Você está na página 1de 66

Release de

Resultados
3T21

Teleconferência
12/11/2021, sexta-feira

12h EST / 14h BRT


Em português com tradução simultânea para o inglês.
Receita recorde no 3T21 apesar do efeito de queda da COVID-19
Execução do Plano de Negócio em andamento
São Paulo, Brasil, 11 de novembro de 2021 - Dasa (B3: DASAS3, “a Companhia”), o maior ecossistema de saúde do Brasil,
anuncia hoje os resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre encerrado em 30 de setembro de 2021.

As informações financeiras e operacionais a seguir são apresentadas em base gerencial e consolidada e estão deacordo
com os princípios e as práticas contábeis adotadas no Brasil. Os valores estão expressos em reais (R$), salvo quando
indicado de modo diferente.
Destaques do 3Q21 e 9M21
• A receita bruta no 3T21 totalizou R$2,9 bilhões, um crescimento de 28,1% vs. 3T20; um recorde histórico para
a Companhia.
• O EBITDA ajustado somou R$544 milhões, um aumento de 47,0% vs. 3T20, com uma margem de 20,0%.
• Lucro líquido de R$ 76 milhões no 3T21; um aumento em comparação com os R$ 50 milhões registrados no
3T20.
• Dívida líquida de R$ 3,1 bilhões no 3T21; um índice de dívida líquida/EBITDA reportado (LTM) de 2,9x; um
índice de dívida líquida/EBITDA ajustado (LTM) de 1,5x
• Avanços significativos na expansão da capacidade da companhia em Navegar os pacientes através do seu
ecossistema durante o trimestre.
• Crescimento da base de usuários nos primeiros nove meses de 2021, na comparação com o mesmo período
do ano passado: +31,8% no total de usuários, totalizando 18,9 milhões; +33,4% nos usuários diretos,
totalizando 8,0 milhões
• Crescimento da plataforma digital nos primeiros nove meses de 2021, na comparação com o mesmo período
do ano passado: aumento 11x dos usuários únicos NAV (pacientes), totalizando 635,000; +74% no volume de
agendamentos online, totalizando 2,4 milhões.

“Estamos consolidando a Dasa como um ecossistema de saúde integrado; alavancando tecnologia e dados, investindo
em diversos talentos experientes que são atraídos para o objetivo e missão da Dasa, de modo a oferecer os cuidados
médicos que a cada indivíduo deseja e que o mundo precisa,” afirma o Sr. Pedro de Godoy Bueno, CEO da Dasa. “Nossos
avanços durante o trimestre reafirmam nossa crença que estamos bem posicionados para cumprir nossa missão de
transformar e consolidar o setor da saúde no Brasil através de um foco obstinado em oferecer o cuidado mais
apropriado, possibilitando um maior engajamento e serviços personalizados que ajudam nossos usuários a atingirem
a saúde do paciente que se ajusta às suas preferências e necessidades para o resto de suas vidas”.

“O sólido crescimento da receita da Dasa no terceiro trimestre foi impulsionado pela execução continuada de nossa
estratégia, com crescimento robusto de nossas duas unidades de negócios, apesar da diminuição nos testes e
hospitalizações por COVID-19, com o avanço da administração das vacinas em todo o país,” Pedro acrescenta. “Além
disso, consolidamos hospitais durante o trimestre, o que incluiu a conclusão da aquisição do Grupo Leforte em
setembro. Nos Hospitais, estamos acelerando as sinergias, implementando com êxito nosso playbook; executando o
plano de integração com três fases. Além disso, a unidade de Diagnósticos da Dasa continua mantendo o seu ritmo de
crescimento por meio de um serviço de excelência. Nossos investimentos em tecnologia e experiência em geral estão
repercutindo em nosso desempenho, também refletidos na aceleração de nossa plataforma digital”.

Contato RI Contato Assessoria de Imprensa


Andrew T. Campbell Isabela Campos Kopke
Diretor de Relações com Investidores Gerente Executiva de Comunicação
+55 (11) 2630-2317 +55 (11) 96168-4884
ir@dasa.com.br Isabela.kopke@dasa.com.br
www.dasa3.com.br www.dasa.com.br

2
Mensagem da Administração

A missão da Dasa é oferecer os cuidados médicos que cada indivíduo deseja e que o mundo precisa.
Continuamos registrando avanços significativos no terceiro trimestre de 2021 com relação à nossa
estratégia de avançar e consolidar a jornada da saúde, com foco na experiência e suporte do usuário.
Conforme nossos resultados demonstraram novamente nesse trimestre, estamos construindo com
êxito um modelo de cuidados médicos que impulsiona os dados e a tecnologia que superam um setor
fragmentado.

1) Engajamento do Usuário e Plataforma Digital Nav

Durante o trimestre, atingimos avanços significativos no engajamento de nossos usuários, tanto com
relação ao paciente como a comunidade médica. Oferecemos cuidados médicos a aproximadamente
19 milhões de brasileiros nos primeiros nove meses do ano, solidificando nossa posição como o maior
ecossistema de saúde do país.

O êxito desse engajamento tornou-se particularmente evidente nos avanços relacionados com nossa
plataforma digital durante o trimestre, onde nossa proposta de valor ao paciente e ao médico
claramente reflete-se em um aumento significativo dos usuários Nav. Além disso, observamos um
sólido crescimento em nossos serviços digitais, inclusive o agendamento online, a telemedicina e web
check-in.

O engajamento com a plataforma Nav tem sido bem aceito pelos médicos e pelos profissionais de
saúde, considerando que o número de usuários únicos aumentou +9,000 nos primeiros nove meses do
ano. Os médicos que utilizam a Nav Pro têm se mostrado mais engajados com o nosso ecossistema,
o que resultou em receitas superiores aos médicos que não estão na plataforma Nav.

3
2) Usuários de Coordenação de Cuidados registram alta de 61% nos 9M21

Além disso, registramos avanços em nossa estratégia para a Coordenação de Cuidados, por meio do
qual nossa equipe de médicos, enfermeiros, e multiprofissionais conduzem uma avaliação de risco de
saúde e gerenciam um grupo de vidas, visando melhorar a assistência e experiência. Nossa base de
usuários na coordenação de cuidados cresceu 61% nos primeiros nove meses de 2021, na comparação
com o mesmo período do ano passado.

Como exemplo prático, assumimos uma carteira de 36,000 vidas no Rio de Janeiro em parceria com
uma operadora de plano de saúde. Em menos de um ano, conseguimos gerar resultados tangíveis,
refletidos em uma queda de 38% nas entradas ao pronto-atendimento e um declínio de 18% nas
hospitalizações para pacientes cobertos. Além de oferecermos um melhor cuidado e experiência aos
pacientes, também aperfeiçoamos a eficiência e reduzimos as perdas para a operadora. Também
podemos complementar a receita da Dasa com remuneração baseada em pagamento por
desempenho. Acreditamos que esse exemplo pode ser replicado como importante oportunidade de
Navegação junto a outros clientes e mercados.

3) Excelência Clínica e Médica nos Hospitais

Na unidade Hospitais e Oncologia, a prioridade esse ano tem sido melhorar a qualidade e eficiência
hospitalar, com o objetivo de oferecer um cuidado mais consistente, eliminando atividades ou
processos desnecessários ou inseguros, ao considerar as melhores práticas clínicas. Assumimos
projetos em todos os hospitais concentrados em gestão de tempo, relevância clínica, e alocação de
recursos, e ao mesmo tempo, buscando uma visão de toda a jornada do paciente.

Essas iniciativas fortaleceram várias métricas operacionais e clínicas este ano e durante o terceiro
trimestre. A taxa de giro de leitos, defina como checkout de pacientes dividido pelos leitos médios
ativos, vêm demonstrando uma consistente tendência de alta. O aumento na taxa de giro de leitos,
que resultou em um avanço de dois dígitos (%) nos 9M21, é particularmente significativo e refletiu-se
em várias métricas. Percebemos essa melhora como particularmente significativa, pois reflete avanços
nas práticas médicas em geral, possibilitando que os pacientes retornem às suas residências mais
rapidamente, bem como avanços operacionais no tempo de recuperação de modo a otimizar a
disponibilidade de leitos para o próximo paciente.

Embora uma maior taxa de giro de leitos possa no início exercer um efeito adverso de ocupação no
curto prazo, à medida que os pacientes deixam o hospital mais rapidamente, com o tempo, estimamos
um aumento de fato na capacidade dos leitos disponíveis; eliminando a necessidade de investimentos
adicionais e possibilitando que a Dasa cuide de mais usuários. Isso resulta em Benefícios significativos
aos nossos pacientes, operadoras e para a Dasa.

