Você está na página 1de 3

CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA II T5 LO2

Wilson Ruiz e Luiz Danilow

Amplificadores de Potência Classe “C”


Objetivo:
Montar e analisar o comportamento do amplificador Classe C.
Roteiro:
A. Material Necessário:
01. Fonte DC Variável;
02. Osciloscópio;
03. Gerador de Sinais;
Capacitores:
 1 x 47 kpF (0,047µF)
 1 x 10 µF
 1 capacitor denominado “CL” de capacitância entre 1µF a 220µF
(1µF ≤ CL ≤ 220µF).
Resistores:
 1 x 100 Ω (ou de resistência menor ao indicado)
 1 x 1 kΩ (ou de resistência maior ao indicado)
 1 x 100 kΩ
Transistores:
 1 BC 547 ou BC 548
Indutor:
 2,5 mH
Procedimento Experimental
01. Montar o circuito Abaixo:
+ 12 V

C
L
47kpF
2,5 mH
0,047 µF

BC 547/548 VOUT
VIN, fIN

02.Injetar na entrada uma onda quadrada de aproximadamente de 2 VPP e


13 Hz (Vin e Fin), obtendo no osciloscópio a forma de onda de saída
de VOUT.
Observação: Mantenha o time/div do osciloscópio de 20 µs e
controle o sincronismo e o atenuador vertical de Modo a obter na
tela uma senóide amortecida exponencialmente.
Anote esta forma de onda e explique sua formação.
CÓPIA AUTORIZADA PARA FINS DIDÁTICOS, DESDE QUE MANTIDOS OS NOMES DOS AUTORES.
CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA
CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA II T5 LO2

Wilson Ruiz e Luiz Danilow

03.Montar o circuito Abaixo:


+ 12 V

C
L
47kpF
2,5 mH
0,047 µF

CL
10 µF

CB
B C
1µF ≤ CB ≤ 220µF
BC 547/548 E
A
RB
VIN, fIN 100 kΩ RL
D RL ≥ 1kΩ
RE VOUT
RE ≤ 100Ω

04. Medir o ponto Q do transistor (ICQ e VCEQ).

05. Injetar VIN senoidal, com amplitude suficiente para gatilhar o transistor e
frequência variável, observando a forma de VOUT, determinando
experimentalmente a frequência de ressonância do circuito; (ponto onde temos
VOUT com maior amplitude).
Anote o valor desta frequência e a amplitude de pico a pico de VOUT.

06. Determinar a frequência de ressonância teórica do circuito por:


1
fR =
2 LC
07. Para o caso de ressonância anote a forma de onda nos pontos A, B, C, D e E
indicados no circuito. (cotadas e sincronizadas).
Observação:
⟹ Utilizar um canal do osciloscópio no ponto A e com o outro canal obter
as tensões sincronizadas com o primeiro, Exemplo: A com B; A com C: etc...
⟹ Observe o grampeamento negativo da tensão no ponto “B” e a forma de
IC no ponto “D”.

08. Com as formas de onda do item anterior, calcule o ciclo de trabalho do circuito
“D” (Duty Cycle), onde:
 W  largura do pulso de IC
W 
D=  1
T  T=
 fR

CÓPIA AUTORIZADA PARA FINS DIDÁTICOS, DESDE QUE MANTIDOS OS NOMES DOS AUTORES.
CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA
CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA

LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA II T5 LO2

Wilson Ruiz e Luiz Danilow

09. Mudar VIN para onda quadrada e repetir os itens “5” e “6”.

10. Voltando para VIN senoidal, determine a curva de resposta em frequência do


circuito para o ganho de tensão normalizado (AVN) expresso em decibéis (AVN|dB),
onde:
VOUT V  máxima tensão de saída (na ressonância).
AVN =  OUT max
VOUT max  VOUT  tensão de saída para todas as frequências do sinal de entrada
em Decibéis temos :

AVN = 20 log AVN


dB

Observação: na determinação da resposta de frequência utilize a frequência de


entrada entre 8 e 25 kHz com um incremento de 500 para frequências distantes
da ressonância e de 100 Hz para próximas ressonância.

11. Plotar a curva de resposta em frequência no relatório AVN|dB x FREQ

12. Calcule a constante de tempo de grampeamento negativo CC (τ) e verifique a


condição de:
τGrampeamento >> TRESSON.
Onde:
 = RB  CB
1
TR =
fR

13. Calcular a máxima potência possível de ser entregue para a carga, pelo circuito e
compare este valor com o teórico.

CÓPIA AUTORIZADA PARA FINS DIDÁTICOS, DESDE QUE MANTIDOS OS NOMES DOS AUTORES.
CURSO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA

Você também pode gostar