Você está na página 1de 37

UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

ANGRA CAICÓ DE LIMA


CAROLINE EVANGELISTA DE SOUZA RODRIGUES
DIENIFER APARECIDA MARCOS AVELAR
GISLAINE FRANÇA CORDEIRO DE SOUZA
MARIA APARECIDA DOS SANTOS FREIRES

" Simulação de Processos de transformação e serviços: Automação na


marcenaria "

Vídeo do Projeto Integrador


https://youtu.be/EYbzCcKANhU

São Paulo - SP
2020
UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

" Simulação de Processos de transformação e serviços: Automação na


marcenaria "

Relatório Técnico - Cientifico apresentado na


disciplina de Projeto Integrador para o curso de
Engenharia de Produção da Universidade Virtual do
Estado de São Paulo (UNIVESP).

São Paulo - SP
2020
CAICÓ DE LIMA, Angra; EVANGELISTA DE SOUZA RODRIGUES, Caroline;
SOBRENOME; APARECIDA MARCOS AVELAR, Dienifer; FRANÇA CORDEIRO DE
SOUZA, Gislaine; APARECIDA DOS SANTOS FREIRES, Maria. Simulação de Processos
de transformação e serviços: Automação na marcenaria. 00f. Relatório Técnico-Científico
(Engenharia de Produção) – Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Tutor: Celso
Bortolini Junior. Polo Ceu Pera Marmelo, 2020

RESUMO

No projeto integrador 6, falaremos sobre o estudo de automatização do processo de corte e


acabamento de uma empresa de marcenaria na fabricação de móveis planejados. Simplesmente
podemos afirmar que a tecnologia, e neste caso a automatização na marcenaria na nossa sociedade,
traz soluções práticas, que só proporciona um desenvolvimento positivo para a empresa de nosso
estudo, onde a qualidade e prazo de entrega faz toda a diferença no produto final. O nosso
trabalho foi aprofundado na comparação processos de usinagem da madeira em uma empresa de
móveis. Fizemos uma simulação e obtivemos resultados, que por fim foram averiguadas as
vantagens e desvantagens dos processos de transformação e serviços.

PALAVRAS-CHAVE: Automatização do processo, tecnologia, marcenaria, transformação e


serviços.
ABSTRACT

In integrative project 6, we will talk about the study of automation of the process of cutting and
finishing of a joinery company in the manufacture of planned furniture. We can simply affirm that
technology, and in this case automation in joinery in our society, brings practical solutions, which
only provides a positive development for the company in our study, where the quality and delivery
time makes all the difference in the final product. Our work was

KEYWORDS: Automation of the process, technology, joinery, transformation and services.


LISTA DE ILUSTRAÇÕES

FIGURA 1– TRANSFORMAÇÃO DE MADEIRA EM OBRA DE ARTE.........................……… 08


FIGURA 2– INVESTIMENTO EM AUTOMAÇÃO.................…………………………........ 10
FIGURA 3– MÁQUINAS PARA MARCENARIA .....………………………………….……
11
FIGURA 4– AUTOMATIZAÇÃO DOS SERVIÇOS.................……………….…………….. 12
FIGURA 5-SOFTWARE AUTOCAD..................................................................................
15
FIGURA 6-SOFTWARE PROMOB......................................................................................
16
FIGURA 7-SOFTWARE SKETCHUP..................................................................................
18
FIGURA 8– COLADEIRA DE BORDAS.......................................................……………..
25
FIGURA 9– SERRA ESQUADREJADEIRA................................................…………….....
25
FIGURA 10– DESEMPENADEIRA............................................................…………….....
25
FIGURA 11– SERRA DE FITA.................................................................……………......
25
FIGURA 12– PROCESSO DA MARCENARIA.......................................................................
27
FIGURA 13– DESENHO DE UM MÓVEL...........................................................................
28
FIGURA 14– 3D DE UM MÓVEL.....................................................................................
29
FIGURA 15– FLUXO DE COMO É REALIZADO OS PROCESSOS DE SERVIÇOS....….……...
30
FIGURA 16– SERRA ESQUADREJADEIRA 2....….…................................................…...
32
FIGURA 17– SECCIONADORA HORIZONTAL E VERTICAL...............................….……...
32
FIGURA 18– COLADEIRA DA BORDA 2...........................................................….……...
33
FIGURA 19– USINAGEM................................................................................….……...
33
FIGURA 20– PRODUTO FINAL – COZINHA PLANEJADA……....…………………….….
34
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO...................................................................................................................7
2. DESENVOLVIMENTO......................................................................................................7
2.1. PROBLEMA E OBJETIVOS.........................................................................................10
2.2. JUSTIFICATIVA............................................................................................................12
2.3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA .................................................................................13
2.4. APLICAÇÃO DAS DISCIPLINAS ESTUDADAS NO PROJETO INTEGRADOR ..23
2.5. METODOLOGIA............................................................................................................23
3. RESULTADOS ...................................................................................................................27
3.1.SOLUÇÃO INICIAL .......................................................................................................27
3.2. SOLUÇÃO FINAL .........................................................................................................30
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS.............................................................................................34
REFERÊNCIAS .....................................................................................................................35
8

1. INTRODUÇÃO

No Projeto Integrador VI, sobre a “Simulação de Processos de transformação e


serviços: Automação na marcenaria”.
Ele será realizado em uma pequena empresa de marcenaria, localizada na cidade de
Itatinga, no interior de SP. Esta empresa possui 3 funcionários, mas devido a pandemia, ela
agora está operando com 2 funcionários.
Hoje os maquinários que eles utilizam são para trabalhar somente com MDF, pois é
material fabricado a partir de madeira de reflorestamento, tais como esquadrejadeira com
riscador, desempenadeira, furadeira vertical, tupia, lixadeira, serra de fita, e máquinas
manuais, como furadeira, parafusadeira e grampeador pneumático.
O custo vem subindo gradativamente nas últimas semanas. Antes 1 chapa custava R$
270,00, hoje está custando R$ 360,00. E assim para todos os outros materiais como a cola,
parafusos, fitas de borda, dobradiças, corrediças, etc. Assim também teve alta no valor dos
maquinários. Para aumentar a demanda da empresa, é divulgada através dos canais de
comunicação como rádio, redes sociais e catálogos virtuais o seu portfólio comercial.
Hoje nada mais é fabricado sem ter o projeto do móvel. Eles utilizam o software
Promob e o Auto Cad para projetar os móveis e otimizar o máximo o material e reduzir os
custos, antes os cálculos de custo dos materiais eram calculados a olho, no qual sempre não
batia e sempre faltava material na hora da execução do serviço.