Finalmente, o maior engajamento do usuário, o crescimento da Coordenação de Cuidados, e os


avanços relacionados com a eficiência operacional e médica nos primeiros nove meses de 2021
reforçam o fato que a Dasa está entregando a sua estratégia e objetivos no sentido de oferecer uma
assistência e experiência diferenciada em relação aos seus concorrentes, enquanto mantém estreitas
parcerias com as operadoras.

4
Destaques
Operacionais e
Financeiros
3T21
Demonstração Consolidada de Resultados --- EBITDA Ajustado (R$mm)

6
Ambas as unidades de negócios contribuem para o crescimento de
28,1% da receita
A Dasa registrou uma receita bruta de R$ 2,9 bilhões no 3T21, um aumento de 28,1% vs. o 3T20 e de
50,3% na comparação com os nove meses de 2020, um recorde histórico para a Companhia. A receita
bruta da unidade Hospitais e Oncologia registrou um crescimento substancial de 41,3% vs. o 3T20,
devido a um aumento dos usuários diretos e pacientes-dia durante o trimestre. As taxas de ocupação
e o ticket médio foram resilientes, apesar da diminuição no número de hospitalizações por COVID-19.
Esse aumento foi principalmente impulsionado pelo crescimento orgânico, bem como a consolidação
da Innova (1T21), do Grupo Carmo (2T21) e Leforte (3T21) dentro das operações da Companhia. No
caso do Grupo Leforte, a aquisição, concluída em 3 de setembro de 2021, refletiu um impacto limitado
sobre a demonstração de resultados e indicadores operacionais no 3T21.

A unidade de Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados da Dasa novamente


registrou sólido crescimento no 3T21, sustentando importantes ganhos de market share que
impulsionou um crescimento da receita bruta de 21,4% vs. 3T20 e um aumento de 55,5% nos primeiros
nove meses de 2021 em comparação com o mesmo período do ano anterior. Os números referentes
ao usuário direto e a receita proveniente de testes de COVID registraram queda em relação ao 1S21,
entretanto, os usuários diretos no 3T21 aumentaram 44% em relação ao ano anterior, reflexo da
contínua confiança dos usuários nas marcas Dasa. O crescimento também foi impulsionado pelo
robusto desempenho da unidade internacional (Argentina), Dasa Empresas/Coordenação de Cuidados,
e Genômica.

Receita Bruta Consolidada (R$mm)


+28,1%

2.825 2.943
2.511 2.569
2.297
1.039 36,8% 1.089 37,0%
771 33,6% 875 34,9% 850 33,1%

1.719 1.786 1.853


1.527 1.636
66,4% 65,1% 66,9% 63,2% 63,0%

3T20 4T20 1T21 2T21 3T21


Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidado Hospitais e Oncologia

Maior Base de Usuários, Desenvolvendo o Ecossistema


A Dasa observou avanços significativos nos primeiros nove meses de 2021 com a intensificação de sua
estratégia para o ecossistema e sua capacidade de “navegar” os pacientes dentro da rede Dasa –
definida como o direcionamento dos pacientes (por meios digitais ou tradicionais) a outros recursos
da rede Dasa, no que se refere aos pacientes. A Dasa envida esforços no sentido de melhorar a
experiência e assistência fornecidas aos seus usuários, ao mesmo tempo, aperfeiçoando o
relacionamento com o usuário e o resultado do paciente, através da retenção de pacientes dentro do
ecossistema Dasa.

A base expandida de usuários da Dasa reforça a posição privilegiada da Companhia como o maior
ecossistema de saúde do país, além de impulsionar a expansão do Data Lake da Companhia. A Dasa
registrou um sólido crescimento na base de usuários nos primeiros nove meses de 2021, refletido em 7
um aumento de 31,8% no Total de Usuários Únicos, definidos como um usuário de qualquer serviço
Dasa, de 14,4 milhões para 18,9 milhões. Os Usuários Únicos Diretos4 nos 9M21 aumentaram 33,4%
em relação aos nove meses do ano anterior, totalizando 8,0 milhões. Nos primeiros nove meses de
2021, a Dasa aumentou o engajamento do paciente, resultando em um maior número de pacientes
navegados através de iniciativas de coordenação de cuidados, Dasa Empresas e telemedicina.

Base de Usuários (mm)


+31,8%

+33,4%

3Total de usuários: usuários que consomem qualquer tipo de serviço da Companhia, excluindo o setor público.
4Usuários diretos: usuários que visitam as unidades da Companhia, clínicas ambulatoriais, hospitais, ou usuários da coordenação de
cuidados ou serviços de consultoria de seguro-saúde.

Abaixo, os principais destaques relacionados com os avanços que sustentaram a estratégia de


navegação da Dasa:

• A plataforma digital Nav manteve seu crescimento com um aumento de 635,000 dos usuários
únicos nos primeiros nove meses de 2021, em comparação com 56,000 no mesmo período de
2020, com relação ao paciente. Na plataforma do médico, conhecida como Nav PRO, os
usuários alcançaram 9,000 no mesmo período.

• Conclusão da aquisição do Grupo Leforte, incluindo três hospitais e duas clínicas na grande São
Paulo, representando um marco importante na expansão do polo de assistência da Dasa no
maior mercado de cuidados médicos do país.

• Coordenação de cuidados: um crescimento de 61% nos usuários de cuidados coordenados no


período de nove meses de 2021, no qual a Dasa é compensada pelas operadoras no suporte
às necessidades diárias de pacientes crônicos, resultando em melhor resultado do paciente
com respectivos ganhos de eficiência.

Usuários Únicos Nav (‘000) – Pacientes Usuários Únicos Nav PRO (‘000) – Médicos

635,1 9,8

56,4 0,0

9M20 9M21 9M20 9M21

8
Lucro Bruto Ajustado e Custos de Serviços Prestados
O lucro bruto e a margem do lucro bruto no terceiro trimestre e nos primeiros nove meses de 2021
refletiram aumentos significativos na comparação anual. O lucro bruto no terceiro trimestre totalizou
R$ 920 milhões, com um aumento da margem de 6,5 p.p. para 33,8% no 3T21, em comparação com
27,4% no 3T20. O lucro bruto nos primeiros nove meses de 2021 atingiu R$ 2.600 milhões, um aumento
de 10,6 p.p. em comparação com 23,2% no 3T20. Ambas as unidades de negócios da Dasa contribuíram
para esse aumento durante o 3T21, refletido no crescimento de 5,7 p.p. vs. 3T20 da unidade Hospitais
e Oncologia e de 7,7 p.p. vs. 3T20 da unidade Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de
Cuidados. O sólido desempenho de ambas as unidades de negócios foi impulsionado pelo maior
número de usuários com avanços na utilização da infraestrutura da Dasa durante o trimestre. A
margem bruta ajustada registrou leve queda em relação ao 2T21, de 34,6% para 33,8%.

Despesas Gerais e Administrativas


As despesas gerais e administrativas somaram R$ 376 milhões no 3T21 e R$ 965 milhões nos 9M21, ou
13,8% e 12,5% da receita operacional líquida, respectivamente. As despesas gerais e administrativas
nos 9M21 como percentual da receita líquida registrou queda de 0,4 p.p., apesar de investimentos
significativos assumidos no período visando preparar a Companhia para o crescimento futuro, bem
como consolidar certas aquisições, que inicialmente tendem a pesar negativamente sobre as margens.
No 3T21, o aumento em comparação com 2T21 resultou da consolidação de despesas G&A do Grupo
Leforte durante um mês e maiores gastos para sustentar o crescimento futuro (contratações na
unidade de negócios de Hospitais, despesas pré-operacionais em novas instalações e marketing) em
meio a um cenário de maior inflação no país.

Despesas Gerais e Administrativas (R$mm)

Despesas Gerais e
Administrativas
% da Receita Líquida

9
EBITDA Ajustado
A margem do EBITDA ajustado excluindo opções de ações e despesas não recorrentes aumentou de
17,4% no 3T20 para 20,0% no 3T21. O sólido crescimento do EBITDA ajustado no 3T21 foi impulsionado
pelo robusto crescimento da receita associado com ganhos de eficiência na margem bruta, que mais
que compensaram as maiores despesas gerais e administrativas. A margem do EBITDA ajustado nos
9M21 aumentou 11 p.p. vs. 9M20; uma comparação caraterizada pela pandemia da COVID-19 no 2T20,
e consequentemente, maior pressão sobre as margens.

