Você está na página 1de 34

AULA 3

WWW.DRAJESSICACAVALCANTE.COM.BR
PROCEDIMENTO DE QUALIFICAÇÃO
 Todos os itens são classificados com 0, 1 ou 2
 Em uma análise normativa, esses escores são adicionados e convertidos em
escores e percentis típicos, que servem a muitos propósitos, como ajudar no
diagnóstico, estabelecer o nível de desenvolvimento / adaptação e fazer
comparações entre crianças e outras crianças autistas. . Além das análises
normativas, os escores do PEP-3 podem ser usados para interpretações
clínicas. Essas análises incluem examinar se a criança mostra um desempenho
aprovado, emergente ou suspenso nos testes individuais de seu
desenvolvimento, e um desempenho apropriado, leve ou severo nos testes
individuais de comportamentos desadaptativos.
 O sistema de pontuação nos itens de subteste do desenvolvimento é dividido
nos três níveis a seguir: aprovado (pontuação = 2), emergente (pontuação = 1)
e suspense (pontuação = 0). As regras básicas de qualificação que se aplicam a
cada pontuação são:
 Aprovado - a criança pode executar a tarefa com sucesso sem a necessidade
de uma demonstração.
 Emergente - A criança demonstra algum conhecimento de como executar a
tarefa, mas não consegue concluí-la com êxito, ou o examinador deve
fornecer demonstrações repetidas ou dizer-lhe como concluir a tarefa.
 Suspense - A criança é incapaz de concluir qualquer aspecto da tarefa ou não
tenta executá-la, mesmo após demonstrações repetidas
 A pontuação dos itens mais sutis dos comportamentos desadaptativos é
baseada em observações e julgamentos clínicos. O sistema de pontuação para
esses itens é dividido nos três níveis a seguir: apropriado (pontuação = 2),
leve (pontuação = 1), grave (pontuação = 0). O termo apropriado é usado para
indicar a ampla gama de comportamentos mostrados por crianças (normais)
médias em determinadas idades. O examinador deve levar em consideração a
idade apropriada do comportamento e a idade mental da criança ao pontuar
esses itens. Por esse motivo, o examinador deve estar familiarizado com
padrões de comportamento normais em diferentes faixas etárias
IMPORTANTE!!!

ESTUDAR ANÁLISE
DO COMPORTAMENTO
 Os itens comportamentais são melhor pontuados imediatamente após a
sessão, quando o examinador revisa suas anotações observacionais. É
importante que o examinador tome decisões sobre as pontuações quando suas
impressões sobre a criança são recentes. As regras básicas de pontuação que
se aplicam a cada pontuação são
 Apropriado - O comportamento é apropriado para a idade deles.
 Leve - O comportamento é leve ou moderadamente incomum.
 Sério - A intensidade, qualidade e manifestações do comportamento são
exageradas e interferem; Esses comportamentos podem ser inequivocamente
peculiares ou disfuncionais.
IDADE

 A idade exata da criança é calculada subtraindo a data de seu nascimento


da data em que o teste é administrado. Em alguns casos, é fácil subtrair a
data de seu nascimento da data em que ele ou ela é submetido ao teste. Em
outros casos, é necessário olhar a coluna do mês ou ano para subtrair
corretamente.

 Estudar manual pagina 13


 Os examinadores podem usar as idades de desenvolvimento para determinar
os pontos fortes e fracos da criança nos subtestes de desenvolvimento. Os
perfis de desenvolvimento de crianças com autismo são bastante desiguais,
com idades de desenvolvimento que flutuam amplamente entre os sete
subtestes de desenvolvimento. Ao identificar as idades de desenvolvimento
nas sete áreas, o examinador pode indicar instruções sensíveis para um
programa individual. Por exemplo, uma criança de 5 anos com autismo que
possui coordenação motora normal, semelhante a crianças da mesma idade,
mas cujo entendimento da linguagem corresponde a uma criança de dois
anos, pode ser ensinada a: andar de triciclo usando apenas instruções verbais
apropriadas para crianças de 2 anos de idade. O teste pode ser repetido todos
os anos para comparar e observar mudanças na idade do desenvolvimento. As
idades de desenvolvimento nos compostos são úteis quando se buscam
comparações mais proeminentes.
Percentis ou porcentagens

