Você está na página 1de 8

Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II

CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

QUESTÕES DE LÍNGUA PORTUGUESA

QUESTÃO 01

Leia a crônica a seguir e responda as questões.

A visita

Há pessoas que ficam guardadas na alma da gente. De repente minha


memória ilumina um sorriso, uma palavra, um gesto de alguém que não vejo há
muito tempo. No último Dia das Mães, resolvi rever minha antiga professora de
Ciências, dona Thelma. Estudei com ela no Instituto de Educação Monsenhor
Bicudo, em Marília, no interior de São Paulo, no tempo em que o ensino médio
era chamado de ginásio. Mas perdi o contato: fui criado na cidade somente até
os 15 anos. Quando minha família se mudou, veio completa. Não deixamos
parentes a quem visitar. Durante mais de quarenta anos, não voltei a Marília.
Sempre me lembrava de dona Thelma, mas, contraditoriamente, nunca a
visitei.
Uma ex-colega de classe, Malau, que também só revi recentemente,
localizou seu endereço. Minha mãe raramente comparecia às festas escolares
quando eu era garoto. Em um Dia das Mães os alunos receberam rosas para
oferecer. Entreguei a minha a dona Thelma, que, às vezes, eu chamava de
mãe, um pouco por malandragem. Certa vez, na fila do cinema, dona Thelma
chegou com o filho pequeno e me pediu para comprar seu ingresso. O
funcionário proibiu:
— Não pode comprar, ela tem de ir para o fim da fila!
Gritei, muito espertinho: -- Mas ela é minha mãe!
— Ah, se é mãe, pode!
Passei a chamá-la de mãe e sempre recebia um sorriso cúmplice de volta!
Em suas aulas contemplei a beleza das células através do microscópio. Apaixonei-me pela teoria da
evolução das espécies. Ela me ensinou a pesquisar por conta própria, já que gostava tanto do tema.
Assim, um pouco me sentindo como um molequinho, apareci de surpresa em sua casa, em Marília.
Em dúvida sobre o presente adequado, levei uma caixa de bombons e o meu livro "Anjo de quatro patas".
Ela me recebeu com o mesmo sorriso e os gestos leves, divertidos, juvenis apesar dos seus 77 anos.
— Nem estou arrumada! Entre, entre!
Adorou os bombons, autografei o livro. Serviu café com bolo. Quis saber da minha carreira. Eu, de sua
vida: teve cinco filhos. O mais velho mora nos Estados Unidos, a mais nova com ela. Aposentada, dedica-
se a seu marido, João Décio, professor de Literatura da UNESP, autor de quatro livros.
Falou da juventude, dos tempos de pobreza durante a faculdade. Da vida de professora. Lembramos
meus tempos de escola. Muitas vezes, na época, eu a visitava. Ela me dava xerox das poesias que o
marido usava como material para as aulas na universidade. Assim conheci Fernando Pessoa e Florbela
Espanca.
Mas durante todo o tempo da visita tinha a sensação de que deveria ter levado um presente mais
valioso. De repente confessei:
— Odiamos quando você começou a nos dar aulas!
— Verdade?
— Ainda me lembro da primeira prova. Decorei tudo. Só caíram perguntas que exigiam raciocínio! Foi
um desastre.
Ela riu.
— Sempre fui contra a decoreba.
— Depois eu comecei a juntar uma coisa com a outra. Você também me mostrou como fazer
pesquisa.
Fiz uma pausa, procurando as palavras certas.
CPM/ANEXO I – TIPO A 1
Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II
CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

— Tudo o que aprendi com você me acompanha até agora, Thelma. Sabe, você me ensinou a pensar.
Eu não teria me tornado quem sou hoje se você não tivesse sido minha professora.
Compreendi que meu verdadeiro presente estava além do material. Era meu profundo agradecimento por
ela ter existido em minha vida. O brilho dos seus olhos me disse quanto se sentiu gratificada. Eu também,
pela oportunidade de dizer que ela se tornou inesquecível não só para o garoto que eu fui, mas também
para o homem em que me transformei.
(Walcyr Carrasco. Disponível em http://vejasp.abril.com.br/materia/a-visita. Acesso em 15/5/214)

VOCABULÁRIO:
Malandragem: Qualidade de esperto, de quem é hábil, malicioso, ardil; malícia.
Cúmplice: Que ajuda, possibilita ou favorece a realização de algo.
Espécie: Conjunto de pessoas, animais ou vegetais, que apresenta as mesmas características e a mesma família.
Aposentada: Característica do indivíduo que se aposentou; que obteve ou recebe aposentadoria.
Decoreba: Ação de quem decora alguma coisa sem pensar sobre o assunto que está sendo memorizado.