EBITDA Ajustado Acumulado do Lucro Líquido (R$mm)

É importante salientar que a Dasa apresentou margens robustas do EBITDA nos primeiros nove meses
de 2021, a despeito da consolidação de aquisições em ambas as unidades de negócios, inclusive a
aquisição de três hospitais. Ativos adquiridos recentemente geralmente entram no sistema da Dasa
com uma margem menor em relação aos negócios existentes da Companhia, criando um efeito diluidor
no curto prazo, até a implementação bem-sucedida do modelo de eficiência da Dasa com as
respectivas sinergias realizadas.

Itens não recorrentes


Os itens não recorrentes resultaram em um ajuste relativamente pequeno do EBITDA reportado no
3T21 vs. 2T21. As despesas não recorrentes impactaram adversamente o EBITDA reportado em R$ 36,8
milhões no 3T21, após considerarmos a remuneração baseada em ações. Essa perda foi excluída com
o EBITDA ajustado da Companhia.

Durante o 3T21, os principais ajustes não recorrentes foram:

• Ganho não recorrente: ganho de R$ 43 milhões para reverter deduções da receita bruta; no
3T21, a Dasa efetuou uma alteração para adotar os mesmos critérios contábeis na unidade
Hospitais e Oncologia, já que a Companhia vem historicamente adotando esses critérios na
unidade de Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados, dessa forma,
alinhando os critérios contábeis com as práticas do setor. Essa alteração resultou em um
benefício não recorrente à receita líquida no 3T21 que a Companhia havia excluído dentro do
10
EBITDA ajustado.

• Perdas não recorrentes: (i) perda de R$ 36 milhões relacionada com as medidas da COVID-19,
tais como maior uso de EPIs, aumento do staff fixo, médicos de plantão, e prestadores de
serviços. As referidas despesas registraram queda sequencial em comparação com os R$ 57
milhões no 2T21 com a amenização da crise da COVID; (ii) R$ 16 milhões relacionados com
despesas M&A; e (iii) R$ 12 milhões em encargos trabalhistas, principalmente relacionados
com a racionalização de pessoal e verbas rescisórias.

Despesas não recorrentes e com opção de ações (R$mm)

Lucro Líquido
Uma melhora significativa do EBIT no 3T21 vs. 3T20 foi parcialmente compensada por (i) maiores
despesas financeiras líquidas devido às maiores taxas de juros sobre a dívida em aberto com taxa
variável; e (ii) maiores despesas com imposto de renda devido ao maior lucro tributável.

O terceiro trimestre de 2021 registrou um lucro líquido de R$ 76 milhões, e uma margem líquida de
2,8%, em relação a um lucro líquido de R$ 50 milhões no 3T20 e uma margem líquida de 2,4%. Os
primeiros nove meses de 2021 refletiram um prejuízo líquido de R$ 50 milhões, atribuível às despesas
não recorrentes referentes à remuneração baseada em ações e itens não recorrentes, principalmente
no 2T21.

Resultado Financeiro Líquido (R$mm)

11
Investimentos
Os investimentos totalizaram R$ 270 milhões no 3T21. Os investimentos desse período foram
direcionados, principalmente para (i) implantação e desenvolvimento dos sistemas de produção e
serviços, renovação de parque tecnológico, no montante de R$ 102 milhões no trimestre; (ii) reforma
e ampliação das atuais unidades de atendimento e novas unidades, totalizando R$ 110 milhões no
trimestre; e (iii) compra de equipamentos médicos e outros, no montante de R$ 58 milhões no
trimestre. O Capex representou 9,9% da receita líquida no 3T21.

Investimentos (R$mm)

Balanço Patrimonial e Alavancagem


A Companhia manteve uma sólida posição financeira, refletida em uma dívida líquida no 3T21,
excluindo passivos de arrendamento, de R$ 3,1 bilhões em 30 de setembro de 2021; uma queda em
relação aos R$ 3,8 bilhões registrados no final de 2020, reflexo do aumento de capital relacionado com
o re-IPO realizado no início de abril de 2021. O indicador dívida líquida/EBITDA ajustado (LTM)
(excluindo a remuneração baseada em ações e itens não recorrentes), atingiu 1,5x; A Dasa se refere a
essa métrica como uma medição mais precisa da alavancagem da Companhia, em relação ao EBITDA
reportado. O indicador dívida líquida/EBITDA reportado (LTM) foi de 2,9x no final de 3T21. Para fins de
esclarecimento, o EBITDA e o EBITDA Ajustado não estão na base proforma, isso significa que apenas
consideram o EBITDA a partir da data da consolidação e não consideram todo o exercício fiscal do
EBITDA decorrente de aquisições durante os últimos 12 meses.

Indicador de Dívida Líquida (R$mm) e Alavancagem

A dívida líquida no 3T21 aumentou de R$ 1,4 bilhões em 30/6/21 para R$ 3,1 bilhões em 30/9/21,
principalmente devido à conclusão da aquisição do Grupo Leforte em setembro de 2021. Do preço
total da aquisição de R$ 1,8 bilhão para 100% de participação no Grupo Leforte, R$ 1,4 bilhão havia 12
sido liquidado na época da conclusão da transação, enquanto os R$ 350 milhões restantes serão
devidos apenas em 2023.

Indicador Trimestral da Alavancagem (Dívida Líquida /EBITDA Reportado)


-1,0x

Cronograma de Amortização da Dívida (R$mm)

Ações em circulação e remuneração baseada em ações


A Companhia registrou 547,9 milhões de ações em circulação em 30 de setembro de 2021, excluindo
as 12,5 milhões ações ainda pendentes de emissão aos acionistas do Hospital São Domingos, as quais
serão emitidas na ocasião do fechamento da transação.

Do total de ações em circulação, 86% são detidas pelos acionistas controladores, 2% pelos
administradores da companhia e 10% são free float, ao incluirmos as ações a serem emitidas ao
Hospital São Domingos.

Estrutura acionária da Dasa, 30 de setembro de 2021 (proforma para São Domingos)

13
No final de 3T21, a Companhia registrava 21,4 milhões de opções de ações em aberto relativas aos
anos de outorga de 2018, 2019, 2020 e 2021. As obrigações relativas aos anos de 2016 e 2017 foram
liquidadas no 2T21. As opções relativas ao ano de 2018 estão programadas para serem liquidadas no
primeiro semestre de 2022 ao preço de exercício de R$ 30,39/ação. O referido preço de exercício ainda
está sujeito à correção monetária pela inflação. A liquidação do valor excedente das opções de 2018
(preço de mercado menos preço de exercício) deverá ocorrer 20% em dinheiro e até 80% em ações
DASA3. O conselho de administração da Dasa aprovou esse ano a outorga de 6,4 milhões de opções
relativas à outorga do ano de 2021 a um preço de exercício de R$ 58/ação.
Opções de Ações em Aberto

Resumo dos indicadores operacionais - Hospitais e Oncologia

Nota: A receita do 3T21 e métricas operacionais incluem um mês do Grupo Leforte.

Resumo dos indicadores operacionais - Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados

14
Hospitais e
Oncologia
15
Receita e Lucro Bruto – Hospitais e Oncologia (R$mm)

No final do 3T21, a unidade Hospitais e Oncologia da Dasa (“Unidade de Negócios 1”) forneceu serviços
médicos, hospitalares e de oncologia em 12 hospitais nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, e
distrito federal. A Dasa encerrou o 3T21 com um total de 2.664 leitos na ocasião da conclusão da
aquisição do Grupo Leforte.

Os resultados do 3T21 incluíram um mês de consolidação do Grupo Leforte, porém não incluíram as
aquisições da unidade de Hospitais e Oncologia, ainda pendentes de conclusão, notadamente: o
Hospital São Domingos, Hospital da Bahia, Hospital Paraná e Clínica AMO, uma das marcas mais fortes
em oncologia clínica na região nordeste. A Companhia espera que essas aquisições sejam logo
concluídas após as devidas aprovações regulatórias. A Dasa espera se tornar o segundo maior grupo
hospitalar privado do Brasil, segundo a medição por total de leitos, após a conclusão das referidas
aquisições.

16
Hospitais e Oncologia – Aquisições Concluídas e Anunciadas

Os serviços incluídos dentro da receita bruta proveniente da unidade de negócios hospitalares da Dasa
referem-se principalmente às diárias hospitalares, tratamentos oncológicos, materiais hospitalares,
medicamentos, órteses e próteses, honorários médicos, e exames laboratoriais. Todas as unidades
hospitalares possuem a infraestrutura, tecnologia e pessoal qualificado para responderem as
emergências de alta complexidade, procedimentos eletivos, complementando uma estrutura
completa de medicina preventiva.