2. DESENVOLVIMENTO

O estudo inicial se refere sobre como aplicar a tecnologia na marcenaria.


Para entender melhor o que significa esse tema, é necessário explicar melhor sobre a
automação na marcenaria e ver a melhor solução para o desenvolvimento dessa empresa.
9

Figura 1: Transformação de madeira em obra de arte (Fonte: D3 Decor)

O trabalho com madeira e em madeira é muito antigo. Em um passado não tão remoto
assim o profissional que fazia trabalho em madeira, fosse construindo móveis ou outras
peças era conhecido como “carpinteiro”, mas como o passar do tempo e com os avanços na
execução do trabalho com madeira surge então o “marceneiro”.
O serviço de um marceneiro requer qualificação no manejo da madeira, paciência e
criatividade, para que os projetos a serem materializados sejam executados com maestria e
atenda ao que fora idealizado/projetado; traduzindo-se, assim, em um móvel ou objeto de
pleno uso e satisfação de quem o encomendou, atendendo também, satisfatoriamente, a
produção de móveis ou objetos de uso doméstico ou comercial, com produção em escala
industrial sem perder sua essência e principalmente qualidade.
Embora seja uma das profissões mais antigas do mundo, a marcenaria não ficou
parada no tempo. Tanto que atualmente os profissionais dessa área vem buscando melhorias
nos seus processos.
Atualmente utilizam termo marcenaria moderna, o termo faz referência ao uso da
tecnologia em todas as etapas de produção e comercialização de móveis sob medida. Este
novo conceito envolve equipamentos e máquinas de tecnologia avançada e softwares de
projetos de mobiliário totalmente integrados ao maquinário.
Todos os processos são automatizados, permitindo que os clientes escolham
mobiliário corporativo, comercial ou residencial com base em projetos bem próximos da
realidade. Além de contribuir para a satisfação dos clientes, que acompanham todas as etapas
10

da produção até a entrega, a automatização dos processos aumenta a produtividade e reduz


custos.
Tudo começa com a venda dos móveis planejados, quando o vendedor fecha o negócio
conforme as necessidades do cliente. Depois disso, o projeto é enviado à equipe de
marcenaria, que define o material necessário para a fabricação dos móveis, tais como chapas,
colas, parafusos, fitas de borda, dobradiças etc.
A partir daí, elaboram-se os pedidos de compra, que normalmente chegam ao
fornecedor juntamente com um projeto em 3D. Na marcenaria moderna, todo esse fluxo de
informações ocorre digitalmente. Com todas as peças necessárias, inicia-se o processo de
fabricação dos móveis.
A automatização dos processos de produção de móveis agiliza tanto o recebimento da
matéria-prima pelo marceneiro quanto a entrega final para o cliente. Quando se trata de
móveis para lojas comerciais, mobiliário sob medida para franquias, entre outros, os
processos digitais são fundamentais para que os empreendedores cumpram seus prazos.
Apesar da automatização e adoção de novas tecnologias nos negócios proporcionar
muitos benefícios, é preciso preparar a sua marcenaria para receber essa estratégia, de modo
que os processos e funcionários possam se alinhar a ela. Assim você garante que os novos
métodos funcionem adequadamente e conforme o esperado.

Mas afinal como é automação na produção de móveis?

A automação é um termo que designa qualquer sistema com o intuito de aumentar a


velocidade e a qualidade dos processos produtivos, a segurança dos colaboradores, além de
obter maior controle, planejamento e flexibilidade da produção.
A automação na indústria moveleira ou na fabricação sob medida se dá principalmente
em processos específicos como alimentar uma máquina automaticamente ou promover maior
segurança durante o processamento da matéria-prima. Essa intervenção, que pode até mesmo
ser feita em alguns equipamentos tradicionais, permite que o empresário ganhe em escala de
produção.
De acordo com o especialista do SENAI, no âmbito da marcenaria o mais importante
na hora de realizar investimentos em automação e identificar com precisão as necessidades
11

da empresa, afim de evitar desperdícios de dinheiro e ao mesmo tempo obter o melhor custo-
benefício na aquisição de equipamentos.

Figura 2: Investimento em automação (Fonte: Marcenaria eficiente)

2.1 PROBLEMAS E OBJETIVOS

O principal problema identificado foi do aumento do prazo de entrega dos móveis, por
conta do aumento de serviço. Neste caso a empresa Eder Biazon não possuía maquinários
automotivos para a transformar a matéria prima em produto. O processo da produção dos
móveis era totalmente manual, sendo utilizados apenas equipamentos de pequeno porte,
como lixadeira e parafusadeira.
Com o aumento da demanda, a quantidade de serviços negociados pela empresa com
seus clientes aumentaram e devido ao período de pandemia a empresa teve que dispensar
alguns funcionários e diminuiu mais ainda a produção dos serviços. Foi preciso elevar ao
máximo a necessidade de produção operando em nível muito acelerado, portanto, sem a
automatização, sem maquinário, aumentou seu lead time (prazos para as entregas) dos
móveis que antes era de 15 dias e passou a ter previsão de 45 dias, ao qual,
consequentemente esse ritmo acelerado aplicado, comprometeu a qualidade do produto final,
gerando descontentamento dos clientes, sendo assim a empresa começou a perder seus
negócios para a concorrência que, por possuir maquinários avançados conseguia atender em
menor prazo.
12

Figura 3: Máquinas para marcenaria ( Fonte: blog.promob.com/)

OBJETIVOS DA PESQUISA

 Objetivo Geral:

O principal objetivo do desenvolvimento desse projeto é demonstrar conceitos técnicos


e os benefícios da implantação da automação, identificando os pontos de melhorias,
utilizando as melhores ferramentas de modelo de produção e gerenciamento de processos,
com objetivo de aumentar a qualidade dos produtos e aumento da lucratividade.

