Você está na página 1de 2

JUSTIFICATIVA

A Justificativa de um projeto acadêmico, técnico ou cientifico, trata-se de destacar a


relevância e o porquê tal pesquisa deve ser realizada. A pesquisa deve articular a relevância
intelectual e prática do assunto investigado à experiência do investigador (quem elabora o projeto).
A Justificativa deverá exaltar a importância do tema a ser estudado e a necessidade de se levar
adiante tal empreendimento. Consiste numa exposição sucinta, porém completa, das razões de
ordem teórica e dos motivos de ordem prática que tomam importante a realização da pesquisa.
Não existe um modelo padrão, mas recomenda-se a utilização de citações de outros autores
para que ocorra um ponto de encontro com as pesquisas científicas na mesma linha do tema
escolhido e a sua proposta. O diálogo com autores ou correntes interpretativas sobre o tema deve ser
um dos pontos mais importantes para dar credibilidade ao seu texto e garantir a existência
comprovada de uma boa base de estudos sobre o tema em questão.
Algumas perguntas que podem ajudar a responder esta questão:
 Qual a importância desse problema/questão para a comunidade?
 Existem outros projetos semelhantes sendo desenvolvidos nessa região ou nessa
temática?
 Qual a possível relação e atividades semelhantes ou complementares entre eles e o
projeto proposto?
 Quais os benefícios econômicos, sociais e ambientais a serem alcançados pela
comunidade e os resultados para a região?

De um modo geral, uma Justificativa de TCC apresenta quatro partes fundamentais:


 O porquê (motivo pelo qual este tema foi escolhido, antecedentes e contextualização
do problema),
 O que (qual a função do projeto, soluções e impactos),
 Quem (público alvo da obra, que pessoas serão beneficiadas com a pesquisa),
 Base (fonte de informações onde seu trabalho está baseado).
REFERENCIAL TEÓRICO

Este item consiste em realizar uma revisão dos trabalhos já existentes sobre o tema
abordado, que pode ser em livros, artigos, enciclopédias, monografias, teses, filmes, mídias
eletrônicas e outros materiais cientificamente confiáveis. O referencial teórico permite verificar o
estado do problema a ser pesquisado, sob o aspecto teórico e de outros estudos e pesquisas já
realizados.
O referencial teórico é que possibilita fundamentar, dar consistência a todo o estudo. Tem a
função de nortear a pesquisa, apresentando um embasamento da literatura já publicada sobre o
mesmo tema, demonstrando que o(a) pesquisador(a) tem conhecimento suficiente em relação a
pesquisas relacionadas e a tradições teóricas que apoiam e cercam o estudo.
Faz-se muito importante tomar cuidado, ao realizar as citações, para que não se torne apenas
uma cópia de ideias, mas, sim compreendam uma análise sobre o tema, incluindo frases ou palavras
próprias do autor da pesquisa.
O marco teórico conceitual é o momento de diálogo com a sua teoria/método, bem como
com as contribuições teóricas existentes sobre o tema.
Neste tópico o pesquisador deve fazer suas escolhas, explicitar a base teórica da sua
pesquisa, essa definição é a base de sustentação do seu trabalho. Esta deve permitir que a realidade
social seja reconstruída enquanto objeto do conhecimento, por meio de um processo de
categorização. Pode-se optar por não explicitar o referencial teórico-metodológico, mas deixá-lo
implícito por meio da discussão empreendida sobre as categorias utilizadas. Estando ou não
explícito, a maneira como se faz a discussão, os pressupostos que o pesquisador toma e as próprias
categorias que utiliza apontam para o seu referencial teórico-metodológico.
Trata-se de embasar o problema de pesquisa em um corpo de conhecimentos. “Isto implica
analisar e expor os elementos teóricos gerais e particulares que se entende serem pertinentes para
orientar o processo de pesquisa”.
Neste item é imprescindível a definição clara dos pressupostos, categorias e conceitos a
serem utilizados. Os conceitos são as vigas mestras da teoria. Além desses elementos, pode-se
inserir evolução e/ou contexto histórico, princípios, teorias, modelos entre outros.
É preciso construir um diálogo entre a teoria e o problema a ser investigado. Esse diálogo
pode trazer alguns elementos conceituais ou realizar uma análise histórica do fenômeno,
dependendo do marco teórico que embasa nosso conhecimento.

Você também pode gostar