17
Receita da Unidade de Hospitais e Oncologia

A receita líquida da unidade de Hospitais e Oncologia no 3T21 refletiu um aumento significativo de


43.3% em relação ao 3T20, com a Dasa fortalecendo sua posição como uma das principais plataformas
de saúde no Brasil. A receita líquida nos 9M21 teve um crescimento de 43,9%, refletindo parcialmente
uma baixa base de comparação, já que o 2T20 foi adversamente impactado pela COVID-19. O
aumento nos 9M21 também foi complementado pelo crescimento inorgânico da Companhia através
de aquisições, já que o M&A durante o período representou 11,5 p.p. dos 43,9% do crescimento da
receita líquida.

Receita Líquida – Hospitais e Oncologia (R$mm)

+43,9%

+32,3%

Taxa de Ocupação de Leitos e Volume do Usuário Direto

O crescimento da receita no terceiro trimestre de 2021 foi principalmente impulsionado pela maior
taxa de utilização de infraestrutura, conforme refletido em (i) um aumento do usuário direto de 36,5%
vs. 3T20 para 148,000; e (ii) um aumento de 40,3% em “Pacientes-Dia” para 132,000. A taxa de
ocupação de 76,3% no 3T21 refletiu um aumento substancial de 67,9% em relação ao 3T20, apesar do
menor número de casos relativos à COVID-19, com uma ligeira queda em comparação com os 77,0%
registrados no 2T21. As taxas de ocupação aumentaram em relação ao ano passado em todos os
hospitais Dasa, em particular, o sólido desempenho do Hospital Águas Claras, um projeto greenfield
que se tornou operacional em 2020.

Total de Leitos e Leitos Ativos (# média mensal)


+29,9%

+25,0%

A diferença entre o Total de Leitos e Leitos Ativos registrou uma média de 482 no 3T21. O principal
fator para esse resultado foi o Hospital Águas Claras, que mantém sua fase de aceleração, porém
18
continua ainda abaixo do seu número potencial de leitos ativos. O segundo fator foi o Complexo
Hospitalar Niterói, que observou uma ligeira redução dos leitos ativos no 3T21 devido à diminuição de
leitos por conta da COVID-19, seguido do Hospital Innova. Como a aquisição da Innova ocorreu no
início de 2021, ainda está abaixo do seu potencial para leitos ativos.

Hospitais e Oncologia: Usuários Diretos (‘000)


+36,5%

A resiliência da taxa de ocupação foi particularmente notável tendo em vista várias iniciativas de
eficiência clínica implementadas pela Dasa em todos os hospitais visando oferecer resultado superior
aos pacientes, operadoras e partes interessadas da Dasa. Vale observar que a Dasa registrou uma
melhora significativa no giro de leitos nos primeiros nove meses, sinalizando uma melhor eficiência
médica e operacional o que possibilitará à Companhia atender mais usuários, bem como aumentar
ainda mais o market share, apesar de uma compressão nas taxas de ocupação no 3T21.

Hospitais e Oncologia: Taxa de Ocupação (%) vs. Pacientes-Dia (#)

+8,3p.p.

+40,3%

O ticket médio bruto, calculado pela divisão da receita bruta da unidade de negócios pelo Pacientes-
Dia, aumentou 1,9% para R$ 8,300 no 3T21 vs. 3T20. O ticket médio também cresceu em relação ao
2T21, apesar de uma diminuição nas hospitalizações por COVID-19.
Ticket Médio Bruto/ Pacientes-Dia (R$)

+1,9%

19
Lucro Bruto Ajustado e Custo de Serviços Prestados
O lucro bruto ajustado da unidade de Hospitais e Oncologia registrou um crescimento de 87% vs. 3T20,
impulsionado por uma maior margem bruta, de 18,5% no 3T20 para 24,2% no 3T21, devido à uma
maior utilização da infraestrutura hospitalar, eficiência operacional hospitalar, e expansão da rede
relacionada com economias de escala. O ritmo controlado do pessoal e serviços terceirizados
/utilitários mais que compensou aumentos das despesas gerais e materiais.

A margem bruta no terceiro trimestre de 2021 registrou queda de 28,9% no 2T21 para 24,2% no 3T21,
devido a um aumento dos materiais hospitalares, serviços terceirizados e despesas gerais. A
consolidação do Grupo Leforte também impactou adversamente as margens do terceiro trimestre de
2021. Os ativos adquiridos costumam entrar no sistema da Dasa com menor rentabilidade em relação
às margens gerais do negócio. A Dasa implementou imediatamente a fase 1 de sua estratégia de
integração na consolidação com relativas iniciativas de eficiência, em linha com a estratégia da
Companhia e modelo de negócios. Esse playbook também vem sendo acompanhado junto ao Grupo
Leforte.

20
Cuidados
Ambulatoriais,
Diagnósticos e
Coordenação de
Cuidados
Receita e Lucro Bruto – Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados (R$mm)

A unidade de Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados (“Unidade de


Negócios 2”) inclui o segmento de diagnósticos que abrange +900 centros de serviços ao paciente no
país; aproximadamente 100 unidades que fornecem suporte aos diagnósticos hospitalares, com +5.000
laboratórios. Essa unidade de negócios inclui também operações internacionais (Argentina/Uruguai),
Coordenação de Cuidados, Dasa Empresas e Genômica.
Os serviços incluídos na receita bruta proveniente dessa unidade de negócios originam-se
principalmente de exames laboratoriais, exames de imagens, serviços de coordenação de saúde e
serviços de consultoria aos clientes corporativos.

22
Receita da Unidade de Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos, e
Coordenação de Cuidados
A receita líquida da unidade de Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados no 3T21
refletiu um aumento de 20,4% vs. 3T20, reflexo da liderança da Companhia no mercado de franquias de
diagnósticos. A receita líquida nos primeiros nove meses de 2021 registrou um crescimento de 55,3% em
relação ao 3T20, resultado de uma base da receita no 2T20 pressionada pela COVID-19. Nos 9M21, o
aumento da receita deveu-se principalmente ao crescimento orgânico, com o M&A no período
representando apenas 4.3 p.p. do crescimento de 55,3%.

Receita Líquida – Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados (R$mn)


+55,3%

+51,0%

A receita aumentou 20,4% no 3T21, apesar da contração das receitas provenientes de teste da COVID-
19, devido a queda nos exames laboratoriais de COVID-19, de 12,2% no 2T21 para 8,9% no 3T21. A
diminuição nos testes de COVID impactou os usuários diretos na comparação com o 2T21, em especial
o 1T21, entretanto, a Dasa prestou serviços a 3,26 milhões de usuários diretos no 3T21; um aumento
de 44% vs. 3T20. O ticket médio bruto manteve sua recuperação no 3T21 de modo a atingir R$ 568 no
trimestre. Consequentemente, a receita da unidade de negócios aumentou novamente em relação ao
2T21, apesar de uma ligeira queda nos usuários únicos diretos.

Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados: Receita da Covid como % da Receita Bruta

-6,4p.p.

23
Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados: Usuários Diretos (‘000)

+44,0%

Dasa continua investindo em iniciativas que fortalecem a posição competitiva do segmento de


diagnósticos, possibilitando maior crescimento em relação aos seus concorrentes. Esses investimentos
resultaram em elevado crescimento de sua marca Alta, direcionada aos usuários de renda Classe A,
coleta domiciliar de exames, e agendamento online de exames. Por exemplo, o número de coletas
domiciliares nos primeiros nove meses de 2021 registrou um aumento de 56%, com crescimentos
correspondentes da receita.

Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados: Ticket Médio Bruto/ Usuário Direto (R$)
-15,7%

O crescimento da receita da Unidade de Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de


Cuidados foi estimulado por:

• Internacional (Argentina / Uruguai): crescimento da receita proveniente das operações


internacionais, principalmente impulsionado pelo Diagnostico Maipu na Argentina, que
representou 5% da receita da unidade de negócios no 3T21.

• Coordenação de Cuidados e Dasa Empresas: sólido aumento de 61% nos usuários de cuidados
coordenados nos primeiros nove meses de 2021, resultando em benefícios significativos tanto
para as operadoras e pacientes com maiores receitas provenientes de serviços de consultoria
de saúde aos clientes corporativos.

• Genômica: a capacidade de a Dasa impulsionar considerável oportunidade de mercado


resultou em robusto crescimento da Genômica nos três segmentos operacionais: a genética
médica, GeneOne, a divisão de direct-to-consumer Genera, e a genética médica internacional.

