Você está na página 1de 7

INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO

Campus Bragança Paulista

Disciplina: Química

APOSTILA 1

INTRODUÇÃO À QUÍMICA
(Matéria e Energia)

Prof.: Josias F. Pagotto

DISCIPLINA: QUÍMICA – Prof. Josias F. Pagotto


INTRODUÇÃO

Desde o início da humanidade, o homem observava que na natureza existia uma infinidade de materiais
com características muito diferentes entre si: cores, tamanhos, formas, texturas, cheiros, sabores, e assim por diante.
Existem materiais que se apresentam no estado sólido, como os metais, os plásticos, a borracha. Outros
estão no estado líquido, como a água que bebemos, e o álcool que utilizamos para limpeza e o combustível dos
veículos. E outros estão no estado gasoso, como o ar que, embora não vemos, nos rodeia e está presente em todos
os lugares. Também podemos observar várias outras propriedades nos materiais. As flores possuem diversas
tonalidades de cores, os frutos possuem diferentes cheiros, sabores e texturas (alguns são ásperos, outros macios,
uns são moles e outros mais duros), os metais apresentam alta resistência mecânica e um brilho característico. Já a
borracha é flexível e não possui brilho e o vidro apresenta a propriedade de ser um material transparente e
facilmente quebrável. A água que bebemos pode ser encontrada no estado líquido (à temperatura ambiente), mas
também pode ser encontrada no estado sólido (gelo) ou no estado gasoso (quando a fervemos).

MATÉRIA
MATÉRIA É TUDO O QUE TEM MASSA E OCUPA LUGAR NO ESPAÇO
Todos os materiais que nos rodeiam, incluindo as plantas, os animais, o ar, e os próprios seres humanos, são
chamados de matéria!

ENERGIA
ENERGIA É A PROPRIEDADE DE UM SISTEMA QUE LHE PERMITE REALIZAR TRABALHO

É difícil definir a energia propriamente dita, pois ninguém a vê, ela não pode ser tocada, mas, devido aos
efeitos que ela produz, todos nós sabemos que ela existe!
Por exemplo, a água represada em uma usina realiza trabalho quando movimento as pás que acionam o
gerador. Uma corrente elétrica está realizando trabalho quando, ao mover-se por um fio, aciona um dispositivo
eletrônico (como um computador). O próprio vento está realizando trabalho quando faz girar as hélices de uma
usina eólica.
Assim, vemos que o fogo foi só uma das formas de energia (energia térmica – calor – e energia luminosa)
controladas pelo homem, mas, como vimos, podemos citar outras:
- energia elétrica (dispositivos elétricos e eletrônicos, etc.);
- energia térmica (aquecedor de ambientes);
- energia eólica (usina eólica);
- energia nuclear (usina nuclear, equipamentos médicos de exames);
- energia luminosa (o sol, através do qual as plantas fazem fotossíntese);
- energia sonora (as vibrações que sentimos quando um aparelho de som potente está ligado com som muito alto);
- energia química (pilhas e baterias, combustíveis para automóveis).

QUÍMICA
QUÍMICA É O RAMO DA CIÊNCIA QUE ESTUDA A MATÉRIA, SUAS TRANSFORMAÇÕES

E A ENERGIA ENVOLVIDA NESTES PROCESSOS.

DISCIPLINA: QUÍMICA – Prof. Josias F. Pagotto


Pelo estudo e conhecimento dos materiais (ou matéria) e suas transformações (utilizando para isso diferentes
formas de energia), vários produtos úteis para o homem podem ser fabricados, como:
- adubos e inseticidas (para melhorar a produção agrícola);
- produtos que permitem conservar os alimentos;
- medicamentos para vários tipos de doenças;
- veículos de todos os tipos (carros, aviões, navios, etc.);
- equipamentos de informática, celulares, etc.;
- cosméticos e perfumes.

TRANSFORMAÇÕES FÍSICAS E TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS

TRANSFORMAÇÕES FÍSICAS: a natureza da matéria não é modificada! Ou seja, uma determinada


substância continua a ser ela mesma!!! Exemplo: mudanças de estado físico (congelar ou ferver água, etc.). O sal,
quando dissolvido na água, fica invisível a olhos nu, mas se a água for evaporada, o sal é recuperado.

