Você está na página 1de 26

A DOCUMENTAÇÃO DE OBJETOS

MUSEOLÓGICOS
https://brokenships.com/
Objetivos do Museu

O “Sabe-se que é premissa básica das


instituições museológicas realizar ações
voltadas para a preservação, a investigação e
a comunicação dos bens culturais. Em sentido
amplo, o ato de preservar inclui a coleta,
aquisição, o acondicionamento e a
conservação desses bens; a missão de
comunicar se realiza por meio das exposições,
publicações, projetos educativos e culturais; e
o exercício de investigar permeia todas as
atividades de um museu, fundamentando-as
cientificamente.
Museu
O Conforme o Estatuto Brasileiro de Museus − Lei nº
11.904/2009, é considerado museu a instituição
sem fins lucrativos que conserva, investiga,
comunica, interpreta e expõe, para fins de
preservação, estudo, pesquisa, educação,
contemplação e turismo, conjuntos e coleções de
valor histórico, artístico, científico, técnico ou de
qualquer outra natureza cultural, aberta ao público,
a serviço da sociedade e de seu desenvolvimento.
O O museu é uma instituição colecionadora que organiza
suas coleções conforme a natureza e a finalidade
específica a que se destinam, e que tem por objetivo
fundamental realizar ações de salvaguarda, pesquisa e
comunicação de bens culturais materiais e imateriais que
integram seu acervo. O museu possui função social,
cultural e de pesquisa. Seu acervo consiste em criações
artísticas, bens materiais criados pelas comunidades
e/ou em formas de expressões culturais e tradições
preservadas por um grupo. A organização estrutural e
funcional dessa instituição é baseada em métodos e
técnicas específicas, visando à melhor forma de
documentar, conservar e divulgar os procedimentos
realizados, tendo em vista sua variedade tipológica de
acervo.
Sistema de documentação
museológica
O Cabe ao sistema de documentação museológica gerir e
organizar seu acervo a partir da entrada, quando são
realizados os procedimentos de seleção e aquisição;
da organização e controle, referentes aos processos de
registro, número de identificação/marcação,
armazenagem/localização, classificação/catalogação
e indexação; e das saídas, momento da recuperação e
disseminação da informação (FERREZ, 1994).
Questões
O O que é documento?
O Qual a importância do documento no
contexto da organização da informação?
Por que?
O Qual é o diferencial do documento para
o profissional museólogo? Por quê?
Aspectos a serem
observados
Onipresença na vida (necessidade de precisar o que ele é)
Transformações do documento
Mudanças no aspecto material, no tratamento cognitivo,
percepção e uso.
Objeto entrelaçado por ferramentas,saberes, estatutos
Perda da estabilidade do documento como objeto material,
Mudanças na materialidade
informacional
A partir das alterações ocorridas na

materialidade textual, teve início o


apagamento de um dos critérios que nos
permitia distinguir, hierarquizar e classificar
os discursos disseminados: o suporte físico.
O formato eletrônico, ao relativizar o papel
do suporte, rompeu com as possibilidades
de identificação das unidades textuais a
partir da forma, passando a exigir novas
habilidades tanto para construir os discursos
quanto para assimilá-los. ( MOURA, 2009:
p. 28)
Objetos museológicos
O “objetos / documentos são suportes de
informação, o grande desafio de um museu
é preservar o objeto e a possibilidade de
informação que ele contém e que o qualifica
como documento”
O A partir dos anos 70 e 80 extrapola-se a
ideia de objeto tridimensional e inclui-se
também as manifestações intangíveis.
Objeto Museológico
O Documento portador de informação;
O Todo objeto pode ser potencialmente um objeto
museológico, porém o que o elevará a essa categoria
é a análise que a instituição fará no momento em que
ele for adquirido.
O São muitos os motivos que levam os museus a
salvaguardarem os objetos em seu acervo: por ser
raro, pela sua fabricação, pelo valor científico e
cultural, pela preciosidade do material ou pela sua
antiguidade.
Objeto Museológico
O Ao longo de sua trajetória, perde e ganha
informações como consequência de sua
funcionalidade, de seu uso, reparo e de sua
deterioração. Quando introduzido na instituição
museológica, inicia uma nova história, que deverá
continuar a ser documentada (FERREZ, 1994).
O passa a ser descrito sob duas circunstâncias: sua
vida útil antes de fazer parte do museu e depois,
quando ganha novos usos e sentidos dentro do
espaço de salvaguarda.
O acervo museológico
O é formado por objetos bi ou tridimensionais, de
ampla variedade tipológica, podendo ser de cunho
etnográfico, antropológico, arqueológico, artístico,
histórico, tecnológico, imagético, sonoro, virtual, de
ciências naturais, entre outros.
Informação e documento
“Informação é uma abstração, mas os