24
Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados: Detalhamento da Receita (% 3T21)

* Pesquisa clínica + Dasa Empresas + Coordenação de Cuidados + Genera.

Lucro Bruto Ajustado e Custo de Serviços Prestados


O lucro bruto da unidade de Cuidados Ambulatoriais, Diagnósticos e Coordenação de Cuidados no 3T21
registrou um crescimento de 49,8% vs. 3T20, impulsionado por um aumento da margem bruta de 7,7
p.p. vs. 3T20 para 39,4% no 3T21. As despesas com pessoal no 3T21, em sua maior parte relacionada
com um maior número de pessoal devido a um aumento no volume de exames laboratoriais,
permaneceu em linha com o crescimento da receita no 3T21. A Companhia se beneficiou de dinâmicas
mais favoráveis em materiais, serviços terceirizados e despesas gerais durante o trimestre, resultando
em alavancagem operacional significativa. A margem bruta também aumentou 1,6 p.p. em relação ao
2T21.

25
Demonstrações
Financeiras
Demonstração de Resultados

27
Balanço Patrimonial - Ativos

28
Balanço Patrimonial - Passivo

PASSIVO NÃO CIRCULANTE


Empréstimos e financiamentos
Debêntures
Impostos parcelados
Tributos diferidos
Provisões fiscais, previdenciárias, trabalhistas e cíveis
Contas a pagar por aquisições de controladas
Fornecedores
Instrumentos financeiros derivativos
Passivos de arrendamentos
Pagamento baseado em ações
Opção de venda concedida a acionistas não controladores
Outras contas a pagar e provisões

Capital social
Reservas de capital
Ajuste de avaliação patrimonial
Reservas de lucros

29
Fluxo de Caixa

30
Reconciliação do EBITDA Ajustado com as Demonstrações Financeiras (ITR)

Abaixo, uma reconciliação entre o EBITDA Ajustado apresentado na página 4 e o arquivamento


trimestral obrigatório da Dasa (ITR). As diferenças são as seguintes:
• O EBITDA Ajustado considera um conceito de caixa de COGS e G&A que exclui a depreciação e
amortização. A rubrica D&A deve ser novamente acrescida de modo a alcançar o EBIT
reportado.
• O EBITDA Ajustado também exclui itens não recorrentes. Os principais itens não recorrentes
(novamente acrescentados para alcançar o EBIT reportado) são (i) os custos relacionados com
a COVID-19 que impactaram o COGS e (ii) a despesa com opções de ações que impactaram as
despesas G&A. Favor observar a discussão anterior a respeito dos itens não recorrentes nesse
relatório para maiores detalhes.
• Para fins de métrica interna da administração, a Companhia adota uma alocação diferente
entre COGS e G&A em vez da distribuição utilizada nas demonstrações financeiras auditadas
da Dasa. Essa reclassificação está compensando e não exerce nenhum impacto sobre o EBITDA
ou EBIT. Para alcançar o EBIT reportado, é necessário transportar as despesas de COGS para
G&A.
• Por último, nosso conceito de EBITDA Ajustado já inclui Outra Receita/ Despesa Operacional,
dentro das despesas G&A, porém é tratado separadamente para fins de arquivamento
regulatório. Essa reclassificação também não exerce impacto líquido sobre o EBITDA ou EBIT.

Terceiro trimestre de 2021 – Reconciliação do EBITDA Ajustado para ITR (EBIT)

Nove Meses de 2021 – Reconciliação de EBITDA Ajustado para ITR (EBIT)

31
DISCLAIMER
Esta apresentação pode conter considerações referentes às perspectivas futuras do negócio,
estimativas de resultados operacionais e financeiros, perspectivas de crescimento da Companhia e
outros eventos futuros.

Declarações neste press release que representam declarações prospectivas incluem, porém não se
limitam a palavras como, por exemplo, "antecipar", "acreditar", "estimar", "esperar", "projetar",
"planejar", "prever", "visar “, “almejar”, “buscar”, bem como todas as suas variações, e outras palavras
de significado similar, têm como objetivo identificar estas declarações prospectivas. As referidas
declarações, inclusive aquelas indicadas com citações do Sr. Bueno envolvem vários fatores, riscos ou
incertezas, conhecidos ou não, que podem resultar em diferenças relevantes entre os dados atuais e
as eventuais projeções desta apresentação e não representam qualquer garantia com relação ao
desempenho futuro da Companhia.

Todas as declarações nesta apresentação têm como base as informações e dados disponíveis na data
em que foram emitidas. A Companhia não se compromete a revisá-las ou atualizá-las, de qualquer
forma, com o surgimento de novas informações ou de acontecimentos futuros.

O leitor/investidor é o único e exclusivo responsável por qualquer decisão de investimento, negócio


ou ação tomada com base nas informações e declarações contidas nesta apresentação. O
leitor/investidor não deve considerar apenas as informações contidas nesta apresentação para tomar
decisões em relação à negociação dos títulos e valores mobiliários emitidos pela Companhia. Para
obter informações mais detalhadas, consulte nossas Demonstrações Financeiras, o Formulário de
Referência, e outras informações relevantes em nosso site de relações com investidores
www.dasa3.com.br.

Esta apresentação não constitui em uma oferta de venda nem em uma solicitação de compra de
qualquer valor mobiliário.

32
Earnings
Release
3Q21

Conference Call
Friday, November 12, 2021
12:00 p.m. EST / 2:00 p.m. BRT
In Portuguese with a simultaneous English translation
Record 3Q21 Revenues Despite Diminishing COVID-19 Effect
Business Plan Execution Remains on Track

São Paulo, Brazil, November 11, 2021 - Dasa (B3: DASAS3, “the Company”), the largest healthcare ecosystem in
Brazil, today announced financial results for the third quarter ended September 30, 2021.

The financial and operational information provided below is reported on a consolidated managerial basis and is in
accordance with Brazil GAAP accounting principles and practices. The amounts are expressed in Brazilian Reais (R$)
unless otherwise indicated.

Third Quarter and Nine Month 2021 Highlights


• 3Q21 gross revenues increased by 28.1% y/y totaling R$2.9bn for the quarter; an historical record for the
Company
• Adjusted EBITDA increased by 47.0% y/y, to R$544mn with 20.0% margin
• 3Q21 Net income totaled R$76mn; a year-on-year increase as compared to R$50mn in 3Q20
• Net debt of R$3.1bn as at the end of the quarter; a net debt/reported EBITDA ratio (LTM) of 2.9x; and a net
debt/adjusted EBITDA ratio (LTM) of 1.5x
• Significant progress in expanding the company´s capacity to navigate patients through its ecosystem during
the quarter
• User base growth in the nine-month 2021 period, y/y: +31.8% in total users to 18.9mn; +33.4% in direct
users to 8.0mn
• Digital platform growth in the nine-month 2021 period y/y: 11x increase in NAV unique users (patients) to
635k; +74% in online scheduling volume to 2.4mn

“We’re consolidating Dasa as an integrated health ecosystem; leveraging technology and data and
investing in diverse and experienced talent attracted to Dasa’s purpose and mission, to provide the
healthcare that people desire and which the world needs,” said Pedro de Godoy Bueno, CEO of Dasa.
“Our progress during the quarter further reaffirms our belief that we are well positioned to accomplish
our mission of transforming and disrupting Brazil’s healthcare sector through an obsessive focus on
providing the most appropriate care, enabling stronger engagement and personalized services that
help our users to achieve patient health which is calibrated to their preference and needs, for life.”

“Dasa’s strong third quarter revenues were driven by continued execution on our strategy, with robust
growth in both of our business units despite waning COVID testing and hospitalizations as vaccine
administration expands throughout Brazil,” he continued. “We further integrated hospitals during the
quarter, which included closing the Leforte hospital group acquisition in September. In Hospitals, we’re
driving synergies by successfully implementing our playbook; executing a three-stage integration plan
over time. Further, Dasa’s Diagnostics unit continued to thrive driven by maintaining service
excellence. Our investments in technology and in the overall experience are resonating in our
performance, also reflected in the ongoing ramp-up of our digital platform.”

IR Contact Media Contact


Andrew T. Campbell Isabela Campos Kopke
Investor Relations Officer Executive Public Relations Manager
+55 (11) 2630-2317 +55 (11) 96168-4884
ir@dasa.com.br Isabela.kopke@dasa.com.br
www.dasa3.com.br www.dasa.com.br

1
Message from Management

Dasa’s mission is to provide the healthcare that every individual desires and which the world needs.
We continued to make significant progress in the third quarter 2021 related to our strategy of
advancing and consolidating the healthcare journey with a focus on user experience and support. As
our results this quarter again demonstrated, we’re successfully building a health care model which
leverages data and technology to break through a fragmented industry.