A crônica ―A visita‖ narra o reencontro, depois de anos, do narrador com sua ex-professora de
Ciências, dona Thelma.

Releia este trecho e assinale a alternativa CORRETA:

―Em dúvida sobre o presente adequado, levei uma caixa de bombons e o meu livro Anjo de Quatro
patas‖.

A profissão do narrador era:

a) professor
b) médico
c) escritor
d) cientista
e) cineasta

QUESTÃO 02

Analise as afirmações a respeito da crônica - A visita e responda:

I- Os sentimentos que ele, agora adulto, cultiva em relação a sua professora eram de saudade, de
admiração e gratidão.
II- No trecho: ―No último Dia das mães, resolvi rever minha antiga professora de Ciência dona
Thelma‖ o narrador nos revela que a professora de Ciências marcou a sua vida.
III- Em certo momento da conversa, ele procura ―as palavras certas‖. Isso significa que ele queria exprimir
com exatidão o reconhecimento que tinha pelo trabalho de dona Thelma e a importância que ela teve em
sua profissão.
IV- Ao relatar a conversa com sua professora, ele diz: ―De repente confessei‖. O narrador utiliza a palavra
―confessei‖ porque resolve contar à professora um segredo guardado por muito tempo.

Está (ão) CORRETA (s):

CPM/ANEXO I – TIPO A 2
Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II
CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

a) Apenas I e III.
b) Apenas II.
c) Apenas III e IV.
d) Todas.
e) Apenas IV.

QUESTÃO 03

Na passagem do texto: ―Uma ex-colega de classe, Malau, que também só revi recentemente, localizou seu
endereço.‖ o uso das vírgulas foi usado para:

a) isolar expressões que indicam circunstâncias.


b) para indicar uma citação.
c) isolar termos explicativos.
d) para separar uma sequência de ―coisas‖.
e) isolar vocativo.

QUESTÃO 04

Quanto ao uso da pontuação no texto – A visita, marque a opção INCORRETA:

a) O uso das aspas no trecho - Em dúvida sobre o presente adequado, levei uma caixa de bombons e o
meu livro "Anjo de quatro patas" – revela o destaque dado ao título do livro.

b) Em ―— Ah, se é mãe, pode!‖ o travessão foi usado para introduzir a fala do funcionário.

c) Na oração ―Durante mais de quarenta anos, não voltei a Marília.‖ a vírgula foi usada para separar o
adjunto adverbial antecipado.

d) Na frase ―O funcionário proibiu:‖ os dois pontos foram empregados para iniciar a fala do narrador.

e) O sinal de interrogação foi usado pela dona Thelma no trecho ―— Verdade?‖ para fazer uma pergunta
ao seu ex-aluno.

QUESTÃO 05

Leia os textos a seguir e responda as questões.

Solidariedade é olhar o mundo com cuidado, sabendo o quanto é importante ter empatia pelo outro. Assim o
mundo seria muito mais contente. E isso não é difícil de alcançar, basta ter sensibilidade para identificar a
necessidade do próximo, sem esperar algo em troca.

CPM/ANEXO I – TIPO A 3
Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II
CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

ANDANDO PELA FLORESTA

Depois de algumas horas, ficou difícil caminhar. Faltavam algumas pedras, outras estavam
quebradas. Volta e meia o Espantalho tropeçava. Quando se deparavam com buracos, Totó dava um salto
e Dorothy os contornava, mas o Espantalho, sem cérebro para pensar, ia em frente e caía. Pelo menos
não se machucava. Dorothy o punha em pé e ele ria.
Ao meio-dia, sentaram à beira de um riacho.
— Não quer me contar uma história enquanto descansamos? – perguntou a
menina.
O Espantalho olhou para ela chateado.
— Ah! Minha vida é muito curta, não tenho nada de interessante para
contar. Fui feito há dois dias. Ao me ver, os corvos e outros pássaros fugiram,
pensando que eu fosse um homem. Eu me senti importante. Mas um corvo
velho voou perto de mim e me olhou com atenção. Pousou em meu ombro e
disse: ―O fazendeiro pensou que me enganava com um boneco desajeitado
como você? Qualquer corvo sabe que você não passa de um monte de palha‖.
Desceu e comeu milho à vontade. Os outros pássaros, ao ver aquilo, vieram
comer também. Fiquei triste. Não era um bom espantalho. Mas o velho corvo
me confortou dizendo: ―Se você tivesse cérebro, seria tão bom quanto qualquer
pessoa e melhor até do que muitas que eu conheço. Cérebro é o que importa ter
neste mundo, seja você corvo ou gente‖. Decidi fazer o possível para ter
cérebro. Foi sorte você ter aparecido e me tirar dali. Pelo que diz, o Grande Oz
pode me dar um cérebro.
— Espero que sim! – disse Dorothy – já que quer tanto.
— Não pode imaginar quanto eu desejo. Nada pior do que a gente se sentir bobo.
— Bem – disse a menina, dando a cesta para o Espantalho –, vamos embora.
Ao final da tarde, chegaram a uma floresta de árvores tão altas, que os ramos se entrelaçavam sobre
o caminho e impediam a entrada da luz.
— Se a estrada avança floresta adentro, deve continuar fora dela – disse o Espantalho. — Se a
Cidade das Esmeraldas fica do outro lado, devemos ir em frente. (...)
Uma hora depois, vagavam na escuridão. Dorothy não enxergava nada, mas Totó sim. Cachorros
veem bem no escuro. O Espantalho disse que também podia ver como se fosse dia. Então, a menina deu
a ele o braço e conseguiram andar muito bem.
— Se vir alguma casa, algum lugar onde possamos passar a noite – disse ela –, avise, é
desagradável andar no escuro.
Não demorou e o Espantalho parou.
— À direita há uma cabana feita de troncos e galhos.
— Ainda bem! Estou exausta.
O Espantalho a conduziu pela floresta até a cabana. Dentro, encontrou cama de folhas secas. A
menina deitou e dormiu profundamente, com Totó ao lado dela. O Espantalho, que não sentia cansaço,
esperou pacientemente que despertassem.
(Texto extraído do livro O mágico de Oz, de Ligia Cadermatori. São Paulo: Editora FTD – 2008.)

