrigação de não fazer (250)
• Responsabilidade. Latim “respondere” → responder por.
obs.: tudo em direito civil “morre em perdas e danos”. V. art. 402. O que deixou de ganhar e o
lucro cessante.

Exceções ao elemento do objeto:


• objeto só tem débito, sem responsabilidade: obrigação natural – ela não é mais jurídica.
• Apenas 2 casos no Brasil:
◦ dívida prescrita (art. 882);. Prescrição de dívida contratual → 5 anos (Art. 206).
◦ ... e dívida de jogo (art. 814).

Objeto só com responsabilidade sem objeto: obrigação de garantia


1. Fiança – para compra - (art. 818). Fiador não é devedor, mas responde pela dívida.
2. Aval – para obter crédito - (art. 897). O avalista não deve, mas a ele recai a cobrança.

Modalidades de obrigação (art. 233)


1. De dar: entrega, transferir algo de A para B
◦ Dar coisa certa (233): Bem infungível: único, insubstituível = dar coisa certa.
▪ O acessório segue o principal – princípio da gravitação.
• Exceção: acordo expresso.
◦ Dar coisa incerta (243): a coisa pode ser substituível. Bem fungível. Ex: 1 kg de arroz, 1 vaca
etc.
• Cumprida: extingue-se.
• Descumprida:
◦ Perda (234) → não entrega da coisa.
▪ Sem culpa: resolve-se. Volta-se o eventual pagamento. Ex: caso fortuito e
força maior (393).
▪ Com culpa: ressarcimento equivalente em $ + perdas e danos.
◦ Deterioração
▪ Sem culpa (393). Credor escolhe: rejeita e resolve-se; ou recebe no estado e
abate no preço.
▪ Com culpa (235). Credor escolhe: rejeita + equivalente em $ + p & d; ou
recebe no estado + p & d.
2. De fazer: desempenhar uma atividade (art. 247)
3. De não fazer: respeitar uma proibição; é uma abstenção (art. 250)
Fruto: tudo aquilo (acessório) que nasce de outro bem. Art. 237.
Ex: comprou uma vaca, mas o comprador pediu pra buscar depois. No meio tempo, a vaca pariu um
bezerro.
→ Fruto pendente: fica com o credor. No exemplo: se o bezerro ainda não nasceu, fica com o credor.
→ Fruto percebido: fica com o devedor. O bezerro nasceu antes da entrega da vaca.
Se o acessório causa dano ao principal – o bezerro mata a vaca. Não foi culpa do devedor.

Obrigação de restituir. Art. 238 → empréstimo


Ex: Emprestou um livro e o livro ficou deteriorado.
Se a coisa se perder ou se deteriorar
Se sem culpa do devedor:
→ o credor sofrerá a perda.
Senão
→ cabe a restituição

Escolha (concentração do débito


• Coisa incerta
• Quem escolhe
◦ quem esteja designado a escolher
◦ devedor
• Como escolhe
◦ se for credor ou devedor: a escolha não é livre. Deve ser feita pela técnica do termo médio: o
credor não pode escolher o melhor e nem o devedor escolher o pior. Tem que ficar na
média.
◦ Se for terceiro: a escolha é livre

Obrigação de fazer: desempenhar uma atividade


• Cumprida → extingue-se
• Descumprida (art. 247)
◦ Pessoal → intuito persona → só pode ser feita por aquela pessoa; personalíssima, infungível
quanto à pessoa.
▪ Sem culpa → resolve-se
▪ Com culpa → p & d
◦ Impessoal (arts. 248 e 249). Não existe descumprimento “sem culpa”. Não personalíssima.
O débito só é o “quê” e não “quem”.
▪ Credor contrata outrem para fazer às custas do devedor e se ressarce com perdas e
danos. Receberá 2 verbas = ressarcimento + p & d

Obrigação de não fazer (art. 250). Dever jurídico de abstenção


• Cumprida → extingue-se
• Descumprida
◦ Reversível (art. 1.301). Exemplo: abriu janela no limite do terreno
▪ sem culpa → devedor desfaz às próprias custas
▪ com culpa → credor contrata outrem às custas do devedor e se ressarce com p & d.
◦ Irreversível (art. 250)
▪ sem culpa → extingue-se
▪ com culpa → p & d
LEI → OBRIGAÇÃO ← VONTADE
→ nasce da lei … ou da vontade dos envolvidos
→ vontade: contrato, pacto antenupcial, testamento

Toda obrigação nasce querendo ser extinta → credor satisfeito e devedor livre.