1) User Engagement and Nav Digital Platform

During the quarter, we achieved important progress in engaging our users, on both the patient side
and among the medical community. We provided care for nearly 19 million Brazilians during the first
nine months of the year, solidifying our position as the largest healthcare ecosystem in Brazil.

This engagement success was particularly evident in progress related to our digital platform during the
quarter where our patient and physician value-proposition is clearly resonating, resulting in a
significant increase in Nav users. We also experienced strong growth across our digital features and
services including online scheduling, telemedicine and web check-in.

Engagement with Nav has been reciprocated by physicians and the medical community, as our number
of unique users increased to more than 9k year to date. Physicians who use Nav Pro have proven to
be more engaged with our ecosystem, which resulted in revenues which were higher for engaged
physicians than for those not on the Nav platform.

2) Care Coordination Users up 61% for nine-month period

We also made progress advancing our Care Coordination strategy, whereby our own Dasa team of
physicians, nurses, and multi-professionals conducts a health risk assessment and manages a group of
lives in order to improve assistance and experience. Our care coordination user base increased by 61%
for the nine months 2021 compared to the same period of 2020.

As a practical example, we assumed a portfolio of 36k lives in Rio de Janeiro in partnership with a
health plan operator. In less than one year, we were able to produce tangible results, as reflected in a
38% decline in visits to the emergency room and 18% decline in hospitalizations for covered patients.
As well as providing better care and experience for patients, we also enhanced efficiency and reduced
losses for the operator. We can also supplement Dasa revenues with compensation on a pay-for-
performance basis. We believe this example can be replicated as an important navigation opportunity
1
with other clients and markets.

3) Clinical and Medical Excellence in Hospitals

In Hospitals & Oncology, a top priority this year has been to improve hospital quality and efficiency
with the goal of providing more consistent care and eliminating unnecessary or unsafe activities or
processes, when considering the best clinical practices. We have undertaken targeted projects across
our hospitals with a focus on time management, clinical relevance, and resource allocation, while
taking a view of the entire patient journey.

These initiatives strengthened several operational and clinical metrics this year and during the third
quarter. Bed turnover rate, defined as patient check-outs divided by average active beds, has been on
a consistent upward trend. The increase in bed turnover rate, which reflected a double-digit (%)
improvement year to date, is particularly meaningful and resonated throughout various metrics. We
view this improvement as particularly significant at this reflects progress in overall medical practices,
enabling patients to return to their homes and families sooner, as well as operational progress in
improving turnaround time to improve bed availability for the next patient.

While an increased bed turnover rate may have an expected initial adverse short-term occupancy
effect, as patients depart more quickly, over time we expect a de facto increase in bed capacity;
eliminating the need for incremental capex and enabling Dasa to treat more users. This results in
significant benefits for our patients, payors and for Dasa.

In closing, the enhanced user engagement, growth in Care Coordination, and progress related to
operational and medical efficiency achieved year to date underscore the fact that Dasa is delivering on
our strategy and objectives to provide a differentiated assistance and experience relative to our
competitors while maintaining close partnerships with our payors.

2
3Q21
Operational
and Financial
Highlights
Consolidated Income Statement --- Adjusted EBITDA (R$mm)

4
Both Business Units Contribute to 28.1% Top Line Growth
Dasa achieved 3Q21 gross revenues of R$2.9bn; a 28.1% year on year increase and a 50.3% increase
as compared to nine months 2020; an historical record for the Company. 3Q21 Hospitals & Oncology
gross revenues increased by a considerable 41.3% year on year due to an increase in direct users and
patient days during the quarter. Occupancy rates and average ticket were resilient despite decreased
COVID-19 hospitalizations. This increase was primarily driven by organic growth, as well as the
consolidation of Innova (1Q21), Grupo Carmo (2Q21) and Leforte (3Q21) within the Company’s
operations. In the case of Leforte, the acquisition closed on September 3, 2021, reflecting a limited
impact on the income statement and operating indicators in 3Q21.

Dasa’s Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination unit again achieved robust growth in 3Q21,
sustaining key operating segment market share gains which drove a 21.4% gross revenue increase
versus 3Q20 with a 55.5% nine-month 2021 increase versus the first nine months of 2020. Direct user
figures and COVID testing revenues declined as compared to 1H21, however, 3Q21 direct users increased
by 44% year on year, reflecting users’ continued trust in Dasa brands. Growth was also driven by strong
performance in International (Argentina), Dasa Empresas/Care Coordination, and Genomics.

Consolidated Gross Revenue (R$mm)

+28.1%

2,825 2,943
2,511 2,569
2,297
1,039 1,089 37%
771 34% 875 35% 850 33% 37%

1,719 1,786 1,853


1,527 1,636
66% 65% 67% 63% 63%

3Q20 4Q20 1Q21 2Q21 3Q21


Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination Hospitals & Oncology

Increased User Base, Developing the Ecosystem


Dasa made significant progress during the first nine months of the year in furthering its ecosystem
strategy and its capacity to “navigate” patients within the Dasa network -- defined as directing of
patients (via digital or traditional means) to other Dasa network resources, when pertinent for patients.
Dasa strives to improve the experience and assistance provided to users, while enhancing the user
relationship and patient outcomes, by retaining patients within the Dasa ecosystem.

Dasa’s expanded user base underscores the Company´s privileged position as Brazil’s largest health
ecosystem while also further driving expansion of the Company’s proprietary Data Lake. Dasa reported
strong user base growth for the first nine months of 2021, reflected in a 31.8% increase in Total Unique
Users, defined as a user of any Dasa service, to 18.9mn from 14.4mn. Nine-month 2021 Direct Unique
Users4 increased by 33.4% compared to the first nine months 2020, to 8.0mn. During the nine months
2021, Dasa increased patient engagement which resulted in a higher number of patients navigated
through care coordination, Dasa Empresas and telemedicine initiatives.

5
Users Base (mm)

+31.8%

+33.4%

3Total users: users who consume any type of service of the Company, excluding public sector
4
Direct users: users visiting the Company’s units, outpatient clinics, hospitals, or users of the care coordination or healthcare insurance
advisory services.

The following are key highlights related to progress which supported Dasa´s navigation strategy:

• Nav digital platform user ramp-up continued with a 635k unique user increase for the nine-
month period 2021, compared to 56k in the same period of 2020, on the patient side. On the
physician side, known as Nav PRO, users reached 9k for the same period.

• Completion of Leforte group acquisition, including three hospitals and two clinics in the greater
São Paulo area, representing an important milestone in expanding Dasa’s assistance hub in
Brazil’s largest health care market.

• Care Coordination: increase of 61% in nine-month 2021 coordinated care users, whereby Dasa
is compensated by payors for supporting chronic patients’ day-to-day needs, resulting in
improved patient outcomes with related efficiency gains.

Nav Unique Users (‘000) – Patients Nav PRO Unique Users (‘000) – Physicians

635.1 9.8

56.4 0.0

9M20 9M21 9M20 9M21

6
Adjusted Gross Profit and Cost of Sales
Third quarter and nine-month 2021 gross profit and gross profit margin reflected strong year on year
increases. Third quarter gross profit reached R$920mn with a 6.5pp margin increase, to 33.8% in 3Q21,
from 27.4% in the 3Q20. Nine-month 2021 gross profit reached R$2,600mn; a 10.6pp year on year
increase as compared to 23.2%. Both Dasa business units contributed to this increase during 3Q21,
reflected in a 5.7pp year on year Hospitals & Oncology increase and a 7.7pp year on year Outpatient
Care, Diagnostics and Care Coordination increase. Strong performance in both business units was
driven by increased user numbers with enhanced utilization of the Dasa infrastructure during the
quarter. Adjusted gross margin declined slightly on a sequential basis as compared to 2Q21; to 33.8%
from 34.6%.

General and Administrative Expenses


General and administrative expenses totaled R$376mn in 3Q21 and R$965mn for the nine months
2021, or 13.8% and 12.5% of net operating revenue, respectively. Nine-month 2021 G&A as a % of net
revenue declined by 0.4p.p., despite significant investments undertaken over the period to prepare
the company for future growth as well as the consolidation of certain acquisitions, which initially tend
to weigh negatively on margins. For 3Q21, the increase compared to 2Q21 resulted from consolidation
of G&A from Leforte for one month, higher spending to support future growth (hirings in hospital
business unit, pre-operating expenses at new facilities and marketing), against a backdrop of higher
inflation in Brazil.