 Objetivos específicos:

1. Aumento da produtividade

Sem dúvidas, um dos principais benefícios da automação de processos é a redução do


tempo em diferentes tarefas, permitindo que o volume de produção aumente. Por exemplo,
você consegue otimizar o processamento de madeiras e montagem dos móveis que, por
serem tarefas repetitivas, podem abrir espaço para erros.

2. Redução de custos

Reduzir custos operacionais dos setores da empresa é uma busca recorrente dos
13

gestores de qualquer tipo de negócio. Nesse caso, a automação é uma das principais e mais
indicadas estratégias a serem implementadas.

3. Otimização da rotina de trabalho

Com todos os pontos positivos que citamos acima, o resultado, além da redução de
custos, é a otimização de toda a rotina de trabalho, desde o atendimento ao cliente, quando
ele procura a sua empresa, até a elaboração do orçamento e produção do pedido.

4. Aumento no poder de competitividade

Além de o mercado estar cada vez mais acirrado, os consumidores estão mais
exigentes e com novas necessidades. Portanto, é preciso que o negócio cumpra com essas
expectativas e tenha um diferencial em relação às empresas do mesmo segmento.

2.2 JUSTIFICATIVA

O objetivo do projeto integrador é demonstrar a janela de oportunidades que se


encontram, desde que se direcionando esforços a objetivos, ditos, nobres.
Muitas das tarefas em uma empresa são repetitivas e até maçantes, fora a dificuldade
em acompanhar, com riqueza de detalhes, o grande volume de informações e dados que
entram e saem de um negócio a todo o momento. Então, para evitar falhas e ter uma base de
informações que ajudem nas decisões, a automação é a sua melhor escolha.
14

Figura 4: Automatização dos serviços ( Fonte: JK Madeiras)

Objetivos Secundários:

 Construir um galpão maior,


 Aumentar a produção
 Aumentar o quadro de funcionários
 Melhorar no acabamento dos móveis
 Entregar no prazo combinado
 Atrair mais clientes.

2.3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A aplicação de tecnologias “inteligentes”, com recursos de automação de processos


que aumentam a produtividade e reduz custos e dispêndio de tempo na fabricação, já é uma
realidade na indústria seriada de móveis. Na produção de mobiliário planejado e sob medida,
a utilização de equipamentos inspirados no conceito de Indústria 4.0 também começa a
ganhar terreno, mas o desenvolvimento de uma marcenaria eficiente é ainda um desafio para
as pequenas empresas.

Sem dúvida, modernizar a marcenaria implica investimentos, sobretudo em


equipamentos de com tecnologia computadorizada e possivelmente com contratação de
funcionários capacitados. Entretanto, é possível aplicar recursos neste sentido de maneira
eficaz e concentrada nas necessidades da marcenaria e de sua clientela. Além disso, a
modernização aos poucos vem deixando de ser um diferencial para se tornar uma questão de
sobrevivência no mercado cada vez mais competitivo.

Segundo Liu Roth e Rabinovic (2011), a teoria sobre a


estratégia de produção está concentrada em discussões a
respeito da natureza da estratégia e na combinação das
prioridades competitivas. Este trabalho foca em aplicar a
tecnologia na marcenaria, a automação é um termo que
15

designa qualquer sistema com o intuito de aumentar a


velocidade e a qualidade dos processos produtivos, a
segurança dos colaboradores, além de obter maior controle,
planejamento e flexibilidade da produção.

Além da automação voltada para processos fabris, o conceito também se aplica na


própria funcionalidade dos móveis. Na construção de um mobiliário personalizado ou sob
medida, a instalação de dispositivos como atuadores e limitadores de cursos proporcionam
diferenciais aos produtos de uma marcenaria eficiente e antenada às tendências.
Bons equipamentos são fundamentais para à execução de um bom trabalho, com as
medidas precisas e que satisfaça o cliente. Por isso, as máquinas para marcenaria precisam
ser escolhidas a dedo. Ao fazer uma seleção adequada, você evita perder dinheiro e garante o
aumento da produtividade e da qualidade do resultado dos móveis. Ao mesmo tempo, reduz
os retrabalhos e traz praticidade para os seus projetos. Nesse momento, é preciso ter em
mente que existe uma grande quantidade de equipamentos para marcenaria disponível no
mercado.
Para isso é necessário mostrar quais são as máquinas indispensáveis e como fazer o
controle da compra desses materiais:

Softwares e máquinas indispensáveis em sua marcenaria

Existem equipamentos manuais e automatizados. As duas opções são válidas — tudo


depende do orçamento disponível. A segunda opção tem a vantagem de reduzir o risco de
erros e falhas, agilizando o processo de produção e conferindo mais eficiência às atividades.
De toda forma, na hora de escolher as máquinas para marcenaria, é preciso saber quais são os
processos executados e entender quais são as principais demandas do seu negócio. Além
disso, é importante ter algumas dicas práticas em mente. A seguir, elencamos alguns dos
equipamentos considerados indispensáveis nesse ramo.
16

1. SOFTWARE DE SIMULAÇÃO USADO EM MARCENARIA

Programas para desenhar móveis fornecem aos designers e marceneiros as


ferramentas necessárias para criar projetos de qualidade.
A maioria dos softwares desenvolvidos para o setor de marcenaria são capazes de
executar ações que possibilitam que o desenvolvimento dos projetos seja ainda mais
rápido, o que certamente agrada a clientela.
Ao utilizar a ferramenta, é possível:

 Utilizar uma dashboard com acesso ao andamento de todos os seus projetos;

 Ter acesso a informações técnicas de acessórios;

 Aprender como instalar corretamente diversos tipos de ferragens;

 Consultar o manual técnico dos produtos da loja;

 Gerar orçamentos e croqui dos projetos.

