Você está na página 1de 27

O PARADIGMA HUMANISTA

“ 3ª força”(1960)
Abraham Maslow
Carl Rogers

Adelaide Claudino 1
Teoria Humanista
• Crença fenomenológica (percepção individual dos
acontecimentos)

• Focu na fenomenologia, na experiência consciente,


individualidade

• Acreditam no poder pessoal, criativo.

• Acreditam que o significado é importante

• Ênfase em todos os factores relevantes para a condição


humana.

Adelaide Claudino 2
O que é a psicologia humanista?
• O comportamento humano é determinado
pela percepção individual do meio (todo)
• O indivíduo não é apenas produto do meio
(sentimentos e auto-imagem)
• Os indivíduos são internamente
direccionados e motivados para o
preenchimento do potencial humano
(escolhas v.s. Respostas;Instintos )

Adelaide Claudino 3
Origem e Evolução
• Idade Média (nascimento da filosofia
humanista)
• Psicologia humanista moderna (1950):
reacção ao comportamentalismo e
psicanálise (normal v.s. patológico)
• Pessoas como todo organizado, num meio
• Campo psicológico vital (sec. 20)

Adelaide Claudino 4
No entanto,
 Quanto à natureza Humana...

– Os existencialistas consideram-na como não


existente ou neutral

– Os humanistas consideram-na como


essencialmente boa

Adelaide Claudino 5
 Optimismo v.s pessimismo

 Os existencialistas tendem a ser mais


pessimistas

 Optimismo humanista sobre a


humanidade e o futuro

Adelaide Claudino 6
O existencialismo de Abraham
Maslow (1908-1970)
“I do not think we need to take too
seriously the European
existentialists’ harping on dread,
anguish, despair, and the like,
for which their only remedy
seems to be a stiff upper lip.
This high IQ whimpering on a
cosmic scale occurs whenever
an external source of values
fails to work.

Adelaide Claudino 7
(...)
They should have learned from the
psychotherapists that the loss of
illusions and the discovery of identity,
though painful at first, can ultimately be
exhilarating and strengthening.”
(Maslow)

Adelaide Claudino 8
Auto-actualização: o que é?
• Cada pessoa possui uma tendência inata
em direcção à actualização (Maslow,
1970)
• Desenvolvimento completo das nossas
capacidades e realização do nosso
potêncial

Adelaide Claudino 9
Os cinco tipos de necessidades de
Maslow
 Fisiológicas
 Segurança
 Amor e pertença
 Estima
 Auto-actualização
 Conhecimento e de comprensão
 Estéticas

Adelaide Claudino 10
Hierarquia de Necessidades
Básicas de Maslow (1970)
Auto-actualização

Estima

Amor e pertença

Segurança

Fisiológicas

Adelaide Claudino 11
Necessidades Fisiológicas
• Necessidades de comida, água, ar, etc.
• Necessidades das mais “preponderantes”
• Só após a satisfação destas nos
podemos focar nas de ordem superior
• A investigação comportamental estuda a
este nível.

Adelaide Claudino 12
Necessidades de Segurança
• Segurança, ordem, etc.
• Após as necessidades fisiológicas serem
satisfeitas
• Mais comum nas crianças
• Observada em alguns problemas mentais
(e.g., Perturbação Obsessivo-Compulsiva,
Perturbações de Ansiedade, Desordens
de Personalidade)
Adelaide Claudino 13
Necessidades de pertença e amor
• Afiliação, por amigos, família, identificação
com grupos, relações íntimas
• Podem não ser satisfeitas em alguns
Países
• O não cumprimento destas pode levar a
perturbações mentais (depressão,
Distúrbios de Personalidade borderline)
• Dar e receber amor

Adelaide Claudino 14
Necessidades de Estima
• Estima pelo próprio e pelos outros (não
apenas a “auto-estima”)
• Forma-se com sentimentos de
competência, adequação, confiança,
independência
• Idealmente consegue-se com o respeito
dos outros

Adelaide Claudino 15
Necessidades de auto-actualização
• A pessoa deve actualizar o que existe
nela, como potêncial.
• Autores que não consideram uma
necessidade
– Freud considera que as necessidades devem
terminar antes
– Adler considera que as necessidades
terminam na estima

Adelaide Claudino 16
Desejo de compreensão e
conhecimento

• Um tipo diferente das necessidades


básicas
• Conseguir
• Desejo próprio

Adelaide Claudino 17
Necessidades estéticas
• Ordem, simetria, fechamento
• Parecem universais nas crianças
• Presentes em todas as culturas
• A relação com as outras não é clara

Adelaide Claudino 18
Pessoas psicologicamente
saudáveis?
• Percepção objectiva da realidade
• Dedicação ao trabalho
• Experiências misticas
• Criatividade interesse social
• Simplicidade
• Etc...

Adelaide Claudino 19
Carl Rogers (1902-1987) Terapia
centrada na pessoa
• “In a psychological
climate which is nurturant
of growth and choice, I
have never known an
individual to choose the
cruel or destructive
path….it is cultural
influences which are the
major factor in our evil
behaviors.”

Adelaide Claudino 20
Terapia centrada na pessoa

• Processo de auto-actualização (inata;


incrementada pelas expas infância)
• Deriva do estudo de doentes do foro psicológico
• Responsabilização do cliente para a mudança,e
não no terapêuta (psicanálise ortodoxa)
• Mudança consciente e racional dos
pensamentos e comportamentos (desejável)
• Personalidade modelada pelo presente e pela
percepção consciente.
Adelaide Claudino 21
Rogers: Condições necessárias e
suficientes para a mudança
psicoterapêutica

• Congruência do terapêuta

• Olhar incondicional positivo (satisfação na


interacção mãe-filho) v.s. rejeição

• Compreensão empática

Adelaide Claudino 22
Papel do “self” no pensmento
humanista
• Mecanismos do pensamento humano
• O que é que a pessoa conhece e como o modo
como pensa, acredita, interpreta o
comportamento afectivo
• “self”- comportamento-estado emocional- bem-
estar
• “Self”: esquema ou conjunto de proposições e
descrições de si mesmo que orientam a
selecção e interpretação de nova informação
(Houston,Hammer, Padill e Bee, 1989)

Adelaide Claudino 23
Papel do “self” no pensamento
humanista
• Esquema- padrão de comparação de
informação
• A informação pode ser interpretada para
caber no esquema pessoal
Exemplo:Esquema da Maria
Crença- “não é atraente e é importante
casar para se sentir bem”
Se o namorado decidir acabar a relação
com ela?
Adelaide Claudino 24
Papel do “self” no pensmento
humanista
• Interpretação: “não sou atraente”
“Ficarei sózinha para sempre”
Conclusão:
Os auto-esquemas – actuam na informação,
constrõem e transformam o que é
significativo para si mesmo.

Adelaide Claudino 25
Críticas
• Conceitos vagos
• Ideias subjectivas (e.g., autenticidade e
experiencias pessoais) são de difícil
objectividade
• Não é uma ciência porque envolve senso
comum.
• Difícil generalização

Adelaide Claudino 26
Aspectos positivos
• Escolha individual e responsabilidade
• Ideais e satisfação pessoal
• Observação da pessoa em contexto
(percepções e sentimentos pessoais)
• Educação (sentimentos, auto-avaliação)
• Clínica

Adelaide Claudino 27

Você também pode gostar