General and Administrative Expenses (R$mm)

General and administrative


expenses

7
Adjusted EBITDA
Adjusted EBITDA margin excluding stock options and non-recurring expenses increased to 20.0% in
3Q21, from 17.4% in 3Q20. Dasa´s solid third quarter 2021 adjusted EBITDA growth was driven by
strong top line growth coupled with efficiency gains at the gross margin level which more than offset
increased G&A expenses. Nine-month 2021 adjusted EBITDA margin increased by 11pp year on year;
a comparison characterized by the COVID-19 pandemic in 2Q20 and resulting significant margin
pressure.

Adjusted EBITDA Build-up from Net Income (R$mm)

It is important to note that Dasa delivered strengthened EBITDA margins during the nine months 2021
despite consolidating acquisitions within both business units, including three hospital acquisitions.
Newly acquired assets typically enter the Dasa system with a lower margin relative to Dasa´s existing
business, creating a short-term dilutive effect until successful implementation of the Dasa efficiency
model with related realized synergies.

Non-recurring items
Non-recurring items led to a relatively small adjustment to reported EBITDA in 3Q21, compared to
2Q21. Non-recurring expenses impacted negatively reported EBITDA by R$36.8mn in 3Q21, after
considering stock-based compensation. This loss has been excluded with the Company’s adjusted
EBITDA.

During 3Q21, the main non-recurring adjustments were:

• Non-recurring Gain: R$43mn gain to reverse deductions from gross revenues. In 3Q21, Dasa
made a change to apply the same accounting criteria to the Hospitals & Oncology unit as the
Company has historically applied to the Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination
unit, also bringing criteria more into line with industry practices. This change had a one-off
benefit to net revenues in 3Q21 which the Company has excluded within the adjusted EBITDA.

• Non-recurring Losses: (i) R$36mn loss related to COVID-19 measures, such as increased use of
8
PPEs, incremental fixed staff, physicians on duty, and outsourced workers. These expenses
declined sequentially as compared to R$57mn in 2Q21 as the COVID crisis eased, (ii) R$16mn
in M&A-related expenses, and (iii) R$12mn in labor charges, primarily related to permanent
headcount rationalization and related severance.

Non-recurring and stock option expense (R$mm)

32.1 36.8 566.4

Net Income
Significant year on year 3Q21 EBIT improvement was partially offset by (i) increased net financial
expenses due to higher interest rates on outstanding variable rate debt and (ii) increased income tax
expense due to higher taxable income.

3Q21 recorded net income reached R$76mn with a 2.8% net margin, compared to net income of R$50mn
in 3Q20 with a 2.4% net margin. Nine-month 2021 reflected a R$50mn net loss, attributable to significant one-
off expenses for stock-based compensation and non-recurring items, primarily in 2Q21.

Net Financial Result (R$mm)

Capex
Capex totaled R$270 million in 3Q21. Investments were mainly allocated to (i) implement and develop
production and services systems, invest in the technological hub, amounting to R$102 million in the
quarter; (ii) renovate and expand current service units and new units, totaling R$110 million in the
quarter; and (iii) acquire medical equipment and others, totaling R$58 million in the quarter. Capex
was 9.9% as a percentage of net revenues in 3Q21.

9
CAPEX (R$mm)

Balance Sheet and Leverage


The Company has maintained a healthy financial position, reflected in 3Q21 Net Debt, excluding leasing
liabilities, of R$3.1bn as of September 30, 2021; a decrease as compared to R$3.8bn at year-end 2020
resulting from the company´s early April 2021 re-IPO related capital increase. 3Q21 net debt/adjusted
EBITDA (LTM) ratio (excluding stock-based compensation and non-recurring items), reached 1.5x; Dasa
refers to this metric as a more accurate measurement of the Company´s leverage than using reported
EBITDA. Net debt/reported EBITDA (LTM) was 2.9x at the end of 3Q21. To clarify, EBITDA and Adjusted
EBITDA are not on a proforma basis, meaning they only consider EBITDA from the date of consolidation
and do not consider a full year of EBITDA from acquisitions during the last twelve months.

Net Debt (R$mm) and Leverage Ratio

3Q21 Net debt increased from R$1.4bn at 6/30/21 to R$3.1bn at 9/30/21, mainly due to the closing of
the Company’s Leforte acquisition in September 2021. Of the total acquisition price of R$1.8bn for
100% of the equity of Leforte, R$1.4bn had been liquidated by the time of closing, while R$350mn will
come due only in 2023.

Quarterly Leverage Ratio (Net Debt / Reported EBITDA)


-1.0x

10
Debt Amortization Schedule (R$mm)

Shares outstanding and stock-based compensation


The company had 547.9mn shares outstanding on September 30, 2021, not including 12.5mn shares
pending issuance to Hospital São Domingos shareholders, which will be issued upon closing.

Of total shares outstanding, 86% were held by the controlling shareholders, 2% by company
administrators and 10% free float, when including shares to be issued to São Domingos.

Dasa shareholder structure, September 30, 2021 (proforma for São Domingos)

At the end of 3Q21, the Company had 21.4 million stock options outstanding related to the grant years
2018, 2019, 2020 and 2021. Obligations related to 2016 and 2017 were liquidated in 2Q21. Options
related to 2018 are scheduled to be liquidated in the first half of 2022 at strike price of R$30.39/share.
Said strike price is still subject to monetary correction for inflation. Liquidation of the excess value of
the 2018 options (market price less strike price) should take place 20% in cash and up to 80% in shares
of DASA3. Dasa’s board approved this year the grant of 6.4mn options related to grant year 2021 at a
strike price of R$58/share.

Stock Options Outstanding

11
Summary operating indicators - Hospital & Oncology

Note: 3Q21 revenues and operating metrics include one month of Leforte.

Summary operating indicators - Outpatient Care, Diagnostics, and Care Coordination

12
Hospitals &
Oncology
13
Revenues and Gross Profit – Hospitals & Oncology (R$mm)

At the end of 3Q21, Dasa’s Hospitals and Oncology Unit (“Business Unit 1”) provided medical, hospital
and oncology services through 12 hospitals in the states of São Paulo, Rio de Janeiro, and the federal
district of Brasília. Dasa ended 3Q21 with a total of 2,664 beds upon completion of the acquisition of
Grupo Leforte.

3Q21 results included one month of Leforte consolidation but did not include announced Hospitals &
Oncology unit acquisitions currently pending closing. These include: Hospital São Domingos, Hospital
da Bahia, Hospital Paraná and Clinica AMO, a leading oncology clinic in Northeast Brazil. The Company
expects these acquisitions to close promptly subsequent to the appropriate regulatory approvals. Dasa
is expected to be the second largest private hospital group in Brazil, as measured by total beds, upon
conclusion of said acquisitions.

14
Hospitals & Oncology – Completed and Announced Acquisitions

Services included within the gross revenue from Dasa’s Hospitals business unit refer primarily to
inpatient daily rates, oncology treatment, medical supplies, medicines, orthosis and prosthesis,
medical fees, and laboratory tests. All hospital units have the infrastructure, technology and staff
qualified to respond to high complexity emergencies, elective procedures, complementing a complete
preventive medicine structure.

15
Revenue from Hospitals and Oncology
Hospitals and Oncology unit 3Q21 net revenue reflected a strong 43.3% y/y increase, as Dasa strengthened its
position as Brazil’s leading healthcare platform. Nine-month 2021 net revenue increased by 55.4%, partially
reflecting of a low comparison base as 2Q20 was adversely impacted by COVID-19. The nine-month 2021
increase was also supplemented by the Company’s inorganic growth through acquisitions, as M&A during
the period accounted for 11.5pp of the 55.4% of net revenue growth.

Net Revenues - Hospitals & Oncology (R$mn)


+43.9%

+32.9%

Bed Occupancy Rate and Direct User Volume

Third quarter 2021 revenue growth was primarily due to an increased infrastructure utilization rate, as reflected
in both (i) a 36.5% year on year direct user increase, to 148k and (ii) a 40.3% “Patient Days” increase, to 132k.
3Q21 occupancy rate of 76.3% reflected a considerable 67.9% year on year increase despite decreased COVID-
19 cases, with slight sequential decrease as compared to 77.0% in 2Q21. Occupancy rates increased over the
past year across all Dasa hospitals with particularly strong performance at Hospital Aguas Claras, a greenfield
project which began operation in 2020.