Abaixo segue alguns programas utilizados pela empresa Eder Biazon, para
projetar móveis planejados:

AUTOCAD
17

Figura 5: Software AutoCad (Fonte: Phortal)

O AUTOCAD da Autodesk é um dos programas para desenhar móveis mais


populares. Em geral, é utilizado em escritórios de arquitetura e engenharia, mas sua
versatilidade possibilita que projetos de móveis sejam feitos facilmente.
O AUTOCAD possui recursos que facilitam a vida de quem trabalha com
projetos sob medida
Com a criação de desenhos 2D e a partir de um esboços simples, você pode
inserir medidas como altura, dimensões, largura e profundidade. A partir desse desenho,
é possível criar uma modelagem 3D da estrutura dos móveis projetados.
Todos esses recursos podem ser usados online, o que permite acessar e editar
projetos por meio de qualquer dispositivo conectado a internet como notebook, tablet ou
smartphone.
Vale lembrar que a ferramenta conta com uma plataforma para fabricação aditiva
que permite criar protótipos dos móveis que serão apresentados aos clientes ou criar
peças que entrarão na linha de produção da marcenaria.

PROMOB
18

Figura 6: Software Promob (Fonte: Mega Moveleiros)

O PROMOB é um dos programas para desenhar móveis mais completos e


conhecidos do mercado, ela é sempre divulgada na Formar, para o público conhecer
melhor sua aplicação. Apresenta uma interface intuitiva e simplificada que funciona de
forma semelhante à área de trabalho do Windows.

“A Formar é uma excelente oportunidade para este público


conhecer as tecnologias e as vantagens da aplicação de
softwares no dia a dia das empresas. Nossa equipe apresenta
os softwares de maneira prática e esclarece dúvidas
imediatas. Além disto, teremos descontos imperdíveis para
alguns produtos expostos”, anuncia o gerente de
Marketing da Promob, Felipe Maciel

A ferramenta
facilita o processo de customização de um projeto de acordo com a etapa de fabricação e
PROMOB Start: permite acessar bibliotecas de trabalhos anteriores, trabalhar
templates de usinagem e criar padrões de perfuração.
PROMOB Cut Pro: ideal para gerar de planos de corte, gerenciamento de
materiais-primas e controle de sobras;
PROMOB Plus: destinado à criação de projetos, apresentações e animações de
vistas simultâneas.
E muitas outras versões, pensadas para a necessidade de cada marcenaria.
19

SketchUp

O SketchUp conta com uma ampla variedade recursos que permitem criar


esboços, construir modelos 3D e analisar diversos aspectos dos materiais usados em
projetos de móveis como sustentabilidade, durabilidade e ergonomia. Ele é um dos
programas mais fácil para desenhar móveis que conta com plugins de dimensionamento e
escala, que permitem editar o projeto em diferentes dispositivos. Abaixo segue a imagem
na figura 7.

Figura 7: Software Sketchup . (Fonte: Leo Madeiras)

Além disso, a ferramenta é capaz de criar desenhos vetoriais em 2D, que podem
ser texturizados e receber diferentes tipos de iluminação.
O Sketchup exibe uma biblioteca 3D, a Warehouse, que conta com diversas peças
de decoração, que, quando combinadas, possibilitam a criação de projetos personalizados
para cada cliente. Além disso, o software facilita a criação de orçamentos personalizados
e a simulação do custo de montagem.
20

A seguir listaremos maquinários que ajudam muito para o processo de produção


da matéria prima até o produto final, pronto para ser comercializado.

2. CORTE

Essa é uma categoria que enquadra diferentes máquinas. Todos os itens classificados
aqui têm como objetivo garantir um corte preciso. Entre eles, estão:
 Serra rápida para metais;
 Serra curva;
 Serra tico-tico;
 Serra circular, para cortes básicos;
 Furadeira;
 Serra de mesa;
 Serrote;
 Serra esquadrejadeira, que corta todos os tipos de madeira a partir do molde e
ainda faz o acabamento;
 Seccionadora, para fazer o corte da chapa.

3. COLADEIRA

Essa máquina faz a colagem da fita de bordo, aumenta a eficiência do trabalho e reduz
a mão de obra manual. Existem dois tipos:
 Manuais: dependem de um operador, mas agilizam o trabalho por eliminarem o
processo artesanal. Exigem apenas a limpeza do excesso de cola e o refilo;
 Automáticas: requerem apenas a colocação da peça e sua retirada.

Caso o funcionário trabalhe com mais de um tipo de cola, considere ter uma máquina com
dois ou mais coleiros. Isso simplifica o trabalho, já que é difícil fazer a extração completa do
recipiente.
21

4. TUPIA DE ENTRADA

É uma máquina que retira uma camada da mesma espessura da fita de borda e mantém
a medida da peça. A camada fica entre 1 e 2 milímetros. Sua vantagem é eliminar totalmente
as imperfeições. Por isso, a tupia de entrada tem como objetivo desenvolver um acabamento
perfeito nos móveis. Ela é capaz de trabalhar com ranhuras, entalhes, molduras, chanfros,
detalhes arredondados e encaixes. Além disso, existem 3 variações:
 Coluna: deve ser operada com as duas mãos e oferece regulagem mais precisa e
maior segurança;
 Laminadora: refila laminados;
 De mesa: fica fixada a uma bancada e permite executar trabalhos de grande porte,
como bancadas, janelas e portas. É mais comum nas marcenarias.

