Você está na página 1de 3

JESUS, O SUMO SACERDOTE DA NOVA ALIANÇA

Jesus, o grande Sumo Sacerdote, na direção da igreja, é uma garantia da vitória em


todos os sentidos.

Texto

Porque não um Sumo Sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas;
porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Hb 4.15

Textos : Ap 13-18; Hb 14-16;8.1,2

INTRODUÇÃO

I João viu Jesus glorificado no céu, Ap 1.13-18


1. Jesus, o Filho do Homem, no céu – Ap 1.13 – O mesmo Jesus que morreu, ressuscitou
e subiu ao céu, foi agora, em cumprimento de sua própria palavra ( Mt 26.64), visto
pro João, como Filho do homem.
2. Jesus apareceu com um corpo glorificado – por “aquela glória que possuía com seu
Pai, antes que o mundo existisse (Jo 17.5), mas que deixara para vir a esta terra, (Fp
29.10) e, agora, seu rosto brilhava como o sol ( Ap 1.16); seus olhos eram como chama
de fogo (Ap 1.14), podiam ver todas as coisas ( Sl 139.7; Ap 2.23); seus pés brilhavam
como metal reluzente (Ap 1.15) simbolizando a plenitude de seu poder (Is 43.13; Lc
1.37) e da sua boca saia uma aguda espada (Ap 1.16), que a palavra de Deus ( Ap
19.13) , o detalhe mais importante desta visão, é que Jesus aparece Sumo Sacerdote,
vestido de vestes comprimidas ( Ap 1.13)

II O Sumo Sacerdote No Velho Testamento, Exo 29.-19

1 O Sumo Sacerdote, personagem principal da vida religiosa de Israel

1. Chamado também de príncipe ( At 23.5), suas vestes destacavam-no dos outros


companheiros, (Ex 28), a ele cabia ministrar a consagração dos reis )1Rs
1.32,33), liderava os julgamentos( ( Dt 17.8; Ml 2.6,7) e ao entrar no santíssimo
uma vestimenta santa era lhe colocada, no dia da grande expiação, com o
sangue do sacrifício, na ocasião trajava um túnica de linho fino (Lv 16.1-15),
semelhante a que Jesus vestia, quando João o viu.

III Jesus, Nosso Sumo Sacerdote, Hb 7.24-28; 8.1,2

Na noite em que Jesus nasceu um anjo proclamou aos pastores a seguinte mensagem:
Nasceu Hoje, Cristo, o Senhor ( Lc 2.9-14). Este é

1. Cabia ao sacerdote levar a vitima do sacrifício No altar. ( Lv 4.24) Jesus assim


agiu quando de uma vez por todas (Rm 6.10) subiu ao Gólgota e sacrificou a si
mesmo (Ef 5.2), como o Cordeiro de Deus, (Jo 1.29; Is 53.10).”Tudo está
consumado”(Jo 19.30).
2. Após o sacrifício, o sumo sacerdote entrava dentro do véu, para espargir o
sangue sobre o propriciatório, fazendo a expiação (Ex 25.22; Nm 7.89), Jesus
fez o mesmo, pois com seu próprio sangue entrou santuário ( Hb 9.2). Ele é o
no Propriciatótio ( Rm 3.24) e a nossa propriciação ( I Jo 2.1,2). Suas feridas
falam, no céu, em nosso favor (Ap 5.6)
3. Depois da expiação o sacerdote saia para abençoar o povo. (Lv 10.18-21)
Assim fez Jesus também. Do céu enviou o Espírito Santo, para habitar jnto aos
que aceitam a redenção proporcionada pelo seu sangue (Jo 7.38,39; At 2.1-
4,32,33) Assentado à destra de Deus ( Hb 8.1,2) ele intercede por nós ( Hb 7.25;
Rm 8.34), convidando a todos para chegarem-se a ele a fim de serem ajudados,
em tempo oportuno, porque se compadece de nossas fraquezas ( Hb 4.14-16).

V. JESUS SUPERVIONA AS IGREJAS Ex 27.20,21; 30.7,8

Jesus andava entre os sete castiçais, isto é, no meio das igrejas ( Ap 1.13,20) das
quais é a cabeça ( Ef 1.22,23) o Grande Pastor ( Hb 13.20), Ele as conhece nos
mínimos detalhes, chegando a afirmar : “Eu sei as tuas obras” (Ap 2.2,8,13). O
Senhor conhece o modo como seus ministros exercem o ministério (Hb 13.17), e
como cada membro anda em sua casa ( I Tm 3.15, Ec 5.1). Ele vê tanto o
procedimento espiritual dos crentes ( Ap 2.14), como os perigos que os ameaçam.
O Senhor Jesus, Onipresente, sempre está com sua igreja (Mt28.20), como
inspecionou as da Ásia, observa com grande atenção as de hoje. Peçamos,
portanto, de coração: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me, e
conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me
pelo caminho eterno” ( Sl 139.23,24)

VI – O SUMO SACERDOTE SUPRE A NECESSIDADE DE AZEITE NAS LÂMPADAS EX


27.20,21; 30.7,8

No Velho Testamento o cuidado do castiçal estava sob responsabilidade do


sacerdote que a cada manhã e tarde, na hora de queimar o incenso, também
punha em ordem as lâmpadas (Ex 30.7,8), ocasião em que renovava o azeite (Ex
27.20,21). Com espevitadores e apagadores (Ex 15.38), ele também as mantinha
acessas, sem fazer fumaça e sem exalar mau cheiro,

É exatamente isto que Jesus, o nosso Sumo Sacerdote, está fazendo. Quando os
crentes “queimam o incenso”, isto é, buscam ao Senhor ( Sl 141.3), ele então,
renova-lhes o azeite que suas lâmpadas consumiram e batiza com Espírito anto( At
2.1-4;4.31; 2 Co 4.16(. É por meio destes encontros contínuos que nossas lâmpada
se conservarão acessas (Rm 12.11,12).

Jesus deseja também que nossas lâmpadas possam arder, sem que venha produzir
fumaça ou mau cheiro. Os espevitadores e apagadores do Velho Testamento
simbolizam a aplicação da doutrina no uso correto dos dons do Espírito Santo.
Aquele, pois, cujo pavio estiver fumegando de meninice ou de exageros, devem
aprender a brilhar através da são doutrina de modo a glorificar a Jesus, beneficiar
os pecadoes (Fp 2.15) e trazer plena edificação à igreja ( 1 Co 14.12)

Você também pode gostar