Total and Active Hospital Beds (# month average)


+29.9%

+25.0%

The difference between Total Beds and Active Beds was on average 482 in 3Q21. The largest contributor
to this figure was Hospital Aguas Claras, which continues its ramp-up phase and is still below its potential
number of active beds. The second largest contributor was Complexo Hospitalar Niterói, which
underwent a slight reduction in active beds in 3Q21 due to a decrease in COVID-19 beds, followed by
Hospital Innova. As Innova was an acquisition in early 2021, it is still below its potential for active beds.

16
Hospitals & Oncology: Direct Users (‘000)
+36.5%

Occupancy rate resilience was particularly noteworthy in light of the various clinical efficiency
initiatives which Dasa implemented throughout its hospitals to provide superior outcomes for patients,
payors and Dasa stakeholders. Of note, Dasa has achieved a significant improvement in bed turnover
year to date, an indication of enhanced medical and operational efficiency which will enable the
Company to serve more users and further increase market share over time, despite downward
pressure on occupancy rates in the third quarter 2021.

Hospitals & Oncology: Average Occupation (%) vs. Patients Days (#)

+8.3p.p.

+40.3%

The gross average ticket, calculated by dividing gross business unit revenue by Patient Days, increased
by 1.9% y/y to R$8.3k. Average ticket also increased sequentially despite diminished COVID-19
hospitalizations.

Gross Average Ticket / Patient Day (R$)

+1.9%

17
Adjusted Gross Profit and Cost of Sales
Third quarter Hospitals and Oncology unit adjusted gross profit increased by 87% year on year, driven
by a significant gross margin increase, to 24.2% in 3Q21 from 18.5% in 3Q20, due to strengthened
hospital infrastructure utilization, hospital operation efficiency, and network expansion related
economies of scale. The controlled pace of personnel and third-party services/utilities more than offset
accelerated materials and general expenses increases.

Third quarter 2021 gross margin declined to 24.2%, from 28.9% in 2Q21, due to increased medical
materials, third party services and general expenses. Consolidation of Leforte also adversely impacted
third quarter 2021 margins. Acquired assets tend to enter the Dasa system with lower profitability than
overall business margins. Dasa immediately implements phase one of its integration strategy upon
consolidation with related efficiency initiatives, aligned with the Company’s strategy and business
model. This playbook is also being followed with Leforte.

18
Outpatient Care,
Diagnostics and Care
Coordination
Revenue and Gross Profit - Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination (R$mn)

The Outpatient Care, Diagnostics, and Care Coordination unit (“Business Unit 2”) includes the
diagnostics business, comprised of +900 patient service centers in Brazil; nearly 100 units of which
support the hospital diagnosis, with +5,000 laboratories supported. This business unit also includes
International (Argentina/Uruguay) operations, Care Coordination, Dasa Empresas and Genomics.
Services included within the gross revenue from this business unit originate primarily from laboratory
tests, imaging exams, healthcare coordination services and advisory services to corporate customers.

20
Revenue from Outpatient Care, Diagnostics, and Care Coordination
3Q21 Outpatient Care, Diagnostics, and Care Coordination unit net revenues reflected a 20.4% year on year
increase, led by the company´s market leading diagnostics franchise. Nine-month 2021 net revenue
increased by 55.3% year on year, reflecting a depressed COVID-19 related 2Q20 revenue base. The nine-
month 2021 revenue increase was heavily weighted towards organic growth, as M&A over the period
accounted for only 4.3pp of the 55.3% growth.

Net Revenues - Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination (R$mn)


+55.3%

+51.0%

3Q21 revenues increased by 20.4%, despite declining COVID-19 testing revenues. The share of business
unit revenues derived from COVID lab tests declined to 8.9% in 3Q21, from 12.2% in 2Q21. Reduced
COVID testing weighed on direct users compared to 2Q21 and especially 1Q21, however Dasa
nevertheless serviced 3.26mn direct users during the third quarter 2021; a 44% year on year increase.
Gross average ticket continued to rebound in 3Q21 to reach R$568 for the quarter. As a result, business
unit revenue again increased on a sequential basis, despite a slight decline in direct unique users.

Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination: Covid Revenue as % of Gross Revenue
-6.4p.p.

Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination: Direct Users (‘000)

+44.0%

21
Dasa has continued to invest in initiatives which strengthen its diagnostics business competitive
position and enable increased growth relative to competitors. These investments have resulted in high
growth of its Alta brand, which targets Class A income users, at-home exam collections, and number
of exams scheduled on-line. As an example, the number of at-home collections over the nine-month
period 2021 increased by 56%, with corresponding increases in revenues.

Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination: Gross Average Ticket / Direct User (R$)
-15.7%

Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination unit revenue growth was also driven by:

• International (Argentina / Uruguay): year on year international operations top line increase,
primarily driven by Diagnostico Maipu in Argentina, which accounted for close to 5% of
business unit revenues in 3Q21.

• Care Coordination and Dasa Empresas: a strong 61% increase in coordinated care users for the
nine-month period 2021, resulting in significant benefits for both payors and patients with
increased revenues from health advisory services to corporate clients.

• Genomics: Dasa’s ability to leverage considerable market opportunity resulted in strong


Genomics growth across three operating segments: GeneOne medical genetics, direct-to-
consumer Genera, and international medical genetics.

Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination: Revenue breakdown (% 3Q21)

* Clinical research + Dasa Empresas + Care Coordination + Genera.

22
Adjusted Gross Profit and Cost of Sales
3Q21 Outpatient Care, Diagnostics and Care Coordination unit gross profit increased by 49.8% year on
year, driven by a 7.7pp year on year gross margin increase, to 39.4% in 3Q21. Third quarter 2021
personnel expenses, largely related to an increased number of personnel due to increased lab test
volume, remained on par with 3Q21 top line growth. The Company benefited from more favorable
dynamic in materials, third party services and general expenses during the quarter, resulting in
substantial operating leverage. Gross margin also increased by 1.6pp quarter over quarter.

23
Financials
Income Statement

27
Balance Sheet - Assets

28
Balance Sheet - Liabilities

29
Cash Flow

30
Adjusted EBITDA Reconciliation to Reported Financials (ITR)

Below is a bridge between the Adjusted EBITDA presented on page 4 and Dasa´s quarterly regulatory
filing (ITR). The differences are as follows:
• Adjusted EBITDA considers a cash concept of COGS and G&A which excludes depreciation and
amortization. D&A must be added back to reach reported EBIT.
• Adjusted EBITDA also excludes non-recurring items. The main non-recurring items (added back
to reach reported EBIT) are (i) COVID-19 costs that impacted COGS and (ii) stock option
expense that impacted G&A. Please see the earlier discussion on non-Recurring items in this
report for more details.
• For the purposes of management´s internal metrics, the company uses a different allocation
between COGS and G&A than the distribution used in Dasa´s audited financials. This
reclassification is offsetting and has no impact on EBITDA or EBIT. To reach reported EBIT, it is
necessary to shift expenses from COGS to G&A.
• Finally, our Adjusted EBITDA concept already includes Other Operating Income / Expense
within G&A, but it is treated separately for purposes of our regulatory filing. This
reclassification also has no net impact on EBITDA or EBIT.

Third Quarter 2021 – Reconciliation from Adjusted EBITDA to ITR (EBIT)

Nine Months 2021 - Reconciliation from Adjusted EBITDA to ITR (EBIT)

31
SAFE HARBOR
This document may contain forward-looking statements and those considerations referring to the
business’s future prospects, estimates of operational and financial results, the Company’s growth
outlook, and other future events.

Statements within this press release that are forward-looking include, but are not limited to, words
such as, for instance, "anticipate”, “believe", "estimate", "expect", "project", "plan", "foresee", "aim “,
“seek”, as well as all variations, and other words of similar meaning, aim at identifying these forward-
looking statements. Referred statements, including those indicated with Mr. Bueno’s quotation,
involve various factors, risks, or uncertainties, known or unknown, which can result in relevant
differences between current data and eventual projections of this presentation and do not represent
any guarantee in relation to the Company’s future performance.

All the statements herein are based on information and data available on the date these were issued.
The Company does not undertake to review them or update them, in any event if new information
arises or due to future events.

The reader/investor is solely responsible for any investment decision, business, or actions taken based
on information and statements contained herein. Reader/investor shall not consider only the
information contained herein to make decisions concerning the trading of securities issued by the
Company. To obtain more detailed information, consult our Financial Statements, the Reference Form,
and other relevant information on our investor relations website www.dasa3.com.br.

This press release neither constitutes a sale offer nor a request of purchase of any security.

32

Você também pode gostar