5. DESTOPADOR

É uma máquina que retira o excesso da fita. Existe o modelo simples, que limpa a
parte da frente e de trás, e o duplo, que executa o mesmo processo, mas de maneira
simultânea. Além disso, a máquina efetua o corte — também chamado de destopo
— adequado nos blocos ou tábuas de madeira. O processo é feito no comprimento da peça e
é preciso e reto. Por isso, não é necessário fazer outro procedimento para o acabamento da
peça. Existem os modelos manuais e corte zero, que são similares, embora apenas o segundo
elimine o excesso de fitas de borda das duas extremidades do painel.

6. REFILADOR

Essa máquina retira o excesso de fita das partes superior e inferior da peça. Por isso,
auxilia no acabamento. Tem alta durabilidade e resistência porque conta com lâminas de aço
de alta qualidade. Ele pode ser manual ou elétrico. Geralmente, é possível refilar os dois
lados de forma simultânea.
22

7. RASPADOR

O raspador remove o excesso de cola que fica na parte superior da peça. Precisa estar
bem regulado para fazer o trabalho de maneira adequada. Além disso, executa trabalhos de
alisamento e de restaurações, realiza chanfros e remove imperfeições. Também chamado de
raspilha, esse equipamento de marcenaria favorece o desbaste fino nas peças de madeira, até
mesmo se o veio for complicado ou difícil de regularizar, deixando a peça pronta para a
aplicação do acabamento.
8. POLIDOR

O polidor realiza o processo final com uma bucha de cerdas ou de tecido. Com isso,
garante uma peça totalmente limpa.

Materiais: como controlar a compra

Todas as máquinas para marcenaria apresentadas ajudam a fabricar um móvel de alta


qualidade, que vai satisfazer o cliente e aumentar a chance de fidelização. No entanto, é
preciso fazer o controle da compra dos materiais para evitar desperdícios. Na hora
de projetar móveis, é preciso contar com as ferramentas certas e, ao mesmo tempo, evitar
gastos excessivos. Para chegar ao equilíbrio, é preciso considerar que os equipamentos
sofrem o impacto de algumas variáveis, como:

 Depreciação;
 Área ocupada;
 Manutenções;
 Componentes necessários à execução do trabalho;
 Consumo de energia elétrica.

Apesar desses custos, a compra de uma máquina é um investimento. Afinal, sem ela, é
impossível executar um trabalho rápido e bem-feito. Por isso, mais que analisar o custo-
23

benefício e a eficiência do equipamento, é importante controlar a compra dos materiais por


meio de um software apropriado e especializado para marcenarias. Com ele, você elabora o
projeto e produz os móveis de maneira adequada, a fim de alcançar a máxima eficiência.
Além disso, uma solução de ponta a ponta oferece uma biblioteca personalizada e regras de
produção — inclusive, modulação e modelos construtivos baseado em tendências. Para
garantir o máximo potencial, é preciso que a ferramenta disponha de recursos para projeto,
vendas e produção. O resultado é mais eficiência e capacidade de integração às principais
máquinas do mercado. Outros benefícios são:
 Redução de custos;
 Aumento da produtividade da marcenaria;
 Geração de informação confiável para a produção;
 Aumento da qualidade e da agilidade do processo de produção;
 Padronização do modelo construtivo, o que permite ampliar a produção sem
perder as peculiaridades do trabalho sob medida;
 Facilidade no gerenciamento de clientes e projetos;
 Agilidade na decisão de compra, com potencial para apresentar projetos com
realidade virtual.

O ideal é que ainda sejam geradas diferentes informações, para simplificar a gestão
das atividades e a compra de materiais. Entre as principais estão os relatórios de:

 Compras de materiais;
 Fabricação por componentes;
 Fabricação por módulo;
 Separação de almoxarifado;
 Bordas;
 Tamburatos;
 Itens montados.

Ao ter esse controle, é possível produzir móveis de qualidade e com excelente


24

acabamento, além de evitar desperdícios com as máquinas para sua marcenaria. Todas essas
funções estão disponíveis no Promob Start, voltado para marcenarias em crescimento e que
precisam investir em sua produção para reduzir o prazo de entrega dos produtos. Ao unir os
softwares e os equipamentos, é garantido um layout otimizado para sua marcenaria, o que
gera ainda mais eficiência. Com o controle de compras, reduz os gastos e emprega o dinheiro
no que realmente importa.

2.4 Aplicação das disciplinas estudadas no Projeto Integrador

Quanto à contribuição para o projeto integrador, as disciplinas de controle


estatístico de processo, ergonomia, gestão ambiental, gestão da qualidade, logística,
organização do trabalho e planejamento e controle 1 e 2, por meio de seus conteúdos
linguísticos e culturais. A primeira desenvolveu a aprendizagem e a gestão do
conhecimento, a segunda foi discutida as estruturas de mercado, a terceira houve
aprendizado sobre gestão de mudanças e qualidade e a quarta foi desenvolvido as teorias
de filas e estatísticas para começarmos nosso protótipo. A integração entre as disciplinas
resultou na elaboração de questionários aplicados nos locais, objeto de estudo. Já a
disciplina de Didática, conforme mencionado, integrou o projeto com a elaboração de um
plano de aula direcionado à disciplina de espanhol, com base nos conteúdo das demais
disciplinas.