TRANSFORMAÇÕES QUÍMICAS: a natureza da matéria é modificada! Ou seja, haverá transformação


da(s) substância(s) inicial(is) em outra(s). Exemplo: queimar um pedaço de papel, fritar um ovo, cozinhar arroz
(OBS.: toda combustão ou queima, e todo processo de cozimento de qualquer alimento são Fenômenos Químicos!).

CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA

SISTEMAS HOMOGÊNEOS: possui somente 1 aspecto visual (é uniforme!)


Ex.: água e sal (dissolvido); água e acetona; água e álcool; qualquer mistura de gases.

SISTEMAS HETEROGÊNEOS: possui 2 ou mais aspectos visuais (não é uniforme!)


Ex.: água e óleo; água e areia; água e gelo, etc.

SUBSTÂNCIA PURA E MISTURA


SUBSTÂNCIA PURA: sistemas formados por 1 único tipo de substância.
Ex.: água pura (H2O); gás oxigênio (O2); gás hidrogênio (H2); Cloreto de sódio (NaCl, ou sal de cozinha); açúcar;
etc.
MISTURA: sistemas formados por 2 ou mais substâncias juntas (sem que haja uma reação química).
Ex.: água + óleo; água + areia; ligas metálicas; o ar; água + álcool.

SUBSTÂNCIAS PURAS: Simples ou Compostas


SUBSTÂNCIA PURA SIMPLES: substância formada por 1 único elemento químico (um único tipo de

átomo).
Ex.: O2 (gás oxigênio); H2 (gás hidrogênio); Fe (ferro metálico); S8 (enxofre); etc.

SUBSTÂNCIA PURA COMPOSTA: substância formada por 2 ou mais elementos químicos (dois ou

mais tipos de átomos).


Ex.: H2O (gás oxigênio); NH3 (gás amônia); CO2 (gás carbônico); NaCl (cloreto de sódio); C2H6O (etanol ou álcool
etílico); etc.

DISCIPLINA: QUÍMICA – Prof. Josias F. Pagotto


NÚMERO DE FASES E NÚMERO DE COMPONENTES

NÚMERO DE COMPONENTES: é o número de substâncias no sistema.

NÚMERO DE FASES: é o número de aspectos visuais no sistema.

Ex.: água + óleo → 2 componentes e 2 fases


Ex.: água + óleo + gelo → 2 componentes e 3 fases
Ex.: água + gelo + vapor d’água → 1 componente e 3 fases

ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA

A matéria pode se apresentar em três estados físicos: sólido, líquido e gasoso. O estado físico de uma
substância depende (microscopicamente) do grau de agregação de suas moléculas. No estado físico sólido, as
moléculas estão muito próximas umas das outras, e há muito pouco movimento das partículas. No estado físico
líquido, as moléculas já estão mais longes umas das outras e se movimentam bem mais. E no estado físico gasoso,
as moléculas estão bem separadas umas das outras, e possuem grande velocidade de movimento.

Química – Ensino Médio - USBERCO E SALVADOR, pág 37.

Química – Ensino Médio - USBERCO E SALVADOR, pag 37

DISCIPLINA: QUÍMICA – Prof. Josias F. Pagotto


FUSÃO: passagem do sólido para o líquido.
VAPORIZAÇÃO: passagem do liquido para o gasoso.
(OBS.: A vaporização pode ocorrer de forma rápida ou lenta. Quando ocorre de forma rápida, é chamada
Ebulição; quando ocorre de forma lenta, é chamado evaporação; quando ocorre de forma instantânea, é chamado
calefação).
LIQUEFAÇÃO ou CONDENSAÇÃO: passagem do gasoso para o líquido.
SOLIDIFICAÇÃO: passagem do líquido para o sólido.

A temperatura onde ocorre a fusão é chamada temperatura de fusão (TF).


A temperatura onde ocorre a vaporização é chamada temperatura de vaporização (TE).
A temperatura onde ocorre a condensação é chamada temperatura de condensação.
A temperatura onde ocorre a solidificação é chamada temperatura de solidificação.

CURVAS DE AQUECIMENTO

Em uma substância pura, a fusão e a ebulição (e seus processos inversos – condensação e solidificação)
ocorrem a uma temperatura constante. Chamamos estas de temperatura de fusão (TF) e temperatura de ebulição
(TE). Por exemplo, para a água pura, a temperatura de fusão (TF) é 0ºC, e a temperatura de ebulição (TE) é de
100ºC (ao nível do mar, onde a pressão atmosférica é 1 atm).
Já em uma mistura, as mudanças de estado físico não ocorrem a uma temperatura constante, mas em uma
faixa de temperatura. Isto ocorre porque não se trata de uma única substância (com suas propriedades físicas e
químicas bem definidas), mas de uma mistura de duas ou mais substâncias diferentes. Costumamos dizer que na
fusão existe uma variação de temperatura durante a fusão (ΔTF); da mesma forma, isto ocorre também na ebulição
(ΔTE).