 Nos subtestes, os percentis indicam a porcentagem de casos na amostra


comparativa com autismo que aparecem no escore direto de um indivíduo ou
abaixo dele. Os percentis dos seis subtestes de desenvolvimento, o subteste
de Autocuidado Pessoal do Relatório do Cuidador e as pontuações do composto
de Comunicação e do composto Motor; Eles podem ser usados em uma análise
complementar para fins administrativos ou de investigação. Como os escores
diretos de PEP-3 não distribuídos de forma normativa, o percentil dos
subtestes foi calculado diretamente a partir das distribuições dos escores
diretos. Portanto, o percentil associado a uma pontuação direta específica
varia entre os diferentes subtestes do PEP-3 e é exclusivo da distribuição da
pontuação direta de cada subteste.
 Os percentis dos compostos foram feitos adicionando as pontuações típicas do
subteste que contribuem para cada composto e calculando o percentil
diretamente dessa soma. As pontuações típicas de cada subteste servem
apenas como um meio para calcular o percentil nos compostos. As pontuações
típicas de cada subteste não devem ser interpretadas para nenhuma
finalidade, pois são derivadas de uma distribuição altamente distorcida.
Portanto, o examinador deve usar (com o cuidado indicado acima) os
percentis ao interpretar e comparar os resultados do PEP-3. Esse é o
procedimento aceito para interpretar pontuações em testes com distribuições
assimétricas
 A escala do nível de desenvolvimento / adaptação é útil para (a) fornecer um
quadro geral de referência para saber como o comportamento adaptativo e as
habilidades de desenvolvimento de uma criança são colocados dentro de uma
faixa de crianças autistas da idade e (b) Marcar mudanças na gravidade de
habilidades ou comportamentos específicos de desenvolvimento que podem
afetar as mudanças no planejamento educacional ou mesmo na classificação
diagnóstica.
 o examinador deve examinar os itens individuais para ver como eles se
encaixam nos objetivos gerais que abrangem o leque de áreas instrucionais
que devem ser incluídas nos Programas Educacionais Individualizados de
crianças com autismo
 importante observar o padrão de níveis de desenvolvimento / adaptação para
entender o tipo de necessidades comportamentais que a criança pode ter, o
tipo de estrutura de que ela precisa, pontos fortes e fracos do
comportamento , estilos de aprendizagem e obstáculos de aprendizagem.
Durante todo esse processo, o examinador deve considerar quais atividades ou
materiais interessantes para a criança poderiam ser incorporados ao atender
às necessidades da criança relacionadas às características do autismo.
 É muito importante que em cada área de desenvolvimento sejam
identificadas as habilidades que a criança pode desempenhar com facilidade e
aquelas que não podem ser identificadas. Entre as tarefas fáceis e muito
difíceis, está a zona crítica para a aprendizagem. Muitos testes avaliam a
criança apenas em dois níveis, passam ou suspendem. O PEP-3, no entanto,
fornece informações em um terceiro nível definido como emergente. As
pontuações emergentes são obtidas de três maneiras: (a) a criança mostra
algum conhecimento sobre como executar a tarefa, mas não é capaz de
concluí-la de forma satisfatória; (b) o examinador deve fazer demonstrações
ou ensiná-lo a concluir a tarefa; ou (c) a maneira atípica em que a criança
tem que responder ou os comportamentos relacionados ao autismo
interferem, mas, independentemente, mostram uma resposta correta.
O PEP É QUALITATIVO