2.5 Metodologia

Foi analisado o processo como um todo, neste processo de análise, é observado o


processo como um todo, avaliando o desempenho dos colaboradores com o uso das
ferramentas, como elas estão dispostas e por fim, será posto em prática tudo que for
possível para automatizar o processo, tornando mais eficiente e eficaz.
Para manter todo o processo padronizado, são seguidos os seguintes passos:
25

Mapeando os processos

O primeiro passo é mapear e conhecer todos os processos da marcenaria. A


automatização é uma ferramenta de gerenciamento que visa identificar todas as informações,
capacidades, particularidades e ações necessárias para manter as suas atividades em
adequado funcionamento. Neste caso, automatizar cortes nas peças, medições e pinturas. Os
funcionários destas etapas então se tornariam auditores de qualidade, melhorando a
qualidade de vida como um todo para eles.
Essa é uma das melhores maneiras de organizar todos os processos da marcenaria e
ainda detectar onde determinadas estratégias e mudanças de planos precisam ser adotadas,
para melhorar o desempenho da linha de produção como um todo. Esses são pontos-chave
para manter a sua empresa saudável.

Descrevendo as etapas do processo

Depois que foi devidamente mapeado e identificado iniciou o momento de definir


como a implementação da tecnologia seria feita. Sendo fundamental descrever e registrar
cada detalhe, desde o planejamento até a ação em si. No registro é imprescindível que
tenhamos algumas partes dos processos de adaptação devidamente analisadas, como por
exemplo, como foi a interação dos demais colaboradores envolvidos nos processos, se não
existiram futuros “furos” de comunicação, entre outros.
Nessa etapa, também foi importante identificar os problemas ou necessidades da
automação, tais como:
 Problemas no controle de estoque;
 Atendimento ineficiente;
 Linha de produção muito lenta;
 Atrasos nas entregas;
 Falha na comunicação;
 Funcionários desmotivados.
26

A escolha das ferramentas tecnológicas

Nesse momento de escolha de qual de inovação por exemplo ERP, atenderia a


necessidade da empresa e se realmente solucionaria todos problemas encontrados.
Foi ideal o investido em soluções atualizadas e que sanem as necessidades da
marcenaria. Atualmente, por ser um ramo antigo, o mercado disponibiliza uma gama enorme
de soluções inovadoras, que vão desde plataformas até programas de armazenagem na
nuvem, entre outras. Neste caso, o processo mais importante é adaptar estas ferramentas para
uso na empresa.
A seguir temos alguns maquinários utilizados pela empresa que estamos fazendo
nosso estudo, dos equipamentos que eles utilizam para os processos de seus serviços nas
figuras 8, 9, 10 e 11.

Figura 8: Coladeira de bordas ( Fonte: Eder Biazon) Figura 9: Serra esquadrejadeira ( Fonte: Eder Biazon)

Figura 10: Desempenadeira ( Fonte: Eder Biazon) Figura 11: Serra de fita ( Fonte: Eder Biazon)

Escolha do fornecedor
27

Depois da escolha do tipo de solução, foi preciso ter muito cuidado também na seleção
da empresa ou fornecedor da tecnologia. Um erro muito comum nesse quesito, e que acaba
gerando dores de cabeça no futuro, é considerar somente o valor de um sistema. Isso porque
nem sempre o produto mais barato é o de melhor qualidade, portanto, levamos em
consideração o fator custo X benefício. Tendo em vista que todas as alterações necessitam de
um investimento inicial, mas que devemos ter um prazo para termos de volta o beneficio de
investir em determinada tecnologia.
Avaliado todas as funcionalidades do sistema ou equipamento, o atendimento e
credibilidade da empresa no mercado para o qual ela está disponibilizando a solução e
verificando se você terá algum tipo de suporte em caso de problemas, dúvidas ou falhas.
Afinal, o pós-venda também é fundamental no início da implantação.

Treinamento da equipe

Qualquer tipo de estratégia, novo modelo de negócio ou equipamento que for


implementado na empresa, deverá ser de completo conhecimento de toda da equipe. Dessa
forma é possível garantir o correto manuseio e adaptação, para que a solução funcione
conforme o esperado.
Sendo assim, foi promovido treinamentos para os seus funcionários, explicando o
funcionamento do sistema e dos equipamentos, abortando aos objetivos da mudança e os
benefícios que trará para a empresa e para as tarefas que eles desempenham.

Implementação da automação

Depois de mapear os departamentos, definido todas as etapas, conhecendo as


necessidades da empresa e alinhar com os funcionários as mudanças feitas, dá-se o momento
de implementar a solução.
Entretanto, não será adaptado e modificando os processos de uma vez só, as inovações
serão adotadas em etapas gradativas. Processo fundamental para evitar erros e problemas que
possam afetar a produção e, consequentemente, as vendas.
28

Fazer o acompanhamento da marcenaria moderna

Não basta aplicar uma mudança significativa e pronto. É preciso estar em constante
acompanhamento, pois somente assim poderá identificar falhas, processos que precisam ser
mais bem adaptados e até mesmo estratégias que não estão funcionando conforme a
necessidade da marcenaria. Além disso, a verificação periódica permite definir as
manutenções que o equipamento precisa ou as atualizações necessárias do sistema.
Outro ponto muito válido é sempre pedir feedbacks a sua equipe. Dessa maneira, foi
mais fácil detectar erros ou dificuldades na adaptação dos funcionários, permitindo que todo
o processo seja vantajoso tanto para os negócios quanto para os seus colaboradores. Afinal, o
engajamento de todos na empresa é essencial para que qualquer mudança seja bem sucedida
e bem-vinda.
A marcenaria moderna é uma tendência que pode ser considerada essencial para que
os negócios consigam suprir o volume de vendas, pedidos e todas as necessidades
emergentes do mercado. Portanto, investir na inovação garante a otimização dos processos, a
redução de custos e a melhoria em toda a cadeia produtiva.

3.0 RESULTADOS

Inicialmente ao relacionar os conceitos teóricos da Indústria, a pesquisa realça a


importância da automatização na marcenaria. A modernização desse processo traz
diversos benefícios à empresa e contribui para que, mesmo com a pandemia, ainda possa
funcionar e com ainda mais eficiência. A automatização agiliza o serviço e reduz o erro
humano, já que atividades que antes eram manuais e sujeitas a equívocos agora são
realizadas por meio de softwares com uma margem de erro infinitamente menor.