DIAGRAMAS DE MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO


(OU GRÁFICOS DE AQUECIMENTO DE UMA SUBSTÂNCIA)

Quando aquecemos uma substância, logicamente sua temperatura vai aumentar com o tempo. Aquecendo
esta substância a partir de seu estado sólido até o estado gasoso, podemos representar este aumento de temperatura
com o decorrer do tempo na forma de um gráfico, onde o eixo y será a temperatura e o eixo x será o tempo. Este
gráfico é chamado Diagrama de Mudança de Estado Físico.
O Diagrama de Mudança de Estado Físico de uma substância pura apresentará um aumento linear de
temperatura com o decorrer do tempo. Quando ocorrer mudança de estado físico, a temperatura permanecerá
constante até que a mudança de estado físico ocorra completamente. Nesta etapa, dizemos que existe um patamar
(região onde a temperatura permanecerá constante) no diagrama.

Por exemplo, a seguir está apresentado o gráfico de aquecimento da água.

DISCIPLINA: QUÍMICA – Prof. Josias F. Pagotto


Química – Ensino Médio - USBERCO E SALVADOR, pag. 38

Podemos observar que existem dois patamares: o primeiro a 0ºC, e o segundo a 100ºC. Na temperatura de
0ºC ocorre a fusão da água (ou seja, a passagem do sólido para o líquido). Nesta etapa, o gelo (água no estado
sólido) vai se transformando água líquida. Durante este processo, a temperatura permanece constante (0ºC), até que
todo gelo se transforme em água liquida. Quando o líquido é aquecido até a temperatura de 100ºC, inicia-se a
ebulição. A água líquida começa a se transforma em vapor d’água. Enquanto toda água não se converta em vapor
d’água (estado gasoso), a temperatura permanecerá 100ºC. Após toda água se converter em vapor d’água, a
temperatura continuará subindo.
O Diagrama de Mudança de Estado Físico de uma mistura também apresentará um aumento linear de
temperatura de um estado físico da mistura (sólido, líquido e gasoso). Quando ocorrer mudança de estado físico,
em geral, a temperatura não permanecerá constante durante esta mudança de estado físico.
Por exemplo, a seguir está apresentado o gráfico de aquecimento de uma mistura de água e açúcar.

Química – Ensino Médio - USBERCO E SALVADOR, pag. 38

Conforme já discutido, nas mudanças de estado físico não existe um patamar de temperatura.

DISCIPLINA: QUÍMICA – Prof. Josias F. Pagotto


Misturas eutéticas e azeotrópicas
Quando discutimos o aspecto geral de um diagrama de aquecimento de uma mistura, dissemos que na
mudança de estado físico, em geral, a temperatura não se mantém constante. Fizemos questão de escrever “em
geral”, porque em alguns casos particulares a temperatura de fusão ou de ebulição de algumas misturas se mantém
constante.
Quando a temperatura de fusão de uma mistura se mantém constante, chamamos esta mistura de mistura
eutética. Exemplo: água e sal de cozinha; solda (estanho + chumbo). O gráfico de aquecimento de uma mistura
eutética está apresentado a seguir.

Química – Ensino Médio - USBERCO E SALVADOR, pag 39

Quando a temperatura de ebulição de uma mistura se mantém constante, chamamos esta mistura de
mistura azeotrópica. Exemplo: álcool comum (96% de álcool e 4% de água). O gráfico de aquecimento de uma
mistura azeotrópica está apresentado a seguir.

Química – Ensino Médio - USBERCO E SALVADOR, pag 39

REFERÊNCIAS:

QUÍMICA (Química Geral) - Ensino Médio – Ricardo Feltre, vol. 1, 6ª edição.


QUÍMICA – Ser protagonista – Ensino Médio – Júlio Cezar F. Lisboa, vol. 1, 3ª edição.
QUÍMICA – Ensino Médio – Usberco e Salvador – volume único, 5ª edição.

DISCIPLINA: QUÍMICA – Prof. Josias F. Pagotto

Você também pode gostar