VAMOS ENTENDER
PORQUÊ ?
 Abra seu manual página 22
Caso Tony

 Um objetivo importante do PEP-3 é identificar as áreas, metas e atividades


curriculares da criança com autismo. Usamos Tony para exemplificar a
importância de entender o padrão geral de pontos fortes e fracos da criança,
as habilidades emergentes nos itens individuais e as necessidades detectadas
na seção de comportamentos desadaptativos; o Relatório do Cuidador; e
quaisquer anotações feitas pelo examinador sobre os interesses e o estilo de
aprendizagem da criança quando os objetivos do Programa Educacional
Individualizado relacionados às áreas do currículo são desenvolvidos.
Etapa 1: Padrão de pontos fortes e
fracos
 Em geral, Tony obteve melhores resultados nos subtestes motores do que nos
subtestes de comunicação. A diferença de 38 pontos entre o percentil do
composto de Comunicação e o percentil do composto de Motor indica uma
fraqueza generalizada na linguagem e comunicação relacionada às
habilidades motoras. Na área de Comunicação, Tony obteve melhores
resultados no subteste de Linguagem Expressiva do que no subteste de
Linguagem Receptiva (uma diferença que geralmente ocorre em crianças com
autismo); Na área Motor, seu desempenho, tanto no subteste Motor Fino
quanto no subteste Motor Grosso, foi superior ao da Imitação Viso-Motor. Um
exame mais minucioso do padrão de pontuações aprovadas e emergentes no
complexo Motor indica que a maior força de Tony são as habilidades de
Motores Finos (16 aprovadas e 2 pontuações emergentes) e que ele possui
uma fraqueza relativa na imitação viso-motora (apenas 2 pontuações).
aprovados e 7 emergentes).
Etapa 2: análise de itens individuais com
pontuações aprovadas e emergentes
 fato de Tony ter muitas pontuações emergentes (38) nos seis subtestes do
desenvolvimento da parte de desempenho do PEP-3, é indicativo de um bom
potencial de aprendizado e fornece pistas para a programação. Por exemplo,
no subteste Verbal / Preverbal Cognition (4 resultados aprovados e 8
resultados emergentes), ele teve resultados emergentes na maioria dos
quebra-cabeças, bem como nos testes de correspondência de cores.
Felizmente, aprender a completar os quebra-cabeças facilitará o
desenvolvimento de habilidades de lazer independentes. Suas pontuações
aprovadas (por exemplo, orientação para ouvir a campainha, encontrar
objetos ocultos) indicam uma percepção auditiva e visual adequada, pontos
fortes que podem ser usados para trabalhar em áreas mais fracas, como a
linguagem
Etapa 3: Revisão do Padrão de
Comportamento de Má Conduta
 Tony tem dificuldades nas quatro áreas de comportamento desadaptativo do
PEP-3. Isso é consistente com o relatório dos pais no Relatório do Cuidador.
Ele mostrou uma série de problemas em seu relacionamento com os outros e
no interesse social, na capacidade de brincar sozinho, na repetição de
comportamentos motores e verbais e nos interesses sensoriais. Embora outras
crianças diagnosticadas como autistas possam mostrar variações nesses
domínios comportamentais, Tony parece ser significativamente anormal em
todas essas áreas, tanto na sessão de teste quanto em casa. Portanto, ao
contrário. Uma criança sem autismo com atrasos no desenvolvimento
comparáveis, seu programa educacional exigirá maior ênfase em métodos de
ensino estruturados.
Etapa 4: Revisão das informações do
cuidador
 Como observado acima, há consistência entre os resultados do Relatório do
Cuidador (subtestes de Problemas Comportamentais e Comportamento
Adaptativo) e os resultados do comportamento desadaptativo dos subtestes
de desempenho. Uma preocupação especial são os interesses restritos de
Tony, a incapacidade de jogar de forma independente, a aderência a rotinas
não funcionais e outros comportamentos que dificultam a participação de
seus pais e o ensino de novas habilidades. Tony fez algo melhor nos itens de
Autocuidado Pessoal (ACP), e sua pontuação neste subteste estava alinhada
com algumas de suas habilidades de desempenho nos subtestes de
desempenho.
Etapa 5: Desenvolvimento de recomendações
para programação educacional