• Extinção – mora → impedimento


◦ direta – cumprimento – pagamento
▪ quem paga → pessoa correta. Pode ser recusado se não for a pessoa
▪ Quem recebe → é a destinação. Art. 309 (pagamento putativo). V. teoria do agente de
fato.
▪ como paga: cumprir o exato objeto
▪ Prova do pagamento: parte do próprio pagamento. Sem prova, considera-se não
ocorrido.
▪ onde paga:
• quando o credor vem buscar o pagamento: dívida quesível – no domicílio do
devedor.
• Portável: o devedor se desloca para o pagamento, vale também para ambiente
virtual.
• Dívida que envolve imóvel: no local de situação do imóvel para a entrega
▪ quando paga: no momento que deva: nem antes nem depois. Tentar pagar antes é pagar
mal. Se acordado entre as partes, vale o pagamento antecipado com descontos. O
silêncio presume que seja à vista. Art. 332 – deve ser expresso o vencimento. V. art. 331.
◦ Indireta
▪ remissão (385): perdão da dívida. Tributário (anistia). Penal (anistia, graça, indulto).
Toda remissão é ato bilateral. É direito do devedor aceitar ou não. Se o credor recusar,
cabe ação de consignação em pagamento
• Parcial
• Total.
▪ Compensação (368): encontro de contas entre credor e devedor. “A” deve para “B” e
noutro contrato “B” deve para “A”.
OBS: Dívida alimentícia não se compensa, bem como salário
V. também Lei 8112/90 → se servidor público causar dano ao erário, ele ressarce até 10%
ao erário.
▪ Confusão (381): união de credor e devedor na mesma pessoa. Ex: pai morre e filho herda
a herança e a dívida do de cujus.
Obs: se a causa da confusão deixar de existir, a dívida volta. Ex: morte presumida.
▪ Dação (356): troca do objeto com “aceite” do credor. O valor não precisa ser similar.
Basta o aceite.
▪ Novação (360): dívida NOVA substitui dívida antiga. Ex: renegociação de dívida entre
cliente e banco.
▪ Sub-rogação (346): troca de sujeito(s) → “Ficar no lugar de...”
• Troca de credor (286)→ cessão de crédito. Ex: cheque na “factoring”; “vale-
presente”
◦ Credor: cedente
◦ Novo credor: cessionário
• Troca de devedor (299) → assunção da dívida. Exemplo: João assume a dívida da
Maria diante de dívida na loja.
◦ Quem assume: assuntor
◦ Antigo devedor: devedor primitivo. Este deve ser notificado. E o credor deve ser
consultado. Ex: transferência de financiamento.
Mora (atraso)
• do devedor (395; 399) : juros, multa, atualização de valores, honorários advocatícios, p&d,
responsabilidade integral.
• do credor (art. 400): tem que ressarcir toda a despesa da mora. Recebe pelo valor mais
favorável ao devedor. Ex: “A” deve u$ 100 → paga pelo menor valor da cotação.

Como se divide o indivisível: Transforma em $ → não há obrigação indivisível.

Transmissão das obrigações


1. Cessão de crédito – 286
2. Assunção de dívida

Obrigação
1. Divisível – 257
2. Indivisível – 258
3. Fracionária: cada um é responsável por uma parte. No silêncio, toda dívida é fracionária.
4. Solidária – 264: se há vários devedores, solidifica-se em um só.

Inadimplemento: execução negativa – ganha mas não leva → não pagamento

Exercício – obrigações

1. a
2. e
3. c
4. c
5. c
6. b
7. e
8. a

Você também pode gostar