Você está na página 1de 2

O Bracelete da Salvação

enviar esta mensagem a um amigo | imprimir esta mensagem

O bracelete da salvação é uma pulseira com contas coloridas,


cada uma representando uma situação espiritual no plano da
salvação. Comumente, após explicar o que cada cor representa, o
evangelizador presenteia seu ouvinte com a pulseira. Em muitos
casos a pessoa recebe também um pequeno folheto com um
resumo do significado das cores. Esta ferramenta de
evangelização é principalmente utilizada com crianças e
adolescentes, mas pode ser efetiva também na evangelização de
adultos.

Origem do bracelete
Esta interessante ferramente evangelística é uma aplicação moderna do livro sem palavras.
De acordo com a Wikipedia [Veja Wordless Book] as evidências apontam para o evangelista
Charles Haddon Spurgeon como criador da evangelização com cores, a partir de uma
mensagem dada, em 11 de janeiro de 1866, para algumas centenas de órfãos, quando falou
sobre “lava-me, e ficarei mais branco do que a neve” Sl 51:9. Spurgeon usava apenas três
cores: Preto – representando o estado de pecado da humanidade – normalmente referida
como a página escura; Vermelho – representando o sangue de Jesus; Branco –
representando a perfeita justiça de Deus dada aos que crêem através do sacrifício de Jesus.

Cerca de 1880, este esquema de cores já era largamente utilizado em orfanatos, Escola
Dominical e em missões transculturais. O não menos conhecido pregador Dwight Lyman
Moody incluiu, em 1875, uma nova cor: dourado (amarelo) representando o céu. O
missionário Hudson Taylor e seus cooperadores na Missão para o interior da
China usaram o esquema com quatro cores para evangelização ao ar livre e evangelização
individual na China. Mais recentemente a Child Evangelism Fellowship (APEC no Brasil)
dinamizou o uso em formato de livro e incluiu uma quinta cor: verde – representando a
necessidade de crescer em Cristo depois da salvação.

Várias formas
Há muitas maneiras de apresentar a mensagem do evangelho e os braceletes variam
ligeiramente em sua composição para acompanhá-las. A maneira mais tradicional utiliza as
cinco cores: Dourado/ Amarelo – Deus preparou o céu para nós Ap. 21:21b ou Deus criou um
mundo perfeito e as pessoas para viver em comunhão com Ele; Preto/ Escuro – O pecado
nos separa de Deus e nos tira do céu Rm 3:23 e 6:23; Vermelho – Jesus derramou seu
sangue na cruz para pagar por nossos pecados Rm 5:8 e 1Pe 3:18a; Branco – Se nós
aceitarmos Jesus e deixarmos os pecados, nosso coração fica limpo Jo 1:12e Rm 10:9; Verde
– Depois de crer e receber o que Jesus fez, nós precisamos crescer em nosso relacionamento
com Ele através da leitura da Bíblia, da oração e da comunhão em uma igreja onde a Bíblia
é ensinada Mt 18:20 e Jo 1:7.

Uma forma mais complexa inclui uma sexta cor (azul) e três nós na exposição: Primeiro nó –
nascimento; Amarelo – Deus nos ama e deseja se relacionar conosco Jo 3:16; Preto – o
pecado é o que nos separa de Deus – nós escolhemos desobedecer a Deus Rm 3:23;
Vermelho – Jesus morreu na cruz e levantou da sepultura, pagando o preço pelos nossos
pecados – Ele proveu o único caminho para Deus Rm 5:8; Segundo nó – este nó representa
uma decisão que devemos fazer – aceitar Cristo Rm 10:9; Branco – quando nos tornamos
cristãos, Deus nos limpa de tudo o que é errado e nos lava até ficarmos brancos como a
neve 1Jo 3:5 e Is 1:18; Azul – um de nossos primeiros atos de obediência é confessar nossa
fé publicamente através do batismo At 2:41; Verde – precisamos crescer em todas as áreas
de nossa vida, sempre olhando para Jesus como nosso exemplo 2Pe 3:18; Terceiro nó – a
morte já não nos traz medo quando somos cristãos, porque temos um lar eterno com Deus
nos céus 1Jo 5:12-13.

Problemas e soluções
O bracelete da salvação foi uma das primeiras ferramentas oferecidas pela AMME no ano
2.000. Cerca de 5.000 unidades foram distribuídas. Este trabalho foi descontinuado por dois
motivos culturais: Primeiro, o uso da cor preta para o pecado pode ser mal interpretado em
um contexto de sensibilidade étnica, suscitando uma indesejável polarização racial,
principalmente quando o branco é usado para o bem. A AMME procurou evitar isso,
substituindo em alguns materiais o preto pelo cinza – o pecado é cinza como um dia sem
luz. Em segundo lugar, várias igrejas apresentaram objeção no uso do bracelete com contas
coloridas, por causa da similaridade com as contas utilizadas nas religiões brasileiras de
origem africana.

Recentemente a AMME criou e ensinou a utilizar o bracelete da PAZ, um interessante


recurso para tratar de um tema de alta sensibilidade. O bracelete da PAZ segue o mesmo
princípio de se oferecer um presente às pessoas e baseia-se em um acróstico das palavras
Perdão, Amor, Zelo – três aspectos necessários para que haja paz.

O Bracelete da Salvação pode ser uma ótima ferramenta em campanhas de evangelização e


na evangelização individual. Pode funcionar ainda melhor quando um grande número de
crentes se interessa em produzir e utilizar os braceletes ao mesmo tempo. Para utilizá-lo,
cada evangelizador deve animar-se a decorar os versículos relacionados com a cor e ensaiar
previamente com outro cristão a apresentação. Para fazer o bracelete, hoje encontram-se
em lojas de artigos para montagem de bijuterias uma infinidade de contas coloridas e
cordões de todos os tipos.