VOCABULÁRIO:
Meio-dia: Hora que indica a metade de um dia, exatamente entre o período da manhã e o da tarde.
Corvo: Nome de várias aves de uma família que inclui ainda as gralhas, gaios e pegas.
Cérebro: A parte maior do encéfalo; massa nervosa que ocupa quase inteiramente a cavidade craniana e é a parte superior
dos centros nervosos.
Espantalho: Boneco colocado nos campos, nos jardins, para espantar as aves.
Entrelaçar: enlaçar um com o outro ou coisas entre si.

CPM/ANEXO I – TIPO A 4
Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II
CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

Examine as afirmações a respeito do texto extraído do livro: ―O mágico de Oz‖ e responda.

I - Em ―... os ramos se entrelaçavam sobre o caminho e impediam a entrada da luz.‖


e em ―Uma hora depois, vagavam na escuridão.‖ os termos destacados podem ser
substituídos por ―enraizavam e caminhavam‖, respectivamente, sem alterar o
sentido do texto.
II – O desejo do Espantalho não era ter um cérebro.
III - Solidariedade é um sentimento que leva as pessoas a se ajudarem mutuamente,
o texto ―Andando pela floresta‖, traz momentos de solidariedade vivenciados pelos
personagens, podemos citar como exemplo, quando o Espantalho caía, Dorothy o
punha em pé.

Está (ão) CORRETA (s):

a) Apenas I.
b) Apenas II.
c) Apenas II e III.
d) Apenas I e III.
e) Todas.

QUESTÃO 06

Com relação ao texto, julgue as afirmativas abaixo e, a seguir, assinale a alternativa CORRETA:

I – Na frase ―O Espantalho olhou para ela chateado.‖ a palavra destacada exerce a função de adjetivo.
II - No trecho ―Dorothy o punha em pé e ele ria‖, o termo destacado é um substantivo próprio.
III – Em ―Então, a menina deu a ele o braço e conseguiram andar muito bem,‖ o termo destacado é um
advérbio de intensidade.
IV – Na frase ―Se vir alguma casa, algum lugar onde possamos passar a noite – disse ela –, avise, é
desagradável andar no escuro‖, o termo sublinhado é um pronome pessoal do caso oblíquo.
V - Na frase: ―Mas um corvo velho voou perto de mim e me olhou com atenção. Pousou em meu ombro e
disse:...‖ meu é um pronome possessivo.

a) Apenas II, III e V estão corretas.


b) Apenas I, II, III e IV estão corretas.
c) Apenas I, II, III e V estão corretas.
d) Apenas II, IV e V estão corretas.
e) Todas estão corretas.

QUESTÃO 07

Observe os trechos abaixo do texto – ANDANDO PELA FLORESTA e marque corretamente:


―Depois de algumas horas, ficou difícil caminhar.‖
―... mas o Espantalho, sem cérebro para pensar, ia em frente e caía.‖
―Qualquer corvo sabe que você não passa de um monte de palha.‖
―Espero que sim! – disse Dorothy – já que quer tanto.‖
CPM/ANEXO I – TIPO A 5
Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II
CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

As palavras destacadas acima, quanto à acentuação, respectivamente, são classificadas em:

a) paroxítona, oxítona, oxítona, monossílabo tônico.


b) oxítona, proparoxítona, oxítona, monossílabo átono.
c) paroxítona, proparoxítona, oxítona, oxítona.
d) paroxítona, proparoxítona, oxítona, monossílabo tônico.
e) proparoxítona, proparoxítona, monossílabo átono, oxítona.

