Você está na página 1de 21

5.

PROGRAMAÇÃO

„ RELÉS ELETROMECÂNICOS

„ A linguagem de programação dos CLP´s atuais evoluiu a


partir dos diagramas elétricos de comandos lógicos com
relés eletromecânicos. Um relé deste tipo é formado por
uma bobina que quando energizada movimenta um eixo
mecânico pelo efeito da atração magnética, que move os
contatos auxiliares.
5. PROGRAMAÇÃO

„ DIAGRAMA DE CONTATOS

„ Os diagramas de contatos têm duas linhas horizontais


simbolizando as tensões elétricas de fase e neutro ou +VCC e
0V. Na vertical são representados os circuitos elétricos com os
contatos e as bobinas de forma que a combinação dos
contatos conforme a lógica que se queira implementar leva à
energização das bobinas
5. PROGRAMAÇÃO

„ DIAGRAMA DE CONTATOS

+VCC
CONTATO NORMALMENTE ABERTO - NA

Associação de contatos
(formação da lógica)

bobina

CONTATO NORMALMENTE FECHADO - NF

+0V
5. PROGRAMAÇÃO

„ FORMAÇÃO DE LÓGICAS

Lógica “OR”
5. PROGRAMAÇÃO

„ FORMAÇÃO DE LÓGICAS

Lógica “AND”
5. PROGRAMAÇÃO

„ FORMAÇÃO DE LÓGICAS

Lógica “NOT”
5. PROGRAMAÇÃO

„ FORMAÇÃO DE LÓGICAS

Lógica “XOR”
5. PROGRAMAÇÃO

„ FORMAÇÃO DE LÓGICAS

Contato de Selo
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE ENTRADA

„ São instruções de leitura dos estados das entradas


físicas do CLP.

„ Assim como os diagramas de relés, o diagrama da


linguagem Ladder usa os recursos de barramento
energizado à esquerda e barramento de referência à
direita. A combinação de contatos NA e NF leva à
energização da saída.
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE ENTRADA
„ Ladder

“+Vcc” %I0.0 “0V”

„ Blocos

I1
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE SAÍDA

„ São instruções de comando das saídas físicas do CLP.

„ Ladder

“+Vcc” %Q0.0 “0V”

„ Blocos

Q1
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE CONTROLE

„ São instruções sofisticadas de controle proporcional,


integral e derivativo para aplicações em sistema de
realimentação em malhas fechadas.

„ Atualmente são cada vez mais comuns CLP´s de micro e


pequeno porte que disponibilizam estas funções.

„ São utilizadas em sistema de controle de malha fechada


5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE TEMPORIZAÇÃO

„ Esta instrução apresenta duas entradas. A primeira é a


entrada habilita, que quando acionada habilita o
temporizador e quando desaciona zera o valor do tempo.
A outra é a entrada START/STOP, quando ligada inicia a
contagem, e desligada, bloqueia o temporizador, mas não
zera o valor do tempo, fazendo com que quando ligada
novamente o temporizador reinicie a contagem do ponto
onde parou.
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE TEMPORIZAÇÃO

„ Normalmente os CLP's apresentam a base de tempo de


0,01segundos. O temporizador durante a temporização
mantém seu contato de saída desacionado, quando
atingir o tempo definido, o contato de saída é acionado.
Os temporizadores podem ser do tipo:

„ Temporizador TON (Timer On Delay)


„ Esta instrução deve ser usada para se atrasar o momento
de se ligar um contato.

„ Temporizador TOF (Timer Of-Delay)


„ Esta instrução deve ser usada para se atrasar o momento
de se desligar um contato.
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE COMPARAÇÃO DE DADOS

„ Existem instruções que comparam dois valores. As


instruções de comparação são:

„ Maior que;
„ Igual ou maior que;
„ Menor que;
„ Igual ou menor que;
„ Igual;
„ Não igual;
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE CONTAGEM

„ São instruções onde são armazenados o valor da


contagem atual e o valor máximo a ser atingido. Os
contadores podem ser incrementador ou decrementador.

„ A contagem é feita por um contato contando o número de


pulsos nesse contato e ao atingir o valor de contagem
pré-definido o contato de saída é acionado.
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE CONTAGEM

„ O contador apresenta uma outra entrada, que é a entrada


de habilita. Se um contato ligado a esta entrada for
acionado, a contagem é habilitada, se for desacionado a
contagem é zerada. Os contadores podem ser:

„ Contador CTU (Count Up)


„ Esta instrução deve ser usada contagem crescente de
acordo com o número de vezes que o degrau passar da
condição de falso para verdadeiro no contato de
contagem. É importante que a sequência de transições
de cada degrau de falso para verdadeiro não seja mais
rápida que duas vezes o tempo de varredura do CLP.
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES DE CONTAGEM

„ Contador CTD (Count Down)


„ Esta instrução deve ser usada contagem decrescente de
acordo com o número de vezes que o degrau passar da
condição de falso para verdadeiro no contato de
contagem. É importante que a sequência de transições
de cada degrau de falso para verdadeiro não seja mais
rápida que duas vezes o tempo de varredura do CLP.
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES LÓGICAS

„ E (AND) - instrução booleana que representa a função de


simultaneidade entre duas ou mais condições lógicas.

„ OU (OR) - instrução booleana que representa a função de


opção entre duas ou mais condições lógicas.

„ NÃO (NOT) - instrução booleana que representa a função


do inverso de uma condição lógica.

„ OU EXCLUSIVO (XOR) - instrução booleana que


representa a função de opção exclusiva entre duas ou
mais condições lógicas.
5. PROGRAMAÇÃO

„ INSTRUÇÕES ARITMÉTICAS

„ Estas instruções realizam operações aritméticas com


números inteiros e/ou, dependendo da CPU, operações
de ponto flutuante com números reais.
5. PROGRAMAÇÃO

„ SUBROTINAS

„ As subrotinas são recursos de programação que


permitem o desvio do fluxo normal do programa para
execução de um algoritmo particular e ao final retorna ao
ponto de interrupção no programa principal.

Você também pode gostar