Você está na página 1de 3

Prova: ( ) AP ( ) AE ( x ) APR ( ) PRF

Curso: Ensino Médio Data:


Disciplina: Literatura – 1° ANO
Professor: Márcia Mattos
Aluno:
GBM: 10 APRES: GBO: Nota:
1) A obra de Gregório de Matos — autor que se destaca na literatura barroca brasileira — compreende:

(A) Poesia épico-amorosa e obras dramáticas. (D) Poesia confessional e autos religiosos.
(B) Poesia satírica e contos burlescos. (E) Poesia lírica e teatro de costumes
(C) Poesia lírica, de caráter religioso e amoroso, e
poesia satírica.
.
2) Considere as seguintes afirmações sobre o Barroco brasileiro:

I. A arte barroca caracteriza-se por apresentar dualidades, conflitos, paradoxos e contrastes, que convivem
tesamente na unidade da obra.
II. O conceptismo e o cultismo, expressões da poesia barroca, apresentam um imaginário bucólico sempre povoado
de pastoras e ninfas.
III. A oposição entre reforma e contrarreforma, expressa, no plano religioso, os dilemas de que o Barroco se ocupa.

Quais estão corretas? (A) Apenas I. (B) Apenas II. (C) Apenas III. (D) Apenas I e III. (E) I, II e III.

3) A partir de duas figuras proeminentes do Barroco brasileiro, identifique a que autor se refere cada uma das
afirmações a seguir: 1- Gregório de Matos 2- Pe. Antônio Vieira

( ) Satirizando a sociedade da época, este advogado/poeta baiano do século XVII abordou também em sua poesia
temas sacros e líricos.
( ) Orador sacro famoso na Bahia do século XVII, foi também conselheiro do rei de Portugal. Em seus sermões,
defendeu os índios e criticou os costumes dos colonos.
( ) Com retórica bem trabalhada, usava uma linguagem rebuscada, com silogismos e figuras de linguagem, tendo sido
predominantemente conceptista, abordando questões morais e políticas.
( ) foi denominado Boca do Inferno devido a seu humor cáustico e contundente, expresso nos poemas satíricos.

A sequência correta é: (A) 1,2,2,1 (B) 2,2,1,1 (C) 1,1,2,2 (D) 2,1,1,2 (E) 1,2,1,2

4. (UFSM 99) Leia a estrofe de Gregório de Matos: "Ardor em firme coração nascido; pranto por belos olhos derramado;
incêndio em mares de água disfarçado; rio de neve em fogo convertido." Assinale a alternativa em que os dois versos
indicados apresentam metáforas de lágrimas.

(A) versos 1 e 2 // (B) versos 2 e 4 // (C) versos 2 e 3 // (D) versos 3 e 4 // (E) versos 1 e 3

5. Assinale a alternativa INCORRETA.

(A) Na obra de José de Anchieta, encontram-se poesias seguindo a tradição medieval e textos para teatro com clara
intenção catequista.
(B) A literatura informativa do Quinhentismo brasileiro empenha-se em fazer um levantamento da terra, daí ser
predominantemente descritiva.

1
(C) A literatura seiscentista reflete um dualismo: o ser humano dividido entre a matéria e o espírito, o pecado e o
perdão.
(D) O Barroco apresenta estados de alma expressos através de antíteses, paradoxos, interrogações.
(E) O Conceptismo caracteriza-se pela linguagem rebuscada, culta, extravagante, enquanto o Cultismo é marcado pelo
jogo de ideias, seguindo um raciocínio lógico, racionalista.

6. Assinale a alternativa INCORRETA.

(A) Em seus sermões, de estilo conceptista, o Padre Antônio Vieira segue os moldes da parenética medieval.
(B) Caracteriza o Barroco a tentativa de unir os valores medievais aos renascentistas.
(C) O poema épico Prosopopeia é considerado o marco inicial do Barroco no Brasil.
(D) Apesar de conhecido como poeta satírico, Gregório de Matos também escreveu poesia lírica e religiosa.
(E) O cultismo caracteriza-se como uma sequência de raciocínios lógicos, usando uma retórica aprimorada, que
despreza a linguagem rebuscada.

7. (UEL 95) Assinale a alternativa cujos termos preenchem corretamente as lacunas do texto inicial.
Como bom barroco e oportunista que era, este poeta de um lado lisonjeia a vaidade dos fidalgos e poderosos, de outro
investe contra os governadores, os "falsos fidalgos". O fato é que seus poemas satíricos constituem um vasto painel
________________, que __________________ compôs com rancor e engenho ainda hoje admirados pela
expressividade.
(A) do Brasil do século XIX - Gregório de Matos
(B) da sociedade mineira do século XVIII - Cláudio Manuel da Costa
(C) da Bahia do século XVII - Gregório de Matos
(D) do ciclo da cana-de-açúcar - Antônio Vieira
(E) da exploração do ouro em Minas - Cláudio Manuel da Costa.

8. (FUVEST-SP) O bifrontismo ou a dualidade do homem, santo e pecador; o impulso pessoal prevalecendo sobre
normas ditadas por modelos; o culto do contraste; a riqueza de pormenores – são traços constantes da:

(A) composição poética parnasiana. (D) poesia barroca.


(B) poesia simbolista. (E) poesia condoreirista.
(C) produção poética arcádica de inspiração bucólica.
9. “Basta, senhor, que eu, porque roubo em uma barca, sou ladrão, e vós, porque roubais em uma armada, sois
imperador? Assim é. O roubar pouco é culpa, o roubar muito é grandeza: o roubar com pouco poder faz os piratas, o
roubar com muito, os Alexandres… O ladrão que furta para comer, não vai nem leva ao inferno: os que não só vão, mas
que levam, de que eu trato, são os outros – ladrões de maior calibre e de mais alta esfera… Os outros ladrões roubam
um homem, estes roubam cidades e reinos; os outros furtam debaixo de seu risco, estes, sem temor nem perigo; os
outros se furtam, são enforcados, estes furtam e enforcam.” (Sermão do bom ladrão, Vieira)

Em relação ao estilo empregado por Vieira neste trecho pode-se afirmar:

(A) O autor recorre ao Cultismo da linguagem com o intuito de convencer o ouvinte e por isto cria um jogo de imagens.
(B) Vieira recorre ao preciosismo da linguagem, isto é, através de fatos corriqueiros, cotidianos, procura converter o
ouvinte.
(C) Padre vieira emprega, principalmente, o Conceptismo, ou seja, o predomínio das ideias, da lógica, do raciocínio.
(D) pregador procura ensinar preceitos religiosos ao ouvinte, o que era prática comum entre os escritores gongórico/
barrocos.

10. Assinale a alternativa em que consta um autor que não participou do barroco brasileiro:
(A). Gregório de Matos e Bento Teixeira
(B). Gregório de Matos (na poesia); Padre Antônio Vieira (na prosa); Bento Teixeira;
2
(C). Gregório de Matos ( na prosa) e Padre Antônio Vieira (na poesia); Padre José de Anchieta.

Você também pode gostar