QUESTÃO 08

Identifique o processo de formação das palavras retiradas do texto acima e indique a alternativa correta.

I - meio-dia / embora - são formados pelo processo de composição por justaposição.


II – chateado / escuridão / pacientemente - são formados pelo processo de derivação sufixal.
III - desajeitado – é formado pelo processo de derivação prefixal.
IV – desagradável – é formado pelo processo de derivação parassintética.

a) I e IV estão corretas.
b) II e III estão corretas.
c) Apenas a alternativa II está correta.
d) Todas estão incorretas.
e) Todas estão corretas.

QUESTÃO 09

Leia o poema.

Ao Shopping Center

Pelos teus círculos


vagamos sem rumo
nós almas penadas
do mundo do consumo.

De elevador ao céu
pela escada ao inferno:
os extremos se tocam
no castigo eterno.

Cada loja é um novo


prego em nossa cruz.
Por mais que compremos
estamos sempre nus

CPM/ANEXO I – TIPO A 6
Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II
CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

Nós que por teus círculos


vagamos sem perdão
à espera (até quando?)
da Grande Liquidação.
(José Paulo Paes. Prosas seguidas de Odes mínimas, 1992.)

Após a leitura do poema, marque a alternativa CORRETA:

a) Para o poeta, no mundo do consumo, o Shopping Center representa um lugar de satisfação e paz
interior.
b) O interlocutor a quem o eu lírico se dirige é o consumidor.
c) Em certas religiões, como o cristianismo, as pessoas esperam a salvação, já no poema, elas esperam a
―Grande Liquidação‖.
d) De acordo com a terceira estrofe, a cada loja que visitamos ou vemos, sentimos mais fundo o desejo
de consumir e, assim, nos satisfazemos cada vez mais.
e) No poema, as ―almas penadas‖ são as pessoas que não possuem dinheiro suficiente para comprar
durante a ―Grande Liquidação‖.

QUESTÃO 10

Pizza falsa

INGREDIENTES

6 fatias de pão de fôrma


6 fatias de mozarela
3 tomates maduros
Sal a gosto
Azeite e orégano
2 colheres de sopa de queijo ralado tipo parmesão

MODO DE FAZER

1 – Retire com cuidado a crosta (casca) do pão.


2 – Arrume numa assadeira as fatias de pão, uma ao lado da outra.
3 – Coloque a mozarela por cima. Tenha o cuidado de deixar o queijo do mesmo tamanho das fatias de
pão; se sobrar corte as tirinhas.
4 – Pique os tomates ou corte-os em fatias bem finas. Tempere com sal, azeite e orégano.
5 – Espalhe o tomate picado sobre as fatias de queijo.
6 – Polvilhe com o queijo ralado e leve ao forno quente/ou ao forno micro-ondas até derreter todo o queijo
e tostar um pouco.
7 - Retire do forno e deixe esfriar um pouco, porque o queijo é muito quente e pode queimar a boca.

CPM/ANEXO I – TIPO A 7
Exame de Seleção para Ingresso ao 6º Ano do Ensino Fundamental II
CPM – Anexo I / Petrolina-PE – 22/11/2020

Assinatura do (a) candidato (a): ______________________________________________________________

SUGESTÕES

1 – Espalhe presunto bem picado sobre o tomate.


2 – Amasse uma banana e coloque-a sobre o queijo.
3 – Se na geladeira tiver um pouco de picadinho, pode colocar sobre o queijo, antes de acrescentar o
tomate.
(Retirado do livro de receitas do Menino Maluquinho)

Assinale a alternativa CORRETA com base nas afirmações sobre a receita:

I- A receita ―Pizza falsa‖ é um texto injuntivo e apresenta o verbo no modo imperativo na 3ª pessoa do
singular.
II- A linguagem utilizada no texto é formal, pois emprega uma linguagem direta, clara e objetiva.
III - O texto está dividido em três seções: ingredientes, modo de fazer e sugestões, porém as seções
ingredientes e modo de preparar são mais importantes, já que sem conhecermos os ingredientes e sem
saber o que fazer com eles é impossível preparar a pizza.
IV- A pizza recebeu o nome de ―Pizza falsa‖ porque ela é diferente, uma vez que, no lugar da massa, é
utilizado pão de fôrma.

a) Apenas II está correta.


b) III e IV estão corretas.
c) I, II e III estão corretas.
d) Todas estão corretas.
e) II e III estão incorretas.

CPM/ANEXO I – TIPO A 8

Você também pode gostar