Além disso, a automatização também contribui à gestão das finanças, pois é


possível controlar todas as informações do negócio como fluxo de caixa, preço de
ferramentas e a realizar orçamentos dentro de softwares no computador.
29

Consequentemente, essa revolução na empresa aumenta a satisfação dos clientes, que


agora podem contar com um serviço mais rápido e de qualidade.

3.1 Solução inicial

Figura 12: Processo da marcenaria ( Fonte: realizado pelo autora @Gislaine)

Atualmente, existem inúmeros softwares de simulação desenvolvidos na indústria


4.0 e máquinas tecnológicas que podem ser usadas em produtos ou processos, tendo
aplicação em diversos setores industriais, promovendo inúmeros benefícios.
Fase I: Levantamento das necessidades do cliente quanto ao tipo, tamanho,
acabamento e localização do móvel que está sendo cotado/adquirido. Nesta fase é normal
realizar-se o desenho construtivo do móvel em software específico, bem como o cálculo
dos planos de corte e acabamentos necessários.
A empresa de nosso estudo, utiliza o Autocad, o Promob e Sketchup, que foram
citados no referencial teórico, sendo que, o Software Promob, é um programa voltado
somente para móveis planejados. Esse software conta com um modelo construtivo de
módulos que, além de proporcionar uma padronização, auxilia na agilidade do fluxo de
informações para a produção. Oferece ao fabricante ganhos em dois sentidos: vender
melhor, entregando mais e em menos tempo, com possibilidades reais de ampliação de
lucro. O Start também traz uma biblioteca de modulação, que inclui módulos editáveis,
além de itens de cozinhas, banheiros, dormitórios e escritórios. A biblioteca pode ser
personalizada de acordo com as demandas de cada cliente, com o acréscimo de
acabamentos, acessórios e novos módulos.
Dá-se o início ao projeto de acordo com a necessidade do cliente, com as medidas
e material que vai ser utilizado, conforme figura 13 e 14.
30

Figura 13: Desenho do móvel (Fonte: http://www.faccamp.br/)

Ainda na fase I, é desenvolvido o projeto em 3D para que o cliente e os


funcionários da fábrica possam identificar as matérias primas, o acabamento necessário e
o design final do móvel.

Figura 14: 3D de um móvel (Fonte: http://www.faccamp.br/)

Na solução inicial, buscou-se a definição e análise das entradas e saídas dos


processos que compõem a produção, visando os resultados.
O processo normal de uma marcenaria atualizada tecnologicamente é composto
por quatro fases:

● Definição dos processos prioritários;


● Mapeamento de problemas e pontos de melhorias;
31

● Avaliação e priorização dos problemas;


● Geração de ideias de melhoria.

Na etapa seguinte procuramos ouvir o administrador da organização e entender


seus desafios na gestão do negócio e perspectivas de investimentos.
Houve a iniciativa e desejo em investir na aquisição de máquina para colagem de
fita de borda, visando o aumento da produtividade, bem como da qualidade no
acabamento dos produtos.
Assim como as demais tecnologias que envolvem o universo da indústria 4.0 ou
propriamente fazem parte da chamada Quarta Revolução Industrial, em uma análise
destinada aos pontos positivos e negativos de sistemas, tais como:

 O sistema de simulação computacional (para fazer os projetos);


 Robótica e programação que têm aberto novos caminhos e perspectivas
para o desenvolvimento de uma aprendizagem dinâmica.
 Máquinas Automatizadas para ajudar na fabricação dos móveis
 Fazer um fluxograma de trabalho, para facilitar os processos de
fabricação, conforme figura 15, abaixo.

Figura 15: Fluxo de como é realizado os processos de serviços em 1 marcenaria


(Fonte: Repositório UFSCAR)

3.2 Solução final


32

O resultado obtido pela pesquisa, para identificação de como é constituído o


processo interno das empresas quanto ao atendimento dos pedidos dos clientes, desde a
confecção da proposta comercial até o término dos serviços (instalação dos móveis).
A informatização poderia estar presente em duas tarefas importantes de uma
moderna empresa de marcenaria:

a) Na confecção dos orçamentos para os clientes (softwares CAD/CAM-3D ou


PROMOB), possibilitando a visibilidade do ambiente no futuro com o móvel instalado,
bem como ajudando na explosão dos quantitativos de peças para corte e montagem.
Sistemas auxiliares ao projeto permitem aprimorar o design, a projeção das necessidades
do ambiente, e liberam uma maior flexibilidade na produção dos produtos, a utilização
desses sistemas nas empresas brasileiras de pequeno porte de marcenaria ainda é
insignificante, diferente do que ocorre, por exemplo, nos Estados Unidos e Europa
(ABREU, 2020).

b) No planejamento das necessidades de matéria prima (chapas de madeira), existem


softwares que permitem um trabalho de racionalização do corte da madeira,
maximizando a utilização da chapa no momento do corte, reduzindo as perdas/sobras a
uma quantidade mínima, alguns softwares também possibilitam o cadastramento das
partes que sobraram para aproveitamento futuro, reduzindo o estoque de retalhos na
marcenaria (ABREU, 2020).
Quanto à área industrial, a empresa de marcenaria pesquisada respondeu que
dispõe de ferramentas manuais e elétricas, tanto para a fabricação, quanto para a
instalação dos móveis na casa do cliente. No que se refere a equipamentos estacionários,
a esquadrejadeira (realiza cortes longitudinais e acabamento em todos os tipos de
madeira) está em todas as marcenarias, por tratar-se de equipamento mais simples e de
pouco investimento.
Um número reduzido dispõe de equipamentos mais sofisticados de corte e
acabamento das peças, como é o caso da seccionadora (equipamento que utiliza lâminas
para corte em diferentes direções, aumentando a produtividade da marcenaria), por
33

tratar-se de equipamento de alto investimento, exige a necessidade de alta produção para


justificar a viabilidade econômica.
A esquadrejadeira , representada na figura 16, é um equipamento que não garante
a precisão no corte pela falta de controles de alimentação das chapas de madeira,
entretanto, as seccionadoras, conforme figura 17, por trabalharem com tecnologia mais
moderna para o corte, garante precisão e produtividade.