 As recomendações a seguir são derivadas da análise do protocolo PEP-3 de


Tony e podem servir de base para um Programa Educacional Individualizado.
As seguintes áreas curriculares são geralmente consideradas relevantes para
os alunos com autismo. As sugestões de programação são ilustrativas, não
exaustivas, mas refletem como usar informações úteis em partituras
emergentes para auxiliar no desenvolvimento de atividades de ensino
 Organização / Independência. Tony não explora adequadamente o ambiente
em que o teste é realizado; portanto, ele provavelmente está desorganizado
quando não recebe uma estrutura ou organização visual e apenas possui uma
capacidade emergente de emparelhar objetos com imagens. Como resultado,
você provavelmente precisará usar uma programação que use objetos reais e
não baseada em imagens ou palavras escritas. Você também precisa de um
ambiente físico muito estruturado.
 Comunicação Embora ele use algumas palavras, a comunicação é uma área de
extrema fraqueza para Tony. Seus professores provavelmente precisarão
fornecer dicas visuais, como um sistema de intercâmbio, para ensinar o
processo de comunicação. Você pode estar especialmente motivado a
aprender a comunicação usando jogos a motor, como jogar bola. Como ele
pediu ajuda durante o desempenho da parte de desempenho do PEP-3, a
comunicação espontânea pode ser ensinada nesse contexto.
 Tony é especialmente fraco na recepção. Seus professores terão que associar
gestos à linguagem quando ensinarem a entender as instruções. Tony tem uma
capacidade emergente de responder perguntas com advérbios interrogativos,
o que parece ser uma habilidade notável em relação às suas outras
habilidades receptivas. Sim Seu professor trabalha essa habilidade. Você pode
se inscrever em outras áreas curriculares, como responder perguntas como
“Quem é esse?” E usar os nomes de seus colegas de classe corretamente.
 Social / Lazer. Tony mostra uma capacidade emergente de completar quebra-
cabeças e sabe cortar com tesouras, para que sua capacidade emergente de
criar quebra-cabeças possa ser ensinada inicialmente diretamente em uma
sessão individual e, uma vez dominada, para praticar sozinha em uma área de
lazer independente. Seu domínio no uso de tesouras pode ser desenvolvido
cortando coisas mais difíceis, como em um projeto de arte ou compartilhando
recursos em um grupo. Isso também pode ajudar a desenvolver mais
habilidades sociais e consciência social.
 Acadêmico Cognitivo / Funcional. Tony tem muito pouco conhecimento
acadêmico anterior, então seu professor terá que começar com idéias iniciais
de ensino, como classificação de objetos. Além disso, o professor precisa
começar com uma tarefa de autocorreção visual (que é autônoma, uma
atividade visualmente estruturada que ensina uma habilidade básica, como
classificação e emparelhamento), porque Tony não sabia como pedir os blocos
e o item das carta
 A área mais forte de Tony é a de habilidades motoras. Além de ensinar novas
habilidades (habilidades que devem ser avaliadas informalmente), seu
professor pode incorporar atividades motoras em tarefas em outras áreas
curriculares, como imitação ou linguagem expressiva.
 Auto-ajuda Devido à sua força nas habilidades motoras, Tony tem um bom
potencial para desempenhar de maneira independente as habilidades da vida
cotidiana. No Formulário de Relatório do Cuidador, seus pais indicaram que a
criança tem pontuações emergentes na capacidade de alimentar, beber e
despir. Essas habilidades podem ser trabalhadas na escola, com base em
rotinas e métodos estruturados. Usando um caderno diário entre casa e
escola, bem como observando os pais e as discussões em sala de aula, essa
importante área curricular é melhor trabalhada em colaboração
 Comportamento Adaptativo As fraquezas de Tony nas habilidades sociais
sugerem que ele está apenas no começo de aprender a fazer parte de um
grupo e seguir uma direção. O professor deve ensinar habilidades adaptativas
simples, como aprender a usar pistas visuais (por exemplo, a imagem que diz
"fique em silêncio"), aprender a ficar em um lugar e saber o que fazer lá e
aprender a prestar atenção a outra pessoa
 Lembre-se de que testes ou pontuações típicas sozinhas não devem ser usadas
para estabelecer um diagnóstico definitivo. Eles simplesmente fornecem
dados sobre as características consideradas importantes para esclarecer as
possibilidades do autismo.
 PEP-3 fornece dados importantes sobre funções comportamentais e de
desenvolvimento, bem como padrões para comparar as pontuações de uma
criança com relação ao seu comportamento desadaptativo com o de uma
amostra nacional de crianças com autismo. Assim como nas observações,
entrevistas ou mesmo uma simples revisão dos registros, testes e escalas
podem fornecer informações valiosas que contribuem para uma avaliação
abrangente.
O que você vai aprender na próxima
aula?

BATERIA DE
ATIVIDADES