documentos que a contêm estão expressos em


algum meio” Svenonius (2000, p.8)
●Os documentos são suportes de mediação que
tornam possível a expressão, a comunicação e a
conservação de informações. Stockinger (1999)
●Um documento dá um estatuto (condição) a uma
informação - signo materializado. (Pédauque –
2004)
Dispositivo
●Conjunto heterogêneo que inclui
virtualmente os discursos, as
instituições, as leis, as proposições
filosóficas em uma rede de relações de
poder e saber. (Agamben, 2007)
Documento
« Todo índice concreto ou simbólico,
conservado ou registrado, com o fim de
representar, de reconstituir ou de provar um
fenômeno
físico ou intelectual »

Suzanne Briet
Documento
O É qualquer objeto produzido pela ação humana ou pela natureza,
independentemente do formato ou suporte, que possui registro
de informação. O documento pode representar uma pessoa, um
fato, uma cultura, um contexto, entre outros. Ele se caracteriza
como algo que prova, legitima, testemunha e que constitui de
elementos de informação. Ao ser criado, o documento apresenta
forma e função, características essas que irão estabelecer suas
possibilidades de uso e de salvaguarda posterior.
Documento
O A origem, o formato e a sua funcionalidade são fatores que,
muitas vezes, determinam se ele será documento de
arquivo, biblioteca ou museu. Ao ser pesquisado, o
documento permite a extração das informações intrínsecas
e extrínsecas, ao mesmo tempo que novos usos e
significados podem ser construídos. O documento é
suporte que evidencia algo a alguém e que, ao passar por
um processo técnico específico, manifesta seu potencial
informativo. Ele é o meio que nos traz a informação e,
assim, permite que o indivíduo produza conhecimentos
diversos.
Documento
● “Objeto que fornece um dado ou uma informação.
É o suporte material do saber e da memória da
humanidade” (Guinchat, 1994)
●Arquivologia: “Value as evidence” and “value as
information” (evidência e informação)
●Pédauque:construção multidisciplinar do conceito

documento, principalmente pela necessidade de


conceituar documento eletrônico.
●“um suporte de uma certa matéria e dimensão
(...) em que se incluem signos representativos de
certos dados intelectuais" (Otlet, 1996, p. 43).
Referências
AGAMBEN, Giorgio. Qu’est-ce qu’un dispositif?. Paris: Payot e
Rivages, 2007.
GUINCHAT, C., MENOU, M., Os tipos de documentos. In:
Introdução geral às ciências e técnicas da informação e
documentação. Brasília: IBICT, 1994.
OTLET, P. El Tratado de Documentación: el libro sobre el libro:
teoría y práctica. Trad. por Maria Dolores Ayuso García.
Murcia: Universidad de Murcia, 1996. Tradução de: Traité de
Documentation: le livre sur le livre: théorie et pratique.
Bruxelles: Mundaneum, 1934. 431 p. Versão original disponível
em:
<http://lib.ugent.be/fulltxt/handle/1854/5612/Traite_de_docume
ntation_ocr.pdf> PÉDAUQUE, R.T., Documento: forma, signo y
medio, re-formulacionesde lo digital
http://archivesic.ccsd.cnrs.fr/docs/00/06/24/58/PDF/sic_000011
60.pdf
STOCKINGER, Peter. Les nouveaux produits d’ information:
conception et sémiotique du document. Paris : Hermes, 1999.
SVENONIUS, Elaine. The intellectual foundation of information
organization. Cambridge, Mass.: MIT Press, 2000.

Você também pode gostar