Figura 16: Serra esquadrejadeira 2 (Fonte: Loja do mecânico)

Figura 17: Seccionadora Horizontal e Vertical – produz cortes na direção vertical e horizontal
(Fonte: http://www.faccamp.br/)

A coladeira de borda (realiza o acabamento completo das peças, colando,


refilando, destopando, raspando e dando o polimento nas fitas de borda que podem ser de
PVC ou ABS).
Abaixo segue o modelo na figura 18 da colagem e usinagem dela na figura 19:
34

Figura 18: Coladeira da borda 2 (Fonte: http://www.faccamp.br/)

Figura 19: Usinagem (Fonte: http://www.faccamp.br/)

Pode-se constatar, que a empresa realiza uma série de tratamento e acabamento


em uma determinada peça, como fresar, furar, cortar automaticamente, sendo que, o
funcionário somente coloca a peça bruta e retira da máquina a peça acabada, os
equipamentos estacionários que realizam diversos furos, por exemplo, em portas,
aumentando a produtividade da marcenaria).
Na solução final com a implantação de equipamentos automatizados na empresa
pesquisada, pudemos ver, que foi resolvido o problema que a empresa enfrentava na
fabricação de seus móveis, na otimização da entrega e qualidade, adquirindo assim a
satisfação de seus clientes.
35

Abaixo segue a figura 20 mostrando o resultado final do produto da empresa


pesquisada.

Figura 20: Produto final – Cozinha planejada ( Fonte: Eder Biazon – Engenharia Civil)

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

É concluído nesse relatório final que transformação de processos é extremamente


necessária para diversos tipos de indústria, e o processo de automação trouxe muita
eficiência para diversos ramos, além de melhoria de vida no trabalho para os
trabalhadores e seus gestores.

Processos automatizados são mais fáceis de monitorar e controlar, podemos


também reduzir os erros na linha de produção, reduzir custos e melhorar a qualidade dos
produtos no geral. É notado que a automação está como uma realidade presente e
necessária para que as empresas tenham condições de competir com seus concorrentes.
36

Na marcenaria, que antes fora um ramo que exigia grande nível de trabalho
braçal, é um bom exemplo que podemos implementar a transformação de processos em
ramos ainda mais antigos e tradicionais.

REFERÊNCIAS

ABREU, A. Terceirização no processo de produção – estudo de caso em micro empresas


de marcenaria. Nov. 2017. Disponível em:
<http://www.faccamp.br/new/arq/pdf/mestrado/Documentos/producao_discente/ArmandoAb
reu.pdf> Acesso em 04/11/2020

JK MADEIRAS .Automatizar é preciso: benefícios de usar tecnologia na sua


marcenaria. Mar. 2020. Disponível em < https://jkmadeiras.com.br/automatizar-e-preciso-
beneficios-de-usar-tecnologia-na-sua-marcenaria/ > Acesso em 25/09/2020

LEÃO, M. S.; NAVEIRO, R. M. Fatores de competitividade da indústria de móveis de


madeira no Brasil, Revista da Madeira. Ago. 2009. Disponível em <
http://www.remade.com.br/br/revistadamadeira_materia.php?num=1375&subject=M
%C3%B3veis&title= > Acesso em 17/11/2020

LEO MADEIRAS. Confira os melhores programas para desenhar móveis. Mar 2020.
Disponível em < https://blog.leomadeiras.com.br/programas-para-desenhar-moveis/ >
Acesso em 16/11/2020

LISBOA, V. Marcenaria moderna: como e por que investir na automatização. Dez.


2012. Disponível em < https://www.marcenariaeficiente.com.br/gestao-da-
marcenaria/marcenaria-moderna/ > Acesso em 02/10/2020

LIU, N.; ROTH, A. V.: RABINOVICH, E. Antecedents and consequentes of combinative


competitive capabilities in manufactureing. International Journal of Operations &
Production Mnagent, v.31,n. 12, p. 12501286, 2011.
37

MEGA MOVELEIROS. Promob apresenta softwares para maior rentabilidade. Out.


2015. Disponível em: <http://www.megamoveleiros.com.br/promob-apresenta-softwares-
para-maior-rentabilidade/> Acesso em 17/11/2020

MOLINARI, V .Descubra qual o significado de marcenaria. Ago, 2017. Disponível em <


https://blog.d3decor.com.br/descubra-qual-o-significado-de-marcenaria/ > Acesso em
04/10/2020

PORTER, Michael. Os caminhos da lucratividade - como implementar uma verdadeira


vantagem competitiva, HSM. Mar. 1997. Disponível em <
https://www.catho.com.br/curso/elearning/biblioteca/adm/porter_vantagem_competitiva.pdf
> Acesso em 17/10/2020

PROMOB, F. Maquinário para marcenaria: 7 itens indispensáveis em seu negócio. Jan.


2020. Disponível em < https://blog.promob.com/maquinas-para-marcenaria-itens-
indispensaveis/ > Acesso em 03/10/2020

SILVA, Maclovia C. da; et al. Breve panorama da indústria moveleira: mercado, design
e meio ambiente, Univ. Tecnológica do Paraná, 2003. Disponível em <
http://revistas.utfpr.edu.br/pb/index.php/revedutec-ct/article/view/1941 > Acesso em
17/10/2020

YIN, Robert K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos, 5th edição. Bookman, 2001.
Disponível em < https://saudeglobaldotorg1.files.wordpress.com/2014/02/yin-
metodologia_da_pesquisa_estudo_de_caso_yin.pdf > Acesso em 17/11/2020

Você também pode gostar